Meu primeiro book azul

Um conto erótico de Silvana
Categoria: Heterossexual
Contém 6225 palavras
Data: 21/07/2022 08:08:31
Última revisão: 03/07/2024 22:10:21

Uma série que eu e Edu vimos, e gostei muito foi Verdades Secretas, no Globo Play, para quem não viu é uma serie bem sensual, sobre o mundo das passarelas, modelos e suas maldades. Nesta série muitas das modelos fazem o chamado book rosa, que é o livro com as fotos das modelos que fazem programa, e brinquei que falam muito de book rosa na série, mas pouco de book azul, que é o equivalente para os modelos masculinos que fazem programa. E neste papo fiz uma proposta para o Edu:

— Edu, vamos contratar um book azul? Vamos em um motel com um garoto de programa?

Nunca fizemos isso, mas na hora me deu vontade e curiosidade de fazer algo mais prolongado, do que algumas aventuras em casas de swing que já fomos algumas vezes.

Edu topou e começamos uma pesquisa na internet. Parece simples, mas não foi! Edu me passou uns links de sites de garotos de programa e massagistas, que na prática fazem mais do que uma massagem. Fiz umas pesquisas e confesso que achei difícil escolher. Escolhia alguns e mandava para o Edu! Ele até reclamou de tanto homem no celular dele! Eu ria muito, estava me divertindo com esta pesquisa.

— Silvana, melhor trocar umas mensagens com os candidatos e sentir o papo.

Fiz isso, mandava umas mensagens de WhatsApp, tipo assim.

“Oi! Fiz uma proposta para meu marido e estou procurando um rapaz que tope transar comigo na frente dele sem frescuras, um rapaz tarado e safado, se curtir a ideia conversamos” ENVIAR.

Mandei a mesma mensagem para vários candidatos, a grande maioria respondia com uma mensagem padrão, ou laconicamente que me desanimava. Sei que eles veem a transa como um trabalho, mas como na série, quero ser “enganada” e seduzida para criar um clima. Já estava meio desanimada e um deles respondeu educadamente!

“Fiquei curioso de como seria esta transa! Quer que eu coma seu marido também?”

“Não, essa parte é só comigo! Ele gosta de ver e eu adoro me exibir para ele!”

“Ele vai ficar só olhando então?”

“Também não, ele vai participar, mas sem transar com você!”

“Gostei da ideia! Já fiz algumas vezes, algumas legais e outras nem tanto!”

“O que aconteceu para algumas serem ruins?”

“O clima do casal importa muito, se é para ser algo a três, tem que se soltar e deixar fluir, senão o clima fica ruim. Vocês fazem isso sempre? ”

“Nunca fizemos assim, mas acredito que não teremos problemas.”

“Qual o seu nome? Você pode me mandar uma foto sua?”

“Silvana! Sem fotos por enquanto! Mas aproveitando, achei suas fotos em um site, mas nenhuma você aparece nu. Pode me mandar fotos mais ousadas?”

“Mando sim, mas to achando injusto não receber as suas!”

“Me mande umas suas e se gostar, peço para meu marido para te mandar uma minha!”

“Peraí que vou pegar.”

“Qual seu nome?”

“Luke.”

Quase no mesmo instante recebi umas 10 fotos do Luke, que não sei que seria uma referência a “Luck”, de sorte em inglês, ou do personagem Luke Skywalker, ou nem uma nem outra coisa! Pensei em perguntar, mas nunca perguntei.

Nas fotos ele aparecia completamente nu, fotos bem-feitas, bem-produzidas, feitas provavelmente por um profissional, afinal, as fotos são uma importante arma de sedução e o cartão de visita desse trabalho e realmente funcionaram! Ele parecia ter um pau grande e grosso, acho que nenhum garoto de programa consegue trabalhar se tiver pau pequeno! Não era o caso! Por sinal um belo pau todo depilado e perguntei:

“Você depila seu pau com cera ou raspa?”

“Fiz laser, já não tenho pelos faz muito tempo!”

“Gostei! Por sinal, você parece não ter pelo algum!”

“Fiz laser no corpo todo, nada de pelos! E aí? Vamos marcar quando?”

“Calma, vou falar com meu marido e conversamos!”

Ainda trocamos um papo divertido, ele foi muito gentil no celular e não ficou falando sacanagens, mas um papo agradável, diferente de todos os outros que tentei contato e já bloqueava logo em seguida. Esse não bloqueei.

“Obrigado pelo papo Luke, gostei de você e acho que temos boas chances de nos divertirmos!”

“E cadê a sua foto?”

“Vou falar com o Edu, meu marido e se ele deixar, te mando! Mas acho que não vai negar! Última pergunta. Qual o tamanho do seu pau?”

Ele mandou mais uma foto com o pau duro, segurando do lado uma latinha de cerveja, aquelas latinhas menores, mais finas, se bem que fina para lata de cerveja, para a grossura de um pau! Impressiona!

O pau era bem maior do que a latinha, até aí tudo bem, mas era quase da grossura da latinha!

“Luke! O que é isso rapaz! Hahahaha”

Pesquisei na internet e achei a medida da latinha slim, 122x57.4mm.

“Luke, quais as medidas desse pau duro aí?”

“20x5.3cm, você gosta?”

“Gostei! Grosso esse brinquedo!”

“Você vai gostar, vai entrar tudinho e vai querer mais!”

“Safado! Mas acho que entra mesmo! Tenha um bom dia!”

“Aguardo seu contato Silvana! Vou salvar seu fone aqui!”

Salvei também o fone dele, sabendo que ao fazer isso ele poderia ver minha foto do WhatsApp, que está configurado para somente as pessoas que fazem parte da minha lista de contatos, verem minha foto. Salvei e recebi mais uma mensagem!

“Vendo sua foto do WhatsApp, fico mais curioso de receber alguma foto mais ousada sua!”

Nem respondi, mas gostei desse rapaz. Tinha um bom papo, corpo bonito, cabelos pretos bem curtos e um pau desafiador! O Edu sempre brinca que não vale escolher pau menor que o dele, tem que ser pelo menos igual. Medi o Edu uma vez, brincando com ele que precisava saber, para não escolher errado! Anotado 17x4.8 cm, ou seja, o Luke passa fácil na regra do Edu!

Imediatamente mandei as fotos para o Edu.

“Caramba Silvana! Uma latinha de cerveja!”

“Mas você não diz que tem que ser maior que o seu? Então”

“Escolheu logo um que não tem dúvida!”

“Ele pediu uma foto minha, mais ousada. Posso mandar?”

“Se quiser, pode, mas manda com aquela regra de visualizar somente uma vez.”

“Boa ideia, vou mandar, mas hoje não.”

Dois dias depois, sem avisar, enviei uma foto bem ousada, com uma lingerie linda. Simplesmente anexei a foto e cliquei ENVIAR.

“Nossa Silvana, que delícia! Você é linda!”

“Obrigada!”

Sei que é o trabalho dele, que não diria outra coisa, mas mesmo assim gostei do elogio, até porque acho a foto bonita mesmo.

“E como você imagina este encontro Silvana?”

“Deixar rolar, importante é todos estarem à vontade. O Edu sugeriu marcarmos um encontro com você antes, um papo em um barzinho para quebrar o gelo e depois vamos, eu e o Edu para um motel e você vai logo depois nos encontrar.”

“E quando vamos marcar?”

“Vou ver com o Edu e te aviso, beijos.”

“To esperando!”

Conversei mais com o Edu sobre essa aventura, gostei do Luke, rapaz simpático e bom papo, além de gostoso. Topamos a aventura e pensamos em marcar em uma semana, no sábado seguinte. Tudo combinado mandei uma mensagem para o Luke logo cedo.

“Oie! Topamos o encontro, para o próximo sábado! Tudo bem?”

Sem resposta. Ok. Deve responder daqui a pouco. Passou o dia todo e nada de resposta! Achei estranho, pois sempre respondia, mas tudo bem. Tarde da noite, eu estava quase indo dormir e recebi uma resposta!

“Oi Silvana, que boa notícia! Me desculpe não te responder. Estava o dia todo em um teste para o filme que será filmado semana que vem, fiz vários exames médicos também para o filme e não olhei meu celular.”

Fiquei curiosa e perguntei:

“Que exames são estes?”

“Os produtores pedem vários exames de saúde para poder participar do filme, HIV, Sífilis, Hepatite B, C e vários outros.”

“E aí? Passou na prova?”

“Os resultados saem sexta, mas estará tudo certo.”

“Você pode me mandar estes exames na sexta quando saírem?”

“Posso sim, sexta eu mando.”

“Ok. E vamos marcar sábado à noite, você pode?”

“Posso sim!”

“Vou ver um barzinho e te aviso e nos encontramos lá.”

“Ok. No aguardo.”

Escolhido o barzinho, mandei a mensagem para o Luke sexta meio dia e logo depois recebo como resposta vários comprovantes de exames, todos negativos e descobri o nome real do Luke, nem vou dizer aqui, pois ele pediu para não divulgar, mas acreditem em mim, Luke é bem melhor! Mandou também a cópia da carteira de motorista, que ele tinha apresentado para a produção do filme e a mensagem:

“Gravação confirmada para segunda!”

Vendo todos aqueles exames, me veio uma ideia e fiz uma proposta para ele.

“Luke, você topa transar sem camisinha comigo? Sou casada e bem cuidadosa. Vendo os seus exames me deu vontade de uma transa mais ousada, se topar fazemos assim.”

“Mas isso vai aumentar o cache!”

“Não abusa, mas pode aumentar sim!”

Combinados os valores, avisei o Edu do preço e da minha ideia. Mandei todos os exames para ele que topou.

Sábado à noite, toda depiladinha, vesti uma calcinha preta, bem sexy e muito pequena, um vestido curtinho preto de alcinhas, com tecido bem macio, derramando pelo corpo. Uma sandália alta, sem exageros, mas que me deixava com as pernas mais sexys. Edu me beijou e disse que eu estava linda.

Com meus 1.60m, 51 quilos, olhos castanhos escuros, cabelos de coloração cobre, ondulados, até o meio das costas, seios pequenos, mas bonitos e bundinha bem redonda, estava realmente bonita naquele vestido.

Estávamos um pouco nervosos, pois nunca saímos com ninguém assim, mas estava excitava e confiante que daria tudo certo! Nossas aventuras a três sempre foram mais fugazes, geralmente em bares de swing e nada programado, já fomos em bares e nada aconteceu, nada é programado, diferente deste caso que tinha uma programação prévia.

Chegamos no bar e nos sentamos à uma mesa no fundo do bar, com uma poltrona mais arredondada, sentamos lado a lado e pedimos uma caipirinha e logo o Luke chegou! Foi estranho ver ao vivo, apesar de já ter visto fotos e conversado bastante. Um pouco mais alto que o Edu, me pareceu. Não é bombado, não gosto do estilo gogoboy, mas corpo bonito, sem barriga, todo depilado, como já tinha dito, barba bem feita, cabelo preto recém cortado, provavelmente por causa da filmagem do filme que faria segunda. Perfume agradável e sorriso bonito. Já tinha gostado as fotos e gostei do que vi pessoalmente.

O Edu ficou meio sem jeito e o Luke ajudou perguntando de assuntos não relacionados ao sexo e nosso acordo. Depois de uns dez minutos de papo, já estávamos mais à vontade. O Luke estava de calça jeans e camiseta branca, tênis branco também. Gostei do visual. Nada exagerado, discreto até. Ele se sentou ao meu lado direito, ficamos os três em um sofazinho, com a mesa redonda à nossa frente. Estávamos Edu, eu e à minha direita o Luke. Depois de dez minutos de conversa, ele colocou a mão na minha coxa direita, próxima ao joelho, sem mover, apenas descansou a mão ali, por alguns minutos, como quem testa uma permissão! Como não falei nada, ele começou a deslizar a mão pela minha perna. Não sei se o Edu estava vendo, achei que não, pelo ângulo que estávamos, mas permiti, apesar de ter um acordo com ele de não fazer nada sem combinar, mas neste caso, fazia parte do nosso encontro essa permissão. Seguiu deslizando as mãos pela minha coxa e agora subia o vestido, que já era curto, ou seja, estava quase tocando minha boceta!

Ficamos conversando e ele, deslizando aquela mão na minha perna, do joelho até quase tocar minha calcinha, que já estava ficando molhadinha! Mais uns dez minutos ele começou, além de deslizar a mão, apertar de leve minha perna e às vezes arranhar com as unhas, suavemente, do joelho até a parte superior da minha coxa e passava os dedos no contorno da minha calcinha minúscula. Em pouco tempo já estava correndo as mãos pela parte interna da minha coxa até tocar entre minhas pernas, certamente notou o calor que eu estava nesta região! Aqueles toques, com aquela cara de quem não estava fazendo nada, falando de outros assuntos me deram muito tesão!

Aquela ousadia de me tocar entre as pernas, ali no bar, com meu marido do lado me deixou muito excitada!

Beijei o Edu com tesão, somente virando o rosto para a esquerda e neste movimento abrindo um pouco as pernas e sentindo mais aquela mão ousada me tocando! Já tinha se passado quase uma hora, duas caipirinhas e falei:

— Vamos embora meu amor!

— Vou pedir a conta!

— Luke, já vamos indo, esperamos você lá.

— Até daqui a pouco!

Pagamos a conta e saímos dali, deixando o Luke terminando a bebida dele.

Seguimos para o motel, e eu falando para o Edu como estava excitada com aquilo, como estava feliz por ele me proporcionar estas sensações!

Chegamos ao motel e o Edu avisou a portaria que um amigo nosso chegaria em breve. Me senti nervosa em deixar explícito que eu transaria com dois homens. Do lado direito do carro, tinha um painel grande, iluminado, quase um farol no meu rosto e a moça da recepção me olhou, sorriu e disse: “Pode deixar que eu libero para ele entrar, boa estada.”

Ela pode até estar acostumada com aquilo, mas vi nos olhos dela uma certa malicia e a certeza de que eu estava ali para uma fantasia de muito sexo e sacanagem!

Entramos no quarto e nos beijamos com tesão. Falei, abraçada ao Edu:

— Meu amor, eu te amo! Você é tudo para mim!

— Também te amo Silvana.

— Quero dar gostoso para o Luke, você vai deixar? Vai gostar de ver?

— Vou sim, meu amor, pode fazer o que quiser!

— Vou ser a esposa mais feliz nesta noite! Eu te amo meu amor!

Falei de coração, não foi impulso, ou pelo momento, realmente eu me apaixono cada vez mais pelo meu marido que me permite realizar fantasias incríveis.

Eu fui ao banheiro, enquanto o Edu explorava o quarto que tinha dois ambientes, além da piscina. Suíte enorme, praticamente um espaço para uma festa! Na garagem cabem dois carros, mas com jeitinho até três. Não curtimos surubas, mas o espaço certamente permitiria uma.

Enquanto o Edu explorava o espaço, fui ao banheiro fazer uma higiene anal. Edu comprou um kit de limpeza anal que eu adotei como prática. Ele usa também quando vou comer a bunda dele, que ele adora! Pesquisei na internet a tal chuca, que é a limpeza para o sexo anal. Youtube é uma aula! Descobri que muito do meu receio do sexo anal vinha pelo medo de sujar, com a chuca praticamente se elimina este risco e podemos relaxar melhor.

Na verdade, não sei se vou dar a bunda para o Luke, mas considerando que teremos tempo, não vamos descartar nenhuma possibilidade, por isso fiz uma bela chuca e saí limpinha do banheiro.

Voltei com minha mini calcinha preta e um roupão do motel. Começamos a nos beijar, Edu sentado na beirada da cama e me sentei sobre ele, abraçando-o com os braços e pernas e ficamos nos beijando por um longo tempo! Edu passando as mãos no meu corpo e eu dizendo o quanto o amava!

Interfone tocou e minha boceta piscou! Edu falou:

— Atende você!

Atendi e a moça da recepção, a mesma que me sorriu com malicia, disse:

— Boa noite Silvana, seu outro amigo chegou e já deixei ele entrar, divirta-se!

Ela se deu ao trabalho de ver meu nome do meu RG e quis me provocar com aquela frase! Senti um calor no rosto, pela situação de exibicionismo, mas respondi.

— Obrigada, vou me divertir muito!

Neste instante a campainha tocou. Edu sugeriu que eu fosse abrir. Coloquei o roupão do motel, mas amarrei displicentemente, deixando um decote que deixava os dois seios de fora e amarrado bem baixo, deixava ver a calcinha preta na parte da frente. Abri a porta e o Luke me olhando sorriu e disse:

— Hoje realmente estou com sorte!

Me abraçou e me beijou a boca. Não resisti e lhe beijei com tesão. Apertava seu corpo contra o meu e enfiei a mão por trás da calça lhe apertando a bunda com a mão direita enquanto a esquerda o segurava pela nuca enquanto nos beijávamos!

Voltei para o Edu e o beijei de novo! Agora com mais tesão e já senti o Luke chegando por trás de mim e me tocando a cintura. Ele tirou meu roupão, que até ajudei e senti ele caindo nos meus pés enquanto beijava o Edu, meio na ponta dos pês e arrebitando a bunda.

Luke me apertou a bunda com as duas mãos e me beijava a nuca e me falou no pé do ouvido:

— Linda essa sua calcinha Silvana, ficou linda enfiada na sua bundinha gostosa!

Gemi baixinho de tesão e joguei a cabeça para trás, logo me virei e estava ali, beijando o Luke com o Edu me tocando as costas, bunda, pernas e me beijando toda. Uma sensação deliciosa ser tocada por quatro mãos de dois homens interessantes e gostosos.

Nos deitamos na cama, eu no centro e um de cada lado, com todo meu corpo sendo tocado e o Edu escorregou para os pés da cama e tirou lentamente minha calcinha! Fiquei olhando a cara do Luke que não tirava os olhos da minha boceta pedi para os dois tirarem as roupas. O Edu já estava de cuecas, mas o Luke ainda estava de calça jeans. Tinha tirado a camiseta, mas eu o queria nu. Ele tirou a calça e cueca e vi aquele pauzão duro, grande e grosso, realmente um pau de respeito!

Subi sobre ele, como uma gata, com ele deitado de barriga para cima e esfregava meu corpo contra o dele em uma massagem sensual e sacana! Encaixei aquele pauzão na minha boceta, sem penetrar, sentei sobre ele e esfregava subindo e descendo pelo pau, só provocando! Me esfregava toda nele e fui descendo até chegar com o rosto ao lado do pau duro. Olhei para o Edu e falei:

— Edu, quer ver sua esposa chupando este pauzão, quer? Você gosta?

— Gosto sim safada, gosto da minha esposa bem safada e putinha!

Com meus olhos nos olhos do Edu, abocanhei aquela pica e gemi gostoso.

— Olha amor, como eu gosto de chupar uma pica para você ver! Hummmmm... hummmmmm…

O Luke não se aguentava de prazer e disse:

— Ahh que chupada deliciosa, você é muito gostosa Silvana!

Com o Luke deitado, o Edu ficou de joelhos na cama do meu lado, com a mão direita eu segurava o pau do Luke e com a esquerda segurei o pau do Edu, e fiquei chupando um, e o outro, revezava as picas, uma em cada mão.

Com esforço até consegui colocar as duas, lado a lado na boca, não consegui engolir as duas juntas, mas senti as duas cabeças nos lábios ao mesmo tempo, o que achei muito tesudo!

Voltei a minha atenção ao pau do Luke, gostei de chupar os dois, mas não é tão prático e gosto mesmo de me dedicar à chupada! Mal cabia toda na minha boca, engolia pouco mais que a cabeça e não chegava nem a metade! Lambia e chupava, dava beijos na cabeça e chamava ele de safado pirocudo! Em um impulso me levantei e beijei o Edu que estava do meu lado.

— Gosta de beijar sua esposa com gosto da pica do Luke, putinho? Gosta?

— Gosto de te beijar sempre meu amor!

— Fala que você gosta de me beijar com gosto de pica seu putinho! Fala que eu quero ouvir!

— Eu gosto de beijar você com gosto de pica, minha putinha!

— Levanta Luke, fica em pé ao lado da cama.

Ele se levantou e me sentei na beirada da cama e pedi para o Edu chupar o Luke

— Chupa meu amor, quero que você sinta o tesão dessa rola grossa na boca!

Mas o Edu não se sentiu confortável e não insisti, beijei o Edu e puxei o Luke para meter o pau entre nosso beijo. Safado, o Luke não perdeu tempo e ficava metendo o pau entre nosso beijo! Edu tentou escapar, mas segurei ele e logo ele relaxou e me beijava com aquela pica entre nossas bocas.

Deitei o Luke na cama de novo, de costas e subi sobre ele.

— Vou sentar nessa pica gostosa!

O Luke imediatamente falou:

— Senta gostoso que tô louco pra comer essa boceta!

— Filma Edu, quero ver o vídeo depois! Respondi na sequência.

Com o Edu filmando por trás, eu de frente para o Luke, pés ao lado do quadril dele, segurei o pau duro e pincelei a cabeça na boceta! Encaixei a cabeça do pau e fui descendo naquele caralhão.

— Ahhh que tesão de rola seu puto! Seu safado! Olha Edu, essa rola entrando na sua bocetinha sem camisinha! Na sua esposa safada! Você gosta?

Fui sentando lentamente até tocar a bunda no quadril do Luke. Entrou tudo! O tesão ajudou a deslizar! Fiquei sentada naquela pica para me acostumar e arrebitei bem a bunda pro Edu filmar!

— Gosta de ver sua esposa sentando gostoso amor?

— Gosto safada! Senta gostoso!

— Me beija!

Edu passou o celular para o Luke filmar e me beijou, de joelhos do meu lado esquerdo e comecei e rebolar naquela rola, primeiro movendo o quadril para frente e para trás, depois comecei a subir e descer. Saia até a metade e sentava, e fui metendo gostoso e beijando meu marido! Abraçava a ele e falava no ouvido

— Ahh meu amor, adoro essas aventuras com você.

Deslizei as pernas pelo lado do corpo do Luke, apoiei as mãos no peito dele e subia e descia naquela pica e pedi para o Edu ficar em pé e me dar o pau para eu chupar! Luke me filmava sentando no seu pau dele enquanto eu chupava o Edu.

Que delícia sentar naquela pica e chupar o Edu! Gemendo, com a boca cheia e com tesão ouvi o Luke pedir:

— Fica de quatro Silvana!

Me virei de quatro, com ele por trás e senti aquela pica deslizar novamente para dentro de mim, senti o volume me preenchendo por dentro e gemi gostoso! Edu sentou na cabeceira da cama e continuei chupando meu marido, levando de quatro por trás! Edu tirava o pau da minha boca para não gozar e eu também não queria que ele gozasse, queria que ele visse tudo sem gozar, por isso puxei-o sob meu corpo, abracei e lhe beijava a boca, enquanto levava pica por trás! De quatro, o abraçava sob meu corpo e lhe beijava a boca falando sacanagens no ouvido!

— Sente amor, sua esposa sendo fodida gostoso! Eu adoro dar na sua frente! Estou adorando essa nossa fantasia! Adorei seu presente!

Fui descendo o corpo, até me deitar na cama, de bruços, com o Luke dentro de mim e comecei a tocar meu clitóris e vi que iria gozar!

— Ahh Luke, vou gozar! Fode safado!

— Vou gozar também Silvana! Estava me controlando!

— Goza safado! Enche minha boceta de porra!

Gozei gostoso e no meio do gozo ouvi o Luke gemendo e senti uma estocada funda dentro de mim e ele gozar! Pelo tempo e gemidos, gozou muito, me encheu a boceta de gozo e se deitou do meu lado direito.

Subi sobre o Edu, que estava deitado do meu lado esquerdo e beijando, já sentada sobre ele, peguei seu pau duro e meti na minha boceta toda gozada!

— Está gostando de meter na minha boceta gozada?

— Delícia sentir sua boceta toda gozada, gostoso sentir deslizar meu pau na sua boceta melada de porra!

— Gostou safado! Então mete gostoso, come sua esposa toda gozadinha!

— Que delícia, que tesão meter em você assim!

— Mete na sua esposa gozada, mete! Sente sua boceta esporrada e goza!

— Que delícia!

Sentei no pau dele gostoso, com toda aquela porra escorrendo entre nós, lambuzando-o todo e em alguns minutos gozou gostoso também, enchendo mais ainda minha boceta de porra poucos minutos depois do Luke ter gozado! Soltei todo meu corpo sobre ele, de pernas abertas sobre seu corpo, senti o pau deslizando lentamente de dentro de mim e ali, deitada sobre ele fiquei sentindo a porra dos dois escorrendo da minha boceta!

Ficamos nos abraçando, tocando, beijando e descansando e deitados ficamos um bom tempo. Quase dormi sobre ele, mas logo passou o torpor, me despertei e sugeri um banho.

Fomos os três para o chuveiro e ganhei um banho delicioso! Apoiei as mãos na parede, com um de cada lado, me lavaram o corpo todo, me tocavam o corpo todo e apesar de relaxada, fui ficando excitada! Já tinha gozado há quase meia hora e já estava ficando animada novamente! Os dois me lavando os seios, as pernas, costas, as duas mãos deslizavam entre minhas pernas e bunda. Já mais animada fui também passando as mãos nos dois, hora um, hora outro, beijava um e beijava o outro e notei que o Luke já estava ficando de pau duro! Me abaixei e chupei aquela pica no chuveiro que rapidamente já estava bem dura de novo!

— Vamos voltar para cama?

Saímos os três e fomos para a cama! Me deitei de barriga para cima, joelhos dobrados e continuei a chupar o Luke que estava em pé, ao lado da cama, eu apenas virei o rosto de lado e abocanhei aquele pau gostoso e pedi para o Edu:

— Isso amor, me chupa gostoso! Sente o gosto da minha bucetinha toda fodida! Chupa sua esposa safada!

Edu me chupou gostoso e veio me beijar a boca! Beijei com tesão, aquela boca com meu gosto e gosto de porra de dois safados!

Luke veio por cima de mim e meteu de novo aquele pau na minha boceta que recebeu aquele pauzão sem dificuldades! Meteu gostoso e eu prendia as pernas em volta do corpo dele até que ele pediu:

— Silvana, eu quero comer o seu cuzinho agora!

Senti um arrepio de tesão percorrendo o meu corpo. Refleti sobre o desafio, mas pensei na aventura que estava tendo o prazer de curtir e principalmente no tesão que tenho de me exibir para o Edu! Olhei para a cara do Edu e ele me olhava interrogativamente, como quem me pergunta se vou ter coragem!

— Já volto!

Fui até ao banheiro e peguei na mochila que tinha usado para fazer a chuca, um aplicador de gel, que o Edu comprou também. Eu o tinha trazido com óleo de coco, que hidrata e lubrifica! E para a parte interna do rabo, acho mais adequado que KY! Parece propaganda, não é? Mas é bom mesmo!

Enfiei aquele aplicador fundo e apliquei todo o óleo que estava ali. O aplicador é como uma seringa, grande. Me enchi de óleo de coco, evitando que ao entrar, o pau fizesse muito atrito e me machucasse!

Voltei para o quarto, e vendo os dois de pau duro, foi uma cena bonita de ver!

— Edu, você começa!

Por ser menor, ajudaria a treinar as pregas e ele sorriu feliz de me comer a bunda, iguaria que não aparece sempre no cardápio! Fiquei de quatro e senti o pau do Edu forçar minhas pregas, e aos poucos ir deslizando para dentro de mim até sentir sua virilha na minha bunda! Senti um leve desconforto, mas entrou sem grandes dificuldades! Pedi para ele esperar e quando me acostumei falei:

— Mete, mas não pode gozar, se começar a ter vontade, tira!

Aos poucos comecei a rebolar e sentir o Edu socando no meu rabo! Já não ardia, o óleo de coco ajudou muito e rebolava gostoso sentindo meu marido me comer o rabo e me dar tapas na bunda. Poucos minutos ele não aguentava mais e pedi pra tirar!

— Não goza amor, quero que você veja o Luke comer a minha bundinha! Quer ver?

— Quero sim safada! Quero ver esse cuzinho levando essa pica toda!

— Vem Luke, mete se pau no meu rabo, mete!

Edu saiu e Luke veio por trás e pincelou o pau e forcou a entrada! Mesmo tendo dado para o Edu, entrou com certa dificuldade, mas entrou! Novamente pedi para ele esperar para eu me acostumar. Lembrei da mensagem! 5.3cm de diâmetro era o tamanho que estava meu rabo agora, e estava gostando! Edu estava novamente filmando para eu ver depois! Isso me deu um tesão louco e comecei a rebolar gostoso naquela pica! Sentia aquele pau entrar e sair do meu rabo e notei que até naquele instante, gotas de porra ainda pingavam da minha boceta.

— Chupa minha boceta Edu!

Sem tirar o pau do Luke do rabo, consegui subir sobre o Edu, com ele de costas na cama, eu de quatro sobre ele e fizemos um 69, eu com o pau do Edu na boca, ele chupando minha boceta e por trás o Luke metia no meu rabo! Levei tapas na bunda, mas praticamente não sentia! Fiquei entre milhares de sensações chupando o pau do Edu, sentindo a boca dele entre minhas pernas e aquele pau grosso no rabo! Edu me chupava a poucos centímetros daquele pau que me comia!

Luke segurava com as duas mãos na minha cintura e metia de forma ritmada! Não muito forte, mas com ritmo e deslizava para dentro e para fora sem parar. Ele comeu meu cu muito bem, entre alguma dor o prazer prevalecia e estava adorando dar o rabo para ele.

— Silvana, vire-se de costas.

E falando isso, tirou lentamente o pau do meu rabo. Senti as pregas relaxarem e meu cuzinho se contrair.

Atendi o pedido dele e me deitei de costas, com as pernas dobradas e abertas e o Edu pegou novamente o celular para filmar.

Luke se posicionou entre minhas pernas e pincelou meu cuzinho enquanto o Edu filmava. Ele pressionou o pau e ele deslizou para dentro do meu rabo ao mesmo tempo que erguia minhas pernas com as mãos deixando as duas abertas

—Ahhhhh safado, devagar!

Apesar de não socar forte, o pau grosso entrou forçando as pregas e coloquei a mão na barriga dele. Imediatamente ele parou, mas já tinha entrado quase tudo. Respirei um pouco e relaxei a mão e o que restava daquela pica dura e grossa sumiu no meu rabo.

Em poucos instantes ele já estava novamente socando sem parar, sem pressa, mas sem parar, quase tirava todo e deslizava para dentro. Ele segurava minhas pernas abertas e para cima e via a cara de tesão do Edu filmando. Ele enquadrava minha boceta já arrombada pelos dois e meu cu, levando aquele pau grosso e eu gemendo.

Comecei a me masturbar, tocava meu clitóris em movimentos circulares rápidos e falava:

— Aiiii que tesão, me fode Luke, fode essa esposa safada!

— Olha Edu, você gosta? Gosta de ver sua esposa dando o cuzinho?

—Adoro, você está tesuda assim!

— Fode Luke, fode que meu marido gosta de ver a esposa levando pica! Isso, fode gostoso!

Ele fodia meu rabo e as vezes tirava todo o pau, e metia de novo, Edu filmava meu rabo arrombado e aquele pau que saia todo e entrava novamente, sem nenhuma cerimônia.

Eu continuava me tocando, aumentando meu tesão e ele socando no meu rabo! Sentia uma eletricidade pelo corpo, sentia os braços e ombros se arrepiando de tesão e notei que se empolgou com o clima sacana entre os três e acelerou o ritmo das metidas! Meu rabo ardia, mas estava gostoso, sentia um prazer enorme com a sensação deliciosa de ter o rabo fodido na frente do meu marido!

Nesse turbilhão de sensações, ouvimos o Luke dizendo que iria gozar!

— Ahhhhh vou gozar Silvana, vou gozar no seu rabo tesudo!

— Goza safado! Enche meu cu de porra também! Fode meu rabo e goza gostoso!

Ele gozou socando fundo no meu rabo enquanto eu acelerava minha masturbação e ouvi o Luke falar:

— Ahhhhhh que delícia! Que cuzinho gostoso!! Que delícia gozar no seu rabo Silvana!

Edu parou de filmar e meteu o pau na minha boca! Luke ainda estava dentro de mim, gozando e gemendo e forçando o quadril contra minha bunda enquanto eu chupava o Edu que não resistiu e gozou. Senti ele gozando na minha boca e fiquei ali, deitada de costas, levando porra no rabo e na boca ao mesmo tempo enquanto me masturbava e não resisti e gozei também!

Gozei gemendo abafado com um pau na boca, gozei gostoso e soltei o corpo.

Edu deitou-se de costas na cama do meu lado, com o rosto ao lado das minhas coxas e as pernas ao lado do meu rosto. Com poucas forças que encontrei, rolei sobre ele, ficando com meu rosto na altura dos joelhos dele e as pernas abertas ficando com a boceta na altura do peito do Edu e as pernas abertas deixando seu rosto entre minhas pernas.

Este movimento fez o pau do Luke sair do meu rabo que voltou a se fechar, não totalmente, pois uma fina linha branca escorria do meu rabo, mostrando a porra do Luke descendo pelo meu corpo.

— Olha Edu, como ficou meu rabo! Gosta de ver?

— Adoro te ver assim. Tesuda!

Sem forças, soltei todo peso sobre o Edu, relaxei o corpo e ficamos ali, deitados, com a porra escorrendo do meu rabo e lambuzando o peito do Edu.

Depois de alguns minutos, virei e me deitei ao lado do Edu e lhe beijei a boca. Ficamos deitados ali, descansando, sem forças. Eu passava as mãos no seu rosto e dizia o quanto o amava e o quanto estava feliz pela nossa noite!

Luke ficou deitado na cama, próximo de nós, mas também relaxando sem forças.

A cama grande permitia que os três ficassem bem a vontade.

Acabamos caindo no sono ali e acordamos quase uma hora depois! Uma poça de porra no lençol em volta da minha bunda e grudada nas minhas pernas me obrigou a entrar na piscina.

Pulei nua, cansada e querendo relaxar! Edu entrou também e ficamos abraçados, namorando, descansando!

Luke entrou na piscina, mas logo depois sentou-se na beirada da piscina, com as pernas para dentro da água.

Ficamos conversando por um bom tempo e entre diversos papos brinquei!

— Luke, seu safado, você gozou na minha boceta e no meu rabo! Nunca tinha feito isso!

Ele riu e respondeu:

— Faltou a boquinha!

Rindo muito falei:

— E você aguenta ainda? Eu to cansada já!

— Pelo boquete que recebi no início, aguento sim!

Sorri maliciosamente para o Edu, como quem pede aprovação, afinal a transa já tinha acabado.

Edu respondeu rindo:

— Se está com vontade, o alvará ainda está válido, faça o que estiver com vontade!

Sorri para ele com cara de safada e fui caminhando até o Luke. Peguei aquele pau na mão e falei!

— Mas está mole, será que anima?

— Tenta aí, vamos ver, respondeu o Luke.

Coloquei ele na boca, que já tinha um bom volume mesmo sem estar duro, logo foi crescendo e em pouco tempo estava duro de novo! Mamei como sei fazer! Ouvia os gemidos do Luke e olhava para o Edu que estava ao meu lado, sem tirar o pau da boca! Em alguns minutos, depois de lamber, chupar a cabeça, engolir o que consegui e punhetar aquela pica com ela na boca ouvi o Luke gemer e falar.

— Ahh Silvana, que boquete gostoso, vou gozar!

— Goza seu puto, goza na minha boca também!

Chupei e em poucos instantes senti o gozo! Senti os jatos me enchendo a boca, engoli boa parte enquanto ele gozava, mas deixei uma boa parte na boca, metade talvez. Apesar de ser a terceira gozada da noite, tinha muita porra, foram vários jatos na boca. Quando ele terminou, com a boca cheia de porra, deslizei para o Edu, que estava olhando do meu lado direito e lhe beijei a boca! Quando ele percebeu a porra na minha boca, tentou fugir, mas segurei seu rosto com as duas mãos e praticamente subindo sobre ele lhe enfiei a língua na boca, forçando a entrada até que ele cedeu e nos beijamos, trocando aquela porra toda entre nosso beijo!

— Engole Edu, divide comigo essa porra do Luke!

E voltei a beijá-lo e só paramos depois de não ter mais nada em nossas bocas! Evitei ao máximo engolir, fiz o Edu provar comigo e engolir quase toda aquela porra! Sorri e o abracei falando no ouvido!

— Meu putinho, gostou de me beijar com a boca toda cheia de porra?

— Gosto de te beijar de qualquer jeito safada!

— Eu te amo e adoro este seu jeito safado!

Ficamos mais uma hora na piscina, descansando e conversando sobre outros assuntos e ao sairmos, Luke foi embora.

Nos deitamos em uma outra cama perto da piscina, que estava limpa, abrimos o teto solar do motel e ficamos vendo a lua, abraçados.

Naqueles momentos de repouso meu pensamento viajou no tempo e me lembrei de quando eu era uma mulher com meus medos, receios, temores e preconceitos. Aquele homem ao meu lado, com paixão e cabeça aberta, com todo o amor e carinho, me ensinou a ter segurança dos meus impulsos, meus desejos e meus prazeres. Foi ele que me ajudou e ensinou a ser a mulher liberada, cúmplice e empoderada de meu próprio corpo de prazer. E por isso nosso amor fica a cada dia unido. Adormecemos, e dormimos, cúmplices de mais uma aventura inesquecível.

eduesilvana@outlook.com

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 108 estrelas.
Incentive Edu e Silvana a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Conto perfeito, a cumplicidade de vocês nesse conto é maravilhosa. O Edu é um cara de muita sorte. Parabéns.

1 0
Foto de perfil genérica

Excelente. Com a experiência de já ter saído com casal, sei bem como é a interação. A cumplicidade de vcs é sensacional. Por outro lado, sou fã de rabo de casada. Confesso que mereceu uma gozada fantástica. Sorte do Luke. Parabéns ao casal

0 0
Foto de perfil de Perseu

Transpirando tesão! Adorei!

1 0
Este comentário não está disponível
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

Obrigado Flavia, pela mensagem, pelo tempo lendo nossos contos e pelas estrelas!!

0 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

Obrigado pela mensagem Joyce! Preferimos o modelo de encontros com pessoas diferentes, sem muita repetição, para evitar algum envolvimento!

Seu marido gosta de ouvir vc contar os detalhes das transas depois?

0 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

De acordo com o excelente comentário da Livia Pepper, no conto das férias no Sul da Bahia ela e a fiel representação da Hor Wife.

Entendo igual.

0 0
Este comentário não está disponível
Este comentário não está disponível
Este comentário não está disponível
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

Sim. A Livia é aqui no CDC. Tem um comentário dela no conto das ferias no sul da Bahia!

0 0
Este comentário não está disponível
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

Obrigado Marcelo! A cumplicidade e o amor e a base de tudo. Sem isso nada faria sentido.

0 0

Listas em que este conto está presente