Dei o cu no exército, e gostei! 03

Um conto erótico de Daniel Martins
Categoria: Gay
Contém 5727 palavras
Data: 05/06/2024 07:25:54
Última revisão: 05/06/2024 07:41:36

Passaram-se duas semanas desde que tinha comido o Basil pela primeira vez. Aquele meu novo amigão, tinha ficado viciado no meu pau, durante aqueles 15 dias fudi-o pelo menos uma vez por dia, e eu sabia que ele continuava a ser fudido pelo Ferreira também. O que mais me intrigava no Basil, é que ele continuava com aquela atitude de super macho, nos exercícios era sempre dos melhores, um cara destemido, sempre pronto para qualquer exigência que os nossos instrutores mandassem fazer, mas quando se apanhava sozinho comigo se ajoelhava logo na minha frente e começava a mamar o meu pau, o cara adora um pau e dar o cu, e sabe-o dar de um jeito delicioso. Quando estávamos todos juntos, ninguém falava das fodas que tínhamos entre nós, quase todos já tínhamos um amigo ou mais com quem fodiamos, mas quando conversamos sobre fodas, era sempre sobre as que tivemos lá fora com as garotas, e eu reparava que o safado do Basil ficava sempre de pau duro só de ouvir as nossa histórias, o safadinho podia adorar rebolar num pau, mas ele me falava que era louco pela mulher e já andava a subir pelas paredes para a fuder, mas até fazer os os primeiros 3 meses de recruta não íamos a casa.

Ao fim daquelas primeiras semanas, eu já estava completamente integrado com aqueles meus novos amigos, e começava a gostar muito de estar no exército, a única coisa que sentia falta, para além da minha namorada e família, era do Sargento Ramirez, embora tivesse o Basil, sempre pronto para fuder comigo, eu sentia falta daquele sargentão do caralho, era bom fuder o Basil, a safado dava aquele cu muito bem, mas por mais que me custasse admitir para mim próprio, eu sentia falta de uma boa piroca, tinha gostado de ser fudido por aquele sargento, mas só me restava esperar que outra oportunidade aparecesse.

Outro ponto menos bom era a minha relação com o Ferreira, continuávamos sem falar um com o outro, somos muito orgulhosos, tínhamos o mesmo grupo de amigos, dormíamos nas camas lado a lado, e era notório que ambos queríamos fazer as pazes, mas continuavamos a ignorarmo-nos . O Basil, o Ramos e o Souza, se esforçavam para que nos reconciliasse-mo-nos, mas nada, até que depois de uma daquelas partidas de futebol de fim de dia o Ferreira vem ter comigo:

-Martins, tem um tempinho para falarmos um pouco?

Eu estava exausto, estava calor, estávamos ambos todos suados, só de calções, queria era um banho, mas eu também queria acabar com aquele gelo entre nós, e estava disposto a ouvir o que ele tinha para me dizer.

-Sim claro – o Basil, o Souza e o Ramos estavam sorrindo e iam se aproximar para ouvir o que ele tinha para me dizer…

-Parece que aqui não nos dão privacidade, vamos até um sítio mais sossegado? - olhei para os rapazes que me olharam com cara de desdém.

-É melhor, parecem beatas de igreja a escutar a conversa dos outros – rimos todos, era óbvio que ia haver reconciliação entre nós.

Fomos então até uma caserna que não ficava muito longe do campo de terra do quartel onde jogávamos futebol, sabíamos que lá ninguém nos incomodaria aquela hora, fomos calados, sem saber muito para dizer um para o outro, quando chegamos lá eu é que quebrei o gelo:

-E aí Ferreira o quê querias falar comigo? - falei em tom amigável.

-Quero te pedir desculpa, tu tens razão eu não tinha o direito de falar da tua vida para ninguém – ele nem me conseguia encarar estava nervoso, e dava para ver que estava a ser sincero .

-Eu também te quero pedir desculpa, a minha reação foi exagerada – ele olhou para mim e sorriu mesmo com uma cara de felicidade e estendeu-me a mão.

-Amigos de novo? - não era preciso dizermos mais nada um ao outro, um pedido de desculpa era tudo o que precisávamos.

-Claro que sim! [Sorriso amigável]

Demos um aperto de mão apertado, e depois nos abraçamos. Um abraço sincero bem demorado.

-Já não aguentava mais ficar chateado contigo Martins, és o cara aqui dentro com quem eu logo tive afinidade.

-Eu também cara, foste o meu primeiro amigo aqui dentro!

O abraço estava a prolongar-se demais, e encostei sem crer o meu braço no seu pau e senti-o duro, ele mais safado, levou a mão ao meu que também já estava duro:

-Estamos de pau duro cara – falei eu rindo.

-Andas a comer demasiado o Basil depois dá nisto! [Riso divertido]

-Tu também estás de pau duro porra! [Riso divertido]

-Mas eu nunca te escondi que tenho o maior tesão por essa tua bunda redondinha gostosona. [Riso safado]

-Tu és, é um safado, não te chega a do Basil? Eu sei que ele continua a te dar a bundinha dele sempre que tu queres!

-O cu do Basil é o mais rodado do quartel, já o teu deve estar bem apertadinho… [Riso safado]

A conversa estava como sempre foi antes de de brigamos, até aquele momento, o safado sabia que aquele comentário ia mexer comigo, pois o sargento Ramirez não me tinha procurado mais e ele sabia isso, e eu mudei o tom da conversa, e resolvi ser sacana com ele também:

-Devo ser o único do nosso batalhão que ainda tenho o cu apertado – o Ferreira percebeu a minha ironia, mas não ligou e começou um clima de foda entre nós os dois.

-Mas se tu quiseres eu posso te ajudar a resolver isso, sou muito bom a alargar cuzinhos.

Estávamos sentados lado a lado, e caras como o Ferreira já não me eram indiferentes. Ele é um cara super gato, tens olhos azuis bem safados, foi loiro na adolescência por isso agora tem os cabelos castanhos claros , é branquinho, corpo atlético bem gostoso, com muitas tatuagens, e tem uma cara de safado, que não sei explicar, mas me fazia ter uma atração física enorme por ele, e eu resolvi sacanea-lo e ver no que daria aquela conversa:

-Não te esqueças que já vi o teu pau em ação, não sei se vale a pena….

-Eu sei que viste, e com certeza viste o quanto o Basil gosta de rebolar nele. Sou eu que mantenho aquele cuzinho larguinho para vocês…. [Riso safado]

-Isso não é verdade, eu também ajudo a manter aquele cuzinho larguinho - [Riso safado] - já o teu não deve estar menos largo que o dele.

-O meu? Nada disso, está mais apertado do que o teu….

-Não sei não, eu e o sargento Ramirez, só fodemos uma vez… - a conversa estava divertida, mas naquele momento eu já estava com o meu pau a babar, não sei era por falta de mulher, mas eu sentia um tesão enorme por cara gostosos como o Ferreira.

-Ele é assim mesmo, dá prazer para um cara e depois desaparece, é o sargento mais gostoso do quartel, e quanto eu sei, machos não lhe faltam… e eu sei que tu sabes o quanto ele gosta de um macho, mas eu sei que ele é louco por ti, vai te procurar de novo, e não precisas de te preocupar, logo logo vai te estar alargando esse teu cuzinho de novo.

-Que é isso Ferreira, não quero repetir nada com ele, sou macho! - eu ainda sentia vergonha de ter gostado de ser fudido pelo meu sargento.

-Não precisas de ter vergonha comigo, eu sei que tu gostaste, eu adoro foder com caras, e adoraria que ele me fudesse também, mas foi a ti que ele escolheu…

-Quando fodes com caras, gostas mais de ser ativo ou passivo Luís? - Luís era o nome próprio de Ferreira , a conversa era de brincadeira mas ao mesmo tempo séria, eu andava cheio de dores de consciência por estar tendo tesão por caras e falar dele sobre esses assuntos me aliviava um pouco.

-Depende cara, por exemplo, com o Basil, jamais o deixaria me fuder, o cara foi feito para levar com rola, ele adora, e tem gozadas incríveis quando o fodemos. Contigo me atrai muito essa tua atitude macho indomável, me daria um prazer enorme te fuder.

-Porra! Tens assim tanto tesão para foder comigo?

-Para caralho…

-Porra o que se passa com os caras do nosso batalhão? Este quartel está nos transformando todos em viados…

-Eu sempre fui viado Daniel, e sou bem resolvido com isso, mas lá por teres tesão para foder aqui com outros caras isso não significa que sejas viado, todos os nossos camaradas aqui fodem uns com os outros e lá fora fazem vida normal com as suas mulheres ou namoradas - ele tinha razão, e tinha acabado de me confessar que era gay, mas não valorizei, eu já desconfiava, ele era o unico que nunca falava de namoradas, e não largava o Basil, nem o tenente Jordão.

-Eu sei, só que nunca pensei em fuder um cara, muito menos ser fudido e gostar, há 15 dias que estou sempre de pau duro, fodo o Basil sempre que posso e adoro, mas o que eu queria mesmo era voltar a ser fudido pelo Sargento Ramirez…

Naquele momento estávamos os dois tão próximos que os nossos corpos quase se tocavam, e o Ferreira começou a olhar para o meio das minhas pernas, viu o meu volume e sorriu para mim bem safado.

-Notasse… tens aí um grande volume no meio das pernas…

-É esta conversa, fico logo assim cara - e tentei esconder o meu volume, mas o Ferreira tirou minha mão do meu pau.

-E comigo não tens vontade de fuder Daniel?

-Contigo eu tenho vontade de fazer tudo, é isso que me preocupa…

-Desde que te vi, já bati muitas punhetas a pensar em ti Martins, eu também tenho vontade de fazer tudo contigo - o Ferreira se aproximou bem perto de mim, eu não fiz nada, só observava os movimentos dele - mas tu és muito estressado, relaxa Martins, deixa rolar o tesão…

O tesão entre nós tinha estourado, e começamos a nos beijar, o Ferreira beija bem, foi logo metendo a sua língua dentro da minha boca, enquanto apertava a minha vara, eu sentia uma atração enorme por ele, e fui-me envolvendo completamente naquele beijo, e relaxei, e ele então meteu a mão dentro dos meus calções e agarrou no meu pau.

-Nossa Martins, teu pau mal cabe na minha mão! - o Ferreira é um safado, falou aquilo com os olhos a brilhar.

-Gostas de um bom pau grande? - comecei a provocá-lo.

-Só vendo… [Riso sacana]

O safado tirou o meu pau para fora, e estava bem teso, ele ficou encantado.

-Caralho Martins, que pauzão lindo!

-Gostas?

-Se gosto? Adoro cara, é tão tesudo que até me cresce água na boca!

-E é mesmo de uma boquinha como a tua que ele está a precisar - provoquei-o bem safado, ele punhetava a minha vara devagarinho, e olhou bem nos meus olhos, bem sacana.

-E eu, que estou com tesão do caralho para te mamar…

O sacana do Ferreira abocanhou logo quase a metade do meu pau, que delicia, ele sabia chupar, não ficava nada atrás do Basil. Ia sorvendo a minha vara e quando chegava à cabecinha dava uma sugada bem puxada, que me deixava todo arrepiado, comecei a ficar com calor, e tirei a minha t-shirt.

-Safado, tu sabes mamar bem para caralho…

-Adoro mamar uma rola Martinsinho, e esta tua é uma delícia!

Ele voltou a abocanhar o meu pau, e eu então agarrei no seu cachaço, e forcei a sua cabeça contra o meu pau.

-Então engole tudo seu safado, tou vendo que tu gostas de engolir pirocões!

Empurrei bem a seus cabecinha contra o meu pau, até o nariz dele tocar nas minhas bolas, e o safado engoliu todinho sem reclamar, quando largou o meu pau a sua cara é de satisfação:

-Caralho cara, não é fácil engolir esta tua rola, ela imensa…

-Mas tu engoliste-a muito bem seu sacana!

-Esta tua rola é uma delícia Martins - ele olhava para o meu pau e os seus olhos brilhavam de tesão - vou querer que a coloques todinha no meu rabo.

-Vou enfiá-la até ao talo nessa tua bundinha tesuda - ele sorriu bem sacana, e voltou a engoli-la todinha, e depois quando olhou para mim e sorriu bem sacana novamente - mas primeiro me deixa saboreá-la um pouco mais…

-É tua toda… tu és um grande safado Ferreira….

O sacaninha tirou a sua camisola também, e instantaneamente meus olhos apreciaram aquele meu novo camarada, o Ferreira é um tesão, tem corpinho musculadinho mais para o atlético, cheio de tatuagens, minha mente estava mudando naquele quartel, um cara como ele me provocava um tesão do caralho, e o sacana e agarrou logo no meu pau de novo:

-Fazia tanto tempo que não tinha um pau tão delicioso para eu mamar - e eu fui sacana com ele.

-Nem o do tenente Jordão?

-Nem o tenente Jordão caralho… - e abocanhou o meu pau de novo.

-Então mama-me bem gostoso, deixa essa piroca bem tesa, que eu depois vou entrerra-la todinha nesse teu cu roto…

Coloquei as minhas mãos para trás e fiquei a observá-lo, não precisa de fazer nada , o Ferreira é experiente sabe dar um tratamento de boca como ninguém. Dava gosto vê-lo mamar, o Basil chupava bem mas nada que se comparasse com o Ferreira, o safado mama gostoso demais, primeiro começou pela cabecinha, passava a língua na glande, no buraquinho, depois lambia toda a extremidade do meu pau e voltava a subir, engolia-o quase todo, ele sugava o meu pau e ficou a mamar assim por um bom tempo, era prazerosos demais, e comecei a sentir o meu pau a babar de tesão.

-Uhmmmm…que delícia, já estás com o pau babando Martins! - falou ele todo satisfeito e voltou a mamar o meu pau cheio de vontade.

-Como não podia estar, tu mamas bem demais seu sacana!

-És um macho tesudo pra caralho - e voltou abocanhar o meu pau todo e depois começou a me olhar nos olhos - se quiseres gozar, podes gozar na minha boquinha, adoro o sabor desta tua piroca…

-Vou gozar, mas vai ser no teu cu seu safado!

-Meu cu é todo teu!

O Ferreira se entusiasmou ainda mais, e caprichou mais na chupada, e o meu pau não parava de babar, mas eu ainda estava longe de gozar, sabia me controlar, e queria mesmo fude-lo, ja tinha apreciado a bundinha dele enquanto tomávamos banho nos vestiários, ele tem uma bunda redondinha branquinha que é um tesão. Com o calor da mamada ele agarrou no seu pau e colocou-o para fora e começou a se punhetar bem rápido, eu fiquei ainda com mais tesão, era mais uma prova que eu já não era o mesmo, deixei de me concentrar ma mamada dele, e começou-me a crescer água na boca, queria muito provar aquele pauzão dele, queria mama-lo também, o pau dele teso é enorme, lindo, retinho e cabeçudo, e o safado se apercebeu do meu desejo:

-O meu pau está te incomodando Martins? - falou bem malicioso.

-Um pouco, tens um pau muito tesudo - falei meio envergonhado, mas não conseguia deixar de olhar pro picão dele, e ele ao ver a minha abertura, parou logo de chupar.

-Queres vê-lo mais de perto?

Não respondi nada, não era preciso, e o Ferreira se divertia com a situação, me olhava com aquela sua cara de safado, levantou-se, ficou de pé, e guardou o pau, eu não conseguia parar de olhar para o seu volume, o pau dele estava bem teso dentro dos seus calções, ele ao ver que eu estava hipnotizado, sorriu bem sacaba:

-Vem vê-lo mais de perto, não precisas de ter vergonha!

-Não tenho vergonha, só ainda não estou acostumado… - e ele terminou a minha frase

-Não estás acostumado a ter vontade de mamar um pau, né?

-É isso…

-Mas estás cheio de vontade para pegar no meu picão? - sempre sacana, e apertou o pau para mim.

Sorri e não respondi, ele estava juntinho a mim, e baixei os seus calções, a sua vara saltou dura na minha frente, o Ferreira tem um pau enorme, do tamanho do meu, um pau grosso retinho, cabeçudo e cheio de veias, ele estava muito teso.

-Tens aqui um pirocão Ferreira - e comecei a punheta-lo.

-Gostas dele?

-Difícil não gostar…

-Estas com tesão para chupa-lo né, seu viado enrustido…

-Viado não sei se sou, mas que estou com uma puto de um tesão para provar esta tua piorca isso estou… - eu ja nem ligava para a as suas provocaçoes estava encantando com aquele picão dele.

-Então prova logo cara!

Eu apertava o pau dele, e a minha mão mal fechava, para além de grande aquela pirocona e bem grossa, e eu estava cheio de vontade para prova-la, sentir o seu gostinho, dei logo uma chupadinha bem puxada, uhmmmm e nossa, como era saborosa e macia aquela piroca, e o sacaninha adorou.

-Caralho Martins tu gostas de te fazer de macho, mas tu gostas mesmo é de chupar um pau seu safado…

-Não menos do que tu, mas que esta tua vara é gostosa, isso é…

-Não fales seu viado, e chupa - eu já nem ligava para as provocações dele eu queria mesmo era mama-lo, agarrei no pau dele e começei a surve-lo, e ele foi ficando ainda mais putão - uhmmmm que tesão ver-te chupar assim gostoso seu caralho….

Eu mamava-o mesmo cheio de vontade, puta que pariu, eu estava mesmo a ficar um viado, antes, nunca imaginei que fosse tão parazeroso mamar um pau, e mamar o dele cara me dava um tesão do caraças, eu engolia a cabecinha dava umas chupadas bem piuxadas e depois ficava a passar a minha língua nela, voltava a abocanha-la toda e engolia-a quase a até a metade daquela varona, e ele adorava, pois o safado começou logo a gemer de prazer.

-Ah caralho Martinzinho ninguém chupa assim como tu, que tesão… isso… chupa bem gostoso… uhmmmm… caralhooooo…. isso é a verdadeira mamada de macho…

Não sei explicar, mas ouvi-lo gemer daquele jeito me dava ainda mais vontade para mama-lo, e o safado do Ferreira ao ver que eu aguentava bem aquela piroca na minha boca, começou a força-la cada vez mais fundo na minha garganta, e aquilo era um desafio para mim, eu ainda não era experiente a mamar um pirocão tão grande, e quando já tinha engolido mais da metade, eu já não conseguia engolir mais, mas o safado era bem experiente, e segurou na minha nuca e continua meter aquele pirocão pela minha goela abaixo…

-Engole o pau todo do teu macho, sim? Que tu tens que saber mamar um pau como deve ser…

Quando as bolas dele tocaram no meu queixo os meus olhos estavam com lágrimas, era foda ter um pauzão daqueles todo na minha boca, eu sentia-o a bater bem no fundo da minha garaganta. E a verdade é que eu gostava daquilo, não sei explicar mas sentia muito prazer, meu pau estava duraço, e o Ferreira começou a fuder a minha boca.

-Que delícia de boca, isso… engole bem o meu pau seu safado, o macho batalhão chupa melhor que o melhor viado… - o Ferreira começou a fuder literalmente a minha boca, tirava mais ou menos metade da sua vara e depois voltava a enterrá-la bem fundo na minha garganta, eu fui aguentando mas acabei por me engasgar, eu estava todo babado e a vara dele também.

-Caralho Ferreira assim não dá, tu és muito pirocudo….

-Mas tu bem que aguentaste até agora, e eu vi que tu gostas assim, seu safado…

-Deixaste-me sem ar porra!

-Essa tua boquinha ainda tem que ser mais bem treinada, mas tu levas jeito Martins, poucos caras conseguem engolir assim meu pau…

-É um pau bem gostoso, não deves estar a dar de mamar aos caras certos para chupar, provavelmente só deves andar a dar esse teu cu para quem quiser te fuder - provoquei-o.

-Provavelmente ... mas a verdade aqui, é que tu gostas de te fazer de macho, mas estás cheio de vontade para voltar a mamar a minha piroca!

Ele tinha razão, não adiantava fazer-me de macho, pois eu estava mesmo cheio de vontade para voltar a mamar aquela vara, sorri bem sacana para ele e voltei a sugar aquela cabeçinha vermelha, e nossa como era gostosa, e já soltava algumas gotinhas de pre porra, o Ferreira estava super excitado com aminha mamada, e eu também, sugava bem aquela vara e adorava saborear aquelas gotinhas de leitinho que já iam saindo, e o meu cu começava picar, porra, que viadão que eu estava a ficar.

-Isso engole tudinho, aproveita bem o meu pau Martins, que já, já eu vou-te dar mais tesão, mas é noutro sítio…[Riso sacana]

Ouvi-lo falar assim, não sei explicar, mas me fazia sentir um calor a subir por mim acima, só sei que naquele momento o Ferreira podia fazer o que quisesse comigo, e comecei a chupa-lo ainda com mais vontade e ele começou a respirar cada vez mais ofegante, até que segurou na minha cabeça e afastou-a do seu pau e olhou bem nos olhos:

-Tu levas-me à loucura seu safado, agora vou te fuder!

-Fode-me seu filho da puta! - eu sentia o meu a cu a abrir e se fechar, estava piscando, o meu orgulho de macho naquele momento tinha ido pro caralho, eu só queria ter aquele safadão e me fuder.

O Ferreira empurrou-me contra o colchão improvisado que tinha lá barracão e tirou toda a sua roupa, ficou peludão, com o seu pauzão bem duro apontado para cima, eu olhava-o cheio de desejo e ele veio logo sobre mim e começou a tirar a minha roupa também.

-Estou cheio de tesão para provar essa tua bundinha de macho!

Assim que tirou a minha cueca o safado foi logo passar a mão no meu rabinho, que naturalmente tem poucos pelos, e ficou completamente encantado

-Que cuzao Martins, que delícia caralho - e levou a sua mão ao meu reguinho, me arrepiei todo, e sempre que passava no meu botãozinho ele massaja-o um pouco com o seu dedão, e eu sentia um calor gostoso naquela zona, e já sentia era a falta ali de uma piroca.

-Fode-me logo Ferreira - eu olhei-o nos olhos e ele olhou nos meus e eu pude ver o seu tesão por mim.

-Desde que te conheci Martins que sonho com este momento, não vou ter dó ti caralho!

-E quem te disse que é para ter dó de mim? Quero é que me fodas com tudo, só te peço que no início deixes o meu cu se acostumar a esse picão gostoso.

-Fica tranquilo, ja comi muito cuzinho de macho…

-Tu sabes que o meu já foi arrombado, mas só foi uma vez.

-Eu sei seu gostosão por isso vou te fuder com muito carinho, porque a partir de hoje nunca mais vais ficar muito tempo sem pau. [Riso safado]

-Es um sacana…

O Ferreira partiu para a ação. Abriu bem as minhas pernas e eu fiquei com o meu cú todo escancarado para ele. depois passou um pouco de cuspe no meu botãozinho, me arrepiei todo, e em seguida senti ele a encostar a sua pirocona na entradinha do meu cu, eu tremia de tesão, estava cheio vontade para que aquele sacana me fodesse logo, não sei explicar mas tinha tanto tesão no meu cu é só para o pirocão o podia acalmar. Então senti ele esfregar a cabeça do seu pau tenho no meu botãozinho e depois começou a forçar, mas não ia ser fácil entrar, pois eu continuava com o meu cu muito apertado, mas o Ferreira continuou a forçar e senti o meu cuzinho a ser todo arregaçado, e me assustei:

-Lubrifica mais um pouco Ferreira, lubrifica que eu estou muito apertado

-Lubrifico nada, este cozinha está ótimo é assim, eu gosto de fuder um cu bem apertado.

O sacana agarrou no meu pau que continuava duraço naquela altura, e forçou a cabeça do seu com mais intensidade ela entrou, e eu sentia que misto de dor e prazer

-Ai puta que te pariu Ferreira, nossa….

-Uhmmm que tesão, és mesmo apertadinho… este cuzinho precisa de muita piroca…

E não parou de enfiar seu o pau, foi metendo bem devagarinho, e segurava na minha vara e ia me tocando uma punheta, o sacana sabia mesmo fuder um cu. Eu sentia o meu cu a ser todo alargado, doía, pois o Ferreira para além de pirocudo, tem um pau bem grosso, mas ao mesmo tempo era tão bom, tão gostoso, tão prazeroso, que quando dei conta ele já estava todinho dentro de mim.

-Que delícia de cu Martins! Tu te comportaste muito bem, já está tudo dentro.

-Porra Ferreira és pirocudo demais, arrebentaste-me todo.

-Mas tu gostas de uma vara grande assim, né safado?

-Sei lá, o que eu quero sentir o tesão gostoso da tua metida - o sacana tirou o pau quase todo e enfiou tudo de uma vez, doe para caralhoo o meu cu ainda não estava preparado para aquilo.

-Caralho Ferreira, que foi isso? Queres arrebentar o meu cu seu filho da puta!

O Ferreira se debruçou sobre mim e deu-me um beijo bem forte e gostoso e começou socar aquele pirocão duraço no meu cu.

-Não vale a pena reclamar, tu tens tesão no cu Martins, foste feito para levar com um pau neste cu apertadinhoe começou a aumentar o ritmo das estacadas, eu reclamava mas adorava, e já começava a sentir aquele prazer maravilhoso de ser fodido por um pau.

-És um sacana Ferreira, mas és um sacana gostoso!

Sorrimos bem safados um para o outro e depois ele voltou a dar-me um beijo tesudo e continuou a fuder-me bem forte, tirava o seu pau quase todo e depois voltava enfiar bem fundo, e bem rápido, eu sentia um prazer cada vez maior, tinha andado naquelas últimas semanas a sonhar com a foda que tinha tido com o sargento Ramirez e mal eu sabia que tinha bem perto de mim, naquele tempo todo, um cara safado, bem gostoso, que sabe fuder maravilhosamente.

-Caralho, que tesão, faz tempo que eu não fudia um de cuzinho tão apertadinho! - o Ferreira bombava o meu cu como um touro, e o sacana estava a ter tanto prazer como eu naquela foda, eu já nem ligava para o que ele dizia eu estava em extase…

-Isso,fode, fodeeeeee…. fodeeeeee-me gostoso… - ele ficava ainda mais louco com a minhas palavras e metia o seu picão bem fundo - uhmmmm… ai que delicia, issssoooo…soca bem fundo essa piroca!

-Assim? - ele tirou o pau todo, e depois de uma só vez, enfiou tudo bem forte, nossa meu pau até pingou, que prazeroso que foi aquilo.

-Ai caralhoooooooooooo… isso é tão bom Ferreira, mas se fizeres isso muitas vezes eu gozo….

-Que coisa mais gostosa de se ver, o machinho do batalhão está a se contorcer todo de prazer com enfiada do meu pau no cu - e continuou a me socar daquele jeito, e eu comecei a sentir aquele calorzinho que não sei descrever, a subir por mim a cima

-Para seu filha da puta … eu não quero gozar já!

-Aqui o macho sou eu, eu te fodo como eu quiser - e continuou a me fuder do mesmo jeito, ele sabia que estava a levar a loucura.

-És um sacana Ferreira - me resignei aquele prazer todo, segurei no meu pau, sabia que ia ter uma das melhores gozadas da minha vida, mas aí o sacana parou de repente de me socar

-O que foi cara, não pares agora não por favor… - o filho da puta parou mesmo na hora em que já sentia a gozada a chegar…

-Ainda não quero que gozes!

-Aaahhhh caralho és um sacana!

-Tu ainda és muito selvagem, mas eu vou te domar, e não te preocupes, que vou te fazer gozar bem gostoso - e para meu desespero ele saiu de dentro de mim, o meu cu que ficou todo aberto, vazio.

-Eu quero gozar com a tua piroca no meu cu cara!

-Levanta daí esse seu teu bundão gostoso! - o Ferreira falava num tom autoritário e eu fazia o que ele mandava bem obediente, nem eu me reconhecia, eu só queria era ter o pau dele de novo no meu cu o mais rápido possível.

-O que é que tu queres cara?

-Quero ter o macho mais gostoso do batalhão a cavalgar e a gemer na minha piroca!

O Ferreira falava de um jeito bem sacana, dava-lhe muito tesão me fuder, ele sabia que eu antes de ir para o exército, nunca na minha vida, tinha sequer sonhado fuder com outro cara, quanto mais ter prazer em ser fudido. Não respondi nada, pois eu no fundo ainda tinha vergonha de ter prazer em levar com uma rola no cu, e fiquei apenas o observando. O Ferreira sentou-se onde eu estava deitado segurou no seu pauzão e o apontou para mim com aquela sua cara de safado filho da puta

-Vem, vem sentar no pau do teu macho!

-Que merda é essa cara, que macho que nada, tu es mais viado do que eu! - meu sangue ferveu ao ouvi-lo me tratar daquele jeito.

-Vem logo sentar pau do teu macho caralho! Que sei que estás mortinho para o ter novamente nesse cuzinho preenchido pelo meu pau.

Queria mesmo, e só me restou engolir o meu orgulho, e de costas para ele, posicione-me para cavalgar aquela picão, passei a minha mão no seu pescoço, e ele mirou o seu pauzão no meu cu, e eu comecei a sentar. Nossa o meu cu jã tinha sido bem alaragado por ele naquele dia, mas senti novamente o meu cu apertado a abrir-se para o seu picão grosso entrar, e porra que delicia, não senta nehuma dor, só um prazer enorme. Que sensação mais gostosa sentir as minhas pregas a alargarem-se à medida que eu sentava bem devagarinho naquela pirocona.

-Isso Martins, senta gostoso no teu macho! Porra, que cu mais aperdinho que tu tens…

-Caralho cara, tu é que tens um picão bem grosso!

-E tu adoras ele assim, né seu sadado?

-Aaaiiii porrraaaaa…. sim caralho… - gemi alto quando sentei totalmente na sua pirocona, já sem nenhuma vergonha por gostar do prazer daquela delícia.

-Agora que já está todo dentro cavalga gostoso o teu macho!

-Não sejas sacana comigo Ferreira!

-Deixa de ser palerma Martins - e deu um tapa bem forte na minha bunda - teu pau está teso, sobe e desce bem gostoso, que tu vais gostar porra, faz ele gozar de prazer…

Eu adoro provocá-lo, e a verdade é que eu estava cheio de vontade para cavalgar a sua pirocona, e então comecei a subir e descer, e aquela fricção do seu pau no meu cuzinho começou logo a provocar um calor gostoso do caralho por mim acima, e não me consegui segurar e soltei um gemido:

-Aaaaiiiii porraaaaaaa….uhmmmmmm….

-Isso geme, gostoso no pau do teu macho!

-Não sejas sacana comigo seu filho da puta que eu vou te encher de porrada!

-Quem vai te encher de porrada sou eu, e é com porrada de poroca - e deu um tapinha na minha bunda - vai cavalga e geme gostoso no pau do teu macho, que tu gostas mesmo é de cavalgar uma piroca.

-Aaahhhh seu filho da puta… eu… eu…. - eu reclamava mas cavalgava-o com maior intensidade, nunca tinha feito aquilo e estava a adorar, sentia um tesão maravilhoso.

-Tu nada, tu vais é continuar a cavalgar assim gostoso no teu macho até eu te encher o cu de porra!

-Ai caralhoooooooo…. uhmmmmm

Naquele ponto estávamos os dois completamente eufóricos, eu cavalgava que nem um louco o pirocão dele, e estava a levá-lo a loucura, agarrei no meu e apertei-o bem forte, eu sabia que o gozo estava quase a chegar, mas eu não queria gozar, eu queria sentir aquele prazer ainda por mais tempo, estava a adorar cavalgar mas sabia que não ia conseguir me segurar muito mais tempo, era prazer demais.

-Isso Martinzinho fode o meu picão com esse teu cuzinho gostoso…. aaaiiii…. caralhooooo…. que vou enche-lo de porra - e começei a sentir o pau dele a se contarair dentro de mim, o meu macho estava quase a gozar e quem não se segurou mais fui eu…

-Aaaaiiiiiii… porraaaaaa caralhoooooooo…. - e o meu pou soltou o peimeiro jato de porra, que esporrou para bem longe.

-Issssooooo…. goza! Goza bem gostoso Martinzinho… aaahhhhhh caralho como eu sonhei com issooooo….

E sinto o primeiro jato de porra a sair do pau do Ferreira dentro do meu cu, eu não parei de cavalga-lo, foi uma das melhores sensações da minha vida, eu cavalga, eu gozava, e sentia o meu macho a desacarregar o seu leitinho dentro de mim. Não sei quanto tempo durou aquele momento, só sei que quando terminanos estavamos exaustos, e eu sentei literalmente nele, fiquei com o pau dele cravado no meu cu, abracei-o e começamos a nos beijar, enquanto pau dele amolecia dentro de mim, e eu sentia a sua porra a escorrer pelo meu cu.

-Que fodão Ferreira!

-Tu nasceste para levar com pau nu cu Martins! [Riso sacana]

-Não me fales isso que te encho de porrada! [Sorriso engraçado]

-Adoro esse teu jeito de macho bravo…

E continuamos a nos beijar até recuperarmos as nossas energias, já era tarde tínhamos que regressar, mas a nossa vontade era de repetir tudo, mas começamos a nos vestir. Quando saímos para ir ter com os nossos amigos o Ferreira não resistiu e no meio do caminho deu-me mais um beijinho ao mesmo tempo que apalpava a minha bunda.

-Estou super feliz Martins, já não aguentava mais estar chateado contigo.

-Te controla cara alguém pode nos ver…

E mal acabo de falar só ouvimos uma voz grossa atrás de nós:

-Já fizeste as pazes com o teu amiguinho Ferreira?

Era o tenente Jordão, ficamos os dois super vermelhos, envergonhados por termos sido apanhados, ele ao ver o nosso embaraço rematou:

-Andava à tua procura faz tempo Ferreira, anda logo que eu preciso que quebres uns galhos para mim.

Falou super sério, o Ferreira até ficou sem cor, e foi todo cabisbaixo atrás do tenente Jordão, eu fui ter com os nossos amigos com o coração apertado, ele com certeza ia levar uma grande bronca.

Continua...

****************************************************************************

Se gostaram do conto votem e comentem, é uma enorme satisfação saber a vossa opinião. Obrigado pelas vossas leituras.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 21 estrelas.
Incentive Catcm82 a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil de Jota_

Que saudade que eu tava dos seus contos! Adoro a história, o detalhamento das fodas, o sotaque português...tudo! Continua!

0 0
Foto de perfil genérica

E SE DIZEM TODOS MACHOS, HETEROS. RSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS PIADA NÉ?

0 0
Foto de perfil genérica

Que delícia. Minha pica está imensa e meu cuzinho piscando. Leia as minhas aventuras. Vais adorar e gozar demais.

0 0