VALENTÃO ENCURRALA PAI E MÃE PARTE VI

Um conto erótico de Daniel recomeça sua vingança
Categoria: Heterossexual
Contém 5211 palavras
Data: 04/10/2023 20:15:33

Durante 3 dias fiquei sem trocar uma palavra com meus pais, minha mãe tentava me explicar o acontecido eu fingia que não tinha ninguém falando, já meu pai nem tentava

Embora minha mesada fosse muito boa resolvi começar a trabalhar meio período no escritório do meu tio irmão do meu pai, que era delegado de policia e mesmo assim tinha um escritório de advocacia criminal perto de casa.

Minha mãe dia e noite implorava meu Perdão, se desculpava. Dizia que foi por uma boa causa e acabou se apaixonando por Cristiano, e seu pai também havia gostado da ideia.

Eu morria de ódio por dentro, queria matar Cristiano e bater muito em meu pai, mas eu apanharia de ambos, como meu pai e sangue do meu sangue eu não planejaria me vingar, mas de Cristiano eu estava pensando em algo que poderia ferir seus sentimentos igual ele fez comigo.

Quanto a minha mãe pensei em algo que poderia fazer com ela para que eu a perdoa-se.

Quando ela me disse filho, tem algo que eu possa fazer pra obter seu perdão?

Eu disse que sim,ela perguntou se era dinheiro ou alguma viagem e eu disse,Não mamãe, eu quero você. Você fará tudo o que eu disser até que eu esteja satisfeito, então eu lhe perdoarei.”

“O que você quer que eu faça?”

“Ah, você verá.”

Entramos dentro da nossa Mercedez para ir ao mercado na volta pedi para voltar dirigindo, neste momento eu dirigia com uma mão com a outra comecei a acariciar seus seios,Depois agarrei-lhe na mama direita e dei-lhe um bom aperto.

"Que diabos está fazendo? Se você acha que vou fazer algo com você, você está louco!”

"Ok, mãe, acho que você não conseguira meu perdão assim."

"Não! Por favor, não! Farei o que você quiser, eu prometo! Só não me peça isso!

“Tudo bem, mãe. Aqui está o que eu quero que você faça... Minha mãe começou a suspirar e fazer uma careta enquanto esperava o que eu queria que ela fizesse.

“Para começar, tire esse vestido curto. Sempre que formos só você e eu em casa, você estará completamente nu, então tire essa porra de vestido agora. Minha mãe foi o mais devagar possível, mas acabou tirando. Parei o carro e Houve um pequeno momento de silêncio e então fui até ela. Segurei seus dois seios e chupei um pouco seu mamilo esquerdo.

“Mmmmmm… esperei tanto tempo para fazer isso.” Eu então olhei para sua boceta. Estava coberto de cabelos loiros escuros. Eu adoro cabelo em mulher madura, quer dizer, adoro, mas por algum motivo queria ver minha mãe sem cabelo. Uma ideia me veio à mente. Percebi ao longo dos anos que quase sempre a mãe nunca usa calcinha, nem mesmo quando vai malhar. Então peguei minha mão direita, agarrei alguns de seus pelos pubianos e puxei-os.

"Abra sua boca." Ela não abriu, então eu disse de novo.

"Abra sua boca!" Ela fez isso desta vez. Enfiei o cabelo em sua boca e disse-lhe para engoli-lo. Ela fechou os olhos e os fechou, mas engoliu.

“Eu quero esse clitóris raspado e, por enquanto, todos os dias que você for malhar, usará um fio dental.” Ela apenas olhou para mim.

“Fui claro?” ela continuou a olhar, então eu dei um tapa no rosto dela, na mesma bochecha que levou um tapa de Cristiano e então agarrei seu queixo.

“Eu?”

"Sim." Lágrimas começaram a escorrer por seu rosto.

"Você responderá com um sim, senhor." Então você vai ser uma boa mamãe e depilar esse clitóris?”

"Sim, sim, senhor."

“Você vai usar calcinha fio dental para malhar- de agora em diante?”

"Sim senhor."

“Bom, é isso que eu gosto de ouvir…” Ah, outra coisa me vem à mente sobre isso. Eu tenho um recipiente com tampa lá embaixo. Tem um pouco dos meus esperma nele. Todos os dias, antes de você colocar a calcinha e o sutiã, quero que você mergulhe os dedos nele. Então você vai usar uma calcinha e um sutiã cobertos com meu esperma por baixo das roupas.

"Sim, senhor."

“Abra a boca novamente e coloque a língua para fora. Hmmm... sim, essa língua precisa de um anel. Seu nariz também ficaria bem com um piercing. Espere aqui. Desci para o meu quarto para pegar o recipiente cheio de esperma. Quando voltei para o quarto da minha mãe, arranquei a tampa. Então o fedor imediatamente atingiu o ar como um peido ruim.

"Mmmmmm... você cheira bem, mamãe, isso é um perfume novo?" Sorri, mas minha mãe não respondeu nem olhou para mim. Eu apenas olhei para ela depois disso e disse: “Olhe para mim”. Ela virou a cabeça lentamente e me encarou.

"Coloque sua boca no meu pau, mãe." Ela balançou a cabeça negativamente.

“Como espera que eu te perdoe assim...” Ela não disse nada e apenas olhou pela janela. Antes que o sinal ficasse verde, ela cedeu e levou meu pau inteiro na boca. Ela balançou a cabeça no meu pau o tempo todo que estávamos na rodovia.

“Isso é tão bom, sua putinha... eu tirei a cabeça dela de mim puxando seu cabelo.

“Me punhete um pouco.” Ela começou a fazer isso, então eu a parei.

“Cuspa no meu pau primeiro.” Ela deu o cuspe mais fraco.

“Isso não é bom o suficiente! Faça isso novamente!"

"Sim senhor." Então ela cuspiu novamente. Mais uma vez não fiquei satisfeito.

"Faça isso novamente! Você tem mais uma chance, sua vagabunda. Então desta vez ela deu todo o seu cuspe e meu pré-gozo cobriu completamente a cabeça do meu pau e escorreu pelas laterais. Ela deu outra cuspida e eu disse: “Simmm, era isso que eu queria mamãe”. Então ela me masturbou. Depois de um tempo cheguei à nossa casa. Ela ainda estava me masturbando. Então comecei a sentir a adrenalina.

“Ohhhhh, estou prestes a gozar, mamãe! Depressa, coloque sua boca de volta nisso! Vamos, vadia! Ela fez isso e engoliu até a última gota de esperma que eu tinha, foi uma grande quantidade. Não sei como ela engoliu tudo?

"Obrigado, mãe." Guardei meu pau e fechei meu jeans de volta. Chegamos de volta em casa. Minha mãe apertou o botão e a porta da garagem se abriu. Entrei e saímos. Depois de entrar em casa eu imediatamente disse a ela que queria outra chupada, mas ela negou e disse que no máximo uma por dia pois teria mais 2 homens para satisfazer…

Então vi que ela estava falando sério então resolvi não forçar muito e deixei mais pra amanhã.

Logo depois resolvi dar uns telefonemas para alguns amigos para descobrir algo sobre a mãe de Cristiano, descobri que ela foi expulsa de casa pelo ex marido que agora estava preso dês de então o avo de Cristiano não permitiu que eles tivessem mais contado.

Com mais algumas pesquisas descobri um endereço e resolvi investigar mais sobre este endereço. Pesquisa vai pesquisa vem comecei a fazer algumas ligações para alguns clientes do escritório do meu tio, acabei descobrindo que se tratava de um cassino clandestino comandado por alguém muito perigoso, com vários processos em andamento.

Analisando cada página do processo descobri muita coisa sobre aquele homem. Saindo do serviço passei na casa de minha namorada Kerem para ficarmos um pouco antes dela ir trabalhar, mas as minhas investigações não saíam da minha cabeça então passei em um caixa eletrônico saquei uma boa quantia e fui ao tal endereço.

Lá chegando dei de cara com o segurança que logo perguntou o que um menino com aparência de rico estava querendo ali. E disse para min ir embora ou ele usaria a força. Eu meio que apavorado só lembrei de algo que li sobre as investigações e disse

” a senha é 2 ratos em um porão e eu vim para curtir”

Instantaneamente o segurança abre a porta e diz

“sim senhor por favor entre e escolha sua bebida e divirta-se”

Ao entrar naquela residência notei que se tratava de clube de strip-tease então logo comecei minha busca pela mãe de Cristiano e pensava em ideias de como conquistá-la ,ao avistar duas meninas conversando uma se preparando para dançar e a outra tinha acabado de sair do palco uma delas morena de seios fartos com características de ser a mãe de Cristiano outra um pouco mais magra com tatuagens cabelo preto e muitos piercings ,tentei me aproximar delas e me ofereci para pagar a bebida , comecei a conversar com a magricela de nome Jana, conversamos bastante e logo ela me apresentou sua amiga de nome Sandra, esta era alta coxas grosas e seios fartos . peguei o contato das duas meninas e comecei a frequentar aquele clube todos os dias da semana só não ia nos fins de semana estava bem íntimo delas e sempre pagava uma garrafa a elas.

Até que um dia perguntei a Jana como que Sandra tinha começado nesta vida

Ela disse Sandra começou a dançar logo após ser expulsa de casa. Seus pais não se importavam com ela. Ela era apenas um fardo para eles.

Ela foi morar com uma de suas amigas, Jana. Ela manteve contato com Jana da época da escola ainda, que lhe contou quanto dinheiro ela ganhava dançando e como isso poderia ser divertido. Sandra, que não era muito tímida com seu corpo, ficou entusiasmada com a ideia.

Jana a alertou sobre as desvantagens de se despir, coisas que ela precisava esperar. Isso deixou Sandra algumas preocupações sobre a dança, mas ela decidiu seguir em frente. Na mesma semana em que foi morar com Jana, ela fez o teste no clube , conseguiu o emprego e dançou lá pelos próximos 6 anos de sua vida.

Não foi surpresa para ninguém que ela conseguiu o emprego. Ela era jovem, linda e malhada, com longos cabelos negros e um corpo incrível seios grandes e naturais. Em sua audição, ela trabalhou na pesquisa de stripper como se já fizesse isso há anos.

Na semana seguinte, ela começou a fazer lap. dances, o que não foi muito difícil para ela. Ela gostava de ser paga para excitar os rapazes sem fazer sexo com eles. Ocasionalmente havia um rapazes assustadores , mas ela finalmente aprendeu como lidar com eles.

A única coisa em que ela nunca se envolveu foi quando um cliente tentava pagá-la para fazer mais do que apenas uma dança. Na maioria das vezes, tentavam pedir uma punheta e, às vezes, um boquete. Às vezes, quando estavam muito confiantes, pediam sexo. Ela sempre recusava, não importa quanto dinheiro eles oferecessem. Mas, ao mesmo tempo, ela ficou muito intrigada com a ideia.

Jana confessou a ela que havia tentado a prostituição por um curto período. Tudo começou com alguns clientes no clube antes de ela se inscrever em uma agência de acompanhantes que pagava mais. Foi emocionante no início, mas eventualmente ela perdeu o interesse e desistiu.

Jana alertou Sandra sobre as desvantagens disso; ela entendia que havia riscos, mas ainda achava que era algo que ela poderia fazer. Ela achava que a prostituição não era grande coisa, desde que fosse feita com segurança.

Além disso, ela gostava muito de sexo, tendo estado com alguns homens e até com algumas mulheres, incluindo Jana. Mas, por mais corajosa que fosse, ela estava extremamente nervosa com o que poderia acontecer se ela se prostituísse, especialmente se fosse presa. Ela ainda queria experimentar, mas precisava ter certeza de que era seguro e que valia a pena.

No dia seguinte Daniel entrou no clube e teve a sorte de encontrar um bom lugar. O panfleto da boate trazia a programação diária dos dançarinos, sabia quando Sandra estaria dançando e chegou bem a tempo de ela aparecer no palco, apresentando suas músicas habituais.

Quando ela terminou, ela percorreu o palco recolhendo suas gorjetas. Quando ela finalmente se aproximou de Daniel, ela lhe deu um grande sorriso e o cumprimentou

Ele perguntou se poderia pagar uma bebida para ela quando ela terminasse. Ela disse que sim, mas só depois de atender outros dois clientes, ela prometeu uma lap dance para o primeiro. Demorou quase meia hora antes que ela terminasse com eles e finalmente tivesse tempo para ele. Ela sentou-se ao lado dele e ele pediu sua bebida favorita para ela.

Eles começaram a falar sobre as suas vidas, os altos e baixos, e novas histórias foram contadas. Daniel queria perguntar a ela sobre os outros seus filhos e demorou bastante até ter coragem. Era difícil falar sobre isso e ele estava inventando desculpas mentalmente, mas sabia um dia tinha que fazer isso.

“Escute, Sandra, preciso conversar com você sobre algo importante”, ele começou a dizer.

"Claro, o que é?" ela perguntou.

"Vai soar estranho e espero que você mantenha a mente aberta sobre o que vou perguntar."

Sandra tinha um pressentimento sobre o rumo da conversa. Sempre que ela encontrava um cliente que falava assim, geralmente significava que ele iria perguntar se poderia pagar para fazer sexo com ela.

"Vá em frente", disse ela, preparando-se.

"Você saberia se algum das dançarinas aqui com quem você trabalha... bem... faz alguma coisa extra?"

não foi desta vez que Daniel tomou coragem, mas perguntou algo que também queria perguntar.

"Você quer dizer sexo?" ela perguntou.

"Sim, quero dizer sexo."

Daniel ficou surpreso ao saber imediatamente do que ele estava falando, mas ele imaginou que, como dançarina, ela provavelmente teria que lidar com pessoas que falavam sobre isso o tempo todo.

Sandra ficou surpresa; geralmente o cara pedia para pagar por sexo, não se ela soubesse que alguém faria isso. Ela também se sentiu aliviada por ele não perguntar se você poderia pagar para deixá-lo transar com ela. Mesmo que ela ainda estivesse intrigada com a ideia e a contemplasse, ela ainda não tinha certeza se conseguiria levar isso adiante.

"Por que você quer saber?"

Ele pensou em mentir que ainda era virgem, que era muito embaraçoso admitir. Então, ele mentiu e disse a ela que não estava com uma mulher há muito tempo e que só precisava transar para tirar o atraso. Era uma desculpa bastante razoável, que ele aprendera com alguns de seus amigos. Ele precisava se passar por um rapaz gentil e educado.

Enquanto Daniel explicava a ela por que queria pagar por isso, ela percebeu que poderia ser ele quem ela poderia experimentar. Ela já parecia que era um cara legal e sentia que ele era uma opção segura para ser seu primeiro cliente. Ela imaginou que ele poderia ser um bom tipo de prática para ela ver se ela gostava. Se ela não gostasse, seria apenas uma vez e ela simplesmente pararia.

“Acho que posso ajudá-lo”, disse ela.

"Você conhece alguém?" ele perguntou.

"Sim", ela disse com um grande sorriso. "eu."

"Você?" ele disse, surpreso.

Embora fosse este o seu plano , ele não achava que ela fosse do tipo que fazia isso.

“Na verdade, nunca fiz isso”, disse ela.

Ela começou a explicar como já vinha pensando nisso há algum tempo, algo divertido para fazer para ganhar dinheiro extra, mas nunca teve coragem de realmente ir até o fim. Ela disse que poderia tentar com ele primeiro porque o santo bateu e achava que estaria segura com ele. Depois, ela poderia decidir se queria ou não continuar fazendo isso.

Daniel achou que era uma ideia perfeita. Mesmo tendo decidido, ele ainda estava nervoso em fazer isso. Ele acabou se sentindo confortável perto de Sandra e sentia que ficaria mais relaxado com ela . Ele também imaginou que poderia fazer um favor a ela sendo seu primeiro cliente, para ver se ela gostava ou não.

"Ok", disse Daniel , com um grande sorriso. "Se você está disposta, vamos lá."

"Ótimo", ela respondeu com entusiasmo.

"Mas antes de concordarmos com isso, você ainda ficará bem se eu aparecer aqui depois?" ele perguntou. "Eu não quero fazer você se sentir desconfortável depois de fazer isso."

Ela achou fofo que ele estivesse tentando levar os sentimentos dela em consideração.

“Está tudo bem”, disse ela. "Eu ainda dou danças eróticas para ex-namorados que me visitam aqui, então ficarei bem."

Daniel ficou aliviado ao ouvir isso. Se não desse certo como ele esperava, ele ainda queria visitá-la no clube sem tornar isso estranho para eles.

Eles terminaram suas bebidas e foram fazer sua dança habitual. Desta vez, Daniel pagou por uma garrafa de champanhe para poder passar meia hora inteira com ela. Foi tempo suficiente para eles se divertirem juntos e depois conversarem sobre os detalhes do que iriam fazer.

Daniel pensou em convidá-la para sua casa, mas decidiu que queria manter isso separado de sua Família tanto quanto possível.

Uma semana depois, quando combinaram um dia para se encontrarem, ele conseguiu para eles um quarto de hotel muito bom. Eles concordaram em se encontrar às 20h daquela noite, o que deu a ambos o tempo para jantarem e estarem prontos para se verem.

Sandra estava nervosa por conhecê-lo. Por mais confiante que ela estivesse, especialmente quando se tratava de sexo, ser paga para isso era uma situação completamente diferente.

Ela confidenciou a Jana sobre o que ela iria fazer. Jana ficou surpresa e totalmente contra a ideia. Mas quando ela descobriu que era Daniel quem ela iria ver, ela mudou de ideia e disse que ele era uma ótima escolha para experimentar. Jana achava Daniel fofo e muito amigável e confiável.

O maior problema de Sandra era que ela não sabia como se vestir para a ocasião. Ela não tinha certeza se deveria apenas aparecer vestida casualmente com jeans e uma blusa sexy, ou usar algo elegante e respeitável, ou usar uma de suas roupas mais safadas. As roupas iriam cair eventualmente, mas isso não significava que ela não quisesse ficar bem para ele; afinal, a apresentação é tudo. Jana a ajudou a encontrar um vestido sensato para usar, que fosse sexy, mas elegante.

Daniel também não sabia o que fazer e passou muito tempo tentando descobrir o que vestir. Ele precisava conquistar o coração de Sandra para que seus planos viessem a funcionar, Ele também pensou em se vestir casualmente com jeans e camiseta, ou pelo menos uma camisa polo, mas achou que ela poderia pensar que ele não a estava levando a sério. Ele pensou em usar terno e gravata, mas achou que poderia parecer que estava se esforçando demais para impressioná-la. Ele finalmente decidiu por uma calça e uma camisa bonita, algo que ficasse bem em qualquer ocasião.

Ele também pediu ao hotel que preparasse uma garrafa de champanhe para ele, imaginando que seria bom fornecer a ela algo para beber antes e possivelmente depois de dormirem juntos.

Antes de ir para o hotel, ele decidiu assistir o pornô de sua mãe e se masturbar. Ele disse que isso o ajudou a relaxar e aliviar sua ansiedade, e imaginou que isso poderia fazê-lo durar mais tempo com Sandra. e pensar comendo a mãe de seu inimigo cairia bem nos seus sentimentos.

Ele chegou primeiro ao hotel para fazer o check-in e se certificar de que tudo estava pronto para eles. Quando ela estava por perto, ela mandou uma mensagem para ele dizendo que estaria lá em breve. Ele estava começando a ficar ainda mais nervoso e começou a fazer flexões, outra coisa que ele faz para ajudá-lo a relaxar. Quando percebeu que estava começando a suar por causa do treino, correu para o banheiro para se limpar.

"Vamos, Daniel, controle-se", disse ele a si mesmo no espelho. "Apenas tenha calma e vá com calma. Vai ser ótimo comer ela “embora Daniel tivesse feito sexo oral com sua mãe e algumas vezes com Kerem ele nunca havia comido uma mulher adulta com experiencia, ainda mais uma tão bonita.

Ele ouviu uma batida na porta e ficou nervoso novamente. Ele respirou fundo, disse a si mesmo para relaxar e foi abri-la.

Ele abriu a porta e viu Sandra parada ali sorrindo. Ele ficou surpreso com o quão linda ela estava. Ele sempre a achou linda, mas nunca a tinha visto tão bem-vestida. Hoje, ela usava um lindo vestido preto que abraçava suas curvas da maneira certa; o vestido mostrava bastante decote, mas de uma forma sensata.

Ela deu uma olhada ao redor da sala. Ela nunca tinha estado em um quarto de hotel tão elegante antes e ficou muito impressionada. Ela esperava que ele não gastasse muito dinheiro no quarto, pois já iria gastar mais dinheiro com ela.

“Belo quarto de hotel”, disse ela.

"Obrigado", ele respondeu. "Você quer algo para beber?"

"Claro."

Ele foi até a mesinha de cabeceira onde a garrafa de champanhe estava em um balde de gelo com duas taças de champanhe ao lado. Ele abriu a garrafa e despejou em ambos os copos e entregou um a ela. Os dois brindaram com os copos e começaram a beber.

"Você está nervoso?" Ela perguntou. "Eu meio que estou."

"Um pouco", ele respondeu.

“Mas não deveríamos estar, certo? Embora você tenha 18 anos Somos ambos adultos aqui e não é como nada que não tenhamos feito muitas vezes antes.

"Sim", ele respondeu, e tomou outro grande gole de champanhe. "Você está absolutamente certo. Já fizemos isso muitas vezes, então não é nada que já não saibamos o que fazer."

"Estranha maneira de dizer isso, mas você está certo." Ela terminou a bebida e colocou o copo de volta na mesa. "Acho que devemos começar então"

"Acho que deveríamos", respondeu ele, e terminou nervosamente o champanhe.

"Você tem o dinheiro?" ela perguntou.

"Sim eu tenho"

Ele procurou nos bolsos, esquecendo momentaneamente em qual deles havia colocado o dinheiro. Eles concordaram que 300 reais era um bom preço, e ele o retirou do banco mais cedo, em notas pequenas. Quando finalmente encontrou o dinheiro, ficou tão nervoso que o dinheiro voou do seu bolso e se espalhou por toda parte. Sandra deu boas risadas e ajudou Daniel a pagar as contas.

“Você não precisava conseguir isso em tantas notas pequenas”, disse ela.

“Achei que seria uma boa ideia. Se você não colocasse no banco, não teria que se preocupar em gastá-lo ”

"Obrigada por ser tão atencioso", disse ela.

Agora ela estava começando a se sentir nervosa novamente. Ela esqueceu o quão doce Daniel poderia ser. Ela estava começando a se sentir culpada pela ideia de aceitar o dinheiro dele, mas rapidamente se lembrou de que não era uma boa ideia se apegar a todos os clientes que eram legais com ela. Principalmente se ela decidir continuar essa nova mudança na carreira.

Ela separou o dinheiro, colocou-o na bolsa e colocou-o na mesa de cabeceira, ao lado do balde de champanhe.

"OK, acho que estamos prontos agora", disse ela enquanto começava a abrir o zíper do vestido e a baixar as alças.

"Tudo bem", disse ele.

Eles pararam por um longo tempo.

"Você não vai começar a tirar a roupa?" Ela perguntou.

"Sim, esse é o próximo passo que preciso dar", disse ele, nervoso.

Ela tirou o vestido enquanto Daniel tirava a camisa. Ela estava usando um sutiã preto de meia copa e calcinha combinando. O pau de Daniel começou a crescer, e ele estava preocupado em explodir suas calças antes que eles pudessem fazer qualquer coisa com ela. Ele lembrou a si mesmo que normalmente levava vinte bons minutos de masturbação antes de terminar, e ele ejaculou durante sua seção de masturbação antes de vir.

"Relaxe", ela disse a ele. "Você está muito nervoso."

"É tão óbvio?" ele perguntou.

"Sim, mas é meio fofo", disse ela.

Ela tirou o sutiã e Daniel agora estava só de cueca boxer. Ela o empurrou de brincadeira para trás e ele caiu na beira da cama. Ela tirou a meia-calça preta, revelando sua boceta raspada pela primeira vez para ele. Ela se conteve e não riu da cara de surpresa que ele fez depois de ver sua boceta. Normalmente, ela usava uma calcinha fio dental no clube que mostrava bastante sua bunda, mas não muito na parte da frente, então ele nunca deu uma boa olhada em sua boceta antes. Ela então se ajoelhou e foi pegar a boxer dele, mas Daniel a segurou.

“Não fique nervoso”, disse ela. "Eu sei que você disse que já faz um tempo desde a última vez que você fez sexo, mas vai ficar tudo bem. É como andar de bicicleta; você nunca esquece como fazer."

Daniel foi buscar a camisinha que tinha preparada na mesa de cabeceira. Ela tirou-o da mão dele e jogou-o fora. Ela estendeu a mão para sua bolsa na mesa de cabeceira e tirou seu tipo favorito de preservativo para usar, garantindo-lhe que era melhor do que o que ele tinha e que seria bom para ambos. Ela facilmente rasgou a camisinha, como já havia feito muitas vezes antes, e foi colocá-la no pau endurecido dele.

"Espere!" Ele gritou com ela. "Vamos esperar um minuto."

"Por que?" ela perguntou, para sua surpresa.

"Achei que estávamos indo rápido demais. Talvez devêssemos tirar alguns minutos, talvez conversar um pouco. Não precisamos nos apressar com isso."

Ela olhou para cima com uma expressão severa no rosto. Ela levantou-se e sentou-se ao lado dele na cama.

"Daniel, deixe-me perguntar uma coisa."

"OK."

"Você tem namorada?" ela perguntou.

Daniel ficou, é claro, mais do que surpreso por ela ter descoberto isso, mas, ao mesmo tempo, não podia culpá-la por perceber isso.

"Eu sou tão óbvio?" ele perguntou.

"Um pouco", ela respondeu.

"Há quanto tempo você sabe?"

"Eu suspeitei disso há alguns minutos você e muito romântico para ser um cliente."

“Merda”, ele disse. "E agora?"

"Escute, está tudo bem. Não há nada de errado em ser comprometido."

"mas Sandra acho que tenho sentimentos por você"

"Merda, você está falando sério?" Ela gritou com ele. “Você precisa transar e deixar tudo rolar normalmente depois vemos esta história de sentimentos não é ?

Essa última parte o lembrou do motivo pelo qual ele estava ali. Foi a ideia de um dia comer a mãe de Cristiano e se vingar de tudo o que ele fez, mesmo que sua mãe fosse uma prostituta. Ele decidiu que não seriam mais suficientes desculpas esfarrapadas; ele iria fazer sexo e se divertir com uma linda mulher.

"Ok, vamos fazer isso."

"Ótimo", ela disse, animada. "Você não vai se arrepender disso.

Ela se ajoelhou e colocou a camisinha em seu pau ainda endurecido. Sem qualquer hesitação, ela abriu a boca e colocou o pau dele na boca. Seus lábios estavam firmes e selados ao redor do eixo quando ela começou lentamente a balançar a cabeça para cima e para baixo com a língua, massageando o eixo cada vez que ele entrava em sua boca.

Ela ocasionalmente enfiava o pau mais fundo na boca e o engasgava. Daniel estava aproveitando cada momento do boquete. Mesmo com a camisinha colocada, foi fantástico. Ele já havia tido alguns boquetes antes, mas nunca tão intensos quanto o que estava sentindo agora.

Após vários minutos, Sandra libertou a sua pila da boca e olhou para ele.

"Está pronto?" ela perguntou.

"Sim, mais do que nunca", respondeu ele.

Ela se levantou e foi para a cama com ele. Eles começaram a se beijar profundamente enquanto seus corpos se pressionavam um contra o outro. Jana a avisou para nunca beijar um cliente; era muito pessoal e não beijar era uma boa maneira de uma prostituta manter tudo em dia. Mas ela mesma não conseguia; ela o achou fofo e achou que ele deveria ter permissão para beijar a garota com quem iria tranzar.

Daniel colocou Sandra de costas e ela instintivamente abriu mais as pernas para estar pronta para ele. Daniel, sem saber realmente o que fazer, tentou guiar seu pau até a boceta dela, mas errou o alvo. Sandra não se conteve enquanto ria da falta de jeito dele.

“Ah, vamos lá, não ria”, disse ele.

"Sinto muito", disse ela. "Isso só me lembra da minha primeira vez. O rapaz com quem eu estava também teve problemas para fazer isso no começo."

“Pelo menos eu sei que não sou o único com quem isso aconteceu”, disse ele, sorrindo.

"Não se preocupe com isso", disse ela, tranquilizando-o. "Você consegue; você será incrível."

Daniel encontrou sua marca e deslizou seu pau direto em sua boceta. Ele permaneceu por alguns segundos, apreciando a sensação da sua rata quente à volta da sua pila. Ele nunca havia sentido nada tão maravilhoso antes. Ele começou a transar com ela lentamente. Ela gemeu em seu ouvido com cada bomba em seu corpo. Ele começou a ir mais rápido enquanto ela o segurava com força, as unhas cravando levemente em suas costas, deixando-o com pequenas marcas de arranhões.

Os dois se viraram para Sandra ficar em cima dele. Enquanto ela saltava sobre o pau dele, suas mãos estavam firmemente colocadas na cabeceira da cama para se equilibrar. Daniel estendeu a mão e agarrou-lhe as mamas grandes e apenas manteve as mãos ali, apertando-as. Ela teve que conter o riso por seu erro de novato, mas não podia culpá-lo. Ela começou a andar mais rápido em volta do pau dele, gritando, aproveitando cada momento tanto quanto Daniel.

Daniel colocou Sandra de costas novamente. Ele a segurou com força enquanto começava a fodê-la com mais intensidade. Outro orgasmo percorreu seu corpo e ela começou a gritar coisas malucas no ouvido dele; coisas que ele nunca pensou que ouviria uma mulher dizer. Por algum motivo, ele respondeu com seus próprios comentários, chamando-a de vagabunda, entre outras coisas. Ele não sabia por que estava dizendo essas coisas; foi natural para ele, mas ele viu o quanto ela gostou, então continuou.

Depois de quase meia hora de brincadeira, Daniel não conseguiu se conter por muito mais tempo e sentiu que tudo acabaria em breve. Ele fez o possível para se conter, querendo que o tempo com ela durasse muito mais tempo. Ele só conseguiu mais alguns minutos antes de finalmente liberar seu esperma.

Ele começou a abrandar até que a seu pau ficou mole e saiu dela. Depois, ele saiu de cima de Sandra e se deitou ao lado dela. Embora Sandra desejasse que isso continuasse, ela sentiu que estava ficando muito animada e um pouco aliviada por terminar e poder respirar normalmente.

"Eu sei que é uma pergunta clichê, mas como eu estava?"

"Incrível", disse ela. “Costumo dizer isso para caras que são ruins para fazê-los se sentir bem, mas desta vez posso dizer honestamente que foi incrível.”

"Obrigado", disse ele, com um grande sorriso. "Como você se sente em relação à sua primeira experiência de prostituição?"

"Foi bom. Eu me diverti", ela respondeu. "Não acho que conseguirei que todos os clientes sejam tão bons quanto você, mas ainda é algo que posso fazer de vez em quando com a pessoa certa."

Depois de conversar um pouco na cama, ela decidiu que era hora de ir embora. Os dois saíram da cama e começaram a se vestir novamente. Sandra foi ao banheiro por alguns minutos para se lavar antes de sair. Antes de sair do quarto do hotel, ela deixou Daniel beijá-la mais uma vez antes de se despedirem.

Daniel disse a Sandra que se ela quisesse ele seria seu único cliente, Sandra riu e respondeu que iria pensar, deu mais um beijo em Daniel e saiu.

Daniel antes de sair do quarto recolhe 2 câmeras que ele havia escondido no quarto e sai para sua casa feliz e pensativo no que faria a seguir.

CONTINUA...

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 57 estrelas.
Incentive Gabriellll a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil genéricaGabriellllContos: 64Seguidores: 166Seguindo: 21Mensagem Escritor nas horas vagas se tiver ideias de conto me mande no e-mail lxvc1987@hotmail.com

Comentários

Foto de perfil de Kratos116

Estranho Daniel de uma hora para outra se tornar um cara calculista , vingativo, investigador sendo que a pouco tempo era um nerd que nem conseguia se enturmar no colégio e tão pouco namorar . Acho que ficou forçado essa mudança repentina

0 0
Foto de perfil genérica

Seria mais humano se ele só tivesse menosprezado a mãe, seria mais natural.

Esse lace de chantagem com ela pra mim não foi adequado pro conto.

Agora ir atrás da mãe do inimigo fez muito sentido.

0 0
Foto de perfil genérica

Daniel era um menino amarelo e mimado que sofria bullying,assistiu seus pais com seu opressor e de repente virou dominador da mãe,frio,e um vingador calculista.

1 0
Foto de perfil genérica

Daniel vai apanhar um tanto kkkk! Tá massa cara, só achei desnecessário aquela humilhação com a mãe, tudo bem que ela fez o que fez, mas podia fazer de outra forma.

Vamos ver os próximos capítulos!

1 0