Um final de ano diferente em familia

Um conto erótico de Marcos
Categoria: Heterossexual
Contém 3257 palavras
Data: 02/10/2023 15:16:11
Última revisão: 04/10/2023 09:13:10

Um final de ano diferente em familia.

Todo final de ano é igual na família da minha esposa, agente viaja pra chacara dos meus sogros no interior pra passar o natal, sempre vou com a minha esposa que estamos casados o 4 anos e não temos filhos ainda, vai também sua irmã mais velha, seu marido e um casal de filhos de 7 e 8 anos, dois irmãos um com 42 e o outro com 37 casados e com filhos, o irmão mais velho tem um filho de 16 que é um capeta em vida, sempre aporrinha todo mundo.

Sábado a noite, todos na sala jogando ou brincando de alguma coisa, meu sobrinho pegou minha esposa e puxou pro sofá e a fez sentar no colo dele, ela usava um shortinho de malha tipo bermudinha meio folgada, não era sexy nem chamava atenção, mas o garoto era muito sem noção, fazia umas brincadeiras nada a ver, nem a propria mãe escapava das suas gracinhas, mas era o jeitão dele, muito brincalhão, mas muito sem noção mesmo.

Tava uma algazarra na sala e ninguém prestava muita atenção neles, afinal era tia e sobrinho. Eu estava sentado numa cadeira quase no fundo da sala só de olho nas gracinhas do moleque, ela com um braço por trás do pescoço dele sentada meio de lado no colo dele, falavam baixinho quase no ouvido um do outro, dava pra saber que estavam falando algo mas não dava pra entender devido a bagunça que a criançada fazia na sala brincando de banco imobiliário.

Uns minutos depois ela se lavanta e sai em dirção aos quartos, desencanei e continuei mechendo no celular, mas eu fiquei curioso com o teor da conversa deles e resolvi acessar a imagem de uma camera que havia no ambiente, alguns comodos tinham camera, menos os quartos, por se tratar de uma chacara de temporada tinha algumas no interior e várias no exterior da casa, então resolvi ouvir o som da câmera pra tentar ouvir o que falavam, eu já tinha pego o celular da minha sogra em uma outra ocasião pra instalar um app pra ela e descobri o app das cameras e acabei compartilhando para o meu celular com QRcode. Acessei a gravação e coloquei meus fones e aumentei o volume no máximo e comecei a ouvir no instante que se sentaram no sofá.

Tava muita barulheira mas consegui separar os sons mentalmente e prestei atenção na conversa dos dois pra saber o que rolava, nunca disconfiei da minha esposa, não era por isso que eu tava curioso, mas pra saber o que o sem noção do meu sobrinho tava aprontando, se fosse uma pegadinha pra cima de mim eu já estaria preparado, pois eu sempre caia nas trolagens dele e sempre era zoado por todo mundo por ser tão bobão.

Começo a ouvir e pouco dava pra entender, mas consegui ouvir alguma coisa como,:

ele- "vai lá dentro, troca e volta aqui"

ela- "Se tá louco, vai dar muito na cara, ele vai perceber"

ele- "que nada, é um tremendo mané"

ela- "vou lá, mas se comporta heim"

ele- "blz, to esperando, me surpreenda"

Depois disso ela se levantou e saiu. Fiquei encucado, pois parecia que ele tava armando alguma coisa pra cima de alguém com a ajuda da minha esposa e poderia ser eu o bode espiatório, então fiquei esperto.

Terminei de ver a gravação quando ela estava retornando, ela tinha trocado de roupa, agora estava com um vestido soltinho florido na altura das coxas que ela usa muito por ser bem fresquinho. Não vi nada de mal nisso, foi até melhor assim do que o shortinho que ela estava usando. Ela retornou pra falar com ele e eu fique vendo pela câmera em tempo real e ouvindo, na mesma mesa os homens jogavam truco, numa mesinha ao lado nosso, os sobrinhos pequenos jogavam banco imobiliário, todos os adultos estavam bebendo, menos eu minha esposa e seu sobrinho xarope. Esse não se enturmava e quando interagia era pra zoar alguém ou fazer piadinhas de mau gosto.

Ela se aproximou dele pra lhe falar algo mas ele novamente puxou ela pra sentar no seu colo, dava a impressão que pra eles não existia mais ninguém na sala.

Ouvi pelo som da câmera quando parece que estavam discutindo algo que não deu para entender, mas pareceu que ela não concordava com algo que ele queria fazer, aí eu ouvi ela dizer mais alto: "vai dormir que amanhã agente pensa em alguma coisa, hj eu tô cansada e preciso de uma boa noite de sono".

Ele parece não ter gostado da decisão dela e vi sua cara de frustrado, com certeza ele queria pregar uma peça em alguém, e com certeza seria eu.

Ele retrucou algo que deu pra entender só uma parte "Eu vou pro qurto....vc vai pro mesmo lugar...". Fiquei sem entender nada, mas ainda estava atento aos movimentos do moleque.

Ela se levanta arrumando o vestido que parece que tinha subido um pouco e vai pra cozinha onde estavam sua mãe, uma irmã mais velha e duas cunhadas.

Desencanei pois parecia que não ia rolar nenhuma trolagem hoje, ele se lavanta e vai em direção aos quartos, acessei a camera do corredor e vi ele entrando no seu quarto que ele dividia com as crianças e fechou a porta, as crianças estavam jogando na minha frente e a jogatina ainda ia ser longa, minha esposa devia estar conversando na cozinha, mais uns minutos e a luz do quarto se apaga, mas ouvi o som da janela, eu tinha certeza que as janelas já estavam todas fechadas então ele só poderia estar abrindo, mais alguns segundos e ouvi a janela se fechar, mudei pra camera de fora da casa, na lateral que pega os quartos, essa mudança de cameras leva alguns segundos e quando vi a imagem, não vi ninguém naquele local, mas fiquei encucado, alguma coisa ele tava aprontando e pelo esforço que estava fazendo, devia ser algo grande, uma trolagem das piores. Resolvi dar uma investigada pra não ser pego de surpresa e quem sabe frustrar os planos do fedelho.

Me levantei fui até a cozinha e não vi minha esposa, perguntei por ela pra minha sogra e ela me disse que minha esposa estava cansada e foi se deitar, achei estranho pois ela teria que ter passado pela sala para ir pros quartos, mas mesmo assim resolvi dar uma checada no nosso quarto e realmente ela não estava ali, acendi a luz e vi sobre uma banqueta seu shortinho junto com sua blusinha que ela havia usado antes, achei estranho porque estava meiuo embolado e sua calcinha estava junto, como se ela tivesse tirado tudo junto e jogado ali, logo ela que era muito organizada em tudo, só o fato de ter deixado sua roupa jogada assim já estava fora do contexto. E porque ela teria trocado de calcinha, muitas duvidas me esquentaram a cachola.

Resolvi me sentar ali na cama e dar uma olhada nas cameras ao redor da casa, tinha camera em todos os lados, primeiro vi a camera dos fundos onde fica a piscina e a churrasqueira, e ja vi um casalsinho se pegando, mas como a distancia era uns 20 metros e estava tudo escuro, a iluminação da câmera era só infravermelho então eu não consegui identificar quem estava ali, mas eu via o rosto do rapaz que estava sentado atrás da mesa com uma garota no seu colo de frente pra ele e de costas para mim, Quem poderia ser se não tinha nenhuma adolescente no grupo, ela cavalgava no rapaz que com certeza era o meu sobrinho pentelho, ela estava com as costas nuas, as alças do VESTIDO caido no meio dos braços, e eu conhecia muito bem aquele vestido, era o mesmo que minha esposa havia colocado minutos antes.

Meu mundo desabou naquele momento, meu coração parou de bater e o sangue congelou nas veias, eu me sentia caindo num precipicio sem fundo. Uma vertigem e uma leve tontura quase me fez desfalecer, minhas vistas se escureceram e não vi nada por alguns minutos, eu estava ainda com os fones de ouvido e o som no máximo e acordei do transe quando ouvi ela falando que ele tava rasgando ela com aquele mastro.

ela- "Isso, mete fundo, rasga a sua tia seu filho de uma puta desgraçado"

ele- "Toma tudo sua vagabunda gostosa, não aguenta ficar sem um pau de verdade né sua piranha do caralho"

ela- "Não mesmo seu pirralho pauzudo do caralho, me arregaça porraaa"

ele- "Aquele corno não te come não sua vaca, vc tem que ficar dando mole pra todo mundo galinha"

ela- "Dou mesmo, vou dar muito ainda, vc não é homem suficiente pra apagar meu fogo e também não tem a pegada de um homem de verdade, eu gosto de macho de verdade seu fedelho."

ele- "Fedelho? mas bem que vc gosta de sentar nesse pau, sua puta"

ela- "Vc é um frangote que tem um pau grande só isso, vai demorar muito pra aprender a foder uma buceta como se deve"

ele- "Com certeza seu marido sabe né? Aquele corno do caralho, se fosse bom de cama vc não estaria procurando macho fora de casa".

ele- "Pois fique sabendo seu pirralho, mesmo ele tendo um pauzinho ridiculo, ele tem muito mais pegada que vc"

Eu queria chorar de desgosto, descobrindo tudo que estava ouvindo da boca da minha esposa que até então era uma santa pra mim que nunca tinha reclamado de nada na nossa relação. Eu tinha que agir rápido, acabar com aquela safadeza dos dois, eu tinha que achar um meio de me vingar dos dois sem me expor pra toda familia, era muita humilhação, se eu confrontasse ela nesse momento ela com certeza ia me ridicularizar na frente de todos, então eu teria que ser frio.

Fui calmamente até a cozinha, já não tinha ninguém ali, acendi as luzes da área externa e fiquei observando pela câmera a reação deles, meu sobrinho se levantou num pulo, fazendo minha esposa cair de costas pra trás e se esborrachar de bunda no chão, que percebendo o perigo de serem pegos, se arrumou como deu e saiu engatinhando por baixo da mesa e saiu de fininho dali, meu sobrinho fez o mesmo e saiu pelo lado contrário voltando para seu quarto pulando a janela, ouvi quando ele bateu a janela fechando. Minha esposa entrou pela sala minutos depois e não me vendo se dirigiu até o nosso quarto, eu a segui e quando entrei no quarto logo atás dela, ela já estava trancada no banheiro e em seguida ouvi o som do chuveiro. Ela não havia acendido a luz e não deve ter percebido que eu não estava ali. Resolvi voltar pra sala e me esticar no sofá, as crianças ainda brincavam e os homens ainda na jogatina, mas agora mais silenciosos, pois as mulheres e meu sogro já haviam se recolhido. Pensei ali quieto mais alguns minutos e resolvi ir me deitar, ela ainda estava no banho, me deitei e minutos depois ela desligou o chuveiro, mais um tempo e ela veio se deitar ao meu lado apagando logo depois, demorei muito a pegar no sono mas acabei dormindo.

Acordei de ressaca no domingo de manhâ, mas não por causa de beber, aliás bebo muito pouco. Era mais emocional mesmo. Uma angustia e uma tristeza se abateram sobre mim que eu estava com vontade de abandonar todo mundo ali e voltar pra casa sozinho sem me despedir.

Achei mais prudente não fazer nenhuma cena e tentar expor os dois pombinhos pra familia toda sem que soubessem que eu já sabia.

Domingo de manhã me levantei com o corpo pesado e fui quase me arrastando pra cozinha onde o pessoal tomava o café da manhã, já se passava das nove e todos já estavam de pé.

Conversei com os cunhados e meu sogro na mesa, minha esposa ajudava sua mãe na pia, sua irmã e cunhadas passavam protetor nas crianças, meu sobrinho não estava ali.

Minha esposa estava com a parte de cima do bikini e de shorts jeans justo. Minhas cunhadas estavam basicamente iguais. O dia tinha tudo pra ser mais um dia divertido se não fosse pelos acontecimantos da noite anterior. E aquilo que eles falaram não me saia da cabeça.

Quando as mulheras já se dirigiam para a piscina eu voltei pro meu quarto, tranquei a porta e comecei a rever todas as imagens da noite anterior desde os acontecimentos na sala até o final da noite com o flagrante do adultério. Revi minuto por minuto e salvei todos os videos no celular. Aquela estoria de estar dando mole pra todo macho eu não consegui digerir, pois nunca tive nenhum motivo pra suspeitar dela, e ela agia naturalmente na minha presença, foi aí que tive a idéia de rever todo o periodo de gravação de todas as câmeras desde o primeiro dia que foi na sexta a noite quando chegamos na chacara dos meus sogros. Meus cunhados já estavam lá, haviam chego meis cedo, minha cunhada e o marido moram perto e sempre estão lá. Meus cunhados moram longe mas não tanto quanto nós e assim chegaram mais cedo como sempre.

Comecei a rever as imagens camera por camera em avanço rápido, pulando os videos que não tinham movimento, acompanhei a chagada, os cumprimentos em play normal para ver se via algo suspeito, mas nada que merecesse atenção, a tarde transcorreu tudo normal, mas no inicio da noite já comecei a ver um comportamento estranho do meu sobrinho que não desgrudava da minha esposa, parecia carrapato quando não tinha ninguém por perto.

Continuei vendo cada passo dela e volta e meia ele estava cercando ela de alguma forma e sempre falavam baixo como se tivessem algum segredo, eu já tinha presenciado algumas dessas conversas mas como eu sei que ele é um pentelho sem noçao eu nem dei importância na hora. Mas agora revendo as filmagens percebi onde tinha começado aquela palhaçada toda. E eu achando que era só uma trolagem do fedelho.

Passando os videos um a um, vi miha esposa conversando com seu irmão mais velho escostados na mureta da piscina ainda na sexta a noite, eu tinha visto eles lá naquele dia mas preferi deixar os dois botarem a conversa em dia pois são irmãos e fui pra junto do meu sogro, mas depois que eu saí ela se aconchegou nos braços dele, coisa de irmãos mesmo mas ele fez ela ficar de costas pra ele que a abraçou por tráz, não dava pra ver muito pois a mureta encobria da cintura pra baixo e ela estava com as costas apoiadas meio de lado no peito dele, uma cena normal se não fossem os acontecimentos do sábado, uma cena que passaria completamente despercebida, todos estavam dentro de casa e só os dois conversavam lá fora na área da piscina, ele ficou um tempo com os braços enlaçado em sua cintura até o mmento em que ele tirou uma mão e mexeu em alguma coisa abaixo da linha da mureta mas entre seus corpos, pois ela até afastou um pouquinho o corpo e voltou a se encostar nele, ela ainda com uma mão deu também uma mexida ali embaixo mas eu não tinha como saber o que faziam até ver eles retomarem a posição e começarem um leve movimento que não tinha como não ser uma puta trepada em pé, com movimentos ritmados e curtos, até ela abaixar a cabeça e se segurar na mureta com as daus mãos deixando seu traseiro a disposição do irmão que já lhe aplicava fortes golpes pelvicos em seu traseiro.

Nesse momento eu desabei em prantos, não queria ver mais nada, eu queria sumir dali e sumir no mundo sem deixar rastro. Eu tava acabado moralmente.

Lembranças do passado vinha a todo momento na minha memória, de outros encontros de família onde ela sempre dava uma sumida com algum dos homens da família, mas eu cego nunca percebi nada e nem as outras mulheres, pois família é família.

Corri aquele video que não durou mais de 3 minutos de foda incestuosa dos irmãos, e nessa câmera não tinha mais nada até o sábado de manhã. Depois disso eu sei que ela foi tomar bamho e depois eu, e mais tarde todos fomos jantar. A câmera da varanda lateral tinha indicação de movimento no mesmo horário e fui dar uma verificada, quase nem me espantei ao ver que meu sobrinho pentelho tinha presenciado a transa dos dois encondido atrás de um pilar no escuro da noite, o moleque se masturbou ali mesmo assistindo seu pai comer a propria irmã tia dele. Agora eu sei como ele conseguiu comer a tia, com chantagem.

Resolvi seguir ele pelas cameras naquela noite mas não vi nada que chamasse a atenção, ele ficou o tempo todo no sofá mexendo no celular, ele ficou o resto da noite de sexta sem se aproximar dela e assim a noite transcorreu normal e todos foram dormir cedo pelo cansaço da viagem.

Sábado de manhã todos foram pra piscina inclusive eu que dei alguns mergulhos no decorrer do dia e as vezes revesava na churrasqueira com os meus cunhados, deixando minha esposa curtir a piscina com sua irmã e cunhadas, sem muita importância para o que ocorria na piscina. Revendo os videos, vi que meu sobrinho sempre achava uma brecha pra falar com a minha esposa sem ninguém por perto e vi uma hora que ele mostrou algo no celular pra ela, vi que ela ficou em choque e pedia insistentemente pra ele não mostrar pra ninguém. Eu tinha visto essa cena na hora mas não dei importãncia pois sabia que o muleque era um pentelho, agora eu sabia o que era.

Com certeza ali começou a chantagem, avancei rapido as cenas em todas as cameras que tinha movimento que pudesse ser dos dois e flagrei o momento em que ela foi pro quarto no meio da tarde e ele após alguns segundos foi atrás dela, na camera do corredor vi ele puchar ela pra dentro do quarto dele que entrou protestando mas foi puchada pra dentro com força. Demoraram meia hora la dentro, com certeza foi a primeira trepada deles. Nesse tempo ninguém entrou na casa.

Me lembro dela ter saído da casa meio triste emburrada e veio pra perto de mim na churrasqueira e me abraçando me beijou na boca, não senti nada na hora mas agora eu tinha certeza que ele tinha exigido que ela me beijasse após ter chupado o pau dele ou até mesmo gozado em sua boca. FDP. Que ódio.

Mais pro final da tarde vi ela dando um perdido pela chacara e seu irmão mais novo foi atrás e sumiram por entre as arvores do pomar. Filha da puta biscate do caralho ela transava com os dois, acho que sem um saber do outro, pois se soubessem com certeza ela daria pros dois juntos. Vi que voltaram separados uns 40 minutos depois, ela só de bikini e ele de sunga. Nada mais ocorreu de anormal até a noite onde comecei a presenciar minha esposa e meu sobrinho no sofá.

No domingo por volta do meio dia quando saí do quarto, após ter revisto as imagens e de ter salvo tudo no meu celular, eu já sabia o que eu deveria fazer, eu não sei quando nem como isso havia começado mas eu já sabia como seria o fim.

continua.....

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 132 estrelas.
Incentive Yarcano a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Este comentário não está disponível
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Kratos116

Uma história interessante. Fico imaginando o que o marido esta passando com essas descobertas. Eu se fosse ele chamava a família toda e mostra a gravação dos pombinhos e depois pedia o divórcio

0 0
Este comentário não está disponível
Foto de perfil de Almafer

Cara que situação amigo do céu que família incestuosa kkkkkkk

0 0
Foto de perfil genérica

Belo conto e bastante excitante, espero ver logo o fim desta história e ver as prováveis consequências...kkkkkkk que mulher vadia véi kkkkkkkkkkkkk

0 0
Foto de perfil genérica

Só espero que não termine como a maior parte dos contos deste site, ele corno manso.

1 0

Listas em que este conto está presente