Meus amigos da academia - Como virei a putinha deles

Um conto erótico de Ksal_Rud_Nata
Categoria: Grupal
Contém 2080 palavras
Data: 26/01/2024 11:49:57
Última revisão: 25/02/2024 10:33:24

Meus amigos da academia - Como virei a putinha deles

Olá amigos, sigo na continuação do meu novo relacionamento com meus dois amigos da academia. Essa relação passou a ser um vício, tanto que, praticamente, deixei de sair com meu marido em busca de outras pessoas, fiquei completamente dedicada a meus novos namorados, aceitando e cumprindo todos os desejos que foram surgindo ao longo do tempo.

Apesar de termos muita experiência com troca entre casais e menage masculino, essa situação era nova e eu estava gostando muito, meu marido me incentivou e eu segui na minha loucura de casada com dois namorados. Minha ida diária à academia era seguida pelo menos 2 vezes por semana à casa de meus namorados.

Lembrando que sou branquinha, baixinha (1,50 m), cabelo comprido encaracolado preto, olhos pretos, corpo relativamente bonito, apesar da idade, seios pequenos e uma bunda que sempre chamou muito a atenção dos machos por onde quer que passe. Sempre fui alvo dos olhares masculinos, desde jovem.

Meu próprio marido perguntava como estavam meus namorados, como as coisas iam e eu sempre contava as coisas que fazíamos em detalhes, ele ficava cheio de tesão e me estimulava a continuar. Passamos alguns meses nesse embalo maravilhoso, meu marido se tornou meu ouvinte e incentivador… Aqueles machos me comiam de tudo que era jeito!

Num determinado dia, estava indo para a casa do Cláudio e encontro no portão o Sr. João, um faz tudo da vilinha, ele fazia a limpeza diária, colocava o lixo na rua e quebrava os galhos na pintura, parte hidráulica e toda sorte de sufoco que regularmente acontece numa casa. Já o havia encontrado algumas vezes ali no corredorzinho que dá o acesso à casa, ele sempre me tratou de forma respeitosa, naquele dia especificamente, ele puxou assunto e explicou que o Cláudio havia conversado com ele sobre um tal conserto na casa. Disse…

- O Sr. Cláudio pediu para que eu dê uma olhada na pia da cozinha que está com um vazamento.

- Claro Sr. João, acho que ele está em casa ainda. Vamos lá, vou falar com ele! O sr. está bem, Sr. João?

Quando ele veio com aquela conversa de fiada o sinal de sacanagem já apitou na minha cabeça e pensei “Era só o que faltava, esses putos estão armando”.

Entrei e o Sr. João veio atrás de mim, quando vi o Cláudio e o Cleiton já estavam lá me esperando de cuecas na sala. Olhei para trás e o Sr. João estava na porta parado, o Cláudio mandou ele entrar sem cerimônias.

- Oi Sr. João, pode fazer o trabalho, fique à vontade!

- Sim, Sr. Cláudio vou dar uma olhadinha para o senhor!

Fui lá para dentro, chamei o Cláudio na encolha e já fui perguntando o que estava rolando, aquilo ali estava muito suspeito. O que vocês estão aprontando…

- Não tem nada Nata, o Sr. João é de confiança, o coroa é viúvo e está a mais de cinco anos sem foder ninguém. Ele veio conversar comigo no final de semana e disse que via você entrando na encolha sabendo que nós dois estávamos aqui dentro te esperando. Poh, ele sabe que você vem aqui foder com agente! Contou a história de que estava viúvo há um tempão e não comia ninguém desde então…

- Poh, e eu que tenho que quebrar o galho dele, porque não vai num puteiro? Isso é muito chato, sou uma mulher casada…

- Eu sei disso, mas ele é um senhor de confiança e não vai falar nada com ninguém.

- Olha, acho isso muita sacanagem tua, nosso lance é entre nós 3, não tínhamos combinado nada diferente disso…

- Eu sei disso, mas quebra o ganho do coroa, ele é gente boa e está tarado em você…

Nesse momento o Cleiton se aproxima de nós e pergunta:

- E aí, o que está acontecendo aqui?

- Estou tentando convencer a Nata a dar para o sr. João…

- Ah, Natinha, vamos lá, o coroa é viúvo, de confiança e está na mão há um tempão…

Ele me abraçou por trás e foi me levando para a sala, quando cheguei o Sr. João já estava peladão e tocando uma punheta de leve, vi que seu pau era indigesto… Tomei um susto com o pau do coroa!

- Que isso Sr. João, já está assim?

- Estou esperando você, tenho maior tesão nesse teu bundão. Conversei com os rapazes, eles já devem ter falado com você de que estou há um tempão sem pegar ninguém…

O Cleiton foi me levando para perto dele, para o meio da sala, puxou-me e começou a me beijar, percebi que ele chamou o coroa para se juntar e pude sentir as mãos grossas e calejadas do Sr. João me tocar, quase que tremendo…

Com as carícias começadas, percebi que o Cláudio me deixou a mercê dos dois, sentou-se no sofá e ficou admirando nossa brincadeira. Fiquei nas mãos dos deles, ora virada para um, ora virada para o outro… Beijando muito e quando percebi já estava sem roupas, sem calcinhas, sem nada, eles foram tirando peça por peça me envolvendo com palavras sacanas nos meus ouvidos, beijando meu corpo todo, só me desperto quando ouço Sr. João falar:

- Minha nossa senhora… Sabia que você era gostosa, mas não tanto. Esses garotos são sortudos mesmo!

Eu já estava muito excitada e senti ele descendo as mãos para minha xota, que já estava pingando, senti seus dedões grossos e cheios de calos tocarem meu clítoris e a portinha já estava muito melada. Aquele toque me enlouqueceu e eu comecei a rebolar lentamente nos dedos dele... Entrei em transe e liberei geral!

- Já está toda meladinha né sua safada, sua piranha!

Ele não enfiou o dedo, ficou apenas na portinha num toque que estava me enlouquecendo. Só gemia e delirava… O Cleiton me forçou para baixo e eu já estava doidinha mesmo para sentir aquelas pirocas deliciosas na minha boca. Já coloquei a dele para fora e comecei a passar a língua, primeiro na cabeça depois descendo pelo corpo inteiro, babando tudo. Logo a seguir virei-me para o Sr. João e pude perceber mais de perto aquele pirocão, cabeçudo como um cogumelo, grosso do tipo veiudo e bem preto. Quando coloquei a boca na pica do velho, ele quase se derreteu:

- Meu pai, que boca é essa!

Trabalhei, naquele pau todinho da cabeça até o saco… Seu pau babava muito, eu aproveitava a baba para espalhar pelo corpo da sua rola com as mãos e voltava imediatamente para a cabeça, tentava engolir o que era possível, chegava na garganta e me engasgava, voltava quase tirando tudo e voltava e engoliu… Deixei ele foder minha boca de leve! Senti que estava muito excitado e não queria que ele gozasse ali, então resolvi aliviar e levantei.

Levantei e fui no Cláudio, sentado, cheguei bem perto e perguntei se ele não queria participar. Só de sacanagem, dei-lhe um beijo daqueles na boca, para o FDP sentir o gosto do pau do velho que ele me entregou, foi um beijão!

Eu de quatro beijando o Cláudio, que estava sentado no sofá e já percebi o Cleiton atrás de mim, em pouco tempo já senti seu pau se aninhando na minha xota, ele ajeitou a cabeçona na porta e começou a empurrar devagar, eu, como uma putinha, comecei a rebolar e facilitar a entrada… Rapidamente, senti ele todo dentro, continuei a rebolar e a beijar o Cláudio, o Sr. João sentou ao lado e colocou aquele pirocão grosso a minha disposição… Claro que eu larguei o Cláudio e caí de boca, novamente, para sentir aquele mastro pulsar na minha garganta, coisa de doido! Perdi os sentidos e me entreguei aos três completamente, chupando o pau dos dois e sendo fodida alucinadamente pelo Cleiton! Ficamos assim por um tempo que nem faço ideia. Cláudio pediu para eu montar nele sentado, nesse momento já sabia o que eles queriam e, mais do que depressa, trepei no pau dele e fiquei rebolando e apontando para meu cuzinho. Claro que eles entenderam o sinal e já se posicionaram para a DP, primeiro veio o Cleiton para abrir caminho, enquanto isso o Sr. João ficou agachado no sofá e ofereceu seu pau para mim.

Quando percebi, estava numa DP alucinante com o Cláudio e o Cleiton e mamando o Sr. João, percebi quando o Cleiton chamou o Sr. João para ocupar o seu lugar e eu estremeci, seu pau estava muito, mas muito grosso mesmo… Olha que o pau do Cleiton já era grosso, mas o do Sr. João era outro patamar, uma cabeça enorme, estilo cogumelo, com um corpo que engrossava mais até o talo, coisa de maluco! O velho foi e se posicionou atrás de mim, felizmente, meu cuzinho já estava amaciado, mas eu senti quando a chapuleta dele começou a forçar a entrada, comecei vendo estrelas, mas fui me acostumando… Pedi para ele ir devagar e ele:

- Pode deixar sua vagabunda, vou comer seu cu com gosto!

Senti ele forçando e eu sentido cada centímetro daquele piruzão entrando dentro de mim, o que piorou foi o fato do Claúdio estar com o pau duríssimo dentro da minha xota, isso fez meu cu se dilacerar até aquele monstro entrar até o talo dentro de mim, eu sabia que entraria, estava com muito tesão e queria aliviar o velho, então relaxei o que pude e facilitei com uma reboladinhas, fiz o melhor que pude… Senti quando o velho suspirou:

- Entrou, entrou tudinho sua vagabunda! Agora sim, seu cu está todo arrombado! Nunca mais vai ser o mesmo!

Eu sabia que aquela conversa era para ele mesmo se sentir o gostosão, depois voltaria para o lugar, como sempre foi. O velho FDP começou a socar com força e já anunciou o gozo, quando percebi, eu pedi:

- Goza fora!

Já era tarde, ele nem me ouviu e despejou sua porra de anos dentro do meu cuzinho destruído. Senti a explosão dele, o pau inchou, inchou muito e seus jatos explodiram no meu reto de uma forma que eu nunca havia sentido e olha que já dei para vários pirocudos, mas aquele velho estava carente, tinha muita porra para soltar…

Quando ele saiu de dentro de mim, O Cláudio pediu para experimentar meu cu, então, ele saiu debaixo de mim e pediu para eu ficar de quatro, escorada no sofá enquanto ele me detonava mais um pouco. Eu de quatro no sofá, com o cuzinho bem aberto com as minhas mãos, ele entrou sem cerimônia, socou, socou, socou até sair me gozando toda também. Logo depois, é claro, veio o Cleiton e repetiu a dose, socou com força até explodir no meu cu também. O fato é que pouco senti a penetração dos dois, meu cu estava em frangalhos, muito arrombado e as pirocas deles não superaram a do Sr. João. Quando saíram exaustos, eu de forma discreta coloquei a mão e percebi o rombo que deixaram, meu cu parecia um túnel de tão arrombado. Os FDP ainda tiraram uma foto para guardar e me mostraram o estrago. Um buraco enorme e muito, mas muito vermelho mesmo. Assustador!

Fui tomar um banho e deixei aqueles safados na sala conversando, foi um banho lento e dolorido, meu cu estava mesmo muito castigado! Quando voltei o Sr. João já tinha ido embora e os rapazes estavam na cozinha preparando algo para comermos. Conversamos um pouco:

- Natinha, hoje você foi demais. Cara, tu fodeu muito com a gente… O Sr. João ficou maravilhado com você.

- O velho ficou doido, disse que nunca comeu um cu como o teu, nem o da falecida era assim…

- Olha, ele ficou teu fã e já falou em repetir a dose!

- Opa, como assim! Não vai ter repetição nenhuma! Foi essa vez e só, nem inventa! Já somos 3 e não quero um quarto, como é que eu vou ficar… Lembra que eu sou casada, vai ficar difícil explicar para o meu marido essa destruição que vocês fizeram no meu cu!

- A que nada, nós te conhecemos, aposto que teu cuzinho já está pronto para outra…

Cláudio veio na minha direção e pediu para dar uma olhada no meu cu, eu me apoiei na mesa e deixei ele dar uma olhada, estava dolorido, vermelho, mas fechadinho, realmente, pronto para outra! Então:

- Você é uma putinha mesmo, tá vendo, seu cuzinho já está fechadinho e pronto para outra, sabia! Nossas brincadeirinhas estão só começando…

E assim, eu me despedi, chamando meus namorados de “seus putos”!

Claro que continua...

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 31 estrelas.
Incentive ksalrudnada a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Nata coloca suas aventuras também no https://www.contoseroticos.com/ assim se um site cair podemos ler suas aventuras em outro

1 0
Foto de perfil genérica

Oi, Marc_one, obrigada pela dica, vou falar com meu marido...

0 0
Foto de perfil genérica

Nata, quando sai

a continuação desta historia

1 0
Foto de perfil genérica

Olá Marc_one, querido! Estou escrevendo a continuação... Obrigada pelo carinho!

1 0
Foto de perfil de Huomoerectus

Natinha, você deve ser deliciosa. Manda fotos please!

jorgejose23@yahoo.com

1 0
Foto de perfil genérica

Olá, querido Huomoerectus! Obrigada pela carinhosa mensagem!

0 0
Foto de perfil genérica

Menina, que foda deliciosa deve ser com vc. Adoro seu jeito putinha, que adora e não foge de uma boa sacanagem. E sempre muito excitante. Sou amante do anal e vc me deixa desejoso de experimentar esse rabo. Me senti o Sr João, mais uma vez, ao ler esse. Quero saber mais e se possível, ver fotos suas. Se alguém acha que é uma puta, receba como elogio. Bjs, gostosa.

alfa.amigo.rj@hotmail.com

1 0
Foto de perfil de Dr. Menage

Que continuem as aventuras. Quando quiser leia os meus contos e visite o meu blog https://doctormenage.blogspot.com/.

1 0
Foto de perfil genérica

Olá querido, obrigada pela carinhosa mensagem, logicamente, lerei seus contos...

0 0
Foto de perfil genérica

És maravilhosa demais, o tipo de gata que adoro. Leia as minhas aventuras. Teu marido tem muita sorte pois ser corninho é uma delícia.

1 0
Foto de perfil genérica

Vagabunda casada tem que ser tratada assim, o rabo é de qualquer macho para trepar. QUe belos amigos, aqueles que não estão nem aí para fazer do pedaço de carne do corno - típico texto

1 0
Foto de perfil genérica

Obrigada pela mensagem, mas acredito que está no site errado... Aqui as pessoas contam suas histórias, caso queira santidade, precisa ir para outro tipo espaço. Triste ver doentes como você por aqui, destilando ódio e preconceito, fique sabendo que sou casada e feliz, enquanto você... nem vale o trabalho!

0 0

Listas em que este conto está presente