Casa dos Contos Eróticos

Vizinho - Olhar e Sedução

Autor: IvoAndrew
Categoria: Homossexual
Data: 09/02/2018 18:44:19
Última revisão: 13/02/2018 12:17:08
Nota 9.71
Ler comentários (7) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Havia me acostumado a rotina da faculdade e aos afazeres impostos por Júlia, uma colega que dividia comigo o pequeno apartamento. Levantava as 7:00, tomava um banho, preparava um pouco de café e começava mais um dia. Devido a algumas reprovações precisei cursar matérias em outros horários o que resultava em passar dias e noites na faculdade.

Em um dia bastante agitado acordei um pouco mais cedo e segui minha rotina diária, coloquei um pouco de café e sai na sacada para dar uma espreguiçada. Foi ali que o vi pela primeira vez, seu apartamento ficava no andar abaixo ao nosso, formando 90º. Pela janela, inteiramente de vidro, podia ver que fazia uma série de exercícios e apesar de estar sem camisa e ter me chamado a atenção acabei não dando tanta importância naquele momento. Porém a convivência no prédio me fez esbarrar com aquele rapaz algumas vezes, fazendo com que eu o notasse de maneira diferente.

Em uma manhã me vi acordando um pouco mais cedo sem ter necessidade, somente para ir até a varanda e ver se ele estava lá, fazendo seus exercícios. Para minha surpresa ele tinha uma rotina regrada, realizava abdominais o que fazia com que não o visse por inteiro. Após algum tempo ele se posicionou em frente a janela ergueu as mãos e iniciou uma sessão de barra fixa. Pude então notar seu corpo que se destacava pelos músculos aparentes, seu abdômen e peito eram lisos, porém existia um caminho de pelos que levava até seu púbis o que lhe fazia parecer ainda mais sexy aos meus olhos. Além disso, tinha uma barba farta e bem cuidada. Num momento de descuido meu olhar se encontrou com o seu e tentei disfarçar saindo rapidamente.

Com o passar do tempo, nossos encontros pareceram se tornar constantes, em lugares inesperados. A sensação de o observar atentamente quando dividíamos o elevador me excitava, mesmo o único contato direto que existia entre nós se limitando ao encontro de nossos olhares em algumas ocasiões. Observar sua sessão de exercícios era algo que agora fazia meio que escondido, mas pude notar uma mudança em seu comportamento, seus movimentos estavam diferentes parecendo que ele sabia de minha presença e se exibia.

“Lucas”, descobri seu nome através de Júlia, a qual me disse ter conversado com nosso vizinho e se mostrava animada com a ideia de ter encontrado um “crush” no prédio. Mais do que isso, descobri que ele também cursava engenharia e tínhamos amigos em comum. Com a convivência, passamos a nos cumprimentar mesmo que com pequenos gestos de aceno ou um simples “bom dia”, mas nossos olhares pareciam devorar um ao outro, por muitas vezes ele me pegou enquanto o observava e apesar de disfarçar era nítido que ele notava.

Naquele dia, tudo aconteceu como de costume, um dia farto e cheio de compromissos e ali estava eu no ultimo horário, ouvindo o professor e pensando no caminho até chegar no apartamento, no banho que me faria relaxar e no quão bom seria deitar em minha cama. 22:40, saio apressado da faculdade e sigo o caminho pela principal avenida, mal havia me deslocado quando um carro para ao meu lado e uma voz pergunta se quero carona. Ao me abaixar para ver quem era o motorista me surpreendo quando percebo que era o rapaz, “Lucas”, meu vizinho. Não havia como recusar, e um pouco sem graça abro a porta e entro no carro.

- Tudo bom? – ele pergunta me estendendo a mão

- Opa tranquilo sim, me salvou cara.

- Que isso, não é nada. Estava tendo aula de quem?

E ali começamos a conversar um pouco sobre a faculdade, criticamos alguns professores que tínhamos em comum e falamos sobre objetivos. Enfim, ele me disse pessoalmente seu nome e também me apresentei, tentando descontrair um pouco comentei sobre a conversa que havia tido com Júlia e do interesse que ela havia demonstrado por ele, rimos juntos, mas ele não se estendeu no assunto. Por um tempo ficamos calados e eu não conseguia olhar para outro lugar se não o caminho a nossa frente.

- Você sempre fica me olhando né? – num só momento parecia que o mundo estava prestes a desabar. – Eu sempre vejo você olhando enquanto malho.

- É verdade, eu treino as vezes e achei legal você fazendo exercícios.

Por mais idiota que parecia ser minha desculpa, ele não a questionou. A partir dali começou uma conversa tediosa sobre academia e os benefícios de se treinar em casa, para minha sorte havíamos chegado na entrada do prédio. Ao estacionar, eu peguei minha bolsa e sem querer meu celular caiu do seu lado, sem pensar muito, apoiei uma mão em sua perna e me abaixei o procurando mediante a pequena claridade. Quando voltei ao meu lugar percebi o que havia feito e rapidamente me desculpei, ele me encarava de uma maneira diferente e calado.

Nossos olhos se encontram e percebo aquele olhar que me atiçava. Eu fiquei sem entender, no momento seguinte tudo se transforma. Ele se aproxima e força um beijo, tento desvencilhar, mas ao perceber que aquilo era real eu retribuo e posso então sentir sua boca junto a minha. Me entrego e me deixo levar pela sensação de o ter junto a mim, minha língua passeava por sua boca e podia sentir seu sabor. Aquela barba me excitava, ao beijar seu pescoço percebo que ele soltava alguns gemidos que me faziam gostar ainda mais daquilo que estava acontecendo.

Ele ergue minha camisa e sua mão começa a alisar minha barriga subindo até meu peito, então ele para de me beijar e sinto sua língua caminhar até chegar aos meus mamilos e abocanhá-los em movimentos que me faziam sentir extasiado de tanto tesão. Ao beija-lo novamente sinto o sabor de suor de meu corpo em sua boca e apesar de adorar aquilo digo que precisava de um banho. Ele assente com a cabeça, mas não para de me beijar. Sua mão pousa sobre minha calça e começa a apertar meu pênis enrijecido, percebendo o que iria acontecer faço o mesmo e coloco minha mão nas suas costas forçando a entrar dentro de suas calças e apertando sua bunda.

Quando percebo ele já havia aberto o cinto e sua mão invadia minha cueca, ele a abaixa e começa a me masturbar. Então sinto sua boca invadir e tomar conta de meu pênis, num movimento tranquilo e que me fazia sentir uma sensação imensa de prazer. Ele tirava o pênis da boca e todo o liquido que utilizava para me satisfazer escorria, me dando ainda mais tesão ao observa-lo. Enquanto isso minha mão passeava dentro de sua calça, e aproveitava para brincar com a entrada de seu anus que parecia estar totalmente relaxado.

Ao intensificar os movimentos enquanto me chupava não consegui avisá-lo e minha porra explodiu de maneira única, sujando sua boca e se prendendo em sua barba. Apesar daquilo ele não parou e continuou num movimento suave enquanto eu me contorcia. Eu estava até com as pernas bambas, a sensação era ótima. Ele se aproximou e ao nos beijarmos pude sentir o sabor de minha porra em sua boca, além de me lambuzar com o que restava em sua barba. Eu queria retribuir tudo que havia sentido, mas ele alegou que estava tudo ótimo e haveriam outras oportunidades.

Ficamos no carro por mais algum tempo, conversamos, nos beijamos e descobrimos um pouco sobre o outro. Perguntei se ele queria tomar um banho comigo e infelizmente ele não aceitou. Na manhã seguinte, um pouco mais tarde que o de costume sai na sacada e me deslumbrei com uma cena que será difícil de sair de minha memória. Ele realizava sua série de barras fixas, totalmente nu.

Continua ...

_________________________________________________

Êxtase e explosão são os sentimentos que procuro despertar quando escrevo. Atualmente tenho 28 anos, 1,90, 100kg, barba e um pouco de pelos. Me vejo como uma pessoa comum, com desejos, fantasias e descobertas, às quais gosto de registrar de forma a reviver bons momentos.

- ENTRE NO MEU PERFIL E LEIA OS OUTROS TEXTOS!!!!

- Skype: ivoandrew@hotmail.com

Comentários

14/02/2018 21:45:55
Adorei o início do conto, espero que continue. Abraços!
13/02/2018 21:48:59
Eu não quero, eu PRECISO da continuação deste conto!
10/02/2018 03:11:50
EXCELENTE COMEÇO.
Beo
10/02/2018 01:28:39
Boa escrita, continue a saga
10/02/2018 00:18:25
Eduardo obrigado pela dica, pretendo sim dar continuidade as provocações e acontecimentos depois deste primeiro episódio. Não conto mais pra não entregar algumas surpresas.
09/02/2018 23:55:56
como assim. Não tem continuação. Apesar de sua explicação sobre como conduz seus contos ficou com gosto de quero mais.... Tem jeito?? Dá pra ter muitas outras situações de "êxtase e explosão" desses dois juntos. #ficaadica
09/02/2018 19:48:34
Adoro

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.