Cuckold: da fantasia à dura realidade de uma traição (6ª parte)

Um conto erótico de Lael
Categoria: Heterossexual
Contém 3273 palavras
Data: 14/05/2024 11:12:53

Resolvi colocar a fita no videocassete da sala para ver do que se tratava, quando apertei o play surgiu na imagem uma cama de lado com uma colcha branca, não entendi nada, mas após alguns segundos, levei um choque com o que vi, Elaine apenas com uma lingerie preta e Jonny apareceram ao lado da cama, rindo, logo se abraçaram e se beijaram demoradamente, um beijo quente de dois amantes que estão com muita vontade. Apertei o botão para parar e fiquei inerte na sala, após meses de desconfianças, finalmente, elas foram confirmadas, sem nenhuma surpresa mirabolante, não era um cara que eu jamais imaginei, um amigo, uma figura mequetrefe, mas sim, o meu único e principal suspeito: Jonny.

Já nos anos 80, corria um boato de que ele tinha uma coleção gigantesca de vídeos amadores transando com as mulheres mais gostosas da TV, algumas até se deixavam filmar, pois era um tempo em que não existia a menor possibilidade desse tipo de gravação se tornar pública como nos dias atuais. Quando a companheira de transa não aceitava, o canalha as filmava escondidas para depois assistir, bem pelo menos era o que diziam, mas agora eu via a minha própria esposa com ele.

Minha filha e minha sogra estavam em casa, então, mesmo abalado e com o coração prestes a explodir, tirei a fita VHS e fui para o nosso quarto, pois lá, tínhamos outro videocassete e TV. Tranquei a porta e comecei a assistir. Ainda rolaram alguns beijos, adiantei essa parte. Depois, ela se deitou lentamente na cama e Jonny por cima dela, ficaram namorando na maior calma. Até que ele tirou o sutiã de minha esposa e passou a mamar seus seios. Às vezes, o canalha dizia com a voz de cafajeste: “Gostosa demais!” “Que corpo você tem!”.

Aos poucos, minha mulher foi ficando excitada, deu para ver pela expressão no rosto e os gemidos leves, nesse momento já era acariciada na boceta por cima da calcinha e seguia tendo os seios mamados. Após um tempo, Jonny beijou todo o corpo dela e passou a chupar calmamente a boceta, depois de alguns minutos, Elaine começou a fazer caras e bocas demonstrando que estava sendo bem chupada, passou a dar uns gemidos mais altos. Suas mãos agarravam o lençol com força, era mais uma prova de que estava tesuda.

Um tempo depois, as coisas se inverteram, Jonny tirou a cueca e se deitou de barriga para cima e Elaine de 4 na cama passou a chupá-lo. Pelo ângulo da cama, não dava para ver o boquete nem o pau dele, mas via a bunda e a xana expostas bem de perto e a cabeça dela subindo e descendo enquanto mamava.

Decidiram fazer um 69, enquanto se ajeitavam, pude ver que, ao contrário do que Elaine dizia, seu “comedor” não era um cara mega dotado, tinha um bom dote e grossura, mas do mesmo tamanho do meu. Creio que ela exagerou, pois todo homem que fantasia ver a esposa com outro, imagina o amante sendo avantajado. Pelo ângulo da câmera, vi Jonny chupando a boceta de minha esposa e até seu cuzinho, além de enfiar uma parte do dedo.

Quando ambos estavam bem excitados e gemendo alto, Elaine, falou.

-Vem, me come gostoso, já estou encharcada.

Elaine ficou de 4, Jonny se posicionou de joelhos, encaixou o pau na entrada da boceta dela e enfiou suavemente. A partir daí passaram a transar de maneira cadenciada, ele enfiava sem muita força, como que querendo desfrutar calmamente da boceta da minha mulher que mordia o lábio inferior, fechava os olhos, sorria com cara de safada; já ele, a segurava com uma mão pelo quadril e outra nas costas, fazendo uma expressão de marrento como de fato era. Num determinado momento, ela também ficou de joelhos na cama, mas ainda com o pau do amante dentro de si que aproveitou para beijar seu pescoço, rosto e boca enquanto socava um pouco mais forte:

-Gostosa do caralho, tá tão molhada que meu pau está meladaço.

Elaine se deitou de barriga para cima e Jonny passou a fodê-la primeiro na posição de frango assado, socando forte e arrancando gritos roucos dela que eu conhecia bem, pela parte da cama que ficaram, agora podia ver o pau entrando e saindo dela que estava com as pernas jogadas para cima e seguras por ele. Depois de um tempo assim, passaram a meter no papai-mamãe e vi pela expressão de minha mulher que iria gozar logo e foi o que ocorreu aos gritos:

-Ai que delícia! Puta que pariu! Vai assim mesmo não para, não para!

-Goza, safada, goza, eu também vou te encher de porra já, já. Quer minha porra? Quer?

Elaine começou a gemer cada vez mais alto, suas pernas dobradas para cima, balançavam freneticamente, e o amante começou a empalá-la com toda sua força, os dois gozaram juntos, numa mistura de gritos e gemidos. Após um tempo deitados e ofegantes começaram a rir, provavelmente da transa que acabaram de ter, mas na minha cabeça, estavam rindo de mim. Ver a esposa sendo possuída por outro e depois gozando foi um golpe duro demais. Mesmo me sentindo dopado, decidi assistir mais um pouco para ver sobre o que conversariam. Jonny falou:

-Não enjoo de trepar com você, quanto mais fazemos, mais vontade me dá de chegar logo a hora de fugirmos para cá.

-Também gosto, mas como te falei antes, não vamos confundir as estações, é só um casinho extraconjugal.

-Pô, Elaine, mas você precisa pensar na minha proposta, meu casamento já está no bico do corvo, nem aguento olhar para a cara de demente da Mônica, sabendo que virá mais uma pérola, é sério mesmo, estou apaixonado, você além de gostosa para caralho, é culta, tem porte, elegância. Larga o pateta do Gabriel e após um tempo, a gente assume que está juntos, quem sabe no futuro vamos morar fora do Brasil. Tô de saco cheio dessa merda de país, ainda mais depois daquela tentativa de sequestro que sofri no ano passado.

-Jonny?! Esse papo de novo? Isso aqui é um lance de aventura para fugir da rotina, não tenho planos de deixar o Gabriel, muito menos de acreditar em promessas suas.

-Vai continuar com o corno por pena ou por causa da filha? Deixa o babaca se virar, ele agora tá com 2 empregos, tá bom demais para um merda, ele se vira. Você precisa ser feliz, sei que não o larga por pena.

Elaine o cortou:

-Sejamos práticos quer dar mais uma antes de irmos embora ou ficar nessa DR sem pé nem cabeça? Não posso chegar ainda mais tarde do que já chego em casa.

Como se não bastasse o fato minha esposa ter um caso, o amante ainda estava fazendo planos de ficarem juntos como um casal, talvez até morando fora do Brasil. O filho da puta não estava satisfeito de ter Elaine como amante, a queria como companheira, e se ela estava gostando de trepar com ele, bastaria o safado seguir insistindo mais um tempo para convencê-la, era isso, um ano com o cara e só não tinha me deixado por “pena”.

Os dois voltaram a se pegar, mas não quis assistir, estava arrasado, passei a adiantar para ver se no final iriam falar mais alguma coisa. Apesar de estar acelerando, vi que treparam em várias posições, inclusive numa que Elaine e eu gostávamos muito de fazer, chamada cara a cara, que é quando o homem se senta na beirada da cama, coloca os pés apoiados no chão, a mulher vem por cima, senta no colo dele, de frente e ambos ficam se movendo até explodirem suado num gozo delicioso. Ao final da 2ª trepada, estavam exaustos, conversaram sobre assuntos da emissora, sumiram por um tempo, devem ter ido tomar banho e depois se despediram. Jonny continuou no local e o vi se aproximando da câmera para desliga-la. Aquele deveria ser um apartamento dele para levar as mulheres.

Permaneci uns 15 minutos olhando para o nada, totalmente arrasado. Teria que confrontar a safada, mas apesar do meu estado, tive frieza para pensar que apesar de nossa casa ser enorme, a conversa certamente iria descambar para confusão, gritos etc., e isso acabaria assustando à minha filha, por isso, após refletir bastante, decidi que o melhor era ter esse confronto em outro local.

Tenho um irmão que vive nos Estados Unidos, mas que possui um apartamento mobiliado no bairro de Santa Cecília e que o usa quando vem ao Brasil uma ou duas vezes por ano. Eu fico com as chaves e me encarrego de mandar limpá-lo de vez em quando e resolver outros assuntos relacionados ao mesmo.

Decidi ir para lá e assim que o programa de Elaine acabou, liguei e avisei-a que era para vir para o apartamento de meu irmão. Obviamente, ela se preocupou, mas só tratei de deixar claro que sua mãe e Aninha estavam bem, mas que precisava conversar com ela lá.

Acredito que no meio do caminho, Elaine deve ter imaginado do que se tratava e foi por isso que chegou ao apartamento tensa, apesar de tentar não demonstrar. Antes dela chegar, tive que controlar meus impulsos primitivos, pois minha vontade era de enchê-la de porradas e assumir processo, execração pública e o caralho a quatro, mas ainda que tentado, percebi que esse não era o melhor caminho, precisava ser duro e objetivo acabamdo com o casamento, não sem antes lhe dizer um monte.

-O que aconteceu afinal de contas, Gabriel? – Perguntou a adúltera assustada.

-Sente-se aí, você vai gostar da história. Estava me preparando para ir editar o programa desta semana, quando recebi uma encomenda, uma fitinha! Achei que alguém da minha produção tivesse mandado e decidi assistir e sabe o que eu vi?

-O quê?

-Você e o Jonny trepando gostoso! Tive tempo até de ouvir o teu comedor pedindo para me largar e ficar de vez com ele, irem morar fora, não é?

Elaine perdeu a cor e ficou de boca aberta:

-Co...Como? O que está me dizendo?

-Sim, isso, a farsa acabou, não era paranoia minha ou ciúmes bobo, era a confirmação do que eu tinha quase certeza de que você anda dando há meses para aquele filho da puta que me demitiu! –Gritei chegando bem perto dela, mas sem encostar nela

Elaine passou a balançar a cabeça e a olhar para todos os lados como que querendo encontrar uma saída. De repente, correu para o banheiro e se trancou. Fui atrás, tentei abrir a porta, mas a mesma estava trancada.

-Não precisa se esconder, vagabunda! Se quisesse fazer algo violento, faria assim que entrou, mas que vamos acabar essa conversa e o nosso casamento hoje, isso pode estar certa. Esperarei o tempo que for preciso.

Elaine ficou um longo tempo trancada sem responder nada. Cheguei a me sentar no sofá para espera-la, ouvi que estava chorando, talvez com as mãos na boca para que eu não ouvisse ou para que ela própria não se ouvisse, já que era uma mulher de personalidade forte e detestava demonstrar fraqueza.

Creio que tive que esperar mais de meia-hora, num dado momento, ouvi a torneira aberta e após mais uns longos minutos, Elaine saiu de rosto lavado, escondendo que havia chorado. Séria, sentou-se no sofá e disse:

-Tudo bem, Gabriel. Contarei tudo e lamento que essa fita tenha chegado até a você, mas o motivo está bem claro. Por muito tempo, recebi cantadas sutis do Jonny e, claro, o ignorei. Só um adendo, ele sempre me jurou que sua demissão foi uma ordem do pai dele e assim como eu, você sabe que velho era de veneta. Bem, depois de várias cantadas, flores, etc., houve um momento, há um ano mais precisamente que fiquei tentada a sair com ele, mesmo que fosse uma vez.

-Ah! De uma hora para outra, sentiu vontade de dar para ele como se fosse a coisa mais natural do mundo, como alguém que sempre chupa um tipo de sorvete, mas um dia decide experimentar outro. O que houve? Enjoou de mim? Não estava mais te satisfazendo?

-Todo homem, após algum tempo de casado, tem vontade de dar uma pulada de cerca e não é necessariamente porque o casamento está ruim, apenas quer experimentar uma aventura. Não pense que com nós, mulheres, é diferente, só que pela cultura, a maioria já corta logo o pensamento, outras preferem fantasiar e outras acabam cedendo. Cometi esse erro, não tinha nenhum problema conosco, mas tive vontade e fiz. Minha intenção era ser só uma, duas vezes, mas além de ter sido bom, passei a te contar na cama, como fosse uma fantasia e achei que você tinha percebido que era real, ou seja, que sabia que eu estava transando mesmo com outro, gostando, ainda que sem admitir, pois passou a me pegar com mais vontade, parecia um louco desesperado que há anos não toca uma mulher, não vou negar, senti muito prazer com o Jonny na cama, mas houve vezes em que a sua performance quando te contava o que tinha feito com ele, foi tão extraordinariamente e melhor que a dele que imaginei que aquele era o melhor dos mundos, ser possuída com desejo por um bom amante e depois por um marido que estava trepando cada vez melhor, mais furioso. E acho que foi isso que me levou a estender o caso, pirei, fiz uma grande cretinice, sem dúvida...

-Deixe de ser ridícula! Achei que tivesse um argumento melhor para justificar o que fez, se bem que seria impossível justificar, mas do jeito que falou, parece que eu que pedia para tomar chifre. Você é patética e puta!

-O que quer que eu diga? Foi isso que senti...

-Piranha suja! Eu só não quebrei o pau antes porque não tinha certeza. Você tem toda pose de uma mulher fina, elegante, mas não é nada diferente dessas putinhas s da vida. Vivia criticando Célia França e outras com quem me envolvi, dizendo que elas não se davam as respeito, confundiam sensualidade com vulgaria e você? Que tem a panca de uma mulher inglesa da realeza, mas não passa de uma vagabunda que deixa filha e marido em casa para levar pica de outro.

Elaine detestava ofensas vulgares, exceto na cama, e acabou se irritando:

-Tenho certeza que você já sabe da verdade e faz tempo, mas se quer ouvir da minha boca, então vamos lá: tenho dado para ele sim e há pouco mais de um ano, duas, três vezes por semana e gozo muito, muito mesmo. Se quisesse, já poderia estar morando com ele e levando uma vida nababesca no lugar da esposa tonta dele, com apartamento em Paris, mansão em Orlando e tudo mais. Tá satisfeito? Agora, eu que pergunto: o que você vai fazer? Pedir o divórcio? Agredi-lo? Aceitar me dividir com ele?

-Enfia ele e as coisas que ele pode te dar bem no meio do teu cu, sua desgraçada! Quer que eu brigue com ele? Esqueça! Você não vale a luta! Quer que eu seja um corno manso que depois te pega com vontade? Vai sonhando. Agora, quanto ao divórcio, isso pode ter certeza que pedirei. A minha única preocupação a partir de agora é a minha filha, porque esse casamento já era e só não te cubro de porradas porque não quero te dar o prazer de posar de vítima!

Elaine sentiu o baque ao notar que em minha cabeça, tudo já estava decidido, por isso, mudou o tom.

-Você precisa ouvir o restante da história!

-Você já confessou que me chifra com ele há um ano e que até fazem planos de ir morar em Orlando ou na casa do caralho, o que mais tem para dizer?

-Quando você passou a demonstrar que estava sofrendo mesmo e tivemos até uma briga séria, você se lembra não faz muito tempo. Cai na real, vi que tinha interpretado tudo errado e a primeira coisa que fiz foi dar um fim ao meu caso com o Jonny. Lembra que citei que você poderia ir me pegar no final do programa, mandar me vigiar? Então, foi porque ali senti medo de perder meu casamento e terminei com ele. Essa coisa de me separar para ir viver com o Jonny só existe na cabeça dele, me fez mil e uma promessas, disse que estava apaixonado, mas nunca senti nenhum tipo de afeto, era só um caso que acabou e foi por isso que essa fita chegou às suas mãos.

- O que tem a ver?

-É claro que foi o Jonny que te mandou para se vingar de mim. Ele está há semanas me perturbando, não aceita o fim do nosso caso e agora resolveu me foder mandando essa fita, que só para constar, eu nem sabia que existia.

-Não acredito em uma palavra que saia dessa boca imunda, você conduziu tão bem a história que provaria que não estava me traindo, que me senti mal por ter desconfiado. Toda segura me disse “Pode ir me pegar no final do programa, mandar me espionar”. Você mente bem demais. E tenho certeza do que o que o Jonny falou na fita é verdade, você só continua comigo por pena, pois se está há um ano dando para ele, é porque tem sentimento, mas foda-se isso agora, quero recomeçar minha vida, esse casamento acabou hoje...(de repente comecei a pensar em minha filha, dali em diante, tudo seria diferente e eu ficaria longe dela, nossa família que há menos de 24h jantava junta e feliz iria acabar, comecei a me emocionar, abaixei a cabeça e coloquei as mãos sobre o rosto.

-Eu não merecia uma pancada dessas, não...Nossa filha...Agora...longe de mim...Ela se apegou muito a mim...

Elaine começou a chorar, mas, como sempre, de maneira controlada se sentou ao meu lado, colocou a mão em minhas costas tentando me afagar, mas levantei-me bruscamente.

-Tira a mão, sua puta! Não preciso da compaixão de uma vadia!

-Calma, Gabriel! Sei que meu erro é gravíssimo, mas farei o que for preciso para me redimir e um dia, recuperar a sua confiança. Não vamos nos precipitar, falando em separação...

-Acha mesmo que vou continuar com você? Deixa eu te explicar uma coisa, graças à sua inegável competência, o público e a mídia te deram esse apelido de “leoa”, a mulher elegante, bela e poderosa que consegue tudo o que quer, só que aqui não é TV, isso aqui é vida real, e você fodeu a porra toda, não tem volta, aliás, nem para casa volto, ficarei uns dias aqui, depois arrumo um lugar para mim.

-Não fala assim...Esfria a cabeça, se não quer voltar comigo para casa, tudo bem, fica um ou mais dias aqui até se acalmar, mas só me promete que não vai fazer nenhuma besteira, Aninha e eu precisamos de você!

-Mas é o que me faltava, a leoa se acha tão importante que está pensando que vou me matar porque fui traído. Fique tranquila, você não vale uma gota de cicuta.

Elaine sentiu o baque, foi ao banheiro e novamente chorou escondida. Depois saiu, novamente de rosto lavado e tentou argumentar longamente de que tinha errado, mas queria uma chance. De tanto eu ignorá-la, minha esposa acabou desistindo e foi embora.

Os dias seguintes seriam de muito sofrimento, além de toda raiva pela traição, a preocupação sobre como ficaria minha filha, me dava ódio saber que Elaine talvez sentisse pena de mim. Entretanto, o pior ainda estava por vir, Jonny entraria em contato comigo para revelar fatos ainda mais graves. Elaine tinha ido ainda mais longe do que eu pensava.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 123 estrelas.
Incentive Lael a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de Lael Lael Contos: 221Seguidores: 655Seguindo: 11Mensagem Voltando temporariamente. Novidades em breve.

Comentários

Foto de perfil genérica

rapaz teus contos são foda, agente entra de cabeça e louco pelo o próximo capítulo

0 0
Foto de perfil genérica

Na minha opinião ,o que vai ser revelado e que Elaine ainda estava dando para o antigo comedor,aquele lá no início que ele falou que fazia gostoso demais ,aí o Jonny,descobriu e usou isso como para ameaçar a Elaine em troca do silêncio,só que ela começou a gostar de dar pra ele também.

1 0
Foto de perfil de Mark da Nanda

Tenho minhas teorias, mas irei guarda-las para mim.

Difícil é aguardar o próximo.

Parabéns, Lael! Está cada vez melhor.

Forte abraço,

0 0
Foto de perfil de Id@

Lael, eu fico impressionada com a sua capacidade de transformar um enredo simples de casamento e traição em algo envolvente e cativante. Parabéns!!!

1 0
Foto de perfil genérica

nossa verdade isso, são várias histórias em que ele consegue transformar demais uma vida rotineira em um turbilhão de acontecimentos e sentimentos

1 0
Foto de perfil genérica

O troco que Elaine deve receber deve ser dos bons, daqueles bem amargos. Aliás, deve receber Elaine e o Jonny. Ela aceitou trepar com o Jonny, e segundo ela mesma falou para o Gabriel, só deixou de se encontrar as escondidas com o Jonny e trepar com ele, quando o Gabriel ameaçou mandar segui-la. E só foi nesse instante que deixou de chifrar o Gabriel? Será que deixou mesmo? Ela trepava com o Jonny porque gostava de transar comm ele, ou queria que no futuro ele deixasse a esposa dele e ela, a Elaine fosse viver com ele? Ela não é confiável a primeira vista, e o Jonny tem de se ferrar nessa.

0 0
Foto de perfil de Almafer

Lael demais amigo parabéns nota mil pelo conto.

0 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

Parabéns Lael mais um excelente capítulo.

Esse Elaine é muito sem vergonha. Querendo colocar panos quentes na situação.

Espero que o Gabriel ferre com ambos.

1 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

Extraordinário caro Lael, uma extraordinária e muito bem contada história, abraço deste seu leitor de terras lusas.

0 0
Foto de perfil genérica

Porra Lael, cara vou repetir a fala de muitos leitores, que história top, fantástica.

Nós ficamos contando os dias para poder ler a continuação, parabéns mais uma vez.

Você sabe que sou muito seu fã.

Top demais... Pena que vai demorar quase uma semana para podermos ler o próximo.

Lendo o final desse capítulo deu até um frio na espinha de imaginar tudo o que ela deve ter aprontado com ele, não vou ficar comentando minhas suspeitas (que são muitas) mas torço demais que ele consiga superar e sair mais forte depois dessa traição e da dor gigantesca que ela causou.

Grande abraço

1 0
Foto de perfil genérica

Lael, tu é muito mau...

Nada é tão ruim que não possa piorar, Kkkkkkk

Uma pena que está postando mais lentamente e deixa a gente roendo as unhas.

1 0
Foto de perfil de rbsm

Cada vez mais surpreendente ótimo capítulo

0 0
Foto de perfil de Velhaco

Na minha opinião o melhor conto da casa sem dúvidas, parabéns mais uma vez

Ao meu ver é uma mulher manipuladora, discimulada e sem caráter, acho q não somente a demissão do Gabriel mas também a recolocação dele em outra emissora tem dedo dela,pra mim ficou claro q Elaine queria realmente transformar o Gabriel num corno manso e começou dando um jeito de demiti-lo, assim se iniciaria a submissão a esposa e as situações as quais ela passou a contar dizendo ser somente fantasia, mas ao ver q o marido não aceitaria ser corno manso resolveu voltar atrás, mas.ja era tarde de mais pra isso, vejo possíveis problemas futuros envolvendo Gabriel e as traições de sua esposa mal caráter

2 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil genérica

Simplesmente excelente. Mais ou menos como imaginei o desenrolar dos fatos. Resta saber agora o que Jonny vai revelar. Mesmo com raiva/ódio pela traição, Gabriel deveria ser inteligente para não tomar por verdade o que for dito por ele. Parabéns!

0 0
Foto de perfil genérica

Muito boa a história...

E de posse dessa fita, a dona Elaine pode se ferrar feio... A mídia conservadora jamais perdoará a traição dela...

E mais, ele jhony se ferra junto... São duas figuras públicas...

Eu achei ele ponderado demais... na situação dele eu exigia guarda da menina e uma indenização gigante, uma grana pra nem precisar mais pensar em trabalhar...

Mas acho que essa fase dele inerte deve mudar... vamos aguardar para ver...

Agora realmente a esposa agiu da pior maneira... se ele realmente tinha vontade pra que fazer escondida? É uma otaria mesmo... E digo mais, essa demissão dele tem dedo dela...

Parabéns lael, melhor história do site na atualidade disparado... aqui a história anda, não fica estacionada...

Parabéns

3 0
Foto de perfil de Tiotesão

E pelo que sei a fita serve de prova tirando todos direitos dela na separação. Ele está com a faca e o queijo na mão, basta analisar friamente.

1 0
Foto de perfil de Hugostoso

Na década de 80 se provasse a traição da mulher, o homem poderia até matar para lavar sua honra, que ele seria absolvido pela justiça!

1 0
Foto de perfil genérica

Não digo matar sabe? Mas com esse vídeo na mão ele faz o jhony dar ate o toba pra ele... E se quiser ele manda a esposa comer merda...

0 0
Foto de perfil de Hugostoso

Com esse vídeo ele ferra meio mundo, inclusive, deixa a mulher sem nada!

Eu quis enfatizar que, na década de 80, as leis eram diferentes, que ele poderia até matar a esposa, que pra ele não daria em nada, pois a lei protegia o marido traído, inclusive acabar com a vida do traidor também!

Vcs poderiam fazer um conto baseado nestas décadas em que não se protegia os traidores, que a sociedade e a própria lei os exterminavam, sendo mortos ou até mesmo perdiam toda a reputação, eles tinham que sumir do Mara e iniciar uma nova vida onde ninguém os conhecessem!

1 0
Foto de perfil genérica

Hugo outro dia estava pensando nisso, em escrever algo fora do contexto que vivemos hoje, com essa geração cheia de mimimi, iria ser bem legal, mas dá medo de sair muitas coisas que fervilhando na cabeça, talv z seria chocante demais ...kkkk

3 0
Foto de perfil de Hugostoso

Arrebenta irmão, vc já tem meu apoio!

👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👊🏼👊🏼👊🏼👊🏼👊🏼

0 0
Foto de perfil de Velhaco

Cara seria top de mais um conto com desfecho diferente dos abituais mimizentos, onde o corno aceita tudo calado e se falar alguma coisa e machista ou misógino, algo como a realidade.dos.anos 80/90 com final mais realista seria muito bom

2 0