CÚMPLICES? 3

Um conto erótico de AlexBahiaContos
Categoria: Grupal
Data: 30/04/2018 21:37:01
Nota 10.00

MELISSA: - engraçado os homens. Aquele grupinho ali estava na dele enquanto nos estávamos acompanhadas. Por coincidência nossos maridos saíram juntos e aí já viu, fica aquele “buxixo” sobre Nós e os olhares típicos de um bicho com fome para a presa.

LAURA: - verdade.

- me desculpe se estiver errada, mas já nos vimos antes em algum local.

MELISSA: - tive esta mesma impressão desde quando chegaram. E já tinha lembrado, na verdade já tinha até comentado com Roger.

- já os vi em Guarajuba.

LAURA: - isso! Temos casa lá.

- eu sou Laura.

MELISSA: - Melissa, mas todos me chamam de Mel.

- olha eles aí.

Roger e Melissa também estava no camarote, na mesa ao lado. Ambos eram negros, e assim como Laura e Alexandre, formavam um casal que chamava atenção por onde passava pela beleza e simpatia.

A interação do casal foi muito boa. Se divertiram bastante e saíram da festa com o compromisso marcado de se encontrar mais vezes e estreitar a relação de amizade que se iniciava ali.

O retorno para casa de ambos os casais foi de muita conversa sobre o outro. No caso de Alexandre e Laura, o início daquela amizade serviu de combustível para uma mudança total em suas vidas.

Em casa, depois de um banho, o casal iniciou uma conversa que por muito tempo foi evitada e o tesão aflorado pela nova amizade foi a deixa necessária.

ALEX: - vai passar agora. Vem aqui ficar juntinho de mim.

LAURA: - ah amor, a beleza tem seu preço. Estou doída para ficar aí juntinha de você, mas sei que você adora minha pele macia e sedosa. Isto é fruto desse creminho milagroso.

Ambos eram muito preocupados com a aparência. E isso se dava em função de um querer agradar o outro. Não eram fúteis, colocando a beleza como algo primordial, mas para eles fazia parte de uma engrenagem.

Alexandre viajava nas curvas da esposa. Após o banho ela saiu do banheiro com um roupão branco e ficou ao lado da cama passando creme hidratante nas pernas, já que tinha esquecido de passar no banheiro.

- está me olhando com uma cara de fome. Parece que viu uma presa.

Nessa hora Laura lembrou da nova amiga. A interação fluiu tão fácil que a intrigou, pois não era algo comum entre eles. Ambos já tinham se decepcionado no passado com falsas amizades e o pé atrás com relação a novas pessoas era grande, mas com Mel e Roger foi o contrário.

ALEX: - que coincidência hein. Eu num momento tinha percebido de onde eram, mas como eles estavam muito na deles evitei algum comentário.

LAURA: - que casal bonito!

ALEX: - verdade. Ela é uma mulata muito bonita. Tem porte... Muito bonita.

LAURA: - hummm! Gostou hein.

ALEX: - assim como você gostou também de Roger.

Laura se sentiu incomodada com a colocação do Marido. Mas era verdade, o casal a atraiu bastante.

- que foi?

LAURA: - nada.

- me atraiu mesmo. Simpáticos, bonitos, bom papo e ....

ALEX: - e?

LAURA: - amor, você não percebeu um clima diferente entre todos Nós?

ALEX: - acho que existia ali um jogo de sedução. De forma bem simplória por conta de Nós.

LAURA: - mas se a gente desse corda poderia...

Laura se sentiu mais à vontade para falar de seus desejos mais contidos.

- amor, em alguns momentos que ficamos sentados, Mel insistia em tocar minha perna. No início achei muito avançado, tirei num primeiro momento e depois numa segunda tentativa deixei. Era um toque de leve, mas em outros momentos vinha uma pegada mais firme na coxa. E ela me falou do nada que quando bebe fica com coragem de dizer e fazer muitas coisas.

ALEX: - eles nos paqueravam abertamente. Era fácil perceber ele te olhando discretamente e ela a mim. E era gostoso tudo aquilo.

- interessante é que era visível mas nós em momento algum repulsamos, ao contrário..

LAURA: - verdade. Mel com aqueles toques e pegadas em minha perna me ..

ALEX: - te excitaram.

LAURA: -aí amor, é tão difícil para mim. Dias atrás conversamos sobre casas de swing, o próprio swing e ao mesmo tempo que me excitou e tivemos uma noite de sexo maravilhosa, também me preocupei imaginando como ficaria minha imagem para você.

ALEX: - amor..

LAURA: - deixa eu falar.

- excita, mas estar com outro cara fazendo isto ou aquilo na sua frente é demais. A minha imagem de mãe, esposa pode ser manchada..

ALEX: - mas não é melhor você fazer me tendo como seu cúmplice, do que às escondidas. E aí sim serei um corno.

- posso estar ali contigo, vendo um cara te pegar de jeito. Vendo você chupar outra rola, mas em nenhum momento me sentirei corno. Seremos cúmplices em aventuras, desejos e realizações. E da mesma forma será se eu estiver com uma mulher.

LAURA: - você fala como se fosse fácil.

- e outra eu nunca pensei em traição....

ALEX: - amor na boa. Eu estou adorando o rumo dessa nossa conversa, pois me deixava pirado o que você sempre fez. Desde quando iniciamos nossa relação uma coisa que a gente sempre fez foi a bendita “DR”. Que para Nós sempre serviu e muito. Porém sempre que o assunto tendia para o sexo você fugia.

- amor eu tenho consciência de que não te realizo sexualmente. E isto me provoca calafrios.

- aliás vou confiar em você. Me falou muitas vezes que faço você gozar gostoso, mas amor não estou completando o todo. Está ficando algo em aberto e isso me preocupa.

Laura se assustou com o que ouviu.

- não é fácil te dizer isto. Soa para mim até certo ponto como um atestado de incompetência.

LAURA: - amor eu nunca falei para Ti que não gosto..

ALEX: - já. Por duas vezes. E nas duas estava bêbada. E quando está desta forma toma coragem e fala muita coisa que a esta incomodando.

LAURA: - não amor!

Laura ficou estarrecida com tal revelação do marido.

ALEX: - uma vez reclamou que faltava algo em mim para te fazer gozar gostoso e na outra reclamou do meu pau.

Laura começou a chorar.

- aquilo aqui no fundo sempre me incomodou, mas como sempre foi uma esposa e mãe maravilhosa ficava sem jeito de questionar você sobre isto.

- Laura, eu te amo! Eu não me vejo sem você. Eu amo nossa vida. Desde que estou com você eu nunca te trai.

LAURA: - eu também nunca te trai.

No momento que falou isto veio a mente “Gustavo”, e aí seu choro, como que automaticamente, aumentou.

ALEX: - ei, calma. Estamos conversando. Tenha certeza que isto vai nos ajudar muito.

LAURA: - eu te amo!

ALEX: - sinceramente não duvido. Mas sei separar o amor do sexo. Acho que fomos atingidos pela rotina.

- interessante que nossa vida pessoal não tem nada de monótona. Mas..

- amor, muitas são as mulheres que por diversas questões estão perdendo o apetite sexual. Em outras é o contrário.

LAURA: - ei, sexo não é tudo para mim.

ALEX: - eu sei. Mas você gosta. Sempre deixou isto bastante claro para mim desde o início.

LAURA: - você conversou com alguém sobre isto.

Laura desconfiou pois a conversa batia com tudo que tinha falado para Irmã.

ALEX: - prefiro falar com você primeiro sobre coisas relacionadas a Nós. Se comentou com alguém não a recrimino pois faz bem. No meu caso é porque é uma coisa minha. Não me sinto à vontade de falar com outros minha vida pessoal.

LAURA: - você está insatisfeito com nossa vida sexual?

ALEX: - te sou super sincero. Não, mas tenho medo dessa inquietação e frustração também me atingir. Eu te amo, e não adianta estar bem e minha companheira não.

LAURA: - amor você fala de uma forma como se nada prestasse. Mas não é nada disto. Gosto do nosso sexo, mas..

- meu Deus que vergonha!

Laura voltou a chorar. Era muito difícil se abrir sobre aquelas questões para o marido. O amava e saber que tinha o magoado com palavras a deixava com um peso muito grande na consciência.

- parece fácil mas não é. Fui criada com muito amor por meus pais. Mas de forma rígida em termos de princípios. Aí imagina. Eu chupando...

- fazendo sexo com outro na sua frente. Isso é demais! Por mais que venha a gostar e a gozar loucamente é complicado.

ALEX: - eu tenho muitos desejos e fantasias. Comecei a ler sobre a saída para rotina sexual em casais, e muitos enveredaram para o swing. E você já viu também. São pessoas esclarecidas que fazem com consciência aquilo.

- só de imaginar. Sabe, é um misto de emoções.

LAURA: - você imagina muito eu com outro cara?

ALEX: - não digo a você que é uma constante. Mas já sim.

- Laura eu quero acabar com essa ponta de insatisfação que tem em você.

- prefiro estar junto de você a te perder.

LAURA: - nunca!

ALEX: - mas se isto tudo continuar, a brecha vai continuar existindo. E será uma porta tentadora a ser ultrapassada.

LAURA: - você também tem suas vontades. E existe também esta porta para você.

ALEX: - gosto muito do sexo. Adoro gozar, mas o que temos me satisfazia. Te sou sincero mesmo.

- mas quero que nós estejamos satisfeitos.

- imaginei algo entre nós e aquele casal. São bonitos e combinam muito com nós. Aquela postura deles deixou a entender algo.

LAURA: - se excitou?

ALEX: - até agora quando lembro deles, termino por imaginar safadezas sendo feitas por Nós.

LAURA: - imagina o que?

ALEX: - me responde uma coisa primeiro.

- pensou num algo a mais com eles?

Laura estava sentada a frente do marido e este num gesto rápido abriu o roupão da esposa.

- fala para mim.

Alexandre tocava os dois seios da esposa. E de forma firme levou a esposa a gemer.

LAURA: - aí amor! Você me deixa louca com suas ideias.

- ahhhh!

ALEX: - vem cá.

Alexandre deitou e trouxe a esposa para cima dele. Laura agora estava sentada na boca do marido.

- que boceta gostosa!

LAURA: - ahhhh, boca gostosa.

- você chupa tão gostoso. Ahhhhhhhhhhh!

ALEX: - sua boceta está ensopada. Delícia!

LAURA: - aí amor estou lembrando de Mel. A muito tempo eu.......ahhhhhh.....não curto uma .....ahhhhhh safado.

ALEX: - queria que ela estivesse em meu lugar?

Alexandre levava sua esposa ao delírio com aquela chupada. E ela imaginar que ali junto a eles estava sua nova amiga servia de combustível para o aumento de seu tesão. Lembrava dos toques ousados da mulata bem como da troca de olhares dos casais.

LAURA: - sinceramente......ahhhhnão.

- tá uma delícia essa......ahhhhhhhh!

- imaginando ela aqui do lado.

ALEX: - fazendo o que?

LAURA: - não para de chupar. Chupaaaaa! Ahhhhh!

- caralhoooooo!

- até xingar em casa você me faz, gostoso.

- euuuuuuu, eu,.....chupa amor, chupaeu vou gozar na suaahhhhhhhhhhhhahhhhhhhhhhh.

- loucura!

ALEX: - delícia!

LAURA: - chupa porra! Nãoahhhhhhhhhh! Ahhhhhhhhh!

Alexandre chupou sua esposa até ela urrar de tesão com uma gozada deliciosa. A vontade era gritar, mas como estavam em casa se conteu.

- amoooooooor!

Laura caiu ao lado do esposo extasiada com a gozada que ele lhe proporcionara.

- não amor. Não toca nela. Esta dando choquinho. Ahhhh! Deixa eu respirar.

- meu Deus! Que boca gostosa!

O casal se olhou, mesmo com o tesão imperando, com ternura.

- eu te amo!

- eu te amo!

ALEX: - sua boceta estava uma delícia!

LAURA: - me promete uma coisa.

ALEX: - fala.

LAURA: - chama ela só de boceta, xota. Esquece pepeka.

ALEX: - você que me reprimia quando assim chamava.

LAURA: - mas agora chama à vontade.

- e isso aí duro assim.

- está assim por mim é?

ALEX: - sempre.

- morro de tesão em você, meu amor.

LAURA: - me fala amor, você esses dias revelou que ainda bate muita punheta. Bate só para mim?

ALEX: - sei que vai falar que não, mas bato para você. Agora claro que estamos envolvidos em muitas situações e em algumas delas ...

LAURA: - eu chupo, eu sento, eu gemo recebendo outra pica em minha boceta.

Aquela forma de falar da esposa deixou Alexandre louco. Seu pau latejava e babava cada vez mais de tanto tesão. Aquela forma de se portar da esposa era a realização de um desejo antigo.

A morena recuperada passou a bater uma punheta para o marido.

- loucura tudo isto amor. Tenho me transformado.

ALEX: - isto é bom?

LAURA: - me preocupa. Mas...

Laura passou a chupar o esposo.

ALEX: - desde que sejamos cúmplices não tem porque se preocupar. Sempre foi e és uma esposa maravilhosa. Não tenho nada a reclamar, apenas a agradecer.

- tenho falhado contigo.

LAURA: - para com isto. Eu te amo!

ALEX: - não questiono seu amor. Mas quero você satisfeita, nem que para isto passe por cima de meus ciúmes.

- não pense que é fácil.

- ahhh!

Laura apertava, masturbava e acariciava o pênis do marido de toda forma, deixando-o louco.

LAURA: - seu louco! Você está me deixando cada vez mais putinha erola deliciosa!

A morena chupava com vontade o pau do esposo. Engolia seus 14cm facilmente.

- você vai deixar amor eu chupar uma rola maior que a sua?

ALEX: - estando com você sim. Aaaaahhh!

- como você chupa gostoso.

LAURA: - mas amor, depois de chupar eu vou ser obrigada a sentar, quicar......

Falas eram intercaladas às chupadas.

- deixar ele me comer.

Laura agora sentava na pica do marido.

- ahhhh!

- promete que nada vai mudar e...

ALEX: - fode Laura!

A posição permitia que Alexandre chupasse os seios da esposa e numa postura mais autoritária a pegou pelos cabelos, ao mesmo tempo que deferia tapas em sua bunda, que a levavam à loucura.

- fala pra mim. Quer sentar na rola preta de Roger quer?

LAURA: - se você deixar eu sento.

ALEX: - safada!

- você vai fazer tudo isto aqui nele. E vai rebolar bastante naquela rola.

LAURA: - será que a dele é grande, como você quer?

ALEX: - deixa de onda. Você deve saber que sim. Já os viu na praia.falou mais cedo até dos corpos deles, então deu uma olhadinha...

LAURA: - parece que é, amor. Vou descobrir muito....ahhhhhhh......ahhhhhhh.... gostoso. Vou saber muito em breve.

ALEX: - agora você sabe que eu vou foder bem gostosa aquela mulata tesuda, né?

- chupar aquela xota, aqueles seios...

LAURA: - não! isso não!

ALEX: - oxente!

- esperta você. Pode dá à vontade e eu.....

LAURA: - você não, amor.

Laura mudou completamente quando Alexandre falou que iria também se divertir com Mel.

- eu não vou conseguir te ver dando rola e chupando a boceta dela.

ALEX: - vai sim. Vamos nos divertir todos juntos.

- você vai sentir o mesmo que eu. Tesão e ciúme.

Mudaram de posição e agora com a esposa de quatro, Alexandre metia sem dó levando-a sentir prazer e ciúmes ao imaginar a amiga com o esposo.

- vou meter assim. Ahhhhh!

LAURA: - safado!

- me fode vai que tá tãoahhhhhhhhhahhhhhhhhh.

- caralho!

- você quer comer aquela......ahhhhque gostoso. Você está tão gostoso amor.

ALEX: -ahhhhh!

- vou gozar amor. Vou gozar!

LAURA: - goza agora....agora....

ALEX: - ahhhhhhhh!

Como estou iniciando na arte de escrever contos, gostaria que você leitor além de deixar sua nota, deixasse suas impressões. Me ajuda a buscar fazer o melhor.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
18/05/2018 18:58:06
Se só a proximidade do outro casal aumentou tanto o fogo, imagine então se Alex e Laura realizarem mesmo suas fantasias. Passo esse que imagine seja muito difícil. Eu mesma, quando casada, achava que era impossível separar sexo do amor. Hoje, pela profissão que exerço, vi que uma coisa nada tem a ver com outra. Como crítica, fica a sugestão de sempre, antes dos diálogos, fazer num parágrafo, breve explicação de quem são os personagens, ainda que repetidamente. De qualquer modo, está muito bom. Grata pelas visitas nos meus. Nota dez e beijocas.
07/05/2018 18:04:33
Alex!... Que máximo! Gostei do teu estilo de narrar, tudo através de diálogos muito bem elaborados. Até aqui bem envolvente, despertando a vontade de saber até onde vai essa cumplicidade desse casal, agora com o outro casal. Dez pra você... Tenho contos aqui e se você comentar, eu vou ficar bem feliz. Bjs=-)
05/05/2018 06:44:30
Excelente, os diálogos são muito envolventes, você escreve muito bem! Parabéns!
01/05/2018 10:23:49
Não me recordo mais das outras partes e como eles foram parar num bar. É o que dá longo espaço de tempo para publicações de uma parte pra outra
01/05/2018 04:44:23
Excelente conto continue