Casa dos Contos Eróticos

Oito dias para Michele - cap.3

Categoria: Homossexual
Data: 13/08/2017 06:40:16
Última revisão: 19/08/2017 18:58:53
Nota 10.00
Ler comentários (17) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Naquela mesma tarde Mamãe ainda me levou ao cinema para assistir “Frozen”. Na fila praticamente só tinha mães e filhas e quase nenhum menino. Algumas mães acompanhavam montes de meninas, todas elas super animadas. Não paravam quietas, corriam de um lado a outro, conversavam alto, riam! E eu ali grudado na mamãe, me sentindo um verdadeiro peixe fora d'água sem saber como agir nesse papel de menininha que mamãe me impôs.

Uma menina logo atrás de nós na fila puxou conversa comigo. Parecia ter a minha idade.

Oi! Eu sou a Ana! E você?

Uma pergunta tão simples e tão difícil de responder naquele momento! Eu não tinha alternativa! Como ia responder “Michel” se estava ali de batonzinho, blusinha e minissaia? Então, pela primeira vez na vida eu tive que me apresentar como menina. Estava claro que não seria a última vez.

- Eu sou a Michele.

- Qual seu personagem favorito no filme?

- Eu? Ah, não sei, não vi o filme ainda!

- Não viu? Nenhuma vez? Não acredito! Eu já vi 5 vezes! Ai, eu tenho o mesmo nome da Anna! Adoro ela!!

- O que ela faz?

- Ela vai buscar a irmã dela, que é a princesa Elsa, para salvar o reino do inverno congelante que a Elsa colocou sem querer!! E ela enfrenta tudo para conseguir!

Nisso a menina começou a cantar a música do filme, e outras meninas por perto acompanharam! Eu só fiquei olhando. Mas nessa hora a fila começou a andar e nos separamos.

Assisti o filme ao lado de mamãe. Durante o filme tinha várias meninas no cinema que diziam as falas dos personagens antes mesmo deles falarem! Sabiam tudo decorado!

Ao sair do cinema eu queria muito ir ao banheiro. Estava muito apertado! Soltei de mamãe e fui correndo. Já estava quase entrando quando um senhor me bloqueou:

- O banheiro das mulheres é ali ao lado, garotinha. Esse é dos homens!

Que vergonha! Tive que ir no banheiro feminino, o que dava mais ou menos a mesma sensação de dizer “eu sou a Michele”. Eu tinha que assumir essa personagem feminina a todo momento.

Entrei no banheiro com aquela sensação de estar fazendo coisa errada, como se alguém fosse me expulsar dali a qualquer momento. Mas obviamente nada disso aconteceu. Ninguém deu a mínima, eu era só mais uma menina entre muitas ali na saída do cinema.

Entrei na cabine, levantei minha saia e tentei pegar meu pauzinho na calcinha sem tirar ela completamente, como fazia com as cuequinhas. Mas não consegui, a calcinha era apertada e a saia ficava atrapalhando! Fiquei com medo de sujar a roupa, então baixei a calcinha toda e sentei para fazer xixi. Assim a saia não atrapalhava.

Voltamos para casa, e à medida que o carro se aproximava do prédio, minha sensação de pânico aumentava. Mais uma vez ia ter que encarar os garotos vestida de menina. E agora de cabelo cortado, maquiado e com as unhas pintadinhas de rosa.

Mamãe estacionou o carro e a garotada estava toda ali. Zeca me viu ainda dentro do carro e gritou para a galera:

- Michelinha tá de volta!

Todos vieram me zoar de novo. Ficaram a uns dez metros e fizeram um coro “Michel é menininha! Michel é menininha!”. Só que dessa vez as meninas do prédio também estavam por ali perto, e pararam para ver o que estava acontecendo. Eu queria desaparecer, sumir, cair num bueiro. Comecei a chorar baixinho, não consegui evitar. Mamãe percebeu:

- Você está linda, Michele. Não ligue para esses garotos. Se você não reagir a brincadeira deles logo perde a graça, entende?

- Eles são os meus amigos, mamãe!

- Se eles são mesmo seus amigos vão aceitar você.

Aceitar? Nem eu queria aceitar nada disso! Mas não tinha opção, então saí do carro. João e Sérgio logo viram:

- Olha, agora ela tá de franjinha! E de batom! Ahahahaha! Michel está de batom!!

- Olha as unhas pintadinhas! Que gracinha! Ahahahahaha!

Todos retomaram o coro “Michel é menininha”. Mamãe segurou minha mão e falou com os garotos:

- Nunca viram uma menina, garotos?

Seguimos em direção ao corredor, e eu passei pelos garotos sem dizer nada. Na entrada do prédio estavam as meninas. Aninha, Andréia, Melissa, Lara e Valentina. A mais nova tinha uns 9 anos, a mais velha 12. Todas me olhavam com a maior cara de “não estou entendendo nada”. Ao passar por elas mamãe me perguntou:

- Quer ficar aqui brincando com as suas amiguinhas, Michele?

- Não mamãe, eu quero ir para casa!

Na verdade eu queria era desaparecer do mundo! Subimos no elevador e eu comecei a chorar. Mamãe me abraçou e fez carinho nos meus cabelos. Mas dessa vez não falou nada. Nem eu.

Entrei em casa e fui para o meu quarto. Sentei todo encolhido na minha cama e chorei sozinho. Fiquei não sei quanto tempo assim. Só levantei quando ouvi a campainha e uma porção de vozes na porta. Eram as vozes das meninas do prédio. O que elas queriam?

Mamãe atendeu a porta. Aninha perguntou:

- Oi tia! O Michel está?

- Oi Aninha, oi meninas! Michele está sim.

Ela se virou para me chamar mas viu que eu já estava ali. Então chamou as meninas para entrar. Elas todas entraram e mamãe fechou a porta. Aninha me perguntou:

- Oi! Você quer brincar com a gente?

Nessa hora era tudo que eu queria! Um pouco de aceitação! Fiz que sim com a cabeça. Aninha perguntou para mamãe:

- Tia, por que o Michel está vestido de menina?

- Aninha, Michel está de castigo. Ele brigou e bateu em você várias vezes, e em outras meninas também. E isso não pode acontecer. Um menino nunca pode bater em uma menina! Então, para ele aprender a respeitar as meninas, ele vai ficar uma semana toda como menina. Esse é o castigo. Começou hoje.

- Ele vai ficar todo esse tempo como menina?

- Sim, toda a semana. E eu posso pedir um grande favor para vocês, garotas?

- O que é?

- Para ele aprender mesmo essa lição eu preciso da ajuda de vocês. Preciso que vocês tratem ele como menina, entendem? Esqueçam o Michel, agora é Michele! É como uma brincadeira de “faz de conta” de uma semana, tá bom?

- Michele é o nome dela, tia?

- Isso! Chamem ela de Michele.

Todas aceitaram. Acharam muito divertida a proposta e ficaram todas animadas! Mamãe ainda continuou:

- Meninas, posso pedir outro favor? Uma coisa muito importante! Se nessa semana a Michele brigar com vocês, disser desaforos ou agir como menino vocês me contem, tá? Ela está avisada que se isso acontecer o castigo vai aumentar.

- Tá bom, tia! Pode deixar!

Nisso mamãe nos deixou e foi lá para dentro. E eu fiquei sozinho em frente às meninas. Melissa perguntou:

- Vamos descer e brincar lá fora?

Não me animava a ideia de enfrentar os garotos de novo.

- A gente não pode brincar aqui? Ou na casa de vocês? Os garotos…

- Eles estão implicando com você, né? A gente viu.

- É, estão. E eu fico com vergonha.

Fomos para a casa da Lara. E no elevador eu me dei conta que talvez tivesse sido uma má ideia. Tinha a mãe dela, talvez o pai, era mais gente para me ver todo de menina. Pelo menos o irmão estava lá embaixo com a garotada. Mas não tive esse problema. A mãe dela estava ocupada com alguma coisa e nem prestou atenção naquele monte de meninas que passou em direção ao quarto. Eu estava no meio, apenas mais uma menina entre outras.

Ficamos brincando no quarto de Lara e as meninas sem dificuldade me incluíram nas brincadeiras. Elas logo se acostumaram a me chamar de Michele. E eu me deixei levar. Pelo menos não sentia vergonha! Brinquei de bonecas com elas, jogamos “stop” e conversamos. Contei que tinha ido ao cinema e descobri que todas elas já tinham visto “Frozen” muitas vezes!

Brincamos até a hora da janta, quando cada uma foi para sua casa. Quando Aninha ficou sozinha comigo no elevador, falou:

- Você me desculpa?

Estranhei, tínhamos brincado a tarde toda, ela não tinha me feito nada!

- Por que? Você não me fez nada!

- Sua mãe disse que tá castigando você por minha causa!

- É que eu bati em você. Mamãe não aceita que menino bata em menina. Eu é que tenho que pedir desculpas.

- Posso te dizer uma coisa?

- Pode, claro!

- Adorei brincar com a Michele! Você é bem mais legal assim, sabia?

.

.

Xxxxxxxxxxxxxxxxx

Este conto completo pode ser encontrado em e-book na Amazon.com.br, com o mesmo nome. Agradeço se aqueles que gostarem do conto puderem avaliar o livro no site da Amazon. Ajuda a dar visibilidade!

xxxxxxxxxxxxxxxxx

Na Amazon também tem outro e-book meu, "De repente, Laura". A história já foi publicada aqui como "A historia de Paulinha" e "A historia de Renato". No e-book foi revisada e ganhou um capítulo a mais.

Comentários

19/08/2017 12:05:46
Obrigado Ana! Que bom que você gostou do conto! Agradeço o comentário, adoro recebê-los!
19/08/2017 11:42:45
Linda Michele
19/08/2017 06:12:38
Meus amores, tá prontinho, publicado e disponivel na Amazon.com.br o e-book da Michele. Se chama "Oito dias para Michele". A historia ficou linda, linda! Eu acho que é melhor que já escrevi. Espero que gostem!
17/08/2017 22:18:56
Sem comentários
15/08/2017 21:03:44
Nossa, que conto interessante, obrigado por isso, tô amando.
14/08/2017 09:46:40
Siiiim!!! Também amo a Betinha!!! Mas por enquanto vamos de Michele!
14/08/2017 06:24:36
Faz isto mesmo A história de Betinha é linda também Agora ver a Michele bem menininaBjos para todas
14/08/2017 06:15:49
Siellen, uma hora eu ainda volto para terminar a história da Betinha! Mas por enquanto é Michele que está me encantando! Não penso em fazer um conto muito longo, mas a verdade é que depois de iniciada, os personagens vão aos poucos assumindo "vida própria", é até engraçado.
14/08/2017 01:12:18
Paula a história da Betinha foi mto boa mesmo se ter terminado. Mas a história da Michele está incrível, essa tem q ser completa com começo meio e fim. Uma história mto bem contada e sem teor sexual q é exatamente o tipo de história mto rara de se encontrar.
14/08/2017 00:14:54
Aaaaa beijos Helena!
13/08/2017 09:47:06
Quiz dizer beijos pra Veri também
13/08/2017 09:45:31
Viu Paula deixa ela bem feminina Estou adorando Beijos pra você e pra Verificar também
13/08/2017 09:39:14
Que bom que você gostou, Veri!! Na 3a feira de manhã eu coloco o cap.4!
13/08/2017 09:18:00
Uaaaaaaau!!!!! Muito bom! Gostei da conversa entre elas duas.... Talvez surja uma amizade mais forte aí hein?
13/08/2017 07:51:42
Obrigado pelos comentários e pelo elogio, Helena! Fico feliz que esteja gostando do conto! Beijão!
13/08/2017 07:27:01
Paula párabens pelos seus contos. Também gosto de me sentir menina
13/08/2017 07:21:54
Muito interessante. Adoro contos de meninos que se vestem de meninas

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.