MInha quase primeira vez

Um conto erótico de Branquinho Taradinho17
Categoria: Heterossexual
Data: 02/05/2018 19:34:10
Nota 10.00

Oláááá! Boa noite turma!

Acho que como alguns, eu demorei para escrever aqui na casa dos contos, mas sou leitor e gosto muito da página. Bom, irei apresentar-me a vocês e espero que gostem do relato abaixo 😉

Me chamo Lucas (fictício) tenho 170cm de altura, 22 anos, branco, olhos castanhos, praticante de jiu-jitsu, meu corpo não é com a barriga tanquinho (ainda hahaha eu amo fazer exercícios aeróbicos, mas não tolero abdominais. Só os faço por livre e espontânea pressão do professor hahahaha) tenho pneuzinhos, não possuo as orelhas estouradas (acho ridículo aquilo, não sei como tem gente que gosta e acha o máximo) e tenho 13cm de pau. Não é grande, porém, minhas parceiras nunca reclamaram(pelo menos, não que eu saiba haha).

Irei relatar minha primeira experiência sexual com uma amiga.

Todas as informações neste conto e nos futuros serão verídicos, então afim de proteger as nossas imagens, irei usar nomes fictícios para todos.

Bom, moro na cidade de Aracaju/SE uma cidade onde todos praticamente conhecem um ao outro, ou pelo menos tem um conhecido em comum. haha

Esse fato aconteceu por volta de, quando meu lado hormonal estava começando a ficar mais aflorado. Moro com alguns parentes na minha casa e nesse tempo, todos estavam viajando e acabei ficando sozinho e como eu era ( e ainda sou haha) muito safado, não estava aguentando ficar sozinho sem ter beijado alguém e sem uma bela de uma safadeza.

Estava passando pelo meu facebook e olhei uma amiga e decidir abrir o jogo pra ela:

-Débora(fictício), queria te falar uma coisa...

-O quê, Lucas?

-Eu vou ser bem direto com você... Eu sou afim de você e quero muito ficar contigo...

Débora caiu tomou um susto, também... Não era de esperar uma dessas né?! A arrogância da adolescência haha.

-Nossa... Eu não sei o que falar... É sério isso?!

-É sim! Eu estou te observando há um tempinho e você me atraiu, mas agora que tomei coragem para falar contigo...

-HMas e ai, rola?

-Rola sim, bora marcar então.

Então, eu e Débora marcamos o dia e a hora, que foi próximo das 16:00, na minha casa. Nesse dia, eu lembro que iria treinar em dois lugares. Tinha acabado de chegar de um treino e estava com a calça do meu kimono branco ainda. Fiquei aguardando-a e estava muito ansioso, porque eu já estava na malícia rsrs.

Depois de alguns infinitas horas, Débora chegou e me chamou no portão da minha casa. Assim que escutei a voz dela meu coração quase que pulou da boca, a garganta secou, o corpo arrepiou e ficou gelado e eu disse: "É agora! Só vamos!"

Irei descrever como Débora é: Baixinha, branquinha, na época ela usava aparelho (uma das minhas taras em mulheres até hoje rsrs) boca carnuda, sorriso lindo, peitos pequenos, bunda grande, coxas grossas, cabelos pretos e longos (na época) e com um piercing do lado direito do nariz.

Ela também estava ansiosa e ao mesmo tempo nervosa, porque onde eu moro tinha gente que conhecia a mãe dela e poderiam comentar falar que a filha dela entrou na casa onde que só tinha um garoto sozinho e ai não iria prestar para o lado dela, não é? kkk

Então, abri logo o portão e ela entrou feito uma bala kkkk. Eu fui logo atrás dela, todo nervosinho ainda, mas sabia o que fazer rsrs.

Começamos a trocar algumas poucas palavras e logo beijei a boca dela que também fui correspondido a altura. Um beijo quente, bem sincronizado, molhado e com a mensagem nas entrelinhas de "vamos apimentar e subir mais o nível".

Como a casa estava vazia, nós ficamos nos amassando na sala. Continuamos com os beijos até eu não me aguentar e começar a segurar nos cabelos dela e descendo para chupar o pescoço dela. Chupei e lambi bem gostoso, passando a língua nela e fazendo movimentos circulares. Ela já estava começando a dar sinais de tesão, deixando escapar alguns suspiros e gemidos baixinhos. Depois eu subir para as orelhas dela e comecei a chupá-las, e enquanto chupava-as, passava a mão apertando a sua bunda e a outra o seu peito.

Nos beijamos em pé, esfreguei meu pau na sua buceta e acabamos na cama. Estava tão gostoso que nem vimos a hora passa e já tinha escurecido. Deitamos em uma cama de casal e terminamos sem as roupas, apenas Débora estava de calcinha.

Meu pai! Que visão!!!!! Aqueles peitos pequenos dela, bem branquinhos com as auréolas bem rosadinhas só de lembrar já estou ficando com água na boca) eu chupei com muito gosto e vontade, arrancando suspiros e gemidos dela. Até o momento que ela não aguentou e colocou a mão na minha cabeça e jogo jogou a dela para trás se contorcendo toda. Como já estávamos praticamente despidos, esfreguei bem meu pau na bucetinha dela e ficamos lá aproveitando o momento de tesão, que estava muito delicioso para nós. Hora eu beijando a boca dela, hora indo para o pescoço, orelha e peito.

Naquela época, eu era, na verdade, nós dois éramos virgens.

Tentamos fazer a penetração com ela montada em cima de mim. Eu já estava com a camisinha em mãos pronto para vesti-la, mas não rolou. Débora estava um pouco tensa e nervosa por isso não conseguimos. Então continuamos as esfregações. fingimos estar metendo mesmo com a cueca e a calcinha e usamos as mãos um no outro. ter ela montada em cima de mim, foi uma delícia. Não preciso nem falar como eu estava, né? Doido para meter nela e experimentar aquilo que só ouvia falar.

Do nada, a mãe dela liga perguntando onde ela estava, pois já eram quase 20h, mas ela ainda não tinha chegado em casa. Nós nos arrumamos e saímos. Ela foi para a casa dela e eu fui treinar super feliz pelo meu "quase sexo" que tive rsrsrs.

Mas eu nem a tinha chupado e de tanto assistir vídeos pornôs, essa era a minha maior vontade de experimentar, porém, em um outro dia, eu conseguir chupá-la e foi muito melhor do que eu imaginei. E para completar, depois que experimentei, acabei ficando viciado em chupar. Sério! Amo chupar uma buceta e chupo com gosto. Uma mulher para ser bem tratada na cama, tem que receber uma bela chupada e depois uma surra de rola.

Mas esse relato fica para um próximo conto. Espero que tenham gostado.

Por favor, comentem dizendo o que acharam do conto e em que, ou em quais ponto(s) eu devo melhorar.

Caso queiram entrar em contato comigo, meu e-mail é: brancosafado17@hotmail.com

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
11/05/2018 13:39:34
Querido, sua avaliação no meu conto me deixou muito feliz. Adorei ler este também, cuja tentativa com a Débora ficou no ¨quase¨. Aliás, o meu tbem foi igual, naquele que vc leu. Eu fiquei no quase com meu padrasto. Há pouco, fomos para os finalmentes e contei aqui no meu relato recente. Dá uma lida como foi. Ficarei bem feliz com teu comentário. Beijaaauuummm=-)
07/05/2018 11:11:13
Li seus contos do último até esse primeiro, finalmente encontrei suas características físicas 😆😆😆😆😆😆😆😆. Faltou dizer seu peso. Mesmo assim o jeito que você se descreve, mesmo com um pau de treze cm até eu arrancaria seu cabaço 😎😎😎😎
07/05/2018 09:25:53
Quando se é virgem, as coisas acontecem mesmo assim. Muitas vezes fica só no quase. Eu mesma, vivi algumas situações iguais. Rs. Só que hoje, já casada e madura, não deixo escapar as oportunidades. Ainda mais com um garoto com hormônios à toda. Deixo minha nota máxima como incentivo. Adoraria ter teus comentários nos meus contos. Beijos.
03/05/2018 12:54:25
muito bom,
03/05/2018 02:10:40
Excelente conto continue