Casa dos Contos Eróticos

família liberal, marido corninho.

Categoria: Heterossexual
Data: 20/06/2015 00:10:50
Última revisão: 23/03/2016 00:07:08
Nota 10.00
Ler comentários (11) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Sou casada e vivo com meu marido e uma filha.

Chamo-me Regina, hoje tenho 45 anos de idade, meu marido se chama Roberto, tem 43 e minha única filha, se chama Erika, e tem 21 anos de idade.

Estamos casados a mais de 22 anos, porém, na época que os fatos aconteceram, eu tinha 39 anos de idade.

Tenho um casamento liberal, mas, sei que meu marido não tem amantes.

Eu costumava trepar com um ou outro cara sem compromisso e sempre falava para o meu marido, mas, como na hora do sexo fantasiávamos muito outro homem na nossa cama, ele sempre pensava que eu estava fantasiando quando falava que tinha transado com um outro homem, eu, claro, deixava ele pensar o que quisesse, não desmentia nem confirmava nada, mas, acho que no fundo, ele sabia que eu estava falando a verdade.

Minha relação com minha filha sempre foi muito franca, desde ela ainda muito jovem. Nunca escondi nada dela, ela sempre soube da realidade da vida e começou sua vida sexual ainda muito jovem com um primo (Renato), filho, da minha irmã. Ele chegou ainda inocente aqui em casa e ela seduziu o pobre rapaz.

Na época, ela tinha um namorado chamando Beto, tinha poucas semanas que eles estavam namorando e eu até já tinha perguntado se ela já tinha dado para ele e a resposta foi:

Ela ainda não mãe, mas, pode ter certeza que isso vai acontecer muito em breve.

Há uns seis anos atrás, ela chegou em casa e toda contente falou: Mãe estou apaixonada pelo Beto, dormi com ele ontem e nunca fui tão feliz na cama como fui com ele!

Eu: Você mal conhece esse garoto filha, só porque o menino tem um pau gostoso, você já vem dizendo que está apaixonada por ele.

Ela: Não é só o pau gostoso mãe, ele é muito inteligente, engraçado, cheiroso, ele é tudo de bom.

Eu: Tudo bem filha, mas, você já não está fudendo com ele, então porque não fica só nisso?

Dá gostoso para ele, fode todos os dias, fica com a xoxota ardida, mas, para com esse negócio de dizer que está apaixonada por esse rapaz. Você é novinha, tem muita rola para levar nessa bucetinha linda.

Erika: Talvez a senhora tenha razão mãe, fiquei empolgada com minha noite de amor, a senhora não sabe o que passei ontem à noite, foi uma noite gloriosa, sem dúvida nenhuma, foi a noite mais gostosa de toda a minha vida. O cara me comeu muito gostoso, só de pensar no que aconteceu ontem, já fico molhadinha.

Foi tão assim menina? Você é que está me deixando molhadinha com essa conversa. Conta logo o que aconteceu filha. O que o gostoso fez para você ficar tão empolgada, ele comeu seu cuzinho?

Erika: O cara fez tão gostoso, que terminou me convencendo a dá o cuzinho.

Eu: Foi a primeira a comer essa bundinha linda que você tem filha?

Erika: Foi sim mãe! Já tive oportunidade de dá o cuzinho, mas, sabia que doía e nunca tive coragem, e lhe confesso que doeu pra caramba.

Eu: Então você não gostou de dá o rabinho?

Erika: Não disse nada disso, até que eu gostei, mas, pra entrar foi uma dificuldade enorme, depois que entrou até que ficou bom!

Eu: Conta para a mamãe como foi!

Erika: você é curiosa mesmo mãe, mas, tudo bem eu conto: Fiz depilação intima no salão do Jorginho, (cú e bucetinha), depois tomei um banho bem gostoso e vesti aquela calcinha vermelha de rendinha que a senhora comprou que a minha amiga Marli comprou para mim. Vesti aquele vestidinho preto curtinho que o papai me deu no natal, e um sapatinho preto de salto alto. A senhora precisava ver como fiquei um arraso de mulher!

Fomos jantar, e comi pouco, pois sabia que ia entrar na pica e não queria ficar com o estomago muito cheio. Fomos para o cinema, tomamos uns drinques em uma boate escurinha, (tipo boate de swing), vimos muitos casais se pegando, e até uma mulher pagando um boquete em um cara com uma pica enorme, mas, não fizemos nada com ninguém, só ficamos tirando um sarrinho em um canto do salão. E ele o tempo todo com a mão dentro da minha calcinha, quase gozei com aquele dedo o tempo toda esfregando o meu clitóris.

Implorei pra ele me levar logo pra um motel.

Nunca na minha vida transei tanto, mãe. Já chegamos no motel e ele foi logo tirando aquela rolona grossa e mandado eu chupar. Mal cabia na minha boca de tão grossa que é, nunca gostei de chupar pau, mas o do beto vale a pena, é grosso e tem um cheiro delicioso.

Depois que tiramos a roupa e iniciamos um papai com mamãe, arreganhei as pernas e senti aquela coisa grossa e grande me invadindo, parecia que ia me rasgar toda, mas, minha xoxota estava muito molhadinha e entrou muito apertada, mas, entrou gostoso demais. Fudemos nessa posição por uns dez minutos.

Muitos beijos na boca, delicia pura fuder na posição papai com mamãe e ficar chupando aquela língua grossa de macho alfa.

O cara parecia um tarado mãe, mal a gente gozava de uma trepada, não passava nem dez minutos e ele já ficava de pau duro de novo e me mandava ficar de quatro e metia gostoso como se fosse a primeira foda da noite.

Nunca trepei com um homem tão taradinho como ele!

Até aquele amigo do papai, (o André), não era tão tarado como o Beto. A senhora lembra do André?

Eu: Claro que lembro!

Erika: Dei para ele umas duas ou três vezes. Ele é muito taradinho e demora muito a gozar, mas, nem se compara com o Beto.

Eu: Sabia que você seria igualzinho a mim filha, quando virasse mulher. Desde criança você sempre demorando nos banhos, a mão sempre dentro da calcinha alisando o pepeca, se masturbava até assistindo televisão na sala, seu dedinho sempre cheirando à priquito.

Erika: A senhora sempre incentivou a minha sexualidade, nunca mandou eu tirar a mão de dentro da calcinha, muito pelo contrário, sempre me dando força e até me falando que a masturbação é uma coisa muito normal de se fazer.

Eu: E não é? Masturbação é normal, todo mundo se masturba, é muito saldável a masturbação. Lembra quando você ficava esfregando a xotinha na perna do seu primo?

Erika: Claro que lembro, adorava fazer isso, e ele ficava o tempo todo de pau duro.

A senhora sabia que foi ele quem tirou meu cabacinho?

Eu: Não, eu não sabia disso!

Erika: Foi por causa dele que comecei a usar pílula.

Eu: Vocês dois trepavam o dia inteiro.

Eu era muito jovem e a senhora não sabia que eu tinha perdido o cabacinho com ele?

Você se esfregava com outros meninos também filha, como eu ia saber com quem você perdeu o cabaço, se você não me contou?

Eu: Lembra quando cheguei em casa e você estava de quatro toda arreganhada e ele comendo sua bucetinha.

Erika: Claro que lembro, o pobre só faltou ter um filho de tão assustado que ficou.

Eu: Comecei a ri da cara dele e mandei vocês continuarem com a trepada.

A senhora subiu pro seu quarto e tive que pagar um boquete pro priminho pro pau dele voltar a funcionar.

Eu: vou lhe contar uma coisa, mas, voce não pode falar pro seu pai.

Ela: fala logo mãe.

Eu: você sabia que já dei pro seu primo?

Ela: Serio, mas, quando foi que isso aconteceu?

Eu: alguns meses depois de ter pegado voce metendo com ele?

Ela: e o que a senhora achou do sobrinho?

Eu: O moleque é uma delícia, dei pra ele muitas vezes, ainda bem que ele era jovem, comia nós duas quase todos os dias.

A senhora dava para ele quando eu ia para escola?

Todos os dias quando você ia para escola.

Ela: e porque a senhora nunca me falou?

Eu: tinha medo de você ficar com ciúmes e contar para seu pai.

Ela: Mas, porque não posso falar para o papai? Ele sempre foi seu corninho.

Eu: não falei na época, agora prefiro não falar mais.

Os dias se passaram e a noite meu marido chegou e ficou perguntando o que tinha acontecido, disse que eu estava com uma carinha de felicidade que estava contagiando o ambiente. Sorri e falei que não era nada, ele me olhou sério e falou:

Ele: Nós temos um pacto de não esconder nada um do outro, e você está me escondendo alguma coisa.

Vi que ele estava certo, porque iria continuar escondendo o que tinha acontecido comigo a tarde, do meu marido, ele que sempre me deu tanto apoio em tudo que faço.

Eu adoro usar roupas provocantes, saia curta, ou shortinho, tudo que me deixa gostosa, e meu marido adora que eu saia assim, minhas calcinhas são sempre fio dental, e minhas blusinhas transparentes e bem decotadas, costumo beijar na boca os meus primos e irmãos e até os amigos mais íntimos do meu marido, ele sempre ver isso com naturalidade, e sei que ele fica excitado. Somos casados a mais de 19 anos e nossa vida sexual continua muito gostosa, com muitas fantasias e a nossa fantasia preferida é imaginar outro na nossa cama, ele adora a ideia de ser meu corninho e eu não fico atrás, adoro aventuras com outros homens. Sou uma mulher fogosa e adoro sexo.

Olhei seria pra ele e falei: Tá certo amor, nunca guardei segredos pra você, não é agora que vou começar a guardar.

Encontrei com um ex-namorado, (você conhece ele), é o Pedro, aquele cara que namorava comigo, antes de nós dois namorarmos, você se lembra dele?

Ele: Claro que lembro, quando começamos a namorar vocês tinha acabado de romper, fazia umas semanas.

Pra te falar a verdade, eu dei pra ele diversas vezes quando eu e você estávamos namorando, mas, eu queria me casar com você, você era um cara perfeito pra casar, bonito, gostoso e muito responsável, coisa que o Pedro nunca foi, mas, eu nunca me esqueci da pegada dele, o cara fode muito gostoso. Já até tinha lhe falado, morria de saudades dele, e se um dia fosse transar com outro homem, esse homem seria o Pedro.

Claro que já falamos sobre isso, e sempre lhe disse que se você quisesse trepar com ele eu lhe daria o maior apoio.

Pois então amor, eu quero seu apoio, pois, encontrei com ele no Shopping e depois de alguns drinques e muita conversa fiada, terminamos em um motel e fudemos a tarde toda, estou até com a bucetinha ardida de tanto meter com o Pedro.

Meu marido ficou me olhando como se fosse a primeira vez que eu tinha trepado fora, sempre contei pra ele sobre todas as minhas saidinhas, mas, ele fingia que não acreditava ou acreditava e não queria tocar mais no assunto, e como eu sempre falava muito superficialmente sobre o assunto, ele me beijava e me chamava de safadinha e não sei até hoje, se acreditava ou achava que era uma fantasia minha, mas, dessa vez foi diferente, tenho certeza que ele acreditou, ele me olhou de uma maneira diferente, mais serio, mais nervoso, chegou a tremer, e com cara de quem está morrendo de ciúmes, mas, com o pau duríssimo, o fato do pau dele está duro me fez relaxar, pois sabia que apesar do ciúme, existia tesão em saber que eu estava metendo com outro.

Ele ficou calado por alguns minutos, vi que ele não iria tomar nenhuma atitude violenta ou coisa parecida, e por isso comecei a beijar sua boca chupando sua língua e tocando seu pau, e com um pouquinho de receio perguntei:

Eu: Será que terei que lhe pedir desculpas por alguma coisa errada que possa ter feito.

Ele me olhou nos olhos e falou: Claro que não amor! Você não fez nada errado, sempre te autorizei a fuder fora, você não fez nada errado.

Ficamos nos beijando com muita paixão e eu o tempo todo acariciando o pau dele, que parecia uma pedra de tão duro. Depois de muitos beijos, começamos a transar muito gostoso, ele enfiava dois dedos na minha xota e ficava siriricando, quando eu já estava pra gozar ele pincelou rapidamente na entrada da minha xota e meteu forte, doeu um pouco, mas, foi uma delicia, eu adoro quando um homem faz isso comigo.

Durante a trepada pensei em chama-lo de corninho, como costumo fazer quando estou com muito tesão durante uma transa com ele, mas, fiquei com receio de sua reação, depois das revelações que fiz pra ele, mas, depois de alguns minutos com ele dentro de mim, entrando e saindo com muita força, fiquei com medo dele gozar e me deixar na mão e tomei coragem e falei:

Eu: Meu corninho gostoso mete um pouco mais devagar, minha bucetinha ainda está dolorida do pauzão do Pedro, o cavalo mete muito forte e me arrombou toda.

Ele não falou nada, mas senti o pau dele pulsar dentro de mim e ficar mais duro ainda. Ele intensificou as estocadas e quase fui ao céu, o pau dele estava muito mais gostoso que o do Pedro, não estava mais aguentando, gozei muito no pau dele, ele também não demorou nada pra gozar dentro de mim, e cai pro lado, eu literalmente desmaiei e fiquei alguns segundos parada com aquela sensação gostosa que só quem é mulher sabe o que estou falando.

Pela primeira vez desde que me casei gozei mais gostoso na pica do meu marido do que de um amante qualquer.

Nossas trepadas ficaram mais intensas, mais gostosas, ele parecia que estava com raiva de mim e queria me castigar metendo forte, parecia que queria arrombar minha xota, mas, quanto mais forte ele metia, mais gostoso eu achava. E a hora mais gostoso do meu dia a dia: passou a ser a hora que nós trepávamos.

Já fazia dez dias que tinha trepado com o Pedro, estava fazendo umas ligações pro meu chefe quando meu celular tocou, vi que era o Pedro, pensei em não atender, minha vida sexual com o meu marido estava tão gostosa que até pensei em dispensar a rolona do Pedro, mas minha xota deu sinal de vida e senti-a molhar um pouquinho, atendi e depois de conversarmos sobre diversas coisas banais, ele me convidou pra sair no dia seguinte, eu pensei um pouco, e depois de pensar falei que sim, e marcamos pro dia seguinte.

Quando cheguei a casa, jantei com minha filha e meu marido e depois fomos os três assistir televisão, poucos minutos depois a campainha tocou, era o namorado da minha filha, ela foi recebê-lo na porta e deu-lhe um gostoso beijo na boca, depois ele cumprimentou meu marido com um aperto de mão e ficou sentado juntinho com minha filha no sofá, meu marido saiu e foi pro quarto, minha filha pra me sacanear, ficou pegando no pau do namorado por cima da calça jeans e quando olhava o que ela estava fazendo, ela ficava morrendo de ri, e apertava mais ainda o pau entre os dedos.

Eu sorrindo falei: Você está querendo me fazer inveja putinha, saiba que seu pai nunca esteve tão gostoso de cama como atualmente, e tem também o Pedro, um cara que fez a coisa como ninguém, o filho da puta está até me deixando toda larguinha.

Minha filha caiu na gargalhada e pegando na mão do namorado o puxou para o quarto dela e olhando pra trás me falou: Não esquenta com os meus gemidinhos mãe, essa noite vou gozar muito na rolona do Beto.

Fui para o meu quarto e meu marido estava deitado só de cuecas, lendo um livro. Deitei ao seu lado e o abracei, vi que ele não estava muito a fim de sexo, fiquei na minha e depois de alguns minutos ouvimos os gemidos da nossa filha, (ela sempre que transa geme muito e já estamos acostumados), meu marido sorriu e falou: Essa menina sempre gemi muito quando transa, já estou ficando com tesão, acho que você vai conseguir o que estava querendo, me abraçou e beijou e começou a passar a mão na minha xota, e não deu outra, fudemos gostoso, depois da trepada, abracei ele e falei: Amor, o Pedro me ligou hoje à tarde, ele perguntou se eu queria sair com ele, falei que iria pensar, o que você acha, devo aceitar ou não sair com ele?

Ele ficou alguns segundos sem falar nada depois falou: Você é quem sabe amor, você quer sair com ele?

Eu: Apesar de estar muito satisfeita com nossa vida sexual, confesso que adorei trepar com ele, sim, eu gostaria muito de meter com ele de novo.

Então tudo bem, pode sair.

Beijei-o na boca e disse: Obrigado amor, quando chegar vou dá até o cuzinho pra você.

De manhã fui trabalhar e o Pedro tornou a me ligar, e perguntou se iriamos sair, confirmei o encontro, ouvi o sorriso dele de satisfação.

À noite quando cheguei em casa, me arrumei toda, coloquei calcinha de renda vermelha, tipo fio dental, sainha até as coxas, blusinha decotada, e sapato vermelho de salto alto, claro que dei aquela depilada nos países baixos, deixei a xota bem lisinha.

Meu marido chegou do serviço às 9 horas e 30 min, eu já estava quase pronta pra sair, “diferente do que dizem das mulheres, eu acho que me arrumo pra sair muito rápido”.

Ele: Vai sair amor?

Eu: Falei-lhe que iria sair hoje com o Pedro!

Ele: Claro, eu tinha me esquecido.

Eu: Tudo bem para você?

Ele: Claro amor, já lhe disse que você pode se divertir.

Beijei meu marido na boca e sai e fui direto para o lugar combinado, a praça de alimentação do Shopping.

Cheguei de madrugada em casa, minha filha estava na cozinha só de calcinha tomando um copo de leite.

Ela: Oi mãe, como foi à noitada?

Eu: estou com a buceta doendo de tanto levar ferro, o Pedro não para nunca de fuder, as quatro horas que ficamos no motel ele não parou de me fuder um minuto.

Ela: Não exagera mãe, não exagera!

Eu: tudo bem filha, estou exagerando, mas, ele me comeu muito, a xoxota tá doendo.

Ela: O Beto está ai no meu quarto, quer fazer uma loucura?

Eu: Que loucura menina?

Ela: quer meter com ele?

Eu: você deve está ficando maluca, seu pai deve está dormindo no quarto.

Ela: Ele tomou um daqueles comprimidos calmantes que toma pra dormir, só vai acordar amanhã, aproveita e dá pro Beto, sei que a senhora é doidinha pra dá pra ele.

Fiquei pensando e já muito excitada com a situação falei: Tudo bem, mas só vou se você falar com ele primeiro.

Ela: Deixa comigo mãe, ele vive dizendo que a senhora é uma delicia, claro que ele vai querer comer à senhora.

Minutos depois ela volta do quarto e fala: Pode ir e é melhor já ir peladinha, ele vai arregaçar essa bucetinha mais ainda do que já está arregaçada.

Entrei no quarto da minha filha sozinha e o Beto estava deitado de barriga pra cima com um pau enorme e muito duro. Ele sorriu e falou: Sua filha me falou que a senhora é doidinha pra me dá essa bucetinha linda, vem aqui, senta na minha pica, tenho certeza que a senhora vai gostar.

Um pouco tremula, fui até ele, e sentei na pica ajeitando na entrada da bucetinha, apesar de bem usada há poucas horas atrás, entrou rasgando, acho que foi porque estava muito inchada. Cavalguei um pouco no pauzão do Beto e quando olhei para porta, minha filha estava siriricando a bucetinha. Ele sorrindo chamou minha filha e mandou-a ficar de quatro, depois de me beijar gostoso na boca, ele me mandou ficar também de quatro ao lado da minha filha. Ficamos uma ao lado da outra e ele ficou metendo hora em uma hora em outra, foi uma delícia.

Gozei com as estocadas firmes dele na minha buceta, mas antes de gozar ele tirou para fora e gozou nas minhas costas.

Dormi e no dia seguinte, que era um sábado, resolvi que tinha que contar tudo para o meu marido.

Já era umas 10 horas da manhã quando meu marido, que costuma acordar sedo até no fim de semana, finalmente acordou e eu já tinha preparado o café da manhã.

Ele comeu conversando coisas triviais e só depois de comer e já na sala ele tocou no assunto: E como foi a noitada com o amante ontem amo?

Não vou mentir para você amor, a noite foi maravilhosa. Fomos para um motelzinho na estrada e passamos a noite quase toda transando.

Ele: E foi só isso que aconteceu, não aconteceu mais nada?

Quando meu marido fez essa pergunta eu gelei na hora, vi que ele sabia de tudo, vi que ele sabia que eu e nossa filha tínhamos transado com o namorado dele.

ContinuaContinua.

Comentários

28/10/2017 01:43:17
Maravilhoso
15/01/2017 12:22:32
Nunca havia lido um diálogo tão liberal entre mãe e filha. Uma ensinando a outra os prazeres do sexo, uma delícia de conto. Nota 10.
29/09/2015 18:34:48
Nota 10 sem dúvida
15/09/2015 16:14:38
Realmente merece nota dez, tesão do início ao fim. Parabéns
10/08/2015 09:13:44
Dizem que entre quatro paredes, tudo é válido. Adorei o conto e deu inveja da cumplicidade do casal. Estava torcendo para que a Tereza experimentasse o namorado da filha, o taradinho gostoso. Fiquei molhadinha nessa parte. E Geralda, admiro a sua criatividade e imaginação, ingredientes de uma boa escritora. Enquanto eu escrevo um, vc publica cinco. Parabéns! Bjs.
30/06/2015 11:23:15
delicia de conto Geralda....nota dez!!! fiquei de pau duroooo aqui!!
21/06/2015 01:19:23
Puta exagero adolescente. Mas como conto esta muito bom
20/06/2015 22:10:08
ISSO É UM SONHO
20/06/2015 06:18:42
Fantástico! Parabens, a mulher ideal. Gostei da atitude que voces tem com tua filha!
20/06/2015 02:00:40
Quero uma mulher assim pra mim!!!
20/06/2015 00:11:50
postarei a segunda parte em poucos dias, espero que gostem do conto.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.