Um fim de semana romântico para o corno

Isadora, minha namorada, tinha um corpo maravilhoso, magrinha, baixa, peitos pequenos, durinhos e levantados, uma bunda redondinha e a barriga lisinha, com uma mulher dessas, é claro que eu ia ganhar chifres, o que eu logo aceitei, já que por mais que eu ficasse um tanto inseguro, eu também ficava excitadíssimo com os chifres.

Como exposto no último conto, Isa voltou a foder com seu ex, Murilo, e eu acabei virando amigo dele também, nisso, nós viramos uma espécie de casal triplo, nós íamos jantar juntos e dividíamos as contas, como eu morava em uma cidade diferente da minha família por causa da faculdade, seria difícil encontrar algum conhecido, então os dois podiam sentar juntinhos flertando e eu ficava de “vela” ali, mas alguns notavam que eu também era íntimo de Isa e olhavam estranhados para nós, era tudo parte da nossa diversão.

Em um desses encontros, Isa e Murilo ficaram aproveitando todos os momentos para meterem uma mãozinha aqui e ali, ela usava um vestidinho e ele aproveitava para dedilhá-la e ela falava besteiras em seu ouvido, eu observava tudo, mas depois da janta, ela disse estava muito excitada e quis parar por aquela noite e ir para casa. Aceitei, pegamos carona com o Murilo, dessa vez, nós dois sentados atrás enquanto nos beijávamos, eu meu pau estava latejando e o pré gozo já deixava minhas calças meladas. Chegamos ao prédio do meu apartamento, agradeci pela carona e fui saindo do carro, Isa saiu também, porém deu uma meia volta e entrou pela porta do passageiro, não entendi muito bem, talvez quisesse dar um beijo de despedidas em Murilo, mas não pareceu que ia sair mais.

-O que foi, Isa, não vai entrar?

-Agora não, amor, rs, o Murilo vai me levar na casa dele pra dar uns tratos na sua vadiazinha.

-Mais tarde eu a devolvo, corno, com um sorrisinho no rosto e talvez algo mais.

E eles se foram, subi o elevador tentando esconder a ereção, não tinha mais planos para a noite, tentava ver alguns vídeos e séries, mas não conseguia parar de pensar nos dois, no que estariam fazendo, que posição, quantas vezes...

Umas três horas depois recebo algumas mensagens, eram de Isa, diziam para eu abrir minha porta, fui atender, lá estava ela, com a cabelo todo bagunçado, maquiagem borrada, roupas amassadas, cheirava a sexo, um sorrisinho e um olhar apaixonado pra mim.

Pulou nos meus braços e me lascou um beijo prolongado, descobri naquela hora que ela queria, além do beijo, compartilhar da sua boca a porra ainda quente de Murilo comigo, que sem escolhas, engoli também.

-Está gostoso? – ela perguntou

-Muito. – eu respondi

-Que bom...

Em pensar que ela teria entrado no prédio e subido até o meu apartamento daquele jeito, abusada e com a porra dele na boca era a maior prova de amor que eu poderia ter.

Ela ia tirando minhas calças, abaixando minha cueca e me tacando na cama, ajoelhou-se e pegou no meu pau já duro, começava a masturbá-lo calmamente e beijava a cabecinha.

-Como estava meu corninho? Com saudades dessa putinha?

-Demais, eu não conseguia pensar em outra coisa...

-Então eu vou te contar tudo que ele fez com a sua namoradinha. – dizia entre pausas enquanto chupava minhas bolas – Ele me fez chupá-lo o caminho todo, algumas vezes, no trânsito, os outros motoristas viam dentro do carro e lá estava eu com o pau dele na boca. – com sua outra mão, estimulava seu clitóris – quando chegamos a sua casa, ele me deixou peladinha e me chupou toda, me bateu, me apertou e me beijou...

Eu estava quase gozando, puxei ela para mim e deitei-a na cama, abri bem suas pernas e comecei a penetrá-la em um papai e mamãe, assim nossos rostos ficavam bem próximos e podíamos sentir a respiração um do outro

-Isso, meu corninho, me fode, depois de eu ter transado por horas com ele, agora que minha buceta ainda fede com o suor dele... depois dele ter me comido de todos os jeitos, ter me usado como quis, ter me feito de putinha... isso, fode!

Sua voz agora se misturava com gemidos e uma respiração acelerada, eu já estava quase no meu limite.

-O corno não consegue satisfazer a namoradinha e tem que pedir pra outro macho! Isso, goza na sua putinha safada!

Prensei Isa bem forte contra a cama e soltei toda minha gala dentro dela, que gozou junto comigo em um gemido prolongado. Deitei ao seu lado, suspirante, viramo-nos um para o outro e juntamos nossas mãos, entreolhamo-nos e demos mais um beijo, mais romântico e sincero este.

-Eu te amo muito,,, - ela disse. - você é a melhor coisa que já me aconteceu...

-Eu que devo agradecer, eu nunca amei alguém como amo você...

Ela se aproximou e deitou sua cabeça em meu peito, ficamos ali por mais algum tempo, em um momento muito precioso pra nós dois.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
12/08/2019 19:40:49
Bom hein, corno
24/11/2018 00:25:14
Perfeito. Tudo na medida certa. Só a putinha que com certeza voltou para casa com outras "medidas". Muito Mais alargada!!!
Lx-
01/06/2018 22:36:11
Muito excitante! É muito bom ser corno manso. Aproveita que muitos homens têm esse sonho mas poucos realizam. Quando puderes, leia os meus relatos das aventuras de minha esposa com seus comedores fixos.
08/05/2018 15:22:52
Uaaau!!! Muito bom!!!
06/05/2018 08:21:46
Conto maravilhoso..quero contatos com comprometidas...namorando...noivas e casadas....whats (Vinte dois )nove,, noventa e nove, treze, treze...aguardo
06/05/2018 04:56:07
Eu adoraria ter tido uma namorada assim, hoje com 59, já sou o homem mais feliz do mundo com uma esposa assim. Boa sorte, e não deixe uma preciosidade dessas escapar, além de putinha , magrinha, seios pequenos e durinhos, raro, MUITO RARO MESMO hoje em dia.
06/05/2018 04:14:57
Sim, ela ti ama. Ela ama que vc deixa ela dá pra outro rsrs