VALENTÃO ENCURRALA PAI E MÃE PARTE II. A nova secretaria e o fim da resistência de Andrea

Um conto erótico de GABRIEL SILVA
Categoria: Heterossexual
Contém 7152 palavras
Data: 27/09/2023 06:35:45

Passados 2 dias do acontecido no último conto Paulo e Andrea decidiram contratar a irmã de Cristiano para ser secretaria no escritório de Paulo, já que sua atual secretaria dona Fatima iria se aposentar em 3 semanas, e eles teriam uma semana a mais para pensar em como se livrar de Cristiano.

No primeiro dia de serviço Aline logo se mostrou uma menina muito competente ela tinha apenas 19 anos um a mais que seu irmão. Era negra com um corpo escultural olhos cor de mel e um rosto muito lindo.

Aline se aproximou muito de Fatima para aprender o serviço corretamente logo estava trabalhando muito bem. Ela organizava os processos por ordem alfabética tinha muito mais conhecimento de informática de que Fatima. E estava deixando o escritório de Paulo muito melhorPassado 30 Dias Daniel estava orgulhoso de seus pais por ter resolvido o problema dele com Cristiano. No café da manhã Daniel despede se de sua mãe com um beijo no rosto feliz abraça seu pai pega sua mochila e vai pra escola que fica a 2 quarteirões de sua casa.

Paulo olha pro celular vê uma mensagem de Aline diz a sua esposa que hoje iria chegar tarde pelo fato de ter uma reunião sobre um caso muito importante para ele,

Naquele dia Andrea preparava um almoço para seu filho que logo chegaria da escola.

Porém neste dia Daniel chega batendo a porta novamente e correndo para seu quarto

Andrea vendo isso vai ate o quarto do seu filho e vê que ele esta com um olho roxo e marcas de que levou uma surra

Andrea pergunta acintosamente. foi Cristiano quem fez isso?

"não mãe, mas hoje ele também volta a fazer bully comigo, mas quem fez isso foi outros meninos do bairro dele.

Andrea furiosa sai do quarto e diz para Daniel que isso não vai ficar assim liga para seu esposo pega sua Mercedes e sai até a casa de CristianoNaquela tarde no escritório Paulo tentava se concentrar no trabalho, mas seus pensamentos vagavam continuamente imaginando um encontro sexual com sua secretária, Aline. E como ele resistiria a essa tentação? Dia após dia, semana após semana ela trabalhava com ele, sentando-se bem à sua frente e dando-lhe uma visão ampla de sua linda figura.

Aline não era do tipo que exibia seu corpo, ela era do tipo tímida, mas não foi preciso visão de raio-x para descobrir que sob o exterior vestido de maneira conservadora que gritava 'Tenho baixa autoestima' havia um corpo que era perfeito em todos os sentidos e intocado por ninguém. Na verdade, Paulo tinha quase certeza de que Aline ainda era virgem.

E então havia o contato visual ocasional e aparentemente aleatório entre eles, no qual um deles terminava educadamente com um breve sorriso e voltava ao trabalho. Foi um sinal? Aline também estava igualmente interessada em Paulo? Ele não poderia ter certeza.

“Provavelmente não”, pensou Paulo, considerando que sua esposa Andrea estava em casa cuidando da casa e de Seu filho Daniel, e que Aline era irmã De Cristiano.

Enquanto pensava nisso, seus olhos se voltaram novamente para a mesa de aline . Era uma mesa de madeira com um espaço no meio para as pernas. Paulo notou que Aline estava usando uma saia formal na altura dos joelhos e uma blusa de seda justa, abotoada até o pescoço. Mas não ajudou muito a esconder a figura de Aline.

Enquanto ela digitava freneticamente, Paulo, do seu nível, percebeu que a saia dela havia subido um pouco, mas não conseguia ver até que ponto. Ele olhou em volta em sua mesa e viu sua caneta, que prontamente deixou cair no chão.

Aline se distraiu com o barulho e ergueu os olhos por um segundo. Sorrindo, ela disse: "Você precisa ter mais cuidado com isso, eu poderia jurar que você deixa cair pelo menos 5 vezes por semana." Paulo assentiu e sorriu timidamente enquanto se abaixava para pegá-lo e Aline voltava a digitar.

A distância entre suas mesas era de apenas um metro e meio e o queixo de Paulo caiu quando ele virou os olhos para ver seu assistente por baixo da saia.

A saia tinha subido um pouco acima do joelho, talvez quinze centímetros, mas com as pernas ligeiramente afastadas, Paulo tinha uma visão clara de sua calcinha, que havia dado um pequeno "cunhado" em sua boceta, expondo os lábios externos de sua vagina para um Paulo salivando.

Paulo extrapolou que eram calcinhas fio dental enquanto lentamente voltava à posição para evitar qualquer constrangimento e se esforçava para esconder a dureza entre as pernas ao fazer isso. Assim que ele se acomodou na cadeira, o telefone tocou. Ele atendeu no primeiro toque.

“Oi, querido, sou eu”, era sua esposa Andrea.

"Oi, e aí?" perguntou Paulo.

"Aconteceu algo com Daniel na escola parece q voltou a ter problemas, terei de que resolver com Cristiano hoje a tarde teria como você me acompanhar.

"desculpe queria hoje tenho aquela reunião, mas não seria bom ir outro dia. será que você não vai ter problemas?" perguntou Paulo.

"não confia em min amor. Amo você", respondeu Andrea.

Ele ficou preocupado com sua esposa mas não disse mais nada apenas desligou o telefone.

Enquanto Paulo estava sentado ali, seus olhos novamente se concentraram em Aline, que estava olhando para a tela e mordendo o lábio, como se houvesse um problema, mas a mente de Paulo o transformou em outra coisa. Ele se imaginou chupando seus mamilos com força e mordiscando-os, o que provavelmente também provocaria a mesma reação. Ele ficou duro novamente em um instante e uma energia sexual avassaladora varreu seu corpo do fundo da garganta até a virilha. Ele só precisava tê-la. De repente, uma ideia lhe ocorreu.

"Aline", Paulo gritou para ela.

"Sim?"

“hoje teremos aquela reunião será que você poderia ficar até mais tarde pararei em dobro hoje?”

“Claro”, respondeu Aline.

"Ah, e mais uma coisa. Havia alguns números que eu precisava que Fatima olhasse para mim, mas como ela aposentou, acho que você terá que fazer isso. Vou dar uma pequena pausa para fumar e sairei da janela na minha tela. Você se importaria de dar uma olhada e tirar um print enquanto eu estiver fora, depois que você terminar suas ligações?

“Com certeza”, disse Aline.

Paulo sorriu para ela enquanto ela pegava o telefone para fazer as ligações, informando a todos dá reunião. Ele rapidamente abriu sua pasta privada escondida onde havia escondido alguns vídeos pornográficos e abriu uma com o volume em zero.

Era um vídeo de um chefe transando com sua secretária na mesa do escritório e tinha o nome apropriado e bastante óbvio de 'Secretária fodida na mesa', já que esses arquivos geralmente estão em redes p2p de onde Paulo obteve sua pornografia. Ele minimizou a janela com o Windows Media Player mostrando o nome do arquivo na barra de tarefas e abriu uma planilha Excel mostrando alguns números de lucro trimestral. Ele então se levantou e caminhou até a saída dos fundos, que ficava logo atrás de sua mesa, à esquerda, e dava para uma pequena área de varanda.

A varanda era dividida por uma parede sólida para que ninguém pudesse ver o lado de fora ou vice-versa, e era esse pequeno arranjo que Paulo esperava que Aline aproveitasse. Ele enfiou o ouvido na porta.

Logo ele ouviu os passos de Aline vindos do outro lado da sala e o rangido familiar de sua cadeira quando ela se sentou. Ele abriu apenas uma fresta da porta para ver o que ela estava fazendo.

Do seu ponto de vista, Paulo tinha uma visão ampla do corpo dela do lado superior esquerdo. Ela mexeu um pouco com o mouse passando pelos números e depois deu o comando de imprimir. Ela estava prestes a se levantar quando seu olhar captou algo e ela se sentou novamente. O ponteiro do mouse moveu-se lentamente em direção à janela minimizada do Windows Media Player na barra de tarefas que estava executando o filme que Paulo havia deixado de reproduzir.

Ela estava prestes a clicar nele quando virou o rosto para ver se Paulo estava prestes a entrar. Paulo antecipou isso e se afastou da fenda e se encostou na parede adjacente. Ele ficou ali parado, nervoso, torcendo para que Aline não o tivesse flagrado espiando. Ele se aproximou da fenda novamente, espiando através dela para ver se Aline havia caído em sua armadilha. E ela tinha.

Aline agora assistia ao clipe e tinha o olhar fixo nele. Paulo sabia que ela não o esperava por pelo menos mais cinco minutos e, quando pensava nisso, Aline relaxou um pouco e até aumentou ligeiramente o volume. O clipe passou para o chefe beijando sua secretária e apalpando seus seios enquanto puxava sua saia para cima com uma das mãos.

A mão esquerda de Aline deslizou até a saia e subiu até ela começar a se acariciar. Sua mão direita passou pelos seios e desabotoou os três primeiros botões da blusa e ela puxou o seio esquerdo das algemas do sutiã e começou a beliscar o mamilo e torcê-lo levemente.

Paulo ficou ali, incrédulo. Ela era ainda mais bonita do que ele imaginava! Sua aréola era pequena e de um rosa brilhante e seus mamilos eram como protuberâncias e um tom de rosa escuro. Seu seio era impecável, extremamente firme e maior do que ele imaginava. À medida que ela continuava brincando consigo mesma, o vídeo ficou mais quente e a secretária agora estava fazendo um boquete profundo e sem camisinha em seu chefe e se engasgando um pouco. Isso pareceu excitar mais Aline e ela começou a gemer baixinho. Sua mão esquerda agora se movia com mais vigor e sua mão direita beliscava seus mamilos duros com ainda mais força quando ela começou a se mover um pouco na cadeira. Quando ela viu o chefe fodendo sua secretária com força em cima da mesa, seu gemido suave se transformou em um gemido mais alto e ele a viu trabalhando freneticamente em seu corpo. Paulo percebeu que ela estava perto de gozar e passou para a segunda parte de seu plano engenhoso. Ele abriu o celular, colocou-o no ouvido e se preparou para entrar no orgasmo de Aline.

Ele abriu a porta e entrou: "Ok, então, tome cuidado." Ele tirou o celular do ouvido e olhou com falsa descrença para Aline se masturbando. Aline rapidamente cobriu o seio exposto e tirou a mão da virilha. Quando ela começou a abotoar o sutiã, ela olhou preocupada para Paulo, que ainda agia como se estivesse em completo choque ao pegar sua secretária se masturbando em sua cadeira, quando na verdade ele estava percebendo como seus dedos estavam úmidos por causa de sua boceta encharcada.

"O que diabos você pensa que está fazendo?" exigiu Paulo em tom zangado enquanto desfrutava sadicamente da situação.

"Eu... er... hum..." Aline continuou tentando dizer alguma coisa, mas nenhuma palavra saía de sua boca. Ela apenas olhou para Paulo, que estava tentando ao máximo parecer o mais zangado possível.

"O que é isso?" disse Paulo enquanto voltava sua atenção para a tela do computador onde a cena terminava com o chefe cobrindo o rosto e a boca de sua secretária ajoelhada com seu esperma grosso. Aline olhou para o computador e não conseguiu desviar o olhar dele, pois seu olhar estava fixo no ato erótico que acontecia na tela. Paulo a pegou olhando e avançou para matar.

"Você também examinou meus arquivos privados! Como se se masturbar na minha cadeira com seus peitos para fora não fosse ruim o suficiente, você foi em frente e invadiu minha privacidade também!" Paulo estava quase gritando agora, mas isso não importava, já que ele tinha que chamar as pessoas para seu escritório através de uma porta sólida e mandou instalar paredes à prova de som.

Sônia começou a chorar, emocionada com o confronto e constrangida com a situação em que se culpava por ter se metido.

"Não, eu... eu juro! Já estava aberto e minimizado, eu nunca sonharia... eu nem sabia que essas coisas estavam aqui não me demita somos pobres eu e meu avó trabalhamos muito para sobreviver ", ela implorou a Paulo.

"Então isso deveria permitir que você se masturbasse seminua na minha cadeira?" — exigiu Paulo. Ele aproximou-se dela ao dizer isto e ela tentou levantar-se, mas Paulo agarrou-lhe a mão esquerda, que ainda estava coberta de sucos, e puxou-a para perto dele.

"Nn-não, senhor", ela choramingou.

"Bem, o que eu devo fazer agora? Demitir você? Sim, acho que é a única coisa que posso fazer..." Sua voz foi sumindo.

"Não, por favor, não", implorou Aline, "me desculpe..."

"Por que eu não faria isso? Dê-me uma razão para não fazer isso!" respondeu Paulo com uma voz agitada.

“Ninguém me contrataria depois disso, sou negra e pobre moro em favela esta e minha única chance... por favor, foi apenas um erro”, disse ela.

"Por que eu deveria me importar? Quero dizer, o resultado é que esse não é o tipo de erro que pode ser compensado", continuou Paulo.

"Não, por favor... farei tudo o que você me pedir, cumprirei todos os meus prazos, você nunca terá motivos para reclamar, eu prometo! Por favor, preciso do dinheiro", sua voz foi sumindo quando ela começou a falar. lágrimas. Paulo continuou segurando a mão dela. Ele estava começando a se sentir mal por ela, mas sabia que tinha que continuar seu plano de manipulá-la para lhe dar exatamente o que ele queria.

"Ok, por favor, inicialmente, pare de chorar", ordenou Paulo, "Você realmente faria qualquer coisa para manter este emprego e me impedir de demiti-lo e garantir que eu nunca tenha reclamações?" ele perguntou.

Seus soluços diminuíram. "Sim, eu faria, qualquer coisa."

"Bom."

Paulo pegou a mão dela e começou a chupar os dedos que estavam cobertos de suco e lambeu-os para limpá-los. Aline ficou chocada e o observou incrédula.

"O que você está fazendo?" ela perguntou.

"O que você acha?" ele respondeu enquanto a puxava para mais perto de seus braços fortes e aproximava seus lábios dos dela para beijá-la.

"Mas..." E isso foi tudo que ela conseguiu dizer antes que os lábios de Paulo engolissem os dela e ele começasse a beijá-la apaixonadamente, chupando seus lábios e lambendo-os enquanto suas mãos percorriam suas costas para cima e para baixo e ele agarrou sua bunda voluptuosa e começou a apalpá-la. . Ela tentou se afastar para dizer algo por um segundo.

“Sua esposa...” ela conseguiu dizer e foi o suficiente para chamar a atenção de Paulo.

"E ela? Se você espera que eu mantenha o que você fez em segredo e não demita você, então você terá que retribuir o favor, querida. Mais alguma coisa? Ou devo apenas demiti-la e você saberá exatamente de que tipo?" de referências que darei a algum de seus possíveis chefes?" respondeu Paulo.

Aline não disse mais nada. Paulo voltou aos lábios e desta vez ela não resistiu muito. Ele deslizou a língua em sua boca e ela alargou os lábios, mas não retribuiu sua paixão. Paulo se afastou.

"Sabe, você pode muito bem aproveitar isso enquanto está nisso", disse ele, "porque, francamente, estou começando a duvidar do seu desempenho e você está mantendo sua parte do acordo sobre fazer qualquer coisa para manter este emprego e garantir que Não tenho queixas."

Ela olhou para ele, mas não conseguiu olhá-lo nos olhos enquanto baixava o olhar e balançava a cabeça humildemente.

Ele mais uma vez a beijou com força e apertou sua bunda e desta vez ela respondeu. Lentamente ela começou a retribuir o beijo até que ambos se beijaram e sentiram o corpo um do outro com as mãos em um frenesi sexual que quase ameaçou explodir a própria sala. As suas línguas estavam entrelaçadas e lambiam-se vigorosamente enquanto Paulo empurrava a saia e a calcinha pelas pernas e as deixava cair. Suas mãos desceram para sua bunda nua quando ele começou a apertar suas nádegas com força e a espalhá-las. Ao fazer isto, ele enfiou um dedo entre as bochechas do rabo dela e dentro da buceta dela. Ela estava toda molhada e se sentiu muito apertada quando ele enfiou cerca de um centímetro nela e começou a esfregar o interior de sua boceta molhada com o dedo. Ele então removeu o dedo dela e suas mãos subiram para a blusa dela e começaram a desabotoá-la enquanto ela retribuía o favor enquanto o beijo apaixonado continuava. Ele jogou a camisa dela no chão e desabotoou o sutiã e deslizou-o pelos ombros dela e começou a agarrar seus seios como uma fera possuída enquanto ela tirava a camisa dele e desabotoava o cinto e as calças até o chão. Sua boca deixou a dela e ele começou a morder seus seios suavemente enquanto guiava a mão dela até sua cueca e a fazia sentir sua masculinidade ingurgitada. Ela continuou gemendo enquanto a boca dele se movia para o mamilo esquerdo e começou a chupá-lo e mordiscá-lo enquanto a outra mão agarrava e pressionava seu seio direito.

"Oh Deus", ela sussurrou, "é melhor do que eu imaginava."

Paulo percebeu que suas suspeitas estavam corretas. "Você nunca sentiu um pau antes, não é?" ele perguntou enquanto continuava apalpando seu seio com uma mão e sua bunda com a outra. Ele olhou em seus olhos castanhos e ela estava mordendo o lábio, assim como fazia alguns minutos atrás. Ela balançou a cabeça, os olhos fechados, apreciando as sensações que Paulo estava despertando sobre ela.

"Tire minha boxer e fique de joelhos no chão", ele ordenou abruptamente. Aline obedeceu enquanto abria lentamente os olhos e olhava para ele até ficar na posição que ele exigia. As lágrimas deram lugar a um olhar de luxúria em seus olhos, o que foi o que mais excitou Paulo do que qualquer um dos eventos anteriores, porque mostrou a ele que agora ela o queria tanto quanto ele a ela.

"Agora segure meu pau com as duas mãos, apertando levemente a mão esquerda na ponta e a mão direita na base e acaricie-o para frente e para trás." Aline fez o que lhe foi dito.

Paulo queria se Vingar de Cristiano comendo sua irmã e lembrava da punheta que sua esposa bateu pra ele.

"Bom. Agora retire a mão esquerda da ponta e cubra minhas bolas com ela e continue acariciando meu pau com a direita", Aline obedeceu enquanto Paulo se sentava em sua cadeira com o rosto no meio das pernas.

"Agora abra bem e empurre meu pau em sua boca até sentir seu aperto em seus lábios." Aline fechou os olhos, abriu bem a boca e baixou o pescoço até que metade do pau do chefe estivesse em sua boca.

"Agora suba e desça com a boca e a mão e chupe com força e aperte suavemente minhas nozes com a outra mão enquanto faz isso", Aline seguiu suas ordens e começou a dar-lhe a melhor boquete de sua vida. “Aumente a velocidade, sabe o que é melhor ainda, basta fazer todas as coisas que você estava vendo naquele vídeo.” Aline olhou para ele e a luxúria escorria de seu olhar enquanto ela chupava seu chefe de cima a baixo. Ela removeu o pau dele da boca, lambeu todo o eixo de um lado para o outro e de trás para a frente e depois em sua glande inchada que latejava e vazava sucos pré-gozo. Ela os lambeu e começou a gozar profundamente em seu pênis, fazendo surpreendentemente bem para suprimir sua reação de vômito pela primeira vez. Algumas lágrimas surgiram em seus olhos enquanto ela continuava engasgando-se com o pau de seu chefe, mas ela não desistiu.

Paulo sentiu seus quadris estremecerem enquanto seu membro latejante se preparava para estourar uma barragem de seu sêmen no fundo da garganta engasgada de Aline, que agarrava a cabeça de seu pênis no fundo de sua garganta toda vez que ela o engasgava. Paulo o soltou quando uma enorme onda de euforia o percorreu e ele esvaziou suas bolas em sua garganta. Ela ficou surpreendida com a quantidade .de esperma que lhe jorravam pela garganta abaixo e tentou recuar, mas Paulo agarrou-lhe a cabeça e continuou a foder-lhe a garganta até que o seu orgasmo diminuiu e as últimas gotas dos seus sucos foram esvaziadas na garganta dela. Ela imediatamente parou, com falta de ar, mas não teve tempo quando Paulo a levantou dos ombros e a sentou com a bunda nua na mesa. Ele a empurrou para trás e subiu em cima dela, beijando, mordiscando e lambendo seu pescoço, descendo pela clavícula e chupou cada mamilo suculento até ficar com um tom vermelho-sangue. Sua boca continuou para o sul enquanto sua mão direita apalpava seus seios e ele desenhava pequenos círculos de saliva pelo esterno e pelo umbigo. Com a outra mão ele abriu-lhe a rata, expondo o seu clitóris latejante e alargado usando os dedos indicador e médio enquanto o polegar começava a empurrar para dentro da buceta dela, esfregando o a mesma, mesmo por baixo do clitóris. Sua boca desceu ainda mais sobre suas coxas, acariciando, mordiscando e chupando sua carne cremosa enquanto sua outra mão descia e ele inseria um dedo em sua boceta esperando e pingando. Ele tentou empurrar, mas não conseguiu, pois sentiu o hímen dela no caminho enquanto ela se engasgava com um pouco de dor pela pressão aplicada por ele em sua virgindade. Sua boca continuou para o sul enquanto sua mão direita apalpava seus seios e ele desenhava pequenos círculos de saliva pelo esterno e pelo umbigo. Com a outra mão ele abriu-lhe a buceta, expondo o seu clitóris latejante e alargado usando os dedos indicador e médio enquanto o polegar começava a empurrar para dentro da rata dela, esfregando o telhado da mesma, mesmo por baixo do clitóris. Sua boca desceu ainda mais sobre suas coxas, acariciando, mordiscando e chupando sua carne cremosa enquanto sua outra mão descia e ele inseria um dedo em sua boceta esperando e pingando. Ele tentou empurrar, mas não conseguiu, pois sentiu o hímen dela no caminho enquanto ela se engasgava com um pouco de dor pela pressão aplicada por ele em sua virgindade.

"Você ainda é virgem", disse Paulo enquanto em sua mente ele começava a babar com o aspecto de enfiar seu enorme pau em sua boceta apertada e deflorá-la.

"S-sim, senhor", ela respondeu. Instantaneamente ele ficou duro novamente.

"Isso é um golpe de sorte, eu não tenho uma boceta virgem há anos. dês de minha esposa " Ao dizer isso, ele moveu a boca para o clitóris dela e começou a sacudi-lo habilmente com a língua, combinando os movimentos com a criação de formas enquanto exercia uma pressão de sucção no clitóris dela e uma pressão para baixo sobre ele com a língua. Ela começou a gemer mais alto à medida que suas lambidas e chupadas ficavam mais vigorosas e os dedos dele começavam a esfregar o interior de sua vagina, tomando cuidado para não empurrar seu hímen. Ele continuou os seus movimentos possuídos e a rata dela exalava mais sucos do que ele lambia até brilhar com uma combinação escorregadia dos seus sucos e da sua saliva. Ela começou a se contorcer enquanto ele continuava incansavelmente chupando e sacudindo seu clitóris e tocando-a até que ela começou a tremer e a ter convulsões em seu rosto. pressionando as laterais com as coxas enquanto um orgasmo elétrico varria seu corpo, fazendo seus curtos pelos pubianos ficarem atentos. Paulo estava duro como uma rocha e pronto para ir.

Mesmo antes que ela pudesse se recuperar de seu estado de êxtase, Paulo rapidamente se levantou e enfiou seu membro nela tão rápido que ela soltou um suspiro e olhou para ele com uma expressão de dor e descrença. A sua surpresa deu lugar à dor que ainda estava misturada com a euforia orgástica de apenas alguns segundos atrás, quando ele começou a mover-se lentamente para dentro e para fora da buceta dela.

"Isso dói muito, por favor, pare", ela gritou.

"Não se preocupe, alguns segundos de dor serão a sua porta de entrada para uma vida inteira de prazer", respondeu Paulo, "Em alguns golpes, isso vai parar de doer e começar a se sentir muito bem, confie em mim."

Aline continuou a choramingar enquanto ele deslizava lentamente a sua pila para dentro e para fora dela, até que os seus gemidos se transformaram em gemidos que se tornaram cada vez mais altos. Paulo sabia que o equilíbrio da sensação havia mudado de muita dor misturada com um pouco de prazer para um pouco de dor e principalmente prazer.

"Começando a me sentir bem, não é?" ele perguntou.

"Sim, senhor, oh, sim. Oh meu Deus, é tão bom, oh, por favor, não pare, por favor, continue."

Paulo aumentou o seu ritmo e intensidade e começou a bater com a sua pila profundamente na sua buceta apertada, molhada e virgem enquanto ela começava a ficar mais alta com os seus gemidos. Ele entrava com mais força e mais rapidez a cada empurrão enquanto as suas bolas começavam a bater no rabo dela, absorvendo os fluidos que vazavam da rata dela.

"Oh...Merda...Foda-me... Oh, foda-me... Foda-me com força...Oh, não pare...Sim, assim mesmo...Deus, eu quero você dê de que te vi. mas ninguém pode saber disso... por favor... por favor Paulo... me prometa que me come sempre que puder "

"Eu prometo" respondeu Paulo entre os seus impulsos, ofegando por ar enquanto a rata de Aline parecia estar a ficar mais apertada a cada golpe, quase como um vácuo a sugar-lhe a pila. Seus olhos rolaram em sua cabeça, sua boca aberta quando ela começou a gritar.

"Ahh... sim... SIM... SIM!!... Vou gozar de novo... ah, vou gozar no seu pau enorme... ah, é tão bom... sim... sim... sim... sim, sim, sim, SIM!" Naquele momento, sua boceta chupou com força o pau de Paulo por causa do vácuo criado por seus sucos e em um momento Paulo sentiu as paredes de sua boceta se contorcendo e desabando em torno de seu pau pulsante, pois seu próprio orgasmo não conseguia mais se conter e ele explodiu esguicho após esguicho de esperma quente e grosso na boceta de sua secretária até que suas bolas doeram com a pressão liberada e seu corpo, suado por todas as estocadas fortes e rápidas, desabou sobre o de Aline enquanto ela o segurava com força.

A sua pila coxeou desde o seu orgasmo e ele saiu da rata dela enquanto uma mistura de saliva, os seus sucos e o seu esperma caíam em cascata pelas bochechas do rabo dela e sobre a sua secretária. Havia um pouco de sangue, mas não muito. Ele olhou para ela e a expressão lasciva em seus olhos deu lugar a uma expressão satisfeita enquanto ela olhava para ele atentamente.

"Bem, o trabalho deveria ficar mais divertido agora, você não acha?" Paulo perguntou a Aline enquanto piscava para ela.

"Sim, senhor", ela respondeu, "mas deve permanecer como nosso segredinho."

"Absolutamente", disse Paulo.

"vamos nos preparar para reunião logo depois podemos repetir pode ser

"sim senhor" disse AlineA visita versão Andrea)

Dirigi até a casa de Cristiano, quando estacionei na garagem e não vi nenhum carro... Subi o caminho de pedra até a casa e subi as escadas até finalmente chegar à porta. Bati algumas vezes e depois de alguns minutos fui recebido por Cristiano. Ele me olhou de cima a baixo, claramente me observando. Eu estava usando uma regata vermelha e legging preta, provavelmente não a melhor coisa para vestir na frente desse garoto, pois não deixava nada para a imaginação. Então minhas roupas estavam embelezando minhas curvas.

"Posso te ajudar, linda?" Ele perguntou, sua voz era profunda e suave.

"Estou aqui para conversar com você ", falei severamente.

Suspirei e pensei em conversar com ele e fazê-lo deixar meu filho em paz.

“Na verdade, posso entrar e conversar com você?"

Ele sorriu para mim "Claro."

Ele se afastou e fez sinal com o braço para que eu entrasse. Quando passei por ele, pude sentir seus olhos olhando para minha bunda.

Uma vez lá dentro, ele se virou e trancou a porta atrás de nós. O lugar estava imaculado, tudo limpo e organizado. Havia fotos por todas as paredes, dele mesmo. Ele passou por mim e sentou-se no sofá, dando tapinhas na almofada, convidando-me a sentar ao lado dele. Sua camisa estava justa revelando um corpo tonificado por baixo. Ele usava shorts que caíam na cintura, mostrando suas pernas musculosas. Também mostrava o contorno de seu pênis. A protuberância era enorme.

Foda-se, o que estou dizendo?

"Estou bem, não vou demorar", eu disse a ele. " sei que você o tem intimidado Daniel e quero que isso pare."

Cristiano riu. " Você é muito gostosa."

Meu rosto ficou vermelho.

"Existe uma razão para você continuar assediando meu filho?"

Ele encolheu os ombros e sorriu. "Na verdade, apenas passou 1 Mes e nosso acordo acabou."

"O que isto quer dizer?"

Ele me olhou de cima a baixo novamente, então se levantou e se aproximou de mim. Eu estava definitivamente intimidado pelo tamanho dele, pois minha cabeça estava apenas na altura do peito.

"Você quer que eu deixe seu filho em paz?"

"S-sim, eu quero", gaguejei.

"Se você me deixar te foder2 vezes ao mês, nunca mais vou incomodá-lo. E ainda vou arrumar uma namorada praquele frouxo"

As palavras atingiram meus ouvidos e eu congelei. Ele disse isso seriamente? Seus lábios se moveram em direção aos meus, nossos rostos a centímetros de distância. Fechei os olhos por um momento tentando pensar racionalmente. Eu os abri rapidamente. "Por favor, não faça isso", implorei.

Ele agarrou meu queixo e forçou minha cabeça para trás, me forçando a olhar para ele.

"Não fazer o quê?" Ele disse suavemente enquanto olhava para mim.

"Isso..." eu sussurrei.

Ele se inclinou lentamente, trazendo sua boca até a minha. Nossas línguas se tocaram e nós dois gememos levemente enquanto eles roçavam um no outro. Nós nos beijamos apaixonadamente, suas mãos percorrendo meu peito sentindo cada curva dos meus seios. e as mãos fortes desse menino são incríveis em meus seios. Não, preciso parar. Eu o empurrei.

"O que você pensa que está fazendo?!" Eu gritei com raiva.

"Achei que você queria ajudar seu filho!" Ele exclamou.

Balancei a cabeça e olhei para ele. "Não."

"Tem certeza? Porque posso te mostrar como o sexo é bom, seria bom ter alguém que sabe o que está fazendo, todas aquelas garotas do ensino médio são péssimas na cama. Aposto que você sabe algumas coisas. Além disso, eu tenho sempre quis foder uma milf."

"Pare de falar assim! Que tipo de pessoa fala sobre foder a mãe dos outros?" Eu gritei.

Ele riu. "Estou disposto a deixar Daniel sozinho para sempre se você concordar com uma condição."

Oh Deus, não...

"Basta me fazer um boquete e eu nem vou olhar para o seu filho por mais 1 mês."

"Só um boquete?"

Estou realmente considerando isso?

"Isso é tudo que eu peço. Apenas chupe meu pau. Combinado?"

"Tudo bem", eu concordei pensando em meu filho e o fato de meu marido não estar lá naquele dia.

Ele sentou-se no sofá e eu me ajoelhei entre suas pernas.

"Você é tão gostosa", disse ele.

"Cale a boca e tire seu pau já."

"Oh, você quer tanto isso, não é?"

Revirei os olhos enquanto ele tirava o short, deixando-o cair no chão junto com sua boxer expondo seu grande pau latejante. Seus 30 centímetros de comprimento e era extremamente grosso.

"Puta merda!" Eu deixei escapar, chocada com seu tamanho. Tenho que admitir, esse jovem tem um pau impressionante. Naquele dia devido à pressão dos acontecimentos não pude apreciar tanto assim.

Ele riu. "Você quer ou não? Você viu. dês daquele dia sei que você quer isso Então por que esperar mais?"

Estendi a mão e agarrei seu eixo firmemente em minha mão, acariciando-o suavemente. Sua circunferência era grande demais para eu agarrá-la completamente. Havia até veias saindo do lado. Envolvi meus dedos na base de sua enorme ferramenta e puxei para cima. Enquanto eu inspecionava seu pau.

"Droga, você tem muita carne." Murmurei baixinho.

"Agora, comece a chupar", ordenou Cristiano.

Aproximei meu rosto de seu pau e abaixei minha boca sobre seu poste duro. Lambi ao redor de sua ponta, descendo pelo eixo e depois subindo novamente algumas vezes, antes de colocar a ponta na boca e chupá-la suavemente. Então movi minha boca por seu comprimento. O gosto do pré-gozo encheu meus sentidos enquanto eu chupava seu eixo, movendo-me ainda mais para baixo até atingir meu limite, cerca de 18 centímetros abaixo de seu eixo. Balancei a minha cabeça para cima e para baixo do seu eixo até que lentamente puxei a minha cabeça para cima do seu pau e o tirei da minha boca. Levantei seu relógio e comecei a girar minha língua em torno de suas enormes bolas enquanto acariciava seu pau.

"Foda-se, " Ele gemeu alto.

Olhei para ele e o vi olhando diretamente nos meus olhos. Olhei para ele enquanto continuava lambendo seu saco, provocando-o.

Lembrei que ele gostava de ouvir minha voz e disse "Isso é bom, garotão?"

"Oh, porra, sim. Continue!" Ele demandou.

Eu trouxe suas bolas de volta ao meu rosto, passando minha língua pelas bordas enquanto o provocava mais uma vez.

Cristiano suspirou profundamente. "Você é uma provocadora. Isso é incrível."

"Só estou tentando garantir que você goze rápido."

Ele sorriu e passou as mãos pelo meu cabelo loiro. "Boa menina."

Senti-o agarrar a minha cabeça enquanto empurrava a sua pila de volta para a minha boca, depois começou a empurrar a sua pila para dentro da minha garganta. Tentei manter o ritmo, mas não havia muita coisa que eu pudesse aguentar sem se engasgar. Depois de vários minutos de luta, parei totalmente de respirar. Ele soltou minha cabeça e se levantou.

"Tire a blusa", ele ordenou.

"O quê?" Eu gaguejei.

"Tire a camisa", ele repetiu impacientemente.

"isso não faz parte do acordo.

Meu coração disparou quando tirei minha regata.

"Seu sutiã também."

Desabotoei meu sutiã e deixei-o cair ao meu lado, revelando meus seios grandes.

"Vou foder esses seus peitos grandes", ele sussurrou com voz rouca.

“Meu marido nunca fez isso comigo”, confessei.

Por que estou seguindo seus comandos e dizendo esse tipo de coisa? Estou gostando disso?

"Bem, é hora de você descobrir como é ter um grande pau jovem entre eles."

Suas palavras me fizeram estremecer.

Ele realmente vai foder meus seios? Ele planeja me usar assim?!

Ele beliscou meus dois mamilos com força, causando uma dor aguda que rapidamente se tornou prazerosa. Gemi baixinho quando ele agarrou os dois lados dos meus seios e apertou, me fazendo gritar. Ele colocou seu pau entre meus seios e começou a empurrar lentamente. Ele empurrou meus seios juntos e eu me engasguei quando o prazer percorreu todo o meu corpo. Ele se moveu mais rápido e com mais força, batendo no meu peito.

"Oh Deus!! Mais forte!"

Porra

Enquanto ele batia em meus seios, observei enquanto ele olhava para mim. Ele não estava prestando atenção em mais nada além da minha pele nua. Ele me fodeu sem piedade, batendo repetidamente no meu peito.

"Seus seios são incríveis!"

A sensação do seu pau deslizando entre meus seios sensíveis enviou choques elétricos por todo o meu corpo. Cada vez que ele batia entre meus seios, minha boceta apertava e se contorcia incontrolavelmente. Eu não conseguia parar de gemer.

"Você está se molhando, baby? Já está animada? Quer ser fodida com muita força aqui mesmo no sofá?"

Eu choraminguei enquanto ele continuava a bater em meus seios implacavelmente.

Sem pensar em meu filho, sem pensar em meu marido "Sim Sim Sim!!!" Eu gritei.

O que ele está fazendo comigo, por que eu quero tanto foder esse jovem garanhão gostoso?

"Diga-me o que você quer, sua puta!" Ele rosnou.

"Preciso ser fodida. Preciso que você me encha com seu pau!" Eu implorei.

Ele sorriu para mim. "Então diga por favor."

"Por favor, estou te implorando... por favor..."

"Tire as calças", ele ordenou.

Fiz conforme as instruções e tirei as leggings da cintura. Eles caíram no chão ao meu lado junto com minha calcinha. Ele me virou e bateu com força na minha bunda, fazendo-a balançar. Sua mão deixou uma marca quando ele me deu um tapa. Então ele agarrou meus quadris e me empurrou para a beira do sofá. Coloquei minhas mãos no apoio de braço e arqueei as costas. Ele começou a lamber minha boceta por trás enquanto suas mãos grandes exploravam minhas bochechas redondas. A sensação de sua língua quente lambendo minha fenda pingando era indescritível. Era tudo que eu precisava para me levar ao limite. Enquanto ele me comia, senti seu dedo deslizar dentro de mim, explorando cada canto da minha boceta. Arqueei mais as costas e gemi alto.

"FODA-ME! FODA-ME JÁ! ENCHA MINHA Boceta COM SEU PAU GRANDE!" Eu gritei.

Ele deslizou mais dois dedos dentro de mim e chupou os lábios da minha boceta em sua boca enquanto continuava a me foder com os dedos. Gritei de prazer quando uma onda de intensa felicidade orgástica tomou conta de mim.

"Estou gozando! Estou gozando! Oh meu Deus!" Eu gemi. Foi um orgasmo intenso

Quando Cristiano finalmente terminou de me Chupar, ele subiu no sofá e posicionou sua ereção latejante na entrada da minha boceta. Meus olhos se arregalaram de surpresa quando percebi o quão grosso seu pau realmente era, quando ele entrou dentro de mim.

"Puta merda! Isso é tão bom", exclamei.

Cristiano segurou meus quadris enquanto empurrava lentamente seu pau ainda mais dentro da minha boceta. Deixei escapar um suspiro alto quando ele chegou ao fundo do poço. Eu nunca tinha sido tão aberta assim antes.

"Você é tão apertada", ele gemeu.

Lenta, mas seguramente, ele começou a bombear seu pau dentro de mim até que eu pude sentir suas bolas batendo contra minha boceta.

"Quem te fode melhor? Eu ou seu marido?"

"DEUS, O PAU DO MEU MARIDO É ACIMA DA MEDIA JÁ, MAS VOCÊ É MUITO MAIOR DO QUE ELE! OH DEUS! É INCRÍVEL TER UM HOMEM DE VERDADE DENTRO DE MIM! POR FAVOR, NÃO PARE!" Eu chorei.

Cristiano virou minha cabeça para encará-lo e se inclinou para frente, beijando-me profundamente enquanto continuava movendo seu pau para dentro e para fora de mim. Ele estendeu a mão e segurou um dos meus seios e acariciou-o suavemente com a ponta dos dedos. Nossas línguas dançavam juntas enquanto nossos corpos balançavam ritmicamente no sofá. Ele passou a mão em volta do meu pescoço e apertou, me sufocando. Eu ofeguei enquanto seu aperto aumentava.

"Não se preocupe, vou garantir que você possa respirar em breve", disse ele.

Minha boceta se contraiu e apertou em torno de seu eixo enquanto outro orgasmo percorria meu corpo. Olhei para baixo, fechei os olhos e cerrei os punhos.

"OHHHH SIMHHH!!" Eu gritei.

Desta vez foi muito mais forte que o anterior, enviando ondas de êxtase por todo o meu corpo. Quando ele saiu de mim, desabei na almofada abaixo de mim. Respirei pesadamente enquanto meu corpo tremia incontrolavelmente.

Depois de recuperar o fôlego, abri os olhos para ver que Cristiano estava parado na minha frente, seu pau a apenas alguns centímetros do meu rosto.

"Lamba seus sucos", ele ordenou.

Obedeci sem questionar, lambendo seu pau para limpá-lo. Depois que terminei de limpá-lo, ele me disse para deitar-se de costas. Mais uma vez eu obedeci. Ele se sentou em cima de mim e levantou minhas pernas bem acima de seus ombros. Com um movimento suave, ele empurrou-se profundamente dentro de mim mais uma vez.

Essa posição me fez gemer ainda mais alto que o normal. Cada centímetro de seu enorme pau me encheu completamente. Joguei meus braços para cima no apoio de braço atrás de mim enquanto ele me batia com mais força e mais rápido.

" sim! Foda-me! Dê-me isso! Encha minha boceta com seu pau grande! Faça de mim sua putinha!" Eu gritei.

Cristiano grunhiu enquanto batia seu pau dentro de mim. Ele agarrou meus seios com força, apertando-os e puxando meus mamilos. Cada vez que sua pélvis batia contra a minha, eu me sentia gozar um pouco. Ele continuou batendo em mim implacavelmente.

"Ohh! Ohhh! Deus! SIM!! OHHHHH MERDA QUE É TÃO BOM!!" Eu gritei.

A cada novo grito, o ritmo de Cristiano aumentava rapidamente. Em pouco tempo eu estava gritando palavras incoerentes e chorando de prazer. Eu não pude evitar; eu vim como uma louca. Eu me debati debaixo dele enquanto todo o meu mundo se tornava nada além de puro êxtase.

"ESTOU GOZANDO DE NOVO! UGH! DÁ PARA MIM Cristiano! FAÇA MEEE GOZAR!" Eu gritei.

"Foda-se! Eu também vou gozar!" Ele gritou de volta para mim.

A próxima coisa que percebi foi que as mãos de Cristiano agarravam minhas coxas com força enquanto ele enterrava seu pau dentro de mim. A sensação enviou ondas de choque por todo o meu corpo. Suas bolas pressionaram firmemente contra minha bunda enquanto ele se esvaziava profundamente dentro de mim. Seu pau explodiu, preenchendo cada centímetro do meu interior.

Enquanto nós dois nos recuperávamos, fiquei ali olhando para ele. Sorrimos enquanto eu passava os dedos pelos seus cabelos.

"Isso foi incrível", eu disse a ele.

Ele riu e me beijou ternamente na testa. "Obrigado."

Ficamos abraçados no sofá por vários minutos depois disso. Por fim, levantei-me para ir ao banheiro. Enquanto me afastava, ouvi Cristiano dizer: “Você tem uma bunda tão linda”. Fui ao banheiro e lavei as mãos rapidamente e depois voltei para a sala.

Assim que voltei, Cristiano estava se vestindo. Fiquei observando-o enquanto ele vestia as roupas. Ele ainda tinha uma protuberância enorme no short.

Coloquei minhas roupas e o beijei.

"Então você vai deixar Daniel em paz a cumprir sua parte no acordo?"

“Um acordo é um acordo”, disse ele.

“já tenho até uma namorada para ele e uma vaga no time de futebol

Ao entardecer voltando para casa em sua Mercedez Andrea estava arrependida do que tinha feito, embora foi o melhor sexo de sua vida, ela estava confusa, mas sentia que tinha feito o melhor para seu filhoNo escritório naquela noite Paulo abria um champanhe com Aline para comemorar o acordo fechado na reunião que tivera, Aline estava eufórica. feliz por estar com Paulo parecia muito apaixonada por ele, sentados no sofá do escritório ela o beijava acariciava seu peitoral enquanto ele passava a mão lentamente em suas costas.

No momento em que o celular de Paulo recebe uma mensagem ele se esgueira para pegar o aparelho, era um número desconhecido que mandara umas fotos com uma mensagem no final.

“eu disse que ela voltaria “

Paulo então abre as fotos e vê que se tratava da sua linda esposa chupando o enorme pênis de Cristiano.

Neste momento ele disfarça inventa para Aline que surgiu um imprevisto, se troca e manda um endereço pra Cristiano e diz.

Minha casa esteja lá em meia hora vamos esclarecer tudo isso.

CONTINUA

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 99 estrelas.
Incentive Gabriellll a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil genéricaGabriellllContos: 64Seguidores: 166Seguindo: 21Mensagem Escritor nas horas vagas se tiver ideias de conto me mande no e-mail lxvc1987@hotmail.com

Comentários

Foto de perfil de Amandha CD Putinha

Que delííííciaaaaaaaa... chumbo trocado, não dói...rsrsrs... Paulo já tava com tesão de ver a mulher masturbando Cris... isso só acendeu o fogo dela...rsrs

0 0
Foto de perfil de Passivo 10

Uau!! Não imaginava que Paulo fosse tão rápido pra tirar o cabaço da Aline. Já a Andrea estava louca pra sentir o Cristiano dentro dela...

E será que Aline é Cristiano tbm não estavam planejando isso juntos??

Bom, arrumando direitinho todo mundo goza gostoso..kkk

0 0
Foto de perfil genérica

Sei que é um conto fictício mas sempre que contém uma boa história e não um porno mal feito onde o entregador de gaz já chega comendo a casada vale a pena tentar pelo menos levar pro lado da vida real.

Como disse no comentário do conto anterior se um advogado bem sucedido não visse formas legais de fazer cristiano parar de importunar o filho nada como contratar três ou quatro maloqueiros que não resolveriam a situação.

Foi muito inteligente do pai em emboscar a irmã pra quem sabe tirar fotos ou até filma-la pra chantagear ele mas foi uma sacanagem em não contar pra esposa que iria tentar fazer isso pois combinado não sai caro e ele traiu a esposa mas por outro lado acho que a esposa foi de caso pensado sem o marido pq sabia que iria acabar traindo ele com cristiano então estão os dois errados com o detalhe que Paulo já sabe que foi corno.

Agora é ler o próximo capítulo pra entender o motivo da troca de mensagens entre Paulo e Cristiano.

1 0
Foto de perfil genérica

na verdade Paulo começou a desenvolver sentimentos por aline

seu comentario é bom obrigado

1 0
Foto de perfil genérica

Ótimo o seu conto e gostaria de saber mais sobre sua mãe e as transas dela. E queria receber fotos dela. Meu e-mail é adriano_sp_pv8@hotmail.com

1 0
Foto de perfil genérica

Esta ficando cada vez melhor, parabéns

1 0

Listas em que este conto está presente

Criar histórias de cornos
Me ajuda em criar contos