Eu, minha esposa e meu amigo da adolescência 32

Um conto erótico de Julioepatricia
Categoria: Heterossexual
Data: 19/08/2018 13:21:54
Nota 9.95

Chegamos lá e Pat estava no canto da cama fingindo que estava dormindo. Joguei o travesseiro no meio da cama e deitei. Ela abriu o olho e riu pra mim. Me virei pra ela, ficando de costas pra Fabi, dei um beijo nela enquanto a Fabi deitava no outro canto e ela falou:

--“achei que vocês iam demorar mais um pouquinho”.

Pensei comigo: ‘não podia, por que se fosse ela com o Beto eu ficaria louco, mesmo que demorassem 5 minutos’, e falei:

-“se fosse você eu não sei se deixaria, daí preferi não demorar”.

Fabi estava deitada virada pra mim e colocou a mão nas minhas costas. Pat me abraçou rindo, acho que se sentindo valorizada, e falou:

--“fica tranquilo que o Beto não vai me arrancar pedaço”.

Eu não tinha resposta além de um sorriso, que não diz nem que sim nem que não. Nisso a Fabi me encoxa e fica beijando a minha nuca e pescoço, passando a mão pelo meu tórax e abdome, e Pat olhava pra ela rindo com cumplicidade. Eu estava no céu no meio das duas, todos debaixo do edredom por causa do ar condicionado. Fabi me perguntou:

>>”posso dormir assim com você?”

Dei um sorriso pra Pat, que olhava pra mim e falei que podia, e dormimos.

Acordei pouco antes das 9 horas e as duas dormiam. Fabi dormia de costas pra mim. Dei uma olhada debaixo do edredom pra bunda dela mas não quis passar a mão pra não acordá-la. Eu estava com o famoso tesão de mijo. Quando levantei pra ir ao banheiro, Pat abriu os olhinhos sorrindo pra mim com cara de preguiça. Fui no banheiro social, fora do quarto, fiz meu xixi, dei uma higienizada no pau e escovei os dentes, e Pat chegou me dando bom dia. Depois fomos na cozinha e ela fez o café enquanto a gente batia papo. Tomamos café, comemos uns biscoitinhos e voltamos pra cama e ficamos nos beijando, fazendo carinho e conversando baixinho. Na verdade a gente queria que a Fabi acordasse, e assim foi. Ela acordou e veio me abraçar. Eu estava de barriga pra cima, ela montou em mim, senti sua bucetinha quente repousar logo acima do meu short. Ela me deu um selinho de bom dia, esticou a cabeça pro lado da Pat e deu um selinho nela também. Que cena linda, meus amigos. Meu pau já deu sinal de vida.

Fabi levantou, foi ao banheiro da suíte, e quando voltou, forçou um espaço entre mim e a Pat, ficando de costas pra mim, e as duas começaram a se beijar e sorrir quase que esquecendo que eu tava ali. Eu já tava de pau duro, tirei meu short e cueca e fiquei encoxando a bunda da Fabi, que namorava a Pat mas rebolava roçando a bunda no meu pau, e enquanto namoravam, falavam várias safadezas, uma elogiando a outra, e voltaram a lembrar da Lorena, falando algo como:

--”nós temos que chamar a Lorena pra brincar com a gente”.

>>“delícia hein, vamos deixar o Julio e Beto só olhando”.

-“negativo, eu quero sentir a textura daquele silicone”, e todos rimos.

--“amor, desliga o ar condicionado, tá frio”.

Desliguei e as duas começaram a se beijar mais, e a Fabi falou:

>>”Julio, daqui a pouco é a sua vez, tá?”

Dei um sorriso consentindo, e a Fabi montou na Pat, jogou o braço dela pra cima e deram mais um beijo na boca, e foi uma tirando a roupa da outra, depois as duas peladas ficaram se chupando, eu ali do lado delas, de pau duro, só apreciando a cena, e quando elas foram fazer um 69, com a Fabi sobre a Pat, eu fui com o pau na cara da Pat e ficava passando na buceta da Fabi e na boca da Pat. Se você que está lendo, é homem e nunca fez isso, faça! Te garanto que é uma experiência que vai te marcar mais do que um tour pela Europa.

Pat se virou novamente pra beijar a Fabi e eu tive a visão privilegiada das duas bucetinhas se encostando, buscando roçar os clitóris, e ficaram brincando, se beijando, uma chupando a outra enfiando os dedos na buceta, e voltaram novamente para um 69, desta vez com as duas deitadas no colchão, estando de lado uma pra outra e com a perna aberta, de forma que a coxa de uma servia de travesseiro pra cabeça da outra descansar enquanto chupava. Era uma festa de língua e dedos entrando nas bucetas e roçando nos cus. Uma delícia ficar admirando essa visão das duas. De repente a Pat não resistiu mais e anunciou que ia gozar. Fabi meteu os dedos mais rápido e ficou chupando o clitóris, e Pat se contorceu gozando na boca dela. Deram um sorriso, Pat se virou e foi dar um beijo de agradecimento, e desceu pra chupar a Fabi. Colocou a cabeça no meio das pernas dela e continuou o serviço, e eu fui lá chupar os seios da Fabi enquanto a Pat chupava a buceta. Não demorou 2 minutos e a Fabi anunciou o gozo também. Delícia demais estar com as duas naquele momento.

As duas deitaram juntas, abraçadas, sorrindo e conversando, e eu pedi pra Pat deitar de barriga pra cima com a bunda na borda da cama, e as pernas abertas, e coloquei a Fabi deitada da mesma forma, em cima da Pat. Não era confortável pra nenhuma das duas, principalmente pra Pat que estava com o peso da Fabi sobre ela, e não via o que tava acontecendo. Só sei que as duas bucetas estavam a altura do meu pau. Cuspi na mão, passei na cabeça do pau e fui metendo na Pat, e quando entrou tudo, tirei e meti na Fabi. Que delícia. Metia em uma, tirava e metia na outra, enquanto massageava constantemente o grelo da Fabi. Fiquei nessa um minuto ou dois, mas foi gostoso demais. Depois a Fabi saiu de cima da Pat e pediu a ela:

>>”posso pegar o Julio emprestado, amiga?”

Pat riu, puxou ela pra um último beijo de língua, e a Fabi veio pra mim após o beijo, e da mesma forma que tinha feito com a Pat, montou sobre mim e nos beijamos.

Virei o corpo montando nela e desci beijando pescoço, dei uma atenção especial aos seios dela e desci pra buceta, que já tinha sido bem chupada pela Pat. Mesmo assim Fabi se contorcia, jogando o quadril pra cima e pegando nos meus cabelos:

>>”que boca gostosa, Julio. Eu queria que você me chupasse assim todo dia”.

Nesse momento a Pat perguntou:

--“gente, e o Beto?”

Bem, ele tinha me liberado pra transar com a Fabi, mas seria injusto abusar demais da boa vontade dele, e eu já tinha brincado bastante sozinho com as duas, então falei:

-“eu vou no interfone chamar ele”.

Pelo meu interfone dava pra ligar direto pra casa dele, e pra Pat fazer isso era mais complicado, se a mãe dele atendesse o interfone. Mas a Fabi falou:

>>”não. Pat, pega minha bolsa ali no canto da cama”.

Pat pegou a bolsa enquanto eu chupava a Fabi, daí a Fabi pegou o celular dela dentro da bolsa e ligou pro Beto. Eu tirei a boca da buceta dela na hora, e fui deitar do lado dela. Acho que por ela eu ficaria ali chupando, só pra ela instigar o Beto pelo telefone, mas não achei justo. Eu teria um infarto se a Pat me ligasse dizendo que o Beto estava chupando ela naquela hora. Beto atendeu e ela falou:

>>”bom dia, amor” ... “tamo aqui eu, Pat e Julio” ... “vem, amor, senão você vai perder, já tá todo mundo pelado” ... “Julio tava me chupando até agora, amor” ... “tá bom, te amo”.

Nossa, se eu ouvisse isso, eu desceria em 5 segundos e arrombaria a porta da sala rsrsrs. Eu voltei a chupar a Fabi, joguei as pernas dela pra cima e dei aquela lambida padrão no cu, depois ela me puxou pra deitar e foi me dando um banho de língua, até que chegou no meu pau e foi chupando, subindo e descendo, com aquela boca macia, uma chupada com menos pressão que a Pat. Olhei pra Pat, que estava deslocada no canto da cama. Joguei minha mão pro lado e ficamos de mãos dadas, e a campainha tocou. Pat foi atender, e logo Fabi parou de me chupar e veio me beijar novamente. Ficamos beijando até o Beto aparecer na porta do quarto, sorrindo pra nós. Sorri pra ele e ergui o corpo, esticando a mão. Ele me deu um abraço e um beijo na cabeça, deu um beijo na Fabi, e pegou na mão da Pat, que estava do lado dele, peladinha. Imaginei: ‘que delícia pra ele tocar a campainha e ver a Pat atendendo a porta pelada. Devem ter dado um belo beijo de bom dia’. De início os dois ficaram em pé na parede do quarto, com o Beto de roupa, abraçado na Pat pelada, olhando pra nós.

Fabi montou em mim encaixando a buceta no meu pau, e começou a rebolar. Apoiou as mãos sobre meus peitos, olhava pra mim em êxtase. Olhei pra ela e falei:

-“rebola, gostosa”.

>>”que pau delicioso, Julio, a cabeça dele tá arrastando no meu útero”

Bem, ela estava totalmente sentada no meu pau, mas se a minha cabeça tava no útero, então quando o Beto comia ela a cabeça do pau dele devia ir no estômago. Mesmo assim adorei o que ela falou e fui incentivando:

-“isso, mexe essa buceta gostosa”.

E Fabi rebolou, depois meteu subindo e descendo. Eu vi que ela tava gostando, metendo com pressão, e quando ela cansou, viramos, ficando na posição papai mamãe. Pat já estava aos beijos com o Beto, que continuava encostado na parede, de frente pra nós. Ela baixou na frente dele e puxou a bermuda e cueca pra baixo, expondo a jeba que já tava dura, e começou a mamar agachada. Voltei minha atenção pra Fabi e fui metendo. Ela me puxou pra darmos um beijo na boca, e falou olhando no meu olho:

>>”bate na minha cara, seu puto”.

Dei um tapa na cara dela, chamando de puta, e ela fazia cara de quem tava gostando, então fiquei com uma mão apoiada no colchão e fui batendo na cara dela. Não queria deixá-la vermelha por que de repente o Beto não ía curtir, então depois de alguns tapas eu ergui meu corpo, ficando ajoelhado, coloquei uma perna dela pra cima, e a outra esticada entre as minhas pernas, e continuei metendo, massageando o clitóris dela, e ela adorou também.

Beto tirou a roupa por completo e puxou a Pat pro outro lado da cama, e os dois ficaram deitados ao nosso lado. Beto veio pro lado da Fabi e ficou beijando a boca dela enquanto eu metia. Fabi pegou minha mão e colocou na cabeça do Beto, e eu fiquei fazendo carinho na cabeça dele enquanto os dois se beijavam com as cabeças indo pra cima e pra baixo por causa das estocadas que eu dava. Fabi falou pra ele, e eu e Pat ouvimos claramente:

>>”amor, to adorando dar pro Julio”.

>”ele tá te comendo gostoso?”

>>”seu amigo é uma delícia”, e olhou pra mim, me chamando pra beijá-la.

Baixei para a posição papai mamãe novamente e também fui beijar a Fabi, e o Beto ficou de lado pra nós, com a Pat atrás dele, e ficou um pouco passando a mão na minha cabeça. Então baixei por completo, apoiado com o cotovelo no colchão, com meu peito pesando sobre o peito da Fabi, e ficamos nos beijando naquele papai mamãe clássico, e o Beto ficou passando a mão na minha cabeça e nas minhas costas. Amigo leitor, sabe o que significa isso? Como diria Tadeu Schmitd: nada! Era só carinho de irmão mesmo, num momento em que a razão meio que se perde, e a emoção fala mais forte. Depois olhei pra ele e sorrimos um pro outro.

Ele voltou a atenção pra Pat, e os dois ficaram se beijando, abraçados, sem pressa pra sexo. A mão dele passava em cada pedacinho da buceta dela, e ela punhetava o pau dele enquanto se beijavam. Ele virou a Pat pra ela ficar com a bunda arrebitada pra cima, na direção da cara dele, e foi enviando os dedos ba buceta, e com o dedo lubrificado foi enfiando no cu dela. Eu pedi a Fabi pra ficar de 4, só pra eu ficar com o corpo mais ereto, e poder ver com mais facilidade o dedo dele comendo o cu da Pat, enquanto eu comia a Fabi. Lembrei que eu tinha que dar uns tapas na bunda da Fabi, e dei o primeiro tapa, que estalou. Beto e Pat olharam pra mim, e Fabi falou com a cara no travesseiro:

>>”delícia. Bate mais”.

Eu ri, e Beto falou:

>”bate nessa puta”, rindo pra mim.

Nem precisava autorizar, eu ia bater mesmo, mas só me deu mais confiança. Só ia parar de bater na hora que visse a marca da minha mão naquela bunda morena.

>>”aiiii cachorro”

-“tá doendo?”

>>”tá, mas pode bater”.

Eu até olhei qual lado tava menos marcado, e comecei a dar com a mão direita no lado esquerdo da bunda dela, por que com essa mão eu tenho mais firmeza. De repente a Fabi se jogou no colchão e virou de barriga pra cima. Acho que ela cansou de apanhar. Mesmo assim sorriu pra mim e me chamou. Desci nela sem meter e dei um beijo na boca, e rimos com os olhos, daí ajeitei o pau na buceta e comecei a meter novamente.

Beto encostou em mim, eu olhei pra ele e ele disse que ia pra sala. Pat veio até meu rosto e demos um selinho, e os dois sairam do quarto. Finalmente iriam transar sem a minha presença, mas naquele momento meu tesão estava a mil, e nem pensei nisso, e fui metendo na Fabi, olhando pra ela, e falei o que o que eu já estava cansado de ver a Pat e Beto falando um pro outro:

-“te adoro”.

Ela passou a mão no meu rosto e me puxou pra me beijar. Nos beijamos apaixonados e ela respondeu:

>>”você é maravilhoso. Por mim eu te daria todo dia”.

Nossa, que confissão, que fez meus cabelos arrepiarem. Tive que concordar:

-“eu te comeria todo dia com o maior prazer”.

>>”vem, me come gostoso, Julio. Eu tô apaixonada pelo seu pau”.

Baixei a cabeça e comecei a chupar os peitos enquanto eu metia, e ela falou que ia gozar. Acelerei a metida e ela agarrou minhas costas com as unhas, gozando e tremendo a buceta. Deixei meu pau dentro e parei de meter, e fui beijá-la. Nesse momento de silêncio no quarto, percebi os gemidos da Pat na sala. Nossa, aquilo deu um nó nos meus sentimentos de tesão pela metida na Fabi e o ciúmes de ouvir minha gata em outro ambiente com o Beto. Eu já estava com vontade de gozar, então falei:

-“você é deliciosa, Fabi. Posso gozar em você?”

>>”pode, meu amor, eu quero sentir sua porra dentro de mim”.

Comecei a meter e Fabi foi rebolando gostoso debaixo da minha pica.

-“isso, rebola, minha putinha, que delícia”.

>>”vem, goza em mim, meu macho gostoso”.

E comecei a bombar com pressão, e disse que ia gozar.

>>”inunda sua putinha de porra, Julio. Eu sou toda sua”.

Emoção demais, amigos. Gozei abundantemente dentro dela.

Quando terminei de gozar ela falou pra mim:

>>”você faz a cara mais linda do mundo quando tá gozando”

Ri pra ela e a abracei, falando:

-“Fabi, você é demais. Não é a toa que o Beto é apaixonado por você”.

>>”eu amo demais o Beto, mas você é delicioso também”

-“hein, por que você colocou minha mão na cabeça do Beto aquela hora?”

>>”por que vocês se adoram, e eu queria ver vocês trocando um pouco de carinho”.

Ok, bem explicado. Deitei do lado dela e fiquei fazendo carinho no rosto, e nos chegamos mais pertinho pra dar um beijo. Então ouvi os gemidos da Pat na sala, com mais intensidade.

.

.

===

Se você gostou, peço que vote e comente. Se não for membro do site vale a pena se cadastrar rapidamente.

Eu respondo todos os comentários.

Obrigado pela leitura.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
18/03/2019 12:14:33
Excelente
27/01/2019 22:22:48
MUITO BOM!!!
27/01/2019 22:22:35
MUITO BOM!!!
20/01/2019 14:32:41
Excelente, muito bom!
12/01/2019 18:48:37
Um dos melhores da saga, muito bom!
25/11/2018 18:50:44
Gostei!
19/11/2018 15:25:56
adorei. dá tesão! vitoriapineda@outlook.com
03/11/2018 01:51:22
conto muito bom gostei beijos
03/11/2018 01:41:53
O Bicho começou a PEGAR!!!!!!!! hummmmmm
03/11/2018 01:14:26
Adorei o conto.Votei
02/11/2018 11:04:40
o delicia de conto....
02/11/2018 10:55:25
mandou gostoso! adorei e votei!
14/10/2018 13:28:01
Maravilhoso, 10,0
14/10/2018 13:19:34
Sensacional!
14/10/2018 13:06:54
Seus contos são muito bons, Julio. Bem detalhados, cheios de tesão
14/10/2018 12:44:51
O seu relato está muito excitante, cheio de detalhes ...
14/10/2018 12:29:59
Que tesao de conto....
02/10/2018 12:17:52
Você tem de liberar a Pati totalmente.
29/09/2018 15:36:56
Delícia. Trio maravilhoso. Me melei todo aqui
29/09/2018 12:38:48
Que mulher deliciosa. Muito bom, nota 10.