Minha primeira vez com a mulher de um cara - III - As irmãs da P

Um conto erótico de prazr_total
Categoria: Heterossexual
Contém 2679 palavras
Data: 10/11/2023 08:35:20

Eu sou H e estou narrando minhas aventuras com a mulher do J, a P nessa série.

Como eu contei na parte 2, o J viajou com a filha do casal e a P ia ficar sozinha em casa por 2 semanas então, ela me chamou e passamos as duas semanas transando quase o tempo todo. Tivemos várias primeiras vezes sendo a melhor delas a nossa primeira vez anal e a partir de então eu sempre comia o cuzinho rosinha dela.

A P tinha duas irmãs, a Da e a De. Ao contrário da P que era loira com 1,70m, olhos verdes, bunda e peitos grandes e calçava 37, as irmãs dela eram morenas, com olhos castanhos, os peitos pequenos, mas as bundas embora não tão grandes quanto a da P também eram bem avantajadas. A P era a irmã mais velha, tinha 35 anos. a Da era a do meio tanto em idade quanto em altura, tinha 27 anos e 1,60m, calçava 37 também. A De era a menor em todos os sentidos, 20 anos, 1,55m de altura, calçava 35. Todas tinham o cabelo longo e cacheado e todas eram lindas.

Eu já tinha ficado com as irmãs da P antes, mas nunca chegamos a transar. A De era virgem até onde eu sabia, o que se confirmou depois. A P sabia que eu já tinha pegado as irmãs dela e até incentivava que a gente se pegasse mais durante as nossas conversas. Ela sabia da minha podolatria e também gostava quando eu massageava, chupava e gozava nos pés dela. A massagem nos pés era o código pra quando ela queria sexo e o J estava em casa. Eu ficava massageando os pés dela até ele ir dormir e depoisa a gente transava.

Frequentemente ela pedia pra eu massagear os pés das irmãs dela também. Ela sabia que isso me deixava com muito tesão e parece que deixava ela com tesão também, porque a noite quando a gente transava depois disso ela ficava perguntando se eu tinha gostado de tocar nos pés das irmãs dela e ficava ainda mais safada na cama.

Certa vez eu estava massageando os pés da De a pedido da própria P, quando ela chegou mais perto e sentou do meu lado, pegou o outro pé da irmã e começou a massagear junto comigo. Depois de um tempo de massagem ela pegou o pé da irmã, levantou na altura do rosto e lambeu a sola inteira. A De se assutou e puxou os pés das nossas mãos. A P disse pra ela relaxar e que ela ia gostar, então ela devolveu os pés e a P disse pra eu fazer também.

Meu pau tava quase explodindo dentro da calça. Eu e a P chupando os pés da irmã mais nova dela. Aquela noite eu comi a P sem dó. Gozei duas vezes na buceta dela e uma no cu. Quando terminamos ela disse que aquilo era só o começo.

Realmente. As massagens com chupadas nos pés dela e das irmãs ficaram cada vez mais frequentes. As vezes eu chupava os pés das irmãs dela junto com ela, as vezes eu e alguma das irmãs chupávamos os pés dela e chegou no ponto de eu chupar os pés das 3 juntas. Não ficamos só nas chupadas e passamos ao footjob. Eu me deliciava com os pés daquelas 3 e gozava naqueles pezinhos deliciosos sempre que podia.

Não demoramos muito pra passar pro sexo oral. Tanto eu chupava a buceta e eventualmente o cuzinho delas, quanto elas me chupavam. Todas já tinham gozado várias vezes na minha boca e todas elas já tinham emgolido o meu gozo algumas vezes também. Só faltava eu comer as irmãs dela pra completar e enfim o dia chegou.

O J viajou de novo com a filha deles e a P me chamou lá. Pensei que seriam mais duas semanas de muito sexo com a P e já estava muito animado, mas seria melhor que isso.

Cheguei na casa deles e a P tinha dito que ia deixar a porta aberta e era pra eu entrar, tirar a roupa e ir pro quarto dela que ela estaria me esperando com uma surpresinha. Achei que ia encontrá-la com alguma langerie sensual ou com um plug anal enfiado no cuzinho que era algo que a gente já tinha conversado.

Fiz como ela mandou. Entrei em casa, tirei a roupa na sala e fui para o quarto dela. A porta estava fechada, bati e ouvi ela me chamando pra entrar. Abri a porta e me deparei com uma visão tão deliciosa que nem nos meus sonhos mais molhados eu jamais tive tamanha imaginação.

As três irmãs estavam completamente nuas, de quatro na cama com as bundas viradas pra mim. A P estava no meio com cada uma das irmãs do lado dela. Meu pau já estava duro e tive a sensação que ele ficou ainda mais duro.

A bucetinha e o cu da P eram rosinha assim como seus mamilos. As bucetas, cus e mamilos das irmãs eram marrons. A buceta das 3 já estava ensopada quando cheguei. Não pedi tempo e já passei a língua da ponta do grelo até o cu das 3. Depois fui pra buceta da P e comecei a chupar ela enquanto enfiava dois dedos na buceta de cada uma das irmãs dela ao mesmo tempo.

Era uma confusão de gemidos. A De foi e primeira a gozar, logo em seguida da Da, então eu deitei e a P sentou na minha cara e começou a esfregar a buceta na minha boca. As outras duas desceram e começaram a chupar meu pau juntas. A P gozou na minha boca, desceu pra chupar meu pau e mandou a Da subir pra gozar na minha boca também.

Ela fez isso e gozou deliciosamente na minha boca. Quando terminou, voltou a chupar o meu pau e foi a vez da De sentar na minha cara e gozar na minha boca.

Com as 3 devidamente chupadas e gozadas, reuni elas de joelhos e levantei colocando as 3 pra mamarem meu pau juntas, ora revezando e metendo o pau na boca de uma delas, ora deixando as 3 passarema a língua ao mesmo tempo. Não resisti muito tempo e pedi pras 3 abrirem a boca e aguardarem. Elas atenderam e eu gozei, tomando cuidado pra derramar um pouco de gozo na cara e na boca de cada uma.

Deitamos na cama pra descansar. Me belisquei pra saber se não estava sonhando. Eu realmente estava na cama com aquelas 3 mulheres lindas e deliciosas. Conversamos, nos beijamos, elas se beijaram entre si, nos acariciamos e a P foi a primeira a se animar de novo. Ela montou em mim e começou a cavalgar. Vendo a cena, a Da se animou também e sentou na minha cara, dessa vez de costas pra mim e de frente pra P. Elas também começaram a se beijar e chupar os peitos uma da outra. Não querendo ficar de fora a De desceu por trás da P, pediu pra ela empinar a bunda e começou a chupar o cu da irmã.

A Da começou a chupar os peitos da P e a De chupava o cu dela, enquanto eu metia naquela bucetinha apretada e deliciosa. Ela não ageuentou e gozou longamente, gemendo e tremendo todo o corpo em cima de mim.

Ela saiu de cima de mim e deitou do meu lado na cama. A Da tirou a buceta da minha cara e, sem cerimônia sentou no meu pau assumindo o lugar da irmã. Imediatamente a De também veio pro lugar dela e sentou na minha cara. Era a primeira vez que eu comia a Da e ela cavalgava com força no meu pau. A De chupava os peitos dela enquanto esfregava a buceta e o cu na minha boca e as duas gemiam deliciosamente.

A P não descansou muito e já foi pra trás da De e começou a chupar o cuzinho dela. Ela não aguentou muito e gozou em poucos minutos, também tremendo o corpo inteiro e gritando de tesão.

Chegou a vez da De, mas nesse momento as irmãs dela me falaram que eu ia tirar a virgindade da caçula da família. A De deitou na cama e abriu as pernas. Eu fiquei ajoelhado na frente dela e a P veio chupar o meu pau. A Da começou a chupar a buceta da irmã e depois as duas trocaram de lugar. Quando elas terminaram de chupar, ficaram uma de cada lado da irmã, cada uma pegou um pezinho dela e levantou até a boca e começou a chupar, abrindo as pernas dela no processo. As duas juntas pegaram o meu pau e guiaram até a buceta da De, encostaram ele na entrada e eu empurrei ele lá pra dentro.

A buceta dela estava ensopada demais. Ela já tinha gozado e tanto eu quanto as duas irmãs dela já tínhamos chupado. A Da tinha deixado meu pau bem babado e ele deslizou com facilidade pra dentro. Quando a cabeça entrou toda as duas irmãs mais velhas soltaram o meu pau e eu continuei empurrandoaté entrar inteiro. Era a primeira vez que eu transava com uma mulher virgem e me assustei um pouco com o sangue que saiu quando rompi seu cabacinho.

Continuei metendo com calma e as irmãs dela continuavam chupando os pés dela. Transamos devagar e ela gemia tão gostoso. Finalmente ela endureceu as pernas e senti o corpo dela tremer em baixo do meu. Ela gozou e a buceta dela começou a apertar o meu pau. Acelerei um pouco o ritmo e antes de ela terminar eu também gozei, dentro dela, inundando a bucetinha deliciosa da irmã mais nova.

Como a gente estava sujo de gozo, saliva e sangue aproveitamos e fomos os 4 tomar banho juntos. Fizemos muita sacanagem no banheiro e voltamos pra cama. Transamos o dia inteiro e eu gozei na buceta de todas e me surpreendi vendo as outras irmãs indo chupar a buceta que tinha recebido o gozo até ele sair pra elas beberem tudo.

Dormimos juntos e no dia seguinte a coisa ficou ainda mais quente. Outras virgindades precisavam ser tiradas.

Acordamos e fomos tomar café. Assim como na outra viagem do marido da P passamos duas semanas completamente nus os 4. Assim que terminamos de comer voltamos pro quarto e a P já começou a me chupar. As irmãs dela deitaram na cama comigo e ficamos nos beijando. Elas se revezaram montando e cavalgando no meu pau e todas gozaram. Então a P pediu pra Da deitar e abrir as pernas. Ela deitou por cima da irmã do meio ficando meio de quatro e em posição de 69. As duas começaram a se chupar e a P pediu pra eu comer o cu dela e pra De ajudar abrindo a bunda dela e deixando bem aberta.

A De obedeceu e abriu a bunda da irmã pra mim. Coloquei meu pau na porta do cuzinho dela e empurrei lá pra dentro. Eu já comia a P há tanto tempo e sempre fazendo anal com ela que entrou fácil. Comi o cuzinho dela por um tempo e, assim que ela gozou na boca da irmã eu me soltei e gozei dentro do cu dela. Deitei na cama e ela veio deitar comigo.

A Da chamou a De pro 69, mas dessa vez ficou por cima. Vendo aquilo não demorei a ficar de pau duro de novo. A P percebeu e falou pra Da que era a vez dela perder a virgindade do cuzinho. Não acredite no que estava ouvindo Era a primeira vez que eu ia comer dois cus no mesmo dia e ainda ia tirar a virgindade anal da irmã dela.

A P veio pra trás da irmã junto comigo e abriu a bunda dela pra mim. A De já tinha lambido um pouco o cu da Da mas a P lambeu mais e eu cheguei com o pau perto. A P deu uma boa chupada no meu pau, segurou ele firme e colocou na porta do cuzinho da irmã. Eu empurrei e ela continuou segurando até entrar o suficiente pra não caber mais a mão dela.

Enfiei lentamente o pau no cu da Da até entrar inteiro. Deixei ele lá dentro até ela se acostumar, assim como fiz com a P. A De chupava a bucetinha dela sem parar e logo ela começou a rebolar no meu pau. Aí comecei a meter de verdade nela. Ela começou a gemer de prazer, a P começou a me beijar, sem deixar de segurar a bunda da irmã aberta pra mim. Não conseguimos segurar muito tempo e gozamos quase ao mesmo tempo. Eu estava no céu, já tinha gozado na buceta das 3 e no cu da P e agora tinha acabado de gozar no cu da Da também.

Deitamos na cama nos beijando, ela ainda com o gosto da buceta da irmã mais nova na boca. A P deitou na cama e chamou a De pra cima dela pra fazerem o 69 também. Meu pau ficou duro de novo e dessa vez foi a Da que falou que estava na hora da outra irmã perder a virgindade do cuzinho.

Era demais pra eu acreditar. Fizemos o mesmo processo com as duas chupando bem o cu da irmã e a Da chupando bem o meu pau. O cuzinho da De era ainda menor e mais apertado que o das outras duas. Meti o pau na buceta dela que estava ensopada pra molhar mais o pau e garantir. A Da segurou meu pau e colocou na porta do cuzinho da irmã. Enfiei a cabeça e ela gritou de dor. A cabeça entrou de uma vez rasgando aquele cuzinho virgem. Qualquer traço de virgindade sumiu naquele momento.

Quando ela acostumou com a dor voltei a enfiar até entrar inteiro. Esperei até ela acostumar com o pau la dentro e a P também continuou chupando a bucetinha dela sem parar. Quando ela também começou a rebolar com o cu no meu pau comecei a meter. A Da chegou mais perto pra gente se beijar e aproveitei que ela estava segurando a bunda da irmã aberta pra enfirar o dedo na buceta e depois no cu dela.

Ao contrário das outras duas irmãs, a De mesmo com o meu pau dentro do cu continuou chupando a buceta da P, então da forma mais deliciosa porssível todos 4 estavam tendo prazer e pouco depois nós 4 gozamos quase ao mesmo tempo. A P gozou na boca da De, que gozou na boca dela com o meu pau enfiado no cu, a Da gozou na minha mão enquanto segurava a bunda da irmã aberta pra eu meter e me beijava e eu gozei dentro do cu da De.

Aquelas duas semanas foram ainda mais intensas que as que eu passei com a P. Transamos demais e com muito sexo anal. Depois disso sempre que eu estava na casa deles pelo menos uma das irmãs da P estava lá também. Começávamos a noite com uma massagem nos pés e depois eu comia a P junto com uma das irmãs ou as duas. O J teve que parar de me comer a noite porque elas acabavam dormindo lá comigo e a gente transava a noite toda, então as minhas aventuras com o J ficaram restritas ao motel.

Toda vez que o J viajava a gente ficava o período inteiro que ele estava fora nus e transando e elas nunca deixaram nenhuma gota do meu gozo cair sem ser dentro de alguma delas, ou na boca ou na buceta ou no cu.

Todos os anos seguintes que eu transei com a P quase sempre uma das irmãs dela estava junto. As irmãs delas começaram a namorar mas mesmo assim a gente continuou transando, nem sempre com todas juntas, eu passei a comer elas separadamente também mas sempre que dava a gente transava pelo menos em 3.

Espero que tenham gostado e aguardem que no próximo acontece algo surpreendente.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 30 estrelas.
Incentive prazr_total a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil de Helô40

Que delicia de putaria, me encheu de vontade! Já achava essa P bem safada e as irmãs dela tem a quem puxar. Um prazer total mesmo, com direito a tudo. Um beijo!

1 0
Foto de perfil genérica

Que bom que gostou!!

Era uma família bem safadinha mesmo. Rsrs

0 0
Foto de perfil genérica

Coisa deliciosa, ficar duas semanas transando em quatro pessoas. Vontade de ser uma das irmãs, não sou ativa, mas adoro chupar e beijar uma mulher. Meu sonho é ter um cara ativo e mais duas mulheres bi, pra fazer tudo o que vc contou maravilhosamente aqui. O relato com as duas trans, que foram ativas, devo lançar pro fim do mês. Parabéns, excitante demais, beijos.

1 0
Foto de perfil genérica

Que bom que gostou. Realmente foi uma delícia. Vou ficar aguardando ansioso por esse então rsrsrs.

0 0
Foto de perfil de Jota_

Eita, o próximo mais surpreendente ainda?? Haha tô curioso. Que foda deliciosa essa aí de vocês 4, pqp

1 0
Foto de perfil genérica

Mais surpreendente com certeza. Vc n perde por esperar rsrsrs

0 0