Virei Corno Submisso, de uma casada putinha.

Um conto erótico de Corno Submisso
Categoria: Sadomasoquismo
Contém 635 palavras
Data: 28/09/2023 20:56:12

Virei Corno submisso, de uma casada putinha.

“Queria ser um mosquito, para ouvir o teu sussurro e a vibração em seu corpo, enquanto trancado aqui posso apenas sentir meu pau pulsar na cueca e preso pela a gaiola que está em mim. Coração palpita fortemente, a garganta seca e o libido aumenta, enquanto trêmula encontra-se as minhas pernas”

13hr43min, foi o horário exato que recebi uma mensagem em meu celular. Era minha esposa dizendo que aguardava um amigo. Sabia eu logo, que este amigo que ela esperava não tratava-se de uma pessoa normal do dia a dia, com o coração acelerado já entendi o recado, que me faria de corno outro vez. Porém agora com o pau enjaulado numa gaiola de castidade.

As 14hrs41min, era uma outra imagem porém um chopp de vinho estava sobre a mesa, naquele instante já havia entendido o que ela queria fazer comigo. Enquanto preso estava, ela estava totalmente solta.

Naquele momento, toda minha concentração em meus negócios eu perdi, estava fazendo a aquisição de um veículo novo, mas apenas ouviu o vendedor falar bem distante de mim pois apenas pensava no que ela ia fazer desta vez, e de que forma seria corno outra vez.

Mas ousada, ela me manda uma mensagem dizendo que tinha apenas duas escolhas, saber o nome dele ou para aonde ela estava indo…

A dúvida sombreou meu peito, pois queria saber os dois. Mas como um bom corno, para nós não importa com quem elas esteja e sim serão realizadas na cama. Minha resposta foi óbvia, queria eu saber para aonde eles iam.

Obstinada ela disse, nossa casa.

Minhas pernas outra vez tremeu e a cueca pulsou, como um prisioneiro ansiando liberdade a muitos anos. Senti a minha próstata inchar de gozo, e minhas bolas inflar de tesao, nesta hora percebo minha cueca molhada pois já havia gozado com a informação.

Então logo perguntei, terei fotos ou vídeos ? Ela disse: Vou pensar no que faço por você.

Aquele sentimento de está num jogo de sedução com a sua esposa e ela tratar de uma ótima jogadora te deixa muito mais excitado.

As horas já havia se passado, e o meu celular não recebia nenhum notificação até que 04h14 da tarde Enquanto eu transitava pelas rodovias do Rio Grande do Sul Recebia em meu telefone um vídeo de grande perfeição, Podia ouvir Estralar da sua boca, Enquanto chupava um pau de um comedor. A internet 3G não ajudava muito e a ansiedade tomava meu peito, o palpitar do meu coração estava incontrolável. Mas não se comparava Com as minhas bolas presa na gaiola da castidade, Querendo ele explodir de único so gozo, Enquanto eu via minha amada mulher Enchendo sua boca de saliva Enquanto mamava o homem que logo ia possuir. A minha boca encheu de água, desejando sua boca na minha. Logo entrei sem sinal nas rodovias do Sul afora ao regresso do meu lar lidando apenas com um desejo único de ver minha amada mais que depressa, desejando-a como nunca a desejei. Chupa-la ardentemente enquanto imagino por mais que em silêncio quantos homens já a possuiu, e às vezes ao olhar nos meus olhos ela pergunta o que foi ? E eu às vezes não consigo dizer, o quanto sou feliz de ser o corno, e agora o submisso dela, fuder a buceta usada, que da qual não sou mas dono apenas o responsável de deixar a sua buceta limpa e a mulher bem cuidada para os machos Alpha possuir e usar. A mim cabe apenas sonhar, e imaginar o que eles fazem com ela no off que eu não posso estar, devo saber de tudo ? Só a minha dona pode dizer.

Fato Real, acontecido hoje dia 28 de setembro.

Abaixo segue a minha foto enjaulado pelo o meu amor.

Contato: semcapabig@gmail.com

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 9 estrelas.
Incentive AventureiroSemLimetes a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil genéricaAventureiroSemLimetesContos: 8Seguidores: 12Seguindo: 14Mensagem

Comentários

Foto de perfil genérica

Que delícia, tua gata é o máximo, maravilhosa demais. Leia as minhas aventuras.

1 0