Nascimento de uma fêmea: Milena CD (1/2)

Um conto erótico de Milena CD
Categoria: Crossdresser
Contém 1587 palavras
Data: 12/11/2023 00:29:16
Última revisão: 12/11/2023 00:31:45

Os contos anteriores, tanto do meu passado, quanto os do presente, são muito importantes para entender como chegamos nesse momento. Porém, vou resumir, na medida do possível.

Já me sinto gay desde criança, com algumas dúvidas, mas minha primeira vez, com meu tio, confirmou sem dúvidas. No meio do nosso relacionamento sexual, comecei a querer ser, cada vez mais, putinha na cama. Mas, até aí, se limitava ao sexo. Após o fim do caso com tio Silva, comecei a sair com travestis, parte ainda não relatada. O sentimento dessa época será explanado a seu tempo, quando chegar lá, mas não evoluiu muito a vontade de ser mulher. Fato que, lá no fundo, sempre quis ser, mas suprimi. Sempre que pensava um pouco nessa vontade, já procurava motivos para desistir da ideia. Os motivos são diversos e conhecidos: preconceito, família, trabalho, pessoal. Hoje enxergo muito claramente. Não me lamento, minha vida não foi ruim, talvez tivesse mais dificuldades, principalmente sociais e familiares, se, desde novo, eu descobrisse e quisesse ser uma mulher trans. Há vantagens e desvantagens nos diferentes caminhos escolhidos, mas não houve a descoberta de qualquer forma.

Fato que, mesmo saindo com profissionais do sexo, criei cumplicidades com três travestis, que irei relatar. Mas, após muitos anos saindo com elas, eu passei a sentir mais falta de um macho, não só de um pênis. Afinal, a J, trans que saí por algum tempo, me comia deliciosamente. Assim como a M, por quem me apaixonei, e a P, foram excepcionais na cama como ativas. A rola era garantida com essas meninas. Contarei histórias com as três no futuro. Porém, eu queria um macho para me tratar como safada, me chamar de puta, comer meu cuzinho por horas. Mas só isso não bastava. Continuava sendo um sentimento do ato sexual, nada anormal, apenas um gay passivo safado na cama. Não havia me descoberto ainda, embora estava lá, no meu subconsciente. Faltava uma experiência.

Eu tinha dificuldades, após tantos anos saindo apenas com travestis, de flertar e me ofertar para homens. Ainda mais que nunca fui assumido, porque nunca gostei, na verdade, de falar sobre minha sexualidade. Nem com amigos. Foi ficando mais difícil a medida que meus pais envelheceram. Imagina, meu pai, extremamente conservador, e minha mãe, com umas ideias moralistas tortas, que ela mesma não seguia, pelo contrário. Fato que, nesse momento, seria um caos enorme na vida de algumas pessoas próximas.

Era um momento delicado, mais ou menos dois anos atrás, eu queria muito realizar safadezas com machos, no plural mesmo. Ficava me imaginando fazendo bukkake, gangbang. Queria um grupal de qualquer jeito. Mas não tinha muito ânimo para as baladas, conhecer uns caras, fora a timidez, que já citei em outra história. Tinha muito tesão reprimido e me aliviava sozinho. Comecei a pesquisar sites de relacionamento, mas queria só sexo. Li um conto em que o autor descrevia um bukkake e que conseguiu encontrar um grupo, que gostava de dar porra pra putinha beber, no site Disponível. Sou louco pra fazer um, mas não encontrei oportunidade, nem no site. Criei um perfil pra falar só disso, pra me oferecer, mas acho que foi o que deu errado. Nem tudo, encontrei e saí com dois caras, separadamente. Dois cinquentões bem conservados. Foi bem no começo do registro na página, depois fiquei mais desconfiado e exigente. O M foi carinhoso, gostava de pegação a noite toda, foi muito gostoso ficar com ele. Infelizmente, conversamos e planejamos novas noites, mas nunca mais aconteceu.

Com o W, a ideia era só oral, meu perfil deixava claro que eu era louco por sêmen, e o dele que gostava de mamadores engolidores de porra. Foi a perfeita junção. Porém, já no primeiro encontro, eu fiquei com muita vontade de dar pro W. Gostei muito daquela rola, num tamanho ideal para me comer sem parar, sem machucar ao ponto de estragar a brincadeira. Uma rola bem dura, com bom tamanho, reta, com grossura normal. Pra mim, o pau perfeito. Só de chupar, já sentia que teria um encaixe ideal. E como chupei nesse dia, engoli muita porra. Como não foi o combinado no primeiro encontro, não tinha me preparado, marcamos outro dia pra ele me penetrar. No papo, durante a recuperação entre uma das muitas gozadas que havia engolido, o W me contou sobre algumas experiências e que gostava de comer parceiros ou parceiras vestida de lingerie. Aquilo me deixou excitado e fiquei martelando na cabeça. Entrei na página do Sex Shop e procurei na sessão das vestimentas sensuais. Escolhi quatro conjuntos, que achei os mais sexy, e deixei com a opção para retirar na loja.

Fui pro novo encontro com o W e escolhi uma das vermelhas. Já comentei anteriormente que, antes disso, havia usado um baby-doll da minha mãe no passado, havia gostado, mas não se repetiu. Dessa vez, eu saí do banheiro fervendo em brasa de tesão, me vendo naquela lingerie linda e sabendo que ia ser muito puta na sequência. Aquilo mexeu comigo, o que estava guardado no subconsciente estava vindo pra fora. Usei algumas vezes com ele depois e curtia cada vez mais.

Tive uns problemas, me reclusei por um ano, relatado em outro conto. Depois do período de "castidade", voltei ao Disponível e encontrei o W novamente. Saímos e quem não sabe o que aconteceu, lê na série "Putinha pro meu macho". Um resumo pra continuar aqui, foram as duas melhores trepadas da vida, na mesma semana. Usei lingerie como há mais de um ano atrás, mas dessa vez foi diferente. Eu me sentia mais puta, mais vadia, mais safada. A vontade de ser fêmea chegou ao ápice. A verdade é que sempre tive mais identificação com a causa de mulheres. Sempre tive aversão ao comportamento dos homens héteros moralistas e preconceituosos, infelizmente a maioria. Sempre fui militante contra o machismo, que não considero contraditório ao fato de querer ser puta na cama, pelo contrário, a mulher tem que ter a liberdade de se satisfazer da maneira que se sentir melhor, sem o julgamento preconceituoso de outras pessoas. Tudo isso passou pela minha cabeça na hora. A roupa só me mostrou que eu já era mulher no corpo de um homem. Quis sair da lingerie e comprei um short minúsculo, em cirrê, e um baby-doll, que usei na sexta-feira, segundo encontro daquela semana com o W.

Após o short, evoluiu o sentimento de ser crossdresser. Na verdade, a vontade era me tornar uma mulher trans completa, mas devido as dificuldades citadas no momento, sociais e familiares, me senti contemplada em me montar de fêmea em casa ou pra um homem na cama. Basta eu ser fêmea comigo mesma, me sentir mulher. Claro, comecei a comprar cosméticos, brinquedos sexuais, tomar mais cuidado com a depilação, quero fazer academia, aumentar o bumbum. Talvez eu tome hormônio feminino, mas farei com acompanhamento médico, se for o caso. Tudo aos poucos, com paciência, sem criar conflitos desnecessários na mente.

O auge foi na sábado, dia 04 de novembro de 2023, um dia após nova trepada com o W, quando eu escolhi meu nome feminino: Milena. Falei imediatamente pro W que a próximo encontro dele será com uma fêmea, oficialmente, e me "apresentei". Agora ele me chama somente de Milena.

Fiquei viciado em ver mais roupas femininas na loja do Sex Shop. Na quinta-feira, 09 de novembro, vi um vestido em cirrê e uma fantasia que nada mais é que um maiô com um fio dental, tambem em cirrê. Comprei os dois. O vestido é bem curtinho, bem putinha mesmo, com aquele material que imita o couro, grudado no corpo. Escrevo um dia antes do encontro com o W e quero me apresentar vestida de mulher, além da lingerie, com um vestidinho curtinho e grudado, bem safadinha. Vai ser a primeira vez como Milena, convicta de ser fêmea, independente do corpo, da preferência sexual ou da nomenclatura. Será a sequência desse conto, lógico, afinal, a primeira trepada como mulher da Milena tem que fazer parte desse relato.

Embora eu exalte aqui as minhas preferências sexuais, deixo claro aqui que ser mulher é muito mais que gostar de uma rola e/ou gostar de ser vadia. Ser mulher é algo transcedental, almeja um estado de espírito superior, com objetivo da plenitude do equilíbrio entre guerra e paz. É totalmente mental. O combustível, no meu caso, foram as roupas e o desejo carnal, mas acredito que ser fêmea é algo muito maior. Posso fazer sexo com homens e/ou mulheres, de várias formas, que continuarei me sentindo uma mulher. Posso até me transformar em uma mulher trans bissexual. Uma colega é trans e namora uma mulher, sem crise. Parece pressuposto, mas devo deixar claro que não é algo somente sexual. Bom, a ideia aqui não é filosofar sobre sexualidade, por isso deixei pro final, só não podia deixar de fazer uma observação a respeito, pra mostrar que não há confusão e transmitir um pedacinho de meu sentimento. Infelizmente, é um costume humano complicar muitas coisas de forma desnecessária, gerando preconceitos absurdos.

Desse conto pra frente, cronologicamente, o Tiké Pinto dará lugar a Milena CD. Os contos localizados no passado, anteriores a data desse, serão assinados ainda como Tiké Pinto, mantendo cada gênero dentro da sua cronologia. A Milena aflora no dia 04 de novembro de 2023.

SE CHEGOU AO FINAL, COMENTE, CRITIQUE E DÊ AS ESTRELAS QUE ACHA QUE O CONTO MERECE, LEMBRANDO, TODAS AS HISTÓRIAS QUE CONTEI OU CONTAREI SERÃO REAIS. AS OPINIÕES E AVALIAÇÕES SÃO MUITO IMPORTANTES PARA CONTINUAÇÃO DAS PUBLICAÇÕES.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 42 estrelas.
Incentive Milena CD a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil genéricaMilena CDContos: 9Seguidores: 27Seguindo: 40Mensagem Sou homossexual desde criança, mas a primeira vez foi só aos 18 anos. Tive um caso com um tio, o mesmo que tirou minha virgindade. Saí com travestis por longo tempo. Tenho companheiro de foda atual que é insaciável e me destrói na cama. E, a partir do dia 04 de novembro de 2023, assumi um nome feminino, Milena. Hoje, sou uma cdzinha em evolução, querendo um dia me tornar trans, dependendo muito das dificuldades sociais envolvidas. Os contos do presente, serão assinados por Milena CD, os do passado, continuarão como Tiké Pinto, especificando o gênero correto no momento de cada relato. Independente de nomenclatura ou aparência, me sinto mulher, convicta, é o que vale. Começar a relatar em contos foi uma tremenda descoberta pra mim. Vou tratar de todos os momentos sexuais citados aqui, muitos já foram publicados. Espero que gostem. Comentem, critiquem e deixem suas estrelas, se gostarem, é muito importante pra quem escreve saber se estão lendo e gostando.

Comentários

Foto de perfil de Tito JC

Muitas vezes os questionamentos estão ali na nossa frente, martelando, chamando, provocando, querendo aflorar, mas não é prudente apressar o curso do rio. Fico feliz que você tenha encontrado seu tempo, se algo de errado acontecer não se preocupe, o tempo pode ser reinventado. Muito bom o seu texto! Mil estrelas!

0 0
Foto de perfil genérica

Você escreve muito bem, e deve ser um avião na cama, gostei muito.

0 0
Foto de perfil de Dyh

👏🏻 muito bem escrito, história envolvente

1 0
Foto de perfil genérica

Obrigada, ainda mais vindo de uma pessoa que escreve bem demais. Fico grata pelo retorno e saber que gostaram. Essa é minha vida, histórias reais, estou em transformação no momento. Prometo compartilhar tudo aqui no CDC. Beijos

1 0
Foto de perfil de J.P.

3 estrelonas, Milena. Adorei ler este, sabendo de como houve a transformação. Seus desejos e anseios até ir para a realização deles. Te convido a ler como meu colega de colégio virou uma linda cdzinha. Bjs.

1 0
Foto de perfil genérica

Obrigada... Eu li sobre a Paulinha já, adorei, dei 3 estrelas lá tbm. Beijos gato.

0 0
Foto de perfil genérica

Adorei Milena. Desejo a vc toda a felicidade do mundo e meus parabéns pela escrita impecável. Bjs

1 0
Foto de perfil genérica

Obrigada... tento melhorar a cada conto pra satisfazer vcs. Beijos.

0 0
Foto de perfil de Jota_

Você escreve bem demais!! Vou ser sincero e te falar que contos com CD nunca me atraíram muito (meu fraco são contos de brothersgem hahaha), mas o seu eu sabia que seria fantástico. Vou lá ler o outro

1 0
Foto de perfil genérica

Obrigada, estou muito lisonjeada. Feliz que gostou dos meus contos. Beijos.

0 0
Foto de perfil genérica

Belas palavras. Bem vinda ao mundo, Milena e que seus desejos e fantasias se realizem em todos os sentidos na sua vida!

1 0
Foto de perfil genérica

Obrigada amor, muito gentil você, espero atingir o nível de fantasias que leio em seus contos, é difícil, mas chego lá. Todos aqueles grupais, aaaiii, me acabo de tesão. Beijos.

0 0
Foto de perfil genérica

Seus contos eram bons como uma putinha e agora como Milena espero que sejam melhores ainda. Aguardando a Milena. Ansioso para bater punheta no ritmo da gostosa Milena.

1 0
Foto de perfil genérica

Obrigada... Agora é Milena putinha hahaha. Espero ter momentos cada vez melhores pra contar e deixar vcs com tesão. Mas Tiké Pinto ainda aparecerá na assinatura para contar o tempo que sai só com trans.

Beijos.

1 0
Foto de perfil genérica

Olá Milena, agora sim dezablochou um mulher de dentro de vc que dá existia. Espero lê muito seu contos que realmente são deliciosos.

Vcs diz que é tímido, só que eu não vejo isso em vc nas sua forma de escrever, vejo um pessoa decidida.

Bjosss 😘

antevio28@gmail.com

1 0
Foto de perfil genérica

Obrigada, muito mesmo... Os comentários e a avaliação de vocês é muito importante. Continuem comentando e dando as estrelas que o conto merecer. Certeza que vou continuar sendo bem safadinha e contarei tudo na continuação. Beijos.

0 0
Foto de perfil genérica

Nasce uma mulher maravilhosa, ansioso pra ler como foi a primeira transa da Milena.

1 0
Foto de perfil genérica

Obrigada gato, fico muito lisonjeada. A primeira transa como Milena será hoje, não vou demorar muito pra escrever. Beijos.

0 0