A Fábrica de Leite da Sra. Williams - O inicio

Um conto erótico de CasadoBissex
Categoria: Heterossexual
Contém 1825 palavras
Data: 08/07/2024 15:03:48

Mais uma visita comum começando na fábrica de leite. Um daqueles tours guiados em que uma pessoa conduz um grupo de visitantes pela produção de uma fábrica ou fazenda. Nesse caso, a conhecida produção de leite que é feita na fazenda e fábrica da Sra. Williams. No dia em questão, a própria proprietária conduzia um grupo de visitantes pelas fazendas da fábrica, algo que não era incomum de acontecer, porém nem todos tinham essa sorte. O grupo ia sendo conduzido até os celeiros que se estendiam por uma vasta colina verde numa cidade pacata do interior, onde se dava para ver as montanhas e um pequeno bosque perto.

A Sra Williams usava como sempre um terninho profissional e botas de couro que ela mantinha apenas para as visitas guiadas, uma boa parte do tempo ela passava em seu escritório, onde gerenciava questões financeiras e organizacionais da produção. Ela tinha um corpo grande, porém com muita fartura e gordura nos lugares perfeitos. Uma bunda grande e seios fartos que saltavam pelo decote do seu terninho. E um cabelo longo e ruivo, que ficava quase sempre preso.

Sra. Williams: A frente nós vamos chegar a nossa produção diária do leite puro que ocorre dentro desses celeiros. Daqui nós retiramos o leite que é armazenado e levado a fábrica que fica por onde vocês entraram…

Ao abrir os portões alguns visitantes se deparam com uma situação inesperada, em que agora deixava completamente claro o porquê do tour ser classificado como +18. Homens nus ficavam dentro de alguns cercos de metal divididos dentro do celeiro. Alguns visitantes suspiram de surpresa e outros desviam os olhos. Os homens tinham picas enormes ainda que algumas moles, que se estendiam por pelo menos 18 cm ou mais. Sacos enormes e pesados balançando junto àquelas rolas.

Uma mulher de meia idade se solta do marido e questiona a proprietária…

Visitante: Sra. Williams, com licença! Nós estávamos esperando outra coisa, como é que a senhora pode mostrar isso com essa naturalidade?

Sra. Williams: Bom, eu faço visitas guiadas a nossa produção, essa é uma parte dela.

Visitante: Como é? Você coloca isso no leite que nós bebemos?! Mas isso é porra!

Sra. Williams: Uma parte, sim. Nossa produção melhora nutricionalmente a fórmula do nosso leite, oque nos torna uma referência no mercado, além disso também tem outros usos que vou explicar mais a frente no tour. Deixa eu lhes mostrar um pouco, não vamos nos apressar

A senhora em questão dá um passo atrás, mais por choque do que por entendimento propriamente dito. A Sr. Williams se aproxima de um dos cercos e agarra a rola de um dos “touros” como é chamado na produção. A medida que ela vai massageando ele começa a ficar mais e mais duro, e mostra toda a exuberância de um pênis de agora 22 cm com uma cabeça pulsando em prazer e se estendendo para fora do cerco demarcado

Sra. Williams: Alguém gostaria de provar direto da nossa fonte, garanto que vale a pena. Está prontinho pra sair

O grupo olha incrédulo para a cena. A sra williams não é nada ingênua. Ela sabe muito bem que o motivo pelo qual a maioria não voltou pra casa ainda é que muitas senhoras dali e até senhores estão adorando ver aquelas rolas duras e enormes que ela cuida com tanto carinho. Mas que por apego à alguma regra social, não vão se aproximar dela.

Porém eis que no meio da multidão do grupo surge uma moça jovem, de uns 22, talvez 23 anos. Amanda, magrinha, com uma bundinha pequena e seios médios e se oferece pra provar do produto oferecido. Ela tinha um cabelo curto e loiro, e usava uma camisa e calça jeans comum de estudante de faculdade. Ao andar alguns metros à frente, ela se ajoelha no chão e aproxima o rosto da cabeça daquela rola enorme pulsante.

A sra. Williams sorri como quem vê as raras ocasiões em que alguém se permite aproveitar todo o potencial do tour, e volta a massagear o corpo e a cabeça daquela rola enorme, enquanto sua convidada permanece com a boca levemente aberta esperando receber o seu brinde. Após alguns poucos segundos vem um jato quente que inunda a boca da jovem, caindo um pouco em seu queixo e na sua blusa. E um resto que escorre pela rola até o saco

O sabor surpreende Amanda, não é como os outros que ela provou em algum momento da vida. O sabor variava dependendo do namorado de Amanda, mas sempre era um pouco amargo e alcalino. Aquele não, era especialmente cremoso, com um fundo que lembrava parcialmente creme de amendoim. Uma daquelas coisas que você experimenta, e volta para mais. Ela sorri com uma surpresa enorme, olha para a sra Williams e fala “É muito bom!” e chega a passar a mão em seu queixo pegando o resto para lamber e saborear oque sobrou.

A Sra. Williams sorri e acena com a cabeça em um sinal de “Eu te disse”. Ela mesmo ainda segurando a rola em seu punho aproxima o saco de sua boca e sobe lambendo o resto que tinha escorrido saboreando e evitando qualquer desperdício daquele néctar

Sra. Williams: Como vocês podem ver, eu nunca colocaria algo de sabor ruim em nosso leite ou em qualquer um dos nossos produtos. Se fizesse isso ninguém mais compraria, obviamente. Tudo aqui é completamente regulamentado, testado, e aprovado. E eu garanto pra vocês que é uma delícia. Vamos seguindo

O tour vai seguindo a medida que a sra. Williams os conduz para fora do celeiro em direção ao próximo, e Amanda retorna ao grupo e se junta à massa de visitantes que vai andando, apesar dos olhares de reprovação. Mas à medida que ela sente a porra do touro descer até o estomago, algo mais começa a acontecer. Sua buceta dentro da calcinha começa a ficar anormalmente úmida e excitada. Ela piscava e piscava, e Amanda sentia ela ficando quente e cada vez mais molhada. Isso era efeito do leite que ela tinha tomado a alguns minutos? Se ela se sentia assim, a sra. Williams que tinha tomado também estava se sentindo? Ela parecia normal para Amanda, andava e explicava sobre a propriedade à medida que eles faziam o caminho até o próximo celeiro. Já Amanda mal conseguia continuar andando

Quando a Sra. Williams abriu o próximo celeiro, mais uma cena que chocou os conservadores visitantes. Mulheres nuas em cercos de metal, assim como no celeiro anterior. Com seios enormes que balançavam a qualquer movimento. Elas não usavam nada além dos sinos em seus pescoços. E algumas já se notava que estavam sentadas esfregando as bucetas peludas umas nas outras. Outras estavam paradas perto das cercas vendo os visitantes e acenando. Outras ainda, se encontravam em uma parte separada, deitadas enquanto funcionários apertavam seus seios extraindo o leite que era armazenado em recipientes de metal.

A mesma senhora que antes tinha protestado mais uma vez fala:

Visitante: Sra. Williams, isso é inaceitável!

Sra. Williams: A senhora não queria ver as vacas? Aqui estão haha. Bem, não são exatamente vacas. Nós as chamamos de “leiteiras”, mas são claramente mulheres, e é daqui que vem oque compõe 90% do nosso leite, onde juntamos com o material do outro celeiro, e que eventualmente é processado e vendido

Visitante: Eu não posso acreditar…

Sra. Williams: Sim, sim, é um processo muito engenhoso na verdade. Além delas terem uma alimentação especial, o mesmo leite que produzimos com nossos touros é introduzido nelas. Esse leite faz com que elas produzam o dos seios, entre outros efeitos. Provavelmente, a nossa querida Amanda já deve sentir alguns deles.

Nesse momento o grupo se virou pra garota que tinha ficado um pouco pra trás, mas que se escorava em uma das ripas do celeiro, bem atrás do grupo. Ela esfrega sua bucetinha através da calça, e estava bem corada.

Visitante: A senhora transforma garotas normais nessas… coisas!?

Sra. Williams: O processo é temporário, e precisa ser constantemente introduzido para que elas continuem no estado certo. Além disso, pra se tornar uma leiteira, ela precisaria receber a porra na buceta. Tomando só na boca, o efeito é só a excitação. É isso que faz com que, na dose certa, os consumidores de nosso leite de caixinha se sintam dispostos e saudáveis. Também tem ótimos efeitos em homens, uma pena seu marido não ter tomado

Visitante: Essas mulheres devem querer ir embora, não é possível. Deixa elas irem

Sra. Williams: A senhora entendeu tudo errado. Todas elas aqui são tratadas muito bem, e tem uma ótima carreira aqui dentro. Algumas se tornam gerente do celeiro entre outras. Eu mesmo era uma delas

Nesse momento, a sra Williams abre os botões do seu terno e tira o sutiã que segurava suas tetas enormes por baixo. Revelando pra multidão aqueles seios fartos com bicos enormes e pontudos. Ela aperta um pouco e deixa sair algumas gotas que ela pega com a mão e leva pra sua boca. Ela mais do que ninguém não desperdiçaria aquele elixir delicioso. Ainda com os peitos à mostra, ela segue.

Sra. Williams: Em resumo, isso conclui o nosso tour. Vocês podem seguir o caminho pela estrada de terra de volta pra fábrica, onde nossos outros guias vão demonstrar os processos mais técnicos de como o seu delicioso leite de todo dia é engarrafado.

A massa de visitantes segue o seu caminho. A senhora visitante visivelmente irritada e falando em como irá denunciar a fábrica e processá-los. E outros visitantes visivelmente tarados pelas belas leiteiras, e por todo o processo. A sra. Williams adorava ver aquilo. Era o que ainda fazia ela continuar apresentando os tours, mesmo tendo coisas melhores pra fazer, as senhoras de idade babando pela rola de seus touros entre outras coisas que não fugiam de seus olhos.

Mas depois de todos irem embora, a jovem Amanda ainda ficava no celeiro. Era comum o tesão acumulado pela porra que ela ingeriu deixar as moças paradas nos cantos um pouco. Mas já era pra ter passado o efeito. E então, ela se aproxima da Sra Williams e fala oque mudaria a sua vida para sempre.

“Eu gostaria de trabalhar aqui com vocês. Ser uma das leiteiras, e talvez um dia, ser igual a você”

Nota de rodapé: Ei, pessoal. Esse é meu primeiro conto de “fantasia” kkk. Espero que tenham gostado, me digam por favor oque acharam. Eu sempre procuro responder os comentarios. E adoro sempre que colocam os seus pensamentos aí embaixo. Se quiserem me mandar um email tambem eu gosto muito de conversar e dizer as coisas que eu estou pensando e nos projetos que eu quero fazer. Tenho adorado escrever esses contos sempre que estou com tesão, quase sempre termino gozando no final, oque pra mim é o selo de aprovação. Um beijo no pau e na bucetinha de todo mundo que parou pra se masturbar comigo, e até a próxima.

Email: fictionalhemingway@proton.me

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 15 estrelas.
Incentive BissexCasado a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil de SissieHipnose

Gostei da história, abre uma evolução interessante. Seria inviável no mundo real, mas perfeita para a ficção científica onde poderia ter regulamentações que permitissem essa situação. Vou continuar as sequencias.

1 0
Foto de perfil de BissexCasado

Obrigado, Sissie. Sim, é uma situação completamente fantasiosa kkkk. Espero que se divirta. Um beijo na sua rola

0 0
Foto de perfil de Kratos116

Cara que conto sensacional, interessante, diferente, curioso. Bem diferente dos que já li. Parabéns pela criatividade! 👏🏽👏🏽👏🏽

1 0
Foto de perfil de BissexCasado

Po, vlw demais, Kratos. Esse é pra mim o conto mais difícil até agora de escrever e te digo até de postar. E ao mesmo tempo, não pega tanta popularidade quantos outros mais… comuns, digamos assim. Mas a reação das pessoas tá fazendo valer a pena, quem gosta, gosta muito. Além disso também tô me divertindo fazendo a série. Um beijão na sua rola e muito obrigado de novo

0 0
Foto de perfil de Kratos116

Quanto a popularidade recomendo que vá lentos mais contos , principalmente os que tem autores mais conhecidos e mais populares do site ; Leon Medrado, Lukinha, Ménage literário Erótico,Lael ,Mister Anderson

1 0
Foto de perfil de BissexCasado

Po, ótima dica, cara. Vou fazer isso sim. Estou buscando melhorar mesmo e adoro ler essa galera que tem mais experiencia

0 0
Foto de perfil de Kratos116

E a medida que for lendo os contos vai convidando para ler os seus

1 0
Foto de perfil genérica

Belo conto! Estou animado para os próximos, por favor, faça uma saga longa de vários capítulos

2 0
Foto de perfil de BissexCasado

Será sim. Pretendo fazer com que seja bem grande e que tenha mais "sustância" que os meus relatos normais. Então a menos que as pessoas odeiem kkk essa historia aqui vai longe. Muito obrigado de vdd. Beijão na cabeça da sua rola

1 0
Foto de perfil genérica

Você pretende ter uma regularidade nas publicações?

Estou muito animado para acompanhar a história.

Se me permite uma sugestão, acho que seria interessante adicionar a temática de incesto em algum momento. Digo isso, pois sou fã desse tema e acho que combina com o universo que você está desenvolvendo.

1 0
Foto de perfil de BissexCasado

Eu vou tentar lançar pelo menos um por semana. Mas o alvo vai ser dois. Essa semana eu quero lançar o segundo. Sobre dia da semana especificamente, nunca vai ter. Eu vou lançar em algum dia aleatório que eu terminar cada um.

Sobre a questão do incesto, eu particularmente gosto muito de ler contos nessa temática também. Mas tem dois problemas basicamente. O primeiro é que eu não tenho muita experiência com esse tipo de história. E o segundo é que eu tenho um “mapa” dos próximos capítulos da história e eu posso te adiantar que não tem isso. Não é nada tipo mais de 4 capítulos. Mas talvez demore pra chegar nessa questão, se acontecer.

Mas eu vou tentar fazer sim, vlw pela ideia

2 0
Foto de perfil genérica

Diferente de tudo que já li. Conto maravilhoso.

Muto excitante.

1 0
Foto de perfil de BissexCasado

Vlw, tricolor. Feliz de te ver aqui. E feliz que vc curtiu. Essa aqui provavelmente vai longe. Então se quiser ficar ligado, em alguns dias devo postar outro capitulo. Um beijo

1 0
Foto de perfil genérica

O beijo pode ser na pica?

1 0
Foto de perfil de BissexCasado

Siiim kkkk. Sempre tem que ser. Um beijão na cabeça dela. E uma lambidinha tambem por ter esquecido kk

1 0
Foto de perfil genérica

A introdução foi excelente. Minha expectativa tá lá em cima. Parabéns 👏

1 0
Foto de perfil de BissexCasado

Muito obrigado, cara. Esse foi meu conto que eu mais fiquei nervoso de postar. Fico feliz que vc gostou, de verdade.

1 0
Foto de perfil genérica

Consigo imaginar. Escrever um relato já dá um trabalho absurdo. Uma história fictícia, mais ainda. E pra mim, uma história absurda é o auge do empenho. Se prender à temática para que, mesmo uma história impossível faça sentido deve dar um trabalho danado. Eu sou fã dessas narrativas, por isso sempre fico animado quando um intrépido autor se dispõe a escrever nessa temática.

2 0