O namoro com o primo II

Um conto erótico de Dra Bruninha
Categoria: Crossdresser
Contém 1547 palavras
Data: 11/02/2024 15:09:43
Assuntos: crossdresser

Depois do sexo meu primo ficou mais no quarto dele e eu na sala vendo TV até dar o horário da festa, ele estava envergonhado e eu tava com medo da reação dele, por isso dei espaço pra ele. Deu o horário nos arrumamos e fomos a pé mesmo, porque era a quatro quarteirões da casa dele. Começamos a andar e eu puxei papo:

-Está arrependido?

-Não ta doida Bruna foi ótimo.

-Ei.. não em chama e Bruna alguém pode ouvir.

-É que agora não consigo mais pensar em vc como outra coisa, só como Bruna.

-Fofo, se não estivéssemos na rua te dava um abraço.

-Quando voltarmos vc da o abraço.

Fomos conversando e ele me contou que estava meio estranho porquê tinha sido sua primeira vez, que na hora tinha falado que eu era umas das melhores, mas eu era a melhor pq nunca tinha feito sexo antes e que até mesmo beijar ele só tinha dado um beijo em um jogo de verdade ou consequência. Fiquei tranqüila e ofereci ajudar ele na festa, ia arrumar pra ele uma das meninas e pedi o tipo que ele mais gostava.

-Branca, loira e com a bunda grande – ele disse.

Chegando lá tinha uma menina nessas características peguei uma caipivodka e fui conversar com ela, falei do meu primo que ele era tudo bom e talz e perguntei se podia apresentar, e ela depois da propaganda disse que sim. Fui no Felipe peguei ele pela mão e apresentei a menina eles deram os 3 beijinho que era comum quando se estava afim de alguém e eu sai de perto e fiquei olhando. Pouco tempo depois chegou perto de mim um rapaz moreno bem bonito, que quando bati o olho já sabia que ele pegava passivos, só de olhar a gente sabe. Ele veio sentou do meu lado e falou assim:

-Você é o Bruno primo do Felipe né?

-Sim prazer.

-Prazer Robson- ele deu uma risada e continuou- vai querer que eu dou os 3 beijinhos ou já entendeu.

-Vc ta doido é?-falei rindo.

Ficamos conversando, ele elogiando as minhas pernas, eu tava de shorts e tenho as pernas grossas, e o papo tava bom que esqueci de vigiar o Felipe quando de repente ele me chamou pra ir embora. Não tínhamos nem ficado meia hora na festa e ele já queria ir embora. Eu fui porque estava com ele e imaginei que ele tivesse tomado um fora da menina e se irritado. Já era metade do caminho e ele não tinha falado nada e eu resolvi perguntar:

- O que aconteceu Felipe, se foi a menina liga não, você é bem gato pra ela mesma.

- Não Bruna foi nada não só não tava gostando da festa mesmo – disse ele meio rindo- chegar em casa a gente pede um pizza e vê filme o que acha?

-Boa idéia.

Chegamos e ele falou que se eu quisesse me vestir de menina não tinha problema porque essa hora não tinha perigo dos seus pais voltarem e que nós ficaríamos no quarto dos pais dele pra ver filme pq tinha uma TV enorme lá, que eu podia subir e me vestir que ele ia pedir a pizza e subir.

Me maquiei, coloquei a calcinha e o suiten preto sem a cinta liga e vesti a camisolinha transparente de dormir por cima, demorei a arrumar e fui pro quarto dos meus tios e ele tava colocando um filme no DVD, ele parou olhou e falou:

-Você só tem roupa que da tesão?

-Eu vou entender isso como um elogio.

Deitei na cama de bruços virada pra TV e ele colocou o filme, Instinto Selvagem, que já começa no sexo e eu que não sabia perguntei:

-É pornô Felipe?

-Não Bruna ta doida, é filme normal.

Rimos e eu reparei por uma foto que estava no aparador abaixo da TV que tinha bordas espelhadas que ele tava coçando o pau por cima do short, ai entendi tudo e fiquei num tesão, comecei a contrair a bundinha de vez enquanto e ele revirava os olhos quando eu fazia, mas tava decidida a deixar ele investir dessa vez. Demorou nesse jogo da bundinha inquieta, mas ele falou.

-Bruna, eu tenho uma pergunta mas to com muita vergonha de perguntar.

-Fala Felipe, vc já me comeu não pode ter vergonha de mim- disse e virei pra ele chegando mais perto dele, ficando bem perto do tronco dele.

-Mas, fico com vergonha do mesmo jeito sabe- Ele disse abaixando a cabeça.

-Bobo pode falar.

-Você gostou de hoje cedo, porque como eu nunca fiz fico com medo de ter sido ruim pra você?

-Para Felipe, foi ótimo eu nunca tinha gozado junto e nunca tinha gozado sem me tocar, foi a melhor que eu fiz ( claro que era mentira como eu contei no outro conto, mas não ia falar pra ele).

-Serio? Nossa que bom- Disse ele me olhando com aqueles olhinhos verdes e aquele rosto quadrado lindo- mas tem outra coisa que fiquei com vergonha e te falar.

-Ai ai, não me mata de curiosidade, fala menino.

-Eu quis voltar da festa porque fiquei com ciúmes de você- fez uma pausa eu ri e falei.

-Você é fofo demais menino, vem ca que eu vou te dar um abraço pela fofura- abracei bem apertado- agora o segundo que fiquei te devendo mais cedo.

Ai ele me segurou mais forte no abraço e o rosto dele tava no meu pescoço respirando e fazendo eu arrepiar toda, ai quando eu fui sair do abraço ele me segurou na metade, olhou pra mim e veio me beijar, a língua dele invadindo minha boca, consigo lembrar até hoje. Ai ele me deitou na cama beijando e tava um amasso dos mais bom e a campainha tocou.

-Ele levantou, deve ser a pizza perai.

Ele desceu lá e me gritou lá de baixo pra descer pra gente jantar, desci e jantamos a pizza conversando e falando sobre nossa infância e ele lembrou que eu sempre escolhia os papeis femininos das brincadeiras e tudo mais. Acabamos de comer e assim que eu desci da cadeira ele veio enlassou minha cintura e me lascou um beijão com gostinho de coca-cola, ele me apertava toda contra ele e meio timidamente veio coma mão e apertou minha bunda e disse:

-Pode?

-Deve- falei pondo a outra mão dele na minha bunda.

Tava demais, sorte que meu pintinho é pequeno porque tava pulando pra fora da calcinha todo babado.

Ele me pegou pela mão e subimos pro quarto dos pais dele, chegou na porta ele me beijou de novo e foi me guiando de costas pra cama, me deitou nela e foi abrindo minhas pernas, jogou a calcinha pro lado e tentou enfiar no meu cuzinho, mas não deu, peguei o pau dele e guiei até a portinha e ele num movimento só enterrou tudo no meu cuzinho, eu gemi de dor e prazer e ele continuou bombando e falou:

-Se masturba Bruna, quero que vc goze tbm.

-Amor se eu encostar nele capaz de eu gozar.

-Não chama de amor não porque eu já estou super apaixonado por vc já- coisa de adolescente.

-Então mete amor, mete em mim, na sua priminha.

-Na minha fêmea- ele falou isso acelerando a metida.

-Isso meu macho, me suja com sua porra- falei lokinha rebolando e tudo mais.

-Se masturba que eu vou gozar agoraaa- Ele falou aumentando a intensidade e deitando em mim, senti que ele queria entrar em mim por inteiro. Encostei no pintinho e gozei na minha barriga e na dele.

Ele deitou do lado exausto e eu virei pra ele e falei:

-Desculpa ter sujado você.

-Ta doida isso é a prova do meu sucesso- ele falou já vindo me beijar.

Fui no banheiro peguei papel, me limpei e limpei ele e continuamos vendo o filme, mas era um cena mais picante que a gente voltava pro sexo, sentei nele de frente, de costas ele veio por cima, de quatro, por fim meu cuzinho tava doendo demais no sexo, mas eu tava firme. Gozamos muito, dormimos de conchinha.

Acordei antes dele, levantei, ajeitei a maquiagem e escovei os dentes e voltei, ele ainda tava dormindo, fui bem devagar e comecei a lamber o pau de levinho pra ele não acordar, mas ai pensei que seria uma boa despertar ele assim, comecei a chupar o pau dele ele despertou e com mais alguns minutos gozou na minha boquinha. E eu engoli tudo, ai ele falou:

-Serio vou ter de casar com vc.

-Bobo para com isso.

-Mas, serio vc não quer namorar comigo não Bruna?

-Como que a gente ia fazer isso Felipe tem jeito não.

Ele insistiu disse que podíamos fazer escondido, sempre ficaríamos na casa dele e na minha, sempre nos visitaríamos e dormiríamos no mesmo quarto como primos pras pessoas mas ficaríamos como casal e nem eu nem ele ficaríamos com mais ninguém. Parecia um sonho e é claro que aceitei, e foi muito bom enquanto durou, mas o final foi triste demais, depois conto. Nesse dia eu pedi pra vestir uma roupa da mão dele mais comportada pra ver se tirava o fogo dele porque tínhamos fds todo ainda, pena que não adiantou era toda hora, doeu mas foi bom.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 12 estrelas.
Incentive DraBruninha a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários