Casa dos Contos Eróticos

Dando o cu para o pau amigo

Autor: Carol
Categoria: Heterossexual
Data: 07/01/2013 17:37:12
Nota 9.50
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Tenho 25 anos, sou gordinha, pele clara, cabelos longos e pretos. Há cerca de 2 anos tenho um "pau amigo"...costumamos sair para transar com certa frequência, sem no entanto ter qualquer compromisso um com o outro, além do respeito mútuo.

Moro com meus pais, que são bastante controladores apesar da minha idade. Como ainda dependendo deles, acho que lhes devo respeito, por isso não costumo levar os carinhas que fico pra casa.

Pois bem, certo dia estava sozinha em casa quando meu telefone toca. Vejo o identificador de chamadas e lá está "Léo". Já senti um arrepio percorrer meu corpo. Léo não é um tipão desses que habitualmente tiram o fôlego das mulheres. Léo é um homem comum...36 anos, estatura mediana, um pouco calvo e até uma barriguinha proeminente. O pau de Léo é de tamanho normal e grosso. Como eu disse ele não é daqueles que fazem as mulheres suspirarem por sua aparência, mas em compensação, me faz suspirar por sua gostosura.

Ele me ligou para dizer que estava perto de casa e que queria me ver. Tentei evitar, mas não resisti. Disse que poderia vir, desde que fosse rápido, e avisei que estava sozinha em casa. Fazia algum tempo que não nos víamos, e enquanto ele não chegava já estava me deliciando com a chance de poder sentir aquele pau gostoso mais uma vez.

Quando Léo chegou, o chamei para entrar. Vizinhos por todos os cantos nos fizeram ser discretos, apenas um beijinho no rosto como cumprimento. Quando coloquei o pé dentro de casa, pude sentir o que tanto tinha imaginado minutos antes. Léo veio me encochando, me agarrando por trás, esfregando o pau já duro na minha bunda. Ahh, que delícia! Dei uma leve rebolada, sentindo aquele pau gostoso, aquele tesão todo, querendo me comer.

Léo sabe que o pescoço é meu ponto fraco, e enquanto esfregava seu pau na minha bunda, me dava leves mordiscadas no pescoço, fazendo com que eu me arrepiasse imediatamente. Segurava meus seios com força, apertava, esfregando os biquinhos, sentindo-os endurecer cada vez mais. Me fazia gemer baixinho só com seu toque.

Levei Léo até uma parte da casa onde não poderíamos ser vistos por nenhum vizinho indiscreto e lá ele me prensou numa parede...eu olhava para aquela boca, aqueles lábios gostosos...que saudades de sentir o gosto daquele beijo.

Ele veio, me dando um selinho despretensioso, nossos lábios se encontrando, devagar...o beijo se intensificando, o corpo dele me pressionando, sentindo roçar em mim, sentindo o calor, o tesão dele se misturando com o meu. Minha língua invadiu sua boca, num beijo quente, molhado, gostoso. Ao mesmo tempo, deslizando minha mão pelo corpo de Léo, colocando a mão por dentro da camisa, arranhando de leve suas costas, puxando cada vez mais pra perto de mim. Sentia seu pau duro, roçando minha bucetinha, que a essa altura já estava molhada, querendo sentir aquele homem em mim.

Enquanto beijava Léo, deslizei minhas mãos até seu pau, sentindo-o por cima da calça. Estava duro, daquele jeito que eu adoro. Comecei a desabotoar a calça devagar, sem deixar de beijar aquela boca gostosa. Tirei a camisa dele, desci novamente minhas mãos ao seu pau. Senti ele quente, duro e babando deliciosamente...Interrompi o beijo e disse baixinho em seu ouvido "quero te chupar, posso?". Ele me beijou com vontade, e me disse que estava louco pra sentir minha boca.

Beijei seu pescoço, sentindo ele arrepiar quando eu dava mordidinhas bem de leve...mordi a pontinha de sua orelha e sussurrei dizendo que estava louca pelo pau dele. Desci lentamente, beijando seu peitoral, barriga, dando mordidinhas e chupadinhas em cada canto. Cheguei perto daquele pau e o senti quente, gostoso na minha frente...beijei a virilha, lambi, chupei bem pertinho do pau, fazendo-o implorar por um beijo no pau. Não resisti muito tempo...quando vi o pau babando passei a pontinha da língua na cabecinha, arrancando de Léo um gemido delicioso. Ah, como eu adoro isso!

Babei a cabecinha daquele pau gostoso, que me deixa tão cheia de tesão. Chupei, mamei, lambi, beijei a cabecinha enquanto tocava uma punheta. Até começar a engolir...engolia e tirava, cada vez mais...sentia engasgar, voltava a engolir...chupava ora com força, ora com delicadeza. Ouvia Léo gemer, me chamar de putinha, dizer que queria foder minha boquinha. Isso me dava ainda mais tesão, mais vontade de chupar aquele pau delicioso. Alternando o ritmo, a velocidade, a intensidade das chupadas, Léo pediu que eu parasse, porque ele queria me comer. Me puxou para cima, me beijou enquanto desabotoava minha calça, baixando ela até os joelhos. Senti seus dedos explorando minha bucetinha, toda melada de tesão. Meu grelinho duro, inchado! Ele disse que queria me comer, mas que antes precisava sentir meu gosto e num movimento rápido se abaixou...senti sua língua no meu grelinho, não consegui conter os gemidos. Léo sabe muito bem como chupar uma mulher e levá-la à loucura. Rebolei na sua boca, sentindo sua língua me invadindo, me deixando cada vez mais doida, cada vez mais cheia de tesão. Queria dar, queria sentir aquele pau me preenchendo. O puxei para cima, beijando-o, sentindo meu gosto em sua boca.

Léo direcionou seu pau à minha bucetinha, esfregando, me provocando como sabia que eu adorava quando fazia. Um momento de lucidez tomou conta de mim em meio ao tesão. Havia parado com o anticoncepcional aquele mês, não tinha camisinha em casa e ainda estava no período fértil. Do jeito que sou paranóica, melhor não arriscar. Tentei explicar isso ao Léo em meio aos beijos e à provocação daquele pau esfregando no meu grelinho. Disse que não podia, que tinha vontade, mas não podia. Então ele me virou e disse "quero comer teu cuzinho".

Confesso que não consegui nem pensar em negar. Estava com vontade. Queria sentir aquele homem, aquele pau gostoso. Léo me colocou debruçada, praticamente de quatro em uma cadeira próxima. Bem empinadinha, fiquei à espera de sentí-lo me penetrando. Ele ainda deu uma pincelada com o pau na minha buceta, me fazendo gemer e quase esquecer os poréns!

Senti a cabecinha do pau forçando meu cuzinho...pedi pra que ele fosse devagar, pois estava doendo. O tesão era maior, mas a dor ainda incomodava. Léo foi metendo devagar, abrindo caminho no meu cuzinho que ele tanto já havia comido. Passei a rebolar devagar, deixando a dor de lado, aproveitando só o que era bom. Senti que Léo enfiou tudo. Dor! Tesão! Dor! Tesão! Tesão! Tesão! Pisquei o cuzinho, sentindo o pau de Leo todinho lá dentro. Ele gemeu e disse que não ia aguentar, começou um vai e vem gostoso, metendo e tirando. Pedi para que me fodesse! Para que me fodesse com força! Nessa hora nem lembrava o que era dor, só sentia tesão e vontade daquele pau. Enquanto Léo metia, comecei a masturbar meu grelinho...sentia minha bucetinha escorrendo, molhada, encharcada de tesão! Pedia para Léo me comer, me foder gostoso. Me chamando de putinha, Léo anunciou seu gozo, dando uma estocada forte, metendo até o talo do pau. Pisquei novamente o cu, "mastigando" seu pau, sentindo a porra inundar meu cuzinho...continuei masturbando meu grelinho sentindo o gozo se aproximando, ainda mais estimulado pelos pedidos dele "goza putinha, goza com meu pau no teu cuzinho, goza". Estremeci meu corpo, gemendo alto, sentindo aquela delícia de sensação que se tem quando gozamos.

Nos recompomos, ficamos ainda um tempo de chamego e logo ele foi embora, já que logo meus pais voltariam pra casa, e eu precisava manter a pose de boa moça.

Lembrar desse dia me deixou cheia de tesão, com vontade de repetir tudo mais uma, mais dez, mais mil vezes com o gostoso do Leo.

Esse é meu primeiro conto no site. Espero que tenham gostado e aprovado :)

Comentários

09/01/2013 00:09:54
quero apresentar-ti meu pau, de repente ele possa ser o teu outro pau amigo
07/01/2013 17:46:58
muito bom, você deve ser muito fogosa,adoraria chupar seu cuzinho

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.