Ícaro, o marrento da faculdade

Um conto erótico de gsph
Categoria: Gay
Contém 2766 palavras
Data: 17/10/2023 17:09:13

Olá, meu nome é Henrique tenho 20 anos, sou moreno, 1.80m, e magro, cabelo preto. Eu estou na universidade, curso engenharia mecânica há um tempo, e foi justamente nesse curso em que

conheci Ícaro. Ele tinha 24 anos, 1.87, moreno, cabelos e olhos castanhos, enfim. Ele sempre foi bastante marrento, o que o tornava bem desagradável as vezes. Mas de uns tempos pra cá,

me peguei atraído por este jeito de macho confiante do que ele tem, acho engraçado porque ele era um dos meninos que mais odiava na faculdade, e ainda hoje, que ele ainda continua meio desse jeito.

E pra completar, agora ele frequenta uma academia e está ficando muito gostoso. Os braços estão bem mais definidos, as pernas também, e como ele usa roupas meio coladas, fica tudo bem

definido (As vezes, o volume também rs.)

Passei um tempo observando o Ícaro, pensando e alguma forma eficaz de abordá-lo, pois já que ele é hétero, isso poderia dar muito errado... Pensei bastante, e conclui: não tinha condições

para competir com a namorada dele, que é muito bonita, inclusive, então resolvi esperar uma chance para poder apelar um pouco.

Num certo dia, após as aulas, lá pelas 17h, estava chovendo bastante, havia uma multidão de pessoas na entrada daquele bloco do campus, esperando a chuva passar. Olhei em volta e percebi

que uma delas era justamente o Ícaro, e ele não parecia estar com guarda-chuva ou casaco para andar na moto, e eu, assim como quase todo mundo ali, estava esperando a chuva passar para pegar o ônibus,

então encontrei um canto e me encostei na parede, e comecei a mexer no celular, quando fui tirar os fones de ouvido do bolso pra ouvir musica, vejo ele se aproximando:

-E aí cara, de boa?

-Tô tranquilo, e vc?

-No pique de sempre.

Depois disso ficamos puxando assunto até a chuva passar, sinceramente, eu não sabia que tínhamos tanta coisa assim pra conversar, porque sem perceber, acabamos ficando tempo demais

conversando, e quando nos demos conta, já estava anoitecendo, e estávamos quase sozinhos naquele lugar, e a chuva já havia passado. Então eu disse:

-Droga, perdi o ônibus!

-Caramba, foi minha culpa, fiquei te distraindo aqui e não vimos a hora. Mas relaxa, hoje é sexta-feira e a minha namorada voltou pra cidade dela pra ver família esse fim de semana,

então não tô com hora pra chegar em casa, posso te dar uma carona se vc topar.

No momento pensei, "essa pode ser minha chance". Então acumulei bastante coragem e resolvi aceitar.

-Claro mano, valeu mesmo.

-Que nada, fica tranquilo.

Nós estávamos em um dos últimos blocos do campus, e sua moto estava em um dos primeiros, então tínhamos um caminho considerável ainda pela frente. Continuamos andando e conversando ao longo

do caminho, em algum momento, vimos um casal se agarrando com voracidade debaixo de uma das árvores, Ícaro olhou e disse:

-Caralho, aqueles dois ali, de hoje não passa haha

-Pois é.

Aproveitei pra trazer o assunto sexo a tona:

-E você cara, já namora faz um tempo, aposto que você já cansou transar com ela.

-Ah, sabe como é né... Chega uma hora que dá uma esfriada. Esses dias ela mal tava me dando atenção, e aí vc sabe...

-Sei não pô, fala aí

-Ah pô, olha pra mim, eu tô sedento aqui cara!

-Sério?

-Demais, e pra piorar ela tá no período fértil, aí ela não tá querendo me dar. Fora que desde o começo do relacionamento eu nunca consegui fazer tudo o que queria com ela...

Fico louco pra meter vara no cuzinho, mas ela vive reclamando: "ah, é muito grande!", as vezes isso enche o saco.

Percebi que Ícaro estava ficando excitado com a conversa, olhei pra virilha dele rapidamente, e consegui ver na penumbra um volume considerável. Pensei comigo mesmo "se não for agora,

não vai ser mais nunca.". Fui ousado e disse:

-Comigo não tem dessas não.

-Como assim mano, tu ignora quando elas reclamam? (não sei se ele entendeu errado mesmo ou se fez de desentendido.)

-Cara, é o seguinte, tinha uma coisa que eu vinha querendo falar com você há um tempo.

-O quê?

-Ah, É que eu te acho bem atraente e tal, aí eu queria saber se...

-Você tá ligado que eu sou hétero né?!

Tive que pensar rápido para sair dessa, então na hora a única coisa que me veio a cabeça foi:

-Qual é cara, você tá na seca, eu também, ninguém precisa saber não.

Ele se calou. Fez uma cara séria, e fixou seu olhar em mim. Achei que ia me dar um soco ou algo do tipo, como não dava pra ficar pior, arrisquei mais ainda:

-Tá, e se eu te oferecer uma grana pra ficar comigo essa noite?

Ele ainda me encarava, mas sua expressão havia mudado, agora parecia pensativo. Já estava desistindo, ia tentar de desconversar de alguma forma quando ele respondeu:

-Eu tô precisando de uma grana extra pra comprar umas coisas... acho que vou te dar essa chance então.

-Sério?! Eu achei que...

-Sim, mas vai ser do meu jeito.

-Como assim?

-Vou fazer o que eu quiser contigo, e não quero choro. Você mesmo disse que não tinha frescura.

-Meu deus...

-Se me fizer esperar muito, vai se arrepender... topa ou não?

-Tá tá, ok, tudo bem. (disse meio nervoso, meu coração estava a mil nessa hora. Não acreditava que aquilo realmente estava acontecendo.)

Quando finalmente chegamos na moto, ele foi direto:

-Sobe aí na moto, vamos lá pro meu apartamento, hoje eu vou fazer tudo que tenho direito!

Fomos uma parte do caminho discutindo o preço. Na outra foi só silêncio e nervosismo. Por um momento achei que era zueira, que ele estava planejando alguma coisa. Mas assim que chegamos

no apartamento dele, assim que ele abriu a porta tive uma grande surpresa.

Ícaro me jogou contra a parede e colocou o braço do lado do meu pescoço, meio que me prendendo entre seus belos bíceps e a porta, no pequeno corredor da entrada. E então disse:

-E aí como vai ser?

E eu respondi, nervoso:

-Sou todo seu, faça o que quiser.

-Boa resposta, gosto de putinha bem submissa a mim.

Olhei brevemente para baixo, e vi um volume na sua calça, foi quando Ícaro me deu um beijo, enquanto apertava minha bunda com bastante força. Era como se no mundo houvéssemos somente nós,

no escuro do seu apartamento. Ele parecia estar muito excitado agora, já que num instante ele tirou a camisa e exibiu aquele peitoral com abdômen definido da academia, que me deixou

babando. Não consegui desviar olhar. Quando ele se deu conta, falou:

-Gostou do tanquinho? Elas sempre curtem, é incrível. Mas Aproveita que hoje ele é todo seu.

Me esbaldei naquele torso magnífico. Senti a rigidez de seus músculos, ele apenas me encarava com um olhar safado, mordendo os lábios, e apalpando a minha bunda. Então ele me olhou no

fundo dos olhos, e me deu outro beijo, dessa vez de língua, e bem mais demorado. Coloquei a mão no seu short e pude sentir o seu volume, deveria ter uns 22cm. Ele sorriu pra mim e disse:

-Já tá querendo o prato principal? Você é bem safadinho hein, quem diria.

-Não sou muito bom em esperar.

-Eu ainda não mandei minha putinha pegar na minha piroca. Ainda quero provocar mais você.

Me puxou pelo braço em direção ao sofá, e se sentou. Me olhou com cara de predador e disse:

-Senta no colo do pai, cadelinha.

Me sentei de frente pra ele com a bundinha bem empinada. Ele me beijava e enfiava as mãos por dentro da minha calça, alcançando o meu cuzinho. Tentava penetrá-lo com o dedo indicador.

-Ai Ícaro, vai com calma...

-Se esqueceu que eu vou fazer contigo o que eu quiser? Vai ter sorte se não sair daqui mancando de tão arrombado.

O tesão já estava a mil, Ícaro estava se deleitando com meu corpo magro, me fazendo revirar os olhos e me dando longos beijos de língua.

-Que tesão da porra, Ícaro. Onde vc aprendeu a ser safado assim? Vai me deixar maluco!

-Cuidado pra não se apaixonar aí, viadinho. Pra mim vc é só meu novo brinquedinho sexual.

-Essa sua piroca dura aqui roçando, que delícia!

-Implora por ela vai, vagabunda.

-Por favor, deixa eu engolir essa jeba Ícaro... meu macho... meu dono?

-Tá pedindo pica na garganta, então é o que vc ter. Põe o meu pau pra fora vai rsrs

Me ajoelhei na altura da sua virilha, e abri o zíper da sua calça, o cheiro forte de rola suada que estava em sua cueca, parecia que estava me hipnotizando. Comecei a lamber seu pau

ainda por cima da cueca, para provocá-lo. ficamos uns 2 minutos assim, com ele esfregando a rola já dura na cueca por todo o meu rosto. Até que puxei sua cueca para baixo e então

finalmente pude ver seu pênis grande e grosso, apontado para o meu rosto, não resisti e dei um beijinho na glande, que soltava um pouquinho de pré-gozo, quando afastei meus lábios havia

restado um fiozinho transparente entre seu pau e meus lábios. Ícaro parecia estar curtindo muito aquilo, pelas iniciativas que tomava. Ele puxou meu cabelo, e me fez olhar pra cima,

então disse:

-Cai de boca nessa pica, viado! Vou fuder sua garganta até vc engasgar.

Abocanhei aquela rola imensa. Chupava com vontade, fiz questão de lamber cada milímetro daquele mastro moreno e veiudo. Por alguns minutos, estive no verdadeiro paraíso. Eu passava a língua das bolas até a ponta da glande,

fazendo-o delirar, chupava as bolas, uma por uma, cheirava seus pentelhos, enquanto tentava engolir aquela vara.

Depois de um tempo, Ícaro se levantou. Me ordenou que deitasse de barriga pra cima e ficasse só com a cabeça pra fora da lateral do sofá. Ele olhava pra mim e dizia:

-Nesse ângulo aqui eu vou socar tudinho na tua garganta. Respira pelo nariz e abre essa boquinha de puta pra mim!

Eu abri a boca, ele pôs as mãos na minha cabeça novamente, mas dessa vez ele começou a foder a minha boca, como se fosse uma buceta, me fazia engasgar com sua rola e dizia:

-Isso, chupa mais viadinho, não era isso que você queria? Um macho pra te dar piroca? Então engole tudo!

Quando ele disse isso, me senti completamente dominado por ele, o que me deu ainda mais tesão, ele me fazia engasgar sem dó, sentia seu pau descer pela minha garganta, o que era bem

desconfortável, mas admito, que o gosto do pau dele era sublime, simplesmente não conseguia parar, ficamos um tempo fazendo garganta profunda, até que senti seu pênis inchar na minha boca,

ele segurou minha cabeça com bastante força e gozou tudo direto na minha garganta, foram uns 7 jatos de porra. Um pouco acabou vazando pelo canto da boca, ele limpou com a cabeça de seu

pau e me fez limpá-lo depois, dizendo:

-Engole tudo, isso... assim que eu gosto, obedece o teu macho pra ganhar mais rola. Tá curtindo o gosto da minha porra?

Fiz que sim com a cabeça enquanto ele parecia rir da minha cara, mas estava tão excitado que nem me importei. Ele me puxou para cima e me carregou como uma donzela até o seu quarto,

onde me jogou na sua cama com bastante violência, arrancou minha calça com virilidade, e jogou a no canto da cama, tirei a cueca e a joguei num canto qualquer. Estava nú, exposto,

como uma presa esperando para ser atacada. Os olhos dele brilhavam, ele dizia:

-Quem diria, o carinha tímido da turma, pelado e indefeso na minha cama, posso acabar viciando nisso!

-Vem cá, meu macho gostoso!

Ele se deitou por cima de mim, pude sentir seu todo o seu peso. Se aproximou da minha orelha e cochichou:

-Se prepara que agora você vai sentir um macho de verdade dentro de você.

-não vai usar camisinha?

-Claro que não, eu disse que ia fazer isso do meu jeito. Então vou de fuder pele na pele mesmo que tenha que te estuprar pra isso.

Então ele me pediu pra abrir a minha boca, obedeci prontamente, ele prontamente cuspiu dento dela e me deu uns tapas na bochecha.

-Fala quem que é teu macho?

-Vc Ícaro...

-Quem que vai arrombar esse teu cu e te dar leite nele?

-Vc Ícaro, vai me engravidar com essa rola imensa...

-Vou deixar uma ninhada inteira nessa tua cuceta, seu viadinho.

-Que delíciaaa

-Se prepara que agora vai levar ferro, vou te fuder igual uma puta barata.

Eu estava de barriga para cima, ele levantou minhas pernas e deixou o meu cuzinho bem a mostra, seu pau já estava novamente em riste, e o sorriso no seu rosto sugeria que ele não iria

pegar leve comigo. Quando ele aproximou seu pau do meu cuzinho, e enfiou tudo de uma só vez, eu gritei e uma lágrima escorreu do meu rosto, então ele disse:

-Isso mesmo, seu puto, todo viadinho chora na minha pica!

-Você já fez isso antes? Achei que você era hétero kk

-As vezes, quando a Mirela enche o saco eu dou uma fugidinha com algum puto por aí, você deve saber né? Viadinhos não negam nada, eles só querem uma pica atolada no cú.

É muito mais fácil do que com mulher.

Ele deixou o pau enfiado em mim por alguns momentos, e então começou a sacar de volta até ficar só a cabeça dentro. Segurou meu queixo, e deu um sorriso safado. Nessa hora, atolou tudo

de novo dentro de mim, e repetiu várias vezes. Quando me acostumei com seu tamanho e formato, comecei a rebolar no seu pau, ele sorriu novamente e disse:

-Tá ficando gostoso tá? Pede pica então pede, pede pro garanhão aqui te fuder até você ficar viciado na minha rola!

-Me fode Ícaro, por favor, me fode com força, por favor!

Ícaro começou um vai e vem, que foi aumentando de ritmo até ouvirmos o plac plac das suas bolas se chocando com o meu cuzinho, ele urrava alto, e eu gemia como uma putinha, ele adorava isso.

Metia cada vez mais forte, as vezes, enfiava o pau até o mais fundo que pudesse e rebolava, enquanto me beijava, cutucando bem no fundo do meu cuzinho.

Depois de uns minutos assim, Ícaro me levantou, e me carregou pelas pernas de frente para si, posicionou seu pau, e me penetrou novamente, desta vez estava sendo fodido enquanto era

suspenso por aqueles braços fortes e morenos. Conseguia sentir sua respiração no meu pescoço. Me agarrei forte a ele e continuei a sentir meu macho me preencher com sua rola magnifica.

Logo depois, ele me colocou de costas na parede, e a usou de apoio para me suspender, enquanto aumentava o ritmo das estocadas. Então disse:

-Vou gozar no seu cuzinho, vadia. Viadinho do caralho, vai engravidar da minha pica, tô nem aí! Já te dei leitinho na boca, agora vou te dar leitinho no cú também, um presentinho pra você

que queria tanto minha pica, que me pagou pra arrombar esse teu cuzinho kk

Eu estava no céu, aquele macho sarado e gostoso, me humilhando, falando putaria, me fodendo com força e virilidade, agora estava jorrando seu leite dentro de mim. Ele deu um urro muito longo, e alto. Senti seu membro inchar novamente, e desta vez, acho que ele gozou mais do que na anterior.

Mesmo após ele gozar dentro de mim, manteve seu mastro enterrado no meu cú suspenso por um tempo, e aproximou da cama, pegou meu celular no bolso da calça, e disse:

-Agora vou filmar minha porra escorrendo da sua bundinha pra você guardar de recordação.

E filmou. Depois disso ele me deitou de novo em sua cama e se jogou ao meu lado, colocou o braço pelo meu pescoço e disse:

-E aí, gostou? Eu sou demais né? Aposto que ninguém nunca te fudeu tão bem assim!

Eu deitei minha cabeça em seu peito e disse:

-Você foi incrível, tudo que eu sonhava. Ele disse:

-Eu também gostei de fuder seu cuzinho. Ao contrário da minha namorada, você eu posso fuder como onde e quando eu quiser, já que você é tarado em mim. De agora em diante vou fazer de você meu depósito de porra! rs

Ele então beijou, minha testa. Ficamos assim por um tempo, e dormimos juntos aquela noite. No outro dia, acordei com o Ícaro batendo com sua pica no meu rosto. Dizendo:

-Acorda viadinho, quero te fuder com minha ereção matinal! rsrsrs

Continua...

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 34 estrelas.
Incentive gsph a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil genéricagsphContos: 10Seguidores: 26Seguindo: 4Mensagem Olá, este é um perfil pra contos tanto fictícios quanto reais.

Comentários

Foto de perfil de Jota_

Você descreve as cenas de sexo de um jeito que pqp viu! Delícia demais

0 0
Foto de perfil genérica

Adorei o conto! Ícaro é uma delícia do macho.

0 0
Foto de perfil de Tito JC

Delícia de texto meninão! É assim que eu gosto, sem medo de usar as palavras do jeito que elas são... Muito Bom! Parabéns!

0 0
Foto de perfil genérica

Valeu cara! Demorei de postar outro, mas ta aí :D

0 0

Listas em que este conto está presente