Casa dos Contos Eróticos

A historia de uma vida Cap.II -Paris-Londres

Um conto erótico de danmal
Categoria: Homossexual
Data: 07/11/2013 15:50:40
Nota 10.00

Olá, obrigada pelos comentários, fiquei com receio de vocês não gostarem, mas já que gostaram continuemos: Jack é uma engenheira com uma carreira bem estruturada, sócia do irmão numa empresa empresa de transporte solida no mercado, tudo ia bem até uma tragedia acontecer e ela perder o grande amor da sua vida, mas isso é uma outra história, lembrando este conto não é real...beijo meninas.

...Ainda em Paris.

Já eram quase sete da manhã tomei um banho e sai, ela não estava na recepção talvez a visse mais tarde antes de partir.

Andei pela cidade por algumas horas então fui ao Louvre.

Andei pelos corredores, são tantas as obras que estão lá que nem vi o tempo passando, quando dei por mim já eram 3 da tarde tinha que voltar logo para o albergue e pegar um trem, mas primeiro tinha que dar uma passadinha no banheiro. Quando entrei no banheiro... Como poderia ser tenho cabelos curtos, sempre estou de jeans, botas de alpinista e camiseta regata com outra por cima, se esta frio uso uma jaqueta de couro surrada, mas não era o caso, estava usando uma camisa de flanela escura com as mangas dobradas.

Ela me viu pelo espelho, estava lavando as mãos.

-Ei você não está no banheiro errado, não?! – Disse se virando- Ohh! Desculpa eu achei que...

Interrompi - Não se preocupe já me acostumei.

Entrei fiz o que tinha de fazer, quando sai ela já tinha ido, lavei as mãos e fui para o albergue, no caminho parei num café que tinha a beira do rio Sena, fiz um lanche rápido mas não pude deixar de perceber a linda mulher que estava só e olhava o relógio com ar de preocupação, linda mesmo, mas me detive, melhor ir embora.

Entrei no albergue e Anne não estava na recepção, perguntei por ela e a senhora que estava lá disse que ela havia saído, bom quem sabe eu a veria na saída subi direto pro quarto fui direto pro banheiro tonar um bom banho, mal coloquei minha Box, alguém bate à porta, sempre quando eu estou saindo do banho. Era Anne.

- Já que você se vai, porque não uma despedida. - Disse já entrando, e fechando a porta - Quero algo pra me lembrar de você, chére.

Me aproximei dela e com os lábios bem próximos aos dela perguntei.

- E o que você quer, ma fleur.

- Sua boca sugando todo meu néctar.

Começamos a nos beijar com tesão, ela estava com um vestido que foi para o chão com enorme facilidade e pra minha surpresa não usava mais nada, ela me agarrava com força encostei-a na parede e desci percorrendo seu corpo com minha boca ate chegar no seu sexo que estava latejando. Ela estava toda molhada. Comecei a chupa-la como voracidade apertando sua bunda, ela me segurou pelos cabelos esfregando seu sexo na minha cara.

- Pensei em você o dia todo, ah que boca...

Ela começou a gemer e rebolar, puxando minha cabeça pro meio de suas pernas, levei minha mão pela sua coxa e invadi seu corpo, meti dois dedos de uma vez, ela soltou um gemido alto. Ela estava ali encostada na parede comigo ajoelhada no meio de sua pernas chupando seu grelo e penetrando em sua buceta com vontade não demorou pra ela gozar rebolando na minha boca, senti suas pernas bombeando, levantei rapidamente e a segurei beijando sua boca. Ela recuperou o fôlego, me empurrou, vestiu o vestido, me olhou nos olhos, me deu um tapa na cara, um beijo e disse.

- Nunca mais me procure seu pervertido, até nunca mais.

E foi saindo, parou a porta me olhou com um sorriso safado e fechou a porta. Acho que eu fetiche dela.

Por causa disso tive que sair correndo para não perder o trem. Estação todas as burocracias, e cabine, quem sabe dormir um pouco...De repente abre e....a mulher do museu.

- AH! Me desculpe eu devo estar na poltrona errada. A minha é..ahh....essa do seu lado.

-Tudo bem!

-Olha me desculpe mesmo, eu estou envergonhada.

-Não se preocupe eu já estou acostumada.

-Ai, que vergonha, me desculpe mesmo, eu devo estar louca.

Disse sorrindo.

-Qual é o seu nome?

-Joenne, e o seu?!

-Meus amigos me chamam de Jack.Então Joenne se você jantar comigo eu te perdoou.

- Você e sempre atiradinha assim.

-Não!!!que isso, só “to” tentando fazer amizades.

-Então tá.

Fomos para o restaurante, jantamos, conversamos, rimos, ela não ficou nada espantada quando falei que sou lésbica. E tínhamos algo em comum estávamos indo visitar amigos.

Londres.....

continua....

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
07/11/2013 22:32:12
Continua,tah otimo. :)
07/11/2013 22:29:35
Amei *-* continua em ú.ú e nao demora bjs
07/11/2013 18:13:58
To Curtindo bastante teu conto :) Você escreve muito bem!! Continua bjs :*
07/11/2013 17:28:08
Gostei muito achei bem interessando adoro essas coisas de viajens e conhecer pessoas diferentes me amarro nisso!!!
07/11/2013 16:40:18
Muito bom !!!continua..
07/11/2013 16:24:11
Bem legal o conto continua...bjos bjos