Papai e eu

Um conto erótico de Filho
Categoria: Gay
Contém 2705 palavras
Data: 12/05/2024 17:26:39
Assuntos: Gay, Incesto

E então chegou, o dia das maes tinha 8 meses desde a morte da minha mãe, e então, havia sobrado apenas eu e meu pai... Minha mãe era do exercito, e se fora tragicamente ao ajudar voluntários refugiados, então recebemos uma indenização alta, e meu pai decidiu que deveríamos realizar o sonho dela: ir morar no interior, em uma fazenda com algumas criações, e desde então, éramos só nos... Nesse meio tempo, via meu pai sendo forte, carinhosos e atencioso como sempre, fazíamos tudo juntos, mas a cada dia, o via diminuindo e perdendo o brilho, e isso me entristecia ... O dia de hoje seria o primeiro sem ela, e logo quando amanhece ele diz que vai andar pela fazenda e logo retornaria, e preocupado, eu decidi segui-lo...

Ele foi até uma cachoeira e sentou, chorou e, como estava um pouco afastado, não conseguia ouvir o que dizia, mas durante o tempo que esteve ali, chorou e bebeu bastante, vi pelo menos 2 garrafas de whisky. Após um longo período, ele se levantou e fez o caminho de volta, então decidi correr para chegar antes. Para ele não desconfiar, tomei um banho para dizer que tinha acabado de acordar... Mas quando ele chegou, eu estava saindo do banheiro, com a toalha na cintura, e ele estava bem alterado.

-Ah Rafa, disse ele envergonhado, me desculpa por chegar assim, eu não deveria ter feito isso, não hoje... E se jogou no sofá e começou a chorar....

Sentei ao lado deve e o abracei: -Ei, está tudo bem papai, está tudo bem, estamos juntos lembra? Somos nos 2 juntos contra o mundo lembra? Você tem sido o melhor pai do mundo cuidando de mim, me deixa cuidar de você também ... Quer tomar um banho?

Ele chorou um pouco e já se recompos

-Obrigado filho, eu acho que um banho seria bom, só vou esperar melhorar um pouco e já vou...

-Deixa disso pai, eu to todo molhado já, eu ajudo o senhor, afinal quantas vezes já me deu banho? Falo em tom de brincadeira tentando levantar um pouco o astral dele...

-Bom, eu... Eu não sei Rafa, não e o normal né, eu que cuido de voce, você e o meu bb, não deveria cuidar de mim...

-Vamos bbzao, para de graça e vamos tomar um banho... Ajudei ele a levantar e fomos em direção ao banheiro. Já abri o chuveiro e voltei pra ajudar ele a tirar a roupa. Tirei sua camisa, e quando ele levantou o braços, com a camisa sobre a cabeça que fiquei cara a cara com seu peito forte, suas axilas definidas e seu cheiro chegou até meu nariz, senti um arrepio e fiquei levemente hipnotizado, e na hora pensei que talvez não seria uma boa ideia tudo aquilo... Continuei a levantar a camisa e meu pai me ajudou a terminar de tirar, já que ele era bem maior que eu. Quando tirou, viu minha cara de espanto perguntou “o que foi Rafa?” eu tentei centrar e desconversar,

-so estava pensando se vou ficar grande como o senhor, ou se vou ficar pequeno como a mamãe kkkk

- bom, se tiver sorte, vai ser pequeno e bonito como ela, não um ogro desengonçado como seu pai

- até parece kkkkkk queria ser um homem grande e lindo como o senhor, ficar com os braços grandes assim (e coloco a mão sobre os braços definidos do papai)

Senti um leve arrepio no local onde toquei, evidenciado minha mão quase pálida na sua pele cor de cobre

-olha so, tô parecendo um fantasma perto do senhor, queria ter uma pele dourada e bonita assim... Até aqui onde não e tão queimado (digo tocando no seu peito) eu ainda fico pálido kkkkkk e então olho nos seus olhos, que me encaravam numa mistura de esperança e dúvida

- está parecendo sua mae, ela que vivia dizendo isso... (Então ele colocou a mão sobre a minha e a segurou) Eu acho essa pele linda, tão delicada e suave, se não fosse frágil e quente, podia ser uma daquelas estátuas de marfim, de tão bonitas... (Seu rosto tinha um sorriso bobo e um olhar distante)

Com seu toque, senti como se todo o meu corpo estivesse vivo, cada movimento da sua mão, é como se fosse um pequeno choque em todo meu corpo, me deixando quase zonzo, entao nesse momento imagino que devia estar olhando para ele com cara de bobo... Então ele me desperta sorrindo “Ta aí Rafa? Desligou foi?” me fazendo quase saltar de susto, me tirando do transei do seu toque...

-Eu.. é, sei lá... Acho que lembrei da mamae, desculpa, fiquei viajando kkkkkk... Vamos logo pro banho... Digo tentando sair daquela situação que começará a ficar embaraçosa... Vamos tirar esse short, cuidado para não cair em cima de mim em, senão vai me esmagar kkkkk

Falo já soltando o cordão do seu short e comecei a abaixa-lo, tentando não reparar no volume farto sob suas pernas, porém, quando chego nos joelhos, ele se desequilibra um pouco e se apoia na parede

-Eei grandao, senta aqui senao vamos acabar no chão... E então ele se sentou no vaso e se apoio na parede, fechando os olhos, e eu ajoelhei para ajudar a tirar o short... Puxei o short sobre os pés e o tirei e então olhei para ele: papai estava sentado quase largado sobre o vaso, só com uma cueca branca, com aquele corpo bronzeado, os braços grandes, o peito bem marcado, aquela barriguinha de quem bebe aos fins de semana, mas ainda dava pra ver alguns gominhos no início do abdômen, as pernas grandes e definidas, com aquele volume dentro da cueca, que agora, reparando, delineava um saco grande e uma rola bem desenvolvida, que tambem não parecia 100% mole ... Sera que em algum momento aqueles pensamentos também passara pela cabeca dele?... Resolvi deixar isso de lado, levantei, arrumei a toalha que estava quase saindo para esconder o volume alto que estava na minha cueca...

- Vamos papai, tomar um banho, não aguento te levantar não...

-Mas já? Acho que quase cochilei aqui Rafa kkkkk

Ele se levanta e entra no chuveiro, e empurra um pouco o box... Mas ainda consigo ver a água escorrendo por aquele corpo grande, deixando aquela cueca ensopada e quase transparente...

-Vou buscar uma toalha papai... E saio do banheiro para o quarto ao lado e pego a toalha, tentando tirar aquilo da cabeça, afinal era o papai, o marido da mamãe, e então me senti mal.... e quando volto para deixar apoiado no box pergunto: “consegue sair sozinho?”

- kkkkk para que eu não tô tão ruim assim Rafa, poxa....

-qualquer coisa vc avisa papai, estou aqui em frente...

Após uns minutos de silencio após desligar o chuveiro, meu pai me chama

-Rafa.... (Percebo que seu tom está apreensivo e envergonhado) Acho que vou precisar de uma ajuda...

-To entrando papai... Entro no box ainda de toalha e reparo que ele ainda estava com a cueca molhada e apoiado na parede

-fui tentar tirar a cueca, mas ... Bom...

-Ta tudo bem papai, eu to aqui pra ajudar o senhor, entro no box para ajudar, e vejo meu pai envergonhado, tentando olhar para cima e acaba fechando os olhos, entao pego na cueca para abaixar, sentindo meu coracao bater mais rápido, e então começo a abaixar e me curvando junto, e quando vejo aquela rola enorme sair de dentro da cueca, me deixando hipnotizado, pela proximidade, posso sentir a mistura do cheiro de sabonete e do meu pai, aquilo parecia que me deixava em torpor... Então ajoelhei parar me afastar daquele jeito inebriante, tirando um pé por vez de dentro da cueca... Quando olhei para cima, meu pai me olhava de cima, e olhei em seus olhos, numa expressão até então desconhecida para mim.... Parece que esse momento durou por anos, então fui levantar, mas acabei pisando na toalha que foi pro chão, e eu cai de bunda no chão, só de cueca, e então meu pai riu, de uma forma que não via a um bom tempo, e então comecei a rir também...

-Eita que sou eu que tô bêbado e você que cai Rafa kkkkkkkk e deu a mão para me ajudar

-Pode parar pai, eu escorreguei por causa da toalha, não teve graça.... Fingi estar bravo, mas não conseguia tirar o sorriso bobo de ver meu pai feliz assim....

Dei a mão pra ele, e me levantei, deixando a diferença de tamanho evidente, já que minha testa bate no peito dele, e então, esquecendo de toda a nudez da situação, o abracei:

-Fiquei feliz de te ver sorrir assim papai... Sentindo o calor do seu corpo que por alguns segundos ficou retrasado, mas logo relaxou e me abraçou de volta “eu também Rafa, também estou feliz, obrigado por estar com o papai sempre”

Sem larga-lo, olhe nos seus olhos e disse: eu te amo papai, sei que você se esforça para estar sempre bem, mas tá tudo bem, pode contar comigo se precisar ficar triste também, eu te amo muito e tô aqui com o senhor para sempre....

Seus olhos ficaram marejados e vermelhos, e foi tentar se abaixar para tentar me pegar no colo, mas bambeou um pouco, o que causou mais alguns risos...

-Calma, vamos deitar um pouco papai, não quero cair de novo kkkkk então ajudei ele a sair do box, e a senhora secar...

-Voce se molhou todo, se seca também, e me deu a toalha. Eu me esqueci um pouco e ia guardar a toalha

-tira essa cueca molhada Rafa, vai acabar ficando doente... Fiquei com vergonha, mas acabei tirando e terminando de me secar, passei a toalha na cintura e fui ajudar ele a deitar...

-Ei, deita aqui também Rafa...disse ele segurando minha mao... Eu parei um instante e então me deitei ao seu lado de barriga para cima como ele....

-Sabe, desde que sua mãe se foi, acho que tambem me afastei um pouco de você, me desculpa.... Acho que você me lembra muito ela as vezes.... Isso eum pouco confuso entao eu me afasto um pouco para pensar claramente....

-Papai... Eu... Nunca precisa me afastar, senão nos dois estaremos sozinhos, e bom... Aqui, no fim, somos só nos 2.... Não temos mais ninguém no mundo, só nos dois para tudo... Somos nós contra o mundo... E então comecei a chorar um pouco....

Meu pai veio e me abracou, me prendendo contra seu peito forte, me deu um beijo na testa e me apertou contra si:

-nunca vai estar sozinho Rafa, você e o meu bb, sempre vai ser o meu menino, nunca vou deixar você sozinho... E então me olhou nos olhos enquanto segurava meu queixo: você e tudo pra mim, você e meu mundo tá ouvindo? Você pode contar com o papai pra tudo...

-Eu ... Papai, eu .... Não conseguia achar a palavra certa para aquele momento, não sabia o que dizer, parecia que ia explodir com aquele misto de sentimentos que explodiam dentro de mim naquele momento... Coloquei a mão no seu rosto, e fui de encontro ao centro do meu universo naquele momento, e beijei ele....

Nada naquele momento parecia importar, só de sentir os lábios do papai nos meus, o mundo só desapareceu.... Senti seu corpo retesar, e esperei que ele me empurrasse, me rejeitasse, independente do que fizesse já estava preparado, tudo valeria a pena por aquele momento, mas quando ele me beija de volta, toda a tensão da espera se desfez e senti meu corpo perdendo a força de cada músculo.... O mundo se resumiu naquele beijo, meu corpo inteiro estava em chamas, cada pedacinho do meu ser estava em estase.... E entaoEle se afasta”Rafa... Eu.., isso não deveria.... Eu sinto....” eu o interrompi colocando a mão na sua boca, tocando seus labios “Eu te amo papai” e continuo acariciando seu rosto e sua boca.... E então percebo que, estou pressionando minha ereção sobre a barriga dele, e me dar conta disso, me faz me encolher de vergonha....

-Ei .... Diz meu pai me abraçando novamente e me trazendo pra perto... Não precisa ter medo de nada Rafa, pode ficar próximo do papai....

-eu... Bom,... Tô com vergonha, desculpa papai.... Escondo a cabeça no seu peito

Ele faz um carinho no meu cabelo e puxa meu rosto para encara-lo “Voce e o meu bb, meu filho, nunca deve se envergonhar de nada, estou aqui pra você meu amor... E então me beijou novamente, mas agora segurando meu rosto, enquanto pressionava meu corpo contra o dele, com aquela mão enorme nas minhas costas....

Todo aquele calor começou a se intensificar, o fogo que antes era acolhedor e fraternal, agora estava mais intenso, mais visceral, me fazendo esfregar minha rola dura no abdômen do meu pai em movimentos cadenciados, enquanto ele me beijava, soltava alguns gemidos envergonhados, mas que não conseguia segurar... E meu pai, me beijava, beijava meu pescoço, dando mordidas leves, me fazendo suspirar e esfregar minha rola nele, enquanto ele vai apertando minhas costas, descendo lentamente a mãos, até chegar a minha bunda.... Onde começa apertar levemente, e então, da um tapa, que ressoa alto em meio a gemidos entrecortados, tão alto que ele mesmo se assustou e parou e me olhou... Eu apenas agarrei seu rosto e pulei de vez sobre seu corpo, ficando agora sobre seu abdômen, e com uma perna de cada lado do seu corpo, e comecei a beija-lo....

Ele segurou minha mão com as duas mãos e apertou, acariciando e dando alguns tapas, empurrando um pouco mais abaixo, até que sinto sua rola tocar o início da minha bunda, fazendo meu corpo se arrepiar, então desci mais e a base daquela rola enorme na minha bunda e a cabeça nas minhas costas, e abaixei para beija-lo novamente, empurrando a bunda contra aquela rola, sentindo aquela cabeça molhando todo meu rego, parecendo que cada toque era como receber um choque, que estimulava todo meu corpo.... Parecia que estava em estase, sentindo o corpo enorme com o meu, sentir aquele calor me cobrir... Então, meu pai se senta e me coloca em seu colo, com a rola deitada e eu sentada sobre ela, cobrindo todo meu rego, começo a rebolar naquela rola, indo pra frente e pra trás, me esfregando nela, da cabeça até os ovos, enquanto meu pai apoia os bracos na cabeça, deixando suas axilas livres para mim beija-las, lamber, morder, bem como aqueles peitos suados... Então ele abaixa uma mão, desce na minha costa, até chegar a minha bunda, me dando um tapa alto, me tirando um gemido, e continuou, até seu dedo encontrar meu buraquinho virgem.... Aí sentir aquele dedo tocar meu cu a primeira vez, senti meu corpo inteiro arrepiar, me fazendo gemer e arrepiar, então papai aproveita e começa me beijar, meu pescoço, minha orelha, meus peitos, chupando e beijando meu corpo, enquanto massageava meu cu e começava a abrir ele .... Quando ele coloca o primeiro dedo, solto um gemido alto e perco as forças e deito sobre seu peito, deixando a bunda ainda mais empinada, e ele aproveita pra colocar o dedo inteiro.....

-aaaah Rafa, mas que apertadinho.... Tão quentinho... Que delícia.... Ele dizia enquanto fazia um movimento de via e vem com o dedo, fazendo meu cuzinho piscar.... E sentia sua rola pulsando e babando na minha barriga, então me afastei do seu peito e olhei para aquela rola enorme.... Deveria ser uns 22cm, morena, grossa, com veias saltadas, uma cabeça rosa arroxeada, bem delineada, babada, brilhava, me fazendo ficar hipinotizado enquanto papai me olhava ... Ele só sorriu “que cara de pidao do meu bbzinho” e então me levantou do seu colo, me colocou de lado, me beijou e levou minha cabeça para seu colo, deixando meu rosto em frente a sua rola... O cheiro me deixou ainda mais enebriado e passei a língua na cabeça, sentindo ela pulsar na minha língua e soltar ainda mais pré gozo na minha língua,arrancando gemidos do papai, que voltou a colocar um dedo no meu cuzinho e massagear com outro dedo, tentando colocar 2, e com a outra mão, segurava minha cabeça pra chupar aquela rola, que comecei a colocar na boca e sentia ela pulsar e papai forçando minha cabeça para abocanhar ainda mais ..

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 16 estrelas.
Incentive Rouxinol a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Bom relato mas fiquei com a impressão que ficou faltando mais a não ser que você vá fazer uma continuação.

0 0
Foto de perfil genérica

Amei o seu conto, eu também sou tarado por estas loucuras,me conte tudo o que aconteceu, vamos conversar: euamoavida@gmal.com

0 0
Foto de perfil genérica

Eu amei cada detalhe, tirando uns erros ortográficos e de concordância verbal, eu fiquei mega excitado imaginando a rola grossa do papai... Continue, please!

0 0
Foto de perfil genérica

UAUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU. QUE DELÍCIA LER ESSE CONTO. CONTINUE RAPIDINHO.

0 0