Submissa ao Cris em: será que estou viciada em swing?

Um conto erótico de Sub do Cris
Categoria: Heterossexual
Contém 1146 palavras
Data: 10/06/2024 12:14:13

Olá, hoje vou relatar como foi a terceira vez que fomos em uma casa de swing. Por se tratar da terceira vez, me veio a mente um questionamento: será que me tornei uma mulher viciada em frequentar casas de swing? Como vocês já sabem me chamo Gi, a alguns meses atrás conheci Cris e desde então ele vem me proporcionando experiências que nem nos meus sonhos mais loucos pensei em vivenciar!

Vamos ao relato, Cris e eu nos falamos durante a semana e combinamos de ir a uma festa no sábado, a festa seria na mesma casa de swing que fomos na quinta feira da semana passada (relato anterior).

Combinamos de nos encontrarmos às 21h na estação São Joaquim na linha azul do metro da cidade de São Paulo. Cheguei ao local combinado um pouco adiantada, porém quando estava chegando Cris me enviou uma mensagem dizendo que iria atrasar e que pediria para um dos rapazes do grupo me buscar na estação. Diogo, um assíduo frequentador dos meus contos me buscou!

Chegando lá me troquei coloquei um vestido preto, bem coladinho, com alça de um ombro só, estava com uma sandália de salto bege, com os cabelos soltos, lisos e maquiada como sempre.

Sentei no estofado da sala, fiquei sozinha por um tempo, logo veio um rapaz bem magro, branco e de estatura mediana, sentou ao meu lado, estava meio agitado, disse que era a primeira vez dele em uma casa de swing, que foi a convite de um casal, porém que estava muito frustrado pois ele não conseguiu ficar excitado e não conseguiu fazer nada com a esposa do casal que o convidou. Eu disse a ele que era normal, que com o tempo ele acostumava, foi então que ele me mostrou uma foto de um pau enorme no celular e disse que era o pau dele e que não estava acreditando que mesmo ele sendo tão safado e adorando tanto fazer sexo não conseguiu fazer o pau subir, perguntou se já aconteceu algo parecido comigo e sem mal deixar eu responder disse que seria difícil isso acontecer, pois eu era gata, e que ele preferia algo mais a dois.

Nesse momento Diogo e o rapaz que comanda o grupo de swing que Cris frequenta, se aproximaram e começaram a conversar comigo, com a intensão de espantar o rapaz, o rapaz percebeu e saiu.

Passado um tempo aproximadamente 30 minutos Cris chegou, me cumprimentou e sentou ao meu lado, ficamos conversando, os rapazes se aproximaram e juntos ficamos batendo papo. Neste momento um casal que estava na casa pela primeira vez, se aproximou de nós, a mulher, muito simpática e comunicativa se sentou ao meu lado, conversamos bastante, eles disseram que estão a mais de 10 anos no swing, porém aquele tipo de casa não era o tipo de lugar que eles costumam frequentar.

Passado um tempo Cris olhou no relógio já era 22h, e me disse: “vamos para a cabine? Vamos agitar um pouco esse lugar!” Eu concordei e fomos. Chegando na cabine ele me beijou, abriu o zíper da sua calça, me fez chupar um pouco o pau dele, depois tirou toda a minha roupa, inclusive a calcinha preta, bem pequenininha que eu estava usando. Falou: “vamos!” me puxando para fora da cabine e me direcionando para a sala, eu relutei um pouco, pois eu estava totalmente nua, somente com a sandália nos pés, na sala todos estavam devidamente vestidos e conversando, mas Cris puxou novamente e disse: “vamos! só obedece…” ele me levou até o meio da sala; nessa hora havia na casa, contando conosco quatro casais, os homens que fazem parte do grupo de swing, e alguns homens desconhecidos, inclusive o rapaz frustrado por não ter conseguido ficar excitado anteriormente.

Nesse momento todos ficaram calados e olhando surpresos, eu mal olhei para o lado, pois fiquei um pouco envergonhada, mas a vergonha não durou muito, logo eu estava extremamente excitada! Cris colocou o pau pra fora e mandou eu me abaixar e chupa-lo, depois me virou, fiquei em pé de costas para ele e começou a me comer, os rapazes se posicionaram na minha frente para eu chupar, fui chupando um segurando o pau do outro enquanto Cris me comia, Cris parou e os rapazes fizeram fila pra me comer enquanto uns me comiam, outros ficavam na minha frente para ser chupado.

Em um momento olhei para trás e o rapaz que não havia conseguido ficar excitado antes, estava me comendo, depois de também chupa-lo, percebi que ele não havia mentido, o pau dele era realmente enorme como o da foto que ele havia me mostrado no início da noite.

Quando eu olhei para o lado, as quatro mulheres que estavam na sala estavam todas nuas e todas transando. Naquela noite, havia um casal com uma moça loira, famosinha, ela grava conteúdo adulto, tem assinantes e tudo mais, ela se ajoelhou um pouco distante ao meu lado direito e começou a chupar os homens também, depois ela se deitou no estofado com a buceta para cima e chamou os rapazes para comer ela, porém naquele momento ninguém foi, somente o marido dela comeu ela naquele momento.

Eu saí do centro da sala e fiquei de quatro no estofado, nessa posição gozei pela primeira vez. Depois deitei no estofado, eles me comeram assim por um tempo, posteriormente fiquei novamente de quatro, a moça loira ficou ao meu lado. Nesse momento todas as mulheres estavam uma ao lado da outra, os homens que lá estavam se dividiram entre nós quatro. Passado mais de uma hora que tudo começou, eu já estava cansada, sentei com a perna aberta e Cris chamou Diogo pra me chupar, ele me chupou e logo gozei na boca dele.

A festa iria até às 23h como já havia passado do horário, fomos embora, como sempre fomos para um motel finalizar a noite, chegamos ao motel entramos no ofurô, relaxamos, conversamos bastante, depois transamos. No que pra mim seria o final da transa, Cris amarrou minhas mãos com o fio do carregador do celular e gozou comendo bem forte meu cuzinho. Eu achava que já havia acabado, mas ele começou a me comer novamente, depois ele se levantou ficando na beirada da cama, mandou eu me deitar com a com a cabeça para fora da cama, bateu uma punheta e quando estava gozando enfiou seu pau na minha garganta me forçando a engolir toda a porra dele, logo depois me ajoelhei no chão ele continuou se masturbando, gozou novamente, dessa vez eu engoli o primeiro jato e o restante ele gozou na minha cara, sujando todo meu rosto. Quando nos demos conta do horário já era 05h da manhã, eu precisava ir embora, tomei um banho me despedi de Cris, peguei um Uber e fui para casa toda doloridinha, na verdade estou dolorida até hoje escrevendo esse conto! até mais!

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 13 estrelas.
Incentive Sub do Cris a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Como sempre relatando TD com mínimos detalhes 😋🤤😋🤤😋🤤

0 0