A vizinha da minha mãe

Um conto erótico de Matheus
Categoria: Heterossexual
Contém 1014 palavras
Data: 10/06/2024 11:48:33

Fui visitar meus pais nas férias da faculdade, eles moravam em uma chácara um pouco afastada do centro da cidade, era um lugar bem agradável tinha bastante criação um pomar grande e um pequeno rio que passava no fundo. Depois de desfazer as malas e falar com todo mundo minha mãe perguntou se já tinha visto quem era sua nova vizinha, falei que não aí ela disse que era a Maria uma irmã da igreja dela. Maria era como uma segunda mãe pra mim e seus filhos como irmão e tinha também uma filha a Jessica que na época era novinha, seus irmãos zoavam que ela gostava de mim e ficava aquelas provocações de criança. Depois do almoço fui até a casa deles ver como estavam e saber das novidades, a novidade maior foi quando Jessica apareceu na sala, a menina tava uma delícia, morena de cabelos bem cacheadinhos e com luzes, peitos médios e bem empinados, um bundão bem gostoso, pernas grossas e uma boquinha carnuda que logo soltou um sorrisão ao me ver, conversamos bastante colocamos o papo em dia e voltei pra casa da minha mãe ai logo em seguida recebi uma solicitação de amizade de Jessica rapidamente fui olhar suas fotos mas eram todas muito comportadas, não usava decotes e nem roupas muito coladas, seus pais a levava em rédeas curtas por causa da igreja... mas feed é uma coisa e privado é outra não é mesmo? Kkk começamos conversar e já fui falado que ela estava muito linda e gostosa ela meio que um pouco tímida ia tentando controla para a conversa não desandar pra putaria rsrs já era umas 22h todo mundo tinha ido dormir ficando apenas eu e ela acordados, perguntei se ela não queria me ver de novo ela meio receosa que os pais a vissem e brigassem relutou mas terminei a convencendo, ela passou pela cerca e nos encontramos nos fundos da casa da minha mãe, eu estava só de calção e ela estava com uma blusinha de dormir e uma saia, puxei ela pra um cantinho mais escuro e já fui dando um beijo nela, escorei de costas na parede e puxei ela pra perto desci a mão até apalpar aquele bundão gostoso, apertava com gosto, depois tentei enfiar a mão por baixo da saia e ela tentou me segurar tirando minha mão dizendo que não podia exagerar, insisti mais um pouco até que ela deixou, apertei muito aquele rabinho gostoso no pelo... e foi assim com os peitinhos dela também, eu colocava a mão ai ela tirava, mas também não parava de beijar um minuto, em um segundo de vacilo dela eu enfiei a mão por baixo da blusa indo direto nos biquinhos que já estavam bem durinhos, ela soltou um gemidinho bem gostoso me chamando de “filho da puta” e depois dizia pra mim tirar que não podia etc... sabendo que ela também queria eu a provocava ainda mais, subi a blusa revelando aquele par de seios lindos, bem redondinhos com aréolas marronzinhas a boca encheu de agua e já fui chupando eles, ela só cochichava baixinho “vc é doido, e se alguém ver...” continuei mamando aquela novinha gostosa e apertava sua bunda esfregando seu corpo no meu, enfiei a mão na sua bucetinha que já estava toda babadinha e comecei esfregar enquanto ela gemia baixinho enquanto o cheiro de sexo tomava conta, tirei o pau pra fora e coloquei a mão dela nele e ela começou esfregar meio tímida, meu pau estava todo babado ai eu pedi pra ela da uma chupada ela tentou negar mais a convenci novamente, ela já estava tomada pelo tesão e se agachou enfiando meu pau na boca, pedia pra ela engolir mais e ela dizia que era mito grande, continuou chupando até eu pedir pra comer ela, ela tentou ficar só no boquete mas eu a puxei colocando ela de cara pra parede, levantei a saia dela e abaixei a calcinha até os pés dei umas três pinceladas na bucetinha dela e fui entrando bem devagarzinho, cm a cm, quando estava entrando tudo a safadinha jogou o quadril pra cima de mim fazendo meu pau tocar no fundo da sua bucetinha, comecei uma vai e vem bem gostoso, o crentinha apertada... a bucetinha dela espremia meu pau, eu segurava com uma mão na sua cintura e outra no cabelo dela, ela ficava louca até tive pedir pra ela gemer mais baixo, depois virei ela de frente dei um beijão e a peguei no colo escorei suas costas na parece e encaixei a pica novamente em sua buceta e voltei meter, pedi pra ela erguer a blusa que queria ver queles peitinhos perfeitos e sua carinha de puta, ela só obedecia, meti com gosto na bucetinha dela, falei que queria gozar na cara dela, ela tentou falar que não ai comecei meter mais forte e pedi de novo até ela deixar, quando tava preste a gozar coloquei ela no chão e ela já foi ajoelhando de boca aberta, soltei uns cinco jatos de porra enchendo a cara da safadinha de leite e em seguida mandei ela limpar meu pau com a boca, ela deixou limpinho e foi se ajeitando pra voltar pra casa antes de seus pais acordarem, quando ela chegou em seu quarto mandou mensagem, perguntei se ela tinha gostado ela falou que adorou e que eu era doido fazer isso no aberto e vai que alguém acordasse... falei que esse era o tempero especial, disse que a próxima queria pegar ela no quartinho que eu estava dormindo, ela topou na hora e mandou um foto da bucetinha toda vermelha, mandei foto do pau ainda duro dizendo que ainda dava mais uma se ela quisesse, ela disse que até queria mas era arriscado por que seu pai sempre acordava a noite, ai deixamos pro outro dia mesmo, comi a safadinha várias vezes até eu voltar pra minha casa, de vez enquanto começamos conversa e rola umas putarias por whats a bichinha sabe ser safada quando quer, e já até me prometeu o cuzinho quando voltar.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 15 estrelas.
Incentive Matheus.mtpa02 a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários