Minhas Duas Metades #5

Um conto erótico de Ju
Categoria: Lésbicas
Contém 1564 palavras
Data: 27/08/2023 18:18:06
Última revisão: 18/07/2024 20:28:34

Acordei no outro dia umas 8 horas. Rebeca ainda dormia como um anjinho. Quem a via assim não podia imaginar o que ela tinha feito comigo a algumas horas atrás.

Ela era muito bonita. Além disso, me pareceu ser uma garota legal. Me senti muito bem perto dela. Não só durante nossas loucuras, mas a presença dela me fez bem o tempo todo.

Me levantei com cuidado para não acordá-la. Fui ao banheiro e fiz um xixi básico. lavei o rosto. Procurei no armário e achei uma escova ainda na embalagem. Peguei e escovei meus dentes. Depois eu daria outra para ela.

Resolvi ir na cozinha fazer um café. Estava procurando uma vasilha no armário quando escuto uma voz atrás de mim.

Alguém: Posso ajudar em algo?

Eu quase tive um treco do susto que levei. Quando me virei vi um homem loiro. Provavelmente de uns 40 anos mais ou menos. Vestia um terno bem bonito e estava com uma maleta na mão.

Eu não sabia o que dizer. Provavelmente eu estava mais branca que a Rebeca naquela hora. Ele sorriu e disse.

Homem: Me desculpe eu não queria assustar você. Pode se acalmar. Eu sou Angelo o pai da Rebeca. Você deve ser a amiga dela que dormiu aqui, né?

Ju: Sou sim. Desculpe, é que levei um baita susto. Muito prazer. Eu sou a Ana Júlia, mas pode me chamar de Jú.

ngelo: O prazer é meu Ju. Olha eu acabei de chegar de viagem. Só quero ir tomar um banho e dormir, mas fica a vontade, ok?

Ju: Obrigada e bom descanso.

Angelo: Há, se estiver é querendo fazer café tudo que você precisa está na última porta. Se for comer algo vai achar na primeira porta e na geladeira. Bom até mais e foi bom te conhecer. Espero te ver mais vezes por aqui.

Eu agradeci ele e ele foi em direção ao corredor. Respirei fundo tentando me acalmar de vez e fui fazer o café. Preparei umas torradas e esquentei um pouco de leite. Peguei um pote de geleia e coloquei tudo em uma bandeja. Voltei ao quarto. Rebeca estava se levantando e me olhou com um sorriso lindo quando me viu com a bandeja na mão.

Deu bom dia e falou que já voltava. Foi ao banheiro e logo voltou. Se sentou ao meu lado para tomar seu café. Eu contei para ela que tinha pegado uma das suas escovas e depois daria outra. Ela disse que não precisava. Que ia deixar ela no armário para eu usar nas próximas vezes e sorriu.

Contei para ela que tinha conhecido o pai dela. Falei sobre o susto que ele me deu. Ela riu muito de mim e disse que tinha avisado o pai que tinha uma amiga dormindo no apartamento. Me falou que o pai dela era uma pessoa incrível. Que sempre apoiou ela em tudo. Nunca a tratou diferente depois que ela contou que gostava era de garotas e que se davam super bem.

Tomamos café e ela me mostrou as tatuagens dela. Eram 3. Uma no antebraço. Uma na perna e uma no pé. Eram bem bonitas.

Aí ela disse que tinha gostado muito de mim. Que queria muito que a gente mantivesse contato e uma amizade. Que apesar das brincadeiras, mesmo que a gente nunca mais ficasse, ela queria ter eu na sua vida como uma boa amiga.

Eu disse que queria o mesmo e que tinha gostado muito dela também.

Aí ela falou que se dependesse dela a gente iria transar em toda oportunidade que a gente tivesse porque eu era prefeita na cama, mas que isso só iria acontecer se eu quisesse. Se não fosse atrapalhar nossa amizade porque ela não podia ter nada comigo além disso. Que não era só comigo, mas com ninguém.

Eu falei que eu não tinha nenhuma intenção de me envolver emocionalmente com alguém no momento, até porque eu estava muito magoada com tudo que aconteceu. Queria um tempo para esquecer a Márcia e talvez aí sim pensar em ter algo sério novamente.

Rebeca: Então vamos ser amigas que transa né? 🤭

Ju: Meu Deus fala baixo. Seu pai está aí doida. 😂

Rebeca: Ele sabe que você é uma amiga e sabe que a gente transou. 🤣

Ju: Sério que você contou pra ele!?!

Rebeca: Sim, mas desencana. Meu pai é de boa, eu já disse.

Ju: Tá bom, mas esse lance de ser amigas que transa é meio estranho pra mim ainda. Preciso pensar nisso.

Rebeca: Você não gostou?

Ju: Claro que gostei. Na verdade eu amei. Foi incrível.

Rebeca: Então o porquê não acontecer de novo?

Ju: Não tem um porquê. Só que sei lá, é novo isso pra mim.

Rebeca: Não tem motivo lógico para você não querer. O único motivo é que você está com medo de se soltar. Não vamos namorar. Vou ser sua amiga pro que der e vier. Eu sou assim. Não vou te impedir de ficar com alguém se você quiser. Quando uma não quiser mais a gente para. Não vai ter crises de ciúmes. Nem ter que dar explicações. Vamos ser amigas. Quando a gente estiver afim a gente transa e pronto.

Ju: Tá bom. Vamos ser amigas que transa 🤭 Mas tenha paciência comigo, porque como eu disse é tudo novo para mim.

Rebeca: Tudo bem, mas na hora do bem bom a algumas horas atrás você não pediu para eu ser paciente. 😂

Ju: Vai se fuder palhaça. 😂 E levanta que tenho que ir pra casa.

Rebeca: Não são nem 9 da manhã. Às 10 eu te levo. Deita aqui. Vamos curtir a preguiça e conversar. Quero saber tudo da sua vida, minha amiga gostosa. 😂

Ficamos ali de papo. Eu contei quase tudo sobre minha vida para ela e ela me contou algumas coisas da sua.

Ela era filha única. Lésbica assumida desde os 14. Sua família aceitou numa boa. Ela era filha de pais separados, mas que tinham um bom relacionamento. Ela veio pra BH morar com o pai um ano. Ele foi transferido para ser gerente da filial da empresa em que ele trabalhava. Ela não quis deixa-lo sozinho antes de se adaptar à nova cidade.

Ela mora no Rio com sua mãe e o padrasto, com quem se dá muito bem. A família é de classe média alta. Nunca namorou sério e nem pretende até se formar. Tem 19 anos como eu e infelizmente daqui 3 meses vai voltar pro Rio.

O nosso papo fluía bem. Ela era inteligente e divertida. Nem vi a hora passar. Quando percebi já tinha passado das 10. Pedi para ela me levar em casa. A gente trocou de roupa e saiu em direção à lanchonete.

Quando chegamos eu chamei ela para entrar. Mostrei meu quarto para ela e entrei na casa do meu tio para apresentar os dois.

Meu tio ficou sem entender nada, porque ele achava que eu estava com a Márcia. Do nada chego lá com outra menina e dizendo que dormi na casa dela. Claro que ele tratou Rebeca super bem, mas vi que ele estava me olhando meio estranho.

Falei que ia fazer o almoço e chamei Rebeca para almoçar com a gente e ela aceitou. Deixei eles conversarem e fui pra cozinha preparar o almoço. Aí escuto a Rebeca perguntamos em um grito se podia contar o que tinha acontecido na faculdade. Eu disse que sim, mas só na faculdade. Meu tio gritou.

Tio: O resto não precisa contar não. Eu sei que vocês se pegaram. 😂

Eu nem respondi. Só ouvi a gargalhada dele e da Rebeca. Não sei se Rebeca tinha contado antes ou ele percebeu, mas não liguei. Não era segredo e eu iria contar de todo jeito. 🤭

Quando terminei o almoço fui na sala chamar eles e meu tio estava com uma carinha triste. Quando me viu veio até mim e me deu um abraço dizendo que sentia muito por eu estar passando por tudo aquilo. Eu disse que tudo bem. Que eu iria sobreviver.

A gente almoçou e conversamos bastante. Meu tio pelo jeito gostou da ruiva.

Quando terminamos, fui com Rebeca até o carro me despedir. Eu tinha que trabalhar e ela iria estudar.

Ju: Olha volta quando der e não some. ok?

Rebeca: Pode deixar que passo rapidinho aqui antes da faculdade e na volta passo de novo. É caminho mesmo.

Ju: Combinado então. E você gostou da minha comida?

Rebeca: Qual delas?

Ju: kkkkkk Palhaça. 🤣 Eu falo do almoço. kkk

Rebeca: Eu amei. Você cozinha muito bem. Mas sua comida na cama foi melhor. 😂

Ju: kkkkkk Obrigado pelo elogio. 🤭 E pelo visto você e meu tio se deram bem.

Rebeca: Claro. Seu tio é um amor.

Ju: Ele é sim. Gosto muito dele. É uma pessoa muito gente boa.

Rebeca: A maioria dos gays são. 🤭

Ju: Como assim?

Rebeca: A maioria dos gays que conheço são gente boa.

Ju: Não é isso. Meu tio é gay?

Rebeca: Putz, você não sabia!?!

Ju: Não!!!

Rebeca:Bom melhor eu ir né. 🤭 Tchau gostosa.

Eu dei tchau e ela saiu. Eu fiquei pensando naquilo. Como assim meu tio é gay!?!

Aí comecei a pensar em umas coisas. Ele sempre está bem arrumado. Nunca vi ele com mulher nenhuma. Ele está sempre cheiroso. Tem mais cremes de pele e cabelo que eu.

Como eu não notei isso antes!?! Eu sou muito cega, só pode.

.

.

Continua.

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 12 estrelas.
Incentive Forrest_gump a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Comentários

Foto de perfil de Paulo Taxista MG

Uai KKK como assim ela nunca desconfiou do tio, tava na cara, é pelo visto as coisas vão mudar pra Ju.

1 0