Mamei o pastor na academia

Um conto erótico de Adoniss
Categoria: Gay
Contém 1619 palavras
Data: 10/06/2024 10:25:53

Treino em uma academia de bairro, dessas comuns em toda cidade de interior. Ela n é muito top como essas de rede mas que é bem ajeitadinha.

Costumava treinar a noite, mas devido a quantidade de gente nesse horário, passei a ir pela tarde q tem bem menos movimento.

Tudo ia bem e na calmaria, aparelhos livres, pouca gente ate que ele chega.

Um coroa moreno, de minha altura 1,75, cabelinho cortadinho, barba bem aparada e um pouco grizalha, assim como os cabelos. Camiseta estilo machão com os braços de fora e calça de tactel.

Um coroa bem enxuto e de chamar atenção de qualquer viadinho q curta homens mais velhos.

Era o pastor ao qual ja o conhecia de tempos atras quando trabalhei com ele em uma fábrica. Mas na época ele n treinava e assim como eu era magrelo e nunca me chamou atenção.

Quando o vi, fiquei impressionado com a mudança, parecia até mais jovem. Adquiriu um belo corpo, todo definido devido estar malhando. O jeito de andar, a malícia em seu olhar, jeitão de cafajeste, desses q sabe fuder gostoso, tudo nele estava diferente.

Fiquei observando de longe ele chegar.

Passado esse momento, continuei meu treino, mas a toda hr me pegava de olho nele. Era como um ímã q me atraia, n conseguia evitar.

Certo momento ele notou q eu olhava p ele e me cumprimentou com a cabeça. Cumprimentei de volta e segui treinando.

Mas n conseguia parar de olhar p ele.

Notei e ele começou a me olhar tbm, mas n sei se olhava por interesse ou pq eu n parava de olhar p ele.

Teve uma hr q n consegui disfarçar e encarei por uns minutos e ele encarou de volta. Meu coração acelerou, o cu deu sinal de vida e o pau meia bomba.

Pensei: "- Esse gostoso ta afim de mim ou quer me dar umas porradas?"

Seria muita sorte minha um macho desse querer algo comigo. Afinal ele era pastor e devia chover mulheres e viadinhos em cima dele, mesmo ele sendo da igreja, afinal esses é que são os mais safados.

Mas p minha surpresa aparece a mulher dele q ja estava treinando antes dele chegar. Uma tipica crente dessas q usam saia p tudo, ate p ir na academia.

Ele da um selinho nela e voltam a treinar.

Meu treino ja havia acabado ha tempos, mas fiquei la so p admirar aquele coroa.

Logo o treino deles tbm termina e vão em direção a saída. Ela para p conversar com a menina da recepção e ele olha em minha direção que claro, ja estava de olho nele. Novamente nossos olhares se cruzam e perdura por alguns minutos.

Eles se dispedem e saem, passam pela lateral da academia q tem uma janela.

Dessa vez, ele q passou olhando p dentro e quando eu o vi, ja estava me olhando.

Aquilo piorou ainda mais meus pensamentos.

"Será q esse macho curte outro macho?

Terei q vir mais vezes nesse horario p descobrir"

Assim fiz.

Todo dia no msm horário estava la antes dele chegar, e tudo se repetia.

A troca de olhares, a pequera no ar, pelo menos de minha parte.

Tive a certeza do quão safafo ele era pelos olhares dele tbm p outras moças da academia. Comia o rabo delas com o olhar.

Notei q começou a ir sozinho, sem sua esposa.

Será q aquilo era proposital?

Será q o safado está dando brechas p algo acontecer.

Seria eu o escolhido ou alguma daquelas barangas gostosas q ficavam com o rabao a mostra praticamente se insinuando p ele?

Resolvi n mais encara-lo. Afinal n tinha chances contra aquelas rabudas ao qual ele comida com os olhos.

O mal de ser um viadinho putinha, é q a gente pensa q todo macho gostoso tbm curte. Mas nem sempre é assim...

Mas p minha surpresa, ele veio puxar assunto comigo.

Ele: "- E ai rapaz, lembra de mim?"

(Claro q lembrava, mas me fiz de esquecido)

Eu: "-Humm, acho que não"

Ele: "Trabalhava na fabrica (disse o nome)"

Eu: "-Ah, sim, lembrei. Mas vc ta diferente"

Ele: "- É? To mais acabado?"

Eu: "- Pelo contrário, esta mais jovem, mais bonit.. é, mais forte"

Ele riu e disse: "Que bom q estou mais bonito"

Eu ri e confirmei: "Sim, bem mais bonito"

Meu coração ja saindo pela boca em dizer aquelas palavras.

Ele continuou: "Vc tbm ta mais encorpado"

Naquela época eu era bem magrelo.

Eu: "-É, to tentando, quem sabe chego no seu nível"

Ele: "- Chega sim, eu q sou coroa consegui, vc q ta jovem tbm consegue"

Conversamos mais um pouco, e voltamos a treinar

Depois daquela conversa tudo mudou entre nós.

Conversamos toda vez q nos víamos.

Eu claro, sempre dava um jeito de elogia-lo, falando o quão bonito o corpo dele estava. Tudo com segundas intenções. Ele ficava todo cheio, adorava receber os elogios.

Certa vez ele estava conversando com outro cara moreno bem mais forte q ele. Um típico maromba cavalão daqueles q só de olhar tu ja se fica com o rabo no cio, mas ele era mais fechado e n dava papo p qualquer um.

Estavam falando de mulher. A certa hr o pastor fala. "Elas gostam é da pegada dos morenos". Os dois caem na risada.

Eu so ouvindo e fingindo que nao.

Aquilo me instigou.

Assim q se separaram, cheguei perto dele e disse: "Sera q a pegada do moreno é isso tudo msm?" E ri.

Ele: "So provando p saber" e saiu.

Não esperava q ele fosse falar isso.

Fiquei sem reação na hora.

Será q aquilo foi um convite?

Aquele dia n teve jeito, fui p banheiro da academia e bati uma punheta pensando nele, no macho gostoso e safado q ele tinha se tornado. Gozei p caralho.

Fiquei esperando o pau baixar p sair.

De repente a porta abre, era ele.

Notou o volume no meu calção e disse:

"-Ta animadinho, hein"

Resolvi q iria descobrir qual era a dele se curtia outro macho na encolha ou era so fogo de palha dele.

Eu:"-Pois é, fiquei pensando na pegada do moreno e deu nisso".

Ele entrou e foi mijar. Quando botou o pau p fora, tava meia bomba. Riu e olhou p mim balançando a pirocona como se tivesse oferecendo-a p mim.

Fixei o olhar nela e meu pau q estava quase baixo, voltou a subir.

"Eita, q nao é so eu q ta animado, hein"

Ele: "To sempre animado e pronto"

Eu: "-Posso sentir a pegada do moreno?"

Na hora ele virou p mim.

Aquilo obviamente foi um sim.

Meti a mão punhetando a caceta q ja tava dura e apontando p cima. Nao era das maiores q ja vi, mas era bem grossa do jeito q eu amo.

Punhetei um pouco e o chamei p dentro do boxe q tem o chuveiro.

Entramos e ja fui abaixando p mamar aquela tora grossa.

O safado sabia o q fazer.

Segurou minha cabeça com as duas mãos e fudeu minha boca come se estivesse fudendo uma buceta qualquer.

Socava la na garganta e tirava fazendo a baba escorrer pelo saco afora. Meus olhos lacrimejavam a cada estocada sua em minha boca. Um verdadeiro putao desses q fazem banheirao na encolha.

Segurava em sua bunda enquanto tomava varada na goela. O safado gemia a cada metida q dava. Empurrava minha cabeça contra seu pau quase me sufocando. Eu so queria mais e mais. Sugava aquele pau com vontade, como um bezerro faminto. Nunca imaginei q aquele macho fosse tao putao assim.

Mamava seu pau passando a língua em suas bola pentelhudas. Batia com ele na minha cara, punhetava e voltava a mamar. O cheiro do saco suado era um perfume inebriante. Me deixava ainda mais louco.

Passava a mao em seu peitoral peludo por baixo da camiseta, alisando seus mamilos entumecidos pelo tesão sem tirar o pau da boca um segundo. Chupava ate a cabeça e voltava p base engolindo cada centímetro daquela tora larga.

A certa hora ele me puxa p cima e beija minha boca, torna baixar minha cabeça p seu pau e puxa de volta, parecendo q queria sentir o gosto de seu pau na minha boca.

Volto a mamar segurando em suas bolas e inicío o vai e vem frenético p tirar o leite abençoado do pastor direito da fonte.

-"Da leitinho p mim, dá?

Ele: "-Quer leitinho, quer, sua puta?"

Eu: " -Quero, da leitinho, da"

Mamo sem parar ate sentir seu corpo se contrair, seu pau latejar em minha boca enquanto suas maos seguram minha cabeça contra seu corpo. Os jatos de porra invadem minha garganta. São muitos. O puto deveria estar sem gozar a dias p ta com tanta porra assim.

Saboreio o nectar do pastor sem tirar a jeba grossa da boca.

Ele mal espera eu engolir e me puxa p cima novamente e me beija minha boca com o gosto de sua porra.

Nossas linguas se enroscam num beijo quente e molhado, chupando minga língua saboreando sua própria porra.

Volto pro seu pau meia bomba e vou passando a lingua terminando de limpar toda a porra q ficou. Mamo mais um pouco, me levanto, dou um beijo nele e saio.

Ele continua ali um pouco p disfarçar.

Saio extasiado da mamada q acabara de acontecer. Fui direto p casa, pois se continuasse ali, todos iriam percebem minha boca vermelha.

Claro q depois disso teve outras vezes q mamei ele. Inclusive quando ele me fez ir de calcinha vermelha fio dental pro treino so p mamar meu cuzinho suado, e tbm o dia em fudemos num motel, mas isso fica p outro conto, caso vcs queiram ler...

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 18 estrelas.
Incentive Adoniss a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Adoniss, teu pastor é um safado gospel. Risos... Conte-nos mais sobre vocês dois, por favor.

0 0
Foto de perfil genérica

Safado e gostoso. Tenho fotos dele aqui. Tenho muitas histórias safadas com ele.

0 0