ORA, BOLAS! CLARO QUE SÃO “KARAM,BOLAS”- 2/3

Depois das “KARAM,BOLAS”, ficarem totalmente babadas e desbravadas pela boca faminta de Pacheco, eles pularam na cachoeira e Karam, tomado por uma nova sensação, que era confusa para ele, mas também inevitável, montou o advogado dentro d’agua e com sua fera interior despertada por Pacheco, sem dó cravou-lhe num só golpe a rola no cu, retirando não só o cabaço do Dr., como diversos urros, que ao longe podia-se ouvir. Eram gritos de dor, mas principalmente de tesão, pois quanto mais fundo seu reto abrigava a jeba de Karam, nais o safado, pedia mais, urrava e pedia mais:

- Mais fundo, tesão!!!!!!!!!!!! Bem mais no fundo, macho!!!!!!!! Me arrebenta na cabeça desse cacete, hoemem!!!!!!! Huuummmmmmmm!!!! Delííííííccciiiiiaaaaa, patrãozinho!!!!! AAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII!!!!! Arranque todas essas pregas , que pedem a anos, para saírem desse rabo !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Socaaaaa!!!!! Soooooccaaa tuuuudoooooooooooo. Seu gostoso!!!! E essa ‘frutonas “ que tem!!! Isso é que são Karam, bolas!!!! A cada estocada que dá em meu cu, sinto uma porrada pesada, maravilhooooosaaaaa nos fundilhos, dada por esses frutos suculentos e roliços. Hummmm!!! Que delícia esses seus bagões, macho. UUUiiiii!!!!!!

_ Está me provocando, Pacheco!!!!! Quem mexe com fogo, acaba queimado, safado!!!!! E estou pronto para incendiar sua grota, recém descabaçada!!!! Ôôôhhh cuzinho que era apertadinho esse seu, macho!!! Hummmmmmm!!!!! TOMMMMAAAAAA MAIS. Tommmaaaa!!!!

Aproveite, como quiser, porque quando for minha vez, huuummm!!! Ischhhh!!! Não terei piedade de ti, macho. Huuummm!!!! Uuiiiiiiii!!!!! Teeessãooooo!!! Meu caralho, mandou lhe dizer, que vai te rachar em dois, já, já. É só esperar, safado!!!!! Commmmeeee!!!! Commmme!!!! Atola tuuudooooo, puto!!!!!! Vai ver quem é o incendiário por aqui. Não é atoa que quando estive na Itália, meu cacete foi apelidado e batizado de “Imperador Nero”, ele não só Incendiou as xotas das romanas, como queimou as bucetas das italianas. HUmmmmmmm!!!!! Continuuuuaaaa maaaaachooooo!!!! Continua enfiando e estocando essa rola, e me aguarde!!!!!!! Ischhhhhhhhhhhhh, AAAAiiiiiiiiiiii, delícia!!!!!!!!

_ Pago pra.... praaaaveeeerrrr..... Este pirulitinho que tem, não deve acender nem fogão, safado!!!!!!! HUmmmmm!!!!!!!!!! Isschhhhhhhhhhhhhh!!! Toma, macho!!! Toma putinho!!!!!!

_ Ahhh está com medo, Karam? Por isso está tentando me desencorajar? Sem chance, já já , vai experimentar , meu “pirolitinho”, no cabaço> É só aguardar mais um pouquinho, tá? Hummmmmm!!!! Ischhhhhhhhhhhhhh!!!!

- Deve estar com as virilhas roxinhas, de tanto que elas são castigadas pelo meu sacão escrotal. Hummmmm!!!! Rebola nenên!!!! Rebola!!!!! Huummmmmmmmmmmmmmmmmm1111, Ischhhhh!!!!! Aaaa-c-c-h-o-o, que esto......uuuu, goooozzzaaaaaaaaaaaaaaannnnnndddoooooooooooo!! AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII!!!! Ôôôôhhhhhhhhh C-O-I-S-AAAAAAAAAA BBBOOOOOAAAAAAA!!!!!

_ Gozou amor!!!!!!!!!!!!!!!! Hummmmmmmm!!!!! Gozou gostoso, bem??????????? Deve ter sido bem bom , pois estou cheinho de leitinho grosso de macho!!!!!! Ischhhhhhhhhhhhhhhhh. Hummmm!!!

- Huuummmmmmmmm!!!! Posso tirar a rola do seu cu? Ou vai gozar com ela dentro? Aproveita que mesmo gozando o bicho ainda está tinindo de duro!!!! E, aí quer que eu tire, pra gozar com ele na goela, ou quer rebolara nele até esporrar?

- Do que você está falando? Agora é a vez de seu buraquinho suar, patrãozinho!!! Acha que é assim? Que me come e racha fora? Engano seu, macho””” Agora vai sentir o que uma vadia sente, quando encontra um macho de verdade!!!! Tira logo essa porra do meu cu, que vou tirar essa porra depositada no meu reto aqui na água mesmo, e pode ir tratando de subir para a margem da cachoeira, e ir ficando de quatro, poie é lá que vou te montar. Quero te encochar igual cavalo faz com égua. E ai de ti, se não relinchar na tora, minha eguinha.

- ÀS margens da cachoeira, nossa então “égua”, das bolas grandes, de quatro, começava a virar homem de verdade.

Com a cabeça do pau de seu cavalo começando a perfurar seu fundo e virgem precipício, e com os olhos quase saltando do corpo Karam sentia emoções jamais por ele sentidas. Era doloroso ser despregueado nas entranhas, mas o prazer que estava sentindo era tão intenso que camuflava a dor. Mesmo com Pacheco carcando-lhea jeba, sem piedade em sua primeira vez, conforme havia ameaçado, karam dava um gritinho de dor. Para surpresa de Pacheco, que quanto mais aumentava a surra de pica naquele cuzinho recém descabaçado, s´ouvia Karam delirando de prazer.

Nossa, Pachecão!!!!Que coisa mais maravilhosa é esse tal de dar o cu!!! Huuummmmmmmm, macho!!! Se eu tivesse noção do tanto que isso é gostoso, já tinha dado meu rabo a muito tempo!!!!! Seu cacete, até que trabalha direitinho. Mas se for possível, tem como você enfiar mais um pouco dele em mim? O troço tá tão gostoso!!!! Acredito que se entrar mais jeba, mais gostoso vi ficar!!! E tem muito espaço vazio nesse meu reto ainda. Tem mais pau, pra enfiar, não! É só isso mesmo?

- Pooorraaaaaaaa karam!!! O cara que enrabei no passado, não aguentou nem um terço da minha rola. Algumas mulheres já até aguentaram ele todo no rabo, depois de fazerem muito esforço. Mas pedir mais ? Estou besta contigo, homem!!! O jeito vai ser começarmos a procurar discretamente, machos muito bem dotados para saciar esse seu rabão peludo e torcermos par encontrar pelo menos um!!! Cuidarei disso pessoalmente, quando retornarmos. Mas agora deixe-me pelo menos alagar essa bunda exigente, pois também sou filho de Deus e preciso... esssppooooorrrr......RRRRRRRARRRRRRRRRRR Huuummm!!! UUUUiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!

Com a bunda lotada de porra e sem desengatar-se do advogado, Karam, deu outra esporrada. Os dois vestiram suas roupas e continuaram seu destino. A bela e confortável casa de veraneio de Dr, Pacheco.

Durante todo o fim de semana, treparam e conversaram muito. Tornaram-se não patrão e empregado, como amigos e amantes e em uma de suas conversas, Dr. Pacheco sabatinando Karam, sobre sua família, fez surgir em seu íntimo um grande desejo incestuoso, que depois de compartilhado com Pacheco, ganhou ainda mais força, pois o advogado não via nada demais em praticar sexo em família. Ele confidenciou a Karam com riqueza de detalhes suas belas trepadas com sua irmã a alguns anos atrás, que só não acontecem mais devido a sua morte em um acidente terrível, que não deixou nenhum sobrevivente.

Karam também contou-lhe tim-tim por tim- tim, quem era sua mãe, como ela era, e o que com certeza ela tentaria fazer com ele em seu retorno para casa.

Depois de inteirar-se de tudo, o advogado, jurou ajudá-lo, pois com certeza a megera, sendo imprudente e vaidosa como era, rapidamente cometeria um erro que o permitiria não só processá-la, como também coloca-la atrás das grades por um longo tempo, libertando seu pai e seu irmão de sus medonhas garras.

- Quando pretende retornar, karam?

_ Assim que voltarmos para casa. Será apenas o tempo de arrumar minhas malas e receber sua liberação acerca de meus compromissos. Por quê?

- Porque irei com você. Prometo que deixarei tudo organizado e sob a responsabilidade de Oswaldo, em um só dia. Além de ótimo contador e administrador, ele é de nossa extrema confiança. O que acha?

- Ótima ideia, Pacheco!! Reserve o hotel. E não gaste energia tentando procurar outro, pois é o único da cidade e tirando épocas de festas ou quermesses, vive as moscas. Peça o melhor quarto e pague o que for preciso para que nós dois tenhamos conforto durante os dias que por lá estivermos.

_ Quero ainda que compre roupas, sapatos , enfim dois guarda-roupas completos para meu pai e irmão. Não economize. Quero tudo do bom e do melhor para os dois. Enviarei o numero do manequim e dos sapatos deles por e- mail, assim que chegarmos.

Faça as reservas no hotel e tudo que se fizer necessário, em seu nome. Acabo de ter uma excelente ideia, mas para coloca-la em pratica, além de precisar 100% de você precisarei ficar incógnito por uns três dias. Você será meus, olhos, ouvido e boca, nesse pequeno período e se tudo der certo, resolveremos não só o problema de Dona Vera, como libertarei, papai e Max da malvada, de quebra terei os dois em minha cama de uma só vez e se trabalhar direitinho, poderá depois de minha primeira vez com os dois participar de nossas festinhas. O que acha?

_O que acho? Está brincando, comigo, né? Não tenho nem palavras!!

- Quer dizer que, além de continuar metendo com você, que agora é meu marido, vou poder fazer troca com meu “cunhadinho” e Sem neura ? E ainda realizar minha maior fantasia? Me punhetar, assistindo uma bela suruba familiar? Só posso ser o homem mais sortudo e feliz deste mundo!!! Sem receber esse presente incestuoso, já tinha lhe prometido fidelidade eterna, agora então, que compartilharei mais dois machos, registro a promessa até em cartório, doando-lhe tudo que tenho, caso descumpra tal acordo.

_ Pare com esta bobagem Pacheco!! Ainda falaremos amis sobre isso e de mais a mais, não conhece nem Max nem o Sr. Jaime. Apesar de meu pai ser um lindo e másculo homem e de Max ter se transformado também num belo exemplar de macho, podem nação lhe despertar nenhum tesão? Terá que se contentar apenas comigo? Calma, esse assunto mais conversado e acertado depois de resolvermos o que estamos prestes a resolver.

_ Não sentir tesão pelo seu pai e seu irmão. Tirando você por base .....nosssaaaAposto ainda que como você KARAM, BOLA, eles devem ter coisas muito grandes e especiais , prontas para serem valorizadas e utilizadas, por nós dois. Huummm!!!! Iscchhhhhhhhh!! Ahhh. Deixe pra lá.

_ isso é tudo, ou tem mais orientações pra mim, amor?

_ Sim. Para finalizar, quero ainda que compre uma pequena e barata propriedade, o mais longe possível de nossas vidas. É IMPORTANTÍSSIMO, que a casa seja comprada em meu nome. De posse da tal casa, contrate e envie um detetive para a cidade, que comprar a tal casa e pague-o bem, o suficiente para que ele arrume um gigolô bem cafajeste que esteja desesperado para encontrar a próxima vítima. Precisa ser um sujeito muito mal caráter, desprovido de escrúpulos, dominador e que adore dinheiro Mas peça ao detetive para caprichar.

_ O escolhido por ele, terá uma mesada, para ser o sujeito mais filho da puta que puder ser, com a companheira que vou lhe enviar. Quero que ele capriche na grossura, seja muito egoísta, intransigente e bem mulherengo. Aqueles que pegam mulher na rua, levam pra casa, apresentam-nas para as esposas que de bico calado, abrem um enorme sorriso e correm pra cozinha para preparar um lanche caprichado enquanto recebem um par de chifres bem no meio das testas e ficam muito gratas com o enfeite recebido pelos maridos.

- Explique, que se ele, deixar a onça que lhe enviarei beeeemmmmmmm, beeeemmmmmm, mansinha e humilde, de forma que nunca mais morda ninguém, receberá uma bela quantia tão logo termine o trabalho. Se fizer tudo direitinho, de forma que eu não tenha que armar para mandar mamãe pra cadeia, não só ficara livre da peste, como receberá dinheiro suficiente para viver confortavelmente até o fim de seu dias sem precisar explorar mais nenhuma mulher.

- Bom agora que já lhe dei todas as instruções, que gostaria que fossem cumpridas com perfeição na segunda –feira, para viajarmos na terça.

Agora chega de conversa. Vem cá, delícia!!! Vamos meter? Quem vai foder, quem primeiro?

_Poooorraaaaaa, Pachequinho!!!! Nem quis fazer um suspense? Quer é jeba na bunda, né safado? Também, com esse dedo atolado no cu que não para de piscar.... Huummmmm!!!!! Seu desejo é uma ordem. TOOOOMMMMMMMAAAAAAAA, VADIA!!!!!!!!!!!! TOMMMMAAAA NESSE CU PIDÃO!!!!!!!!!!!!!!!! TOMMMMAAAAAAA PUTINHA VAGABUNDA!!!!!!!!!!! TOOOOOOMMMMAAAAAA!!!!!

_________________

Era terça-feira quase de noite, quando meu motorista, estacionou o carro em frente ao hotel reservado por Dr. Pacheco, Assim que estacionamos, uma onda de rancor e revolta tomou conta de mim.

Ali estava eu, milionário, poderoso, bem preparado, forte e acompanhado por um dos melhores advogados do país, retornando a minha terra natal, depois de alguns anos.

Tonto e com ânsia de vômito, devido aquele péssimo sentimento que se apoderar de meu ser, decidi, cobrar da maioria dos residentes daquele lugarejo, 28 anos de sofrimento e angústia adquiridos durante o convívio com os próprios

A Cidade, onde não só nasci, brinquei, cresci e que até meus 9 anos, me enchia de orgulho, não só me humilhou e impediu-me de ser uma criança feliz, como fez o mesmo com Max meu irmão, deveria pagar caro para que não mais machucasse ninguém, principalmente crianças. Estava convencido a fazer o que fosse necessário para localizar, aproximar-me e me vingar de todos, os que um dia mataram a criança que existia dentro de mim. Planos que seriam postos em ação, assim que papai e Max estivessem livres de Dona Vera, e ela longe dali, ao lado do homem que a adestraria, o tal mau caráter que mandei o detetive contratar.

Para tudo sair como eu queria, era preciso um pouco amis de paciência. Cansado e louco por um banho, solicitei a Pacheco, providências imediatas:

- Pacheco, desça e peça-lhes para abrirem a garagem e como não quero ser visto, se vire com uma desculpa ou com gorjetas para que abandonem a portaria até eu subir para o quarto que reservou. Se eu for visto agora, tudo irá por água abaixo. Vá lá, certifique-se que ninguém me verá mais rápido que puder e venha me buscar; Enquanto isso, para reforçar, vou vestir esse sobretudo, chapéu e óculos escuros.

_ Venha Karam! Que povo mercenário e desprovido de inteligência, meu Deus!!

Fiquei até assustado, pois assim que expliquei-lhes o que fazer, imediatamente esticaram as mãos, e quando viram as notas que foram entregues ao carregador, avançaram no coitado aos berros, exigindo suas partes, me impossibilitando de explicar que cada um deles receberia o mesmo valor e antes mesmo que ie pudesse ver onde aquilo ia dar, o saguão do hotel estava mais deserto que o Saara. Que gente doida!!! Venha!!! Vamos entrar.

Apesar de termos reservado todos os quartos de um andar ( para o que eu pretendia, a quantidade de quartos daquele piso( 4) era perfeito), para não ser reconhecido até a hora certa, claro que eu e meu macho Pacheco, ficamos em um só, trepamos pra caralho naquela noite, para aliviar minha tensão. Depois de uma bela foda e devido a nosso cansaço, apagamos e só acordamos com o despertador do celular, que marcava 8:30.

- Pacheco, quero que vá imediatamente à chácara de papai, aqui está o endereço, e faça-o vir aqui, dizendo um comprador de hortifrúti, dono de um rede de supermercados da cidade vizinha, quer assinar um contrato exclusivo com ele. Fale perto de Dona Vera, pois ela fará com ele chegue aqui mais rápido que ima bala disparada.

--Avise na portaria que o Sr. Jaime deve subir assim que chegar e mais importante que isso, deve ser tratado como rei. Dê mais gorjetas e avise aos abutres, que se cumprirem nossas ordens a risca; todos os dias encherão seus bolsos de dinheiro. Espalhe para todos descaradamente, que sou muito rico e generoso com quem obedece minhas ordens. E breve entenderá.

- Quero também que até a tarde seja o “melhor amigo” de mamãe. Se fizer exatamente o que eu lhe dizer, será mais fácil que tirar doce de criança.

- Deve sempre que possível falar sobre sua fortuna. Uma fortuna tão grande que acaba de presentear uma de suas sua ex-mulheres, com uma bela ilha no Pacífico, que comprou muito barato, 80 milhões de dólares dólares. Coloque estes dólares que trouxe com este objetivo e em algum momento mostre uma nota ela, explicando o que ela é e como, tal moeda é mais valorizada que o real, pois com certeza ela não tem a menor ideia do que significam dólares, muito menos já viu uma mota dessas, mas em se tratando de dinheiro , em segundos poderá dar aulas sobre o assunto

- Quero, que se passe por uma pessoa bem distraída e em algum momento, saia de perto dela fingindo esquecer sua carteira, para que a gananciosa dona Vera a vasculhe e se convença estar diante de um dos homens mais ricos do mundo.

Ir ao banheiro e demorar um pouca, para dar-lhe tempo de bisbilhotar a carteira é uma boa ideia!

Durante o dia, elogie-a, beije suas mãos, concorde com todos as asneira que ela vomite e no final da tarde, diga estar perdidamente apaixonado por ela e em dois dias os dois irão embora aguardando os papeis da separação dela com meu pai, que será providenciada pelos seus oito advogados pessoais.

Sei que o que peço, além de desagradável é meio absurdo, mas Dona Vera é tão gananciosa, que quanto mais absurdo for o que lhe contar sobre dinheiro, mais ela acreditará, e preciso que ela fique totalmente em suas mãos a ponto de fazer tudo que andar por mais absurdo que seja. Agora vá logo, poie quero muito ver papai e quando chegar se o que planejo der certo a porta estará trancada. Mas não se preocupe é s[ao primeira vez que não estará presente, ok? Vá logo. Vá!!!

________

Exatamente como previ, pouco tempo depois que Pacheco partiu, o telefone tocou:

_ Sr. Sua visita acaba de chegar. Um distintíssimo cavalheiro . Oferecemos a ele uma faça de espumante, mas sabiamente, devido ao enorme calor ele recusou, aceitando apenas um duplo copo bem gelado de água mineral, que neste momento está terminando de degustar. É preciso acompanhá-lo até seu andar ou devemos apenas orientá-lo a chegar até ai?

- Apenas o oriente, por favor. Obrigado e assim que Dr. Pacheco chegar, distribuirá mais uma gorjeta a todos.

- Muito grato, senhor! Qualquer coisa que desejar, será com a maior satisfação que atenderemos. Afinal pessoa de tão alta estirpe e abonado...., é...., é..... quero dizer abnegado, como vossa excelentíssima, santíssima, riquis...é.... é.... quero dizer, raríssima pessoa, se hospeda em nosso luxuoso e confortável hotel. A propósito, Dr. ....., Srpensando apenas em servi-lo com mais presteza e perfeição, todos aqui no hotel, depois de avaliarmos bem a situação, achamos melhor o senhor se identific.....

TUUUUUUMMMMMMMMMMMMMM!!! Essa foi a resposta de Karam, que impaciente com o atrevimento do gerente mexeriqueiro, emocionado e ansioso para ver seu pai, desligou irado o aparelho, maltratando os tímpanos do fuxiqueiro.

_ Pior para Karam , que antes de terminar de digerir os absurdos que acabara de ouvir do “gerente”, ouviu seu pai batendo a porta e por segundos, ficou petrificado. Não conseguia dar um passo em direção a porta, girar a maçaneta, abrindo-a.

- Assim que saiu daquele estado, completamente desconcertado, a fim de lavar o suor que lhe escorria pela testa, respirar e relaxar pelo menos um pouco, gritou:

- Já vai. Só um minutinho!!!

_ Porém Karam , de tão nervoso, e devido ao fato de estar longe de seu coroa a muito tempo, não acreditou, quando ouviu sua voz, aflita e desesperada, gritado e implorando

_ Karaammm!!! Karaaaammmmmmm!!! É você meu filho!!!! Conheço essa voz, garoto!!! Mesmo que passasse cem anos longe de você, jamais esqueceria sua voz!!!! Abra essa porta.!!! Sei que é você, filho!!!!!!! Que felicidade, meu Deus!!!! É o meu Karammm. O meu menino!!! Karaaaammmmmmmm!!! Por favor, filho!!!!Abre essa porta!!! Kaaaraaammmmmm!!!!!

- Trêmulo e com os olhos marejados de lágrimas, karam corre até a porta , abrindo-a. Pai e filho se reencontram e muito emocionados abraçam-se sem dizer uma palavra. Apenas um nos braços do outro, choravam e matavam a saudade.

Depois de um tempo abraçados, karam pensou: “Estou me arriscando muito, com essa porta aberta. E se um dos mexeriqueiros do hotel, resolvem ficar escondidos num canto desse qualquer e me vê. Pior e se me reconhecer. Não devo arriscar. Vou entrar imediatamente com papai e trancar essa porta.

- Entre papai!!! Entre!! Temos tanto pra falar!!! Venha, tire suas botas e sente-se comigo aqui em cima da cama. Meu Deus, paizinho!!! Quanto tempo!! Deixe-me vê-lo inteiro!!! Ao invés do senhor envelhecer, o senhor virou foi o galã dessa cidade, heim!!!!!!!!!! Continua forte, atlético e esses poucos cabelos grisalhos que apareceram ai nessa cabecinha, lhe deram um charme incrível, coroa.

Já faziam quase 4 anos, que a tia de Karam havia falecido, lhe deixado milionário , mas também o mesmo inocente, sofrido e ingênuo sobrinho que poucos anos atrás, para sua sorte batera em sua porta e cuidara com tanto zelo, até sua partida.

Graças a Deus, e a apenas isso, karam por sorte ou intuição, não se sabe, decidiu, antes de tomar qualquer atitude precipitada, a contratar o advogado de sua tia, Dr Pacheco, que não só o havia transformado num elegante e sofisticado homem de sociedade, como o ajudou, junto com diversos profissionais gabaritados a transformar Karam, numa pessoa mais segura, menos ingênua, capaz de impressionar a muitos nas poucas vezes em que cumprindo compromissos sociais dava o prazer de sua presença. O que também foi incrível, foi sua dedicação e facilidade para aprimorar seu português, aprender e falar fluentemente, inglês e francês.

- O fato era, que para seu pai, que ainda não sabia nem que o filho agora era um milionário, e também sendo o homem simples que era, apesar da sentimento estranho e delicioso que estava experimentando junto do saudoso filho, também estava estranhando as atitudes de seu garoto, Não de uma forma ruim, pelo contrário, a cada palavra saída da boca de Karam o fazia admirá-lo mais e mais, mas também estava deixando-o envergonhado e pois ele não tinha como acompanhar a cultura de seu filho, que não tardou a perceber a falta de garça e jeito de seu pai e com muito carinho e respeito o porque de sua mudança. Enfim contou-lhe tudo, tudo que estar vivendo, deixando para o final, seu relacionamento com Pacheco, que Sr, Jaime ouvia tão atento e interessado , que karam além de excitadíssimo, diante de tanto interesse de seu pai, fez questão de narrar a primeira trepada com o advogado com tanta riqueza de detalhes.

Em seu íntimo, Karam, sem saber porque, tinha certeza que ele, seu pai e seu irmão se tornariam amantes assim que se reencontrassem, o que não esperava, era que além da naturalidade de seu pai diante de sua orientação sexual e do tesão arrebatador que provocara sem eu pai ao narrar sua perda de cabaço, bastou acompanhar-lhe ao banheiro para por lá mesmo, obedeceu ao Sr. Jaime apenas ao ver as KARAM.. BOLAS, antes mesmo de as tocar, pediu ao filho para que fizesse tudo que contou para ele que Pacheco havia feito com ele;

_ Assim que Karam mostrou o banheiro ao pai, acompanhou-o e ao mesmo tempo, ambos tiraram as rolas pra fora, na frente do sanitário e tentavam mijar. Não sei qual mijo demorou mais a sair devido a ereção cavalar dos dois e nem tampouco, qual migo saia amis grosso e barulhento. Só sei que demoraram a terminar de retirar toda a “água dos joelhos, pois o tesão deles era tanto que urinavam um pouco e tinham que parar pois as varas endureciam de novo e só quando vinha aquele incômodo, por estarem prendendo o mijo é que os bichos se abaixavam e permitiam que eles urinassem mais um pouco. Depois desse péssimo exercício, Karam naturalmente abaixa sua calça toda, expondo para seu pai, não só seu cacete, que era de um tamanho normal , mas suas enormes KARAM, BOLAS, que ao serem percebidas pelo Sr. Jaime, perdeu na hora toda sua vergonha e timidez e antes que karam, conseguisse falar algo, tirou tudo, ficando completamente pelado e a mercê do filho. Num só movimento, ele virou-se de costas, oferecendo, um “butão” no centro de uma bunda tão, mais tão cabeluda, que era impossível enxerga-lo. Ao mesmo tempo muito afoito e sedento pela rola e pelas pesadas bolas do filho, apoiou uma das faces de seu rosto nos ladrilhos do banheiro e gemendo pediu, pistola:

_ Filho!!! Fode o pai!!!!! Fode!!! Quero sentir o cabaço do meu toba, ir se despregando na cabeça de sua rola!!!! Huuuummmmm!!! Nossa, karanzinho!! O pai não pode mais esperar, filho!!!! Soca o pau, no cu do pai. Soca, filho!!!! Ischhhh !! bate essas bolonas com bastante força entre o saco e o cu do pai, bate!!!!! UUUIIIIIIIII!!! Que tesão, o pai, está sentindo em você, filho!!!!! Nossa Senhora!!!!!!!!! Aaaaaiiiii, filhinho!!!!!

- Acalme-se papai!!! Vou fazer tudo que quiser, mas primeiro vamos nos lavar para ficarmos bem cheirosinhos e também par conseguir lhe atolar a jeba, tenho que dar uma pequena depilada nessa sua rabona peluda, pois o coitado está completamente sumido no meio dessa magnífica mata. Também se ficar machucado, não poderei traçar-lhe a bunda, como desejo, pois assim que a cabeça de minha jeba começar a desbravar seu matagal, será toda retalhada pelos seu grossos cabelos, e o senhor vai ficar a ver navios. É isso que quer? Mas não se preocupe pois só trepo com machos, e para mim nada é mais masculino e me tesa amis que que homens peludos. E mesmo se eu usasse toda minha imaginação conseguiria imaginar a beleza que acabei ver diante de meus olhos. Acredite, papai, o senhor pra mim é o homem mais delicioso, másculo e lindo que já vi ou verei.

- Ôôôô filho!! O pai vai morrer de contentamento!!! Agradeço muito, mas com certeza está muito, muito, enganado, pois assim que bater os olhos em Max, seu irmão, passarei fácil, fácil, imediatamente do 1º lugar, para o segundo. Além de todo cabeludo, o danado tem uma mandiocona de dar inveja, toda vez que via seu irmão pelado, ou que ele me abraçava, ou me relava eu sentia um calafrio e uma coisa muito gostosa, que agora sei o que é. Mas o danado vive pegando mulher e as danadas vivem lá em casa atrás dele. Acho que aquele ali com a fartura de mulheres que tem nunca já se interessar em homens. Imagina, filho, nós três numa “fudelança” boa, heim!!!! Enquanto dou para você, ele te come, depois enquanto você engata o ferro nele eu de uma só vez, engato meu cu na rola dele!!! Ufa!!! Vamos parar senão fico desejando o que acredito que nunca vai acontecer.... Bom, mas você delicia vai tirar a virgindade do cu do pai, não vai?

_ Sério, pai? Não sei se mesmo diante de tanta beleza como o senhor está dizendo, ele vai me dar mais tesão, que o senhor. Mas uma coisa posso lhe assegurar, amanhã mesmo, estaremos os três engatados aqui neste quarto de hotel, e não voltarão pra casa amanhã, foderemos a noite toda e além da promessa de que meu irmão vai meter conosco, depois que nós três estivermos bem saciados, terão uma bela surpresa, ok? Agora vamos abrir caminho nessa bunda, par nossa felicidade.

_ Se tem que dar uma desbastada em minha bunda, onde é que eu posso arreganhar a cabeluda, para você fazer o trabalho? Mas filho, isso já chega até a ser maldade com o pai. Te imploro, raspe logo esse brioco e esquece esse negocio de tomar banho. Bom mesmo vai ser sentir seu cheiro de macho exalando nesse quarto enquanto eu sofro na sua rola. E com certeza assim que meter a boca no meu cuzão peludo, e sentir não só o cheiro do bicho como o sabor do suor que devido a piscação do danado, está minando sem parar e escorrendo pelas minha pernas abaixo, acho muito difícil, querer tomar banho antes das nossa trepadas,

- Com as costas apoiadas no fundo da banheira, a bunda toda pra cima, seus braços segurando as pernas bem arreganhadas e com a Mata Atlântica de cabelos totalmente exposta e pronta para ser arada, comecei a poda. Assim que meu dedão, começou a procurar o precioso anel, sumido a anos naquele infinito capilar, e o achou, comecei a bombardear aquele território nunca antes com jatos grossos e fartos de cuspi, pois sabia que aqueles crespos e fartos cabelos a seco, jamais se curvariam permitindo a limpeza necessária que findada, exporia o tão sonhado e desejado presente que com tanto amor papai me oferecia e ansiava pela minha conquista.

Menos de 3 minutos depois, com o caminho livre e pronto para tomar de uma vez por todas a oferenda que papai me ofertava, ajoelhei rente a banheira e não só cai de boca em seu buraco pelado, atolando-lhe minha língua o mais profundo que conseguia, como também, as vezes levantava meu corpo apenas o suficiente para dar uma molhada e extensa lambida, que começava em seu cu e só terminava na cabeça de sua rola grossa e escura.

Eu e papai também saboreamos muito, o suor que minava de seu púbis. Depois de suga-lo até encher minha boca, dividia-o com Sr. Jaime, através de babados e apaixonados beijos.

Depois das preliminares, era chegada a hora de me fartar com o parto principal. O tão desejado cu paterno.

Assim que ficamos na posição, que escolhemos, com a cabeça da rol...

CONTINUA ...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
28/03/2018 00:16:39
UM PLANO BEM OUSADO. MAS VEREMOS SE VAI DAR CERTO.