Casa dos Contos Eróticos

Surpresas da Vida (O Dia seguinte.) – 13 de abril 2016.

Autor: Skinhead
Categoria: Homossexual
Data: 12/10/2017 21:40:07
Nota 10.00
Assuntos: Gay, Homossexual
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

[Maxswell passou uma ótima tarde na casa dos Medeiros onde foi recebido de braços abertos e agraciado com um belo almoço, juntos se divertiram a tarde toda até o momento de se recolherem para se prepararem para um dia de aula].

Eram 05h50min da manhã, Maxswell estava ainda a dormir quando sentiu alguém a lhe tocar, era José Pedro lhe avisando para acordar para o colégio.

- Max! Acorde Max! Vá tomar um banho e se arrume para tomar café, daqui a pouco sairemos para ir para o colégio, deixe de preguiça... O café ainda está sendo feito, então tem tempo suficiente para uma ducha quente.

Estou te esperando lá embaixo, não se atrase.

Apesar da preguiça, Max preferiu escutar JP e entrou no Box para uma ducha, afinal era convidado e não queria fazer uma desfeita e uma deselegância dessas e deixar os pais de “peixinho” tomando café a sós.

Depois da ducha e após arrumar-se Max desceu as escadas com suas mochilas as costas, onde ao chegar a sala,pôs em cima do sofá,juntando-se a família.

E como se não tivesse visto e acontecido nada na noite anterior falou:

- Bom dia Seu José Pedro, D. Luciana...

- Bom dia Max! Espero que tenha dormido bem, pelo visto José Pedro lhe arrastou da cama... Esse daí acorda com as galinhas.

Mas fique a vontade, sirva-se que daqui a pouco já sairemos.

- Tomem o café sem pressa e depois escovem os dentes, disse D. Luciana.

Seguindo as recomendações de D.Luciana, Max e José Pedro fizeram a higiene bucal para poderem ir ao colégio, a mãe de JP iria levá-los de carro, antes de sair, Seu José Pedro despediu-se de Max.

- Foi um prazer recebê-lo Max. Espero que tenha gostado do almoço e de passar à tarde e a noite em nossa casa, oque fez pelo nosso filho não tem preço, a porta de nossa casa está aberta para você, precisando é só aparecer, quem sabe você possa trazer sua mãe aqui para nós a conhecermos.

- Igualmente Seu José Pedro e D.Luciana, obrigado pelo almoço e pela estadia,quando aparecer oportunidade,trarei minha mãe aqui, será um prazer apresenta-la, agradeçam a D.Célia, é uma cozinheira de mão cheia.

-Bem, então um bom dia para vocês, Luciana levará vocês para a aula, bem que gostaria, mas terei um dia cheio hoje,ficarei fora uns dois dias a trabalho, então adeus e juízo aos dois.

E eu não esqueci sua sugestão Max, leve JP para se matricular na aula de artes marciais, fale com a coordenadora e o resto eu passo lá para acertar e assinar qualquer coisa.

-Pode deixar Seu JP, ainda hoje eu falo com o professor Bernardinho.

Luciana entrou no carro com os garotos e saíram seguidos por Seu José Pedro passando pelo portão onde o jardineiro esperava a passagem dos carros e ambos tomaram seu rumo.

D. Luciana falante como sempre, estava a tagarelar com seu “genro” Max, que se mostrava gentil apesar da conversa invasiva da “sogra”, indiferente à conversa dos dois estava JP, que calado, estava com um semblante de chateado.

O transito naquela manhã estava a fluir bem, algo geralmente anormal na semana,apesar de que o ano letivo iria entrar em recesso de meio de ano,e com as férias estudantis iria suavizar o trafego.

O veículo estava já nas imediações do colégio quando JP abriu a boca e disse:

- Mãe, pode deixar eu e Max na entrada dos fundos do colégio?

Curiosa D. Luciana falou:

-Claro, mas qual o problema de deixar vocês na frente?

José Pedro ficou sem palavras no momento, mas antes que pensasse em algo, Maxswell respondeu:

-Nada demais D. Luciana, mas a sala de aula do Mestre Bernardo fica naquele bloco, e seria melhor falar com ele agora sobre a matrícula de JP nas aulas, lá JP decide se fará karatê, judô ou jiu-jítsu comigo.

-Ah bom, tudo bem Max, mas vou logo lhe avisando, cuidado com meu filho, não quero ver meu filho machucado dentro de casa.

Maxswell riu e coçando a cabeça falou a “sogra”:

-Bem dona Luciana, acho que vai ser difícil isso não acontecer, pois ficar com marcas de hematoma é muito normal devido ao contato físico,mas não se preocupe,por mim ele fará jiu-jítsu comigo.

D. Luciana chegou aos fundos do colégio, estacionou o carro e falou:

-Então é isso garotos, desçam resolvam esse negócio das aulas marciais e vão estudar, quanto a sua bagagem Max, pode deixar no carro, na volta eu levo você em casa.

-Mas não precisa D. Luciana, não quero dar trabalho, não quero tirar à senhora de seu caminho.

-Nada de “mas” Maxswell, está decidido, não há incômodo algum, agora vão embora, estarei aqui esperando no fim do horário...

JP então se despediu de sua mãe assim como Max e após sua saída, se encaminharam em direção ao colégio.

Naquela hora e lugar, o movimento e concentração de alunos era fraca, não havendo perigo de serem vistos pelos Gêmeos e amigos de JP.

Max e JP entraram na sala do mestre Bernardo, professor de Jiu-Jitsu, onde começaram a conversar e se havia a possibilidade do nadador entrar no grupo.

- Será um prazer ter você como aluno JP, mas acho que você deveria também falar com seu treinador de natação, talvez seja difícil conciliar as duas atividades e isso pode afetar seu desempenho caso você queira continuar na natação, fale com ele, se ele for favorável, seja bem vindo então.

Os dois se despediram e foram em direção à sala de aula, mas no meio do caminho notaram uma aglomeração de alunos, em vários grupinhos, parecendo haver que tinha acontecido algo sério.

Enquanto caminhava, Max ouviu alguém chamar seu nome insistentemente.

- Max! Max! Espera!

Era um companheiro do time de Futsal, chamado Bruno e que parecia nervoso.

-Que porra é essa Bruno?! que confusão é essa?

- Você não está sabendo ainda? Os gêmeos foram espancados...

Fingindo-se de surpreso, Max falou:

- Como é a história Bruno?! Como foi? Onde?

- Pelo que entendi eles foram espancados por um grupo de seis marginais ontem à noite, quando eles estavam no bairro deles, chegaram junto, aproveitaram a rua escura e começou a pancada.

Não se contendo, José Pedro começou a rir e falou:

-Acho que as aulas de artes marciais não ajudaram muito os gêmeos... São cheios de marra, mas na hora de se garantir apanharam bonito.

Bruno não gostou do que escutou e alterado falou:

-Qual é seu “piolho” de aquário?! Tá achando divertida a desgraça dos outros? Eles são meus amigos, então tire o sorriso do focinho se não quiser levar uma tapa...

E por que esse fresquinho está andando com você Max?

JP não deixou por menos e talvez se sentindo seguro na presença de Max respondeu:

-Porque você não vai fazer uma “lavagem de rola” no treinador e dar meia hora de cú para passar o tempo seu babaca?!

Bruno ficou irado com a resposta de José Pedro, principalmente pelo fato de tê-lo ofendido na frente de outros alunos que riram de sua cara, e o mínimo para não ficar desmoralizado seria dar umas tapas no nadador.

Mas quando tentou fazer algo, foi impedido por Max que o segurou e fingindo irritação falou:

- Porra Bruno! Deixa de criancice cacete... Me fale como eles estão,estão muito machucados?

Eric está com um braço e umas costelas fraturadas, o Edu ficou um pouco pior, está com um braço, nariz, uma costela, quebrados além de um supercílio aberto...

- Que terrível! Essa cidade está foda de se andar, depois irei ligar para visitar eles.

Bem ao longe, Maxswell pôde ver Odalthir com Nara em seus braços além de dois jogadores do time de basquete e Ronari.

Vendo eles, José Pedro se despediu de Max e foi ao encontro deles onde cumprimentou a todos, Nara o abraçou forte e falou:

- “Peixinho”, você soube do que aconteceu com os gêmeos? Que coisa... Tudo bem que eles não valem “oque o gato enterra”, mas cheguei até a ter pena deles.

-É Nara, “cada um carrega a cruz que pode suportar”... Já dizia minha vó, disse um sério Odalthir enquanto encarava José Pedro nos olhos.

- E você “peixinho”?! Concorda comigo? Quem vive de aprontar às vezes um dia encontra uma arapuca no caminho! Triste eu não estou...

Odalthir aproximou-se de JP e em seu ouvido falou:

-Pelo oque fizeram com você José Pedro, foi muito pouco, deveríamos ter comido o rabo deles só de sacanagem...

- Valeu mesmo Odalthir... Você é um ótimo amigo, um irmão.

-Agora me diga “peixinho”, oque está rolando entre você e o galã do colégio? Que amizade é essa agora?

Jose Pedro se espantou com o modo que Odalthir falou e respondeu:

-Rolando? Como assim rolando? Não tem nada de anormal, só estava perto dele.

Antes que Odalthir fizesse algum outro questionamento, Nara aproximou-se e “roubou” JP do Ala, levando ele para conversar em separado, e oque ela falou surpreendeu “Peixinho”.

-E então JP, vai-me dizer como foi passar a tarde e a noite com Max em sua casa? Disse Nara com um sorriso no rosto.

- “Como você soube”, perguntou um José Pedro espantado com a revelação de Nara.

-Eu tenho meus meios... Espero que tenham sido momentos divertidos.

- Por acaso Nara, você está insinuando algo?

-Eu sou uma garota JP, já notei seus olhares para Max, sei muito bem compreender certos gestos, você tem uma atração por ele...

Sua vida não é da minha conta, mas quando quiser conversar, pode contar comigo.

Então deu-se o sinal para o primeiro horário,todos então se dirigiram para suas salas.

Para José Pedro o dia até não seria ruim, pois teria apenas uma aula de matemática seguida por duas de história e após o intervalo, duas de português e mais uma de história, matérias que ele levava muito bem.

As aulas transcorreram bem, e depois de mais de duas horas de aula, os alunos foram liberados para o intervalo.

Como sempre, juntos estavam Odalthir, Nara, Ronary e “Peixinho”,no lugar de sempre mais outros alunos e a conversa não poderia deixar de ser o “assalto” aos gêmeos, cada um dando seu ponto de vista, Odalthir achava que foi pouco, enquanto Ronary e Nara discordavam entre ter sido merecido ou ter sido algo horrível apesar da fama deles no colégio.

Inesperadamente Maxswell chega ao local, JP ficou meio nervoso com sua presença, Nara riu para José Pedro notando seu desconforto.

JP pensou a princípio que Max iria falar com ele, mas enganou-se ao ver que a conversa era de gente grande.

- Então capitão Odalthir, pode rolar um papo rápido entre nós ou está muito ocupado?

-Não sei talvez eu não tenha tempo para falar com você agora...

- Vá tomar no rabo nerd! Você prefere conversar em particular ou posso falar aqui? Você escolhe...

- Ainda bem que estamos perto das férias, ao menos não irei mais te ver por um mês, mas tudo bem, diga oque é...

-Acho que você sabe bem oque eu quero falar, eu concordei com você quando falou em dar uma lição aos gêmeos, mas não falei para quase matar...

Com um riso nos lábios Odalthir respondeu a Max:

- Matar Atacante?! Sério?! Você acha que uma surra da que eles levaram era para valer? Você está exagerando ou então não sabe oque realmente é bater em alguém, ou então sabe, afinal você é mestre em brigar com os outros especialmente com os mais fracos.

- Foda-se você e sua opinião sobre mim ! Você e seus amigos já deram oque os gêmeos mereceram, agora está tudo quite...

-Você é um filho da puta Max, você não está nem aí para oque aconteceu com JP, se preocupa somente com seus capachos...

Foda-se você e eles! Se tocarem em JP, Ronary ou qualquer outro amigo meu, da próxima vez serão as pernas também.

Max ficou puto com que o Ala falou especialmente no tocante a José Pedro, então se aproximando falou:

-Você lembra oque eu lhe disse da última vez que nós falamos?

- Não, o quê foi?

A resposta veio na forma de uma joelhada no estômago e em um soco que fez Odalthir ir ao chão.

Odalthir caído olhou para Max que falou:

- Eu lhe disse que da próxima vez que você tocasse no nome da minha mãe eu iria te bater! Lembrou agora?!

A atitude deixou todos sem ação, ainda mais para oque veio a seguir quando Odalthir e Max começaram a trocar socos.

Os dois eram esportistas competitivos tanto na quadra quanto no tatame e agora estavam se digladiando em meio aos alunos.

Odalthir desferia socos em Max, que mais se defendia de que atacava, não pela superioridade de seu oponente, mas porque não queria machucá-lo.

A confusão era grande, José Pedro e seus amigos apavorados, todos gritavam, alguns pediam ajuda, outros incentivavam a confusão.

Habilmente Max levou Odalthir ao chão, onde conseguiu imobilizá-lo, deixando-o semi-inconsciente com um mata-leão,podendo então se levantar.

- Acho melhor vocês segurarem ele, eu não estou a fim de mais confusão...

- Você o agride e vem com esse papinho Max?! Cada vez lhe entendo menos...

-Não vem com drama JP! Ele ofende minha mãe pela terceira vez e eu sou o culpado?!

-Não precisava ter feito isso Max, você é foda! Deus do céu...

José Pedro puxou Max para retirá-lo do ambiente e esfriar a cabeça longe, e pediu a Nara que ficasse com Odalthir.

A uma distância segura, ambos sentaram e começaram a discutir:

-Droga Max, será que você não podia ter se segurado ao invés de partir para a ignorância?! Não podia ter pensado em mim?

- Se eu não tivesse pensado em você “sushi”, seu amigo estaria todo machucado... Se isso tivesse acontecido há uns dias atrás, com certeza eu não iria deixar barato.

Foi por sua causa que eu apenas imobilizei o prego, sei o quanto você ama seus amigos e não me sentiria bem em deixar você triste.

Ambos estavam quase chegando a suas respectivas salas quando ouviram uma voz feminina e forte atrás deles.

- Aonde pensa que vai senhor Maxswell?! Temos algo a conversar...

Ambos foram interceptados pela coordenadora Aldenize, que já tinha sido avisada do ocorrido entre os dois alunos.

Ambos foram levados à coordenação para serem ouvidos além de Odalthir que também iria prestar esclarecimento.

A coordenadora ouviu atentamente Max que tinha ao seu lado JP,que após falar oque relatou,foi para a sala de espera onde estava Nara, Ronary e Odalthir, onde chamou o ala para conversar para limpar a barra de Max, mesmo sabendo que seria difícil.

José Pedro pediu a Odalthir para aliviar com Max e assumir um “mea-culpa”, deixando o jogador puto.

- Que porra é JP?! Você está de sacanagem comigo? Ele me agride e você quer que eu perca a razão?

- Você também tem culpa Odalthir, não quero tirar sua razão, mas você ofendeu a mãe dele, você deveria saber oque podia acontecer... Ninguém deixa barato um insulto, ainda mais sendo com a mãe, e você conhece o temperamento de Max...

- Vou perguntar novamente “peixinho”: Oque está rolando entre você e esse badboy? Que amizade repentina é essa agora?

Há pouco tempo atrás você tinha ódio dele e dos gêmeos, agora está morrendo de amores por ele...

Sem alternativa, José Pedro preferiu abrir o jogo e falou da tentativa de assalto sofrida e a atitude de Max em salvá-lo entrando em luta com os marginais.

- Mas você quer que eu faça o quê?! Fico feliz de ele ter defendido você, mas é uma dívida sua com ele, não comigo.

- Se você não faz isso por ele faça por mim, por nossa amizade.

Após muito choro de José Pedro, Odalthir contrariado concordou com as súplicas do amigo.

-Só você para me fazer concordar com isso JP... Mas não pense que vou deixar barato! Quando chegar o momento, eu vou cobrar o favor...

Quando sua vez chegou, Odalthir assumiu em frente à coordenadora parte da culpa pela confusão, oque atenuou a pena de Max, mas mesmo assim os alunos pegaram três dias de suspensão por conta do “show” de agressividade de ambos.

-Bem,acho que não tenho mais nada para falar com os senhores,portanto voltem para suas salas e assistam as aulas restantes,três dias serão suficientes para esfriarem a cabeça e pensarem bem antes de fazer a escola de ringue.

Dito isso, Max e Odalthir saíram da sala, acompanhados por José Pedro e Nara que os esperavam.

E apesar de tudo ainda discutiam:

-Três dias “peixinho”! Três dias! Minha mãe vai adorar sabe da novidade... Para quê fui lhe dar atenção?!

Todos então tomaram seu rumo, mas ao contrário dos demais, Maxswell não foi para a sala de aula, preferiu ir embora, aonde chegando ao portão se deparou com Seu Alfredo, Zelador do colégio e após explicar-lhe o ocorrido e mostrar a nota de suspensão, teve a saída liberada.

Já se passara 50 minutos e José Pedro ainda estava no começo da segunda aula de português quando recebeu um SMS de Max dizendo:

- “Sushi”, estou na lanchonete de frente ao colégio esperando o horário terminar, ficarei esperando D.Luciana chegar e você sair.

Quer almoçar lá em casa?

-Ok, me aguarde “galego”...Não tem como ir para sua casa,mas se quiser ir para a minha novamente,melhor ainda,até daqui a pouco atacante !

Terminada a mensagem, José Pedro voltou aos deveres, sem perceber que sua amiga Nara presenciara tudo.

Continua...

Comentários

14/10/2017 00:44:23
"Não vou comentar, já comentei demais kkkk"... Homi,comente jjrs,você sabe que gosto de comentários e críticas,acho saudável ao contrário de muitos.
13/10/2017 18:49:15
Não vou comentar, já comentei demais kkkk
12/10/2017 23:12:31
BORA LÁ, NOSSA COMO SUSHI É COVARDE. E MEU DEUS COMO TODOS TOMAM DECISÕES POR ELE. O PAI O INSCREVE EM LUTAS MARCIAIS SEM MESMO PERGUNTAR SE ELE QUER OU SE ISSO PODE ATRAPALHAR SEU CURSO DE NATAÇÃO. MAX QUE TB FALA COM O PAI E A MÃE COMO SE SUSHI NÃO ESTIVESSE ALI. MAS TUDO ISSO PELO COMPORTAMENTO COVARDE DE SUSHI DE NÃO SE MANIFESTAR NÃO SE IMPOR. QUANTA SUBMISSÃO! REALMENTE A SURRA NOS GÊMEOS FOI MERECIDA. DE FATO MAX POUCO ESTÁ SE IMPORTANDO COM SUSHI E SIM COM SEUS 'AMIGOS' NEM LEVANDO EM CONTA O QUE FIZERAM COM SUSHI. MUITO NERVOSINHO MAX. MUITO SAFADO TB. COME SUSHI, COMO A EMPREGADA DO SUSHI, QUER COMER A MÃE DO SUSHI E DE QUEBRA AINDA ACHO Q SERÁ CAPAZ DE COMER O PAI DE SUSHI. O QUE SUSHI VAI FAZER QUANDO SOUBER? QUANDO VER? NÃO SABEREI POIS NO DIA Q ISSO OCORRER, PARO DE LER ESSE CONTO. ACHO QUE O CONTO SE PERDERIA SE ISSO OCORRESSE. AINDA SOBRE A COVARDIA DE SUSHI, ATÉ NARA JÁ PERCEBEU QUE HÁ ALGO ENTRE ELE E MAX. ODATHIR TB NÃO É BESTA TB PERCEBEU. QUERO VER O QUE ODATHIR VAI COBRAR PELO FAVOR QUE FEZ AO AMIGO SUSHI. SÓ FALTAM OS GÊMESOS SABEREM E DAI A MERDA ESTÁ FEITA. QUANDO SUSHI VAI CRIAR CORAGEM E CONTAR PRA ALGUÉM DE CONFIANÇA? NÃO SEI PORQUE MAS ACHO QUE SUSHI AINDA VAI DECEPCIONAR COM MAX DE ALGUMA FORMA. TB ACHEI A EMPREGADA MUITO SAFADA. DEVERIA SE DAR AO RESPEITO POR TRABALHAR NA CASA E ACABAR FAZENDO O QUE FEZ. NÃO DUVIDO NADA SE ELA NÃO COMEÇAR A COBRAR UM RELACIONAMENTO COM MAX. E MAIS UMA MERDA ESTARÁ FEITA. MEU DEUS E ESSE PAI TÃO AUSENTE, AS COISAS ACONTECENDO DEBAIXO DO NARIZ DELE E ELE NEM AI. UFA! MUITA COISA PRA COMENTAR. ESPERO NÃO TER DEIXADO PASSAR NADA. UM EXCELENTE CONTO. AGUARDANDO O PRÓXMO CAPÍTULO ANSIOSO...

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.