Jogo da Verdade

Um conto erótico de Alexandre
Categoria: Grupal
Contém 1265 palavras
Data: 11/06/2024 08:58:16

Já brincou do jogo da verdade?

Acredito que sim, mas quem brincou sabe que geralmente esse entretenimento acontece quase sempre depois de ingestão de bebida alcoólica ou quando alguém quer obter informações e não tem coragem.

E essa história é referente a um verdadeiro confessionário regado a muita bebida alcoólica e o idealizador da brincadeira que sou eu, Alexandre, a saber, quero ver o circo pegar fogo, com toda certeza.

Éramos três casais, alugamos uma casa com piscina na região dos lagos no RJ e sempre que podemos estamos juntos em uma resenha.

Renata é uma preta linda, gostosa e dona de uma bela raba, casada com o Marcos, um negão alto e com cara de pilantra.

Marcela, minha esposa, somos casados há dez anos, é uma loira de seios fartos, e de olhos claros e magra, já eu sou, moreno de baixa estatura e com cara de santo e muito articulado.

Wellington é branco, alto e magro, casado com Wanderson um homem moreno e com traços orientais.

Já pelas 22h da noite do nosso primeiro dia, na casa linda de quatro quartos, estávamos reunidos na sala, bebíamos depois de uma dia de churrasco, ainda com traje de banho, abrindo parênteses, o biquíni da Renata some naquela bunda linda, já o Marcos sua sunga não suporta o tamanho da sua piroca, pq o volume é nítido na sua roupa de banho, e a minha esposa, dona de um par de tetas hipnotizantes, eu percebo os olhares para o air bag dela, o Welington é um rapaz atraente e o Wanderson visivelmente safado como eu, adora manjar rola, dono de uma bela bunda como a da Renata, confesso que comeria ele, que bunda linda, e eu não tenho qualidades físicas a não ser a safadeza kkkkkkk.

Citei a brincadeira já com a garrafa de cerveja na mão que tinha acabado de beber, com sim para brincadeira, tratamos as regras:

✓ Não podia ter gravação de hipótese nenhuma, o que se faz em Nárnia, fica em Nárnia como diz o ditado,

✓ Que quem girasse a garrafa escolhia uma pessoa para perguntar e quem for escolhido é obrigado a responder,

✓ Caso o perguntado se omita a responder, o cônjuge pagará a prova sugerida por quem perguntou.

Todos concordaram.

Sentados em círculos e aleatórios, me refiro aos casais, eu, Alexandre, comecei o jogo já que dei a ideia da brincadeira, girei a garrafa, depois de três giros no chão a garrafa parou apontando para o Wellington, todos começaram a rir e ansiosos pela pergunta.

_ Wellington, meu amigo querido, responde para a turma, o seu parceiro Wanderson já te chupou pela manhã e você se atrasou pra chegar no trabalho?

Wellington todo serelepe respondeu:

_ Sim, cheguei atrasado e bem atrasado, pq o meu amor mama gostoso, levantou e deu um selinho no parceiro.

E os aplausos deram o tom à brincadeira.

Wellington pegou a garrafa girou no chão e a garrafa parou de frente pro Marcos, e todos com olhares arregalados.

Wellington perguntou pro Marcos:.

_ Vc empurra essa anaconda toda na bunda da Renata?

Renata riu espontaneamente, era visível que a resposta seria sim.

Marcos respondeu enfaticamente:

_ Sim, ela gosta quando a pego d4, e eu enfio tudo até às bolas, respondido?

Wellington disse que sim e o Wanderson falou em alto e bom som que tinha inveja da Renata.

Marcos girou a garrafa que parou de frente pra mim e a pergunta foi categórica :

_ Meu amigo Alexandre, já transou com outro homem?

O silêncio reinou pq essa dúvida era uma questão que me persegue.

Me recusei a responder, disse que respondesse sim, ninguém ia acreditar, e se dissesse não, também ninguém iria acreditar, então não ia responder.

Marcão lembrou da regra, e me deu uma nova chance para responder, disse, sabia das regras e não ia responder.

Marcela visivelmente chateada, Marcos lançou a prova.

_ Marcela minha querida, ciente da fuga do teu marido em responder a pergunta, sua obrigação é mostrar esse belo par de seio para turma, e ela de pronto tirou a parte de cima do sutiã.

Fiquei chateado, mas regras são regras.

Marcos agradeceu por minha esposa por atender a exigência e a Renata elogiou:

_ Miga, você tem um belos seios, posso tocar ?

Marcela concordou e a Renata passou a mão e disse que eram lindos e gostosos, pena que não podia beijar, Marcela disse sim e a Renata lambeu os mamilos da minha esposa, dando uma chupadinha final onde os mamilos ficaram enrijecidos, e o clima ferveu na sala.

Ainda sem o sutiã, Marcela sentiu-se no direito de girar garrafa e de forma bem devagar a garrafa parou apontada para o Wanderson e a pergunta foi seca e direta:

_ Migo, seja sincero, você admirou o volume da piroca na sunga do Marcão?

Wanderson engoliu o resto da sua bebida e disse:

_ Renata minha amiga, muita inveja tenho de voce, o meu Mozão e eu já desejamos ter o seu marido na nossa transa, espero ter respondido .

Marcela deu uma gargalhada e todos bateram palmas, o coro huhuhu reinou.

Renata tomou a palavra e disse se quiser passar mão eu deixo, e o Marcos se manifestou perguntando se foi consultado, e a Renata mandou ficar quieto e mandou ele levantar, para o Wanderson e o Wellington para passar a mão no pau e assim foi feito, e o Marcos ficou rindo, pq o Wanderson passou a mão de boca aberta, o Wellington virava os olhos e sem cerimônia apertou a piroca por cima da sunga..

Wanderson girou a garrafa e caiu para Marcos novamente:

_ Marcos, você deixaria sua mulher transar com outro homem enquanto você assiste, sem participar, só de voyeur.

Renata visivelmente alegre e fazendo sinal positivo, esperava a resposta.

_ Marcos disse que sim, e se ela quiser poderia até ser naquele momento, ele era mente aberta, e eu gritei :

_ eis- me aqui, já lambeu os mamilos da minha esposa mesmo kkkkk.

Renata levantou, sentou no meu colo e beijou minha boca, chamou a Marcela, ainda com os seios desnudos, e demos um beijo triplo, o tesão verdadeiramente tomou conta daquele momento.

Wanderson levantou e foi até a geladeira e trouxe mais cervejas para todos, e disse que a noite prometia.

Findamos o beijo triplo, eu fiquei com a barraca armada, Renata também tirou a parte de cima do biquíni a pedido da minha esposa, os homens estavam sem camisa, Marcos lembrou que respondeu e a Renata pagou a prova pq quis, e Marcos girou a garrafa e caiu pro Wellington:

_Wellington vc lamberia os seios da Renata, minha esposa, e da Marcela?

Wellington disse que sim e assim fez, como elas estavam sentadas próximas, enquanto o Wellington lambia os seios, elas se beijaram, beijo de língua e carícias na ppk uma da outra por cima do biquíni.

Wanderson estava impulsivo, mais uma vez soltou pedido para o Papai Noel:

_ Tudo que eu quero é chupar o pau do Marcos.

O Wellington embarcou nos pedidos e disse que queria me mamar.

As meninas concordaram que assim fosse feito independente do giro da garrafa, Marcos ficou de pé e o Wanderson agachado, colocou a piroca pro lado, nem tirou a sunga e caiu de boca no pau do negão, realmente era muito grossa e grande, Wellington mamava a minha piroca, mais modesta diante da do Marcão, eu também estava de pe e o meu amigo agachado, depois de alguns minutos eles trocaram de piroca, mas antes se beijaram.

Passado a tal vontade, voltamos a girar a garrafa.

O próximo a girar a garrafa foi....

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 21 estrelas.
Incentive Negão_RJ a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil genéricaNegão_RJContos: 137Seguidores: 67Seguindo: 6Mensagem Gosto de Ler, Gosto de Escrever

Comentários