Sem querer seduzi minha mãe

Um conto erótico de Filho_Sarado
Categoria: Heterossexual
Contém 3752 palavras
Data: 15/11/2023 10:28:35

Na época era dezembro, férias da escola e preparativos para festas de final de ano. Eu e minha mãe sempre no final do ano vamos para uma casa do interior da minha tia.

Uma reunião de família que a gente faz, já que dificilmente nos encontramos no restante do ano. E como de costume eu e minha mãe chegamos antes de todos, pois ela sempre tem férias coletivas de final de ano e eu da escola.

Arrumamos a casa, varremos, tiramos a poeira, trocamos os jogos de cama e eu limpei a piscina para curtir. Eu e minha mãe sempre fomos muitos íntimos e amigos, conversávamos sobre tudo e ela sempre foi carinhosa comigo.

Depois de tudo arrumado eu fui até o mercadinho perto e comprei umas coisas para a gente lanchar e ela tinha pedido umas cervejas. Voltamos e ficamos na piscina, ela tomando sol e eu nadando, mas eu percebia que minha mãe as vezes me dava uma espiada por debaixo dos óculos e disfarçava, mas até então achava ser apenas cuidado mesmo.

Também fiquei de olha naquela mulher ali deitada na espreguiçadeira, uma linda preta de dreads loiros, seios grandes e coxas grossas, uma leve saliência na barriga, mas nada demais e com uma bucetinha carnuda e inchada debaixo daquele biquíni. Naquele momento apenas admirei ela como mulher, mas sem malícias.

O primeiro dia foi normal como o de sempre, e na hora de dormir cada um dormiu em um quarto diferente. Mas no dia seguinte na hora do almoço chegou o restante do pessoal, meus tios e tias e primos, a casa espaçosa de antes ficou pequena para aquela família grande.

Meus primos já chegaram instalando o vídeo game deles para a gente jogar, minhas primas menores foram para os quartos se arrumarem para a piscina e meus tios e tias ficaram na cozinha conversando.

Todos já estavam se planejando para a virada de ano novo e as comidas, roupas e tals. E agora com a casa mais cheia os quartos foram separados para cada família e eu geralmente dormia no colchão, mas dessa vez por causa do sofá cama que não estava bom meu primo usou meu colchão e eu dormi na mesma cama que a minha mãe.

Não início não foi nada demais, era uma cama de casal comum, todos já tinha se preparado para dormir e minha mãe estava na cama com a sua camisola comum e shortinho por baixo.

A gente se deitou e conversou um pouco sobre o dia de amanhã, e ela foi apagar a luz para dormir, mas eu fiquei inquieto na cama. Ela percebendo minha inquietação perguntou o que estava acontecendo.

- É que eu não estou acostumado a dormir de short e camisa - Respondi para ela - Estou desconfortável.

- Tira e fica de cueca menino - Minha mãe respondeu para mim - Se não vc não vai conseguir dormir.

Eu apenas concordei e levantei para fechar a porta, para meus primos e primas não me verem de cueca e ficarem me zoando. Na hora que eu tirei o short minha mãe me olhou e arregalou os olhos.

- Menino, o que é isso tudo? - Minha mãe disse olhando para o volume que eu tinha na cueca.

- Para mãe, que isso! - Respondi tapando com a mão e ficando com vergonha

- Não sabia que vc tinha crescido tanto - Ela disse rindo de mim.

- É cresceu sim - Respondi ainda com vergonha e indo pegar o short para colocar de novo.

- Deixa o short aí, para de bobeira, só estou tirando com você - Disse minha mãe para mim quando eu ia colocar o short de novo. - Vem pra cá para dormir.

Fiquei com vergonha e minha continuou falando do meu pau e me zoando, mas quando percebeu que eu estava um pouco bravo parou e conversou comigo.

Depois de um tempinho ela me deu um beijo de boa noite e foi dormir, e só de cueca, foi mais fácil para mim dormir. Dormi direto, foi uma noite tranquila.

Pela manhã minha mãe me acorda para eu colocar uma roupa e tomar café da manhã. Eu acordo ainda sonolento e ela tira o lençol da cama para dobrar, quando ela olha de novo para mim e vê meu volume, mas agora com a famosa ereção natural. Percebi minha mãe dobrando o lençol e olhando hipnotizada para mim e minha ereção.

Ela percebeu que eu notei o olhar dela e tentou disfarçar, fazendo mais uma piada sobre meu pau e eu nessa hora maldei um pouco, mas achei muito errado e tirei a ideia da cabeça. Era minha mãe, não podia.

Me arrumei e fui ao banheiro e depois tomar café da manhã. Passei o dia encucado com isso, mas fiquei normal, percebi minha mãe me abraçando mais e sendo mais carinhosa comigo, não sei se era coisa da minha cabeça ou realmente ela estava mais colada em mim.

Passamos o dia arrumando as coisas e cozinhando, para a virada do ano. Foi tudo muito bom e animado, meus tios e tias e minha mãe como sempre só no churrasco e cerveja, eu e meus primos só ficamos jogando e comendo.

Já ia dar 3h da manhã quando já estava todo mundo acabado de sono. Meus tios já tinham ido dormir e meus primos falaram que iam virar a noite, mas eu não estava aguentando de sono também.

Fui para o quarto me deitar e logo em seguida minha mãe veio, ela já estava um pouco alterada por conta das cervejas, mas ainda lúcida. Não tinha percebido o quanto ela está a sexy e bonita naquela roupa, um vestidinho branco com o decote bem aparente, cheio de brilhinho e um pouco curto.

- Já vai dormir filho? Achei que ia virar a noite com seus primos - Ela me perguntou rindo.

- Não, já estou cansado - Respondi olhando minha mãe de cima abaixo e ela percebeu.

- Tá olhando para a mamãe né, safado? - Ela fazia uma pose como se estivesse gostando de eu olhar para ela - Tô gostosona né?

- Tá sim, mas tô olhando porque a senhora estava me olhando hoje de manhã - Respondi a ela rindo também.

- É que eu fiquei surpresa com tudo isso aí que você tem menino - Ela respondeu apontando para meu pau. - Mas tá bom, vamos nos ajeitar para descansar.

Aquela conversa atiçou minha imaginação, não tinha certeza se ela estava flertando comigo, mas parecia muito. E apesar de eu achar aquilo errado a cabeça debaixo estava pensando mais forte e estava difícil esconder a ereção.

Eu saí para escovar os dentes e quando voltei minha mãe já estava de camisola e o short por debaixo. Ao olhar ela toda sexy deitada e me dando um sorrisinho que eu não sabia se havia malícia nele, eu apaguei a luz e fui deitar na cama.

- Nao vai dormir só de cueca não? - Ela perguntou rindo.

- Eu vou tentar dormir de short hoje - respondi meio sem graça, pois estava com uma ereção grande.

- Para de frescura menino, tira isso para dormir tranquilo, assim você não vai conseguir relaxar a noite e dormir - Disse ela me dando uma bronca e rindo.

- Tá bom - Não retruquei muito e tirei meu short, como estava escuro não dava para ver direito minha ereção, mas com a pouca luz que entrava pela janela ela conseguiu perceber.

- Que isso menino? - Minha mãe ficou surpresa ao ver a ereção. - Já tá animadão?

Eu me cobri rápido e disse que não, estava com vergonha, não sabia o que achar daquela situação. Eu pensava que era errado, que minha mãe só estava me zoando, mas no fundo também pensava que ela estava flertando comigo e queria algo mais. Meu coração batia muito forte.

- Ficou animado em ver a mamãezinha, né? - Disse ela passando a mão em mim.

- É, é que você é bonita e estava muito sexy naquele vestido - Respondi rápido - desculpa.

- Oh filho, obrigada, é muito bom saber que eu ainda sou bonita e que tem rapazes jovens, bonitos e gostosões que ainda acham a mamãe gostosa - disse ela com uma voz zoando e apertando minha bochecha. - E está tudo bem achar a mamãe gostosa, eu não ligo não, até gosto, ainda mais vindo de um bonitão também.

Minha mãe então deu uma risadinha pensativa e então com movimentos sutis tirou o short que estava por debaixo da camisola e jogou longe do outro lado do quarto e riu.

- O que você está fazendo? - Meu coração já estava na boca de tão nervoso.

- Você estava se sentindo mal de ficar só de cueca, então eu igualei a você, agora nos dois estamos só com uma peça de roupa - Disse ela rindo - Para você se sentir melhor meu amor. - Então ela me deu um beijo deu um selinho na boca que gelou meu corpo , deu um sorriso malicioso e se virou de costas para mim empinando a bunda e dando boa noite.

As minhas dúvidas de antes foram sanadas, ela realmente estava com malícia comigo, e pelas as ações dela só faltava a minha atitude. Mas eu estava nervoso e tremendo, não sabia o que fazer, não tinha tanta experiência e Ainda achava errado.

Olhei para minha mãe com a pouca luz que entrava no quarto, sua camisola que subiu um pouco revelando sua linda bunda nua, suas coxas grossas e pele macia e preta. Respirei fundo e abracei ela de costas me encaixando na bunda dela.

- Que foi filho? - Ela olhou para trás e riu e deu uma mexida com a bunda no meu pau que fez todos meus músculos enrijecer.

Eu a apertei e sentindo seus seios em meus braços e seu corpo quente no meu, e ela deu um suspiro longo e um gemido baixo eu não sabia o que falar, apenas estava ali roçando na minha própria mãe e ela aproveitando também.

Eu comecei a beijar sua nuca e pescoço e percebia que ela se arrepiava toda quando eu fazia isso. Foi quando em um supetão, minha mãe se desvencilha de mim e sai da cama. Eu não estava entendendo nada, mas ela foi até a porta do quarto e com calma trancou sem fazer barulho, fechou a cortina e ligou um abajur velho que ficava no canto do quarto.

- A gente tem que ficar com a mesma quantidade de roupa filho - disse minha mãe tirando a camisola e ficando totalmente pelada na minha frente.

Uma preta deliciosa, tudo em cima e como eu imaginava uma buceta carnuda e com pelos pequenos. Eu tremia, mas não perdi tempo e arranquei a cueca fora revelando meu pau, que minha mãe logo deu um sorriso e elogiou - que pauzão filho.

Eu sabia que não tinha tudo isso de pau, mas eu estava um pouco acima da média mesmo. Minha mãe não perdeu tempo, veio por cima de mim e me deu um beijão de língua. Apesar do gosto de álcool, foi um beijo muito gostoso e caloroso. Nossas línguas se entrelaçavam e eu a apertava forte fazendo ela dar uns leves gemidos.

Não demorou muito e ela agarrou meu pau o punhetando levemente, a essa hora eu já estava lubrificado de tanto tesão.

- Faz um tempo que eu estava querendo esse pau - Disse minha mãe rindo para mim e olhando nos meus olhos.

- Era só ter pedido - respondi a ela.

- Então eu posso? - Ela perguntou com cara de safada.

- Ele é todo seu mãe - disse a ela dando um beijo na sua boca.

Minha mãe montou em mim e se ajeitou. Deu uma pinceladas na entradinha de sua bucetinha e eu pude sentir o calor e o quão molhada ela estava. Não demorou muito e minha mãe colocou meu pau todo dentro dela.

Não aguentei na hora e soltei um gemido junto com ela, mas ela tapou minha boca. Foi maravilhoso, sentir meu pau todo dentro dela , ela era quente, molhada, e apertadinha, e quando ela rebolava eu conseguia sentir o final da sua bucetinha roçando na cabeça do meu pau.

- Que pauzão gostoso - Ela gemeu no meu ouvido que me deixou todo arrepiado.

Foi então que ela começou o vai e vem, subia e descia devagar e dava para sentir toda a sua bucetinha. Era maravilhoso, nossos corpos já estava começando a suar e aos poucos estávamos acertando o ritmo de nosso amor incestuoso.

Ela então apoiou as mãos no meu peito e começou a quicar e rebolar com mais velocidade e força. Estava maravilhoso, indescritível de gostoso. Ela gemia baixinho e me olhava nos olhos. Enquanto eu segurava sua bunda e mexia para cima e para baixo para estocadas mais intensas.

Já tinha se passado alguns minutos quando eu não estava aguentando mais, eu iria gozar.

- Mãe eu vou gozar - sussurrei para ela entre gemidos.

- Vai é? - ela me perguntou com uma cara de safada que na hora me assustou.

Foi então que ela me abraçou e começou a dar sentadas forte e rápidas, eu tentei segurar ela, mas estava tomado pelo prazer. Sabia que não podia gozar dentro da minha própria mãe, mas meus instintos de macho queria isso.

Tentei segurar, mas ela estava determinada a me fazer gozar e quando eu vi que não tinha mais como aguentar, eu a segurei e meti com vontade a fazendo dar um gemido alto, que espero que ninguém tenha escutado. Mais meti com vontade gozando tudo dentro da minha mãe.

Ela se estremeceu e engoliu meu pau todo com sua buceta. Eu senti meu pau tocar em seu útero e eu despejei todo meu gozo dentro dela, sentindo inundar ela e encher seu útero.

Enquanto ela fechou os olhos e ficou rebolando apenas apreciando e sentindo as paradas fortes que eu jogava dentro dela. Ficamos ali um tempo aproveitando o orgasmo até que ela desaba sobre mim e ficamos abraços e ofegantes.

- Você é um safado de gozar dentro da sua mãe - ela sussurrou para mim.

- É que eu não resisti - respondi a ela.

- Se eu ficar grávida, você não vai fugir igual seu pai não ein - disse ela rindo - Vai ter que me assumir e ao seu filho.

- Assumo. - respondi dando um beijo na sua boca.

Ficamos ali um tempo rindo até que as energias voltaram e ela se levantou de mim tapando a buceta para que não pingasse gozo na cama, foi até o armário e pegou uma toalha e então secou e tirou o máximo que ela conseguia.

Eu apenas fiquei admirando aquela mulher gostosa e maravilhosa. Até que ela terminou e voltou para a cama e me abraçou.

- você gostou? - perguntei a ela.

- Amei, mas achei que você não ia me pegar, já não sabia mais o que fazer - disse minha mãe rindo.

- Então você queria me pegar já faz um tempo?

- Pode me chamar de amoral, mas desde que você começou a se cuidar melhor e virar mais meu amigo eu comecei a sentir desejos, no início achei errado, mas tinha decido que queria esse pauzão. - Disse a minha mãe.

Conversamos um pouco mais e ela me explicou como surgiu esse desejo e tudo mais. Já tinha se passado uns sete minutos e minha mãe escora na cama e me puxa para ela, eu a abraço e ela agarra meu pau que estava meia bomba e começa a me punhetar levemente. Eu apenas dou um sorriso e a chamo de safada enquanto ela diz que quer a noite toda.

Eu começo a chupar seus seios passando a língua e dando leves mordidas enquanto ela da gemidas e me masturbar e em alguns minutos eu já estava duro novamente.

- Nada como um pau jovem - disse ela ao ver meu pau duro novamente. - Agora é a sua vez de trabalhar.

Ela se deita de pernas abertas e eu vejo aquela buceta linda, com lábios um pouco para fora, pelinhos ralos e escorrendo a lubrificação ou o meu gozo de dentro dela, e aquilo me deixou mais louco.

Eu me posicionei e ela segurou meu pau e colocou na entrada da sua bucetinha gostosa e eu a penetrei novamente , estava uma delícia.

Comecei o vai e vem com estocadas firmes e ela gemia baixinho, nossos corpos já suavam , eu sentia a gota escorrer pelo meu rosto e via que o corpo esbelto da minha mãe, também brilhava de suor. Eu apenas me admirava ela enquanto via meu pau saindo e entrando do lugar de onde eu nasci.

Depois de alguns minutos de sexo gostoso eu estava sentindo o gozo vir novamente, então eu abracei minha mãe e comecei a chupar seus belos seios. Ela se segurou para não gemer alto. Eu estava em estocadas firmes enquanto chupava os seios dela, e ela gemia em meu ouvido - não para.

- Mas eu vou gozar - sussurrei.

- Não para ! - ela mandou

Continuei, eu já estava a ponto de explodir, não ia aguentar mais segura quando ela tapa a boca e solta um gemido abafado, foi aí que percebi que ela estava tendo um orgasmo. Ela empurrava sua buceta contra meu pau que não aguentou e jorrou tudo dentro dela de novo, fazendo ela gemer mais.

Enquanto gozavamos ela me abraçou e se posicionou fazendo com que meu pau entrasse todo, para que meu gozo fosse fundo nela. Ela deu uma rebolada que foi maravilhosa enquanto estremecia.

Depois disso desabei em cima dela ainda com meu pai atolado dentro dela, ficamos ofegante e rindo. Nós beijamos calorosamente e a essa altura o gosto no álcool não me incomodava mais.

- Pega a toalha de novo para não sujar a cama - disse ela me dando uns tapinhas nas costas.

Eu assenti e me levantei, tirando meu pau de dentro dela e vendo escorrendo meu gozo de sua buceta deliciosa. Corri cambaleante para pegar a toalha e entreguei a ela para se limpar.

- Ainda quer mais uma? - A esse momento eu já estava cansado e sonolento, minha mãe também parecia muito cansada e relaxada.

- Essa gozada acabou comigo! - disse ela rindo para mim.

- Vamos dormir então? - perguntei pois apesar de querer mais, estava satisfeito e o cansaço estava batendo.

- Vamos sim, mas vamos dormir pelados e em uma posição que eu gostava quando ainda estava com seu pai - ela me disse me deixando na dúvida.

Ela então me estimulou mais um pouco só para me deixar duro de novo, então deitou de conchinha e encaixou meu pau dentro dela. Ela enfiou bastante e deu um suspiro forte fala do que meu pau era gostoso.

- Você gosta de dormir assim? - Indaguei a ela.

- Sim, com o pau do meu homem em mim para me dar proteção. - Ela riu.

Nós sabíamos que a noite provavelmente iria sair, mas eu gostei a ideia e mantive. Nós demos beijos de boa noite e dormimos naquela posição.

Como de costume eu sempre acordo cedo, mesmo não dormindo o suficiente e quando já era umas oito horas da manhã eu despertei, já não estava mais na mesma posição que dormi, mas olhei para o lado e vi o rabão gostoso da.minha mãe virado para mim, e estava louco para comer ela de novo e aproveitando a minha ereção matinal, me aproximei da minha mãe, a abracei e calmamente passei meu pau na sua bucetinha.

Ela estava quentinha e ainda bem molhadinha, então calmamente eu a penetrei para não machucar ou dar um susto nela. Fui colocando até o fim e quando entrou tudo ela deu um gemido.

Comecei a meter devagar só mexendo o quadril, nosso sexo fazia um barulho de melado e em algumas metidas, minha mãe se espreguiçou, empinando a bunda e colocando meu pau todo para dentro.

- Bom dia meu amor - disse a ela dando um beijo na sua bochecha enquanto metia na sua buceta gostosa.

- Bom dia seu safado gostoso - disse ela rindo. - Já me acorda assim com esse pauzão em mim?

- Desculpa não resisti - respondi a ela. - Que leitinho de manhã?

- Quero - ela responde gemendo.

Quando ela respondeu eu comecei a meter com vontade, nossos corpos faziam Ploc Ploc e sons de melado. Ela gemia baixinho e eu beijava suas costas e nuca. Era muito bom acordar já fazendo aquilo.

- vou gozar mãe - anunciei para ela.

Então ela saiu de mim , me deitou de costas e começou a punhetar com a boca aberta perto do meu pau. Ela punhetava rápido e eu não aguentei e gozei. Ela abocanhou meu pai e recebeu todo meu gozo dentro da boca.

Eu sentia sua língua passar pela cabeça do meu pau enquanto eu gozava e ela me.olhava nos olhos. Eu estava delirando e quando eu terminei de gozar ela suga tudo e engole, me deixando louco, mas sem parar ela vem por cima de mim e senta no meu colocando ele dentro dela novamente e fica ali rebolando até ele ficar meia bomba, aproveitando os últimos momentos da minha ereção matutina.

- Foi maravilhoso - disse a ela suspirando.

- Safado - ela meu deu um leve tapa na cara e riu.

Depois de nós compormos, botamos a roupa e abrimos a porta devagar. Meus primos ainda estava dormindo e meus tios estavam acordados no quintal ouvindo música baixa e tomando o café da manhã. Passei abaixado e fui direto para o banheiro tomar meu banho e tirar o cheiro de sexo sem que ninguém me visse.

Não demorei e logo em seguida foi minha mãe, e depois disso o dia decorreu normal como todos os anos anteriores. Churrasco, piscina e uma baguncinhas. Minha mãe logo após ao café da manhã me deu dinheiro para eu ir até o centro da cidadezinha e procurar uma farmácia para comprar a pílula do dia seguinte e camisinha. Eu sem questionar fui, e sorte que tinha farmácia aberta e pude comprar para ela.

Dia primeiro tinha passado e todos já estavam se preparando para ir embora e geralmente pegavamos uma carona com meus tios, mas dessa vez minha mãe disse que iria passar mais uns dois dias ali comigo, e eles concordaram.

Depois que todos foram embora, ficamos com a casa só para a gente e transamos igual dois coelhos. Transamos no quintal, na piscina, na cozinha, banheiro, sala e onde mais dava na telha, já estávamos assados e ardidos, mas estávamos aproveitando ao máximo.

Depois que voltamos para casa, eu passei a dormir no quarto da minha mãe com ela. Seguramos um pouco nossos desejos para ela começar a tomar o anticoncepcional e esperar o tempo do efeito do remédio e desde então transamos com frequência sempre que ela está com vontade ou eu.

Ainda saímos com outras pessoas para não ficar estranho, mas em casa somos um verdadeiro casal de amantes e espero que continue assim por muito tempo.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 52 estrelas.
Incentive Bom_Moço a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil genérica

Gostei se quiser conversar e trocar fotos vou deixar meu e mail lokonamae2000@outlook.com

Tbm transo com minha mãe... Olha meus contos na casa.

0 0
Foto de perfil genérica

Muito bom o seu conto e adoraria ver algumas fotos, o incesto mexe muito comigo e namorada, ela só goza imaginando eu comendo a filha, vamos conversar: euamoavida2020@gmail.com

0 0

Listas em que este conto está presente

Incesto/madrasta
mãe, filho, tia, avó, madrasta, sobrinha.