AMIGOS?? Amizades e dramas de um casal – 14 – Cristiane e Amanda A chantagem

Um conto erótico de Neto & Id@
Categoria: Grupal
Contém 3860 palavras
Data: 15/05/2024 08:36:14

Meus queridos, está ai a segunda parte, esperamos que gostem.

grande abraço

Neto & ID@

Cristiane e Amanda - A chantagem

Poucos meses depois de nos envolver, o Tales em uma visita ao escritório, veio conversar comigo sobre uma funcionária, a Amanda. Ela era uma mulher linda, um baita corpo, era poucos anos mais velha que eu, mas seu corpo deixava o meu no chinelo, ela já tinha sido casada, mas nessa época estava divorciada e namorava um rapaz um pouco mais novo, o Juliano. Uma vez conversando, Amanda me confessou que o Juliano foi seu amante e que depois do divórcio eles assumiram a relação, ela não falava muito sobre sua vida e eu não perguntava também, ela era uma excelente funcionária, eu não fazia questão nenhuma de saber se ela tinha chifrado ou não o marido, o importante era seu trabalho.

Nessa visita do Tales, ele me contou um pouco do que tinha descoberto sobre a Amanda, confessou que era fissurado nela. Ele já tinha me falado várias vezes para eu ajudá-lo a sair com ela, mas eu sempre neguei, contudo nesse dia ele veio com a carga toda, mesmo sendo meio da tarde era visível que já tinha bebido um bom tanto.

Ele falou que eu deveria convencer a Amanda a sair com ele, ou poderíamos sair todos juntos, que o Edson também a achava muito bonita, ele me ameaçou e principalmente ameaçou espalhar coisas sobre ela, fiquei morrendo de pena, mas também morrendo de medo, do jeito que ele estava era questão de tempo para que ele desse com a língua nos dentes.

Fiquei em um beco sem saída, a Amanda era muito esperta, já sabia do que acontecia entre mim e os dois, mas ficava na dela, as vezes falava para eu dar uma maneirada na sexta-feira, coisa que eu fazia quando ela me alertava, eu já estava num ponto que achava que tudo, mas tudo mesmo estava sobre o meu controle, que o Adriano nunca iria descobrir nada, mas agora eu teria que chantagear minha funcionária.

Convenci o Tales de conversarmos com ela em um outro dia, mas ele insistia que deveria ser naquele momento, só consegui convencê-lo porque o Juliano também estava no escritório, marcamos então para o dia seguinte, no horário combinado eu iria dar um jeito do Juliano sair para fazer algum serviço. Não tive coragem de falar nada com ela, naquele dia. Falei com o Edson e expliquei tudo a ele, mas ele concordou que o amigo estava fazendo tudo certo, eu deveria trazer a “delícia” para nossas festas, que aí sim seria uma suruba deliciosa.

Esperei o outro dia e no horário combinado o Tales estava por lá, aparentemente tinha bebido de novo, mas menos do que no dia anterior eu tentei falar novamente para deixar a moça de fora, mas ele estava irredutível.

– Tales, por favor meu amigo, não vamos envolver a Amanda nisso, pode acontecer de dar muitos problemas envolver mais gente nessas loucuras que fazemos.

– Não Cris, eu não abro mão de você convencer essa deliciosa a participar junto conosco, eu estou falando sério, ela deve muito, eu tenho certeza de que vai concordar na hora, pode ter certeza, e você também me deve, não quero te ameaçar de nada, mas eu quero comer essa mulher custe o que custar, dê o seu jeito e resolva isso, não vou aceitar nada a menos que isso.

– Tales, como você tem coragem de me ameaçar, olha tudo o que fazemos, você acha que se o Adriano descobrir alguma coisa ele vai ficar quieto, ele vai acabar com todos nós, eu vou perder, mas você também vai perder muito, pense bem.

– Cris, eu já pensei nisso tudo, eu me garanto com a Marcela, não vai acontecer nada, mas agora chega de papo. Chama ela aqui que eu mesmo vou falar, você está com muita má vontade de me ajudar.

– Tales calma, antes de pedir para que ela venha aqui na nossa reunião, eu preciso saber de uma coisa.

Ele ficou me olhando meio assustado esperando minha pergunta.

– Me conta, por favor, como que o Edson te convenceu a sair junto conosco, do nada você apareceu, nunca pareceu que você iria trair sua mulher.

Ele não queria falar, ficou enrolando, mas eu pressionei mais um pouco e ele contou.

– Cris o Edson fez a mesma coisa que eu estou fazendo, inclusive foi ideia dele eu estar aqui, me explicou como fazer para convencer a moça, ele descobriu que eu sai com uma moça que era funcionária de um cliente meu, que por azar era cliente dele também, com essa descoberta ele veio falar comigo, me contou que estava te comendo e queria que eu participasse, que eu era de confiança e eu não iria falar nada, mas se não aceitasse ele iria dar um jeito de a Marcela receber algumas fotos e áudios meus com a moça. Fiquei desesperado, mas por fim concordei, afinal eu teria a chance de sair com você novamente, você sabe o quanto de tesão que tenho por você e de quebra ainda consegui comer sua bundinha, agora nós três estamos no mesmo barco, como eu te disse você me deve essa.

Eu fiquei irada, minha vontade era de voar na sua cara e meter as unhas em todo seu rosto, mas não poderia fazer aquilo, eu tinha muito a perder.

– Amanda, por favor, venha aqui na minha sala, eu e o Sr. Tales temos um assunto a tratar com você.

Deu dó de ver, ela veio rapidamente, estava branca, achando que tinha feito alguma coisa errada em relação a contabilidade da loja do Tales, fiquei com muita vergonha, mas não tinha como escapar.

– Pois não Cris, pode falar aconteceu alguma coisa? Fiz algo de errado na contabilidade?

– Não Amanda não fez nada de errado, seu serviço está impecável, nunca vi ninguém fazer tudo tão rapidamente e tão correto quanto você, mas o Tales tem um assunto meio espinhoso para conversar com você, te afirmo que não tenho nada com isso, mas eu gostaria muito que você aceitasse a proposta que ele vai te fazer.

Ela me olhava assustada, claro já esperando algo de muito ruim. O Tales não fez rodeio e foi com tudo para cima da moça. Falou que tinha descoberto tudo de errado que ela tinha feito, sabia que ela escondia de todos o namoro com o Juliano, escondia principalmente de sua filha e que ele gostaria muito de manter esse grande segredo, não iria falar nada para ninguém, principalmente para a filha e o ex-marido, mas que tudo tinha um preço.

Quando ele falou o que ele queria em troca a moça ficou vermelha, roxa, nem sei mais que cor de tanta raiva, ela ficou olhando para mim, esperando uma ajuda que nunca veio e o pior eu tive que argumentar para poder convencer que tudo aquilo seria legal.

– Amanda, me perdoe por tudo isso, você sabe que eu tenho um envolvimento com ele e com o Edson, você é muito esperta, inclusive já me alertou diversas vezes, mas eles querem um pouco mais de agito e querem que você venha junto comigo e com eles para passarmos algumas horas em algum motel, vai ser sempre no sábado, por favor aceite a proposta dele, você não vai se arrepender de nada, garanto que ainda vai acabar gostando de tudo o que fazemos, eles são bem legais, você vai ver que vai ser bem de boa.

Ela ficou me olhando, não piscava, seus olhos se encheram de lágrimas.

– Cristiane, eu poderia esperar qualquer coisa de você, mas nunca poderia imaginar que você iria concordar com uma loucura, uma barbaridade desse tamanho, você não tem ideia do que eu já passei nessa minha vida, aliás ainda estou passando, e com isso vão me chantagear de uma forma tão baixa.

Abaixou a cabeça chorou mais um pouco, respirou fundo, limpou o rosto de forma bem imponente, concordou, mas falou que seria uma vez só, mas o Tales não deixou, disse que teria que ser pelo menos umas quatro vezes, que ele merecia muito aquilo tudo, por fim concordaram em três vezes, já partir daquele próximo sábado.

No sábado eu passei e a peguei e fomos juntas para o motel, ela não falou uma única palavra, na verdade durante os dias restantes da semana que o Tales exigiu tudo, ela não conversou mais comigo, no dia seguinte o Juliano tinha um olhar de raiva, se pudesse com certeza me mataria, mas também não falou nada.

No motel ela se transformou, parecia uma grande profissional, eu achava que transava bastante, mas ela me deu aula em como meter com um homem, em como deixar qualquer um deles acabados, ela meteu tanto com eles dois que eu quase não transei, ela gemia, ela gritava, os dois ficaram quase loucos com ela.

Assim que entramos na suíte, ela foi ao banheiro e veio rapidamente com uma cinta liga, calcinha e sutiã pretos de renda, até eu fiquei impressionada, aquela mulher era muito bonita, seus seios eram de médio para grandes bem empinados, mas a bunda, era grande, a calcinha sumia no meio daquela bunda bem redonda, os dois quando viram, não conseguiram falar nada, ficaram muito impressionados.

Ela parou no meio do quarto olhou para nós três, seus olhos brilhavam de raiva, era muito nítido que ela só estava ali devida àquela chantagem covarde que fizemos com ela.

– E então, o que estão esperando, vão ficar aí olhando ou vamos meter até esfolar o pau de vocês hoje, achei que vocês já estariam pelados me esperando. Vamos, eu não tenho tempo a perder, se é me comer que vocês querem, então vamos lá, garanto que nenhum dos três vão sair daqui sem ter gozado bem gostoso hoje.

Os dois acordaram do transe em que estavam. O Tales tirou a roupa rapidamente e foi em direção a ela, eu achei que ela iria dar um tapa na cara dele ou que iria fazer tudo com muita má vontade, mas não, ela parecia um profissional do sexo, quando ele se aproximou ela segurou seu pau e puxando ele mais próximo começou a beijar sua boca, o beijo o despertou completamente, seu pau reagiu na hora, ficando muito duro.

Ela foi devagar empurrando ele até a cama, se ajoelhou e começou chupar seu pau, ela dava beijos na cabecinha e depois engolia um tanto, deixou ele todo babado, ele delirava. O Edson foi ao encontro dos dois e quando encostou a mão em seus cabelos ela bem autoritária falou que era para ele esperar que logo seria sua vez, chupou mais um pouco, vestiu o pinto com uma camisinha, subiu beijando seu corpo, puxou a calcinha de lado e se sentou quase de uma vez, os dois deram um gemido alto, ela rebolou devagar e disse.

– Ahhhhhh, que pau grosso, do jeito que eu gosto, hoje eu vou gozar gostoso e você ainda mais, se prepare, que nunca na sua vida você meteu tanto o quanto vai meter hoje.

Ela falou isso e começou a subir e descer, foi aumentando a velocidade, dava uma paradinha e rebolava para os lados e pra frente e para trás. O Tales nem respirava direito, só pedia para ir mais devagar que não estava conseguindo segurar, que a buceta dela estava apertando seu pau. E ele não resistiu muito mesmo, em poucos minutos gozou urrando, com ela sorrindo.

Desceu dele e chamou o Edson, fez quase tudo igual, mas com ele ela quis dar de quatro, conforme ele metia ela rebolava também, batia com a bunda no quadril dele, cada batida era um estralo mais alto, e novamente em pouco minutos ele gozou, ela sorria novamente e foi muito irônica.

– Vocês dois hein, para quem queria me comer a todo custo, estão deixando a desejar, gozaram muito rápido, espero que consigam se recuperar na mesma velocidade que gozaram.

Os dois ficaram muito embaraçados, me pediram ajuda, eu chupei um pouco cada um, quando ficaram duros novamente ela chamou um de cada vez novamente

– Vem Tales, vem me chupar bem gostoso, eu ainda não gozei, espero que com a língua você consiga, porque se for metendo acho que vou ficar na mão.

Ele levou numa boa aquela provocação, deu um verdadeiro banho de língua, a chupou de todas as formas, ela estava visivelmente excitada, enquanto ele estava com a cara enfiada meio de suas pernas, ela chamou o Edson para perto.

Ela começou a chupar seu pau, ele delirava e ela também, parou um pouco mandou o Tales vestir uma camisinha, enquanto ele colocava, a Amanda se virou de quatro, não parava de chupar o Edson, o Tales ficou doido com aquela bunda enorme empinada em sua frente, meteu com força, ela gemeu, mas não parou de chupar.

Ele não queria gozar rápido, metia em uma velocidade cadenciada, ela rebolava e gemia, eu estava deitada ao lado deles me masturbando assistindo aquela transa, era muito excitante assistir os três. Um tempo depois ela pediu para eles inverterem, só que resolveu cavalgar o Edson, ela falava que o pau dos dois eram deliciosos e que estava sentindo muito tesão. Meteram por mais um tempo naquela posição.

Em determinado momento ela me pediu o lubrificante, passou bastante na sua bunda e no pau do Tales.

- Vem Tales, vem matar sua vontade de comer minha bunda, vamos ver se você vai conseguir meter bem gostoso, espero que sim, eu quero gozar com os dois juntos.

O Tales sem nem piscar foi se colocando atras dela, conforme ele encostava o pau na entrada de seu cuzinho, ela rebolava bem devagar, não deixando o Edson sair de dentro de sua bucetinha, quando ela o sentiu todo dentro, pediu para os dois irem mexendo devagar para se acostumar com eles dentro dela. Conforme relaxava, rebolava cada vez mais, em poucos minutos ela estava dando aula em como fazer uma DP.

– Aiaiaiaia que delícia, nossssaaaaa eu tesão, ahhhhh, como isso bom, vai seus molengas, metam com vontade, vai com força, vamos soca, soca com tudo, vai com bastante força ... ahhhhh isso assim, metam igual homens, vai soca! Soca!

Conforme ela provocava os dois, eles metiam cada vez mais rápido e com mais força, os dois achavam que estavam no controle, mas não, ela rebolava cada vez mais rápido também, ela não gemia, ela gritava que logo iria gozar, que se um deles gozasse antes dela, iria ficar sem o pau, ela era desbocada demais, os dois não estavam mais aguentando, quando finalmente ela gemendo mais alto ainda avisou que estava gozando e autorizou os dois a fazerem o mesmo.

Foi uma sinfonia, quando terminaram ficaram os três deitados, respirando. Tentando recuperar o folego e ela mais uma vez surpreendendo-nos. Levantou como se não tivesse acontecido nada e foi tomar um banho.

Quando voltou já estava com sua roupa e avisou que precisava ir embora. O Edson iria reclamar, mas ela avisou que na próxima vez ele comeria sua bunda. Como eu ainda não tinha metido nenhuma vez somente me masturbado assistindo eles três, pedi para ela esperar um pouco, mas ela não concordou, acabei aceitando e fomos embora.

Quando saímos, ela foi em silencio. Eu tentei conversar um pouco e perguntei sobre o Juliano, em como ela iria fazer para ela não desconfiar de nada, mas aí veio uma grande surpresa. Ela me falou que ele sabia de tudo, que estava esperando ela chegar em casa para poderem curtir o restante do fim de semana, não tive coragem de falar mais nada.

No sábado seguinte fomos novamente, nessa tarde eu participei um pouco mais, eu prestava a tenção no que ela fazia e tentava imitar, foi uma tarde muito legal, no caminho de volta ela conversou um pouco mais, perguntou como eu fazia para meu marido não desconfiar de nada, falei meio por cima e ela não comentou mais nada.

Na segunda feira o Juliano, falou comigo que não aceitaria mais aquilo que estava acontecendo, que já tinham feito duas vezes e que deveria acabar naquele mesmo momento. Fiquei assustada com a forma que ele falou, acabei ligando para o Tales e comentei o que tinha acontecido, o Tales falou que não era para eu me preocupar que ele iria resolver.

No dia seguinte no começo da tarde o Tales veio ao escritório, pediu para eu chamar a Amanda novamente e com o celular ele mostrou fotos da filha saindo da escola, foto da casa dos pais dela e uma foto do ex-marido. Afirmou que o combinado não era aquele, que seriam três vezes e que não abriria mão disso, falou para ela acalmar o corninho, que seria melhor para todos, quando estava saindo da sala, parou na porta e disse que ele tinha mudado de ideia, que em vez de três agora seriam cinco vezes, e mandou ela se virar e convencer o noivo.

Naquele momento nós duas choramos, pedi perdão a ela, expliquei que também estava sendo chantageada, que não concordava com nada daquilo, ela me olhava com muito ódio, não falou mais nada, mas o pior foi o Tales na hora que estava saindo parou ao lado do Juliano e fez piada com a situação do rapaz. Juliano teve vontade de bater no Tales, mas acabou se segurando em respeito a noiva.

Naquela tarde tive certeza de que iria dar uma grande merda, o silencio dos dois foi desesperador, eles com certeza começaram a planejar uma forma de acabar com tudo aquilo.

Naquele fim de semana não saímos, e nem no próximo, ela deu a desculpa de estar menstruada, nesse intervalo ela veio conversar comigo se seria possível arrumar uma vaga para o Juliano na loja do Tales ou até mesmo do Adriano, que ali ele não estava sendo aproveitado, eu caí como uma pata. Concordei e conversei com o Adriano pedi a favor do rapaz, ele concordou e no dia seguinte o Juliano já estava trabalhando na loja de autopeças.

No sábado que saímos ela estava diferente, estava mais falante, fazia questão dos dois me comerem, ficava me incentivando a falar muitas coisas ruins do Adriano, ridicularizando o coitado do corno e eu falava tudo o que ela queria, falei tanta coisa que tenho vergonha até de lembrar. Fiquei imaginando-o escutar tudo aquilo, ficava ao lado beijando-nos, ela nunca tinha feito isso de me beijar, acabei aceitando e o pior gostando!

Pronto, nossa arapuca estava armada e nós três caímos sem nem imaginar a grande confusão que pouco dias depois iria acontecer.

Já tínhamos saído quatro vezes e antes da última teve a festa de aniversário da minha filha, eu tinha organizado tudo e a festa seria em um buffet infantil. A Amanda conversou comigo e pediu se teria como ela e o Juliano trabalharem na festa, que poderiam ganhar um extra, concordei sem nem imaginar o golpe que já estava armado.

Nós três nunca poderíamos imaginar com quem estávamos nos metendo, uma mulher que largou um casamento com um homem relativamente rico, para ficar com o rapaz bem mais novo, não pensaria nenhum pouco em acabar com a raça de três traidores, e foi isso que ela fez, não sei como, mas ela filmou muitas coisas dos nossos encontros, na festa deu um jeito de mostrar para o Adriano que tinha algo de errado acontecendo. Eu, o Edson e o Tales tivemos certeza de que ela iria aprontar alguma coisa, mas no dia não aconteceu nada, acabamos ficando relaxados.

No domingo já fiquei desesperada com o sumiço do Adriano, ele inventou uma grande desculpa sobre uma tentativa de assalto na loja, ficou várias horas fora de casa, fiquei desesperada, nossa situação já estava ruim, tive certeza de que iria piorar. Pensei em uma forma de adiar qualquer conversa com ele, convidei meus sogros para almoçarem, que concordaram, tentei falar com a Amanda e com o Juliano, mas os celulares estavam desligados, comecei a ficar mais desesperada.

Na segunda-feira cedo a grande surpresa, a Amanda não apareceu no trabalho, procurei e não a encontrei em nenhum lugar, liguei para o Edson, mas ele estava viajando. Falei com o Tales, ele foi até o apartamento que ela morava e o porteiro avisou que eles tinham se mudado no domingo. Ficamos desesperados, tínhamos certeza de que eles tinham contado alguma coisa para alguém, ficamos esperando o pior naquele dia mesmo, mas o Adriano foi muito inteligente e muito frio, convenceu a Marcela e a Carla a não falarem nada, armaram um jantar e nele acabaram com nossa raça. Expuseram tudo o que tinham descoberto, eles tinham combinado tudo, nós três ficamos sem ter para onde correr, não tínhamos nenhum argumento, as provas eram irrefutáveis, não tínhamos como argumentar ao contrário.

Nossas festas tinham chegado ao fim, eu tinha certeza de que minha vida iria virar um inferno. O Adriano não iria deixar barato, eu tinha muito a perder e perdi. Perdi quase tudo.

No domingo depois que ele saiu de casa eu liguei para o Edson, eu queria conversar e tentar arrumar um jeito de conseguirmos amenizar todo o estrago, no fundo eu tinha certeza que se caso a separação fosse mesmo inevitável, nós dois poderíamos ficar juntos, eu falava que era somente tesão, mas eu tinha desenvolvido sentimentos por ele, não queria admitir mas estava apaixonada por ele, resolvi ligar e ser bem melosa e amável, achava que ele iria se derreter com o meu jeito de falar, liguei e ele atendeu rapidamente.

– Edson meu amor, como você está? Que loucura tudo isso que está acontecendo. Eu estou totalmente perdida. O Adriano acabou de sair daqui, estava irado, você poderia vir aqui para casa hoje, meus filhos vão ficar na casa dos meus sogros, vem pra cá, vamos jantar, conversar e combinar tudo o que podemos fazer para superar tudo isso, tenho certeza de que nós dois juntos ainda vamos sair por cima disso tudo.

O que eu não contava era com a reação dele.

– Amor o caralho!! Cristiane, presta bem a atenção, não vou falar duas vezes. Nós não vamos nos encontrar nunca mais, eu amo minha mulher vou fazer de tudo para resolver isso com ela, sei que vou conseguir, eu e você não temos nada, nós dois somente trepávamos um monte nos sábados, você acha que mesmo que eu me separe da Carla iria cogitar ficar junto com você? O que posso esperar de uma mulher que deixa o marido e os filhos em casa e vai para o motel meter quase o dia todo com os dois amantes, você não passa de uma puta, uma puta bem gostosa, que mete para caralho, isso eu não posso negar, mas daí nós dois termos algum tipo de relacionamento, isso nunca vai existir.

Respirou e terminou com a humilhação.

– Nunca, entendeu bem o que eu estou falando?

Não esperei ele falar mais nada, desliguei o telefone, cai no chão e ali eu fiquei por muitas horas, eu chorava, não sabia o que poderia fazer, eu estava sozinha. Naquele momento eu não tinha a quem recorrer, o Adriano iria fazer e fez da minha vida um inferno, a humilhação que causei a ele, fez uma ferida que acho que nunca vai cicatrizar.

Continua ...

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 123 estrelas.
Incentive neto_batista a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Cara. Você quer matar a gente de ansiedade? Kkkk

0 0
Foto de perfil genérica

Cadê a continuação..... nossa... ancioso aqui esperando.... um dos melhores contos.....

0 0
Foto de perfil genérica

Pode ter certeza que vou ler esta saga muito mais vezes,

Pelo menos umas três kkkk

🌟 🌟 🌟

0 0
Foto de perfil genérica

Esse conto está muito bom.... enredo bom e cheios de emoções...

0 0
Foto de perfil genérica

Viche! Não podia se esperar menos do Edson. A Cris quis jogar alguma culpa para a Amanda???

0 0
Foto de perfil genérica

De primeiríssima qualidade! Meus cumprimentos e respeito a essa dupla de peso, realizando sagas memoráveis! ⭐⭐⭐💯

0 0
Foto de perfil de Ménage Literário

Cada um colhe o que plantou...

Amigo Neto, você já era um dos melhores criadores de histórias desse site. Seus textos bem detalhados, sua obsessão com a menor das informações, suas cenas muito bem desenvolvidas ... Enfim, você já era um exemplo e uma influência positiva na casa, tanto como autor, quanto como leitor sempre tão gentil no textos de outros. Sua parceria com a nossa querida Ida, só aflorou ainda mais o seu talento.

Parabéns! Essa série está incrível.

Continue sempre assim, humilde e generoso. Você é raro e especial, amigo.

0 0
Foto de perfil genérica

Nossa, nem sei o que falar de um elogio vindo de vcs?

muito obrigado de verdade.

as ideias e sugestões da Id@ estão sendo uma parte essencial, da história.

As vezes me perco mas ela logo mostra o caminho a ser seguido novamente.

um grande abraço

0 0
Foto de perfil de Id@

Vocês é que “enchem a minha bola”.!!! Depois eu “fico me achando …”

Bjs a todos.

1 0
Foto de perfil genérica

Sem palavras, capítulo maravilhoso! Sinceramente a Cris pirou na batatinha legal.

Excelente capítulo! Parabéns Netão e Ida!

0 0
Foto de perfil genérica

É impressionante sua capacidade de inventar antagonistas tão más, Neto. Elas se superam...

Acredito que você já deve ter visto muito as Odetes, Nazarés, Ruths e Raqueis...

Eu quero ver sangue... rsrs

Parabéns e obrigado amigos!!!

0 0
Foto de perfil de Hugostoso

Parabéns meus amigos, outro extraordinário capítulo!

E qdo sairá o próximo?😶‍🌫️

Netão, vc é Phóda!

Não esqueça da possibilidade de um conto transcorrendo na década de 70/80, com consequências brutais 😈😈!

👊🏼👊🏼👊🏼👊🏼👊🏼👊🏼👊🏼

0 0
Foto de perfil genérica

Parabéns mais uma vez neto e Id@.

Cristiane foi muito fdp. A idiota achando q Edson e Tales iria apoia-la, dps das merdas que fizeram.

Ansioso pelo próximo capítulo.

0 0

Listas em que este conto está presente