Comendo a madura no motel com o corno

Um conto erótico de marcelo.marmelo
Categoria: Heterossexual
Data: 25/03/2018 14:28:02
Nota 10.00

Olá, já postei outros contos e já havia postado o primeiro conto com este casal que foi quando nos conhecermos e me ganhei uma punhetinha no escritório do corno.

Tenho 42 anos, 1,85m, 82 kg, moreno claro, personal trainer, bom nível intelectual e adoro sexo, de uns tempos pra cá comecei a sair com casais(inclusive iniciei alguns no menage masculino) e sempre recebo elogio dos casais por ter paciência com eles e por respeitar os limites. Sempre achei que o casal que se dispõe a compartilhar um momento tão íntimo e pessoal com uma outra pessoa merece no mínimo respeito e muito empenho por parte do "amigo", muitos são pais de família e/ou não teriam uma boa recepção da familia e até da sociedade, caso soubessem, por isso o sigilo também é fundamental, vamos ao conto.

Recebi uma email de um casal que tinha uns 70 anos ele e 60 anos ela, Edilson é casado mas não tem relações com a mulher que é legalmente casado há muitos anos e para resolver esse problema arranjou uma amante fixa, Marta tem 60 anos, 1,70, loira, magra, branquinha muito simpática e bonita, uma verdadeira Senhora. Nunca havia saído com ninguém dessa idade e no primeiro encontro no escritório dele, ela apenas me masturbou e não parecia muito a vontade então conversei com Edilson que achava que ela não estava muito afim e a pior coisa é sair com alguém que não está no clima. Tentamos marcar algumas vezes mas sempre na véspera ela desmarcava por problemas pessoais, mais uma vez pedi pra ele não forçar nada com ela e o fato de termos nos encontrados não criava qualquer obrigação e eu entenderia.

Edilson sempre falou que Marta era muito fogosa e que haviam se conhecido quando ela tinha seus 30 e poucos anos, passaram um tempo sem contato e voltaram a se ver alguns anos atrás, que Marta e ele já haviam feito troca de casais e menage masculino. íamos trocando mensagens pacientemente até que ele me mandou uma mensagem dizendo que a própria marta queria sair comigo e que dessa vez não haveria furo, marcamos então no escritório dele onde há um sofá para recepcionar os clientes e como nos sábados não há atendimento, fica a nossa disposição.

Cheguei no escritório na hora marcada só que em vez de ficarmos lá, fomos para um motel pois Marta queria aproveitar o momento da melhor maneira possível. Chegamos no Motel e eles já começaram a tomar vinho e cerveja, como não bebo(aliás não tenho qualquer vício) fui direto pro banho e deixei os dois bebendo. Marta estava com um vestido soltinho, devido o calor, com uma sandália anabela e estava muito cheirosa, quando saí do banho os dois estavam sentados na cama se beijando e o marido me convidou a se aproximar, ainda enrolado na toalha me aproximei dos dois e parei ao lado de Marta que já estava bem mais solta, começou a passar a mão nas minhas pernas e puxou a toalha e começou a brincar com meu pau, passava no rosto, dava uma lambidinha e falou para o companheiro "olha meu amor, acho que ele está gostando" e começou a me chupar alternando com beijos ardentes em Edilson, derrepente ela me puxou enquanto ainda se beijavam e colocou meu pau entre a boca dos dois e ambos começaram a chupar. Foi uma sensação diferente, aquele casal maduro me chupando com tanto prazer, mas Marta queria mais, empurrou Edilson pro lado dizendo que já tinha sido o suficiente pra ele que aquele pau era dela e ela ia aproveitar.

Edilson então se afastou e começou a assistir de longe enquanto tomava seu vinho. Tenho um pau normal, uns 17 cm, meio grosso mas nada como ator pornô, sem lubrificação e depois de um tempo sem dar como Marta me confessou, no entanto, pode ser percebido diferente como no caso dela. Marta deitou na cama e coloquei o preservativo mas ao tentar enfiar ela já reclamou da largura, passamos bastante gel dei umas chupadas gostosa na buceta dela e tentamos novamente, dessa vez consegui colocar quase todo mas ela falou pra ir devagar, o pau de Edilson não passava de 15 cm e era bem fino o que causou a diferença (rsrs). Fui aos poucos enfiando e abrindo bem as pernas dela, Edilson não aguentou e me pediu pra filmar somente a penetração sem os rostos e autorizei ele estava com um tremendo tesão e incentivava Marta a receber todo meu pau e ela dizendo que não ia dar, continuei com calma e pedi pra ela movimentar o corpo pra engolir meu pau e assim ela foi fazendo, ela pediu então pra sentar nele pra ter mais controle.

Marta pos mais lubrificante e veio sentando aos poucos até que conseguiu engolir todo meu pau e começou a fazer movimentos leves me xingando porque tava acabando com a buceta dela e que já não era mais não novinha pra aguentar um caralho daqueles, ela estava totalmente transformada e entregue, era um contraste com aquela senhora que conheci e que todos viam na rua, quando vi que ela estava mais a vontade comecei a fuder a buceta dela de baixo pra cima com movimentos rápidos e fortes, a segurei pela cintura puxando de encontro ao meu corpo e fodia com força, ela foi a loucura e começou a falar muitos palavrões, com ela encaixada ainda por cima sentei na cama o que fez o pau entrar ainda mais, então levantei com ela encaixada no meu pau e a encostei na parede, ficquei surpreso com a flexibilidade dela mas ela disse que nunca parou de fazer exercícios, encaixei meus braços nas pernas delas e a desencostei da parede a jogando pra cima e puxando de volta, ela segurando pelo meu pescoço fincava as unhas e me xingava ainda mais porém pedindo mais e dizendo que iria gozar, gritou literalmente falando palavrões, gritando e agradeceu a Edilson por tê-la convencido a estar ali, ela realmente tinha muito tesão, Edilson só incentivava, pedi pra colocar ela de quatro na ponta da cama e ela aceitou, comecei enfiando devagar e a posição fazia com que o pau entrasse de um modo diferente ela ainda com o clítoris muito sensível se tremia toda e pediu pra eu gozar que ela não estava aguentando, peguei ela pelos cabelos com força e comecei a dar uns tapas na bunda, como ela era branquinha, ficaram as marcas dos meu dedos, o marido filmando de trás, acelerei e ela gemia muito e me xingava pedindo pra eu gozar, gozei gostoso.

O contraste da imagem daquela mulher já com certa idade, branquinha, educada pedindo rola e falando palavrões foi realmente um tesão, fui ao banheiro e quado voltei o marido estava esfregando o pau meia bomba na buceta dela, fiquei só observando aquele momento do casal, era um contraste do que tínhamos feito até aquele momento ele fazia tudo mais tranquilo, sem enfiar o pau até o fundo e Marta gozou. Isso é fantástico, da maneira certa e com muito tesão da pra fazer muita coisa gostosa.

Depois de Marta tomar mais vinho Edilson disse que queria ver ele levando no cu, só de ouvir a proposta meu pau já deu sinal de vida, ela concordou mas pediu para ir com mais cuidado ainda, claro que concordei, coloquei bastante gel no preservativo e no cuzinho dela e a coloquei de quatro, o marido começou a beijá-la pra relaxar e comecei a enfiar, parecia que não ia entrar ela pediu para parar e queria desistir mas o maridou continuou incentivando, fiquei parado com a cabecinha encaixada e ela começou a empurrar o corpo para trás, a cabeça entrou e ela deu um gritinho que Edilson abafou com um beijo, ele saiu e foi pro lado dela e começou a acariciar o clitoris dela enquanto eu avançava cada vez mais naquele cuzinho apertado, comecei um vai e vem bem lento, o marido disse que ela sempre adorou um pau no cu e ela só deu uma risadinha, percebi que ela estava a vontade e acelerei mais as bombadas, com a massagem do marido ela já havia perdido o controle novamente e começou a pedir pra eu fuder com força acelerei e entrou tudo até nossos corpos se chocarem e fazer aquele barulho característico ela gozou mais uma vez e disse ue queria que eu gozasse na sua cara e seios. Obedeci e depois de algum tempo bombando com força tirei o pau e o preservativo e me aproximei do rosto dela, gozei e a lambuzei toda nos seios e rosto Edilson se aproximou e a beijou lambendo um pouco da porra.

Foi uma experiência fantástica, Marta me surpreendeu pela entrega, pelo tesão mostrando que o tesão é mais importante do que outros fatores. Se você casal ou mulher de São Paulo ou que esteja por aqui, procurando alguém para dividir momentos de prazer e tesão com sigilo e discrição sem preconceitos e sem vícios me escrevam marcelo.marmelo@hotmail.com, respondo a todos com prazer

.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
31/03/2018 06:30:35
Muito bom!
26/03/2018 05:28:25
Amei o conto e quero ler todos outros. Adoro filmar e fotografar todos esses melhores momentos. Caso interessar é retornar: fotografoliberal@yahoo.com.br
25/03/2018 18:18:51
Delicia de conto.