Minha Antiga Professora

Um conto erótico de Noah
Categoria: Heterossexual
Contém 1496 palavras
Data: 14/05/2024 21:42:48

Todos já tiveram alguma paixão por uma professora na infância, o meu foi no ultimo ano do ensino fundamental por uma tal de Ruth que ensinava geografia, cabelos curto, baixinha, uma bunda de tamanho médio, peitos pequenos, realmente nada de mais, porém totalmente linda, usava dois alargadores médios e um piercing nos lábios que faziam ela ter uma aparência jovem (estilo ninfetinha). Fazia de tudo pra ter atenção daquela professora, prestava atenção nas aulas, tirava notas boas e sempre ajudava a carregar suas coisas, tudo pra ser elogiado por ela, porém fui desistindo desse amor quando descobrir por rumores que ela gostava de mulheres.

Três dias depois que completei 20 anos estava no mercado comprando algumas coisas quando vejo uma mulher conhecida chegar perto, por um momento ficamos trocando olhares enquanto tentava me lembrar quem era, após alguns segundos finalmente me toquei que era Ruth minha ex professora

-Eae professora, tudo bem? lembra de mim? Noah! - Acenava pra ela e chegava perto pra conversar

-Oi Noah, tudo bem? como você cresceu, bem que eu tinha te achado conhecido, estava aqui só olhando pra ver se eu lembrava

-Eu estou bem professora, comecei a cursar a faculdade agora

-Sério? que legal! você sempre foi inteligente

-E você tá ainda dando aula?

-Estou sim, queria ficar aqui conversando mais um pouco com você, mas preciso achar alguém pra arrumar a luz lá de casa

-O que aconteceu?

-Eu não sei, a luz parou do nada, já troquei a lâmpada, mas continua sem funcionar

-Se você quiser eu posso olhar isso aí pra você, mora por aqui perto?

-Sério que você pode me ajudar nisso Noah? Eu realmente te agradeceria muito, sempre me ajudando desde pequeno

-Tá tudo bem, me passa seu WhatsApp pra marcar um dia e você me passar seu endereço

-Certo

Depois de trocarmos os contatos marcamos pra eu visitar ela e ver aquele problema de luz, chegando no dia ela me recebe na porta vestindo um shortinho curto, junto com uma camisa de tecido leve totalmente florida

-Noah meu herói salvador - ela me dava um abraço apertado onde eu sentia seus peitos sem o sutiã -Deixa eu te mostrar onde é o problema, fique á vontade por favor

Entramos na casa dela e fui guiado até a cozinha pra começar a mexer na luz, durante alguns minutos mexendo nos cabos, Ruth começa a puxar assunto

-Eu não sei onde eu estaria sem você Noah, desde pequeno sempre me ajudando

-Não é grande coisa, além do mais eu lhe ajudava naquela época só pra ter sua atenção

-Como assim?

-É que eu era apaixonado por você e sempre quis ser mimado, receber elogios, esse tipo de coisa sabe?

-É mesmo?

-Sim, mas era coisa de criança, inclusive eu até desisti desta paixão quando fiquei sabendo que você gostava de mulheres

-Não só de mulheres, gosto de tudo um pouco Noah

-Uau! isso é legal

-Inclusive eu sempre notava seus olhares pra mim, mas nunca desconfiava de uma paixonite, achava que era só coisa da idade

Fiquei um pouco sem graça por saber que ela notava meus olhares, porém ainda sim continuei a conversa

-E hoje em dia, tá com alguém? Sendo bonita e gostando de tudo, o que não deve faltar é opção

-Infelizmente não, sempre gostei de ser livre, mas as vezes sinto falta de alguém pra me ajudar em algumas coisa

-Não se preocupe com isso, posso ser seu marido de aluguel se quiser, é só me ligar que eu sempre venho aqui consertar algo

-Vou aceitar sua proposta sem cerimonias, ficaria feliz com isso

-Eu é que ficaria feliz com isso, inclusive a luz tá pronta -falei descendo da escada onde eu estava

Ruth correu para o interruptor e tudo funcionava perfeitamente, podia ver que aquilo realmente deixava ela feliz

-Finalmente eu estou com luz novamente, Noah eu preciso lhe agradecer de alguma maneira

-Não precisa, eu to tranquilo

-Sério, só um agradinho, vem comigo aqui no quarto pra eu pegar

Sem me dar muita opção de escolha Ruth me puxava pela mão me guiando até o quarto, ela se jogava na cama fingindo procurar algo em baixo dela enquanto deixava a bunda empinada em minha direção

-Então você gostava de mim no ensino fundamental né Noah? Se quiser pode chegar perto, talvez eu possa usar algo aqui pra lhe agradecer

Eu entendi o que ela quis dizer e me aproximei perto dela, dei um leve tapa naquela bunda e agarrava firme pra sentir ela melhor, com um gemido leve Ruth parecia ter gostado, o que me fazia dar outro tapa na outra banda da bunda, puxei pro lado aquele shortinho curto e me deparava com sua buceta raspadinha, alisava os seus lábios e podia sentir o quanto ela estava molhada, enfiava a cara naquela xota e começava a chupar com vontade, sentindo o mel dela escorrer e ouvindo gemidos de prazer

-Senta na cama Noah, eu que preciso lhe agradecer - ela falava entre os gemidos

Me sentei na cama e observava Ruth se ajoelhando perto do meu pau, sem muito esforço ela agarrava meu membro dentro das calças e já colocava pra fora meus 23cm, dava um leve beijo na cabeça e engolia tudo de uma vez, engasgando levemente ela voltava pra respirar e sorria com cara de safada enquanto punhetava meu pênis todo babado, descia novamente fazendo ele entrar totalmente por sua goela, dava alguns gemidos fazendo suas cordas vocais vibrar na cabeça do meu pau, voltava novamente pra tomar um ar e já chupava minhas bolas

-Tá gostando do Boquete? - Ruth falava confiante em sua voz

-O melhor que eu já recebi até hoje

-Ótimo, mas não vai ser a única coisa boa que vai receber de mim hoje, ainda tenho muita divida pra pagar com você - ela pegava uma camisinha da gaveta dela, botava na boca e encaixava no meu pau por inteiro -Você vai fuder sua professora até não aguentar mais

Ruth ficou de quatro enquanto acariciava o clitóris, me posicionei atrás dela já penetrando dentro de sua buceta, meu pau encaixava certinho dentro da xota dela, puxava seu cabelo e socava cada vez mais forte fazendo ela aumentar os gemidos em cada estocada que eu dava, entre alguns tapas e puxões de cabelo ela finalmente tinhas orgasmos fazendo cair mole na cama

-Eu estava com saudades de gozar assim, deixa eu lhe dar um agradinho extra por ser um bom menino pra sua professora - ela agarrava meu pau o guiando até a entrada do anus

Deitados de ladinhos eu começo a penetrar o cuzinho apertado dela, aos poucos consegui colocar a cabeça de meu pênis dentro, o que fez Ruth gemer de maneira muito alta

-Tá doendo? podemos parar -Perguntei preocupado

-Não para, só vai devagar e com carinho, até agora só utilizava brinquedos, você é o primeiro a comer meu cuzinho

Aquela frase me deixava louco de tesão me fazendo foder ela com tudo, porém me controlava pra penetrar com carinho, tirava a cabeça do meu pau e colocava novamente, cada vez mais tentando colocar um pouco mais, trocamos um beijo de língua pra deixar ela mais relaxada e após alguns minutinhos já conseguia meter até metade de meu pênis

-Tá na metade, vamos deixar assim pra não te machucar - falei preocupado agarrando seus seios pra fazer carinho em seu biquinho totalmente duro

-Nada disso, quero ele inteiro dentro de mim, vamos mudar de posição, deita na cama e me deixa fazer todo resto -Ruth falava com dificuldade suspirando de tesão

Deitei na cama e ela se posicionava em cima de mim, conduzia meu pau novamente pra entrada de seu anus e sentava lentamente cada vez mais fundo chegando até a metade novamente, cada centímetro mais fundo fazia Ruth gritar igual uma puta louca de prazer, quando colocou por completo meu pau no cuzinho apertado dela ficou alguns segundos parada apenas rebolando levemente pra frente e pra trás, subia calmamente até a ponta de meu pau e sentava novamente com tudo até a base dele, acelerava aos poucos e com alguns minutos estava acostumada em ter meu membro dentro dela

-Quero gozar - avisei percebendo que estava chegando no meu limite

-Goza dentro do meu cuzinho, quero sentir sua porra escorrendo em mim

Não aguentava mais e sem controle nenhum agarrei a cintura dela pra gozar o mais fundo que eu conseguia, sentia meu pau pulsar fazendo o cu dela ficar ainda mais apertado, após leitar dentro dela Ruth deitava sobre meu peito

-Desse jeito eu vou sempre lhe chamar pra arrumar algo aqui em casa

-Se o pagamento for esse, pode garantir que vou tá aqui todo dia

Depois desse dia virei o marido de aluguel dela e uma vez ou outra sempre transavamos, inclusive ela sempre me recomendava pra algumas amigas próximas, o que gerava um dinheiro extra. Espero que tenham gostado do relato e futuramente escrevo mais alguns, por ser Pansexual eu tenho muitos casos diversos, então vou sempre contar algo diverso por aqui.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 19 estrelas.
Incentive Jogador69 a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Amei o seu conto e sou pan tmbém, adoraria ver fotos e vídeos desta pistola e acomoanhar todos seus contos, vamos conversar? meu sonho é ver minha namorada numa pistola desta: euamoavida2020@gmail.com

0 0