Se não fosse da família! 10

Um conto erótico de Krauser10
Categoria: Heterossexual
Contém 1394 palavras
Data: 18/10/2023 08:53:04

Minhas férias começaram maravilhosamente bem. A Debora se mostrou uma mulher dominadora e louca por aproveitar todos os momentos de prazer. A Clara com o tesão tremendo continuava a vender as fotos e isso a deixou bem mais safada e louca por novas aventuras. Depois que as duas ficaram mais intimas eu só ganhei com essa situação. Depois que voltamos da viagem tudo era motivo pra falar sacanagem a qualquer momento e as roupas quase sumiram dentro de casa. Acho que era por volta do dia 20 de dezembro que as coisas iriam ficar mais agitadas. Clara tinha saído e a Debora veio conversar comigo.

Debora: Amor eu aluguei um salão e vou montar meu próprio comercio.

Eu: Ótimo delícia. Eu fico feliz e ti todo o meu apoio. Se precisar de ajuda me avisa que eu faço o que precisar.

Debora: Eu te amo Mah! E mais uma coisa... vamos ter uma visita que vai ficar até janeiro aqui... rs.

Eu: Esse sorriso eu conheço! O que você está aprontando heim!? A última vez que você ficou assim foi na semana que passamos em Jeri... aquele dia você dominou a situação.

Debora: Sim... eu me libertei das expectativas das outras pessoas, agora eu só quero o que me faça sentir bem. Vou aproveitar tudo o que eu não aproveitei antes de me entregar pra você.

Eu: Não me trocando por outro você pode fazer o que você quiser! Rs...

Debora: Já ti falei que não quero outro homem e não ti largo mais nunca! Quero ti fazer uma pergunta. Ficar com outra mulher é traição?

Eu: Essa é nova... humm... desde que você converse comigo antes você pode fazer o que você quiser! Não vou ti prender e falar o que você não pode fazer.

Debora: É por isso que eu ti amo! Você não vai perder nada e só tem a ganhar.

Depois de Jeri essa mulher está cada dia mais confiante, com mais ideias, mais atitude e mais fogosa. Fui buscar a Clara e quando estamos voltando começamos a conversar.

Clara: A Mãe está bem mais alegre e soltinha né! Ela tira minhas fotos e grava meus vídeos sem perder a chance de tirar uma casquinha.

Eu: Ela está aprontando alguma coisa. Ela falou que vai ter uma visita que vai ficar esse final de ano em casa.

Clara: Hum... agora entendi pq ela está alegre. Não vou falar o que eu pensei, se prepara... kkkkkk!

Eu: Porra!!!

É foda quando você não sabe o que está acontecendo e essas mulheres ficam fazendo segredinho. Elas me deixaram 3 dias sem sexo, pararam de andar peladas na casa e ficavam rindo me vendo de pau duro. Sai pra ficar na praia tomando cerveja e comendo uma porção. A noite eu cheguei em casa bravo.

Debora: Boa noite amor! Toma um banho gostoso que eu tenho uma surpresa pra você.

Bravo eu fui tomar banho, quando sai do banho ela me pegou pela mão não me deixando colocar minha roupa e me conduziu para o quarto da Clara. Quando cheguei lá tinha uma mulher branca de 4 com as mãos amarradas na cama. O lençol cobria sua cabeça e suas costas só deixando a bunda empinada com a buceta molhada escorrendo pelas pernas. Ela se ajoelhou na minha frente e começou a me chupar. Fiquei de boca aberta com a situação, nunca que eu iria imaginar isso dela.

Debora: Gostou da surpresa amor!? Eu quero que você foda essa puta safada e goze tudo dentro dela. Você já está pronto! Vem!

Eu: Eu conheço essa bunda não sei de onde...

Ela me fez começar comendo aquela bunda branca gostosa.

Debora: Começa pelo cu dessa puta safada. Soca com gosto sem dó, vem...

Meu pau entrou fácil, parecia que já estava lubrificado e pronto pra mim. Não sabia de quem era esse cú que eu estava comendo. Quanto mais eu metia mais a dona do cú gemia abafado, parecia que tinha alguma coisa na sua boca que não consegui ouvir sua voz direito. Como eu estava a 3 dias sem sexo eu aproveitei bastante, dei vários tapas que ficaram a marca dos meus dedos. A Debora observando ao lado e se tocando ao lado pelada. Ela caiu pra frente e percebi que a cama estava meio molhada.

Debora: Parece que ela gozou, agora fode a buceta dela.

Obedeci e comecei a colocar naquele bucetão. Quando colocava tudo ela gemia e ia pra frente eu segurava com as duas mãos continuando a meter.

Eu: Onde eu gozo?

Debora: Goza dentro dessa puta safada! Enche ela de porra!

Eu senti que a buceta ficou mais apertada quando a Debora falou para gozar dentro. Acelerei e despejei tudo dentro. A Debora chupou e deixou meu pau limpo e me mandou sair do quarto. Como já tinha bebido um pouco eu deitei e apaguei.

Como de costume fui fazer o café e fiquei pensando naquela bunda branca. Eu sei que já vi em algum lugar mais não conseguia me lembrar. Fui tomar meu café ao lado da piscina.

Debora: Bom dia! Olha quem veio fazer uma visitar!

Pri: Bom dia!

Eu: Eu sabia que conhecia essa bunda rsrs...

Pri: Rs...

Conversamos bastante e a Debora falou que ia sair. A Clara falou que ia visitar uma tia tinha saindo no dia anterior.

Eu: Você está diferente! O que aconteceu depois daquela semana em Jeri?

Pri: Eu voltei pra casa e o meu ex ficou no meu pé! Não estava aguentando mais isso e dei um basta. Falei para meus pais que ia passar o final de ano na casa de uma amiga.

Eu: Eu peço desculpa pelas nossas atitudes depois da cachaça... perdemos a cabeça! Rs...

Pri: Bom... sempre fui tratada como uma boneca de porcelana e mimada. No começo... pq você quer saber?

Eu: No primeiro dia que conversamos você ficou tímida e parecia uma princesinha mimada cheia de não me toques. E você foi meio que forçada, sei lá...

Pri: Eu sempre fiz o básico na cama, teve uma vez que eu gozei de mijar na boca do meu namorado e ele ficou com nojo e nunca mais fez. Eu ti falei que queria realizar as minhas fantasias e vontades. No começo eu me senti obrigada, me deu um frio na barriga, me deixei levar pela situação eu comecei a ficar com tesão. Decidi me entregar totalmente as vontades de vocês sem precisar pensar, refletir ou tomar decisões. Eu me deixei se possuída, sabendo que era sujo, sem sentimento e acabei me sentindo suja por sentir prazer.

Eu: Pq você veio ficar aqui?

Pri: Pra falar a verdade... depois que eu gozei a primeira vez eu percebi que eu queria mesmo era ser uma devassa, puta, submissa como eu fui. Eu fiquei pensando todo esse tempo que eu estava louca. Então comecei a conversar com a Debora... ela falou que era parecida comigo e você conseguiu fazer ela se libertar e ser ela mesma. Naquele momento eu entendi uma coisa...

Eu: Esse silencio me incomoda, fala logo menina!?

Pri: Você acha que é fácil falar que eu me gostei de ser usada, que eu gostei de realizar as minhas mais sujas fantasias, que eu gostei de chupar uma buceta e que não esqueço do seu pau me penetrando sem eu menos esperar?

Eu: Está melhor agora? Vem aqui vem!

Pri: Eu pensei que você ia me achar uma louca.

Eu: Eu gosto de você do jeito que você é. Aqui você pode ser o que você quiser. A conversa e o respeito que não pode faltar.

A abracei q ficamos agarradinhos conversando. A Debora estava escutando da janela sorrindo. Quando eu entrei ela veio conversar comigo.

Eu: Você já esperava por isso?

Debora: Já... e você soube conversar com ela.

Eu: E o que você acha?

Debora: Eu vou cuidar dela do meu jeito e você cuida dela do seu! Eu gosto dela e quero que você cuide bem dela. Se é que você me entende?

Eu: Se ela começar a sentir algo a mais e quiser ficar? Você aceita?

Debora: Se você me perguntasse isso mês passado eu não aceitaria. Hoje eu quero que ela faça parte de nossas vidas se ela assim desejar.

Eu: rs... Você mudou bastante!

Debora: Verdade... eu gosto assim.

A beijei fazendo caricias e minhas mãos percorreram pelo seu corpo.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 58 estrelas.
Incentive Krauser10 a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil genéricaKrauser10Contos: 65Seguidores: 112Seguindo: 1Mensagem Eu gosto de escrever, a sua história é Boa?

Comentários

Foto de perfil de Almafer

Cada vez melhor adorei nota mil parabéns

0 0

Listas em que este conto está presente

Para leitura
Contos que selecionei para ler mais tarde