Casa dos Contos Eróticos

A Mulher do Apartamento 1209

Autor: Aninha_16
Categoria: Homossexual
Data: 16/12/2016 10:32:26
Nota 10.00
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Oi Amigas, hoje vou contar algo que ja se passou um milhão de vezes na minha cabeça, mas ainda não tive coragem de tentar realizar. Eu moro em um condominio de Blocos de Apartamentos, eu Moro no BLOCO D no 6o Andar. Tem uma amiga minha que mora no BLOCO C no 9o Andar. Nesse mesmo BLOCO C tem uma mulher que é enfermeira, ela mora no 12o Andar.

Essa mulher é meu tesão secreto, sempre vejo ela por aí entrando ou saindo com aquelas roupas brancas coladas ao corpo, aqueles seios grandes balançando quando ela anda apressada. Ela deve ter no maximo 30 anos, é branca e loira, deve ter 1,70m e tem um corpão de dar inveja em muita menininha, bundinha empinada e firme, peitão lindo. Procuro sempre encontrar com ela pra poder cumprimentar e trocar um sorriso com ela, mesmo ela nao morando no meu BLOCO eu dou jeito de trombar com ela. Morro de vontade de transar com ela, já bati muita siririca imaginando eu e ela fudendo. No meu sonho seria mais ou menos assim:

Estou no hall de entrada do prédio esperando ela, eu sei que ela saiu pra fazer caminhada e deve chegar mais ou menos nessa hora, eu sei porque ja sei os habitos dela de tanto olhar ela, opa..opa... lá vem ela, suadinha, com as faces vermelhinhas, ela é bem branquinha cabelos loiros lindos, olhos verdes, vem ofegante os seios dela balançando no top de ginastica que ela tá usando. Por falar nisso ela esta usando um topzinho que os peitões parecem que vão explodir de apertados, e a calça... a leg que ela tá usando é apertadissima, não pode estar usando calcinha, a buceta gordinha está repartida ao meio de um jeito que não tem possibilidade de haver uma calcinha ali.

Digo um "oi" toda sorridente para ela, e vejo seus dentes branquinhos lindos sorrindo pra mim, espero ela passar por mim pra ver a bunda, nossa que bunda linda, é realmente não pode estar de calcinha, não há marca nenhuma na calça, só aquele rabão delicioso balançado apertado dentro da leg.

Me apresso em correr atras dela pra entrar junto no elevador, quando entro digo "oi" de novo e quando ela responde dá uma piscadinha pra mim. Nossa meu sorriso agora dobrou, duas pessoas que entraram junto no elevador descem no 3 e continuamos subindo para o 12, eu pucho papo:

- Que roupa linda, pena que não posso usar uma assim

- Obrigado! Porque não pode?

- Sou Evangélica da Assembleia de Deus, minha mãe não compra roupas assim pra mim

- Nossa que besteira, não tem nada a ver... Que andar voce vai?

- Há vou no 9 na casa de uma amiga, mas depois eu deço de volta, vou contigo conversando até o 12

Ficamos assim conversando e eu o tempo todo me revezando a olhar os peitos e a buceta dela repartida ao meio na leg de ginastica. E chegou no 12, ela desce e eu fico olhando com o coração na mão querendo dizer algo, mas sem saber o que dizer, desejando beijar ela, então ela diz:

- Vou fazer um suco, quer tomar um copo comigo?

Caraca não acredito, fiquei paralisada o coração batendo a mil, a porta do elevador foi fechando e ela botou a mão no meio pra não fechar, eu balbuciei uma resposta e sai meio atordoada seguindo ela pelo corredor do predio. Apartamento 1209, chegamos abriu a porta mandou entrar, disse que o marido estava no serviço que eram ambos enfermeiros e ele tava no plantão

Apartamentto lindo, pequeno, mas tudo muito bonito e arrumado, fomos para a cozinha e ela foi preparando o suco e conversando, coletando informações sobre mim, e eu abrindo minha vida praquela mulher linda, hipnotizada por aquele corpo. Tomamos o suco e ela falou que precisava de um banho, e me disse:

- Percebi que voce está olhando bastante para minha roupa de ginastica, acho que voce ficaria linda vestindo uma, como sua mãe não compra pra voce que tal vestir a minha pra ver como é que fica?

- Nossa, não sei, acho que não dá certo, sou mais gordinha, não serve.

- Ela estica, serve sim sua boba to vendo que voce quer, vamos lá, vamos provar

Me pegou pelo braço e me levou pra suite dela, chegando lá fechou a porta do quarto e me levou até a entrada do closet, lá ela se despiu rapidamente e confirmou as minhas suspeitas, não usava calcinhas. Vestia apenas o Top e a Leg de ginastica, mais nada e assim ficou peladinha na minha frente e me deu as roupas mandando vestir. Comecei me despir lentamente, mas não tirei as calcinhas, ela então falou:

- Tira tudo, Não precisa ter vergonha. Tira a calcinha senão fica marcando na bunda, não fica bonito.

Como eu não me mechi pra tirar ela mesma ajoelhou na minha frente e baixou a calcinha até os tornozelos, e encarou bem de pertinho a minha bucetinha lisinha.

- Hummm que lindinha, lisinha igual a minha.

Eu meio envergonhada vesti rapidamente as roupas dela que ficaram muito justas em mim, eu sou gordinha, não muito, mas mais gordinha que ela com certeza, embora de peitão e bundão estamos bem parecidas, ficou justinha em mim. Ela me levou em frente ao espelho do closet e falou,

- Olha só... tá lindona ein.. ficou uma delicia nessa roupa

Eu nao sabia se olhava o meu reflexo no espelho, ou se olhava aquela loira linda peladinha com aquele seios enormes de grandes aureolas rosadas e buceta beiçuda. Nisso olhei minha buceta repartida ao meio e dava pra ver bem saliente o meu grelo que estava duro de tesão. Meu grelo é grande e normalmente fica com a pontinha aparecendo pra fora da buceta, quando estou excitada entao ele fica apontando pra fora dos labios da xaninha como a ponta de um mindinho. Ela percebeu e colocou o dedo por cima da leg e fez pressão no meu grelo sentiu ele durinho e disse:

- Nossa que grelinho grande menina, que delicia.

- Affff... não faz assim que eu não aguento

- Não aguenta é? Porque não aguenta?

- Afff... fico toda molhadinha, fico lokinha pra me tocar

Quando eu disse isso ela me agarrou por tras, passando as mãos por baixo dos meus seios apertou eles me puchando de encontro ao seu corpo, senti os peitões dela se amassando contra minhas costas. Soltei um gemido e senti uma das mãos dela descerem pra minha buceta. Em seguida veio o chupão no pescoço, e a lambida na orelha, aquela lingua molhada passeou na minha orelha enquando eu era amassada e explorada deliciosamente pelas duas mãos daquela mulher. Ela começou a me chamar de putinha e dizer que eu queria aquilo, que eu estava cercando ela faz tempo. Levei minha mão pra tras no meio das pernas dela e senti a umidade que já passava pra fora da buceta. Trouxe a mão na minha boca e chupei os dedos e voltei a enfiar na buceta dela, com isso ela me mordeu a orelha e me chamou de ordinária ou algo assim.

Ela me atirou na cama e veio pra cima me despindo, e quando viu o fio de baba que escorreu de minha buceta grudado na calça dela, não se conteve e caiu de boca no meu grelo. Ela estava transtornada, chupava meu grelo como se fosse arrancar ele, enfiava a lingua fundo na buceta e cuspia nela, cuspia na minha buceta, e esfregava o rosto pra cima e pra baixo, ia do nariz até o queixo e sugava o grelo e enfiava a lingua fundo na minha buceta.

Comecei gemer alto quase gritar e ela ficava cada vez mais feroz na sua chupada, e quando sugou meu grelo com força e enfiou 3 dedos fundo em mim eu gozei. Gozei me retorcendo toda, tendo espasmos na buceta e na barriga, e isso fez ela enfiar os dedos mais fundo ainda, pra sentir minha buceta mastigar em convulsões os dedos dela. Qaundo parei de gozar e suspirei fundo, ela tirou os 3 dedos da minha buceta e cheirou, em seguida enfiou eles na minha boca e eu suguei meu melzinho todo. Ela então caiu de boca na minha buceta e foi sugando todo meu suco e ao mesmo tempo começou a meter o dedão no meu cuzinho.

Ai que delicia aquele dedo grosso no cuzinho, me deu um tesao especial sentir a lingua dela fundo na buceta com o dedão no cu. Ela logo percebeu isso e afundou mais o dedo e girava no meu cu agora chupando meu grelão gostoso e me chamando de putinha e ordinária.

Então ela veio por cima de mim e beijou minha boca, beijo quente molhado, sugando minha lingua e mordendo meu labio inferior com força. Eu agarrava a bunda dela e puxava seu corpo de encontro ao meu. levei a mão no rego dela e fiz pressao com o dedo no cu dela, em resposta a isso ela parou de me beijar e me olhou bem nos olhos, mandou eu abrir a boca e juntou saliva e derramou na minha boca, eu engoli e ela me deu um tapa na cara.

- Quem falou que é pra voce engolir sua puta. Segura a baba na boca pra me beijar

Juntou saliva de novo e se aproximou da minha boca e depositou dentro em seguida tascou um beijo e ficamos assim, nos bejando com aquela baba toda passando de uma boca pra outra. Nosso beijo foi ficando mais loko, juntei saliva tambem e uma babava na outra, escorria pelo queixo lambuzava o rosto todo, uma babeira só, mas eu estava adorando. Ela passou a cuspir nos meus peitos e chupar e morder os bicos, cuspia e esfregava a cara neles e em seguida mordia e chupava forte.

Fizemos 69 e fudemos o cu e a buceta uma da outra com os dedos até as duas gozarem gritando, depois disso ela me deu um tapa na cara e mandou eu me vestir e ir pra casa. Que quando eu quisessse ser a putinha dela, era só vir procurar.

Comentários

26/12/2016 13:36:22
Super excitante...me deixou molhada também
21/12/2016 18:18:29
Maravilhoso! Sempre sonhei em namorar uma garota bi cheia de fantasias assim. Parabéns, é 10!
16/12/2016 13:05:27
Nossa Aninha... me molhei td... delicia de conto, vc escreve mt bem. Vc tem algum contato pra podermos conversar melhor? Bjs
16/12/2016 10:57:40
Excelente

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.