Diabos! - Prática Motivacional

Um conto erótico de Bayoux
Categoria: Heterossexual
Contém 2024 palavras
Data: 26/09/2023 13:37:01

Enquanto o Cara lá de cima e Satanás estavam cagando, o pau comia na terra devido à luta encarniçada entre o bem e o mal.

Ok, essa introdução pode soar estranha, então façamos algumas explicações oportunas.

Primeiro, os dois poderosos absolutos não estavam cagando para a humanidade, eles estavam literalmente cagando, tipo soltando um barro. Isso demoraria uns quatrocentos anos, assim que haviam delegado as funções exotérico-telúricas aos seus coordenadores imediatos: anjos e demônios de vários setores de ambas organizações.

Segundo, especificamente no setor de luxúria, tais funções eram exercidas no céu por Nathaniel, o Anjo Fogoso, enquanto no inferno a encarregada era Aélis, a demônia mais sedutora e gostosa da história.

Acontece que estes dois se comiam no passado e levavam as coisas de maneira a que um não prejudicasse o outro - mas isso só durou até Aélis trair Nathaniel. Daí, o Anjo Fogoso começou a soltar fogo pelas ventas e uma verdadeira guerra da luxúria começou a ser travada entre os dois, ela querendo condenar todas as celebridades existentes às chamas do inferno e ele evitando que ela fosse bem sucedida.

Terceiro: eu estava no meio dessa balbúrdia. Depois de condenado ao inferno e ter passado por um exaustivo treinamento para ser um capeta do setor de luxúria, eu realizei várias missões que ajudaram a Aélis conquistar uma larga vantagem para o inferno.

Depois que eu descobri que ela estava me sacaneando, me revoltei, fugi dos domínios de Satanás e fui parar no purgatório, tentando conquistar uma vaga no céu. Acabei trabalhando para Nathaniel, dessa vez evitando que a demônia, sua ex-peguete e atual inimiga imortal, conseguisse mais condenações por luxúria.

Quarto: o placar agora estava empatado e o Nath não seria mais enrabado quando o Cara lá de cima terminasse de cagar. Tudo o que devíamos fazer era nos esforçar para manter as coisas assim. Simples, não é? Não!

Até então, para mim o empate não bastava! Eu queria conseguir uma autorização divina para deixar de ser um capeta, sair do purgatório e me aposentar vivendo no paraíso, logo, eu precisava muito que ganhássemos para ter moral suficiente e pedir tudo o que queria!

Mas será que eu realmente queria isso? Essa era a pergunta chave. Acontece que, durante minha última missão, onde fui à pré-história e tentei mudar o futuro da humanidade para torná-la um pouco menos assanhada e pecadora, terminei conhecendo uma diaba diferentona que fudeu com tudo: fudeu com a missão, fudeu comigo e fudeu com meu coração, deixando-me suspirando feito um adolscente idiota.

É isso mesmo, os brutos também amam - mesmo quando já estão mortos e viraram capetas.

Então, estava eu lá no purgatório perdido entre tantas questões, quando um pombo-correio cagou na minha cabeça e entregou uma mensagem. Porra, ainda existiam pombos-correio nos dias de hoje? Quem usava esse método tão rudimentar de comunicação? E porque ele tinha justo que cagar na minha cabeça?

Abri o papelzinho e, numa caligrafia redondinha e bem cuidada, pude ler: “Oi capetinha gostoso, aqui á a diaba da pré-história. Você pode nem saber, mas, assim como você é a ferramenta do céu, sou eu quem está lutando pela luxúria pelo lado do inferno. Olha, eu descobri que estamos sendo enganados. Quer uma prova? Encontre-me hoje à tarde em Los Angeles, na boate Lux. Bjus na piroca, euzinha!”

Puta que pariu! Se eu já estava confuso, aquele bilhetinho caiu como uma bomba! Quem era essa diaba? Estaríamos sendo enganados? Como? Por quem? Será que ela estava a fim de mim? E se eu fosse ao encontro? Seria mais uma armadilha do inferno? Será que ela gostava de flores? Que roupa eu devia usar? Eu tinha roupa? E porque a merda do pombo cagou em mim?

Seí lá, eu já usei mais de quinze pontos de interrogação até aqui e, se quisesse obter ao menos uma resposta para tantas inquietudes, só havia uma maneira de descobrir algo: eu devia ir até a tal Boate Lux!

Contudo, eu era bobo mas não era tonto. Decidi deixar de lado a frescuragem e naquela tarde me dirigi até Los Angeles usando só minha aparência azul-translúcida invisível, a melhor escolha para passar despercebido e poder investigar mais a fundo o que estava acontecendo.

Cheguei lá e o local ainda estava fechado, mas, como eu podia atravessar paredes, entrei mesmo assim. Num salão muito elegante, um grupo de mulheres gostosas com pinta de dançarinas se espalhava entre mesas e poltronas.

Uma modorra absoluta reinava no local, as donas pareciam mais sonolentas que eu antes do café matinal, até que um cara alto e bonitão, todo trabalhado no terno italiano, entrou todo animadinho causando um alvoroço.

- Vamos lá meninas, bora começar! Todas juntas aqui, chega mais aí!

- Uai Lúcifer, o que está rolando?

- Eu fiz um cursinho virtual no ensino à distância e agora chegou a horade praticar!

- Mas praticar o quê chefe, que novidade é essa?

- Eu agora sou mentor motivacional de equipes de alta performance! Tenho que fazer duzentas horas de prática para receber o diploma, assim que vou começar por aqui.

- Tá doido? Quem disse que a gente quer mentoria? E essa parada de motivação? Onde já se viu? Motivação de puta é pagar as contas!

Peraí… Los Angeles? Boate Lux? Bando de mulher gostosa? Cara bonitão animadinho? Caralho caralhudo, eu estava num episódio da série Lúcifer!

Mas como assim? Satanás não estava cagando? O que o demônio supremo estava fazendo ali? Porque a diaba da pré-história havia me indicado para ver aquilo? - como se pode notar, as interrogações só iam aumentando em lugar de estarem diminuindo.

- Estão vendo só, garotas? É isso que está errado, vocês só estão focando o dinheiro! Por isso o negócio vai mal! Então, nossa motivação daqui pra frente vai ser: Somos putas para prover entretenimento sexual às pessoas que mais necessitam de uma boa trepada!

- Lúcifer, há uma crise econômica fodida, a machaiada nem está conseguindo pagar as contas! É por isso que a clientela sumiu!

- Olha, enquanto vocês ficarem presas a justificativas e colocando a culpa em fatores externos ao nosso controle, continuarão atuando abaixo da linha!

- Abaixo da linha do quadril, você quer dizer?

- Meninas, isso é sério! Em vez de ficar falando dos problemas e reclamando da vida, vamos focar nas soluções! Perguntem a si mesmas: o que mais eu posso fazer hoje? Vamos lá, confiem em mim! Hoje eu quero ouvir propostas!

- Essa história é “o que mais eu posso fazer” eu conheço bem. Você quer que a gente dê mais a bunda não é? E pague boquete mamando no couro?

- Boa! Estão vendo? A Gislaine é a melhor puta daqui e já está atuando acima da linha! O que mais podemos fazer? Que tal se estabelecermos metas?

- Lúcifer, você vai dar a bunda e mamar no couro também? Afinal, se nós somos uma equipe, você também deveria participar da solução, não é?

- Yorraine, minha função é ser líder! Cada um aqui tem um papel claro e deve ter consciência de sua contribuição individual ao êxito do grupo! Se todo mundo começar a exercer a função do outro vira uma zona!

- Uai Lúcifer, até onde eu sei, a gente está exatamente na zona!

- Atenção! Não voltem para baixo da linha, por favor! Isso aqui nunca mais vai ser uma zona! Isso agora é um centro de bem-estar adulto!

Afe, isso era típico do diabo, ficar disfarçando as coisas com nomes bonitos para fazer parecer que o pecado é algo do qual não se deve sentir culpa! Foi justamente por ter esse tipo de ideia que eu fui parar no inferno! E o pior é que a conversa ainda não tinha acabado, Lúcifer estava com o diabo no corpo e atiçou todas as piranhas do local.

- Nossa, isso está ficando interessante! Lúcifer, e se a gente fizesse umas aulas de massagem e começasse a agregar mais qualidade aos serviços prestados?

- É! E se a gente também aprendesse dança do ventre e montasse um showzinho erótico nas terças à tarde, quando o movimento é mais baixo?

- Boa, boa! A gente também podia decorar melhor os quartos, trocar as cortinas e os colchões… E se todas as camas fossem king-size?

- Ah, também podíamos melhorar os banheiros, ter umas banheiras de hidromassagem e uma sauna. Seria um luxo, a gente ia arrasar a concorrência!

- É, e para completar, oferecer chinelas descartáveis e toalhas novas, daquelas grandonas listradas, tipo hotel chique!

- Viram só, meninas? Nem foi tão difícil! Agora temos uma bela lista de ideias pelas quais lutar! Tendo foco e perseverança, nossa equipe pode conquistar qualquer coisa!

- É, a gente vai ser o puteiro mais porreta de Los Angeles! De Los Angeles não, do mundo!

- Isso, vai ter até turista vindo do mundo todo só para conhecer a gente! Isso aqui só vai ter cliente VIPE: Véio Impotente mas Privilegiado Economicamente!

E não é que o Lúcifer conseguiu mesmo levantar o astral da parada? Caralho caralhudo, se ele aplicasse estes métodos infalíveis de mentoria motivacional no inferno, o céu estaria fudido e mal pago! Tudo isso porque o Cara lá de cima foi soltar um barro e Satanás aproveitou o tempo para investir no próprio desenvolvimento pessoal - e agora estava justamente praticando suas novas habilidades no inferninho que mantinha em Los Angeles!

Contudo, eu havia gerenciado um setor de infraestrutura com uma cacetada de funcionários quando era vivo e sabia que motivação por si só não paga as contas. Se Lúcifer fosse bom mesmo naquilo de gestão, aproveitaria este momento de engajamento pleno da equipe de putas para transformar em resultados financeiros.

- Tá bom, meninas. Agora vamos lá, mãos à obra, que tempo é dinheiro!

- Ué Lúcifer, já acabou a mentoria? Era só isso?

- Lorraine, agora nós temos objetivos, metas e estamos atuando com accountability positiva! Vamos ter sessões semanais, avaliar avanços e manter a boa vibração do grupo em alta!

- Mas é até lá, Lúcifer, o que a gente vai fazer?

- Vocês vão trepar como nunca, ora bolas! Afinal, isso aqui continua sendo um puteiro disfarçado de boate!

Dito e feito, a crua realidade foi esfregada na cara das mulheres e elas nem perceberam, saíram bem contentes por estar participando de algo com um significado maior, alguns objetivos a conquistar e uma missão no foco - tudo baboseira, pois, no fim das contas, nada havia mudado de fato!

Ôpa… Peraí… Mas não era exatamente isso que eu estava fazendo desde que me engajei na luta entre o bem e o mal?

Eu passava o tempo todo correndo de lá para cá, quase me matando e passando pelos maiores sufocos em função de números num placar, achando que com isso estava salvando a humanidade, quando, na verdade, nada, absolutamente nada havia mudado na terra!

Porque todas as vezes que eu conseguia equilibrar a disputa, acontecia alguma missão fudida que nos fazia cair de novo e ter que remar para nos recuperar outra vez?

Puta que pariu! Como eu fui otário a ponto de cair nesse golpe? Eu nunca deixaria de ser um capeta, Nathaniel nunca me daria o céu e não havia aposentadoria tranquila no paraíso! Muito provavelmente, era tudo uma enganação para fazer de conta que a guerra no setor de luxúria era acirrada.

Daí, Nathaniel e Aélis, os dois comandantes de cada lado da suposta disputa e ex-amantes desde a criação do mundo, podiam seguir numa boa e fazendo de conta aos seus chefes que trabalhavam muito, quando, na verdade, os dois não faziam nada além de ficar se pegando e rindo da minha cara!

Uau, isso é que eu chamo de um twist-plot escroto justo no último capítulo da temporada!

O que eu deveria fazer a seguir? Qual seria o meu destino? Teria coragem de confrontar Nathaniel? O Cara lá de cima estaria realmente cagando eternamente ou, como Satanás, estava aproveitando para fazer uns cursos de desenvolvimento pessoal? Será que eu reencontraria aquela diaba tesuda da pré-história? Conseguiria eu comê-la de novo?

Mardita merda, mal eliminei algumas interrogações, muitas outras surgiram quase que imediatamente - e o pior é que eu teria que esperar até a próxima temporada para obter as respostas!

FIM DA QUARTA TEMPORADA!

Nota: Confira os capítulos ilustrados da “Saga Diabos!” em mrbayoux.wordpress.com

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 6 estrelas.
Incentive Bayoux a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de BayouxBayouxContos: 191Seguidores: 93Seguindo: 11Mensagem Um olhar cômico e singular sobre o erótico - cavaleirocalicedourado@gmail.com

Comentários

Foto de perfil genérica

ele lutou tanto nessa luta entre bem e mal e depois percebeu que tudo aquilo podia ser uma farsa criada pelo Nathaniel e pela Aélis. Todos motivadores ganham muito dinheiro convencendo trouxas dizendo que é fácil ficar rico, e o diabo ganha muitas almas enganando trouxas. Mas o importante é que eu descobri onde está a Gislaine. Está em Los Angeles fazendo programa. Já faz uns 3 anos que eu não vejo ela.

0 0
Foto de perfil de Bayoux

Jorginho, não acredito que tu é amigo da Gi! Taí, bem que eu desconfiava que você tinha bom gosto, rs.

0 0
Foto de perfil genérica

amigo nada. Eu ficava voyeurizando cenas dela com o marido dela. Mas agora que a Gi virou stripper na boate do Lucifer, o marido ficou mais chifrudo que o diabo.

0 0