NOVAS AVENTURAS SEXUAIS - 32 - Antepenúltimo

Um conto erótico de Escritos
Categoria: Grupal
Data: 14/03/2018 16:40:21
Nota -

Capitulo 32 - Antepenúltimo

O clube escolhido para a despedida tinha uma pequena fila na porta de entrada. Homens e mulheres desconhecidos, em busca de prazer, aguardavam sua vez de entrar.

Duda, Joana, Kadu, Nate, Elena e Beto chegaram ao clube e como eram aguardados, logo entraram sem enfrentar filas.

- Boa noite - disse a recepcionista. - O senhor Mauro quer falar com vocês. Vamos lá?

Os seis foram levados ate o escritório de Mauro.

- Boa Noite - cumprimentou Marcos quando a recepcionista os deixou na sala. - A Duda eu já conheço, ela veio escolher o clube, mas os outros não.

Duda foi ate Mauro e o abraçou, depois apresentou seus companheiros.

- Não sei se vocês já sabem o que irá acontecer, imagino que não - e eles confirmaram que não sabia - Hoje, vocês serão meus funcionários. Os clientes já estão na porta, e vocês iram fazer tudo que eles quiserem, mas não se preocupem que terão outros funcionários para ajudar. - Mauro abriu sua gaveta e pegou um papel – vou precisar de 2 pessoas para uma apresentação no quarto de vidro.

- Pode ser os noivos – sugeriu Joana.

- Pensei a mesma coisa – Falou Kadu

- Ótimo, então serão os dois – Mauro confirmou - Muito bem, vou pedir para que acompanhem vocês para trocarem de roupa.

Elena estava ansiosa para noite, ela usava pedaços de roupas, e esperava alguém a vir buscar no quarto, e se assustou com a batida na porta.

- ta aberta - avisou ela.

Nate entrou no quarto, ele usava uma micro sunga, e sem dizer nada tranca a porta e depois senta na cadeira de frente para Elena.

- Tudo bem?

- ta sim, qual é o plano - pergunta ela.

- Tive a idéia de preparar um vídeo de recordação para dar de presente ao Beto - Ele mostra a câmera na sua mão.

- Um video de presente?

- Um vídeo pornô de presente - ele ri e mexe na câmera - você é muito linda, Elena.

Ela estava sentada na cama o vendo mexer na câmera.

- obrigada.

- Eu ainda não tive a oportunidade de te tocar – Ele passou a mão nas coxas dela - Já pensou no Beto batendo varias punhetas vendo a esposa transando com um dos amigos dele? - Elena ri com o que ele disse. Nate terminou de ligar a câmera, e segurando ela, voltou sua atenção em Elena.

- Vamos brincar?

Elena ri e da um oi para câmera, depois começa um striper tease, e quando fica nua, ela deita na cama.

- e agora? – perguntou ela

Nate vai para cima dela, com a câmera numa mão, ele usa a outra para aperta o peito dela e passar a língua.

- eu vou lamber ate deixar seus mamilos durinhos.

Ele passa a língua envolta do peito dela depois chupa, e prendendo o mamilo entre os dentes, ele puxa. Elena geme com a sensação.

- Nossa... Que boca deliciosa - geme Elena para câmera. - é tão bom...

- Você acha que o Beto vai gosta da nossa filmagem? - ele perguntou e voltou a chupar.

- Ele vai adorar...

- eu imaginei isso.

Enquanto chupava os peitos dela, Nate usava o joelho para roçar na buceta.

- Você esta pronta, - ele passa a mão na buceta dela -fica de quatro pra mim.

Elena fez o que ele pediu, ficando de quatro, ela empina bem a bunda. Nate gravou todo o corpo dela naquela posição, depois deu um foco para buceta molhada, ele colocou os dedos na buceta dela.

- você esta molhadinha.

Elena começou a se movimentar, sentindo os dedos dele na sua buceta. Nate usou os dedos para abrir a buceta dela e filmar.

- Que bucetinha linda.

- Nate... Me come...

- Vai ser um prazer.

Nate foi para trás dela e colocou seu pau, a câmera pegou o momento em que o cacete dele entrou nela e o gemido que ela deu deixou ele louco.

- Vamos lá - disse Nate se movimentando dentro dela - basta ser você mesma.

Ele filmava seu pau entrando e saindo, às vezes focava no rosto de prazer dela.

- isso... Vai... Me fode... Filho da puta... Vai... - pedia Elena quando a câmera pegava o rosto dela.

Nate metia, aumentando a velocidade, as estocadas indo fundo dentro dela.

- que buceta gostosa, manda um recado para o seu noivo.

- Ai amor... Isso tá muito gostoso... Ele fode igual a você... Mais forte! Mais forte!

Nate a fez mudar de posição, deitando Elena, ele voltou a foder. Agora a câmera conseguia pegar toda a cena, com Elena de frango, seus peitos balançavam com as estocadas de Nate.

Elena gemia e estava quase gozando no pau do Nate.

- Vou gozar - avisou Nate.

- Mais... Mais forte... Vai... Eu também vou...

Nate a fodia com mais força.

- vamos gozar juntos então.

Nate movimentava e no último momento, tirou o pau de dentro dela e gozou no seu rosto. Elena deu um grito, sentindo a porra quente no rosto e gozou também.

- Acho que a filmagem ficou boa. – Disse ele depois de um tempo e desligou a câmera.

Ele foi ate ela e beijou sua boca. - Agora, vamos nos arrumar, tenho que ir lá pra fora, o clube ta cheio e acho que já começou a apresentação do Beto.

No quarto de vidro...

Beto entrou no quarto, ele usava uma micro sunga azul, e estava sozinho. O quarto tinha uma grande cama de casal e uma enorme parede de vidro escuro.

Apesar de não ver ninguém, ele sabia que era observado por trás do vidro, então acenou e mandou um beijo naquela direção. A porta abriu e entrou um casal nu.

- Olá - disse a garota - você é o noivo né?

- Sim - riu Beto - sou eu mesmo.

A garota tinha seios grandes, seus cabelos loiros chegavam ate eles, já o rapaz que entrou com ela, era negro, ele sentou na cama e a puxou para o seu colo.

- Eu sou Gina e esse é o Bob - apresentou à garota, ela se movimentou, roçando a bunda no cacete do rapaz. Beto percebeu que os nomes eram falsos.

- Pode me chamar de noivo.

Gina riu com o nome que Beto deu, ela levantou e foi na direção.

- Esperto – elogiou a garota, depois se ajoelhou na frente de Beto - agora vamos dar pro pessoal o que eles querem.

Ela abaixou a sunga de Beto, a ereção dele pulou na direção dela, que pegou e rapidamente colocou na boca.

Bob, sentando na cama, assistia a cena e se masturbava. Ele levantou e foi na direção deles.

- Assim vou ficar com ciúmes, amorzinho.

Gina continuou chupando Beto, mas pegou o cacete de Bob e o puxou em direção a sua boca. Bob abraçou Beto, deixando seus paus juntos. Gina tentou colocar os dois na boca, mas não conseguiu.

- Noivo, coloca na minha bucetinha, coloca - pediu Gina.

Beto a puxou para cama e a colocou de quatro, depois foi para trás dela e começou a roçar seu cacete na entrada dela.

- Cara, que bucetinha gostosa.

- Eu sei, todo dia eu como ela - respondeu Bob

- Cara de sorte

- Vão ficar conversando, ou vão me comer?

- É pra já - respondeu os dois juntos.

Do lado de fora...

Nate dançava uma musica eletrônica, cercados por duas loiras, sua sunga guardava uma grande ereção alem de algumas notas de dinheiro, deixado por clientes.

Duda também dançava, ela tinha acabado de receber um convite para ir pro canto com o rapaz, mas preferiu continuar a dançar. Ela passou em frente ao quarto de vidro, tinha uma pequena multidão parados, mas ela conseguiu ver Beto deitado na cama com uma mulher o cavalgando, a moça ainda chupava outro rapaz.

- Gostosa - Disse um rapaz negro a abraçando por trás - quer dança.

Duda sentiu a ereção dele encostando-se nela.

- Claro... Vamos sim. - respondeu Duda, quando viu que cunhado tinha gozado com a mulher.

Ela segurou a mão do rapaz e levou pra outra sala, depois ela colocou as mãos no pescoço do rapaz e se movimentou com a musica que tocava ali.

O rapaz roçava seu corpo no dela, ele sentia que a buceta dela estava ficando molhada. Eles se beijaram e Duda o puxou para o canto e colocou a mão dentro da calça dele.

- Que delicia - gemeu ela, sentindo aquele cacete que não cabia nas mãos dela.

- é todo seu, pode aproveitar.

E Duda aproveitou bastante, ela chupou o mastro do rapaz e quando ele gozou, Duda bebeu sua porra.

Quando ela se separou do rapaz, os dois estavam satisfeitos. Duda passou em frente ao outro quarto de vidro, esse quarto era o que sua irmã estava.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.