Amor & Ódio (parte 27) - ÚLTIMO CAPITULO

Um conto erótico de Daniel
Categoria: Gay
Contém 1364 palavras
Data: 07/03/2023 00:12:12

Eu continuava sendo chantageado naquela casa por Wagner e pelo lacaio Rodrigo, e para que eles não contassem que eu era namorado de Phillgrin eu tinha que me submeter a eles de todas as formas, lambia seus pés, fazia suas comidas, lavava suas roupas e etc... não vou mentir que eu sentia bastante prazer de cumprir todas essas ordens...era como se eu estivesse no mínimo curioso para saber o que mais viria, mas dentro do meu peito eu sabia que o meu coração pertencia unicamente a Felippe, em uma dessas ocasiões no entanto, nas tantas vezes em que os dois sem vergonhas iam me visitar no meu quarto, Felippe se levanta para tomar agua e escuta um gemido, decide então olhar o que se trata e ao encontrar a porta do meu quarto entreaberta ele se depara com a seguinte cena: eu sendo usado pelo seu próprio irmão e por Rodrigo, á princípio Felipe sente uma intensa revolta dentro de si mas depois ao tocar o pênis por cima do short do pijama ele constata ele duro e muito excitado, então resolve ficar quieto, eu caprichava no boquete em Wagner enquanto Rodrigo se deliciava na minha bunda, com a cara enfiada nela, devorava-a, enquanto Felippe já tomado pelo calor da excitação de ver seu garoto ali sendo usado e judiado por dois machos, Phillgrin experimentava uma fantasia que jamais pensou que tivera. Cansado de se deliciar em minha bunda, Rodrigo passa a alternar o boquete com Wagner Felippe escondido observava toda a cena do garoto alternando entre chupadas em dois caralhos, os dois se deliciavam e eu não sabia mais o que fazer, terminaram a noite jorrando esperma na minha face, fiquei todo lambuzado na cara inteira, pescoço e cabelos. Felipe também gozava no chão pois não aguentara ficar apenas olhando seu garoto ser currado daquela forma e havia se masturbado.

Logo em seguida Felipe adentra o quarto batendo palmas, Rodrigo tenta argumentar mas recebe um cala a boca de Phillgrin, cai no chão estrebuchando enquanto Wagner e Felipe trocam ameaças, de um lado Wagner ameaça contar para a sociedade que o irmão mantem um caso comigo, e do outro Felipe ameaça contar da cena que viu para a esposa de Wagner, enquanto eu permanecia no chão, nu vendo toda aquela baixaria e com a cara toda suja de porra, Felipe jura vingança e marca um encontro para o dia seguinte para nós quatro, ninguém queria nem saber o que eu penava de tudo isso, o dia seguinte parecia uma coleção interminável de horas inúteis onde nenhum de nós conseguia sequer dormir pensando no que Phillgrin seria capaz de fazer conosco, na hora marcada estávamos todos reunidos em meu quarto, eu tremia de medo, pois sabia que seria eu o maior prejudicado. Felipe entra no quarto, elegante, charmoso, de terno mas com um chicote, um olhar maldoso, e um sorriso sádico nos lábios, sem perder mais tempo mas ao mesmo tempo sem muita pressa Felipe amarra as mãos de Wagner para trás e o amordaça, veste uma calcinha no irmão que o deixou ruborizado, ajoelhado no cantinho do quarto e de pintinho duro Wagner era obrigado a ver Felipe me comendo e me obrigando a dizer que eu era dele, eu estava delirando de prazer com tudo aquilo, Rodrigo nada fazia a não ser permanecer cabisbaixo vendo toda a farra que seu patrão fazia comigo, Felipe provou por A mais B porquê eu pertencia a ele e mais nenhum outro homem pois me proporcionou orgasmos múltiplos aquela noite , coisa que nenhum dos dois teve competência pra fazer até então

mas eu também provei do castigo pois Felipe em certa instancia me pôs em seu colinho e tudo que testemunhei ali foi tapas e chicotadas na minha bunda que foram as mais humilhantes que já provei pois estas foram observadas por Wagner e o empregado deles ambos de pau duro, depois do meu castigo foi a vez de rodrigo provar de seu próprio remédio , sem cerimônia Felipe o pôs de quatro e comeu seu rabinho virgem sem dó nem piedade, eu estava totalmente cheio de raiva e ciúme mas havia um detalhe: Eu permanecia de pau duro. Experimentando assim a mesma sensação que Phillgrin tivera quando os viram me comer, Rodrigo permanecia gemendo, com os olhos fechados, cerrados e uma expressão de dor em sua face, ele agora sabia exatamente a sensação que eu também tinha quando ele fazia o mesmo comigo, Wagner apenas assistia seu irmão foder o rabo do seu amigo como queria, de olhos arregalados e se contorcendo de medo e tesão e das tentativas inúteis de se libertar das cordas que o prendiam, seu medo era de ser o próximo á estar na mesma situação de Wagner e seu medo tinha propósito pois mal terminou de comer Rodrigo, Felipe obrigou o rapaz á fazer o mesmo com seu irmão, nesse caso Phillgrin não permitiu que Wagner ao menos visse o que estava se passando e colocou-lhe uma venda nos olhos no final nós três lavamos a cara, pescoço, cabelo e barriga de Wagner com nossos espermas mas ainda faltava ele gozar, e nesse ponto eu, Phillgrin e Wagner tratamos de proporcionar-lhe o orgasmo mais intenso de sua vida (contra a sua vontade) com um esfregando e puxando suas tetas, outro masturbando-o e outro metendo o dedo no seu cu. Felippe havia provado que ninguém além dele era o rei daquela casa

Os meses se passaram, Christine cresce a barriga e apesar de sua arrogância eu estive cuidando de sua gravidez todo o tempo, ela faleceu ao dar a luz mas antes de morrer confessou á Felipe o que eu já sabia: ele não era pai de seu filho. Com a morte de Christine toda a família de Felippe retornou á Inglaterra mas eu permaneci aqui cuidando do meu rei, de seu castelo e de seu primogênito pois Phillgrin reconheceu a paternidade do garoto e permaneceu com seu reinado administrando a fazenda de café, o pequeno Linus é um menino de três anos um tanto tímido e melancólico devido a falta da mãe, mas sei que ele cresce feliz pois recebe muito amor e carinho, ele tem os mesmos trejeitos da família de Phillgrin: é loirinho, um narizinho fofo, olhos claros, não há quem diga que não é filho dele, Rodrigo engatou um romance com Damião e Amaralzinho finalmente encontrou o amor de verdade com Marcelo, nós dois nos perdoamos e selamos a paz quando contei pro meu pai e irmão que namorava Felipe, eles não aceitaram de imediato mas meu pai por mais incrível que pareça aceitou mais rapidamente, até veio morar conosco. Aos poucos Felippe voltou a ser o homem alegre de antes, nossa casa com mais luz e vida, cheia de flores que eu enfeito, e nós sempre arranjamos um tempinho para fazer amor seja pela manhã ao acordar, antes de dormir ou quando nosso pequeno está na escolinha.

Esse foi um desses dias em que eu acordei o meu amor com um belo boquete com bastante carinho, beijando seu corpo peludinho e beijei sua boca, minutos depois já estamos os dois suados, cheios de tesão, ele em cima de mim metendo com força porém com carinho e eu por baixo, deslizando minhas mãos em suas costas suadas, sentindo os pelos de seu peito e barriga grudarem em mim, beijos apaixonados, juras de amor, elogios e troca de olhares, ele me olha com seus olhinhos azuis apaixonados e eu o olhos, sorrimos um pro outro e dizemos o quanto nos amamos, agora não há mais ódio só amor...ele deixa minha bunda toda molhada de tesão, enquanto mete com cada vez mais força e rapidez, enquanto nos beijamos deliciosamente apaixonados, ele goza no meu cu enchendo ele de porra grossa e quentinha, mas mesmo sem parar o vaivém enquanto goza, seu pau escorrega pra fora, meu cu saindo porra e ele goza mais na minha barriguinha, eu amo esse homem...FIM

💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖

Até onde você iria por amor?

venha acompanhar os sonhos e dilemas dos meus personagens na minha nova história "Nosso Louco Amor" a primeira parte já está postada clique no meu nome de usuário e venha conferir!!!

Siga a Casa dos Contos no Instagram!

Este conto recebeu 12 estrelas.
Incentive Danizinho a escrever mais dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.
Foto de perfil de DanizinhoDanizinhoContos: 183Seguidores: 106Seguindo: 3Mensagem Autor Paraibano de 27 anos, escrevo na casa dos contos desde 2017, com experiência em contos voltados ao público jovem (embora tenha um público cativo maduro também), não tenho nada contra o maniqueísmo embora nos meus contos eu sempre prefira mostrar personagens humanizados que cometem erros, acertos e possuem defeitos e qualidades, meu maior sucesso foram os contos "Amor & Ódio" e "Nosso Louco Amor" esse último teve cerca de 50 estrelas em um único capítulo, atualmente escrevo "Um Certo Alguém" que conta a história de um triângulo amoroso formado pelo jovem Tiago, o Maduro Luís e o CDF Daní, tem alguma dica, sugestão ou crítica??? entre em contato comigo no zap: (83) 99822115

Comentários

Foto de perfil genérica

Já tinha lido e não sei porque não fiz nenhum comentário pois adorei esta saga, só lamento o espaço demorado entre suas publicações, acabei relendo este último capitulo e como você pediu estou aqui comentando. Gosto muito da sua maneira de escrever e confesso que a riqueza de detalhes com que você descreve as cenas me leva a loucuras de prazer e gozo. Obrigado. Quanto ao "Nosso louco amor" estou acompanhando e me desculpe se algumas vezes não comento, embora te de sempre as três estrelas. Forte abraço desse seu fã carioca.

0 0