Segurança Fazendo o Playboyzinho Gritar - Thales O Segurança

Um conto erótico de Tito JC
Categoria: Gay
Contém 1824 palavras
Data: 14/11/2023 23:08:36
Última revisão: 05/03/2024 02:03:52

Já postei alguns contos por aqui, contando algumas aventuras de minha vida como segurança e ex-policial. Depois de duas tentativas de manter um relacionamento convencional com mulher e filhos não dar certo, eu decidi me manter solteiro e levar minha vida aproveitando todas as oportunidades. Em termos de sexo, quem conhece a vida de seguranças sabe que a oferta é grande, principalmente por parte do público gay. Existe um fetiche por fardas, o que pra gente é muito bom. Para quem não leu minhas aventuras anteriores eu vou me apresentar.

Me chamo Thales, sou segurança e já passei por vários tipos de trabalhos, sempre prestando serviços para empresas especializadas e as vezes fazendo uns bicos particulares pra aumentar a renda.

Sou alto 1,85m, 80kg, cabelos escuros e olhos esverdeados. Sou bastante malhado, não só por gosto, mas também por necessidade da profissão. Eu sou um cara bem servido pela natureza, tenho um pauzão grosso e grande 22cm, o que sempre me fez ser cobiçado por quem vê, a maioria gay, pois algumas mulheres fogem de homens bem dotados.

Já fazia algum tempo que estava num centro cultural ligado a um grande banco e bastante frequentado na região da Av. Paulista. Estava fazendo o turno da noite, entrava as 22:00h e saía as 6:00h, expediente tranquilo, apenas monitoramento do ambiente, das câmeras e luzes.

Quem conhece São Paulo sabe do calor insuportável que as vezes faz no auge do verão. Trabalhava de uniforme, mas como era interno e noturno, tinha a liberdade de ficar sem gravata e muitas vezes abria a camisa pra respirar um pouco. Mesmo tendo ar condicionado, nada se compara ao ar natural, um ventinho batendo no rosto.

Sempre tive o costume de olhar a Avenida na alta madrugada, abria a porta e ficava num recanto, perto da lateral da fachada, onde via todo o movimento e poucos podiam me ver. O recanto onde ficava tomando um ar é meio elevado e fica em cima de uma rampa lateral de veículos, onde também tem uma portinha de ferro que dá acesso a uma escadaria que leva aos escritórios, refeitórios, e onde também entra algumas cargas leves quando tem exposições.

Sempre que estava nesse recanto eu via um carinha com jeito de playboy. Ruivo, malhado e sempre caminhando com um cachorrinho muito bonitinho. O carinha tinha um jeitinho meio delicado, que denunciava ser um gay passeando com seu pet. Como sou doido por cachorros, às vezes o cumprimentava quando ele se aproximava do jardim frontal para o cachorrinho cheirar as plantas. Ele sempre passeava depois da meia noite. A Av. Paulista não para nunca, tem muita gente passeando na madrugada.

Ele se acostumou a me ver ali, sorria pra mim e perguntava se estava com muito calor, me disse que morava no prédio ao lado e gostava da madrugada de São Paulo.

Certa madrugada, eu estava no meu recanto, mas um tanto quanto inquieto. Já tinha visto uns pornôs no celular, o pau pulsando de duro, um tesão maluco que só aumentava com o calor que fazia. Não queria bater uma punheta, sempre curti mais o ato em si. Estava me segurando pra quando sair do trampo ver se rolava alguma coisa. De repente encontraria algum putinho na volta pra casa ou, quem sabe, até o filho do amigo que de vez em quando me salvava com fodas boas.

Achei estranho não ver o Silvio, era esse o nome do carinha dono do cachorrinho, já era quase duas horas da madruga e ele não tinha passado por ali. Estava entrando quando ouvi uma voz meio estranha.

- E aí segurança tudo bem? Já vai entrar? – Olhei e vi que era o Sílvio sem o cachorrinho e com um aspecto levemente embriagado.

- Oi cara! Tudo bem sim! Estava entrando mesmo, e o cachorrinho onde está? – Perguntei mostrando interesse.

- Ele ficou em casa hoje. Levei ele para passear mais cedo e saí com uns amigos para tomar umas brejas, espairecer um pouco. – Ele me disse sorrindo.

- Esse calor realmente convida pra tomar uma, eu se não estivesse trabalhando, iria também. A gente fica inquieto, o corpo dá vários sinais. – Comentei.

- Nem me fale cara! Além da sede, o tesão parece que fica mais aguçado nesse período. – O sinal acendeu e eu fiquei alerta. Estava com muito tesão, mas ali era quase impossível rolar alguma coisa. Mas não custava nada puxar um assunto.

- Eu também fico assim cara. Um tesão que não acaba. – Disse isso e dei uma pegada no pau. O cara imediatamente levou o olhar na direção de meu caralho e respondeu na bucha:

- Porra cara! Se tu normal já é gostoso pra caralho, fico imaginando com tesão e de pau duro, deve ser enlouquecedor. – Meu pau, que nunca teve muito juízo nos momentos de tesão, ficou duro como pedra.

- Pois é cara! O caralho tá aqui duro feito pedra e louco por uma boa mamada. – Respondi incentivando o putinho.

- Deixa eu chupar cara. Tenho certeza que você vai relaxar depois de minha mamada. Posso entrar aí com cuidado e a gente brinca. Tem jeito? – Ele me perguntou e eu podia sentir que aquele puto devia estar com o cuzinho piscando embaixo do calção curto e colorido, que usava. Mas tinha que manter o decoro, não tinha como deixar ele entrar e correr o risco de ser filmado.

- Não dá cara! Se você entrar aqui vai ser filmado, e com certeza eu serei demitido. – Respondi meio decepcionado por perder a chance de abaixar o meu fogo. Olhando a cara de decepção do putinho, eu pensei rapidamente e falei:

- Você tá afim mesmo cara?

- Claro que estou mano. Eu sempre tive o maior tesão por ti. Só você que nunca percebeu.

- Então faz assim cara: vai até a esquina, dá um tempinho de 10 minutos e volta, mas passa direto e desce essa rampa aí do lado. Eu vou dar um jeito de você entrar, mas tem de ser jogo rápido. – Ele saiu em direção à esquina, eu apaguei algumas luzes da fachada e apaguei totalmente a iluminação da rampinha lateral. Desliguei as câmeras que cobriam a escadaria e desci até a portinha por onde entravam as cargas e o pessoal do escritório. Passado um tempinho o putinho chegou, eu puxei ele pra dentro e tranquei a portinha. O calor e o agito foi tanto que eu estava suando. Abri a camisa e a calça colocando o pauzão pra fora.

- Caralho que pauzão grande cara! Nunca imaginei que fosse deste tamanho. – Disse o putinho se ajoelhando em frente ao meu caralho que estava duro feito pedra.

- Chupa cara! Engole meu pauzão! Não era isso que você queria? – Ele nada falou, apenas engoliu meu pau até a metade e mamou gostoso, feito um bezerrinho. Não conseguia engolir tudo, mas mamava muito gostoso. Eu segurei a cabeça do putinho e fodi aquela boca quente como se fosse uma boceta molhadinha. Ele engasgava aos poucos, mas continuava mamando, me deixando louco de tesão e nervosismo ao mesmo tempo. Sabia que estava fazendo algo errado, mas não me controlei, e agora tinha de ser jogo rápido.

- Pauzão gostoso cara! Fode minha boca! Meu cuzinho está piscando só de eu estar mamando teu caralhão. Dá leitinho pra mim. – Ao pedir isso o filho da puta me acendeu um fogo ainda maior. Comecei a socar meu pau em sua boca e suava em bicas. Arranquei minha camisa e puxei a cabeça dele, dei um beijão bem molhado na boca do putinho. Ele gemeu gostoso e eu arranquei sua camiseta e apertei seus mamilos durinhos, o corpo do puto era muito gostoso, todo malhado, bunda grande, coxa grossa. Logo estava com meus dedos explorando aquele cuzinho. Soquei o dedo médio e ele gemeu gostoso, logo estava metendo dois dedos no buraquinho dele. Soquei minha rola novamente em sua boca e ele continuou mamando.

- Dá leitinho pra mim cara! Quero sentir teu leitinho. – Isso me deixa maluco! Um puto me pedindo leitinho me pira a cabeça.

- Vou dá leitinho pra você putinho! Vou dá leitinho em seu cuzinho. – Disse isso, levantei o puto, arranquei seu shortinho fora e empurrei ele curvado no corrimão da escada. Ele tentou virar e falava meio assustado:

- Não cara! Teu pau é muito grande! Eu não estou preparado pra isso não. Deixa eu te mamar. – Eu estava tão louco de tesão que nem ouvia o que ele estava falando. Tinha pressa e tesão para terminar aquela loucura toda.

- Empina o rabo cara! Deixa de frescura! Eu vou te dar o leitinho que você quer. – Dizendo isso eu puxei sua cintura pra trás, deixando ele bem empinadinho. Ele, vendo o que aconteceria, rapidamente encheu o cuzinho de saliva e abriu as pernas. Eu dei uma pincelada, empurrei a cabeçona de meu pau, que logo entrou naquele buraco quentinho. Ele deu um grito e tentou ir pra frente, mas eu segurei firme sua cintura e tapei a boca dele pra não fazer barulho.

- Calma veadinho! Eu não vou te machucar, só vou dar leitinho nesse buraquinho. - Esperei um pouco pra ele acostumar e em seguida dei um tranco, socando o resto do pau até o talo. Ele gemeu alto, mas me pareceu mais tranquilo. Empinou a bunda tentando facilitar o trabalho do caralhão.

- Mete cara! Fode meu cuzinho, putão! – Ele disse me dando sinal verde. Segurei a cintura do putinho e estoquei forte, bombava muito forte, querendo arrebentar o rabo daquele playboyzinho gostoso. Ele gemia alto e mordia a própria mão aguentando firme as estocadas. Meu pau estava inchado de tesão e eu sentia as preguinhas daquele putinho se alargando. Meti sem dó e muito rápido, como se fosse uma britadeira abrindo um buraco.

- Ai meu cu cara! Você tá me arrebentando! Soca fundo, pauzudo safado! – Os gemidos e súplicas do putinho me aumentou o tesão e eu senti o gozo se aproximando. O pau estava tão duro que o sentia dolorido. Soquei fundo e senti o cu do veadinho piscando, apertando meu pau.

- Tô gozando cara! Tô gozando com teu pau no meu cu! – Nada falei, apenas gemi forte como um leão ferido e despejei meu leite quente no buraco do veadinho. Foi um gozo tão forte que eu senti minha vista ficar turva. Sentia o coração pulsando e a respiração descoordenada. O putinho continuava curvado sobre o corrimão, recuperando as forças também.

Essa foda toda não durou mais que vinte minutos, foi tudo muito intenso e rápido, mas foi umas das melhores fodas que eu tive. Ao sair, ele me disse que queria armar uma foda no apartamento dele e que queria que eu fosse o convidado especial. Combinaria comigo durante a semana.

ESSA FOI MAIS UMA AVENTURA DO SEGURANÇA THALES. OBRIGADO POR TER LIDO. VOTE, COMENTE, CRITIQUE. QUERO OUVIR A SUA OPINÃO, LEITOR.

ABRAÇOS A TODOS!!!

Conto Inscrito No Escritório de Artes, de acordo com a Lei 9.610 de 1998, de proteção aos direitos autorais. Proibida a Reprodução ou divulgação sem autorização do autor.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 66 estrelas.
Incentive Tito JC a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de Tito JCTito JCContos: 110Seguidores: 397Seguindo: 33Mensagem "Eu sempre sonho que algo gera, nunca nada está morto. O que não parece vivo, aduba. O que parece estático, espera". Eu li esse poema, aos 15 anos e nunca esqueci, essas palavras me definem muito. Sou um cara vivido, que gosta de ler, escrever, cerveja gelada e gente do bem. Chega aí!!! Vamos curtir as coisas boas da vida. Gosto escrever histórias curtas e envolventes, nem sempre consigo. Dificilmente escrevo contos em vários capítulos, gosto de dar a conclusão logo para o leitor. Na minha modesta opinião não existe escritor sem leitores. Por isso me dedico a oferecer sempre um bom produto para quem tira um tempinho para ler um texto meu. Quer saber mais sobre mim, é só perguntar. Abraços a Todos!!!😘😍🥰

Comentários

Foto de perfil genérica

delicia de conto Adoro transas assim

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado Tuco24! Bom te ter por aqui... Abraços e bom final de semana!

0 0
Foto de perfil genérica

Tesão esse conto, amo um segurança! Quem me dera estar no lugar do playbozinho!

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Olá! O segurança ou uniformes de uma maneira geral é um fetiche sexual muito intenso. Esse personagem Thales tem outras aventuras postadas, e outras ainda por vir. Fique à vontade. Abraços!

1 0
Foto de perfil genérica

Tesão de conto TitoJC! Contos relatados do ponto de vista do ativo são mais raros, infelizmente. Já escrevi alguns sob essa ótica, mas preciso do meu parceiro para torná-los mais apimentados .... KKKKKK ....Abração, meu querido!

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado Kherr! Sempre muito bom ler seus comentários. Abraços!

0 0
Foto de perfil genérica

Que maravilha de conto! Que playboyzinho tesudo e que segurança gostoso. Fiquei todo molhadinho.

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado PauloPE! Muito bom ter seu comentário em meu texto! Fique de olho que em breve postarei mais aventuras com esse segurança delicioso. Abraços e bom final de semana!

0 0
Foto de perfil genérica

Mais um conto espetacular. Adoro seus textos pois são estórias possíveis . Narrativa impecável e cheia de tesao .Gozei e votei .

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado FMike! Muito bom ter seu comentário em meu texto! Bom Final de semana! Abraços!

0 0
Foto de perfil genérica

Que tesão de conto. Objetivo e delicioso. Me imaginei no lugar do passivo e até do ativo. Fazer assim no trabalho é adrenalina Mil.

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado Fara! Muito bom ter você por aqui! Fique à vontade para conhecer todo o perfil... Abraços e bom feriado!

0 0
Foto de perfil de Leo_2023

Rapaz, o Thales é foda, hein? Literalmente! Sensacional!

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado Leo! Sempre muito bom ter sua presença aqui em meu perfil. Abraços!

0 0
Foto de perfil de Bentinho

Famosa surra de pica da meia noite.

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Pois é Bentinho! Difícil resistir a uma tentação dessas...rsrs... Abraços meninão!

0 0
Foto de perfil genérica

Da muito tesão

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado Brendo pela leitura e comentário! Em breve novas aventuras serão postadas. Abraços!

0 0
Foto de perfil genérica

tesão

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado Sant14! Muito bom ter você por aqui. É um prazer contar com leitores como você, sempre atencioso com meus textos. Abraços!

0 0
Foto de perfil genérica

Agora pronto, qdo for a SP, vou ficar procurando um Thales em todo segurança q eu ver... delícia de conto!

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado Bicurious! Muito bom ter você por aqui! Cara o Thales é baseado num amigo meu de longa data, eu relato os casos que ele me conta ou contou... Ele agora faz muita segurança privada para pessoas famosas e eventos especiais... Tem cada história que de vez em quando ele me conta...rsrsrs... A gente se vê pouco mas é sempre bom falar com ele e ouvir sua histórias. Abraços! Volte sempre!

0 0
Foto de perfil genérica

Olha só! Não sabia q era baseado em outra pessoa. Te falei q sou novo aqui e não li todos os teus contos, só os mais recentes. Vc entrou legal no personagem contando em 1a pessoa. Parabéns

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado queridão! Eu tenho predileção por narrar em primeira pessoa, até mesmo quando o personagem é novinho, ou uma mulher... Quando é baseado em minhas aventuras eu deixo mais evidente. Abraços!

0 0
Foto de perfil de Jota_

Delicia de putinho malhado!! Ooo tesão, difícil segurar. Quero ver essa foda que ele tá armando heheh

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Obrigado Jota! Essa festinha pode ser uma forma de servir o pauzão do Thales para mais gente... Será?🤔...rsrsrs... Abraços!!!

0 0

Listas em que este conto está presente