Fantasias da minha namorada 24

Um conto erótico de RickG
Categoria: Heterossexual
Contém 7290 palavras
Data: 15/05/2024 11:37:40

Continuando a historia, com o novo serviço Camila tinha desconto nos produtos vendidos na loja, quando chegava uma peça nova ela já ficava de olho e se nenhum cliente generoso a presenteasse, ela comprava no final do mês.

Camilinha era a funcionaria do mês a três meses seguidos, a preferida da gerente da loja. A outra vendedora, sua colega de trabalho, morria de inveja da comissão que minha namorada tirava, mas era acomodada e não se esforçava para vender mais. Ela via como Camila atendia os clientes homens e sempre que tinha oportunidade criticava minha namorada, dizendo que ela era muito dada.

Grande parte do sucesso de Camila no novo serviço se dava com o investimento que ela fazia nas roupas e sapatos, passando a se vestir ainda melhor, com roupas caras e que valorizavam muito seu corpo de falsa magra, sempre ajustadas na cinturinha, destacando a bundinha empinada e as coxas grossas.

Quando ela não trabalhava de sabado, passava o dia todo no salão de beleza, tudo para ficar ainda mais bonita e gostosa.

Um dia a dona da rede de lojas foi buscar uns documentos e fez questão de ir na parte da manhã para conhecer a Camila pessoalmente, pois minha namorada tinha aumentando o faturamento da loja e foi muito elogiada pela gerente.

A dona era uma coroa no maior estilo perua bem antipatica, mas Camila acabou conquistando ela com seu charme e carisma, elas ficaram conversando durante horas sobre todos os assuntos, sendo interrompidas pela chegada do marido da dona da loja, bem mais novo que ela e com jeito de malandro, estava na cara que estava com a coroa só por causa do dinheiro dela.

O malandro chegou falando alto, dizendo que estavam atrasados para alguma coisa, chamando pela coroa, mas não sem antes dar uma bela secada dos pés a cabeça na minha namoradinha que vestia uma camisa branca mais soltinha, que mostrava o sutiã de rendinha preto em qualquer movimento, amarrada na frente para não cair sobre a cintura, calça legging preta e sapatos de salto alto pretos. A calça era bem justa e marcava bem o pacote da bucetinha e a pequena calcinha que usava.

A coroa nem se importou ou fez que não importou com o olhar do marido em Camila.

Ao sairem o malandro ainda olhou novamente para Camila e desta vez deu um sorrisinho malicioso para ela.

A colega de Camila ate deu um toque nela depois, sobre o marido da dona, que ele dava em cima de todas as vendedoras e era para ela tomar cuidado com ele.

Não era o tipo da minha namorada, mas Camila tambem não queria arriscar o novo trabalho por causa de uma rola, isso ela conseguiria em qualquer lugar e como ela sempre costuma dizer, mulher bonita e gostosa já esta acostumada com o assedio.

Mas nem tudo são flores, o novo serviço consumia ela, estava sempre cansada, algumas folgas eram durante a semana e nem nos viamos, mesmo morando na mesma casa.

Nos finais de semana que ela trabalhava eu arrumava algo para fazer, voltei a jogar com mais frequencia nos sabados com a turma do futebol, saia com o Gustavo e o resto do pessoal para algum bar ou arrumava algo para fazer com meu primo.

Quando entrou em ferias da faculdade parecia que nos veriamos mais, porem era epoca que mais vendia na loja e ela tinha que trabalhar alguns dias em turno dobrado.

Era um sabado, Camila chegou do trabalho e deu de cara comigo e o Giba bebados, tinhamos assistido ao jogo de futebol que passou na televisão regado a muita cerveja e cachaça, pois fizemos o tradicional brinde do meu primo e nosso time venceu de goleada.

Giba levantou no susto com a porta abrindo, se desequilibrou e caiu novamente sentado no sofá.

Minha namorada riu do Giba e veio me cumprimentar.

Camila: Oi Amor! Já estão bebados não é?

Eu: Eu tô otimo! O Giba que não sabe beber!

Disse eu com a voz embaralhada por causa da bebida.

Minha namorada vestia uma saia preta na altura do joelho, com uma fenda na parte de trás, bem justa no corpo, uma blusinha de alcinha com estampa de oncinha e um belo decote nos seios, sobre um salto alto preto scarpin de doze centimetros de altura.

Ela se abaixou para me dar um beijo e deixou a raba virada para o Giba, que ate ajeitou o pau dentro do shorts.

Depois foi ate o Giba e deu um beijinho no rosto dele.

Meu primo bebado perde a vergonha e bom senso, ficou olhando os seios da Camila pelo decote, quando ela se abaixou para cumprimentá-lo.

Minha namorada percebeu e empurrou ele novamente contra o encosto do sofá.

Camila: Amor, controla esse seu primo tarado, por favor?

Disse ela fingindo estar brava, mas com um belo sorriso no rosto.

Gritei imediatamente com ele, dizendo que se ele não se comportasse eu chamaria a Denise para vir buscá-lo.

Giba: Desculpa primo! É que a Cah agora usa essas roupas de classe e eu não estou acostumado! (Rs)

Mentira dele, pois a Denise tambem se veste super bem e como é gostosona, as roupas caem muito bem no corpo dela.

Eu: A Dê esta te dando uma gelada primo? Você esta na seca? O que você aprontou dessa vez?

Giba: Não fiz nada primo, juro!

Eu: Não consigo acreditar que ela esta te evitando por nada!

Giba: Eu posso ter falado algo que ela não gostou!

Camila com sua curiosidade acima do normal se sentou entre nós no sofa para ouvir a fofoca do meu primo.

Camila: Falou do personal dela? Não acredito em você Giba! Eu te falei para não falar nada!

Disse ela dando um tapa no braço do meu primo, repreendendo ele.

Giba: Falei sim! Eu precisava falar! Isso me deixa irritado e ela sabe disso! Mas não devia ter falado mesmo Cah...

Camila: Claro que não devia! Eu te falei que isso seria pior, agora ela vai manter o personal mesmo que ela não goste do treino dele!

Eu: Eles devem treinar bastante!

Disse eu rindo do Giba, o que deixou ele ainda mais irritado.

Giba: Não começa primo, você tem telhado de vidro!

Camila me olhou com um olhar de ódio, sem falar nada eu sabia que tinha passado do limite e tanto ela quanto eu sabiamos o que Giba queria dizer.

Eu: Quem tem telhado de vid...

Camila: Bom meninos, vou tirar essa roupa e esse sapato, meus pés estão me matando de ficar o dia todo com esse salto!

Disse Camila em voz alta, me interrompendo para evitar uma briga e tirando os sapatos.

Quando ela fez menção de se levantar, meu primo tentou fazer mais uma das suas brincadeiras, provocando Camila e ao mesmo tempo tentando me irritar.

Giba: Você deve estar precisando é de uma boa massagem nos pés! A Dê adora a minha massagem!

Camila: Sabe que não seria uma má ideia! Estou precisando mesmo!

Eu olhei para Camila, pela sua expressão eu pude ver que ela estava com raiva de mim.

Camila se sentou no sofa, entre mim e Giba, e fez exatamente o que eu temia que ela fizesse.

Ela apoiou as costas em mim e colocou os pés sobre o colo do Giba.

Camila: Capricha aí Giba que meus pezinhos estão super doloridos!

Disse ela me olhando em seguida com um sorrisso debochado.

Meu primo surpreso com a atitude da Camilinha ficou sem ação, imovel com os braços suspensos no ar enquanto minha namorada posicionava os pezinhos delicados com unhas pintadas de branco e visivelmente marcados pela costura do sapato de couro duro sobre seu colo.

Giba que não é bobo, aproveitou sua chance e ja foi logo se posicionando melhor no sofa para acariciar minha princesinha.

Ele se sentou apoiando as costas no braço do sofa, sentando sobre sua perna e ficando de frente para Camila.

Minha namorada estava de saia, com os joelhos um pouco flexionados, Giba agora podia ver pelo vão entre suas pernas a calcinha de rendinha vermelha que ela usava.

Camila percebeu os olhares de Giba, mas nada fez.

Se eu falasse algo ali para Giba a briga seria é com a minha namorada, ela me culpava por algo que eu fiz, conheço a expressão de raiva dela quando faço algo que a desagrada.

A TV continuava ligada, passando os melhores momentos do jogo que havia terminado, mas ninguem a assistia nesse instante.

Estavamos os três mudos, eu sentia e ouvia a respiração de Camila ficando mais ofegante.

Giba massageava o pézinho esquerdo da minha namorada, notava-se que ele não sabia massagear de verdade e estava apenas acariciando, por que Camila estava gostando tanto daquela massagem, eu me perguntava.

Foi quando entendi o real motivo dela estar ficando excitada, o pézinho direito estava posicionado sobre um grande volume que se formava dentro do shorts de tactel que Giba usava naquele dia.

Camila não movia o pézinho, estava apenas repousado sobre o caralho duro do meu primo, mas como o tecido é fino ela sentia ate o calor daquela rolona.

Ela alternava os olhares entre a massagem e o volume sob seu pézinho direito, mas tentava disfarçar para o Giba, como se não tivesse percebido que tinha um pau duro embaixo do pézinho dela.

Giba de vez em quando olhava para mim, talvez incredulo com o que estava acontecendo.

Ele não queria trocar a massagem para o pé direito dela, com medo dela não apoiar o pézinho esquerdo sobre a pica dele novamente e ficou longos minutos dedicado a massagear o pézinho esquerdo dela, depois foi subindo e massageou a panturrilha dela tambem.

Camila: Ai que delicia Giba, sua massagem é muito boa mesmo!

Eu: O pé direito não esta dolorido tambem Amor?

Disse eu com a voz um pouco alterada para Camila.

Giba notou e fez menção de trocar de pézinho.

Camila: Esta sim, mas eu quero mais um pouco no esquerdo, estava mais dolorido!

Giba continuou a massagem no pézinho e estendia ate a panturilha, passando a mão nas pernas da minha namoradinha e sentindo sua pele macia e quente.

Camila: Faz um pouco no direito tambem Giba?

Ele apoiou o pézinho esquerdo sobre o seu colo, mas não totalmente sobre o seu pau, apenas os dedinhos tocavam de leve no volume do shorts.

Sem o pé dela sobre o volume, podiamos ver que aquele caralho ate pulsava de tão excitado que meu primo ficou.

Camila, para a nossa surpresa, foi esticando aos poucos a perna esquerda, mexendo os dedinhos sobre o volume, mas fingindo que estava se ajeitando melhor no sofa.

Foi nesse instante que Giba percebeu que Camila estava adorando aquilo.

Giba: Nossa Cah, seu pézinho é tão pequeninho, parece de princesa!

Disse ele para quebrar a tensão do momento.

Camila: Obrigada, eu passo bastante hidratante nele, na verdade eu passo bastante hidratante no corpo todo, eu amo tomar banho de hidratante! (Rs)

Disse ela toda sorridente para ele.

Giba: Da para perceber, a pele da sua perna tambem é muito macia!

Eu: Ela passa todos os sabados no salão de beleza!

Camila: Quase todos né Amor! Tem sabado que eu trabalho! (Rs)

Eu: Tirando o sabado que você trabalha!

Giba: Não é facil estar sempre bonita né Cah?

Camila: Tudo tem o seu preço, Giba!

Enquanto conversavamos não notei quando Camila tinha colocado o pézinho novamente sobre a rola do Giba, mas agora era possivel ver nitidamente que ela fazia movimentos com o seu pézinho, massageando a rola dele sob o shorts.

Camila olhava fixamente para a rola dele e mexia descaradamente o pézinho sobre ela.

Camila: Que delicia essa massagem Giba! Esta me dando ate calor!

Disse ela tentando disfarçar os arrepios que faziam o corpo todo dela tremer.

Nessa hora minha namorada fingiu se ajeitar no sofa e passou a mão sobre o meu pau, que tambem já estava duro nesse momento, denunciando que eu estava excitado com aquela cena da minha putinha oferecida.

Ela olhou para trás, para mim, com um sorriso safado, virou para o Giba e agradeceu a massagem se levantando de uma vez.

Camila: Obrigada Giba! Vou tomar um banho e trocar de roupa, mas já volto meninos! Não vão cair bebados aí no sofá!

Giba aproveitou para se sentar melhor no sofa e deu um bela ajeitada no pau dentro do shorts, deu para ver uma mancha escura no shorts, parecia molhado, não sei se era gozo ou somente a pica dele babando de tesão na minha Camilinha, mas ele jogou uma almofada sobre o colo tentando esconder a barraca armada e a mancha.

Ele não conseguia parar de sorrir.

Tinha se aproveitado da minha namorada na minha frente, eu via na expressão no rosto dele, estava se contendo para não contar vantagem e tirar um sarro da minha cara.

Fiquei em um misto de sensações, o tesão misturado com o ciume, meu primo ali passando a mão no corpo da minha princesinha e ela toda excitada sentido a rola dura dele.

Ja fazia alguns meses que não tinhamos uma aventura e tanto eu quanto Camila estavamos cheios de tesão acumulado.

Eu e Giba ali, sentados na sala assistindo aos melhores momentos do jogo, ele fazia uns comentarios sobre algumas jogadas e eu não conseguia prestar atenção no que ele falava, minha mente estava longe.

Camila já estava no banho a mais de vinte minutos e eu ainda ouvia o barulho do chuveiro.

Eu: Vou ver se a Cah quer pedir uma pizza! Vai escolhendo os sabores aqui no folheto!

Disse eu pegando o folheto da pizzaria perto de casa de dentro da gaveta da mesinha de canto e entregando a ele.

Giba: Vamos pedir de calabresa, a Camila gosta de calabresa?

Eu: Ela gosta sim, vou perguntar se ela esta afim de comer hoje!

Entrei no quarto sem fazer barulho, a porta do banheiro não estava fechada, pela fresta eu consegui ver ela debaixo do chuveiro tocando em sua bucetinha, se masturbando.

Fui abrindo a porta devagar, ela abriu os olhos e me viu, abrindo um sorriso lindo.

Me aproximei e abri a porta do box para falar com ela baixinho.

Eu: Sua safada! Eu vi você passando o pé no pau do Giba!

Camila: Desculpa Amor! Eu fiquei tão brava com você falando sobre o personal da Dê só para irritar seu primo que acabei deixando ele fazer a massagem só para me vingar de você, mas quando eu senti aquele pauzão duro no meu pézinho eu não consegui me conter! Me perdoa Amor? Eu tava com tanto tesão que vim correndo aqui para o banho aliviar!

Olhei para cima da pia do banheiro e o Andre estava ali do lado, só esperando a vez dele.

Eu: Esta tudo bem Amor! Eu vi que você estava excitada!

Camila: Não viu não, minha ppkinha estava super molhada Amor! Você não tem ideia! (Rs)

Eu: Quer experimentar a pica dele?

Camila: Você deixa?

Disse ela aumentando o tom da voz, de tão animada que ficou.

Eu: Não grita! Ele vai ouvir!

Camila: Desculpa! Você deixa?

Disse ela sussurrando novamente.

Eu: Você quer muito isso?

Camila: Ai Amor! Não preciso nem responder né? Claro que quero homem! Eu estou te pedindo um pau grosso a quantos meses já?

Disse ela indignada.

Com minha namorada trabalhando tanto não postavamos mais nada no site liberal, que ficou esquecido, eu entrava de vez em quando para ver alguns comentarios, mas como não tinham atualizações tambem não tinham novos comentarios.

A busca do novo comedor tambem ficou esquecida, pois era dificil conseguir alguma recomendação sem se dedicar a busca.

Eu: Não sei se vou me arrepender disso no futuro, mas Amor, eu vou te confidenciar, quero ver isso acontecer tanto quanto você! Tô louco de tesão em ver você com ele!

Camila: Mas ele não esta muito bebado Amor? Não queria que a primeira vez com ele fosse assim!

Eu: Oxi! E quem disse que vai ter segunda, terceira, etc?

Camila: Ah Amor! Ele tá sempre aqui e tem um pauzão! Por que você acha que eu não vou dar para ele depois? Você sabe que namora com uma mulher com muito fogo e que você sozinho não consegue apagar né, corninho? (Rs)

Disse ela com aquele carinha de sapeca, bem putinha já foi apalpando meu pau duro sob a bermuda.

Camila: Olha ai! Nem consegue disfarçar que tambem tá louco para ele vir me comer outras vezes!

Eu: Calma, você nem deu para ele ainda e ja fica fazendo planos! E se ele for ruim de cama?

Camila: Você acha?

Eu: Só provando para ver! (Rs)

Camila: Mas você não me respondeu, não acha que ele esta muito bebado hoje?

Eu: Acho que esta sim, eu tambem estou! (Rs)

Disse eu rindo para ela.

Camila: Mas eu estou com tanto tesão naquele pauzão Amor! Que droga!

Eu: Vamos brincar com ele?

Camila: Como assim?

Eu: Vamos falar para ele que você tem fetiche em chupar pau de outros homens e que você quer fazer um boquete nele hoje? Mas que é só o boquete! Nada mais!

Camila: Vamos! (Rs)

Disse ela toda animada dando pulinhos e me abraçando toda molhada pela agua do chuveiro.

Eu: Vou deixar uma roupa em cima da cama para você vestir!

Camila: Hummmm, quer me deixar toda sexy para mamar o seu primo, não é corninho?

Eu: Não, pelo contrario, quero que você vai lá com a roupa que eu deixar na cama e você se senta normalmente no sofa, ate então ele não sabe de nada, nesse momento eu vou te oferecer para ele! Quero ver a reação do meu primo quando você se ajoelhar na frente dele para chupar a rola dele!

Camila: Vou ser bem obediente para o meu senhor!

Disse ela entrado na brincadeira.

Sai do banheiro e separei a roupa para ela vestir, uma camisolinha de malha de algodão bem levinha, que contornava todo o seu corpo, cinza clara, de alcinha, sem sutiã e com uma calcinha minuscula rosa daquelas que a renda é bem transparente.

Voltei para a sala e me juntei ao Giba no sofa.

Giba: Demorou hein! Achei que você tinha se juntado a Cah no banho!

Eu: Deu vontade mesmo, mas estavamos decidindo o sabor da pizza!

Giba: Tanto tempo só para decidir isso? Vocês são muito indecisos! Mas a Camila vai querer calabresa ou não?

Eu: Vai sim!

Disse eu contendo o sorriso.

Giba: Pede lá então que estou morrendo de fome já!

Eu: Espera a Camila sair do banho primeiro e já pedimos!

Ouvi o barulho do secador de cabelo, ela já estava se arrumando.

A ansiedade estava me matando.

Na TV, a programação já tinha mudado algumas vezes, nem sabia mais o que estavamos assistindo agora.

Giba conversava comigo, mas na verdade era um monologo, eu nem conseguia respondê-lo, pois não sabia do que ele estava falando, só conseguia pensar na Camilinha ajoelhada na frente dele mamando na sua piroca.

Quando ela apareceu na sala Giba quase teve um ataque cardiaco.

Minha princesinha com os cabelos loiros secos, esvoaçantes pela escova que acabara de fazer, enroscavam nos grandes brincos de argola que ela usava, desfilando com sua camisolinha cinza claro com estampa de gatinhos em rosa, bem menininha, a camisolinha chegava apenas ate o começo da coxa, bem curtinha, os peitinhos com os bicos duros denunciavam o tesão dela, pois marcavam bem o fino tecido da camisola.

Notei que ela tinha colocado ate a tornozeleira de hotwife no tornozelo direito.

Ela chegou e se sentou novamente no sofa, no meio, entre eu e Giba.

Logo o cheiro do seu perfume tomou conta do ambiente, misturado ao cheiro do creme que ela havia passado no corpo todo, como sempre fazia no ritual pós-banho.

Camila: Giba, posso usar essa almofada?

Disse ela pedindo a almofada que estava no colo do Giba e colocando nas suas costas.

Se ajeitou confortavelmente no sofa, cruzou as pernas fazendo a camisolinha subir ainda mais, deixando as coxas grossas a mostra e quase revelando a cor da calcinha.

Ficou balançando o pézinho no ar, destacando a sua tornozeleira.

Giba ficou olhando de canto de olho para as pernas da minha namorada.

Giba: Que bom que você voltou Cah, seu namorado quer matar a gente de fome, falou que tinhamos que esperar você para escolher a pizza! Você gosta de calabresa, não gosta?

Camila: Amo! (Rs)

Disse ela com um sorriso sapeca no rosto.

Giba: Então pede logo primo!

Camila: É, Amor! Pede logo!

Me levantei para buscar o telefone e aproveitei para ligar da cozinha, deixando o Giba ali sozinho na sala com a minha doce namoradinha semi-nua.

Giba não perdeu tempo e se ajeitou melhor no sofa para conseguir observar o corpo da minha namorada.

Camila fingiu não perceber os olhares e ficou mexendo no cabelo.

Quando voltei para a sala, me sentei novamente no sofa e coloquei uma mão na perna de Camila.

Fiquei conversando com Giba e passando a mão na coxa dela.

O volume dentro do shorts do Giba voltou a crescer e ficar evidente.

Dava para sentir a tensão no ar.

Eu passava a mão lentamente, chegando bem proximo da bucetinha dela.

Ela me olhou mordendo os labios.

Eu: Giba, como você já descobriu, vou falar abertamente com você! Eu e a Cah somos liberais, você já conhece nosso perfil la do site e pelo jeito já viu o que fazemos! Gostamos de realizar fantasias e normalmente envolve outro homem. Quero ver ela chupando pau e queria saber se você deixa ela mamar você agora!

Giba me olhava assustado, sem acreditar no que estava acontecendo.

A Camila olhava para o chão, parecia um pouco envergonhada.

Eu: E aí Giba? Topa? Se não quiser tudo bem, mas o entregador de pizza vai ganhar uma gorjeta inesquecivel hoje! (Rs)

Giba: Claro que topo primo! Desde que eu suspeitei que o perfil era de vocês, não paro de pensar nisso!

Eu: Presta atenção em mim! Ela só vai te chupar! Nada mais! Você só vai tocar nela se ela quiser e permitir! Tudo bem?

Giba: Sim, claro primo! Você que manda!

Eu: Vai lá Amor, quero ver você mamando na rola do meu primo!

Eu tinha acabado de oferecer a minha namorada para o meu primo, agora não tinha mais volta.

Camila se jogou ao chão, engatinhou ate o meio das pernas do Giba, se posicionou ajoelhada na frente dele, apoiou as mãos sobre as coxas dele abrindo ainda mais as suas pernas e ficou alisando as pernas peludas dele com aquelas mãozinhas delicadas.

Ainda mostrava um pouco de vergonha, não olhava muito para os olhos de Giba e ficou encarando o shorts dele.

Conforme Camila passava a mãozinha sobre a coxa dele, o volume dentro do shorts pulsava, ela então começou a chegar mais perto do volume a cada passada de mão, ate tocar levemente na cabeça da rola dele.

Ela abriu um sorriso no rosto e deu uma apalpada contornando a rola, sentindo o tamanho.

Olhou para mim com um sorriso sapeca no rosto e depois voltou a encarar o volume enquanto tateava ele.

Camila então levou suas mãos ate o elastico do shorts e foi puxando para baixo.

Giba ergueu um pouco seu quadril, ajudando Camila a tirar o shorts.

Ele não estava usando cueca e assim que Camila puxou o shorts, uma rola grossa de uns vinte e seis centimetros dura como pedra pulou para fora do shorts. A rola era cheia de veias aparentes, de uma tonalidade mais escura que o tom da pele do meu primo, tinha um formato achatado, muito larga no corpo e na cabeça, não era cilindrica.

Camila abriu um belo sorriso e pela primeira vez olhou para Giba.

Giba: Gostou né Cah?

Ela continuou tirando o shorts dele e jogou longe.

Giba abriu as pernas para facilitar o acesso de Camilinha ao monstro.

Minha princesinha segurou na base daquele pauzão com sua mãozinha pequena e delicada, o tom clarinho da pele dela constrastando com a pele escura da rola dele, as longas unhas vermelhas, era tudo muito erotico.

A mãozinha não fechava por completo e ela teve que usar a ajuda da outra mãozinha para contornar toda a circunferencia da rola.

Ela ficou lá admirando a rola por alguns segundos, depois me olhou nos olhos com um sorriso no rosto, estava realmente impressionada com o tamanho daquilo.

Com as duas mãos ela foi punhetando lentamente, fazendo Giba soltar o primeiro gemido de tesão.

Giba: Põe tudo na boca Cah! Eu sei que você quer provar, engole a minha pica sua safada!

Disse ele já transtornado de tesão, sentido aquelas mãozinhas deslizando para cima e para baixo, apertando a rola dele.

Camila: Calma Giba, não esta gostando assim?

Giba: Quero sentir a sua boca na minha pica! Quero ver você engolindo ela inteirinha ate as bolas!

Camila: Será que vai caber tudo isso aqui dentro da minha boquinha?

Disse ela colocando o dedinho na boca e fazendo charme para o seu novo macho.

Giba ficou mais excitado ainda com as provocações da minha putinha.

Camila: Posso colocar na boca Amor?

Disse ela pedindo para mim, seu dono.

Eu: Pode, coloca na boca Amor!

Ela abriu bem a boquinha e colocou apenas a ponta da cabeça do pau para dentro, como se estivesse sugando o bico da mamadeira, dava para ver a força da sucção pelas bochechas contraidas.

Peguei o celular que estava sobre a mesinha de centro e tirei uma foto daquele momento.

Ela ficou lá fazendo varias posses com a pica dele proxima ao rosto, dando beijinhos, passando a linguinha.

Minha namorada abocanhou a cabeçona toda de uma vez e Giba urrou alto, ela deu três mamadas e tirou da boca.

Ficou olhando Giba nos olhos e rindo para ele, satisfeita com a tortura e com o prazer que ela proporcionava a ele.

Camila: Nossa Giba! Que pauzão gostoso você tem!

Depois me olhou com a camera na mão e falou.

Camila: Amor, bate uma vendo sua putinha mamar o seu primo!

Eu: Tava louca para chupar essa piroca né puta?

Camila: Tava! (rs)

Camila: Mas olha esse pauzão Amor!

Disse ela esfregando e batendo com o pauzão da cara.

Posicionei o celular sobre a mesinha e deixei filmando enquanto eu sacava meu pau da bermuda, para começar a punheta.

Giba olhou para o meu pau, não falou nada, mas riu para Camila.

Camila deu de ombros para ele, se esforçando para tentar engolir aquele pauzão, mas era muito grosso, ela não conseguia.

Minha namorada fazia um boquete bem molhado, ela aproveitava a baba para lubrificar o pauzão e deslizar melhor a sua mãozinha por ele.

A franja do seu cabelo caia sobre o seu rosto e atrapalhava o boquete, Giba para ajudar ficava segurando o cabelo para trás, mas ele aproveitava e forçava a cabeça da minha namorada contra o seu pau, fazendo Camila engasgar.

Minha namorada estava preparada para chupar um pau, então tirou o elastico que estava no seu pulso e amarrou o seu cabelo para trás com ele, fazendo um rabo de cavalo.

Quando Giba tentava segurar no rabo de cavalo ela afastava a mão dele.

Camila tinha o melhor boquete que já provei e grande parte disso era porque ela gostava muito de rola, ela não tinha pressa, fazia degustando pelo maior tempo possivel, eu não conseguia aguentar muito e normalmente gozava antes dela cansar, mas aquela rolona exigia muito dela e deixava seu maxilar dolorido.

Dava para perceber quando ela estava mais cansada de chupar, pois ela se dedicava mais a punheta e a massagem das bolas no saco, ordenhando o macho para receber logo o leitinho que ela tanto gostava.

Camila não gostava muito de pelos e sempre pedia para eu aparar mas minha namorada estava com tanto tesão nesse dia que ate passava a linguinha dela no saco do meu primo, mesmo com o saco todo peludo. Colocava a bola inteirinha na boca e ficava massageando com a lingua.

Ela mamou nele por varios minutos, de todas as maneiras possiveis.

Giba se provou um belo comedor ao segurar o gozo por tanto tempo e tive que ajudar a minha namoradinha para fazer ele gozar mais rapido.

Eu: Amor, levanta e tira essa camisola, mostra os peitos para o Giba!

Ela largou a rola e se levantou do chão, ficando em pé na frente dele, os joelhos estavam vermelhos de ficar ajoelhada no chão por tanto tempo.

Camila tirou a camisola por cima da cabeça lentamente e ficou ali somente de calcinha para o meu primo.

Giba: Deixa eu tocar nesses seios durinhos?

Camila: Amor, seu primo pode apalpar meu seios?

Eu: Pode sim!

Camila: E beijar eles?

Eu: Pode!

Minha namorada então ajeitou a calcinha, puxando as alças laterais um pouco mais para cima.

Meu primo podia ver pela transparencia do tecido na parte da frente da calcinha o inicio da rachida dela, depiladinha, toda lisinha.

Camila se aproximou dele e sentou no seu colo, de frente para ele, oferecendo os seios para meu primo se deliciar.

Giba não perdeu tempo, apalpou um e colocou o outro inteirinho dentro da sua boca, mamando com força nele e fazendo Camila gemer com os olhos fechados, jogando a cabeça para trás.

Ela sentia a vara dele pressionando a sua bucetinha e rebolava no colo dele.

Giba segurou ela pela cintura pressionando ainda mais ela contra o seu pau enquanto ainda beijava e mordiscava seus peitinhos.

Ele deixou os peitinhos dela todos vermelhinhos e marcados pela sua brutalidade.

Minha namorada gemia tão gostoso no colo dele sentido o cacete duro cutucando seu clitoris.

Eu não aguentei ouvir aqueles gemidos dela e acabei gozando na minha mão, com uns jatos caindo no chão da sala e sobre a mesinha de centro.

Camila olhou para mim gozando e sorriu, tirou as mãos do Giba da sua cintura e conduziu elas ate a sua bunda durinha, Giba agarrou com uma mão em cada lado e abriu a bundinha dela, fazendo com que a ponta dos seus dedos tocassem o cuzinho dela.

Com meu primo tocando o ponto fraco da minha namorada não demorou muito ate ela pedir para mim.

Camila: Amor, deixa seu primo colocar esse pauzão em mim?

Disse ela com cara de pidona.

Eu: Não! Eu disse que quero ver você mamando nele! Só isso!

Ela contrariada, mas obediente levantou do colo dele e deu para ver a calcinha toda socada dentro da bucetinha, com partes dos grandes labios para fora do tecido da calcinha. Ela se ajoelhou novamente na frente dele e voltou a mamar naquele cacetão que pulsava na mãozinha dela, inchado e pronto para jorrar porra.

Camila: Goza para mim Giba! Goza! Onde você quer? Pode gozar onde você quiser!

Giba: Quero gozar na sua boca Cah! Você gosta de leitinho?

Camila: Amo! Da leitinho na minha boquinha? Quero sentir o gosto da sua porra! Não quer encher a namoradinha do seu primo de porra, seu safado?

Ele tentou pegar no pau para acelerar a punheta, mas Camila tirou as mãos dele e voltou a punhetar lentamente, alterando chupadas na ponta da cabeça e depois se afastando um pouco com a boca aberta, deixando a lingua de fora.

Camila: Será que essa mamadeira esta cheia?

Disse ela com carinha de puta olhando nos olhos dele.

Giba se contorcia de tesão, ate que não aguentou mais e esvaziou aquele saco imenso, minha namoradinha puta recebeu os primeiros jatos na lingua e no fundo da garganta, fazendo ela engasgar um pouco e fechar a boca por reflexo, os outros jatos foram sobre o nariz, olhos e boa parte foi no cabelo dela.

Meu primo urrava e Camila continuava ordenhando aquela vara que ainda escorria porra pela mãozinha da minha namorada.

Eu: Tava na cadeia primo? Faz tempo que não gozava?

Giba: Faz uns dois dias primo! (Rs)

Camila: Meu deus! Quanta porra Giba! Por isso que esse saco tava inchado desse jeito não é? Tava guardando para mim?

Giba: Se eu soubesse Cah, mas na proxima eu fico uma semana sem punheta só para te dar mais!

Camila: Proxima? Quem falou que vai ter uma proxima?

Disse ela lambendo a mãozinha cheia de porra.

Giba: Não tem proxima primo?

Eu: Relaxa primo! Nem terminou de gozar e já esta querendo fazer planos? Por que você não Vai para a sua casa agora e depois a gente vê como fica isso!

Giba entendeu o recado, se levantou do sofa, subiu a calça e foi se despedindo enquanto caminhava ate a porta, deixando Camilinha sentada no chão com o rosto coberto de porra e eu sentado no sofa sem a bermuda com o pau ainda duro.

Giba: Vou deixar vocês sozinhos agora para vocês curtirem o momento, fui!

Disse isso e foi saindo pela porta.

Olhei para Camila e ela sorria satisfeita para mim, linda, mesmo com um dos olhos super vermelho, que tinha sido atingido pelo jato de porra do meu primo.

Camila: Amor, seu eu soubesse que seu primo tinha um cacete desse eu juro que ja tinha aberto minhas pernas para ele ali naquela barrada de camping!

Eu: Gostou mesmo Amor?

Camila: Muito, agora vem me comer que eu tô molhadinha para você!

Quando eu me levantei do sofa o interfone toca, era a pizza.

Eu: Amor, ta afim de mamar mais um?

Camila: Jura Amor? Posso mesmo? Achei que você estava brincando com o Giba!

Eu: Hoje você pode!

Camila: Mas não pode ser grossa como a do seu primo, ja esta doendo um pouco o maxilar! (Rs)

Eu: Dois pauzão no dia? Será? Se estivermos com essa sorte toda Amor, eu deixo você dar ate o cuzinho para ele!

A campanhia toca, eu vou ate a porta e abro para receber o entregador.

Entregador: Desculpa a demora moço, hoje tem muita entrega!

Eu: Sem problema amigo, estavamos ocupados mesmo, nem percebemos o tempo passando! Vou pegar o dinheiro, aguarde um minuto por favor!

Abri a porta totalmente deixando ele ver a sala toda.

Quando ele viu a Camila ali no chão, apenas de calcinha, com o rosto coberto de porra olhando diretamente para ele ate levou um susto e deixou o capacete cair da mão, rolando pelo chão da sala.

O entregador não sabia muito bem o que fazer e ficou ali parado na porta, eu demorei um pouco para pegar o dinheiro de proposito, deixando ele ali na sala com a Camila.

Camila se levantou foi pegar o capacete para entregador, abaixando com a bundinha na direção dele, para ele poder apreciar aquela calcinha enterrada no rabinho dela.

Ela pegou do chão e se virou para entregar para ele, no mesmo momento que voltei para a sala, deixando o entregador bem nervoso com a situação.

Ele ficava olhando para chão e para mim, evitando olhar para Camila.

Eu: Esta aqui o dinheiro amigo, só não tinha trocado para a gorjeta, você tem algo para dar para ele Amor?

Disse eu a Camila.

Ela sorriu maliciosamente e respondeu com uma voz bem manhosa.

Camila: Ai Amor! Ele é um gatinho! Deixa eu chupar ele um pouquinho? Eu ainda não matei minha vontade hoje!

Ele olhou para Camila com os olhos arregalados.

Eu: Você aceita boquete como gorjeta moço?

Disse eu para o entregador.

O entregador novinho gaguejou algo que entedi como sim, então pedi para ele entrar e encostar a porta.

Camila entregou o capacete na mão dele, ele pegou da mão dela e encaixou no braço.

Minha namorada se ajoelhou na frente dele e abaixou a calça de borracha, por baixo tinha uma calça jeans surrada, Camila abriu o botão da calça e baixou o ziper puxando a calça ate o meio das pernas junto com a cueca.

O entregador tinha uma rola de uns dezessete centimetros, mas era fina, apesar dele ser negro não tinha um bom dote, seguindo os nossos padrões.

A rola esava meia bomba, mas para Camila isso não era um problema e ela foi logo segurando a rola dele com uma mão e abocanhando a cabeça de uma vez.

Assim que ele sentiu a boquinha quente da minha namorada, ele gemeu.

Entregador: Nossa! Que boca gostosa dona!

Eu ali do lado deles, ele evitava me olhar.

A rola crescia na boca dela, ficando cada vez mais dura.

Camilinha mamava com os olhos fechados, curtindo o boquete tanto quanto o entregador novinho.

De vez em quando ela abria os olhos e ficava olhando para ele, lambendo o pau como se fosse um sorvete.

O cheiro forte de rola suada tomou conta do ambiente e não era suficiente para Camila ficar com nojinho, muito pelo contrario, ela seguia fazendo o boquete molhado que ela estava acostumada a fazer, lambendo a rola toda e massageando o saco para tentar extrair o maximo de porra que ela conseguisse.

O entregador estava gostando tanto que nem lembrava que estava com pressa mais e ficou ali recebendo o boquete na maior tranquilidade do mundo.

De vez em quando ele tentava segurar a Camila pelo rabo de cavalo, mas ela não deixava.

Como a rola era fina, ela conseguia engolir tudo, colocava tudo dentro da boquinha dela ate encostar o saco no seu queixo.

O entregador delirava com o boquete daquela namoradinha puta.

Entregador: Moço me desculpa, mas essa dona é uma boqueteira de primeira! Nem de puta eu recebi uma chupada dessas! Olha como engole tudo! Sé loco!

Camila sorria satisfeita para ele e depois olhava para mim com aquela carinha de puta dela, punhetando a rola do entregador.

Minha namorada aumentou o ritmo do boquete e quando ela sentiu que ele estava para gozar tirou a rola da boca.

Camila: Goza na minha cara seu safado! Goza na minha cara para o meu namorado ver a puta que ele tem em casa!

Ela abriu a boquinha e ficou com a lingua de fora esperando os jatos.

O entregador parecia uma mangueira desgovernada, jorrando para todos os lados em grande quantidade, uma porra espessa e bem branquinha, cobriu o rostinho da minha namorada.

Camila tirou um pouco da porra que ficou sobre os seus longos cilios postiços, parecia cola, não conseguia abrir os olhos direito, mas não tirava o seu bom humor, ela ria.

Foram alguns jatos sobre os seios dela e um pouco pingou sobre a sua coxa tambem.

Ele agradeceu, levantou a calça e foi embora.

Ajudei ela a se levantar, tirei sua calcinha e me deitei no sofá sem a camiseta, Camila se sentou no meu colo e estava tão molhada que a pica deslizou para dentro dela de uma só vez.

Ela mexia freneticamente o quadril, com a pica socada ate as bolas, os olhos fechados.

Eu me segurando para não gozar novamente.

Camila: Ai Amor! Vou gozar! Me beija! Me beija corninho!

Eu: Goza putinha! Goza gostoso no meu pau!

Entregue ao tesão eu a beijei, colocando minha lingua no fundo da sua boca. Sentia os seus labios inchados de tanto chupar pau.

Ela ficava falando enquanto eu tentava beijar ela.

Camila: Sente o gosto corno! Sente o gosto do entregador novinho! Sente o gosto do teu primo! Seu corno!

Ela tremeu toda com o orgasmo e caiu sobre mim, a porra do seu rosto havia escorrido com o suor dela, deixando o rosto brilhoso. Ela ficou deitada sobre o meu peito, recuperando o folego.

Com meu pau ainda duro dentro dela eu tentava fazer movimentos mexendo o quadril.

Camila: Vem, me pega de quatro e goza bem gostoso na minha bucetinha!

Ela saiu de cima de mim e ficou de quatro em cima do sofa, abrindo bem as perninhas e empinando bem a bundinha.

Peguei ela por trás e introduzi de uma vez o pau dentro dela, segurei forte no rabo de cavalo com uma mão e a outra segurando seu quadril, socando com força vendo aquela marquinha de biquini minuscula, o cuzinho piscava, o corpo dela todo suado e coberto de porra de outros homens, não aguentei e gozei mais um vez, dessa vez dentro dela.

Depois caimos abraçados no sofa e pegamos no sono.

Acordei com os primeiros raios de sol na minha cara, ainda estavamos aconchegados no sofa, deixei Camila dormindo e fui ate o banheiro mijar. Acordei de pau duro, devo ter sonhado com o que aconteceu na noite passada, mirei bem no centro do vaso sanitario e errei feio, molhei tudo.

Voltei para a sala e Camila seguia dormindo.

A pizza da noite anterior tinha ficado em cima da mesa de jantar da sala, estava inteira ainda, ninguem havia comido, peguei um pedaço e me sentei na poltrona, apoiando os pés sobre a mesinha de centro. Observava aquela namorada incrivel que eu tinha enquanto saboreava um pedaço de pizza frio. Terminei meu pedaço de pizza e procurei entre as latinhas sobre a mesa uma que ainda tivesse um gole de cerveja.

Estava com uma dor de cabeça terrivel, por causa da ressaca. Fui tomar um banho.

Camila apareceu no banheiro toda sorridente me dando bom dia, escovou seus dentes e entrou no chuveiro comigo.

Ela ofereceu o cuzinho para mim, não neguei e Camila foi acariciando meu pau ate ficar duro, depois foi guiando para o seu buraquinho e jogando o corpo para trás, ela gemia gostoso e rebolava lentamente aquele rabo para receber tudo.

Fiquei engatado com ela embaixo do chuveiro, socando no rabinho dela e ela gemendo alto, gritando o nome do Giba, dizendo que queria sentir aquele pauzão no cuzinho dela.

Gozei dentro do cuzinho dela, mas deixei a pica lá dentro e enquanto não amolecia, coloquei uma mão na sua bocetinha e fiquei massageando o clitoris, não precisou muito e ela gozou na minha mão. Tive que segurar ela para não cair, pois suas pernas ficaram bambas.

Saimos do banho e nos vestimos, não podiamos demorar muito, pois tinhamos um almoço na casa da Cah.

Ela voltou a falar com o pai recentemente, depois da briga que tiveram e ela veio morar comigo, aparentemente ele aceitou isso, mas deve ter sido obrigado a aceitar por causa da mãe da Camila.

O almoço era com os tios de Camila, que estavam passando para visitar a familia.

Como estava muito calor, Camila colocou um vestidinho florido, bem comportado na altura do joelho, sem decote, uma sandalia rasteirinha bege com alguns brilhos, os cabelos soltos apenas com a franja colocada para trás com presilhas.

Uma das razões da briga com o pai foi justamente a tatuagem que ela fez nas costas, o cabelo solto era para cobrir a tatuagem e evitar uma nova discussão deles.

Chegamos na casa dos pais de Camila, os tios ja estavam lá, os primos tambem foram.

Um dos primos era o que tinha bastante intimidade com Camila, ele ficou radiante ao ver ela e ficava sempre por perto, puxando assunto.

Ele elogiou os cabelos loiros e disse que ela ficou muito mais bonita assim.

Sempre que Camila sentava o vestido subia ate o meio das suas coxas, mostrando os joelhos vermelhos da noite anterior.

O pai dela ficou com a cara emburrada o almoço todo, mas disfarçava quando falavam com ele.

Assim que os tios e primos foram embora, o pai dela começou o sermão para Camila e eu, dizendo que não estava certo Camila morar comigo sem estarmos casados, que não eram bem visto pela familia.

Camila insistiu que isso era bobagem da familia, que ela ainda era virgem e se casaria assim no momento certo, mas o pai não acreditava e seguia dizendo que tinhamos que resolver isso logo.

Enfim, discutiram novamente e saimos de lá com Camila chorando no carro.

Ja tinha pensando nisso por um tempo e agora acho que era o momento de fazer a coisa certa, iria pedir Camila em casamento.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 60 estrelas.
Incentive RickG a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Seus contos são ótimos....mais vocês são reais??

Tem fotos??

0 0
Foto de perfil genérica

Rapaz você fez merda deixando o primo com a namorada.....você cruzou um caminho que não deve.....deuxando a namorada se aproximar do primo,vai sobrar pra sua cabeça. ...

0 0
Foto de perfil genérica

Caraca até a parte do motoboy já foram duas homenagens.

Ótimo seus contos.

0 0
Foto de perfil genérica

Parabéns meu amigo.

A construção dos personagens e enredo que os levou até esse ponto é sensacional, acho que o único senão é a periodicidade do lançamento dos capítulos.

0 0
Foto de perfil de Velhaco

O cara namora uma mina q é.depositi de.porra de outros acha isso normal e ainda vai pedir a puta em casamento? Kkkkkk só sendo muito otario mesmo, mas na ficção tudo vale não é mesmo kkkkk

1 0
Foto de perfil genérica

O importante num relacionamento é não fazer as coisas escondidas, ser liberal é isso, a resposta pra que vc pergunta como um cara ainda pede em casamento um namorada assim, é pq os dois curtem, sabem separar amor de prazer, tem gente que se excita e tem prazer em ver vídeos, ler contos correlação ao tema, mas não conseguiria viver isso na vida real, eu não tenho um relacionamento assim, e nem me vejo tendo, a minha única insatisfação é com ela apenas podendo se desfrutar, eu não concordaria com isso, mas parece que ele entende e aceita de boa, por mais vontade que ele até tenha com outra mulher, o prazer maior dele é ver o prazer sentido pela namorada, sei que é um tema difícil, mas se tiver um pouco de boa vontade consegue sim compreender.

2 0
Foto de perfil de Velhaco

Eu intendo amigo, isso se chama distúrbio psicológico, um cara q aceita tal fato só pode ser louco ou sofreu algum trauma na infância

1 0
Foto de perfil genérica

Kkkkkkk. Verdade kkkkkkk, corno chupador de porra idiota

0 0
Foto de perfil genérica

Velhaco, cadê seus contos pra salvar esse site péssimo q só tem corno manso e boiola

0 0
Foto de perfil genérica

Porra, tu sabe o que é distúrbio psicológico por acaso kkk, ou só reproduz coisa sem saber do que fala? Não gosta do tema, não ler porra, velhaco chato do caralho.

0 0