Um Noviço em Tentação (Rosa dos Ventos Capítulo 04)

Da série Rosa dos Ventos
Categoria: Gay
Contém 2053 palavras
Data: 05/07/2024 23:05:03

Daniel conversava com o Padre Lara enquanto Quico ouvia tudo as escondidas:

-Padre tenho algo á lhe dizer, mas só posso falar em confissão

-Pois bem, vamos para o confessionário...Diga meu filho, o que há de tão grave?

-Padre, eu acho que eu...bem é que eu...eu acho que estou apaixonado!!!

-Mas isso é uma notícia maravilhosa meu filho, quem é a felizarda?

-Aí é que está Padre eu estou apaixonado por duas pessoas completamente diferentes uma da outra, na verdade eu nem sei se o que eu sinto é amor de verdade, só sei que em toda minha vida eu nunca havia sentido quando estou perto de duas pessoas.

-Então é por isso que você veio me procurar? que que eu o ajude á decidir qual das duas é melhor para você?

-Aí é que está Padre, eis o motivo pelo qual vim á sua procura, as pessoas por quem estou apaixonado não são mulheres, mas sim dois homens!!!

-Você é homossexual filho? Entendo... filho, então a coisa é muito mais séria do que imaginei, a sociedade detesta homossexuais e ainda mais com você sendo um seminarista

-Padre, a sociedade é o de menos, eu mesmo não me aceito, cresci entendendo que homossexuais são pecadores, que é abominação aos olhos de Deus. Desde as primeiras lições recebidas ao entrar num seminário diocesano, eu senti o peso de uma contradição até hoje insuperável nas regras da Igreja, porém suportável até o dia em que conheci os dois homens que tem mudado meu modo de pensar. há anos, seus líderes afirmam que a homossexualidade é "contrária à lei natural" e que homens com "tendências homossexuais fortemente radicadas" não podem ser padres. O tormento aumenta após os retiros anuais de meu seminário. Na frente de plateias repletas de seminaristas, padres reforçam a ideia de que a homossexualidade seria uma "doença", um "fruto da ação do mal".

-Filho, As histórias dos padres gays são vividas em segredo, discutidas apenas entre eles, tratadas em guetos dentro das congregações, sob o medo de perseguição e de caça às bruxas. Ou, apenas, em solidão. Se você sente que o caminho da igreja não é para você, desista e seja feliz, Deus quer nos ver felizes.

-Mas Padre...a bíblia diz...

-Esqueça por um momento o que a bíblia diz Daniel, acha por acaso quer todos esses hipócritas seguem a risca o livro da vida? a bíblia também proíbe que comam carne de porco, que se separem, que cortem os lados de sua barba e do seu cabelo, Jesus disse: "Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado", "Não Julgues para Não Ser Jugado" Aquele que não tiver pecados atire a primeira pedra" lembra disso? o pecado do outro pode não ser o mesmo do seu, mas pecar todo mundo peca. Agora diga-me quem são os dois rapazes que tem feito você repensar se o caminho certo é o divino?

-Um é o seu sobrinho, o Quico, e o outro é o Antônio Carlos o pai da Nininha.

-Meu sobrinho? mas como você foi se apaixonar justo pelo Quico, ele fez algo, se insinuou pra você?

-Pelo contrário padre, eu amo esse rapaz desde o primeiro momento em que o vi, ele implica comigo, a gente vive discutindo porquê eu não suporto o jeito intransigente dele mas, desde o primeiro dia que o vi, desde o primeiro momento que toquei as mãos dele eu senti um arrepio, eu acho ele muito lindo, quando estou perto dele sinto as emoções á for da pele.

-Com qual dos dois você se sente melhor? o professor Antônio ou Quico?

-Não dá pra dizer padre, com Antônio Carlos eu me sinto protegido, tenho carinho por ele, gosto do jeito inteligente, doce, meigo, fofo e tímido dele.

-E o Quico?

-O quico é as emoções intensas, fogo, calor, excitação, por ambos descobri que sinto algo que chamam de tesão, com o perdão da palavra

-Compreendo, filho, seria melhor se você deixasse a vida no seminário, e passasse mais tempo perto de ambos ás vezes com um ás vezes com outro para ver com qual se dá melhor.

-Não Padre!!! eu jamais poderia fazer isso

-Porquê filho?

-Porquê o Antônio Carlos é um homem, bonito inteligente, culto, é pai de uma filha e provavelmente ele nem é gay e o Quico, ah...o Quico é aquele doidinho né? muito cafajeste, com fama de conquistador, nenhum dos dois iria querer nada sério comigo, acredito que o que tenho de melhor á fazer é esquecer o Quico e o Antônio e mergulhar cada vez mais na vida religiosa. Essa é uma provação em minha vida que tenho que enfrentar para poder prosseguir com minha vida.

Quico escuta essa conversa e sorri consigo mesmo: o Noviço estava no papo, leva-lo para a cama iria ser moleza e com certeza iria vencer a aposta que fez com o amigo Vavá.

Nas semanas seguintes que se seguiram, Quico deu início ao seu plano para seduzir Daniel, primeiramente, tratou de ganhar a amizade de Daniel e para chegar até ele ganhou primeiramente a confiança das crianças que eram seus alunos, principalmente Nina Rosa e Nico, os mais próximos, levava as crianças pra passearem de moto, pagava sorvetes para elas até que um dia, o circo estava chegando na cidade, Quico então pediu para que Nico e Nina Rosa convidassem Daniel para acompanhá-los. No dia e hora combinada, Nico e Nina esperaram Daniel na frente da igreja, logo Daniel apareceu pra pegar as crianças, foi quando Nina disse: "Espera! tem mais uma pessoa que vai com a gente", Daniel espera acreditando se tratar de mais um amiguinho que as crianças convidaram, mas logo desfaz o sorriso quando vê Quico se aproximando deles de moto.

-"Então, vamos?" - Quico pergunta.

-"É você que vai com a gente?" - Pergunta Daniel

-"As crianças queriam ir pro circo com nós dois, eu aceitei."

Diante da insistência das crianças, fica praticamente impossível de Daniel recusar o passeio, Quico deixa sua moto estacionada e todos vão á pé, no circo, Daniel se diverte e se encanta pela apresentação dos trapezistas, mágicos, malabaristas, equilibristas, come pipoca e algodão doce no intervalo, e na volta ao espetáculo Quico aproveita para tocar na mão de Daniel e este sente um novo arrepio, as crianças se divertem com a apresentação dos palhaços e é nesse momento em que Quico sentiu seu coração arrebatado pelo noviço, Daniel abriu um lindo sorriso durante a apresentação q Quico enfim sentiu seu coração disparando quando o jovem sorriu, Daniel era muito bonitinho, doce, meigo, gentil, tímido e tinha um jeitinho fofo, diferente de absolutamente todos os rapazes com quem ele havia transado até aquele momento. Após o fim do espetáculo todos voltam para casa, Quico deixa as crianças em suas respectivas casas e acompanha Daniel esse foi o primeiro momento que Daniel e Quico puderam conversar mais amigavelmente. Enquanto caminhavam sob a noite enluarada e estrelada, seguiu-se o seguinte diálogo:

-Nunca pensei que gostasse assim das crianças.

-Eu não sou esse monstro que você está pensando não tá? - Diz quico sorridente, o sorriso do moço deixava Daniel sem graça.

-Não, é que você me passou um jeito tão diferente desde que te conheci, foi legal da sua parte levar as crianças pra se distraírem um pouco.

-Eu gosto da companhia das crianças...e gosto da sua companhia também Daniel.

-Obrigado, Boa noite!!!

na porta do seminário, antes de se despedirem, o rapaz dá um beijo no rosto do Daniel, que corre para dentro do seminário. Quico pega sua moto e vai para casa. Dentro do seminário Daniel corre para o banheiro, abaixa as calças e seu pênis está completamente molhado, duro e latejando, a cueca também molhada, ficou novamente confuso, como poderia ter ficado tão excitado com um inocente beijinho no rosto dado por Quico?

Quico chega em casa, com um sorriso bobo no rosto "Ele é muito lindo, não dá pra negar, que desperdício um cara tão lindo ser um aspirante á padre..." pensava o rapaz.

Daniel tomou banho e foi dormir, mas...estranhamente ao invés de sonhar com Quico, naquela noite sonhou com o professor Antônio Carlos:

"No sonho...Lentamente o menino, vai em direção ao homem, abre as perninhas e de frente para ele senta-se no seu colo.

O homem abraça Daniel carinhosamente e o aconchega no seu colo. Claro que por ser apenas um sonho ele não sente dor, na verdade nem passa pela cabeça dele o que é ser penetrado por um caralho de verdade. Passa as mãos em seus cabelos e puxa sua boca de encontro a sua.

A língua quente do homem invade a boca de Daniel que mesmo sendo apenas um sonho pôde sentir todo o calor da boca de seu macho tocando a sua e suga seus lábios com fúria. Chupa avidamente aquela boca virgem do noviço e sua língua vai explorando cada canto daquela boca.

Passou as mãos nas costas de Daniel, descendo em direção a sua jovem e empinada bundinha branca e inocente porém desejada por tantos homens naquela cidade.

A pele de Daniel se arrepiava enquanto ele sonhava na cama com os carinhos do homem.

- Você está gostando? – Pergunta o Antônio Carlos

- Tá ótimo, continua. - Respondeu beijando gulosamente a boca daquele macho que o estava tratando com tanto carinho lhe deixando completamente envolvido.

Antônio segura firmemente o rabo do noviço e o puxa pra bem perto de si, seus corpos ficam grudados e ele pode sentir aquele peito juvenil trêmulo de desejo encostado no seu e um calor começa a subir pelo seu corpo experiente. Beija o pescoço de Antônio e mete a língua em sua orelha e ouve os gemidos baixinhos do professor que por sua vez Ergue um pouco a bunda de Daniel e com o pau duro feito pedra vai dando leves pinceladas naquele reguinho quente e branquinho."

Enquanto Daniel sonhava com o professor Antônio Carlos, Quico sonhava com Daniel

Involuntariamente o menino sabe que tudo não passa de um sonho, mas é tão bom que ele não quer acordar nunca mais... Quico durante o sonho até/ suspira e dá um gemido forte.

- Ai que delícia! continua tá muito gostoso, quero sentir esse teu pau gostoso. - Dizia o noviço Daniel no sonho de Quico, aqui a cena é mais selvagem, Daniel encoleirado de quatro ganhando tapas de Quico no rabinho.

- Calma meu neném safado, deixa teu homem tomar conta de você. Saca só como estou louquinho pra te sentir inteiro.

Começou a enfiar lentamente um dedo naquele cuzinho inexperiente. Daniel recuou um pouco.

- Relaxa não vou te machucar.

Molhou o dedo na boca com bastante saliva e continuou enfiando naquele rabinho que agora já se deixava ser penetrado. Percebeu que o cuzinho estava mais relaxado e aproveitou pra enfiar mais um dedo abrindo, aos poucos, aquele rabo que em breve iria receber pela primeira vez a rola.

Sentindo os dois dedos em seu rabo, Daniel começou a mexer a bunda com muito tesão demonstrando para Quico que estava gostando.

O rapaz leva a mão à boca e com saliva lubrifica aquele cuzinho entregue aos seus desejos.

Lentamente volta a pincelar o rabinho do jovem noviço com seu pau duro, encaixa a cabeça do caralho na porta do cuzinho do menino e vai empurrando. Como era apenas um sonho tudo encaixa facilmente, sem dor, só prazer.

ambos acordam excitados, ambos se masturbam em suas respectivas camas, Daniel estimula o cuzinho embora ainda não tenha tido coragem de enfiar um dedo todo nele, mas só isso fazia o noviço enlouquecer, enquanto Quico vai para o banheiro e bate uma punheta monumental, explodindo num gozo animal, ofegante, suado e cheio de tesão, ele se olha no espelho e fala: "NÃO, eu não posso estar apaixonado por ele!!! NÃO POSSO!!!"

Noite afora, o professor Antônio tinha insônia, é que sua eufórica filha havia chegado em casa contando como foi o passeio no circo e em dado momento comenta com o pai que viu Daniel e Quico andando de mãos dadas, essa notícia pegou o professor de surpresa, e mesmo sem motivo o fez chorar na cama, no quarto fechado, nem ele mesmo sabia o porquê a suspeita do professor de sua filha estar namorando outro rapaz havia mexido tanto com ele. Para que rumos a Rosa dos Ventos pode levar esses três homens?

CONTINUA...

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 21 estrelas.
Incentive Danizinho a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de DanizinhoDanizinhoContos: 189Seguidores: 111Seguindo: 3Mensagem Autor Paraibano de 27 anos, escrevo na casa dos contos desde 2017, com experiência em contos voltados ao público jovem (embora tenha um público cativo maduro também), não tenho nada contra o maniqueísmo embora nos meus contos eu sempre prefira mostrar personagens humanizados que cometem erros, acertos e possuem defeitos e qualidades, meu maior sucesso foram os contos "Amor & Ódio" e "Nosso Louco Amor" esse último teve cerca de 50 estrelas em um único capítulo, atualmente escrevo "Um Certo Alguém" que conta a história de um triângulo amoroso formado pelo jovem Tiago, o Maduro Luís e o CDF Daní, tem alguma dica, sugestão ou crítica??? entre em contato comigo no zap: (83) 99822115

Comentários

Foto de perfil genérica

O professor Antonio devia tomar alguma atitude

0 0
Foto de perfil de Erick Contos Gays

Esse trisal ta mexendo com a cabeça de Daniel, Quico é um sacana que não sabe o que quer da vida, nem pode-se confiar nos sentimentos dele, enquanto o professor Antônio sofre também por alguém que nem sequer o olhou de verdade. espero que Daniel note logo o interesse de Antônio por ele e deixe Quico de lado, que só quer brincar com seus sentimentos.

0 0
Foto de perfil genérica

É parece que as coisas vão esquentar. Começar a vida sexual logo com um triangulo não vai ser bom. Vamos aguardar e ver qual desfecho nosso autor vai nos presentear.

0 0
Foto de perfil genérica

TRIÂNGULOS AMOROSOS NÃO FUNCIONAM. ALGUÉM VAI SOFRER, ALGUÉM VAI PERDER E SAIR MACHUCADO. AINDA BEM QUE TEM VAVÁ NO MEIO DESSES TRÊS.

0 0