Casa dos Contos Eróticos

Desejo instantâneo pela prima (1)

Um conto erótico de Jovem Casado
Categoria: Heterossexual
Data: 08/09/2015 21:52:51
Nota 10.00

Olá, tomei coragem e resolvi começar a relatar algumas experiências que tive ao longo dos meus trinta anos de vida. Escolhi falar de um caso recente em que fui visitar minha prima, aqui a chamarei de Gabriele, que a muitos anos não via. Para resumir de que forma cheguei na situação quando muito jovem, aproximadamente oito anos de idade, fui pagem no casamento dela. Na época morávamos próximos no interior de Santa Catarina, ela tinha dezoito e após o casamento foi morar em Belo Horizonte e perdemos contato. Logo o casamento acabou devido as traições do marido que ela descobrira. Gabriele passou então a virar-se sozinha e nunca mais se casou,dedicando-se quase exclusivamente a carreira acadêmica e profissional.

Por sua vez eu continuei residindo no interior, formei-me e conquistei independência financeira com um negócio local. Casei-me aos vinte e cinco anos e em uma época com o relacionamento meio morno descobri algumas redes sociais voltadas ao swing e afins (isso fica para outra história), comecei a frequentar alguns lugares em viagens e conhecer algumas pessoas envolvidas, isso de certa forma me dava ânimo a continuar com minha esposa, na esperança de que um dia ela participasse também desse universo.

O encontro com minha prima deu-se de forma inusitada. Certo dia precisei viajar a Belo Horizonte e via rede social mencionei isso a ela, que prontamente se ofereceu a ser minha "guia turística" bem como ofereceu-me também seu apartamento para me hospedar. Já fazia uns cinco anos mais ou menos que não nos víamos pessoalmente. Via suas fotos e às vezes trocávamos mensagens, nada além disso.

Chegado o dia desembarquei no aeroporto e ela estava lá como o combinado me esperando. Fomos ao apartamento dela para deixar minhas malas e organizar as coisas. Tínhamos a noite e o fim de semana que se aproximava livres, meus compromissos seriam na semana seguinte. Como combinado ela me levou para conhecer alguns pontos turísticos e ao cair da noite sugeriu um bom restaurante e logo após um barzinho com música ambiente que ela frequentava. Chegamos e começamos a beber e a jogar conversa fora, depois de um tempo alguns amigos dela se juntaram a nós. A noite até o momento transcorria sem surpresas.

Voltamos ao apartamento e resolvi tocar no assunto relacionamento, Gabriele contou-me então os detalhes e os motivos da sua separação, como isso havia levado-a a focar no trabalho, etc. Eu por sua vez contei-me dos problemas conjugais e mencionei que estava tendo algumas experiências "incomuns" fora do casamento. Devido ao adiantar da hora resolvemos dormir pois o dia seguinte seria agitado.

Pela manhã ao acordar, notei que o chuveiro estava ligado mas mesmo assim resolvi entrar para escovar os dentes e tirar o mau hálito decorrente da bebida da noite anterior. Forcei a maçaneta e a porta não estava trancada, entrei, dando de cara com Gabriele tomando banho, toda cheia de espuma e que até então não notara minha presença. Fiquei por alguns instantes estático, não conseguia tirar os olhos de minha prima, para mim era uma novidade já que até então jamais havia pensado em transar com ela mas vê-la nua fez essa ideia surgir instantaneamente. Não sei quanto tempo passou mas um grito de susto de Gabriele por me ver parado em frene ao box fez-me voltar a si. Pedi desculpas e me retirei do banheiro voltando ao meu quarto, quando percebi que ela terminou o banho resolvi sair (com a imagem dela nua na minha cabeça).

Vendo-me caminhando pelo apartamento Gabriele que estava de roupão veio me dar uma bronca, falando do constrangimento que passara, de minha falta de educação, etc. enquanto se exaltava comigo, quase que instintivamente a beijei, tirando toda reação da parte dela, que só me olhava com surpresa, instantes depois desabou em prantos e começou a desabafar, dizendo que não se sentia bem consigo mesma, que não era desejada, falou-me de sua vontade de ser mãe que estava ficando distante dada a idade. Apesar dos seus quarenta aninhos minha prima cuidava-se, quando nova fazia o estilo ninfeta, bem magrinha, pele clara, cabelo liso, seios pequenos, agora aos meus olhos sinceramente...continuava da mesma forma, só que mais experiente.

Em meio seu choro eu a abraçava, falei então que me lembrava da ocasião do casamento apesar de minha pouca idade, disse que lamentava por ela ter ido residir tão longe dos familiares, pedi desculpas pelo ocorrido durante o banho e lhe disse com toda a sinceridade do mundo que até então não tinha pensado em nada com conotação sexual com ela mas vê-la tomando banho mudara meus pensamentos...nos beijamos novamente, ela havia ficado feliz em saber que um homem a desejava tanto...e que estava ali.

Toda a cena havia transcorrido na sala, percebendo minhas "discretas" intenções Gabriele me conduziu ao seu quarto, no caminho deixou o roupão cair suavemente, comecei então a acariciá-la beijando sua nuca, suas orelhas, seios...enfim pude deitá-la em sua cama. Rapidamente tirei minhas roupas ficando somente de cueca avisando que essa última peça quem tiraria era ela. Compreendendo mais uma vez o que eu queria ela sentou-se na cama, abaixou minha cueca e iniciou um boquete magnífico, de tirar o fôlego mesmo, quase gozei naquele instante. Naturalmente resolvi retribuir e comecei a chupá-la com vontade enquanto acariciava seus mamilos, sua barriga, e percebendo que ela estava prestes a gozar simplesmente parei, percorri com a língua o seu corpo até chegar a sua boca. Enquanto a beijava Gabriele conduziu meu pau na entrada de sua buceta que estava completamente melada ordenando-me que a penetrasse.

Iniciamos o sexo de forma lenta e prazerosa, estilo "papai e mamãe" e a cada estocada ela gemia e arranhava minhas costas, com o tempo o ritmo foi aumentando e ela atingiu seu primeiro orgasmo. Experimentamos diversas posições até que sugeri a minha prima que ficasse de quatro pois eu já não aguentava mais, ela prontamente atendeu o meu pedido e se posicionou no canto da cama de maneira que eu ficasse em pé. Meti com vontade, como um animal mesmo, a visão dela submissa e com a bunda empinada me deixara alucinado. Enquanto eu comandava o ritmo ela se masturbava até que não aguentei mais e gozei, gozei muito e em instantes ela também chegou ao clímax. Tirei meu pau de dentro de Gabriele que relaxando deixou cair a porra nos lençóis...levantamos e ainda nus fomos tomar um banho juntos.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
11/04/2017 08:43:59
Olá. Você escreve maravilhosamente bem. Gostei desse conto cativante, matando os desejos da prima e os seus. Dou nota 10. Te convido a ler os meus. Desde já agradeço. Bezitos.
03/04/2017 21:31:25
Delicia de conto, menino. Sei muito bem como a separação baixa a nossa auto estima. Para levantar o astral, nada melhor que um homem jovem. Isso a tua prima descobriu com certeza. Ser desejada faz muito bem ao ego. Parabéns pela atitude e relato. Grata pela visita. Beijos da Vanessa.
19/12/2015 08:51:47
Na vida tem fases de baixa estima e carência. Nas mulheres, a separação traumática é uma delas. Tenho várias colegas que se tornaram garotas de programa. O sexo tem o dom mágico de mudar o cenário. Como essa prima ao se entregar neste excelente relato. Parabéns! Nota dez e beijocas.
16/11/2015 23:11:55
Oi Joven casado,meu nome é Carla e tambem sou casada,eu e meu esposo gostariamos de trocar fotos com vçsp/ futura amizade.Nosso contato: cs22922@gmail.com,adorariamos receber suas fotos e enviaremos as nossas que são muitas.Ah nota dez pela sua experiência.Beijos.
27/09/2015 16:01:13
Parabéns pelo relato, foi incrível e simplesmente delicioso, infelizmente não tenho primos, mas aprontei muito por aí... nota máxima pra ti....
25/09/2015 07:11:45
Muito irado este conto, brother! Me deixou de pau duro pegando essa prima gostosa de quatro. Brigadão pelo comentário em meu conto. Valeu!
17/09/2015 12:02:23
Dizem que depois da tempestade vem a bonança. Como a Gabi, já passei por momentos de baixa estima também. Sei como é isso. E ela fez o certo, se dando ao primo. Ele vai com certeza se sentir bem melhor como mulher. Nota dez pra vc. Quando vem novas histórias? Se puder, me visite. Bjs.