Quando o marido quer... A mulher dá! (para outro)

Um conto erótico de Ksal_Rud_Nata
Categoria: Heterossexual
Contém 2273 palavras
Data: 02/10/2023 23:36:43
Última revisão: 21/02/2024 20:03:46

Olá amigos, tem um tempinho que não me dedico a escrever situações que aconteceram conosco no meio liberal, que já estamos há mais de 15 anos. Meu marido sempre se mostrou desejoso de me ver com outros homens, começamos com alguns brinquedinhos e evoluímos até ele ter coragem de propor um ménage masculino com um amigo nosso. O relato que faço aqui é a situação que deu origem às nossas experiências.

Não sei o motivo, mas tive essa lembrança e deu vontade de contar aos amigos leitores. Deixo claro que temos total consciência de que o amor não tem relação com o prazer, já tivemos muitas experiências nesses anos de vida liberal e meu amor pelo meu marido só aumentou.

Antes é importante dizer como sou… Branquinha, baixinha (1,50 m), cabelo comprido encaracolado preto, olhos pretos, corpo do tipo violão com cintura fina e quadrilzão, seios pequenos e uma bunda que sempre chamou muito a atenção dos machos por onde quer que eu passe. Sempre fui alvo dos olhares masculinos, às vezes exagerados e até algumas perseguições. Depois de ter entrado no mundo liberal, passei a entender muito melhor o olhar masculino pelas mulheres e certamente fiquei mais esperta, minha entrega ao prazer e compartilhamento de uma vida muito mais livre e honesta com meu marido.

Quando era mais nova, infelizmente, era uma mulher difícil e hoje me arrependo disso, pois se tivesse sido mais solta teria aproveitado muito mais os momentos de prazer, mas a vida é assim: feita de aprendizado! Quando iniciamos nossas brincadeiras mais liberais com nossos brinquedinhos, meu marido foi me estimulando com vibradores de todos os tipos, pequenos, grandes, plugs, brancos, pretos, grossos, finos… Nossas brincadeiras passaram a ser recheadas de sacanagens nos meus ouvidos, onde ele, num determinado momento, começou a imaginar outra pessoa ali com a gente me comendo junto com ele. Adorava, ficava com um tesão enorme, me perdia naquela loucura, sabendo que não passaria de imaginação. As brincadeiras foram ficando mais e mais quentes, até que ele me propôs, de verdade, um encontro com esse amigo nosso.

Nós tínhamos uma casa de praia em Junqueira, Mangaratiba, onde levávamos alguns poucos amigos nossos e de nosso filho. Esse amigo específico, já havia ido em nossa casa, algumas vezes com sua esposa. Nesse primeiro momento achei mesmo que era zoação do Rud, achava mesmo impossível que seria de verdade e recusei de pronto. Ele insistiu e disse que já tinha um tempo que estava pensando nisso e esse amigo já tinha demonstrado interesse em mim… Nessa hora e fiquei meio puta e quis saber daquela história direitinho!

- Trate de contar direitinho essa história, como você e o Cláudio conversam essas coisas e você não fala nada comigo! Vamos, estou esperando uma boa história para justificar isso...

- Isso já tem um tempo, no começo fiquei meio puto com ele, mas depois de nossas brincadeiras, achei que ele poderia ser uma boa ideia, era conhecido e de nossa confiança!

As coisas acontecem de maneira estranha, parece que conspiram, então quis saber os detalhes dessa “conversa” que eles tiveram sobre mim.

- Nós começamos a conversar sobre nossas intimidades, ele falou que adora comer o cuzinho da Pat, que ela não curtia, mas que agora está conseguindo com muita dificuldade. Ele perguntou se já pensamos numa sacanagem com outras pessoas junto e eu falei um pouco de nossas brincadeiras e que eu tinha certeza que você tem muita vontade de fazer de verdade, mas não tínhamos feito ainda.

- Mas como você fala uma merda dessa para ele, seu maluco! Está querendo tomar um chifre?

- Até estou, mas não pensei mesmo que ele tinha interesse, falei como se ele fosse um irmão, na boa! A gente está sempre junto, nossas famílias vão para Junqueira juntos, passamos final de semana juntos, sem chances!

- Tu é muito doido mesmo, nossas brincadeiras, são nossas, se tivesse que acontecer alguma coisa, seria longe daqui, com um estranho, como eu vou olhar para cara dele agora e da Patrícia?

Aquela conversa foi tensa e fiquei bem puta com meu marido, expôs a gente sem necessidade nenhuma, mas acabei ficando interessada no Cláudio! Deixei rolar para ver até onde aquilo ia…

Alguns dias depois marcamos de ir para Junqueira e o maluco do meu marido convidou o Cláudio e a Pat. Chegou o feriado e fomos, chegamos na casa e fizemos aquela faxina geral para tirar a poeira e preparar a casa para passarmos o feriado com uma casa limpa e cheirosa, quando terminamos a Patrícia foi tomar um banho e eu fui chamar os dois para ajudar na arrumação dos móveis mais pesados, eles estavam cochichando do lado de fora do portão, eu cheguei de mansinho para ouvir o papo e olha a merda que o Cláudio estava falando para o meu marido…

- Rud, eu fico de pau duro com a tua esposa desde que conheci vocês, quando começamos a vir para cá com vocês eu sabia o que aconteceria, só fiquei mais tarado nela, quando vejo ela de fio dental na praia, fico maluco… Tenho que disfarçar com a Pat o tempo todo!

- Cláudio, tenho pensado muito nisso, quero muito ver a Nata fodendo com você. Nós já estamos treinando essas sacanagens há um tempão e ela está cheia de vontade de experimentar uma pica diferente, mas não sei se vai rolar, nós somos amigos, tem a Pat… Complicado!

- Cara, só penso em foder ela, aquela vagabunda, rabuda do caralho! Quem bota um biquininho micro daquele pra pegar sol na frente de um bando de macho na praia, é claro que quer rola… E eu fico maluco com ela!

- Eu sei disso, mas ela está se soltando agora, uma coisa é ela querer, outra coisa é acontecer…

- Agora que você me falou que ela gosta de dar o cuzinho… Não vejo a hora!

Caraca, aquele FDP do meu marido tendo aquela conversa com nosso amigo e ainda deu meu cuzinho para ele comer, com a esposa, nossa amiga ali, pertinho da gente! Fiquei muito puta! Fiz um barulho e abri o portão, os dois disfarçaram a conversa e eu falei para eles entrarem que tinha trabalho para eles dentro de casa. Quando Rud passou por mim, segurei ele pelo braço e comi ele no esporro.

- Que porra de papo estranho era aquele que eles estavam tendo! Eu ouvi tudo seu FDP, como a Pat fica nessa história?

- Calma, Nata! Não aconteceu nada, estamos só conversando…

- Conversando o cacete, já estão combinando até meu cuzinho para ele!

- Calma, meu amor! A conversa é só para dar um tesão, não tem nada certo ainda!

- Ainda? Tu é muito maluco! Eu não vou foder com ele, não é assim que funciona!

- Eu sei, você tem razão…

Entrei em casa fuzilando de raiva, fizemos as atividades, almoçamos e fomos pegar uma praia. Só de sacanagem coloquei um micro biquíne, pois sabia que a praia estaria vazia, felizmente, lá era uma praia pouco frequentada…

Dei um gelo no Rud e fiquei com a Pat, ela entendeu que eu estava puta com ele e perguntou se rolou algum estresse… Falei que ele tinha feito umas merdas e eu estava puta com ele, mas iria passar!

Voltamos, tomamos um banho gostoso e fomos jantar! Percebi que os dois putos foram cochichar lá fora novamente, dei uma desculpa para a Pat e fui atrás do muro ouvir a conversinha dos dois.

- Monto naquele lombo igual um tarado, um desesperado por sexo. Faço dela a minha égua e encho o cuzão com o leite do meu saco, depois vai lá em cima ver o estrago que eu deixei.

- Cara, não vejo a hora…

Fiquei muito puta, perdi o controle e abri o portão…

- Que porra de conversa maluca é essa? A Pat lá dentro e vocês falando merda, estão malucos?

Eles tomaram um susto, nunca iriam achar que eu faria isso. Eles tentaram disfarçar e eu falei que ouvi a merda toda, o que eles estavam querendo com aquilo, os dois eram casados e as mulheres estavam ali. Era muita maluquice!

O Cláudio entrou de fininho e eu fiquei com meu marido lá fora, pronta para dar outro esporro nele… Quando ele me abraçou e disse que me amava, mas estava com muito tesão e muita vontade de ver eu fodendo com o Cláudio, que eles só conversavam sobre isso… que ele só me via de quatro dando o cuzinho para ele e estava ficando maluco com aquilo, sonhava com aquilo e sabia que eu também tinha vontade de experimentar! Ele me abraçou com carinho, disse que me amava muito e que aquele desejo dele não afetava o seu amor, era apenas sexo, prazer! Conversamos até nos beijarmos, um beijo intenso, uma abraço intenso, deixei me levar, ele começou a me alisar até colocar o dedo na minha xota, que por incrível que pareça, estava toda babada, encharcada e eu nem havia percebido o tesão que aquela situação me proporcionou. Ele olhou para mim.

- Eu sabia que você também queria…

Nos beijamos intensamente, novamente! Ali eu embarquei na loucura deles!

Naquela noite, acabamos de jantar e fomos para a frente da casa, eu estava com muito tesão e ele mais ainda, devido ao fato de ter pouquíssima luz, o céu parece que vai cair de tanta estrela, mas naquela noite estava especialmente carregado. Quando dei por mim estava em pé, encostada numa árvore, com o bundão arrebitado e meu marido bombando alucinadamente falando um monte de sacanagens…

- Não vejo a hora de ver o Cláudio te comendo, botando tudo no seu cuzinho e você rebolando gostoso no pauzão dele!

- Eu também, só tem uma coisa… pode até rolar, mas não quero você junto, vou ficar muito desconfortável e envergonhada!

- Poh, sacanagem! Não vai deixar eu presenciar o espetáculo?

- Não, vai ter que ser do meu jeito ou não vou conseguir…

Conversamos e decidimos como seria, ele saberia que estaria fodendo com o amigo dele, mas ele não poderia estar por perto.

Na manhã seguinte, eles foram comprar pão e quando voltaram já sabia que meu marido tinha contado que aceitei foder com ele, nossos olhos se cruzaram e pude perceber nitidamente que estava me comendo com os olhos. Tomamos o café da manhã e fomos para a praia, curtimos a manhã quase toda e quando deu umas onze horas avisei iria para a casa adiantar nosso almoço e falei com meu marido para ele e a Patrícia ficarem até uma hora na praia, para dar tempo de preparar tudo. Cláudio já tinha saído com a desculpa de dar uma caminhada… Subi para nossa casa e quando entrei no portão, ele já me agarrou por trás e me arrastou para dentro de casa, eu estava com aquele micro fio dental com a parte de cima mini cortininha, ele me agarrou dizendo um monte de besteiras.

- Nossa Nata você está demais, não via a hora de você subir logo para eu te foder de jeito, meu pau está explodindo aqui… Esse micro biquíni me deixa louco!

Meu marido deve ter ensinado a ele de como eu gosto, o safado já me virou e me agarrou por trás, chupando meu pescoço, alisando minha xota, já completamente ensopada, com o seu pauzão roçando na minha bunda. Ficamos nessa até ele me colocar de quatro no sofá, chegou o biquíni para o lado e começou a lamber minha xotinha e meu cuzinho… Eu me entreguei completamente e quando dei por mim, ele já estava pincelando a cabeçona do pau na portinha do meu cuzinho, realmente, meu marido tinha dado todas as dicas de como eu gosto! Com o cuzinho ardendo em brasa, senti cada centímetro daquele pauzão entrando em mim, ele colocou a cabeça e deixou o resto comigo e eu fiz meu papel de puta, engoli aquela piroca até o talo, rebolando e engolindo até o fim… Quando senti o saco batendo na minha bocetinha, eu pedi.

- Agora me fode com força, come meu cu, do jeito que meu marido te pediu, preciso mostrar para ele o estrago, aproveita que estou facinha…

O cara pirou e socou com tudo, foi uma loucura, eu rebolando e ele botando tudo até o talo, ficamos nesse frenesi até ele gozar tudo no meu cu, lembrando que esse era outro pedido do meu marido… O fato é que o Cláudio encheu meu cu de porra.

Para evitar qualquer risco, mandei ele sair e eu fiquei preparando o almoço até meu marido e a Pat voltarem da praia. Claro que coloquei uma calcinha para segurar aquela porra toda. Terminei o almoço, quando eles chegaram, pedi para a Pat terminar o que faltava e fui tomar banho com meu marido. Entramos no banheiro e ele já veio seco me cheirar, beijar e sentir meu cheiro, eu disse que ele tinha conseguido o que queria e o prêmio dele estava guardadinho, quando tirei minha calcinha, veio junto aquele monte de porra, ele me empurrou para a parede e me fez arreganhar meu cu para ele admirar a porra escorrendo… O maluco caiu de boca, chupando meu cu e me comeu ali mesmo como um animal no cio, foi uma loucura! Esse final de semana foi inesquecível! Mas avisei a ele, apesar de ter adorado a experiência de trepar com outro macho, não faria novamente com o Cláudio e nem adiantaria insistir! Ali começou minha vida de dama na sociedade e puta na cama, eu disse para meu marido:

- A partir de hoje você vai ter que arranjar muitos machos para me comer, nunca mais serei só sua!

Nos beijamos muito e seguimos nossa vida, sabendo que nada seria como antes a partir daquele momento.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 61 estrelas.
Incentive ksalrudnada a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil de Anjo Prateado

Que delicia de conto! Começando a manhã com muito tesão! É preciso coragem para partir pra tal aventura. É nessa fase que estamos. Venham ler os meus tb

0 0
Foto de perfil de Loirinha gostosa

Primor de conto, muito excitante! Acho que meu noivo também está querendo isso. Se for como aconteceu com vocês, até que dá para pensar no assunto. Rsrs. Venha ler os meus. Bjus.

1 0
Foto de perfil genérica

Olá Loirinha gostosa, obrigada pela mensagem carinhosa! Espero que consiga fazer seu noivo feliz, não vai se arrepender também... Aproveite! Vou ler, pode ter certeza!

0 0
Foto de perfil genérica

Que delicia, adorei a atitude, adoro mulheres bem resolvidas e que sabem o que querem

felipemeto88@outlook.com

1 0
Foto de perfil genérica

Olá querido, obrigada pela carinhosa mensagem! Na verdade, somos decididos...

0 0
Foto de perfil genérica

Muito boa esse início na vida liberal, é aquilo que você falou amiga, o amor não é prazer, quem sabe separar vive muito bem no mundo liberal e no casamento, o nosso foi parecido mas não com a esposa perto.

Beijos ao casal.

1 0
Foto de perfil genérica

E o respeito com a amiga fixa onde?

Nada contra o estilo de vida de casais como vcs mas pisaram na bola.

1 0
Foto de perfil genérica

É uma opinião que respeito, querido! Siga sua vida com suas convicções e deixe os outros com as deles...

0 0
Foto de perfil de kzdopas48ES

Rud & Nata, anal é uma "sobremesa no sexo".......sobre isso, leia meu texto sobre "SEXO ANAL SÓ É PRAZEROSO SE FOR BEM FEITO"

A

D

O

R

E

I

Votado!!!

Tenho fetiche por caminhoneiro. Dar meu cuzinho, na boleia, num posto de gasolina, às margens da BR...

Amo inversão.

Amo sexo anal [amo dar o cuzinho].

Caso você que lê meu comentário

e venha aqui no ES, e curte um amigo no sigilo, ou tenha algum amigo com "desejos" de "comer um cuzinho amigo", coloco-me à disposição.

Sigilo absoluto.

Me apresento:

Sou casado, esposa não sabe de meus devaneios, branco, liso, 55ª X 182 X 80 kg, grisalho, bi-passivo.

Moro em Guarapari-ES (dias úteis trabalho em Vitória).

Contato : Betto_vix48@hotmail.com

Repito: SIGILO ABSOLUTO!

1 0
Foto de perfil genérica

Queria que minha mulher tivesse uma amiga como você..ela é muito cabeça fechada...pra gozar eu tenho que pensar nas amigas ou na filha dela.

Deixaria ela dar o que quisesse pra outro só pra sair da monotonia.

meupokemongo.03@gmail.com

1 0
Foto de perfil genérica

Olá amigo! Torço para que consiga, comece falando exatamente isso... Sair da monotonia! Seus desejos podem ser os dela também, quem sabe!

0 0
Foto de perfil genérica

Que foda gostosa que marido de sorte o seu ter uma putinha assim para emprestar aos amigos

2 0
Foto de perfil genérica

Olá querido! Sorte é pouco, a cumplicidade é fundamental! Acabamos aproveitando juntos, sempre!

0 0

Listas em que este conto está presente

Loiro_londrina
Top demais gostei muito dos Contos