ARROMBEI A RUIVINHA CASADA

Um conto erótico de TARADO POR BUNDAS
Categoria: Heterossexual
Contém 1345 palavras
Data: 09/07/2024 23:35:54
Última revisão: 10/07/2024 12:15:10

Olá amigos leitores. Até que enfim consegui reservar um tempo para saborear os contos aqui publicados e postar alguns dos meus últimos que aconteceram. Este que vou contar aconteceu no ano passadoAqui não vou revelar onde trabalho e nem o nome real dela. Vou chama-la apenas de Amanda.

Amanda veio trabalhar conosco temporariamente. Logo que ela chegou me chamou atenção. Ruiva, cabelos longos, calça leggin que valorizava seu corpo, principalmente a bunda. Foi-nos apresentada. Senti logo uma química por ela e que durante todos os dias sentia prazer de ficar próximo dela. Gostava de dar beijinho nela e abraça-la. Mesmo sendo casada ela era carinhosa e gostava dos abraços e beijos. Simpática e atenciosa com todos assim estava começando me amarrar por ela, porém minha consciência sempre entrava em cena por eu ser casado e ela também e lutava para não me envolver. Cada dia Amanda chegava mais gostosa e sua bunda me deixava louco. Sua buceta e bunda marcava na leggin e não conseguia tirar os olhos. Em casa sozinho passei a homenageá-la na punheta. Optei pela punheta para não avançar em algo que talvez estava só na minha cabeça.

Todos os dias Amanda estava linda com aqueles cabelos longos e ruivos. Estava sempre por perto dando beijo carinhoso nela. Ela gostava dos carinhos recebidos e minha rola sempre em ponto de bala, louco para provar daquela carne. Certa vez tomamos cerveja juntos e ela ficou mais soltinha, porém dava uma de que estava consciente e não deixava avançar muito.

Um dia saímos no meu carro buscar cerveja no bairro para trazer na empresa escondido. Como tinha um evento com o portão aberto ninguém perceberia a cerveja escondida. No mercado compramos os fardinhos e pegamos duas para bebermos antes de voltar. No carro começamos a beber. Fiquei louco de vontade de agarra-la e beija-la alí mesmo, mas tinha medo de confundir as coisas. Passei a mão em seu rosto e ela continuou tomando sua cerveja sem se opor. Eu estava de bermuda. Como não uso cueca, meu pau ficou duro e marcou a frente. Ela deu uma olhada rápida mas não disse nada. Voltamos para a empresa e escondidos tomávamos a cerveja e eu sempre por perto louco de vontade de agarrar aquela ruiva e fazer ela gozar gostoso no meu pau.

Algumas semanas depois a convidei para irmos no meu carro jantar numa churrascaria perto da empresa. Era por volta das 19:30 e ela aceitou. Saímos da empresa e fomos no caminho falando qualquer assunto, mas minha mente estava vidrado naquela gostosa sentada do meu lado. Minha vontade era correr a mão no meio de suas pernas. Na churrascaria comemos alguma coisa e bebemos. Na saída peguei mais duas cervejas. No estacionamento entramos no carro. Como ainda estava cedo ficamos alí conversando e tomando cerveja. Passei a mão em seu rosto e ela na dela. Não aguentando mais, resolvi arriscar.

- Amanda!

- Fala amor! (era normal ela tratar as pessoas assim)

- Não leva a mal, mas vamos dar uns beijo!

Ela olhou para mim e disse.

- Eita safado. Me respeita!

- Foi mal Amanda, mas é que estou louco para dar uns beijo em você!

- Melhor não, é perigoso!

- Por favor sou louco para beijar você!

- Vamos embora. Você está misturando as coisas...

- Por favor só um beijo!

Amanda olhou para os lados, resistiu um pouco. Fui me aproximando dela, peguei em sua cabeça e encostei em seus lábios. Achei que estava sonhando. Até que enfim estava beijando aquela tão desejada boca. Nos beijos quentes minha pica já despontava na bermuda. Amassa aqui e alí Amanda devagar foi levando a mão no meu pau por cima da bermuda. Me beijava e apertava meu pau.

- Nossa Amanda não aguentava mais de vontade de estar com você...

- sssssssss.... safado... é melhor e gente ir embora...

- Sim Amandinha mas antes...

Tirei o pau pra fora e ela segurou na base.

- Que safado!

- Dá um beijinho nele dá!

- Só um beijinho hein!

Amanda levou os lábios no meu pau e deu um beijo e perguntou.

- Tá bom assim?

- Não. Chupa ele vai!

- Safado!

Amanda abriu a boca e começou um delicioso boquete. Segurei em sua cabeça e forçava até a garganta.

- huuuuummmmmmmm... não consigo... pára...

- Aaaaaiiii delicia Amandinha, chupa esse pau minha ruivinha...

Amanda mamava meu pau com vontade porém devido ao horário achamos melhor parar. No caminho de volta Amanda segurava no meu pau. Minha rola molhava a mãozinha dela de tanto tesão. Na rua que passávamos havia um terreno com altos muros. Sem pensar entrei com o carro.

- Hein o que você está fazendo? É perigoso, seu maluco!

- Também acho Amandinha mas vamos beijar mais um pouco!

Encostei o carro num lugar que ninguém pudesse nos ver e fui pra cima dela. Nos beijamos loucamente. Estava decidido que iria comer aquela bucetinha alí no carro. Para não perder tempo tirei minha bermuda e a safada abocanhou o cacetão.

- Picona deliciosa... quero essa rola me fudendo...

Fomos para o banco de trás. Amanda não tirou toda a calça apenas até os joelhos e de bruços pediu.

- Vem come, come minha bucetinha safado...

Encostei a cabeçona e fui empurrando. Parecia um sonho. Tantas punhetas em homenagem a aquela bunda e ela estava alí na minha frente.

- Nossa Amandinha que delicia de bucetinha...

- Come seu safado, come minha bucetinha mas não goza dentro...

Socava com vontade naquela tão desejada buceta já pensando numa estratégia para comer o cuzinho.

- isso, isso, soca a pica soca seu merda... pirocudo... vai...isso comeeeeee...

- Ai Amanda que gostoso...

- Mete, mete esse pauzão vai... mete na casada mete seu puto...

Amanda rebolava na minha rola. Decidi que não sairia dalí sem comer a bundinha dela. Para ver sua reação tirei o pau e encostei a cabeça no cuzinho.

- NÃO NÃO... aí não...

- Que não o quê Amanda!

Cuspi no cuzinho dela. Ela tentou sair mas como eu estava por cima tinha o controle da situação.

- nãããão... paaara.... aaaaaiêêêê...

- Relaxa Amandinha esse cuzinho agora é meu...

Meu pau foi abrindo caminho. Sua bundinha era apertadinha e fui com jeito. A cabeça foi abrindo caminho nas pregas.

- aaaaiiiiiii... dóiiii...

- Nossa como está apertadinho Amanda!

- AAAIIIIIII...

Meu pau já abria caminho no cu dela. Ela tentava me dar tapa mas não conseguia. Aos poucos fui movimentando para frente e para trás.

- aiêêê meu cuuuuu... devagaaaar...

- Ai Amanda que delicia de bunda...

- Nunca dei o cu seu safado...

- Sério?

- Siiim nem meu marido come...

Ao ouvir isso meu tesão aumentou.

- Nossa Amanda então sou o primeiro?

- Sim... aiiiii...

- Quer que eu pare?

- nããão... agora termina seu tarado... já que começou...

Aos poucos Amanda foi se soltando e já aproveitava mais. Ficou paradinha para me servir. Eu metia gostoso naquela bundinha branca. As vez parava de meter e deixava meu pau pulsando no cuzinho dela.

- ai meu rabo... se meu marido souber ele me mata...

- Segredo nosso Amanda!

O horário de voltar para a empresa já havia passado mas achei melhor foder logo aquele rabo. Acelerei a metida e por fim despejei minha gala.

- AAAAAAIIII DELICIA DE CUUUUU Amanda....

- Goza dentro seu safado, goza...

Fiquei parado encima dela com a rola cravada eu seu cuzinho latejando. Amanda adorou sentir a pulsação no rabinho. Nos beijamos chamando um ao outro de safado. Tirei o pau e os estrago no cuzinho dela estava feito. Minha porra escorria em sua bucetinha. Peguei uma toalhinha que costumo deixar no carro e limpei sua bundinha.

- ai meu cuzinho, você arrebentou ele seu safado...

- Foi delicioso. Seu rabo é muito gostoso!

- Promete não falar pra ninguém?

- Segredo nosso Amanda, prometo!

Ela ergueu a calça e eu a bermuda. Antes de guardar o cacetão Amanda deu uma pegada e beijou a cabeça da pica.

- Cacetudo. Não fala nada pra ninguém hein!

- Fica tranquila ruivinha ninguém vai saber!

Saímos dalí. Ela no silencio talvez processando o que fizemos. Durante a semana pouco nos falamos. As vezes ela passava por mim e dizia baixinho: pirocudo. Este ano ela não voltou trabalhar conosco mas nos falamos pelos instagram. Quem sabe ainda repetimos a foda.

taradopbundas67@yahoo.com

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 31 estrelas.
Incentive TARADO POR BUNDAS a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil de Maísa Ibida

Eu gostei de seu texto. Aliás, vc tem potencial para escrever muito mais. os diálogos e parágrafos são quentissimos ,,, votadssmo.

Ah, se tiver tempo visite meu texto "Sou corna, relato real da vida real" Pode ser?

Não sou boa escritora, mas tendo melhorar aos poucos.

1 0