Casa dos Contos Eróticos

Fui comida pelo negão amigo do meu noivo, e ele ainda participou

Categoria: Heterossexual
Data: 06/05/2015 18:12:36
Nota 10.00
Ler comentários (6) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá meus queridos leitores tudo bem?!

Vou relatar aqui mais uma história real que aconteceu comigo, por incrível que pareça meus relatos são reais, por isso demoro tanto para escrever, afinal não é todo dia que acontece alguma aventura rsrs, bom vamos lá.

Me chamo Sabrina, vou fazer 28 anos, sou branca do cabelo preto, tenho um corpo escultural, muito bonito, meu maior orgulho são meus seios, eles são enormes, desde pequena sempre foi o que mais chamou atenção, fora os mamilos que sempre estão duros e pontudos.

Aconselho ler meus relatos passados para vocês terem uma idéia da minha vida e o que se passa nela e já passou, em fim vamos lá.

Após eu e meu namorado termos vivido tudo aquilo decidimos que era melhor termos um relação (aberta), coloquei entre parênteses pois não é tão aberta assim, ficamos noivos e após conversarmos sobre tudo que havíamos vivido, decidimos que eu poderia de vez em quando dar uma escapada, mas com o seu consentimento é claro, e ele também, expliquei ao meu noivo que o amor que eu sentia por ele era uma amor de casal, e que ao possivelmente transar com outros homens seria uma coisa casual e que não envolveria amor, apenas seria sexo, e só com pessoas confiáveis que não contariam isso a ninguém, afinal nossas famílias não iriam gostar nada disso, e ficou combinado assim.

No fim de semana passado meu noivo me avisará que traria um amigo de sua empresa para jantar aqui, que eles queriam comemorar a promoção que os dois haviam conseguido no emprego. Pois bem, seria um jantar normal, eu não havia pensado em nada de sacanagem, afinal era o amigo do meu noivo, eu não o conhecia e na hora meu noivo deu a entender que era apenas mais um jantar, só isso.

Chegado o fim de semana, passei o dia com meu noivo, pela tarde meu noivo arrumou a casa e após se sentou no sofá para descansar, eu como sou uma noiva muito atenciosa ao vê-lo sentado no sofá me ajoelhei na sua frente e segurei seu pau com as minhas mãos, ele já entendeu o que eu queria, me deu um beijou e colocou seu pau para fora ainda meio mole, eu dei um beijo na cabeça rosada do seu pau e o coloquei inteiro na boca de uma vez só, e fui movimentando minha linguá em baixo dele enquanto eu sentia ele pulsar na minha boca e ficar cada vez maior. Quando já estava bem rígido eu comecei a fazer um vai e vem bem devagar, sentindo cada pulsada dentro da minha boca, quando ele estava prestes a gozar eu parei, me levantei e disse para ele guardar o leitinho dele para noite, que depois que o amigo dele fosse embora eu ia engolir tudo, pela boca e pelo cú. Ele ficou louco de tesão, ser estimulado assim e não gozar ao final deixa ele realmente fora de si.

Seguimos o resto da tarde assim, meu noivo com um tesão imenso não parava de me atiçar, quando passava por mim me dava uns tapas na cara e nos seios me chamando de vagabunda, cachorra, mas tudo com muito tesão.

Chegada as 18 horas fui me arrumar, meu noivo pediu para eu vestir algo comportado mas que realçasse minha beleza e me deu carta branca para usar e abusar do decote, que é uma das coisas que eu não deixo de usar.

Me maquiei, nada muito extravagante, coloquei uma saia até os joelhos, um solto médio e uma blusinha com um decote bem fundo, só para cobrir mesmo os mamilos, qualquer mexida mais brusca meus seios já pulavam pra fora, escolhi esse decote pois é o tipo que faz meu noivo perder a cabeça, quando ele viu, seu pau subiu na hora, agarrou meus seios que já saltaram para fora e deu uma boa mamada neles, meus mamilos ficaram pontudos e duros com todo esse tesão.

Uns 10 minutos após a campainha tocou, era o amigo do meu noivo, ele foi até o portão recebe-lo e eu fiquei na sala, eu estava em pé aguardando que ele entrasse para cumprimenta-lo, fiquei meia sem jeito pois meus mamilos marcavam demais a blusinha, estavam duros e muito pontudos.

Quando ele entrou na sala me cumprimentou com um beijo, não era lá muito bonito, era um moreno bem escuro, ele era bem respeitador, seu nome era Carlos, não me olhou de cima a baixo como os homens geralmente fazem, mas percebi que ele havia dado um boa olhado nos meus seios. Bom, nos sentamos na sala para conversar um pouco e volta e meia ele dava uma olhadinha no meu decote, ele se sentou na poltrona enquanto eu e meu noivo sentamos no sofá ao lado, eu mas perto de Carlos e meu noivo logo ao lado. Acho que em determinado momento meu noivo pegou o Carlos olhando meu decote, parece que isso de alguma forma excitou meu noivo que passou o braço pelas minhas costas e passou a me abraçar na altura dos seios, enquanto conversávamos percebi a mão boba do meu noivo nos meus seios e cruzei os braços, volta e meia meu noivo dava umas apertadas nas minhas tetas, isso fazia elas darem uma saltada para cima e obviamente o Carlos via tudo, para tentar disfarçar eu disse que ia pegar o controle para ligar a TV, me levantei e debrucei para pegar o controle, enquanto me debruçava meu seio esquerdo saiu do decote, ao sentar novamente no sofá já com o controle na mão liguei a TV e não percebi nada só percebi quando peguei o Carlos vidrado olhando para ele, de cara coloquei meu seio para dentro e pedi desculpas, meu noivo na hora disse:

Não liga não Carlos, os seios dela parecem que tem vida própria, as vezes parece que vou me casar com uma vaca leiteira.

Os dois riram e eu ainda meio sem jeito mas com raiva dos dois rindo de mim falei:

Acho que estou mais para bezerra, eu adoro é um leitinho quente.

Falei isso só para provocar meu noivo, mas percebi que após isso eu já percebia um certo volume na calça do Carlos e na bermuda do meu noivo, a putaria já estava instalada, e eu já via que a noite seria muito interessante.

Após conversarmos mais um pouco sobre assuntos picantes, me levantei e fui ver se o jantar já estava pronto, após voltei e os chamei para a mesa, eles se levantaram e vi que ambos estavam de pau duro e não conseguiam disfarçar, eles se sentaram e eu fui servi-los, todas as vezes que eu me debruçava para servi-los eu deixava minhas tetas de proposito saltarem para fora, meu noivo ia a loucura e o Carlos não sabia o que fazer, não sei se ele tinha medo do meu noivo sentir raiva ou se nunca havia passado por uma situação dessa.

Durante o jantar continuamos com papos picantes, falamos sobre os diferentes tipos de pau, sobre mulheres com seios grandes, em fim estávamos já a vontade com tudo aquilo, em uma das conversas meu noivo dizendo que tinha muita sorte por ter uma mulher peituda em casa pegou em um dos meu seios e balançou com vontade deixando ele a mostra, eu o coloquei de volta da blusinha e sorri com cara de safado olhando para os dois.

Ao fim do jantar depois da sobremesa, ainda falando sobre sexo e tudo mais, coloquei a mão na perna do meu noivo abaixo da mesa, e fui subindo até o seu pau, enquanto eu alisava seu pênis por cima da bermuda ele continuava a conversar com Carlos e de vez em quando dava umas olhadas bem penetrantes em mim. Eu já estava entregue e tudo aquilo e resolvi levar tudo a o estágio seguinte, fingi que havia derrubado um talher em baixo da mesa, me abaixei e entrei debaixo da mesa, eu queria chupar meu noivo, quando olhei para o lado de Carlos quase tomei um susto, seu pau já estava para fora, era grande, uns 20 cm, tinha uma cabeça gigantesca e pingava um liquido transparente que já havia feito uma poça no chão da cozinha, fiquei tão excitada que passei o dedo na poça que estava no chão e levei a boca, era salgado e ainda estava morninho e o pau de Carlos ainda pingava sem parar.

Com uma das mãos puxei o pau do meu noivo para fora e comecei a punheta-lo, enquanto isso fui chegando bem perto da piroca do Carlos, eu queria atiçar ele então comecei a soprar bem devagarinho o seu pau que logo já respondeu dando uma contraída, depois coloquei a língua para fora e lambi da base a cabeça, Carlos nesse momento deu uma gemidinha bem de leve, e meu noivo de cara percebeu o que estava acontecendo pois ficou calado na hora, logo em seguida passei a lamber as bolas e coloquei a duas na boca, o pau de Carlos agora pingava no meu rosto lambuzando ele, soltei as bolas e passei a chupar bem de leve sua cabeça que pulsava na minha boca, meu noivo então colocou a mão debaixo da mesa procurando minha cabeça, ao achar ele colocou a mão na minha nuca e percebeu que eu estava mamando no pau de Carlos, eu fazia um vai em vêm bem devagar no seu pau, engolia tudo até a garganta, deixei o seu pau todo babado, logo em seguida sai de baixo da mesa e ao me levantar olhei para os olhos com a boca toda melada e o rosto todo lambuzado do pau de Carlos, meu noivo quando viu aquilo se levantou com o pau pra fora e pediu para eu sentir na cadeira, já sentada ele ficou do lado e colocou seu pau na minha boca, ele fodia minha boca até a garganta com bastante força, suas bolas batiam no meu queixo, Carlos sem perder muito tempo se levantou com o pau brilhando de saliva e ainda pingando e ficou do meu lado em pé com o pau apontado para o meu rosto, eu logo me desvencilhei do pau do meu noivo e cai de boca no pinto do Carlos, ele ficou parado enquanto eu fazia todo movimento com a cabeça, uma hora chupava Carlos e outra meu noivo, meu noivo estava com o pau na minha boca, derrepentemente ele pegou o pau de Carlos com a mão e apontou na direção da minha boca, eu levei até um susto com isso mas nenhum dos dois parecia se importar, meu noivo puxou o pinto de Carlos para mim e enfiou na minha boca junto com o dele, aquilo me fez quase gozar de tesão, chupar dois paus ao mesmo tempo me fez ir a lua e voltar.

Enquanto eu os chupava eles pegaram nos meus seios e passaram a brincar com eles, apertavam com muita força, batiam, levantavam eles e soltavam, puxavam os meus mamilos, após um tempo comecei a chupar e fazer uma espanhola para o meu noivo, e depois no Carlos também, meu noivo já estava quase explodindo de tesão e anunciou que ia gozar, eu parei na hora, e disse que ainda não, levei um tapa na cara que me encheu de raiva, mas eu não ia deixar barato, me levantei e fomos todos até a sala e lá meu noivo e Carlos sentaram no sofá um do lado do outro, eu me ajoelhei na frente do Carlos, olhei para o meu noivo ao seu lado e disse:

fica olhando o que eu vou fazer agora.

Meu noivo ficou olhando eu chupar o cassete do seu amigo com perfeição, eu lambia de cima a baixo, chupava as bolas uma de cada vez, depois passei a chupar só a cabeça, eu além do vai e vêm fazia um movimento circular com a minha cabeça, eu sentia o pau do Carlos soltar um liquido salgado na minha boca, ele começou a pulsar e anunciou que ia gozar, meu noivo achou que eu faria o mesmo, que pararia e não o deixaria gozar, só que não rsrs, eu prontamente continuei a chupada e ao sentir seu gozo vindo afundei seu pau garganta a dentro, o pau do Carlos foi bem fundo na minha garganta, ele soltou um puta gemido e gozou na minha boca, eu parei de movimentar a cabeça e passei a mexer só a língua, depois dele gozar eu engoli tudo, olhei para o meu noivo e deu uma rizadinha. Senti que ele ficou muito excitado, seu pau explodia de tão duro mas ele também havia ficado puto com aquilo, então ele se levantou foi atrás de mim, pediu para eu debruçar no colo de Carlos e com o pau melado meteu no meu Cú sem dó, eu senti na alma o pau dele, meu cú esta sem nenhuma lubrificação, ele metia com raiva no meu rabo, eu queria mais daquele pauzão preto do Carlos então voltei a chupa-lo, fiz um belo boquete enquanto meu noivo metia no meu cú, o pau de Carlos logo endureceu de novo, meu cú já havia ficado largo e eu já sentia tesão em levar no rabo, olhei para traz e pedi ao meu noivo que não gozasse ainda que esperasse o Carlos por eu queria fazer uma DP, o Carlos logo se posicionou em baixo de mim e meteu seu pau na minha buceta, nossa senti seu pau preencher minha buceta, ele começou a fuder bem devagarinho e logo começou a bombar com força meu noivo tentava colocar seu pau dentro do meu cú de novo mas não entrava, parecia que o pau do Carlos havia preenchido do espaço, só para provocar mais ainda meu noivo eu olhei para trás enquanto o Carlos me comia e disse:

você não sabe mais me comer? Já tomei a porra do Carlos agora ele vai comer me cú também?

E dei uma risadinha bem sacana, aquilo excitou meu noivo de um jeito que ele pediu para o Carlos para de meter e manter o pau dentro da buceta, eu não sabia o que ele pretendia, antes mesmo de eu perguntar o que ele ia fazer senti seu pau penetrando como nunca o meu cú, perecia que aquela tóra tinha rasgado as pregas do meu cú, logo em seguida os dois começaram a meter com força em mim, eu nunca havia sentido aquilo antes, era uma sensação única, parecia que os paus estavam batendo na minha barriga, eu gemia alto, e não demorou muito tempo eu gritei para eles não pararem pois eu estava gozando, ao mesmo tempo Carlos e meu noivo também começaram a gozar, meu noivo gritava e o seu pau deu uns 5 jatos de esperma no meu cú, o Carlos gozou também dentro da minha buceta e eu gozei com os dois dentro de mim, minha buceta latejava.

Quando acabamos eu me levantei e uma quantidade muito grande de porra escorreu pelas minhas pernas, fui tomar um banho pois eu estava parecendo uma prostituta toda gozada e cheirando a piroca, ao voltar para a sala o meu noivo me chamou e disse que havia convidado Carlos para dormir em casa pois estava muito tarde, eu sorri contente e disse tudo bem, pois já sabia que ia levar ferro de novo a noite todo.

Essa parte eu conto na próxima, prometo não demorar muito.

Meu noivo esta chegando e ele adora ser chupado logo quando chega do trabalho.

Tchau e beijos meus amores.

Comentários

05/02/2017 10:39:33
Show. Li de pau duro do inivio ao fim
13/05/2015 13:53:56
Delicia de relato! Bem escrito e comediantes picantes! Impossível não ficar de pau duro imaginando as cenas!
13/05/2015 13:53:07
Demais
08/05/2015 16:45:07
Top
07/05/2015 01:31:41
Com a bucetinha molhada....delícia de conto!!!
06/05/2015 18:33:54
Nossa gostosa me chama qualquer dia desses ... Me manda uma foto desses peitos gostosos. . Valmir.lhp22@gmail.com

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.