RECEITA EXPLOSIVA PARA TESÃO: PERFUME, E DEGUSTAÇÃO DE VITAMINA.

Um conto erótico de Bemservido
Categoria: Heterossexual
Contém 3776 palavras
Data: 10/02/2024 00:16:11

Este relato ocorreu tem cinco dias.

Tenho ciência desde sempre de q as mulheres são muito mais olfativas do q nós homens, de q elas têm sensibilidade aguçada a perfumes tanto em si como nos parceiros.

Porém, nunca aprendi e muito menos me acostumei a usá-los, mesmo qdo os recebi de presente das namoradas.

Tanto, q após ser presenteado com os perfumes, passava a ser cobrado no seu uso, pois sempre me esquecia de os aplicar.

Mas...numa tarde na qual estreava uma camiseta, bermuda nova, e uma sandália, um tanto mais sofisticadas com as quais me presenteara, olhando-me inteiro no espelho da sala de casa disse em voz alta para mim mesmo, num momento de puro narcisismo:

- Garotão, você está demais!

Daí, qdo fui ao quarto para pegar meus documentos intencionando ir ao supermercado comprar frutas naquele dia em q havia mais ofertas na semana, me deparei com alguns perfumes na cômoda do canto aos quais nunca prestara atenção, e resolvi aplicar um deles q era o mais antigo, e q jamais usara.

O apliquei na palma da mão direita, e confesso q ficando impressionado favoravelmente com o seu aroma, devo ter exagerado na sua aplicação no pescoço, no peito, e tb na camiseta, abrangência q jamais fizera.

Lembro q ao entrar no carro senti imediatamente a diferença do perfume no ambiente, e me contentei com a noção de q poderia ser notado agora além da roupa com a qual me sentia tão bem, o seria mais ainda, pelo aroma q me agradava.

Sendo um dia no qual aquela unidade do supermercado tinha tradição em ofertar num preço mais convidativo e em maior variedade de frutas, legumes e verduras, havia muitas pessoas comprando, a fila para pesar estava enorme, e uma das mulheres, morena jambo muito bonita, chamou a minha atenção, especialmente.

Precisei até esperar um pouco para vagar um lugar na gôndola de mamões q se apresentavam muito atraentes no tamanho e no preço, e qdo pude finalmente escolhê-los, percebi estar exatamente ao lado da mulher q me atraía.

Sou bastante reservado, tenho dificuldade para gostar, diferente da maioria dos homens para os quais basta ser mulher q está td certo, de modo q levar para a cama passa a ser só uma questão de chavecar, e a transa acontece até mesmo já no primeiro encontro.

Tb não me enquadro no perfil cafajeste, safado, malandro, para o qual muitas mulheres dizem se sentir atraídas, muito pelo contrário, sempre fui o tal do nerd na escola em todas as suas fases, muito estudioso e rotulado por todos como inteligente, recebendo assim a atenção maior somente das meninas q possuíam perfil parecido, as quais são bem poucas.

Então, sentir atração por uma mulher costuma ser um problema para mim, pq bate um baita bloqueio sobre o q dizer primeiro, pra começar o papo.

Por isso, já aconteceu muitas vezes de apreciar uma mulher, ela corresponder, mas pq talvez tb era tímida, não rolou nada, ficando a sensação ruim da impotência na conquista.

Mas ali naquela muvuca de todo mundo esbarrando em todo mundo pq o espaço era reduzido e grande o número de pessoas num final de tarde, num esbarrão q depois soube ser de propósito qdo pediu desculpas, a mulher q me atraía ajudou a quebrar a barreira da minha timidez.

Depois de a desculpar inclusive com várias repetições, ela disse:

- O preço está muito bom, mas pq mudei a pouco e ainda não comprei a geladeira, receio estragar comprando mais.

- Ora, depende de vc gostar de mamões de verdade, respondi...na minha casa frutas não estragam de jeito nenhum, acrescentei, pq lá as frutas não são sobremesas, elas são pratos principais.

- É mesmo? Então preciso aprender com vc...ela disse sorrindo...Confesso q não consumo frutas tantas assim, como sei precisar.

- Ora, ora, é simples....brinquei....me convida pra fazer as refeições contigo, q vc passa a fazer td certinho...só de me ver comer a qtd de frutas q estou acostumado, vc vai querer fazer igual tb...afirmei agora com expressão mais séria, pq sou profissional da área da Nutrição.

- Vc é Nutricionista? Ela quis saber.

- Sou Biólogo, respondi...

- Não sabia q Biólogo tb trabalha com Nutrição...sou Pedagoga, ela contou...Orientadora Pedagógica num colégio particular...

Nisto ela olhou para os cinco mamões grandes q havia embalado, e percebendo q estavam maduros e precisariam ser consumidos logo, ela me disse assustada:

- Vc consegue comer logo esses cinco mamões?

- Sim, respondi, consumo todos eles em dois dias no máximo, nem será necessário guardá-los na geladeira.

- Pois é...ela disse aparentando certo desânimo...gosto muito de porcarias...preciso mudar...

- Posso te ajudar se quiser, propus...vc mora perto daqui? Perguntei.

- Moro a umas seis quadras, pra lá, ela indicou com a sua mão esquerda.

- Moro pra cá, indiquei com a minha mão direita, talvez um quilômetro oposto a vc...e citei o nome da rua.

- Não me diga q vc mora nessa rua! Ela exclamou...Minha mãe mora nela tb...disse justificando a sua exclamação...cresci morando nessa rua, ela acrescentou...

E daí ficamos conversando um pouco afastados da gôndola das frutas sobre a nossa origem no bairro, as ruas diferentes em q morei pq a minha família pagava aluguel e a dela tinha casa própria, a diferença de apenas dez anos da nossa idade q fez não nos encontrarmos na fase de colégio, onde estudamos, como nos formamos, e depois q pegou umas poucas frutas a fui acompanhando nas demais compras, nos outros corredores do supermercado.

Qdo o produto q compraria era alimento ela pedia a minha opinião, e isso rendia muito assunto a cada compra, situação q nos fez demorar muito tempo no supermercado, e nos aproximou bastante a ponto dela me convidar para ir à casa dela ainda naquela noite.

Disse q morava sozinha, era solteira, havia gostado muito do papo, se poderia me esperar...e por último, perguntou q perfume estava usando, pq a deixou maravilhada, nas palavras dela, tanto q esbarrou de propósito em mim, a fim de começar um diálogo...

- Claro, pode me esperar...disse-lhe...então vou pra casa somente para levar os mamões, fazer uma vitamina, tomar, e reforçar o perfume, brinquei. Mas tem uma situação q precisamos resolver...nem o nome sabemos um do outro...lhe disse.

Ela, aparentando surpresa, falou:

- É mesmo, mas isto é o mais fácil...meu nome é Maria Lúcia...e o teu?

- Pode me chamar de Guto, respondi sorrindo...

Ela ainda questionou:

- Guto de Gustavo, ou de Augusto?

- Guto de Augusto, confirmei.

Confesso haver ficado um pouco excitado enqto a ajudava a colocar as compras no carro, pq o seu decote sem sutiã mostrou totalmente os seios, e o shortinho folgado mostrou a metade das suas nádegas nas várias posições em q ficou qdo colocava suas compras no carro.

Ela me chamou de safado, qdo olhei o carrinho e lhe disse:

- Q pena q acabaram os pacotes!

- P q? Ela quis saber, aparentando curiosidade.

- É q as tuas manobras foram reveladoras, disse-lhe, apontando com as mãos a sua bunda, e com o olhar os seus seios...queria continuar assistindo o espetáculo...

- Esse meu shortinho é terrível...o decote já nem ligo, estou acostumada a não usar sutiã...ela disse com um sorriso malicioso, puchando as barras do shortinho pra baixo...e tentando ajeitar a cobertura imposível dos seios....eles acabam mostrando sempre mais do q espero...

- Então vc programa o q vai mostrar? Brinquei.

- Tem sempre um limite, né...mas se a gente se descuida, vcs aproveitam, não é? Ela questionou. Então te espero, ela disse, depois q a ajudei a colocar as compras no carro...vai mesmo, ela fez questão de acrescentar...com o carro já estando em movimento.

Maria Lúcia é uma morena jambo com 1,70m, cabelos pretos na altura da cintura, olhos negros amendoados, bem esbelta, tipo falsa magra.

Seus lábios são carnudos, numa boca de tamanho médio para grande.

Os seios são médios, e estavam bem evidentes num decote chamativo.

Tem coxas muito bonitas q deixou quase inteiras à mostra, pq vestia um shortinho jeans desfiado na barra, na altura da dobra das suas nádegas bem avantajadas e arrebitadas.

E...tem uma cinturinha, dessas q a gente quase não encontra mais.

Fui pra casa super muito animado, pq terminara um relacionamento bastante conturbado, no qual transar era sempre difícil em função dos desentendimentos, e antevia até mesmo dormir com ela, pq ambos havíamos nos entendido super bem.

Como prometi fiz a vitamina em casa, tomei bem devagar do jeito q estou acostumado, fiz a higiene oral, reforcei o perfume, e me dirigi ao endereço, seguindo as referências q Maria Lúcia me dera com detalhes.

Qdo apertei a campainha na casa indicada, Maria Lúcia apareceu no portão da garagem, transparecendo ser ainda mais linda!

Seus cabelos estavam molhados, exalava um perfume delicioso, e suas roupas q trocara, estavam ainda mais sensuais tendo menos tecidos, sendo mais justas, mais decotadas, com os seios saltando bastante no olhar.

Assim q percebeu a minha reação de devorador ao q mostrava do seu corpo, Maria Lúcia perguntou:

- Gostou?

- Não só gostei, lhe disse, como preciso tocar, apalpar, beijar, lamber, morder...

E a cada ação q dizia, tb fazia, passando a tocar todo os seu corpo.

Apalpava especialmente os seios e a sua bunda maravilhosa, q ela fazia questão de demonstrar satisfação, gemendo e suspirando com os meus toques bem firmes na sua pele.

Beijava a sua boca, abri sua blusinha fininha e me esbaldei nos seios q ela colocava nos meus labios, revirando os olhos de prazer, suspirando e gemendo.

Lambia seu pescoço, as orelhas, a nuca, o colo dos seios, os bicos, ajuntava os dois seios e lambia rapidamente, a deixando maluca de tesão, nas palavras dela...estou quase gozando, ela me disse...para...para...não quero gozar já...desse jeito...não aqui em pé...

Mordia bem devagar os bicos dos seios, alternando chupadas com lambidas e mordidinhas deliciosas, enqto ambos apertávamos nossos quadris nos encoxando bem gostoso, muito gostoso mesmo!

Fiz questão de a judiar bastante sarrando o pau diretamente nas suas coxas, enqto ela procurava colocar sua pepeka mesmo vestida em contato com o meu pau, o pegava e tentava por a tanguinha pequenininha de lado, mas eu não deixava, só esfregava nas coxas bem perto da pepeka a atiçando, mas não encostava nela com o pau, embora estivesse quase desesperado para haver o contato do pau com ela...sentia até o seu calor, mas me controlava a fim de a deixar o mais excitada possível.

Ela queria me levar para dentro da casa, e eu ficava fazendo de conta q não queria entrar a encoxando com pau direto nas suas coxas, chupando os seios, beijando, lambendo, e alternando com pequenas mordidinhas nos bicos dos seios, transparecia q a iria comer ali em pé mesmo, mas é claro, só a estava excitando, a deixando cada vez mais maluca de tesão.

Até q ela falou:

- A gente precisa entrar logo...sou muito escandalosa...gemo e grito muito...e aqui estou só me segurando para os vizinhos não saberem q estamos transando...entra logo comigo, vai...eu preciso, ela pediu.

Vendo sinceridade no q Maria Lúcia dizia, e percebendo estar bem excitada, concordei em entrar da garagem para o seu quarto q fica nos fundos da casa, e lhe estendi a mão para ser conduzido.

Mas Maria Lúcia demonstrando ser uma mulher bem fogosa q desejava continuar a sentir a dureza do meu pau em contato com o seu corpo, em vez de estender a mão como esperava me puxou colocando as minhas duas mãos cruzando na sua barriga, de modo q encaixei o pau direitinho na sua bunda, a apertando bastante contra o meu pau.

Daí ela disse virando a sua cabeça para trás, para me beijar:

- Agora a gente vai para o quarto andando bem devagarzinho...eu controlo os passos...quero curtir bastante esse teu pau espetando a minha bunda...quero te recompensar o tesão q vc teve babando na minha bunda lá no supermercado...pensa q eu não vi? Ela comentou bem malicosamente...adoro qdo um homem fica secando a minha bunda...molho bastante a calcinha, sabia?

E assim, em passos bem pequenos, fomos andando como dava, com o meu pau se esfregando na sua bunda q estava vestida com um shortinho bem fininho, o qual facilitava o pau entrar bastante no seu rego por cima do tecido.

Nessa posição com as minhas mãos cruzadas na sua barriga, e com o pau espetando a sua bunda, pareceu haver acabado a pressa de Maria Lúcia para estar no quarto.

Pq ela virava o rosto para trás e parava para beijar enqto esfregava a bunda no pau, tendo dois contatos da minha pele com a sua pele: em cima beijando maravilhosamente, e embaixo, qdo pegava meu pau e o masturbava, esfregando nas suas coxas, e na sua bunda, tentando o colocar na pepeka e no rego, por dentro do shortinho.

Tenho muito controle sobre a minha ejaculação, e me demoro normalmente pra gozar, mas começava a ficar difícil não ejacular, pq os estímulos agora haviam sido passados para ela, e numas três vezes precisei interromper os carinhos, pq gozaria na coxas dela estragando a festa q pretendia prolongar bastante.

Ela dizia q poderia gozar, até mesmo q ela esperava q gozasse logo, pq depois ficaria por muito tempo com o pau inteiramente à disposição dela, mas receava q demorasse para ter nova ereção como às vezes me acontece, e queria evitar isso.

Qdo chegamos à porta do quarto, ela se virou ficando de frente pra mim, me beijou longamente, continuou a segurar o meu pau o esfregando nas suaas coxas, e me cochichou:

- Vc gosta de um cuzinho?

- Muito, muito, muito mesmo, respondi.

- Boa garoto, muito boa! Ela exclamou ainda cochichando. Percebeu já por qto tempo estou esfregando a mnha bundinha no teu pau? É q o meu tesão no cuzinho explodiu, qdo vc disse lá no supermercado q havia curtido a minha bundinha...vim pra casa toda molhadinha na pepeka, e com o cuzinho piscando de tesão...eu vou dar pra vc o meu cuzinho...bem gostoso...adoro dar o meu cuzinho...ela disse cochichando bem maliciosamente...faz muito tempo q não dou....vc vai comer meu cuzinho? Ela perguntava cochichando me dando um tesão incrível....então põe as tuas mãos por dentro do shortinho, tira ele, e deda meu cuzinho, deda bem devagarzinho meu cuzinho, pq eu quero dar meu cuzinho pra vc...prepara ele pra vc comer...vc come bem gostoso o meu cuzinho? Vc promete q vai ser carinhoso? Eu quero te dar meu cuzinho...ela cochichava.

É impossível descrever o tesão de tirar a roupa de uma mulher a deixando totalmente nua, essa mulher q deseja meu pau dentro do seu cuzinho, fazendo toda essa preparação entremeada com muitos beijos e carinhos.

Assim q o shortinho caiu no chão e ela ergueu os pés livrando-se totalmente dele, enqto me mantinha de pé no chão.

Maria Lúcia sentou na beirada da cama, e vendo q precisava se abaixar para chupar o pau, ficou de quatro com a boca na altura dele, e começou uma senhora chupada, bem caprichada, de alguém q gosta, q não faz por obrigação, q durou uns dez minutos, talvez.

Daí, me disse:

- Como não tenho lubrificante, vai no cuspe mesmo...só me deixa acostumar com a cabeça dentro, pra depois vc meter inteiro.

Então se virou e foi se posicionando medindo a altura do pau, em relação à sua bundinha, e o cuzinho.

Esse foi um dos momentos de maior tesão de toda a minha vida sexualmente ativa, pq a bunda de Maria Lúcia é maravilhosa, linda, bem firme, arrebitada, o cuzinho é bem marronzinho, as preguinas são todas certinhas, e ela queria mesmo ser enrabada, estava muito a fim de me dar o cuzinho, suspirava e gemia, estava toda alterada.

Daí, Maria Lúcia cuspiu bastante na mão, passou o cuspe no cuzinho com dificuldade o introduzindo com um dedo, depois cuspiu na mão de novo, e lambecou todo o pau.

Então, pegou meu pau, colocou na portinha do cuzinho, e recomendou:

- Vc empurra daí, e eu empurro daqui...cuida pra entrar só a cabeça, pra eu me acostumar...pq no começo doi.

Toda a recomendação de Maria Lúcia me fez acreditar q a penetração do seu cuzinho seria difícil, mas como ocorreu noutras vezes, qdo a mulher quer muito ser enrabada, e colabora, enrabar vira uma ação bem compartilhada q além de ser prazerosa para a mulher pq não sente dor, mesmo qdo há algum desconforto ele se torna tolerável, o prazer chega bem antes, e passa a curtir intensamente como relatam, o entra e sai do pau do seu cuzinho.

Com Maria Lúcia aconteceu exatamente assim, sendo q ela mesmo enterrou td rapidinho, pq estava com muita vontade de sentir o pau inteirinho no cuzinho, como relatou depois.

Ela mesma ia e vinha no pau colaborando ao máximo, com as enterradas q eram cada vez mais velozes, e profundas.

E não demorou muito, para explodir num orgasmo gritado e gemido, enqto dedilhava loucamente o clitóris.

Gozamos quase juntos, e devido ao esforço despendido, veio aquele relaxamento gostoso, e dormimos em seguida acordando mais de uma hora depois.

Acordei com fome, e Maria Lúcia me disse:

- Tem outra uminha ainda, não tem? Vc consegue, se eu brincar com ele na minha boca, não consegue?

Só dela falar ele já estava meia bomba, mas lhe disse q estava com fome, q ela havia me sugado todas as energias, q precisava comer pra dar outra bem demorada, e gostosa.

- Td bem...então vamos fazer o q pra comer? Maria Lúcia quis saber. Não sei o q vc come, complicou, ela disse sorrindo...não pensei nisso.

- Vamos lá na cozinha, e vejo o q vc tem, propus.

Ela me acompanhou, e abrindo os armários, foi dizendo de quais alimentos dispunha...

Batemos no liquificador aveia com água, adoçada com um bocado de uvas passa, e amendoim em grão.

Ficou muito gostosa aquela vitamina, mas só a deixei provar, não permiti q comesse do jeito q esperava, e qto desejasse.

Ela quis saber pq, e lhe expliquei q iríamos consumir a vitamina espalhada em nossos corpos, sendo assim sugada, e lambida.

Ela achou bem sensual, e pediu q fizesse nela um pouco, a fim de aprender.

Então, lambequei bastante os seios dela com a vitamina, e passei a lambe-los, chupa-los, deixando-os bem limpinhos.

- Q tesão q deu! Quase gozei, foi a reação dela.

- Quer mais? Perguntei.

- Claro q eu quero, faz de novo nos seios, ela pediu.

Repeti td, e dessa vez, ela gozou mesmo, sem penetração, somente com as chupadas e as lambidinhas dadas nos seios, limpando a vitamina espalhada neles.

- Agora é a tua vez, ela disse. Onde vc quer q eu espalhe a vitamina? Maria Lúcia questionou.

- No meu pau, e no saco, respondi.

Como os pelos estavam rapados, ela espalhou a vitamina e foi limpando com a boca, dizendo estar sentindo ainda mais tesão, q ela queria q comesse loguinho a sua pepeka!

- Não senhora, nada disso...argumentei...passei a vitamina em vc duas vezes...faz tb em mim, duas vezes...

- É q está muito gostoso, olha como a minha pepeka está pingando de tesão...vc é muito malvado, ela brincou de me acusar.

Então ela refez a passada da vitamina, chupou o pau, lambeu direitinho o saco deixando td limpinho, e já foi subindo em mim para encaixar a pepeka no pau, mas não deixei.

Aleguei querer mudar de ambiente...queria comer sua pepeka em várias posições pela casa...e queria a lambecar de vitamina a cada vez, limpando-a a seguir com a boca.

A levei ao banheiro acompanhada do pote de vitamina, pus as suas mãos na parede, pedi q arrebitasse a sua bunda maravilhosa, lambequei as suas nádegas totalmente com a vitamina, lambi e limpei muito bem a ambas, e carquei o pau na pepeka ensopadíssima pelo tesão.

Qdo cansamos, a levei à mesa da cozinha, pedi q se assentasse, lambequei as suas coxas com a vitamina, lambi e chupei inteiras deixando-as limpinhas, pedi q pusesse as mãos no meu pescoço, cruzasse a pernas na minha cintura, e a comi com bastante velocidade e profundidade, fazendo-a gozar gritando, dessa vez.

Pq desejava a enrabar mais uma vez, a levei ao sofá da sala, novamente lambequei da vitamina as suas nádegas, lambi e limpei direitinho com a boca, pedi q se colocasse no braço daquele móvel ficando com a bunda toda oferecida, e fui colocando o pau no cuzinho bem devagar.

Nesse momento Maria Lúcia colaborava totalmente com a enrabada, abrindo bem as nádegas para mim.

Qdo acabei de enterrar o pau no seu cuzinho delicioso, Maria Lúcia me disse q desejava tentar gozar pelo cuzinho, sem mexer no clitóris...perguntou se a ajudaria a conseguir.

Disse q faria o q me pedisse, e ela recomendou q estando o pau enterrado lambesse as suas orelhas e o pescoço, q tentasse beijar a sua boca enqto enterrava o pau nas idas e vindas do seu cuzinho, q não tivesse pressa, q fosse bem carinhoso com ela, q cochichasse coisas bem eróticas e sensuais nos seus ouvidos, q assim ela achava q gozaria sem mexer no clitóris.

Achei bem razoável a ajudar a gozar somente pelo cuzinho, até pq nunca recebi esse pedido, e seria um aprendizado para mim.

Entendi q ela gozando desse jeito novo me ajudaria a chegar lá tb, tendo a realização de a fazer alcançar algo q supunha ser possível, q havia lido a respeito soube depois, mas q ainda não desfrutara desse prazer q dizem mais intenso, profundo, e único!!!

Procurei caprichar bem nas ações q Maria Lúcia me pediu, e pq percebi q me dava mais tesão tb, me apliquei nelas mais ainda percebendo ter uma ereção mais forte, um tesão maior, tendo bem mais pegada, e td isso acabou numa ejaculação muito intensa e mais gostosa.

Qdo ela sentiu meu esperma no fundo do seu cuzinho, gozou tb muito intensamente sem tocar no clitóris, ficando inteiramente largada no sofá, toda relaxada.

Dormimos em seguida mesmo sem tomar banho de tão relaxados q ficamos, qdo acordamos de manhã Maria Lúcia me pediu para repetir td igual ao q fizemos no dia anterior, pq foi a melhor experiência sexual de toda a sua vida.

E confesso tb q td foi muito gostoso, muito mesmo, não sabendo se foi a melhor de todas as relações sexuais, pq cada pessoa com quem a gente transa, oferece recompensas diferentes.

Mas ainda continuamos a brincar, e parece q a nossa relação continuará cada vez mais perfumada, e cada vez mais gostosa.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 9 estrelas.
Incentive Bemservido a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários