A PENSAO DAS BONECAS - 23

Um conto erótico de FEH MORENO
Categoria: Trans
Contém 1608 palavras
Data: 05/07/2024 17:14:07
Assuntos: Porra, rabo, ROLA, Trans, Travesti

Chegando em casa Alice estava no quintal sentada mechendo no celular, me aproximei e cumprimentei.

- Oii mocinha, tá sozinha aí, tudo bem?

Ela sorriu e disse que estava tomando um pouco de sol e disse que só Joyce e Kelly estavam em casa, Kelly provavelmente trabalhando com as chamadas de vídeo, me abaixei ao lado de Alice e falei bem perto do ouvido dela.

- vc está uma delícia aí sentadinha viu rs.

Ela estava com um shortinho curto e uma blusinha mostrando a barriga, eu ficava louco vendo aquela bonequinha toda natural, linda ali tomando bronze, ela sorriu e agradeceu, entrei em casa e subi pro quarto, ia tomar uma ducha pois estava muito quente, tirei minha roupa e fui entrando no banheiro do quarto, quando terminei estava me enxugando e ouvi o barulho da porta abrir, achei que fosse Priscila pois só eu e ela entrávamos sem bater na porta, eu estava com tesao pois a mamada do meu chefe Danilo tinha me deixado relaxado mas também me atiçou, precisava comer um cu, já deixei meu pau no jeito, aquela meia bomba quase Durão já, sai do banheiro pelado com a rola balançando e pra minha surpresa não era Priscila e sim Joyce, ela estava com um shortinho minúsculo deixando metade do rabo enorme pra fora e um top tampando os seios que eram bem pequenos, ficamos surpresos os 2 e eu falei.

- Joyce, achei que fosse a Priscila, vc tá precisando de algo?

Ela respondeu pedindo desculpas, disse que tinha entrado pra pegar um negócio dela que tinha deixado com Priscila, eu continuei pelado e disse pra ela pegar, me virei e fui abrir o guarda roupas quando Joyce fala.

- o Consolo, tava procurando meu consolo que eu tinha deixado aqui pra fuder com a Pri ontem.

Eu respondi

- hum tá precisando de uma rola bb? Ahah

Joyce respondeu

- hoje tô com vontade de dar a bunda gato, aliás vc nunca me comeu né, eae tá afim? Ahah.

Na hora virei, olhei pra ela e perguntei se estava falando sério, ela respondeu sorrindo que sim, levantei e fui em direção aquela boneca grande e cavalona, Joyce era do meu tamanho, não tinha quase nada de peito, mas em compensação tinha um rabo enorme e coxas muito grossas, fora o pau enorme, mas naquele dia quem iria trabalhar era a bunda dela e não o pau, cheguei perto e abracei ela segurando no rabao enquanto começamos um beijo daqueles bem extravagantes, muita língua, um quase engolindo o outro pela boca, ela me falou.

- vamos trepar aqui mesmo gato? A Pri não vai achar ruim?

Respondi que não tinha problema, já tínhamos feito um trato eu e Pri, não teria problema se Samela e Joyce fudessem com agente no quarto pois eram as mais próximas de cada um de nós, então Joyce me jogou na cama e foi logo deitando com a boca na minha rola, mamou gostoso demais, por incrível que pareça esse tempo todo na casa e eu nunca tinha comido a bunda de Joyce, ia finalmente matar minha fome daquele cu, Joyce devorava meu pau, chupava demais, engolia tudo, era bem Hard, depois de um tempo assim ela se virou ficando de 4 e pediu.

- Gato enfia esse pau na minha bunda, não aguento mais de tesao no rabo.

Eu levantei, chupei o cu dela e enfiei minha rola dura até o talo naquele cuzao enorme, era delicioso, que rabo gostoso, meti com vontade naquela cavala enquanto ela ficava com a cara encostada na cama e com as duas mãos pra trás abrindo o rabao deixando o cu mais largo pra eu meter minha rola, estava socando rola sem dó nela, era gostoso demais comer aquela bunda, Joyce gritava como uma cadela.

- Ahhhh, ahhh isso seu filho da puta, mete essa vara no meu cu desgraçado, que delicia, ohhhh.

E eu respondia

- ahhh caralhoo que rabo gostoso, toma vara vagabunda, esse cu agora é meu, vadia gostosa, ohhhh.

Estávamos fazendo tanto barulho que Kelly apareceu na porta e abriu de leve, eu e Joyce olhamos e ela deu risada e falou.

- gentee, que que é isso, vcs vão derrubar a casa ahah.

Eu nunca tinha feito nada com Kelly, era a única boneca da casa que eu nunca tinha comido nem chupado nem sido chupado por ela, mas sempre tive muito tesao, aproveitei a situação e falei.

- vem Kelly, tô comendo o rabo da Joyce pela primeira vez hj, vamos aproveitar e fazer a nossa primeira vez também ahah.

Ela sorriu e respondeu.

- seu safado, ahah só vim ver se estava tudo bem, continua comendo esse rabo aí que já é enorme ahah.

Ela estava com um roupão de seda preto, mas quando eu fiz a brincadeira ela deixou o roupão abrir um pouco e pude ver os seios dela e a rola que estava endurecendo, era grande também, ao sair ela mandou um beijo e deu uma piscada, na hora já imaginei que era um sinal, ela seria a próxima boneca que eu iria comer, voltando a foda, eu metia sem parar naquele cu, Joyce era muito gulosa, o rabo dela engolia meu pau que entrava e saia cada vez mais rápido, eu dava tantos tapas na bunda dela que já estava roxa ja, parei de meter e ela logo saiu do meu pau e se virou pra chupar, abocanhou e mamava ele inteiro, depois me empurrou na cama e falou.

- vai safado, deita que eu vou sentar nessa rola agora.

Ela já veio pra cima de mim e sentou colocando meu pau no cu, quando entrou tudo Joyce começou a cavalgar deliciosa e rapidamente, era uma foda bem Hard, pra aguentar aquela cavala o cara tinha que ter preparo, ela exigia muito esforço físico e mental também pra não queimar largada, aquele rabo era gostoso demais, ela parou de pular na minha rola e eu segurei o rabao e comecei a socar, Joyce gritava de tesao, eu metia forte e com uma mão dava tapas no rabo dela e com a outra dava tapas na cara daquela puta safada, o pau dela enorme balançava e batia na minha barriga, ela começou a cavalgar e não demorou muito pra soltar toda aquela porra, ela gozou gritando.

- ahhh caralhoo que deliciaaa, fode meu cuuu, que pau gostoso, eu tô gozando, ahhh ohhhh.

Quando ela anunciou o gozo o pau dela começou a soltar os jatos que eram tão fortes que vieram na minha cara, levei 2 jatos direto no rosto e outros 3 jatos se espalharam pela minha barriga, peito e pescoço, gozo muito farto, ela se inclinou e lambeu a própria porra que tinha ficado no meu rosto, depois me deu um beijo na boca passando a porra pra eu tomar, nessa hora apertei bem ela e aumentei o ritmo das socadas até anunciar.

- ahhhh eu vou gozaaar, que rabo é esse que delicia, ohhh eu tô gozando ohhhh.

Soltei 4 jatos fortes naquele cu enorme de Joyce, ela começou a morder meu pau com o cu enquanto eu apertava bem a bunda dela e agente se beijava, que tesao de foda, ficamos ali deitados e abraçados, começamos a rir juntos e ela falou.

- nossa que delicia, ahah, por que agente ainda não tinha trepado hein Feh, ahah que pau gostoso vc tem, e aguentou bem a foda, geralmente os caras gozam na minha primeira sentada ahah, vc e um cavalo, bem que a Priscila e a Kemily falaram.

Eu respondi.

- que tesao, seu rabo e fenomenal, que delicia ahah, eu sempre quis comer esse cu.

Meu pau começou a amolecer e sair do cu dela, nisso a porra começou a escorrer e melou minhas bolas, Joyce se jogou pro meu lado na cama e ainda tomamos ar por uns 4 minutos até que Joyce se levantou e disse que ia tomar uma ducha, ainda fiquei deitado descansando, até que escuto bater na porta e logo em seguida ela se abre, era Kelly, estava com uma lingerie cinta liga com meia preta e salto alto vermelho, estava deliciosa demais, na hora olhei e já me levantei falando.

- Nossa, que perfeição

Ela sorriu e respondeu

- ah obrigado Feh ahah, vi que a Joyce desceu, vcs acabaram?

Respondi que sim e que ela tinha ido tomar uma ducha, Kelly então respondeu.

- só vim ver se ela tinha deixado vc vivo ahah, ela é bem cavala né, comendo e dando, mas pelo jeito vc aguentou bem e ainda tá disposto né ahah.

Ela falou isso sorrindo e olhando pro meu pau que estava endurecendo, estava todo melado e começou a endurecer enquanto eu via aquela delicia da Kelly, impossível não ficar de pau duro vendo aquela cavala, eu falei pra ela.

- impossível não ficar assim com vc Kelly, eae vamos fazer ele feliz ahah.

Ela sorriu chegou perto de mim e pegou no meu pau, ficou apertando como se estivesse avaliando, que mãos macias, que delicia, enquanto ela fazia isso eu apertava o rabao dela que era grande e bem carnudo, ela me olhou e demos um beijo, em seguida ela parou de me beijar e falou.

- hoje não vou dar pra vc, mas amanhã vc é meu, não come ninguém hoje nem amanhã, quero esse pau bem cheio de porra pra mim, tô louca pra dar pra vc faz tempo ja.

Nessa hora eu respondi.

- vou te arrombar amanhã sua gostosa, que delicia.

Ela sorriu, se abaixou e abocanhou meu pau, agasalhou ele inteiro com aquela boca quente, chupou por uns 2 minutos e depois parou, se levantou, sorriu e me deu um selinho, falou que amanhã me mandaria mensagem pra explicar onde iríamos trepar... continua

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 12 estrelas.
Incentive Feh Moreno a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Amigo estou aguardando a continuação dos seus maravilhosos contos, continue por favor.

0 0
Foto de perfil genérica

É uma pena não ter fotos dessas bonecas, eu iria me deliciar com cada uma delas.

0 0
Foto de perfil genérica

Oi Sayuri, muito obrigado pelo retorno viu, comecei a ler os seus relatos e estou encantado também, por isso ainda não continuei o meu aqui rs, vou deixar uma mensagem pra vc lá, s2

1 0