Dei o cu no exército, e gostei! 04

Um conto erótico de Daniel Martins
Categoria: Gay
Contém 6112 palavras
Data: 09/07/2024 19:20:47

Continuando a História…

Eu fui ter com o Basil, o Souza e o Ramos, eles estavam muito curiosos para saber como tinha corrido a conversa entres nós os dois, e eu contei-lhes que tínhamos feito as pazes, e é claro que não lhes contei que acabei por dar o cu para ele, e que tinha tido uma das fodas mais incríveis da minha vida, mas disse o mais importante, que nos tínhamos entendido, e que voltamos a ser amigos, e começaram então logo com aquelas conversas parvas entres nós, que sempre nos fazem rir muito, mas eu não conseguia relaxar nada, só pensava no Ferreira, o que lhe estaria a acontecer nas mão daquele tenente Jordão. Ninguém no meu batalhão gosta do tenente Jordão, ele é um dos nossos monitores diários, está sempre de cara fechada, e passa o tempo a berrar connosco, se não fazemos as tarefas bem feitas, ou qualquer desvio do que pediu, já nos está a castigar, é o tipo de cara que se eu pudesse passava bem sem ter que olhar mais para sua cara.

O Ferreira só voltou várias horas depois, já estávamos todos na nossa camarata a dormir, mas eu ainda estava acordado, e assim que ele chegou na sua cama fui logo ter com ele:

-Então cara, o que aquele filho da puta queria contigo? Demoraste tanto para voltar… - eu estava verdadeiramente preocupado com ele.

-Relaxa cara, não se passou nada demais. - ele me respondeu com aquele seu jeito tranquilo meio safado.

-Caralho, mas demoraste tanto para voltar?

-Que isso cara, tentando me controlar? Não é por eu ter comido o teu cu, que passei a ser teu namorado [Riso Sacana] - eu furioso com ele, empurrei-o para longe de mim, e ele caiu sentado na sua cama.

-Vai te fuder Ferreira! Um cara aqui preocupado contigo, e tu sempre com essa judiação.

Deite-me na minha cama de costas para ele e fingi que ia dormir, mas ele quando trocou de roupa, em vez de se deitar na cama dele, deitou-se na minha e me abraçou, ficamos os dois em conchinha e me falou ao ouvido:

-Adoro te ver assim bravinho, ficas ainda mais gostoso… - e comecei a sentir o pau dele duro na minha bunda.

-Aqui não Ferreira, na frente de todo mundo não - mas ele continuou, e senti a mão dele a baixar as minhas cuecas.

-Estou com tanto tesão por ti Martinsinho - e tentou dedar o meu cu, mas eu segurei na mão dele bem firme, e olhei bem nos seus olhos.

-Aqui não, já te falei, se há coisa que não suporto é que não respeitem a minha vontade - falei num tom áspero.

-Tudo bem bravinho, mas eu estou de pau duro tenho que me aliviar…

-Vai para a tua cama e bate uma punheta, é tarde, quero dormir - eu sabia que estava a ser duro com ele, mas ele tinha que perceber que não era um Basil.

-Tu ás vezes consegues ser ainda mais sacana do que eu…

Saiu da minha cama todo bravo, mas eu não liguei, sabia que aquilo passava, mas o safado não foi para dele, foi para a do Basil que ficava do outro lado, e em poucos minutos, ouvia o Basil a gemer enquanto ele o fodia. Adormeci com os gemidos deles, mas estava tranquilo, todos os meus amigos estavam em segurança, senti um pouco de ciúme dos dois, mas eu tinha consciência que aqueles dois caras eram uns safadinhos, e ambos são loucos para fuder comigo.

No dia seguinte eu e o Ferreira estávamos como sempre fomos, bons amigos, sempre a dizer parvoíces, até que de repente, entra o Tenente Jordão pela camarata adentro aos berros e todos ficamos me sentido. Fez uma revista a todo o batalhão, e quando chegou perto de mim, começou implicar com as minhas botas, disse-me que estavam mal engraxadas e começou a berrar comigo, e como castigo, depois do fim do dia eu teria que engraxar todas a botas dos meus camaradas. Todos os dias daquela semana foram assim, implicava comigo por pequenas coisas, e depois me dava castigos que me levavam à exaustão, quando ia dormir já todo o mundo dormia, eu caia na cama e aterrava, e só acordava no dia seguinte com o som da corneta. Foi assim a semana toda, ninguém percebia o porquê de tanta implicância, e a verdade é que aquilo começou a sentir-se no meu desempenho, e eu comecei a fazer tudo trocado e o filho da puta do tenente não saia de cima de mim, sempre com castigos cada vez piores. Eu perguntava ao Ferreira, uma vez que ele o conhecia um pouco melhor, se ele sabia o porquê daquela perseguição, mas me falou que não sabia de nada, que era mesmo assim um cara foda, e quando implicava com alguem, não havia nada a fazer, era esperar que o foco dele fosse para outro cara, e eu começei a desanimar. Naquele desespero todo tentei falar com o Sargento Ramirez, mas desde que ele tinha me fudido, nunca mais consegui estar com ele, até parecia que o homem tinha desaparecido daquele quartel. Comecei a ficar cada vez mais desanimado, o tenente Jordão era demasiado duro comigo, parecia que o filho da puta tinha gosto em me humilhar, era sexta-feira, depois daquela semana dura, e o cara implicou comigo de manhã à noite, e eu só fiz asneiras, tive que cumprir o monte de castigos, e estava eu a cumprir o último castigo que ele tinha ordenado, quando ele chegou até ao pé de mim, me fala não tão autoritário;

-Dentro de uma hora tem que estar tudo terminado, e depois quero-te no meu gabinete, temos que falar sobre esta semana, foi mau demais o que eu observei …

-Sim senhor meu tenente!

-Uma hora e nem um minuto a mais, ouviste bem recruta?

-Sim senhor meu tenente!

As minhas pernas até começaram a tremer, aquela semana já tinha sido tão dura, e ouvi-lo dizer-me aquilo me fez ficar ainda com mais medo, eu nem sabia mais o que pensar, mas consegui me acalmar, e só havia uma coisa a fazer, terminar aquele castigo, e ir ter com ele ao seu gabinete.

Passado uma hora, lá estava eu na porta do seu gabinete, ele tinha a porta aberta, vi-o a trabalhar no computador, respirei fundo e bati na porta, mesmo estando aberta.

-Posso entrar meu tenente?

-Entra recruta! - eu entrei para dentro do gabinete e ele guardou o computador portátil em que estava a trabalhar, e olhou para as horas no seu relógio - bem na hora, parece que valeu a pena eu andar em cima de ti esta semana, tens andado muito frouxo recruta, sabias?

-Sim senhor! - eu não sabia o que dizer, só me restava concordar.

-Toda a gente aqui no quartel tinha grandes esperanças em ti, mas pelo que eu observei esta semana tu ainda tens muito que aprender recruta, só fizeste merda!

-Sim meu tenente!

O cara falava de um jeito que eu nem sequer me atrevia a contrariar, mas ele estava diferente, sentia ela a me comer com os olhos, e o tom da sua voz era de diferente, foi então que ele se levantou e veio até junto de mim:

-Mas para andares a dar o cu, para o Ferreira, isso tu já fazes direito, não é recruta?

Fiquei calado, pois já fazia uma semana que ele tinha visto o Ferreira a passar a mão na minha bunda e dar-me um beijinho, e como ele não é parvo, percebeu logo o que se passou e pediu ao Ferreira que fosse com ele, e o sacana deve ter contado tudo para ele, daí ele ter implicado comigo daquele jeito aquela semana, mais uma vez o Ferreira me traiu, senti um raiva a subir por mim adentro:

-O teu amiguinho também ficou assim caladinho, não contou nada, mas para vosso azar eu entrei naquela caserna por acaso, e vi como tu rebulavas gostoso no pau daquele safado, estavam a gostar tanto de fuder um com o outro, que nem notaram que estava a ver tudo. Mas eu até nem sou assim tão mau como vocês falam, deixei os pombinhos fuderem até gozar gostoso, mas tinha que dar uma lição naquele safado do Ferreira, ele sabe que tem de estar sempre às minhas ordens quando eu solicitá-lo. E desde aquele dia Martins, que não sai da minha cabeça a visão de tu a gemeres bem gostoso enquanto aquele sacana estourava o teu cu, tu tens essa aparência de macho, mas rebolas gostoso num pau como uma putinha - e deu uma boa apertada na minha bunda.

Eu continuei calado, não sabia o que dizer, e confesso que estava surpreso com o rumo daquela conversa, mas tudo começou a fazer sentido, e percebi o porquê de ele ter implicado tanto comigo durante a aquela semana, eu estava parado sem reação, e o sacana virou-me de frente para ele, colocou a mão sobre uma ombro, empurrar-me para baixo:

-De joelhos recruta!

Fiquei de joelhos na sua frente Jordão, e o filho da puta segurou no meu queixo e olhou bem nos meus olhos, ele tem uns os olhos vivos, azuis, e vibrantes, e fez um sorriso bem sacana:

-O Sargento Ramires não anda a dar-te a pau como tu precisas, mas a partir de hoje já não vais precisar mais de andar à procura do pau do Ferreira, esse recruta safado tem que estar ao meu dispor sempre que eu quiser. Entendes isso Martins?

-Sim senhor meu tenente! - porra ele sabia de mim do Sargento Ramires, senti um pouco de vergonha, mas não era parar tanto, pois eu sabia que aquele cara ia me comer tambem, mas o meu lado de macho sente sempre uma vergonhasinha.

-Então baixa as minhas calças!

Desapertei as suas calças e puxeias para baixo, deixando-o só de boxers, e para meu espanto, ele não estava de pau duro, olhei para ele na expectativa do que devia fazer, não sabia bem o que aquele Tenente pretendia de mim, e a verdade, é que embora ele não estivesse de pau duro, o meu já estava quase a estourar dentro das minhas calças, toda aquela situação, não sei explicar, me exitava muito.

-É para baixar tudo Martins, não te faças de sonso.

Baixei então os seus boxers bem devagar, e apareceu na minha frente uma piroca totalmente flácida, mas enorme, fiquei logo com vontade de mama-lo, de sentir aquela piroca a endurecer na minha boca, mas primeiro olhei para ele, para ver qual eram as suas instruções, eu ao ver o meu olhar ele falou bem sacana:

-Agora põe-na bem dura recruta!

Era mesmo o que eu queria ouvir, agarrei no pau dele estava mesmo flácido, flácido, e comecei lamber a cabecinha devagarinho, e eu falou bem sacana:

-Que é isso Martins! Sabes fazer bem melhor do que isso, ela assim não vai dar endurecer não, e eu quero-a bem dura!

Eu ainda estava com muito medo dele, e estava tenso, mas entendi bem o que ele queria, e abocanhei o pau dele todinho, e comecei a dar sugadas bem puxadas e logo comecei a sentir o pirocão dele a crescer na minha boca, e o filho da puta começou logo a gemer de prazer:

-Isso… foi mesmo desse jeito que eu vi tu a mamares o Fereira, seu recruta safado…

Nunca tinha experimentado aquela sensação, eu gostei de sentir o pau do meu macho, a endurecer na minha boca. Comecei a ficar muito excitado com aquilo tudo, e o meu cu começou a piscar, nossa eu já estava a ficar com mais tesão por caras do que por mulheres, já mal me lembrava como era fuder a minha namorada, e o pau daquele tenente era tão gostoso, que eu comecei a chupa-lo com muita vontade, ele ficou enorme na minha boca, tem uma cabeça grande, macia, bem gostosa, e estava com um gosto bem salgadinho, o cara devia ter mijar há pouco tempo, e o pior é que eu gosto de varas assim, com sabor a macho, e ele gostava da minha mamada, o filho da puta só gemia, até que a certa altura paro de chupar o pau dele, e fiquei com ele na minha mão, e olhei para ele com cara de sacana:

-Era assim, deste jeito, que queria que ficasse meu tenente? - o cara me deu um tapa forte na cara

-Quem te mandou falar?

-Me perdoe meu tenente! - eu mereci aquele tapa, tinha sido abusado, e ele já tinha deixado bem claro que me estava a dominar, e voltei logo a ser bem submisso.

-Deixaste-o no ponto, parece que não és um inútil completo. Com uma boquinha dessas és capaz de te dar bem aqui no exército…

Tirou a minha mão do seu pau, que já estava bem duro e começou a bater com ele na minha cara, porra nunca pensei estar assim tão submisso para alguem, e o pior, é que eu estava a gostar, estava super exitado com aquilo tudo.

-Safado gostoso, és bem mais obediente que o teu amiguinho, que é um sacana. Agora abre essa boquinha!

Fiz o que ele mandou, e ele começou a passar aquela cabeçona, daqueles deliciosos 23cm de piroca, pelos meus lábios.

-Língua para fora! - obedeci e ele batia a sua piroca na minha língua, até que por fim a meteu dentro da minha boca.

-Agora quero ver o quanto tu tens aprendido aqui no exército…

Eu comecei a mamar o seu pau, e o sacana do Tenente agarrou logo na minha cabeça, e sem que eu tivesse tempo de respirar, empurrou-a com força contra o seu pau, e enfiou-o pela minha goela abaixo, até o meu nariz bater na sua barriga. Puta que pariu, fiquei todo engasgado, eram 23 cm de piroca na minha boca, como era possível, comecei a ficar sem ar, engasguei-me e tive que me afastar daquela piroca para respirar.

-Não fujas recruta, vais ter que aprender a engolir o meu pau todinho!

Voltou a meter aquela pirocona na minha boca, e tornou a empurrar a minha cabeça contra ela, eu já sabia o que me esperava, relaxei, e daquela segunda vez, já não me engasguei, e o sacana começou logo a soca-la, ele fudia a minha boca, tirava-a quase toda e metia até ao fundo da minha garganta, nossa que puta de mamada, e ele fodia cada vez mais rápido a minha boca, e o pior é que eu gostava, meu pau estava duro que nem pedra, nem sei explicar porquê, porque tava a ser difícil para mim aguentar aquele pau na minha boca, e ser fodido daquele jeito, mas aquilo tudo deixava-me completamente excitado, eu sentia-me completamente atraído por aquele tenente sacana.

-Isso recruta… Tu aprendes bem rápido, a partir de hoje vais me mamar muitas vezes, aprecia cada centímetro dela, porque é assim que eu gosto de fuder as boquinhas dos meus recrutas, entendes?

Eu não podia responder, pois tinha a minha boca completamente cheia com a sua piroca, e começou a fuder a minha boca devagarinho, ele tirava quase toda aquela piroca e depois enviava-a todinha no fundo da minha garganta, até me vinham as lágrimas aos olhos, ele não tinha dó nenhum de mim, e me fudeu assim o tempo que quis, até que afastou-me o seu pau, e deu-me uns tapinhas na cara:

-Delicia de mamada Martins, o Ramires até que te ensinou direitinho!

Eu tinha esquentado o tenente, ele já estava todo suado e então tirou a camisola, ficou nusão. Dei uma olhada nele, é um puto de um homão, corpo lisinho, todo musculado, cheio de tatuagens, um sacana é um tesão, e eu segura aquela sua pirocona na minha mão, enquanto babava a olhar para ele.

-Tu já estás ficando meio viado Martins, estás me apreciando?

-Um pouco meu tenente - não tinha como negar, e respondi muito envergonhado-

-Não precisas de ter vergonha, aqui são todos meios viados, até os machinhos mais difíceis como tu a gente dobra!

-Eu não sou viado, nunca tinha tido tesão por outros caras até vir para aqui - não sei onde tinha tido coragem para falar aquilo, mas ele ate achou graa e sorriu.

-Mas agora uma piroca assim bem tesa como a minha te faz a crescer na boca?

O sacana começou de novo a bater aquele pirocão na minha cara e a esfregar a cabecinha na nos meus lábios, e a verdade é que me crescia mesmo água na boca, para saborear aquela deliciosa.

-Sim, uhmmm…

-Então faz ela sumir de novo nessa tua boquinha de macho, que é uma gulosa!

Eu abocanhei aquele picão, eu estava mais solto e mamava-o cheio de vontade, uhmmm como era bom mamar aquele sacana, tentei engoli-lo todo, mas porra, era dificil, para além de grande, aquele picão é grosso, e o filho da puta ao ver a minha dificuldade agarrou na minha cabeça com as duas mãos e fez acontecer:

-Se vais engolir, é para engolir todinho escuta, já esqueceste como se faz?

As bolas dele bateram logo no meu queixo, e sem sair do seu lugar, ele começou a ritmar a minha cabeça no seu pau, eu já gostava daquilo, e sempre que dava, eu sugava a aquela picona, até que ele resolveu parar com aquilo:

-Se não tivesse com tanta vontade para provar o teu cuzinho, enchia agora essa tua boca delíciasa de porra!

-Pode encher meu tenente!

O pau dele estava ja estava a babar, e eu queria muito continuar a mama-lo, adoro aquele gostinho salgadinho da porra de uma cara, mas os planos do tenenete eran outros.

-Eu vou encher, mas vai ser o teu cuzinho?

-Sim senhor meu tenente!

-Anda, levanta-te logo daí!

Antes de me levantar tirei a minha camisola, estava todo suado também, e limpei o meu suor com ela, mas a minha demora irritou aquele Tenente sacana.

-Vais me fazer esperar quanto tempo caralho?

Porra, ele berrou alto, mas aquele seu jeito sacana já não me assustava mais, muito pelo contrário, me excitava ainda mais, acabei de me limpar e olhei para ele, e ele me fulminava com aqueles seus olhos azuis cheios de braveza. Mas era um tesão vê-lo ali, bem gostoso, todo nusão com o seu pirocão bem retinho todo armado apontando para cima me esperando. Eu levantei-me e ele agarrou-me logo pelo braço, virou-me de costas para ele e empurrou-me contra a sua secretária, fiquei com as minhas mãos apoiadas nela, e ele botou logo as suas mãos na minha bunda, estando eu ainda com as calças vestidas.

-E um tesão está tua bunda, sábias? - ele dava apertadas bem gostosas nelas.

-Parece que tudo o mundo gostas dela…

-Todo mundo? - e levei o primeiro tapa bem forte nela - para quantos caras tu já a deste?

-Que pergunta é essa meu tenente, sou macho, não ando a dar ela para qualquer um, por aí não… - e levei outro tapa bem forte.

-Para quantos seu safado?

-Só dei para o Ferreira e o Sargento Ramires - e em vez de um novo tapa ele fez um sorriso gostoso e depois enfiou a mão por dentro das calças e começou a passá-la bem no meu reguinho.

-Estás proibido de dar ela para mais alguém, três machos já é demais para uma cara tão gostoso como tu, entendeste?

-Sim meu tenente! - e senti o dedo dele sobre o meu cuzinho.

-Estás com o cu piscando seu safado, tu de macho já não tens nada!

-Sou macho meu tenente! - e ele começou a massagear o meu botãozinho, e eu tive tanto prazer que me contorci um pouco.

-Vais negar que já gostas de umas boas pirocadas neste cu?

-Não - e ele tentou enfiar um dedo, mas eu estava muito apertado, mas mesmo assim foi bom, e eu não me segurei e gemi automaticamente - uhmmmm…

-Caralho, que tesão, tira logo essas calças que eu quero ver esse cuzinho!

Mal a minha bunda apareceu, o tenente voltou logo a passar a mão no meu reguinho, o sacana estava encantado com ela.

-Caralho…, que bundinha mais gostosa, tu rapas os pelos, seu safado?

-Não meu tenente, ela é assim!

-Que delícia, tu foste mesmo feito para ser fudido Martins - ele alisava a minha bunda que é naturalmente lisinha, só tem pelos mesmo no reguinho.

Assim que joguei as minhas calças fora, ele agarrou-me pela cintura, e ajeitou-me como quis, puxou as minhas ancas mais para junto dele, de forma a que a minha bunda ficou mais arrebitada, enquanto eu estava com as mãos apoiadas na sua secretária.

-Empina mais, empina Martins!

Eu era bem obediente, fazia tudo o que ele mandava, empinei o máximo que consegui, e ele se ajoelhou atrás de mim, e abriu mais as minhas pernas, e começou a passar o seu dedo em toda a extensão do meu reguinho, nossa que tesão.

-Caralho recruta que reguinho gostoso - e ficou com o seu dedo grande sobre o meu anelzinho e começou a acariciá-lo.

-Uhmmmmmm aaiiiiiii - era gostoso demais, não me contive e soltei um gemido de prazer

-Estás cheio de tesão para ser comido seu safado…. Este cu é uma delícia…

O que se seguiu foi maravilhoso, o meu tenente sacana, enfiou a lingua bem no meu botãozinho, e começou a lambe-lo, nossas arrepiei me todo, o cara sabia fazer aquilo, que delecia, porra como é possível ter tanto tesão no cu assim, eu já nem me tentava conter, eu não me considero viado, mas a verdade é que parece mesmo que nasci para levar no cu, a lingua me dava um prazer do caralho e começei a gemer bem alto.

-Ai nossaaaaa uhmmmmmmm….

-Safado - e deu uma palmada bem bruta na minha bunda - estás cheio de tesão neste cu seu caralho!

Não falei nada, e ele abriu as minhas nádegas o máximo que pode com as suas mãos, e o meu anelzinho peludo ficou todo arreganhado, eu não o conseguia controlar, ele piscava sozinho, eu naquele ponto já só queria ser fudido por aquele sacana.

-Caralho recruta! Fazia tempo que não via um cu implorar tanto por vara que nem este teu aqui…

-Foda-me meu tenente! - e levei uma palmada tão forte que a mão dele deve ter ficado marcada na minha bunda.

-Mas que viado safado, eu só te vou fuder quando eu quiser. Abre mas é bem essa puta dessa bunda.

-Sim senhor…

Queria tanto que ele me fudesse, mas nem pensei em lhe desobedecer, e com as duas mãos abri a minha bunda o máximo que pude, o meu cu continuava a piscar muito, e ele cuspiu bem no meu botãozinho.

-Isssoooo… pisca esse cuzinho faminto para o teu tenente - e deu uma palmada mais levezinha na minha bunda - recruta safado…

E de seguida agarrou no meu pau, que estava duro que nem pedra, e começou a acariciá-lo, e eu continuava com as mãos na minha bunda para tê-la bem aberta para ele.

-És bem pirocudo Martins, deves ter muito caras loucos por esta piroca! - ele punhetava o meu pau como se tivesse a ordenhar uma teta de uma vaca.

-Tenho meu tenente! - e mais uma palmada forte, a minha bunda estava a ficar toda vermelha.

-Safado gostoso, tu és mesmo uma tentação!

Sem que eu contasse ele meteu a boca na minha vara, uma posição estranha, mas bem gostosa, o sacana sabia chupar, me deu uma sugada que me fez gemer de prazer.

-Aaaiiiii… nossaaaaa., assim você me mata de tesão - e ele deu-me mais uma de muitas palmadas que deixaram a minha bunda toda marcada.

-Não sejas abusado, seu safado….

O cara gostava de mamar, pois chupou o meu pau por um bom tempo, e conseguia engolir os meus 20cm de piroca sem nenhum problema, eu não dizia nada, só desfrutava daquela manada gostosa, mesmo naquela posição desconfortável, mas ele era bem experiente e melhorou ainda mais aquela mamada, quando começou a acariciar o meu botãozinho, uhmmm que tesão só de lembrar, eu estava com tanta vontade para ser fudido, que ele forçou um pouco o seu dedo e ele entrou fácil:

-Uhmmmm caralhooooo… que tesão que é este cu, já está engolindo o meu pau - e começou a dedar o meu cuzinho

-Aiiiiiii nosssaaaa uhmmmmm… - não dava para aguentar tanto tesão, eu gemia bem alto..

Eu só gemia, não falava nada, também não era preciso, aquilo era uma delícia, ele enfiava o dedo todo, até que enfiou um segundo, e começou a rodopia-los enquanto fodia o meu cu daquele jeito e eu cada vez gemia mais alto.

-Este teu cu já está no ponto seu safado, estás ansioso para provar a minha vara né? - falou já se levantando cuspiu na mão e passou no seu pau.

-Sim meu tenente!

-Já estás bem domado recrutinha, o safado do Ferreira andou a fazer bom serviço.

Passou cuspe no meu botãozinho e enfiou três dedos, senti uma sensação estranha, ele tinha dedos grandes.

-Uhmmmm caralhooooo… - gemi baixinho.

-Está difícil, recruta? - e senti o sacana a enterrar os dedos bem fundo.

-Um pouco meu Tenente…

-Isto não é nada com que vais ter que aguentar!

-Sim senhor, meu tenente!

-É assim mesmo, um bom soldado aguenta a piroca do seu macho sem reclamar.!

Ele então tirou os dedos do meu cu, e senti ele a encostar a sua pirocona no meu cuzinho, forçou e a cabeça entrou, era enorme senti o meu cu a ser arrombado.

-Aiiii porraaaaa!!!!

-É grande, né? - o sacana estava tendo prazer por saber que me estava a custar aguentá-lo.

-Para caralho me tenente - falei bem aflito, pois ele não parava de enterrar aquele picão em mim.

-Quando estiver tudo dentro vai ser uma delícia…

Senti ele a agarrar com mais força na minha cintura, e o sacana meteu o resto que faltava de uma estocada só, eu berrei alto, senti o meu cu a ser completamente arrombado por aquele filho da puta.

-Aaaiiiiiii porraaaaaa caralhooooo….

-Que foi recruta, vais dizer que não gostas de ter este cu todo preenchido?

-Porraaaaa… você deixou o meu cu todo arrombado…. - ele não queria saber e começou logo a movimentar o pau mas devagarinho - caralhoooooo… você é um sacana...

-Vais fazer cu doce para mim? Eu não tenho dó de cu não, aguenta se é, que és mesmo um macho.

Porra, ele começou a socar seu pau todo em mim, que para além de grande, era bem grosso aquele picão, eu sentia as pregas do meu cu ficarem todas arregaçadas,

-Aaii porraaaaaa… vá com calma meu tenente - o cara me fodia com tudo, e eu não estava a sentir prazer nenhum, nunca tinha sentido tanto desconforto ao ser fudido, aquele pau estava a me arrebentar todo.

-Reclama seu viadinho, reclama, que isso só me dá mais tesão - e começou a dar estocadas ainda com força…

-Não seja sacana meu tenente, mas devagar por favor!

-Assim?

Ele tirou o seu pau todo do meu cu, e enfiou de uma só vez, de um jeito bem bruto, até se ouviu o corpo dele a bater contra o meu.

-Aaahhhhhh porraaaaaa… caralhooooo - reclamei bem alto, mas não adiantou de nada, ele passou a me fuder assim, e cada vez com mais violência.

-Tu reclamas mas este cu gosta, os machinhos emproados como tu, é para fuder assim.

Aos poucos, a cada socada dele eu sentia aquela dorzinha no meu cu a diminuir, até que a dor do meu cu a ser arregaçado passou a desconforto, e num instante passou de desconforto a prazer. Nossa, e que prazer… aquele sacana podia ser um brutamontes, mas sabia fuder, eu podia estar a ficar com o meu cu todo arrebentado, mas o sacana conseguiu me por a ter um prazer do caralho, e o meu pau começou a ficar duro que nem pedra, e acabei por soltar um gemido abafado de tesão!

-Aaaiiiiiii nossaaaaa…. - ele ficou ainda mais fodão com o meu gemido.

-Agora já está gostoso seu recruta safado?

Colocou a mão há minha cabeça e obrigou-me e ficar com a cabeça encostada na sua secretária, o meu cu automaticamente ficou todo arrebitado para ele, e continuou a me socar daquele jeito bem bruto, mas muito gostoso.

-Aaiiiii porraaaaaa uhmmmm - gemi alto, já sem nenhuma vergonha, aquilo estava a ser delicioso demais, nunca tinha sido fudido daquele jeito.

-Geme, geme putão, safados como tu precisam de muita piroca….

-Aaaiiiiii porraaaa… então me foda meu tenente sacana… uhmmm…. que deliciaaaaaaaa….

O filho da puta ao perceber que eu já estava a ter muito prazer com aquela foda, parou de me fuder, e saiu de dentro de mim, e deu-me uma palmada bem forte na minha bunda.

-Levanta-te recruta!

Fiz o que ele mandou, virei-me para ele, pensei que ia querer gozar na minha boca, mas não, assim que fiquei de frente para ele, e voltou a empurrar-me contra a sua secretária, cai de costas sobre ela, e ele todo fodão agarrou logo nas minhas pernas , e abriu-as o máximo que eu podia aguentar, e levantou a minha bunda para o ar o máximo que pode, de depois passou a mão no meu buraquinho.

-Mas que cuzinho mais arrebentadinho [Riso sacana] - falou olhando para mim com uma cara bem sacana, e depois encostou o seu pau na entradinha do meu cu mas não enfiou - queres mais vara neste cuzinho?

Não respondi nada, mas era claro que eu queria mais piroca no meu cu, mas o sacana não metia, e começou a esfregar a cabeça do seu pau no meu buraquinho todo arrebentado, que piscava muito, ansioso para ter aquele pirocão grosso de novo a arrebenta-lo um pouco mais,

-Não ouvi nada recruta!

-Foda-me logo meu tenente - pedi baixinho, fico sempre com vergonha por pedir pau, mas não devia, porque é tão bom ser enrabado.

-Não ouvi nada recruta - o sacana não metia, continuava a esfregar o pau no meu botãozinho, quase que metia mas depois não metia.

-Foda-me logo meu tanente - pedi um pouco mais alto, mas ele queria me humilhar ainda mais.

-Pede como um homem recruta, não estou a ouvir nada porraaaaaa…

-Foda-me logo meu tenente - berrei alto.

-Agora sim!

O sacana enfiou o pau todo, bem rápido no meu cu, e posso dizer que foi maravilhoso sentir-me outra vez totalmente preenchido por aquele macho filho da puta.

-Aaaiiiiiiii porraaaaa uhmmmmm… - gemi bem alto.

-Tesao, toma… que tu adoras piroca seu safado…

O tenente Jordão estava completamente encaixado no meio das minhas penas, segurava-me forte com as suas duas mãos na zona do meu peito, e tirava e metia o seu pauzão num ritmo mais suave, mas bem gostoso. Ele olhava para mim sempre com aquela sua cara de sacana, e eu olhava para ele também, dava por mim, para além de apreciar aquela deliciosa metida, a apreciá-lo também. Aquele homem é um putão gostoso, era uma delícia ver aquele corpão todo musculado, tatuado, cheio de virilidade, a enrabar-me, o meu pau estava duro que nem pedra, babava de prazer, e o sacana se deu conta e agarrou nele, até tremi.

-Isto é que ter tesão recruta nu recruta safado - e começou a me punhetar, era prazer demais para mim, e comecei a respirar bem fundo…

-Aaaiiiiii meu tenente assim eu gozo…. - falei berrando com tanto prazer.

-Isso é mesmo o que eu quero ver, um machinho emproado a gozar com o meu pau enterrado nele!

O sacana começou a me punhetar ainda mais rápido, sempre a socar o meu cu também, cada vez com mais força, ele queria mesmo me fazer gozar, e eu relaxei, deixei-me levar por aquele prazer imenso, e em pouco tempo a minha gozada estava a chegar, comecei a ficar fora de mim, e falar só baboseiras.

-Aaaiiiii porraaaaaa… Tenente pirocudo do caralhooooo assim não aguento... vou gozarrrrrrr….

-Goza recruta safado, goza gostoso para o teu Tenente.

Ele sentiu o meu pau a começar a pulsar e aconteceu então uma surpresa deliciosa, aquele sacana metido a machão, se vergou todo, e meteu a boca no meu pau, eu fiquei todo aflito, não aguentava mais a gizada e tinha medo que ele não quisesse que eu gozasse na sua boca, e berrei bem alto:

-Vou gozar meu tenente, não aguento maisssssss….

Mas ele queria o meu leitinho, senti ele a mamar-me ainda com mais vontade, e o meu primeiro jato de porra saiu, todinho para a sua boquinha, e o sacana engolia tudo, sempre a me chupar cheio de vontade, eu só berrava cheio de prazer com aquilo tudo…

-Aaaiiiiiiii caralhoooooo meu Tenente uhmmmmmmm

Que gozada, gozei muito, e aquele cara metido a machão engoliu todinho, e ficou a mamar o meu pau até ele não jorrar mais leitinho nenhum. Nossa, não podia pedir melhor gozada, foi a melhor da minha vida, mas o sacana ainda não tinha gozado e continuava a me fuder com vontade, e só quando já não havia mais leite no meu pau, e que deixou de o mamar, mas não o largou, ele continuava duro, então aumentou o ritmo das estocadas, continuando a me punhetar e olhou nos meus olhos com uma cara de fodão

-Agora chegou a hora de encher este teu cu guloso com o meu leite!

-Enche meu tenente!

-Eu já não sou teu Tenente, agora sou o teu macho - e deu uma estocada violenta

-Aiiij porraaaaa….

-Pede como deve ser, leite pro teu macho!

-Fode-me meu macho, enche o meu cu com o teu leite!

-Aaahhhhhh caralhooooo…. issooooo…. mas pede com mais convicção, que já te dou muito leitinho - olhei nos olhos dele e falei bem sacana.

-Mete bem forte essa pica dentro de mim meu macho gostoso, enche o meu cu de porraaa caralhooooo, quero sentir o teu leitinho dentro de mim!

-És uma delícia Martins!

O tenente puxou-me para ele e beijou-me a boca dele sabia a porra, o gostinho do meu leite, era um beijo carrgado de tesão, e logo de seguida enquanto nos beijavamos intensamente, senti o primeiro jato de porra a envadir o meu cuzinho.

-aaahhhhhh uhmmmmm que cuizaaoooooo tão gostoso porraaaaaa… - ele urrava de prazer.

-Isso goza meu macho, enche o meu cu de leite.

-Tomaaaaaa caralhooooo… toma o leitinho de teu macho!

Era uma sensação tão deliciosa ter aquele homem a gozar dentro de mim, que dei por mim a gozar de novo. O cara era um touro, gozou muita porra, sempre a dar estocadas bem fortes, que tesão maravilhoso, eu continuava a me surpreender como era possível dois homens dar tanto parazet um para o outro. Quando terminamos ele me olhou bem sério:

-Ficaste satisfeito recruta?

-Sim… - respondi muito timidamente, todo envergonhado, a empulgação da foda tinha acabado.

-Agora és meu também, e vê se deixas o Ferreira disponível para eu usá-lo sempre que quiser….

Não respondi nada, ele saiu de dentro de mim, vestiu-se rápido e saiu do seu gabinete, eu ainda fiquei ali algum tempo a ganhar forças e a pensar na foda gostosa que tinha acabado de ter, o cara podia ser um filho da puta, mas fez-me gozar duas vezes sgidas. Até que em arrumei e fui ter com os meus amigos.

Quando cheguei na caserna o Ferreira estava aflito me esperando, assim que me viu veio logo ter comigo:

-Então Martins, o que aquele brutamontes queria contigo?

-Me castigar…

-Te castigar porquê?

-Por nos ter visto transar…

-Ele viu a gente transar?

-Viu, e foi por isso não saiu do meu pé esta semana, parece que o cara é mesmo focado em ti

-Sacana ciumento, mas o que ele fez contigo?

-Aahhhh isssooo….

-Filho da puta, te fez alguma coisa má contigo?

-Não nada disso, ele só queria… - eu ainda me sentia veneginhado a admitir que tinha fudido com outros caras - ah tu sabes o que ele fez comigo…

-Sacana, vou dar uma lição nele!

-Relaxa Ferreira, eu gostei! [Riso safado]

-Mas esse é o problema, agora vou ter que dividir a tua bunda com ele - e sacana passou a sua mão na minha bunda, mas eu afastei-o para longe.

-Que isso Ferreira, me respeita se não, não fodo mais contigo!

-Relaxa esquentadinho, só estava preocupado contigo, e fico com receio de nunca mais te ter só para mim…

-E não me vais ter tão cedo, aquela piroca de 23 cm deixou-me todo arrebentado…

-Eu vou dar cabo daquele sacana - e apertou o pau dele para mim e vi que estava bem duro - e quem vai resolver este meu tesão agora?

-O Basil claro!

-O que tem o Basil?

O Basil tinha acabado de chegar e começamos a nos rir os três. O Basil trataria com todo o prazer do tesão do Ferreira, eu estava exausto, cai na cama e adormeci logo…

Continua...

****************************************************************************

Se gostaram do conto votem e comentem, é uma enorme satisfação saber a vossa opinião. Obrigado pelas vossas leituras.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 18 estrelas.
Incentive Catcm82 a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil de Hot Green Chocolate

Esperei para comentar no último conto... Caralho. Gozei mais que esses caras após ler cada capítulo e foda desse conto. Gostei tanto que estou com tesão demais agora. Ótimo conto, bem estruturado, o sotaque, os detalhes... Parabéns, continua assim e espero pelos próximos capítulos.

0 0
Foto de perfil genérica

Minha namorada me come bem gostoso, sei que dá o cu para nós homens é muito gostoso por conta da próstata, mas não sinto nenhum tesão por homens, não me imagino trocando carinhos com outra cara, uma vez transei com uma trans e até chupei ela, mas com homem nem consigo imaginar.

0 0
Foto de perfil de Jota_

Você é bom demais, cara!! Tesão de conto, fico duro o tempo todo enquanto leio! Esse Martins aí é uma delícia

0 0
Foto de perfil genérica

Virou viadinho submissa, pelo menos coma o cú do ferreira viado i

1 0
Foto de perfil genérica

As aventuras do Martins ainda só estão começando lá no quartel, ainda vai haver muitas reviravoltas nos proximos contos...

Obrigado pelo seu comentario

0 0