BLACK AND WHITE - MINHA SOGRA PEDE PRA COMER ELA -PT2

Um conto erótico de GABRIEL SILVA
Categoria: Grupal
Contém 1891 palavras
Data: 16/11/2023 21:09:14
Assuntos: grande, Grupal, negros, pau, Sogra

dois meses depois do acontecido, Alison, meu primo casado com uma prima da minha esposa, minha esposa e eu participamos de uma festa de fim de ano que minha sogra Marinez deu. Eu me diverti muito. Marinez tomou alguns drinks e estava se sentindo bem pois não era acostumada a tomar bebidas alcolicas. Ela começou a fazer gestos amigáveis. No começo eu ignorei ou às vezes dizia algo como “o que sua filha diria” pois estava dando muito na cara. Eu estava ficando cansado disso, então, em vez de ser gentil, a surpreendi perguntando o que seria necessário para fazê-la parar com esse gesto. Ela disse que dês de que chupou meu pau não consegue parar de pensar em min, ela nunca teve um pau preto em sua buceta antes e meu sogro, não a come, há cinco meses, e que gostaria de fazer sexo com alguém. Ela me disse que se eu fizesse sexo com ela apenas uma vez e ela me deixaria em paz. eu disse que ela era uma mulher da igreja e sensata, que estas coisas eram erradas, mas acabei cedendo aos desejos dela.

Antes dos fogos de artifício explodirem naquela noite, peguei Marinez pelo braço e a levei de volta para dentro de casa. Alison viu isso e nos seguiu. Quando entramos no quarto dela, eu a virei e a beijei. Minha sogra ficou ali sem palavras enquanto eu a despia. Não tivemos muito tempo, provavelmente apenas vinte minutos antes do último fogo de artifício explodir, então pulei as preliminares. Ela estava meio bêbada e molhada como o mar. Levantei-me e tirei minhas roupas.

Fui até à beira da cama e puxei a cara de Marinez para a minha pika. Neste ponto ela estava com tanto tesão que não se importou. Ela abriu a boca e chupou meu pau de 23 centímetros. Após alguns minutos, retirei a minha pika da sua boca de puta e subi na cama. Ela estava tão molhada com os pensamentos de sexo que não tive nenhum problema em enfiar meu pau em sua boceta. Marinez gemia e gritava de prazer enquanto eu bombeava para dentro e para fora dela. Não perdi tempo quando comecei a bater forte na sua pobre buceta. Cinco meses sem ter nenhum pau levariam qualquer mulher ao orgasmo em segundos. Perdi a conta de quantos ela teve naquela noite. Enchi a buceta dela com toneladas de esperma e deitei-me em cima dela durante alguns minutos para recuperar o fôlego.

Depois de se recuperar, Marinez recostou-se e fechou os olhos. Levantei-me e comecei a me vestir e disse a ela que a veria de volta na festa. Abri a porta e encontrei Alison com o ouvido encostado na porta, se masturbando. Deixei Alison entrar e disse a ele que ela ainda estava com tesão e que provavelmente pensaria que era eu por alguns segundos. foi a chance de comer uma mulher junto com outro negro, seria hoje realizada minha fantasia. Fechei a porta atrás dele e observei enquanto ele subia na cama. Marinez ainda estava com os olhos fechados enquanto Alison levantava as pernas. Ele entrou em sua boceta cheia de esperma com um golpe e começou a bater forte e bem rápido. Eu vi seu corpo ficar tenso quando ela atingiu outro orgasmo. Marinez abriu os olhos e ficou chocada ao encontrar Alison fodendo-a e não eu. Alison trabalhou em sua boceta por mais alguns minutos. Ouvi minha sogra dizer para parar, mas o corpo dela estava atendendo cada um de seus impulsos.

A cena estava tão quente e comecei a ficar duro novamente. Caminhei até a beira da cama, abri o zíper das calças e puxei meu pau endurecido. Quanto mais Alison batia nela, mais ela gemia. Eu disse a Alison para posicionar Marinez de forma que sua cabeça ficasse pendurada na lateral da cama. A minha pika escorregou profundamente na boca invertida da minha sogra, com os meus tomates a bater-lhe no nariz. Comecei a mover as minhas pernas e fodi-lhe a boca. Marinez disse que queria ser fodida. Agora ela está imprensada com dois paus pretos dentro dela. Alison e eu encontramos um ritmo enquanto continuávamos a fodê-la. As minhas bolas começaram a apertar novamente e libertaram o meu esperma pela segunda vez durante a noite. Atingiu o fundo de sua garganta quando eu atirei cerca de oito jatos e preenchi o espaço que ela tinha em sua boca. Ela tentou engolir tudo para respirar, mas um pouco conseguiu vazar pelo canto da boca e escorrer lentamente em direção aos olhos. Vendo isso, Alison bateu em sua boceta em uníssono rápido e descarregou seu esperma nela e puxou para fora. Ele se vestiu enquanto eu colocava meu pau gasto de volta nas calças e nós dois deixamos minha sogra espalhada como uma águia em sua cama, meu esperma e o dele vazando de sua boceta abusada e trilhas em seu rosto.

Marinez saiu para o quintal alguns minutos depois, sem nenhum vestígio do que aconteceu antes. Alison e eu estávamos sentados conversando com a filha e a sobrinha dela. Elas perguntaram por que ela não estava assistindo aos fogos de artifício e ela disse que havia bebido um pouco demais e precisava se deitar um minuto. Alison e eu nos entreolhamos e sorrimos. Quando as meninas foram embora, eu disse a Marinez que Alison e eu passaríamos lá algumas vezes durante a semana só para ver como ela estava. Ela sorriu de volta para mim. Eu sei que ela quer outra foda.

Já se passaram cinco dias desde que minha sogra, Marinez, me pediu para fazer sexo com ela.

Na manhã de quinta-feira, por volta das 9h, voltei para a casa da minha sogra. Minha cunhada tinha acabado de sair para trabalhar e meu sogro estava viajando, Encontrei Marinez vestindo um roupão, tomando café e lendo um jornal. Bati na porta dos fundos e ela abriu, deixando Alison e eu entrarmos em casa. Ela nos pediu para sentar e se queríamos comer alguma coisa. Só consegui pensar em uma coisa que pudesse satisfazer meu apetite. Ela serviu-se de outra xícara de café e sentou-se entre mim e Alison. Ela disse que embora a noite de sábado tenha sido divertida, também foi um erro, que ela bebeu um pouco demais e que não deveria ter deixado ir tão longe.

Alison, começando a pensar que talvez não conseguisse mais a boceta dessa mulher, a interrompeu e disse que ela adorou ser fodida e implorou para que ele continuasse no sábado à noite. Eu disse que era tarde demais para voltar atrás e agora ela tinha dois paus negros e duros rondando a cozinha. Marinez olhou para mim, chocada com o que eu disse. Acenei com a cabeça para Alison e observei enquanto ele prendeu minha sogra contra a parede e começou a desamarrar seu roupão. Meu primo Alison era grande e alto igual a min. Ele agarrou seus pulsos com uma mão e usou a outra para despi-la. Caminhei em direção ao quarto da minha sogra, fazendo sinal para que Alison a carregasse e a seguisse. Completamente nu, Alison a pegou no colo e a carregou para a mesma cama onde transamos com ela no sábado à noite. Ela implorou que parássemos e não a comêssemos e que ela daria para nós outro dia, mas não nos importamos.

Comecei a esfregar seu clítoris enquanto Alison tentava enfiar o pau na boca dela. Marinez conseguiu manter a boca fechada e evitá-la por um tempo, até que enfiei dois dedos em sua boceta e comecei a fodê-la. Dentro e fora, meus dedos entraram. Quanto mais rápido eu empurrava, menos ela resistia e sua boca se abria para gemer. Alison achou mais fácil deslizar seu pau na boca dela. Quanto mais ela movia a cabeça para tirar o pau dele da boca, mais boquete ela fazia nele. Quando minha sogra parou de quebrar a cabeça e disse.

"tudo bem, eu vou dar, mas que seja a última vez"

Alison riu e começou a foder a boca dela.

Não demorou muito para Marinez gozar na minha mão. Outro orgasmo a atingiu pela segunda vez e ela quase desmaiou. O rápido impulso de Alison em sua garganta a trouxe de volta à realidade e ela sabia que ele estava prestes a gozar. Ele gozou na boca dela e engoliu tudo. Ela ficou ali imóvel enquanto pensávamos sobre o que fazer a seguir. Eram apenas 9h30 da manhã.

Movemos Marinez sobre as mãos e os joelhos. Eu sabia que neste momento ela estava doida pra trepar. Eu tinha tirado minhas roupas e colocado meu pau na frente do rosto dela. Contemplando, ela olhou para meu pau, com pré-sêmen pingando dele. Alison enfiou seu pau endurecido em sua boceta e sua boca se abriu para soltar um grito de dor e prazer. Assim que a boca de Marinez se abriu, enchi-a com a minha pika.

Alison foi mais fundo a cada golpe até colocar todo o seu pau de 22 centímetros nela. As suas bolas batiam-lhe no clitóris cada vez que ele batia profundamente nela. Eu estava tentando fazer o mesmo com a boca dela. Continuei empurrando mais fundo até que ela se engasgou. Não demorou muito para que ela gozasse novamente. Isto encorajou-me e empurrou com mais força a minha pika para a boca dela, os meus tomates atingindo-lhe o queixo. Minha sogra agora estava me atacando profundamente. Nós dois batemos forte na buceta e na garganta de Marinez e gozamos ao mesmo tempo.

Marinez estava exausta e incapaz de se mover. Alison puxou seu pau para fora de sua boceta desleixada e eu não perdi tempo enchendo-o com o meu. Eu fodi-a por um minuto e depois retirei-me. Eu fiz isso algumas vezes. Quando puxei para fora, esfreguei a minha pika entre a buceta e o cu dela, fazendo-a adivinhar em que buraco eu iria empurrar a minha rola. Ela não tinha ideia até que comecei a empurrar a cabeça do meu pau em seu cu. Ela me implorou para parar, mas eu continuei indo mais fundo a cada golpe. Depois de entrar, comecei a bater com força. As suas pernas cederam e eu caí sobre ela, ainda deslizando para dentro e para fora até que entrei no seu rabo e puxei para fora.

Alison e eu continuamos nos revezando com ela durante toda a manhã. Nós dois transamos com ela mais cinco vezes. Eu comi a bunda dela mais uma vez enquanto Alison estava na buceta dela. Descarreguei duas vezes na buceta dela e mais uma vez na boca dela. Precisávamos nos limpar, então todos fomos para o chuveiro. Uma vez lá dentro, imediatamente começamos a apalpá-la e a cutucá-la com nossos paus. Eu me levantei Marinez e deslizei para dentro de sua boceta enquanto Alison ficou atrás dela e se empurrou em sua bunda e começou a deslizar para dentro e para fora de seus buracos. O tempo todo apertamos seus seios e beliscamos seus mamilos. Nas quatro horas que transamos com ela, ela gozou 13 vezes. A única razão pela qual paramos foi meu sogro logo estaria em casa. Alison e eu nos vestimos rapidamente, agradecemos a Marinez pela foda maravilhosa ela também agradeceu e disse.

"vocês mexeram com fogo amanhã venha no mesmo horário ou vão se arrepender"

demos risada e disse que a veríamos novamente amanhã.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 45 estrelas.
Incentive Gabriellll a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil genéricaGabriellllContos: 64Seguidores: 165Seguindo: 21Mensagem Escritor nas horas vagas se tiver ideias de conto me mande no e-mail lxvc1987@hotmail.com

Comentários